Type Here to Get Search Results !

Marcadores

SAGRADA FAMÍLIA - CAPÍTULO 16




SAGRADA FAMÍLIA

“Capítulo 16”

 

Novela criada e escrita por

Wesley Franco

 

Personagens deste capítulo

ALEXANDRE

RENATA

GUTO

ADÉLIA

EDUARDO

REGINALDO

ADÉLIA

CARUSO

SOL

GUILHERME

PEDRO

BÁRBARA

MURILO

HELENA

MARIANA

ARLETE

MELISSA

ADVOGADO

 

Esta é uma obra de ficção e sem compromisso com a realidade.

 

CENA 1. CASA DE ANTÔNIO. EXT. JARDIM.

CONTINUAÇÃO IMEDIATA DA CENA FINAL DO CAPÍTULO ANTERIOR.

MURILO – Eu só estou brincando Bárbara, que mau humor é esse?

BÁRBARA – Nós precisamos conversar sobre algo muito sério.

MURILO – O que aconteceu?

BÁRBARA – Eu estou grávida!

MURILO – Você tem certeza?

BÁRBARA – Claro que eu tenho. Eu não iria vim aqui falar com você se não tivesse certeza. Eu fiz o teste de farmácia, deu positivo e depois eu fui a uma consulta com meu ginecologista e ele confirmou.

MURILO – O médico não pode ter se enganado?

BÁRBARA – Não se enganou, por mais que você não goste da notícia, eu estou grávida.

MURILO – Não é que eu não goste, eu só não estava esperando, a gente sempre se cuidou bastante, e ainda mais agora que nós terminamos

BÁRBARA – Eu não estou pedindo para você retomar nosso relacionamento só porque estou grávida, só achei que você tinha o direito de saber.

MURILO – Não, eu entendo, eu só preciso digerir melhor tudo que está acontecendo.

BÁRBARA – Não quer colocar as mãos na minha barriga? Mais cedo eu acho que sentir ele se mexer, quem sabe agora na presença do pai ele também não se mexe. (sorrir)

Murilo se aproxima e coloca uma das mãos na barriga de Bárbara.

BÁRBARA – Tá sentindo alguma coisa?

MURILO – Não sinto nada.

BÁRBARA – Ele deve tá dormindo agora, outra hora você sente, não faltará oportunidades para isso. Quando quiser conversar sobre o assunto, você sabe onde me procurar.

Bárbara sai, voltando para casa de Caruso e Murilo fica no jardim bastante pensativo.

MURILO – Isso não podia ter acontecido, não agora com a Helena me esperando.

CORTA PARA

CENA 2. SALVADOR. LANCHONETE. INT. BALCÃO. DIA.

Helena e sua amiga Mariana estão com o uniforme da lanchonete e atrás do balcão. A lanchonete está vazia.

MARIANA – Era ele no telefone?

HELENA – (sorrir) Sim!

MARIANA – E o que ele disse? Está vindo mesmo?

HELENA – Ele disse que vem em duas semanas, precisou adiar a vinda por causa da morte daquele empresário o Jayme Castro, ele era o dono da empresa onde o Murilo trabalha.

MARIANA – Eu vi essa notícia no jornal, o dono da Castro Cosméticos, eu tenho um perfume dessa marca e eles são tão bons. (sorrir) Amiga, você deu uma sorte grande, arranjou um homem que trabalha numa empresa tão importante.

HELENA – (sorrir) Ele é maravilhoso Mari, eu tô completamente apaixonada. Foram os dias mais intensos da minha vida, mas uma intensidade gostosa.

MARIANA – Dá pra ver no seu rosto que você gostou mesmo. (rir)

HELENA – Pela primeira vez em meses eu fiquei alguns dias super relaxada.

MARIANA – Você tava precisando mesmo, porque em casa você só tem problemas. Sua mãe doente, seu pai viciado em jogo sempre perdendo dinheiro...

HELENA – A saúde de mainha tá cada vez pior, ela já tem quase 6 meses fazendo esse tratamento para tuberculose e a tosse não passa, não sei mais o que fazer. E painho, nem se fala, já tem dias que eu cobro a ele o dinheiro das contas da casa e ele não me dá, tenho quase certeza que ele perdeu tudo no jogo, e eu não sei o que vou fazer, porque o que eu ganho aqui mal paga o aluguel.

CORTA PARA

CENA 3. CASTRO COSMÉTICOS. INT. SALA DE PRODUÇÃO. DIA.

Nathalia chega a sala de produções da fábrica acompanhada de Guto, Murilo, Alexandre, Caruso e Reginaldo. Todos os funcionários da produção da fábrica estão reunidos em volta de um pequeno palco que foi montado para Nathalia e a diretoria da fábrica.

NATHALIA – Boa tarde à todos!

TODOS – Boa tarde.

NATHALIA – Como vocês já devem ter ficado sabendo, esta semana perdemos o idealizador e fundador de tudo que nós temos hoje aqui, o Jayme. O Jayme pensou cada centímetro desta empresa e com muito trabalho conseguiu colocar a fábrica no lugar de destaque que ela está hoje. A Castro Cosméticos é referência nacional e tem renome internacional e tudo isso se deve ao trabalho que ele iniciou e que só foi possível chegar aonde chegou graças ao trabalho de todos vocês.

NATHALIA – Eu vim aqui hoje na condição de Presidente da empresa para dizer a vocês que o trabalho deve continuar, nós daremos continuidade ao legado deixado pelo Jayme. O lançamento da última coleção foi um verdadeiro sucesso e o número de pedidos está sendo extraordinário, mas a continuação do sucesso passa por vocês.

NATHALIA – Conto com o apoio e o trabalho de todos vocês para darmos mais um passo adiante, e que o Jayme de onde quer que ele esteja ele sinta orgulho do que vamos construir. Muito obrigada!

Todos aplaudem Nathalia depois do discurso, com exceção de Alexandre que se mantêm atônito sem manifestar reações.

CORTA PARA

CENA 4. CASTRO COSMÉTICOS. INT. SALA DE ALEXANDRE. DIA.

Alexandre e Reginaldo entram na sala conversando.

REGINALDO – Eu achei que com a morte do Jayme você iria assumir a presidência da empresa, mas pelo discurso da Nathalia, ela parece que continuará na liderança da empresa.

ALEXANDRE – Esse certamente foi o discurso de despedida dela. O testamento do Jayme será lido nos próximos dias, e eu sou naturalmente seu único herdeiro.

REGINALDO – Maravilha!

ALEXANDRE – Dentro dos próximos dias meu caro, eu finalmente irei assumir a presidência desta fábrica. (sorrir)

CORTA PARA

CENA 5. CASTRO COSMÉTICOS. INT. SALA DE CARUSO. DIA.

Caruso conversa com Sol, sua nova secretária.

CARUSO – Agora posso te dar as boas vindas oficialmente. Seja bem-vinda!

SOL – Obrigado seu Caruso. (sorrir)

CARUSO – Você chegou em um momento bem conturbado na fábrica, nem sempre aqui é assim, mas nesses últimos dias teve lançamento da nova coleção de perfumes e também tivemos o triste falecimento do Jayme que foi o fundador da fábrica.

SOL – Fiquei sabendo disso, a minha mãe trabalhava para o seu Jayme, ele era uma excelente pessoa.

CARUSO – Quem é a sua mãe?

SOL – A Adélia.

CARUSO – (surpreso) Não acredito! Você é filha da Adélia, por que não disse isso antes? Eu adoro a Adélia, já tentei roubá-la para mim várias vezes, mas ela não sai daquela casa de jeito nenhum.

SOL – (rir) A minha mãe realmente adora trabalhar lá, e eu não contei antes porque não queria misturar as coisas, queria conseguir esse emprego pelo próprio mérito.

CARUSO – E teve todo mérito! Seu currículo é excelente e você se saiu muito bem na entrevista.

SOL – Obrigada.

CARUSO – Agora vamos ao trabalho, eu preciso que você dê uma olhada nessa papelada aqui. (mostra os papéis em cima da mesa) Tem algumas coisas que eu já assinei e precisam passar para a Nathalia assinar, e algumas coisas que ela já assinou e precisam passar por mim, tá tudo misturado.

CORTA PARA

CENA 6. CASTRO COSMÉTICOS. INT. CORREDOR. DIA.

Arlete sai do elevador e se encontra com Eduardo que estava para entrar no elevador.

ARLETE – (sorrir) Filho!

EDUARDO – Mãe? O que a senhora tá fazendo aqui?

ARLETE – Estava fazendo umas comprinhas aqui por perto e resolvi passar aqui para ver seu pai. (abraça Eduardo)

EDUARDO – Só ele? E eu, não quis vim ver?

ARLETE – (sorrir) Sem ciúmes, você sabe muito bem que você é o grande amor da minha vida.

EDUARDO – Será mesmo? (rir) Brincadeira mãe, eu bem sei disso.

ARLETE – Inclusive, vou aproveitar que estou aqui para organizar os últimos detalhes com a Beatriz do jantar de vocês de noivado.

EDUARDO – Mãe, agora que o Jayme morreu não seria bom adiar um pouco?

ARLETE – De maneira alguma! O jantar é em alguns dias, já vai ter tido tempo suficiente para o luto.

EDUARDO – Tudo bem então, você que sabe.

ARLETE – Para quem vai noivar, você não parece muito animado.

EDUARDO – É claro que eu tô, eu e a Beatriz estamos juntos há anos, já está mais do que na hora de casarmos e construirmos uma família.

ARLETE – É assim que se fala meu filho, o homenzinho que eu criei tá tomando juízo.

EDUARDO – Sempre tive! (sorrir)

ARLETE – A sala do seu pai continua no mesmo lugar?

EDUARDO – Sim, final do corredor a direita.

ARLETE – (beija Eduardo) Já vou indo!

CORTA PARA

CENA 7. CASTRO COSMÉTICOS. INT. SALA DE CARUSO. DIA.

Arlete entra na sala de Caruso e encontra Sol ao lado de Caruso enquanto ele assina uns papéis. Arlete encara Sol.

CARUSO – Meu amor, o que veio fazer aqui hoje? (Se levanta e vai até Arlete e a beija)

ARLETE – Estava aqui por perto e resolvi passar aqui para te ver. Não vai me apresentar?

CARUSO – Claro que sim! Arlete essa é a Sol, minha nova secretária, Sol essa é a Arlete minha esposa.

SOL – (sorrir) Prazer dona Arlete.

ARLETE – Prazer Sol, lindo nome.

SOL – Obrigada. (sorrir)

CARUSO – Sol, você já pode levar esses documentos que assinei para Nathalia e pegar outros que estejam por lá e que eu não tenha assinado ainda.

SOL – Certo seu Caruso, faço isso agora mesmo. (pega os papéis que estão na mesa) Com licença. (saindo da sala)

ARLETE – Nova essa sua secretária né...

CARUSO – Sim, ela começou de fato hoje.

ARLETE – Não me refiro ao tempo que ela trabalha aqui e sim a idade dela.

CARUSO – Ah, sim, realmente ela é jovem, mas bastante competente.

ARLETE – Você não acha que pega mal ter uma secretária tão jovem? Poderia contratar uma mais velha.

CARUSO – A secretária é minha e eu contrato quem eu quiser, além do mais eu não me apego a idade, e sim a competência do serviço.

ARLETE – Eu estou de olho em você Caruso.

CARUSO – Você veio até o meu trabalho para ter crises de ciúmes? Porque se for, ponha-se daqui pra fora.

ARLETE – Claro que não meu amor, eu estava com saudades, vim te ver.

CARUSO – Então não vamos ficar aqui falando sobre as minhas preferências com secretárias.

CORTA PARA

CENA 8. CASA DE ADÉLIA. INT. QUARTO DE GUILHERME. NOITE.

Guilherme está se arrumando de frente de um grande espelho que tem no seu quarto, ele está vestido apenas de calça e sem camisa, e penteia seus cabelos, enquanto Pedro está sentado em uma cadeira ao lado da cama.

PEDRO – Não tá dando mais mano, eu passo o dia todo rodando a cidade fazendo entrega para chegar no fim do mês e tirar um dinheiro que só dá pro básico. Preciso dar um jeito na minha vida!

GUILHERME – Eu já te falei, larga essa história de motoboy e vem ser modelo comigo, a grana é muito boa, além dos desfiles, dá pra tirar por fora um dinheiro muito bom.

PEDRO – Esse negócio de modelo não é pra mim, desfilar sem camisa por aí com todo mundo me olhando, eu fico sem jeito.

GUILHERME – Isso é mole cara, você não anda sem camisa pela praia? É a mesma coisa, só que você vai tá sendo pago pra isso.

PEDRO – Não é a mesma coisa, não fui feito pra isso.

GUILHERME – Cara, você tem um corpo bonito, você podia começar a vender conteúdo na internet, mostra só do pescoço pra baixo, assim ninguém vai saber que é você.

PEDRO – E você acha que dá pra tirar uma grana com isso?

GUILHERME – Dá pra tirar muito dinheiro com isso, tenho vários amigos que não gostam de fazer um extra com book e prefere vender conteúdo, e tão muito bem de vida.

PEDRO – Mas eu não sei como funciona essas paradas.

GUILHERME – Faz assim, amanhã você vem aqui pela tarde que eu te cadastro na plataforma e te ensino beleza? Agora não posso porque tenho um encontro marcado.

PEDRO – Com quem? (sorrir)

GUILHERME – Uma coroa lá do Leblon, eu sinto que vou me dar bem. (pega camisa que está em cima da cama e se veste)

PEDRO – Queria ser assim, desenrolado igual a você.

GUILHERME – É só saber aproveitar as oportunidades que a vida te dar irmão. (sorrir)

CORTA PARA

CENA 9. RIO DE JANEIRO. EXT. NOITE.

SONOPLASTIA: SIMPLESMENTE MULHER – SILVIA MACHETE

Tomada de vários pontos da zona sul do Rio de Janeiro durante a noite. Sendo a última tomada a parte externa do apartamento de Melissa.

CORTA PARA

CENA 10. APARTAMENTO DE MELISSA. INT. SALA. NOITE.

A campainha do apartamento toca, Melissa abre e dá de cara com Guilherme.

MELISSA – (sorrir) Entra Guilherme.

GUILHERME – (sorrir) E ai Melissa, tudo bem?

MELISSA – Finalmente conseguir te encontrar, você sumiu naquele dia do desfile.

GUILHERME – Precisei ir embora mais cedo naquele dia, mas agora eu tô aqui inteirinho a sua disposição.

MELISSA – Que bom! Fique a vontade.

CORTA PARA

CENA 11. APARTAMENTO DE MELISSA. INT. QUARTO. NOITE.

SONOPLASTIA: SIMPLESMENTE MULHER – SILVIA MACHETE

O quarto está meio escuro, Melissa está de joelhos na cama vestindo apenas uma lingerie preta. Guilherme começa a tirar peça por peça da sua roupa e jogando no rosto de Melissa, até que ele fica completamente nu e parte para cima dela, beijando-a. Ele arranca a parte de cima da lingerie, joga Melissa na cama e a puxa de pernas abertas para borda da cama, e começa e penetrá-la.

SONOPLASTIA OFF

CORTA PARA

CENA 12. APARTAMENTO DE MELISSA. INT. SALA. NOITE.

Melissa está deitada no sofá vestindo apenas um Robie preto. Guilherme sai do quarto já vestido e vai em sua direção.

MELISSA – Aqui está seu pagamento! (ergue as mãos com várias notas de cem juntas)

GUILHERME – Muito obrigado. (Sorrir e pega o dinheiro)

MELISSA – Quando nos vemos de novo?

GUILHERME – Quando você quiser, estou à sua disposição. (sorrir)

CORTA PARA

CENA 13. RIO DE JANEIRO. EXT. NOITE/DIA.

Tomada de vários pontos da cidade do Rio de Janeiro.

LEGENDA: DIAS DEPOIS

CORTA PARA

CENA 14. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. ESCRITÓRIO. DIA.

Nathalia, Guto, Alexandre, Renata e Adélia estão reunidos no escritório da mansão, diante do advogado que está com o testamento de Jayme em mãos.

ADVOGADO – Bom, já que todas as partes interessadas estão presentes, vamos começar a leitura do testamento.

ADVOGADO – Eu vou dispensar os termos legais, e vamos logo ao que contém o testamento.

ALEXANDRE – Isso, vamos ao que realmente interessa.

ADVOGADO – Eu, Jayme Caruso em pleno uso das minhas faculdades mentais, disponho dos meus bens da seguinte forma: Dos 65% de ações da Castro Cosméticos que a mim pertenciam, deixo para a minha esposa Nathalia Castro 45%, para a minha filha Maitê Castro que por ora encontra-se desaparecida deixo 15%, enquanto ela se encontrar desaparecida gozará desses 15% a minha esposa Nathalia Castro, os outros 5% que restam deixo para o meu sobrinho Guto Castro.

ALEXANDRE – (assustado) O que? Isso não pode está certo!

ADVOGADO – Posso concluir a leitura?

ALEXANDRE – Eu não estou entendendo, como assim esposa? A Nathalia e o Jayme são casados?

ADVOGADO – Sim, ambos contraíram matrimônio, a senhora Nathalia é a principal herdeira do Senhor Jayme.

CONGELAMENTO FINAL EM ALEXANDRE SURPRESO.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.