Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Força de Um Sonho - Capitulo 12

 


Cena 1/ Aeroporto do Galeão / Interior /Noite/

André ( Com olhar apaixonado ) - Eu também te amo Janaina...

Nesse momento, soa uma locução.

Aeromoça - Ultima chamada para o vôo para Los Angeles.
André - Adeus Janaina...

André entra no avião e embarca para os EUA. Nesse momento a tela se divide.

André - Amor... Volto em 1 ano... Esse intercambio será muito importante para mim. Rumo ao MBA.
Janaina ( Com lagrimas nos olhos ) - Vou sentir sua falta, volte logo...

1 ano depois...

Cena 2/ Delegacia / Interior / Manhã

Paula está no interior da delegacia em frente à um delegado. Ela possui vestimentas simples, por causa do trabalho.

Paula ( Curiosa ) - Posso saber por que me chamou aqui?
Delegado - Todo mês você precisa vir aqui  informar onde você mora e trabalha, para cumprimento de sua pena. À propósito, sua pena já terminou.
Paula ( Escandalosa ) - Ai, graças à Deus que não vou mais poder limpar rua! 1 ano de lixo.
Delegado ( Advertindo - a ) - Fique  sabendo que a sua ficha criminal continua... O crime de injuria racial não saírá dela, e caso volte a cometer novamente, será criminoso em reincidencia, então procure se manter na linha, aja corretamente.
Paula ( Impaciente ) - Ai, tá! Ai... Quero é ter a minha vida normalmente sem ter que cuidar do lixo e de miséria dessa gente podre... Gente da Zona Sul como eu não pode viver assim.
Delegado - A sua vida sera normal, mas como disse, precisa cumprir todas as regras , caso venha a reincidir, uma condenação poderá  acontecer.
Paula ( Cínica ) - Pode deixar que farei tudo certinho, agora preciso ir.
Delegado - Tenha um bom dia.
Paula ( Pensando ) - Graças a Deus não verei mais esse cara.

En seguida Paula sai da delegacia balançando os cabelos, em tom altivo

Cena 3/ Estados Unidos / Universidade / Interior/ Manhã

André está em um auditório, prestes a receber seu diploma.

Reitor - Well, You are read to become a Master in Business Administration, congratulations. ( Bem, você está pronto para se tormar Mestre em Administração de Negócios, parabéns )
André - Thank you, I want to be a businessman and I intend to see my girlfriend , that I don't ser her since my travel. ( Obrigado. Eu quero ser empresário e pretendo ver minha namorada, que não vejo desde minha viagem.)
Reitor - Your motivation is very good. You were a great student in this university and it will be very important to your life ( Sua motivação é muito boa. Voce foi um grande aluno na nossa universidade e será muito importante na sua vida )
André - My university degree will be the first thing I will think about it at home, because it is a victory to me. ( Meu diploma sera a primeira coisa que eu pensarei em casa porque é uma vitoria para mim. )

Andre cumprimenta o reitor e deixa o auditório.


Dias depois...

Cena 4/ Brasil / INCA / Manhã/

Carmen está na UTI do hospital. Deitada na cama, ela está fragilizada devido a doença e com alguns aparelhos. Paula entra quando um medico termina de examiná-la.

Paula ( Entrando sem bater ) - Vim para a visita, tá na hora, não tá?
Medico ( Colocando o estetoscópio ) - Esta sim, e queria informar que o prognóstico não é bom.
Carmen ( Emocionada ) - Filha... Você veio me ver...
Paula ( Mentindo ) - Eu tava em casa e decidi vir para cá ( Cínica ) , para ver você...
Médico - Bem, nos últimos exames percebi que a doença chegou numa fase terminal, não há mais nada a fazer pela paciente.
Paula ( Fingindo preocupação ) - Isso quer dizer que ela vai morrer?
Medico - Sim... O pulmão já foi tomado pelo tumor, alem do seio. E uma diminuição na imunidade tem impedido o tratamento. Você irá precisar orar bastante.
Paula ( Fria e cínica ) - Eu oro todo domingo.
Carmen ( Desmentindo - a ) - Filha... Não lembro de voce indo à Igreja...
Paula ( Sendo grossa ) - Mãe...Voce tá internada uns meses aqui ( cínica ) . Eu tenho orado muito e estado arrependida... ( Fingindo uma lagrima ) Terminei minha pena e tudo...
Medico ( Disfarçando ) - Vou deixar vocês a sós.

Carmen - Filha... Olhe nos meus olhos , voce está sendo sincera?
Paula ( Cínica ) - Estou sim... Totalmente... Pode ter certeza.
Carmen ( Esperançosa ) - Não sabe como me faz feliz ver você aqui...
Paula ( Pensando ) - Ah mamãe... Além de desenganada continua burra...

Cena 5/ Subúrbio / Casa de Mara e Otavio /Quarto de Mara e Otavio / Tarde /

Mara está em seu quarto e Otavio se preocupa com ela.

Otavio ( Sentando na cama ) - O que foi Mara, parece preocupada.
Mara ( Pensativa ) - Tenho pensado no Leandro... Faz 1 ano que ele saiu de casa e nem sei como ele está, se está bem... Só sei que está com o namorado.
Otavio - Mas foi ele que quis sair, não respeitou a gente e foi viver com um homem. ( T) . O que ele faz fora de casa não compete a nós.
Mara - Eu sei... Mas às vezes temo que algo aconteça e a gente sinta remorso, o nosso filho pode estar à mercê de inúmeras pessoas. Às vezes sinto falta até do escândalo dele.
Otavio - Não podemos negar que ele alegrava a casa, mas ele não pensou em nós, o que pensariam da gente com um filho gay... Principalmente eu como policial.
Mara ( Cansada ) - Otavio... Otavio... Voce sempre tao difícil. Espero que você não se arrependa no futuro... Nosso filho pode precisar de nós um dia e nem estaremos lá para ajudá-lo. Que nunca aconteça isso.
Otavio ( Fingindo aceitar ) - Tá certo então... Vou para o quartel.

Cena 6/ Vidigal / Casa de Leonor / Interior / Sala / Tarde

Leonor, Janaina e Wesley lancham reunidos na sala. Eles têm uma mesa simples, com pães queijo, sucos, mas variada para todos.

Leonor - Esse 1 ano que passou parece ter sido muito bom para nós.
Janaina ( Passando manteiga no pão ) - Verdade mãe... Felizmente o Jadson largou do nosso pé, pagamos aquela dívida do papai...
Wesley ( Tomando suco ) - Aquele homem me dá ódio... Como pode alguem ser tao cruel daquela maneira... Vive para o trafico e para fazer o mal.
Leonor ( Arrumando o prato ) - Mas os traficantes são assim... Vivem movidos pelos negócios clandestinos deles... Mandam , matam e não querem saber. E muitos deles têm capacidade para ter uma vida digna, mas querem dinheiro fácil.
Wesley - Concordo,mãe. Eu podia ter me tornado um traficante, cresci na comunidade. Mas sempre quis ser um homem digno de caráter, trabalho, estudo, tanto que estou no 3º período de Sociologia.
Janaina - E eu já na metade da faculdade de Direito. Sinto que quanto mais eu estudo , mais empoderada eu me torno. Quero poder trabalhar para todas as pessoas.
Leonor ( Sorrindo ) - Vocês me  orgulham... O empoderamento de vocês é algo a se inspirar, tanta sede de aprender e de crescer na vida tornam vocês batalhadores.
Janaina - Batalhas são o que nos movem... Se nossa vida tivesse sido fácil, talvez não seríamos assim. ( T).  E nesse 1 ano eu senti tanta falta do André...

Alguem toca a campainha e Leonor vai atender.

Leonor ( Surpresa ) - Janaina!

Cena 7/Ipanema / Casa de Juliano / Quarto / Tarde/

Paula e Juliano  estão num quarto em um momento caliente.

Paula ( Retirando o sutiã ) - Ai seu gostoso... Esse peitoral seu é melhor que do André... Esse já é passado.
Juliano ( Acariciando ) - Esse seu cabelo é tão atraente. ( Esfregando o rosto ). Ai como voce é gostosa, branca, que tesão...
Paula ( Deitando na cama ) - Voce é muito melhor que o André, pensa totalmente em mim, é um homem de verdade.
Juliano ( Jogando - se na cama ) - Voce é minha mesmo... Bendita hora quando te conheci. ( Sorrindo ) - Imagine só uma mina dessa com um policial? Iria ser perfeito, para nós dois, segurança total. ( T). À propósito, como tá sua sua mãe?
Paula ( Fria ) - Ah... Ela tá lá desenganada, o tumor se estendendo e logo logo ela vai morrer. Não tem mais esperança.
Juliano - Nossa , que triste...Saber que alguem vai morrer assim de uma doença deve ser muito triste... Eu não sei como você consegue ficar aqui. Se fosse eu, estaria mal e la no hospital dando apoio. Se esta desenganada , pode morrer a qualquer hora.
Paula ( Mantendo a frieza ) - Ai Ju... Eu nem ligo sabe...Ela só quer dar uma de santa, de Madre Teresa, até a divida daquela nojenta da Janaina pagou, é um saco... A vida é minha, se ela está com o pé na cova é problema dela, o medico cuida.
Juliano ( Em choque ) - Nossa... Fiquei passado agora... Vamos continuar o que estávamos fazendo. Naquela hora foram as preliminares.
Paula ( Ajoelhada sobre Juliano ) - Isso é que eu quero, quero com voce, transar, sem gente doente no meu pé.
Juliano ( Excitado ) - Minha tigresa...

Juliano volta a acariciar Paula e eles continuam o ato erotico

Cena 8/ Vidigal / Casa de Leonor / Interior / Sala / Tarde

Leonor abre a porta e se surpreende ao ver André. Ele chega bem arrumado, e com um brilho nos olhos.

Leonor ( Surpresa ) - Janaina! Vem ver quem está aqui?
Janaina ( Indo em direção à porta ) - Quem está na... ( Ela se emociona ao ver o namorado ). André! Senti tanto a sua falta!
André ( Sorrindo ) - Também senti muito a sua falta... Pensei em você a viagem inteira...

Janaina e André se aproximam e dão um longo beijo.

Leonor - Não quero interromper... ( Sorrindo ) Mas podem conversar conosco na cozinha.

Janaina e André entram para casa e juntam - se à Leonor e Wesley. Eles começam a contar os últimos acontecimentos...

André ( Surpreso ) - Então quer dizer que a Paula precisou limpar as ruas?
Janaina - Foi sim... Eu acompanhei o decorrer do caso, apos a condenação... A divida com o Jadson também já esta paga.
Leonor - Enfim o Augusto pode descansar em paz, esses dois atrapalharam nossa vida...
André - Nunca vi esse Jadson, mas já vi muitos traficantes, e eles são desprezíveis, matam por poder.
Wesley ( Concordando com André )  - São pessoas que não querem ser dignas de trabalho . Eu trabalho debaixo de um sol quente para poder ter dinheiro, passo por muitas coisas, mas continuo lutando.
Janaina - E a Paula é o inverso, mesquinha , arrogante... ( T). E a mãe dela também esta muito doente...
André ( Surpreso ) - O que ela tem?
Leonor - Câncer, um retorno do que ela teve, e dessa vez mais agressivo, em metástases  ( Pensativa ). Creio que o desgosto com a Paula tenha agravado a saúde, ainda mais pensar que a filha foi condenada por racismo.
André - Eu conheci a mãe dela e é triste saber que ela está tão doente assim. ( T). Mas a Paula sempre foi egoísta dessa maneira.
Wesley - Eu a vi uma vez e a associei à uma péssima pessoa... ( T). Mas vamos falar de uma coisa melhor... Como o nosso lanche.
André ( Comendo bolo ) - Afinal das contas, esse bolo está muito bom...
Leonor - Fui eu que fiz, totalmente caseiro.
Janaina - A mamãe cozinha muito bem, sempre foo uma ótima cozinheira...
Leonor - E estou pensando em trabalhar nessa área, mas ainda tenho um emprego que consegui apos sair da casa da Carmen.
Janaina - E eu estou trabalhando com a Elaine.
Andre ( Sorrindo ) - Todas bem esforçadas, adoro isso. ( p/ Leonor ) Por que não vende os bolos?
Leonor - Como eu falei, ainda é um projeto, mas com certeza irei trabalhar no futuro, desejo ter o meu próprio negócio.
Janaina - E você, André? Como foi na viagem?
André ( Feliz ) - Agora sou Máster Business in Administration, e planejo ser um empresario renomado, e te ajudar também.
Janaina  - Você é um rapaz excelente, também muito esforçado, por isso que eu te amo.

Andre e Janaina se beijam novamente.
André ( Olhando o relógio ) - Olha a hora, preciso ir.
Janaina ( Curiosa ) - Onde vai?
André - Vou ver os meus pais, saber como estão...

Janaina - Está certo, diz que mandei lembranças a eles.
André ( Sorrindo ) - Vou sim.

Cena 9/ Copacabana / Beco / Tarde/

Gael e Douglas vão até um beco, pouco iluminado, mas com alguns vendedores de drogas escondidos.

Gael ( Observando o lugar ) - Eu nunca vim aqui, parece tão vazio, deserto...
Douglas ( Com ar sarcástico ) - Fica tranks, eu venho muito aqui, todo esse pessoal jã me conhece. Tenho até o pagamento da marcadoria.
Gael - Se não tivesse o seu dinheiro, eu estava frito, até meus cartões foram cancelados, se bem que estou ha 1 ano fora. Não sei como a sua mãe não se incomodou.
Douglas ( Cínico ) - Ela não liga para mim mais não... Eu faço o que quiser, quando quiser. ( T). Bora logo comprar a parada.
Gael - Certo.

Traficante ( Abordando - os )  Vocês querem algum bagulho?
Douglas - Queremos um pó daqueles, sabe... Para fideixar a gente ligadao.
Gael ( Entrando no assunto ) - É... Eu também quero.
Douglas ( Tirando dinheiro do bolso )- Esse é o pagamento.
Traficante - Já é.

Em seguida, Gael e Douglas se drogam, aspirando todo o pó.


Cena 10/ Rocinha / Tarde/

Em mais uma operação com intuito de prender traficantes, policiais invadem a Rocinha, munidos com armamentos pesados. Usando coletes, os policiais iniciam disparos para os traficantes, iniciando - se um intenso tiroteio, causando caos e medo à todos.

Bruno ( Com um fuzil) - Onde eu atiro?
Jadson ( Com uma metralhadora ) - Atira na cabeça, mira bem, vai!

Outros traficantes seguem Jadson e atiram nos policiais, alguns acabam sendo feridos e ficam estirados no chão. Os que ficam ilesos continuam a perseguição armados, o tiroteio se adentra a Rocinha.

Policial 1 ( Com algemas ) - Vamos pegar aqueles, eles estão com drogas, precisam ser presos.
Policial 2 ( Abordando os traficantes ) - Maos para o alto!

Vários traficantes são presos na operação. Um deles consegue abordar Jadson.

Jadson ( Sem sentir medo ) - Você vai morrer!

Um dos policiais atinge o ombro de Jadson, que desmaia na hora, em seguida o traficante é levado ao hospital.

Cena 11/ Ipanema/ Casa de Wanda e Marcelo / Interior / Sala / Tarde

Wanda e Marcelo estão na sala após terminarem o lanche e ouvem a campainha tocar.

Wanda ( Indo em direção à porta ) - Quem deve ser?

Wanda abre a porta e vê ser André.

André ( Feliz ao ver Wanda ) - Oi mãe, sentiu minha falta?
Wanda - Enfim você voltou!
Marcelo ( Cumprimentando o filho ) - Sentimos sua falta.

Os três se abraçam.

Wanda - Como foi a viagem de volta?
André - Foi muito bem, igual quando eu fui... Desembarquei no Galeão e parti para o Vidigal, para falar com a Janaina e matar as saudades.
Marcelo ( Sorrindo ) - Voce ficou bem firme com ela, depois que terminou com a Paula, isso é muito bom.
Wanda - Pra ser sincera, eu achava a Paula meio metida. Mas nunca pensei que ela chegasse ao ponto de ser racista daquela maneira, sinto pena até mesmo da Carmen, por ter uma filha assim, Deus que me perdoe.
André ( Refletindo ) - Um dia eu gostei da Paula, mas todas as atitudes dela enfraqueceram o relacionamento... Já a Janaina é o oposto, mesmo que veio da Rocinha, uma comunidade , é simples, humilde, e também inteligente, tudo isso me atraiu , gosto bastante dela.
Wanda ( Apoiando André ) -A Janaina tem muito a ensinar. ( T). Eu trabalho com pessoas negras no escritório, e vejo um grande esforço por parte delas, principalmente contra o racismo.
André - A parte triste é que a Carmen, mãe da Paula , está doente, no hospital...
Marcelo - Uma pena ... Às vezes os próprios filhos acabam ocasionando problemas de saúde nos pais... Se bem que a Carmen já teve problemas de saude antes. Resta saber se a Paula estará ao lado dela.
André - Pelo que ouvi da Janaina, é capaz de não estar... A Paula é muito egoísta. O escandalo e a atitude dela no julgamento mostrou uma pessoa sem sentimentos, arrogante... ( T). A propósito, alguem sabe do Gael?
Marcelo ( Mostrando preocupação ) - Desde que saiu de casa, não deu sinais, esperamos que ele esteja bem...

Cena 12/ Copacabana / Casa de Douglas / Tarde/

Sob efeito de drogas, Gael e Douglas chegam em casa fazendo barulho.

Douglas ( Empurrando a porta ) - Uhhul!
Gael ( Com a mão na cabeça ) - Que brisa é essa? Hahahaha!
Douglas pega um vaso e atira no chão.
Douglas - Sparta! Sparta!
Gael - Cara, cê vai quebrar sua própria casa?
Douglas dá um tapa no rosto de Gael.
Douglas - Para de roubar minha brisa, curte a sua , tá?
Gael ( Dando risada ) - A gente tá muito louco, noiadão... Bem legal...
Douglas ( Com movimentos de Artes marciais ) - Ahhh! Ahhh! Ahhh! Spartac! Chupa mundo!
Gael - Podia tocar aquela do Senhor dos Anéis, estou me sentindo no céu, intermado.
Douglas derruba as almofadas no sofá.
Douglas - Bora surfar cara, vamos!
Gael ( Dando risada ) - Ta, cara.

Cena 13/ Hospital / Noite/

Jadson está no hospital se recuperando do tiro. Ele possui um curativo onde levou o tiro, na região do abdômen e acesso intravenoso. Jadson acorda sentindo algumas dores e recebe visita do medico.

Jadson - Por que estou aqui?
Medico ( Com uma prancheta ) - Você sabe, levou um tiro durante a ocupação na Rocinha, e veio para cá.  Durante esse tempo, não poderá sair de jeito nenhum.
Jadson ( Com a mão no abdômen ) - Eu já levei muitos tiros, mas nenhum ... Me deterá.
Médico - Procure descansar, pois depois irá para um presidio.
Jadson ( Alterado ) - Que mané presídio o que, rapá? Eu não vou preso coisa nenhuma.
Medico ( Saindo do quarto ) - Estou saindo para completar o prontuário, em breve estarei de volta para continuar os exames.
Jadson - Babaca.

Algum tempo depois...

Nesse momento, um helicóptero surge ao lado da janela do hospital. Bruno faz sinal para Jadson entrar. Jadson retira o acesso intravenoso e caminha em direção a janela, em seguida a abre e se prepara para embarcar no avião. Nesse momento o medico retorna.
Medico - Ei! Você não pode sair!



GANCHO

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.