Type Here to Get Search Results !

Marcadores

PRAZER, SATISFAÇÃO - CAPÍTULO 31 (ÚLTIMOS CAPÍTULOS)

 



Cena 1. Bordel Lovely's. Pista. Noite.

Kelly e Kátia conversam por ali. De repente, Luciano entra trazendo Juliana.

Juliana: (tentando se soltar) Me larga!

Luciano: Olha só ela aqui!

Quando Juliana olha pra frente, vê Kelly. Seus olhos saltam.

Juliana: (surpresa) Kelly? O que você tá fazendo aqui minha filha?

Em câmera lenta: Kelly se vira e vê a mãe ali dentro. Ela fica pálida e engole seco.

Luciano: Você ainda pergunta? Não tá mais que claro?

Juliana dá um tapa em Luciano.

Juliana: CALA A BOCA! (P/ Kelly) Kelly, me diz a verdade! Eu quero a verdade!

Muito suspense. Kelly olha para Kátia, com medo... Em seguida olha para Juliana.

Kelly: Mãe?

Juliana: Filha diz! Você tá fazendo o quê aqui?

Kelly: (p/ Luciano) Eu te odeio! Eu te odeio com todas as minhas forças!

Luciano: Responde pra mamãe filha! Qual é o seu papel aqui dentro?

Kelly: (brava com lágrimas nos olhos) Sai daqui! Sai daqui agora! Seu nojento, vagabundo!

Luciano: Isso! Me xinga mesmo seu projeto de cafetina!

Juliana imediatamente reage contra Luciano.

Juliana: O que foi que você disse?

Luciano: Eu vou sair daqui antes que eu leve um coice! 

Kelly: Sai daqui covarde!

Kelly pega o porta-guardanapos e atira contra Luciano, que sai dali rindo...

Kelly: Mãe sobe comigo! Vamos até o escritório!

Kelly olha pra Kátia e sobe com Juliana.

Cena 2. Bordel Lovely's. Escritório. Noite.

Kelly e Juliana:

Kelly: Mãe me escuta! Não entende as coisas desse jeito!

Juliana: É verdade o que o encosto disse Kelly? 

Kelly: Eu sou sim dona daqui! Eu e a Kátia somos sócias!

Juliana põe a mão na cabeça com dor.

Juliana: Eu não tô crendo nisso...

Kelly: Calma mãe!

Kelly corre e pega uma cadeira para Juliana se sentar.

Juliana: Não, eu não quero me sentar! Tô bem de pé! Você sabe que eu nunca tolerei mentira né Kelly? 

Kelly começa a chorar...

Kelly: (chorando) Mas nós estávamos passando por dificuldades financeiras! Você emendava plantão atrás de plantão pra nos sustentar! Eu tinha que fazer alguma coisa!

Juliana: Então como você arranjou dinheiro.../

Juliana cai em si.

Juliana: Kelly você...?

Kelly: Mãe!

Juliana: Kelly, você se prostituiu minha filha? Você vendeu o seu corpo Kelly?

Kelly: Não adianta mais mentir né? Sim mãe! Eu me prostituí sim! Uma única vez! E ganhei muito dinheiro nesse programa! 

Juliana: Não... Eu não tô escutando isso...

Kelly: A nossa luz ia ser cortada! As prestações da casa tavam atrasadas! Iam tirar o nosso teto mãe! E a gente ia o quê? Morar debaixo da ponte?

Juliana se senta de cabeça baixa.

Kelly: Eu sabia que a senhora nunca ia aceitar! Eu sabia! Mas eu não podia ver você e a Anne na miséria, sem um pai pra ajudar! E eu ali recém saída do ensino médio, estudando, sem conseguir arrumar emprego! Foi o caminho mais rápido que eu encontrei! 

Juliana ainda de cabeça baixa...

Kelly: Mãe... Me perdoa?

Close em Kelly esperando uma resposta...

Cena 3. Ap de Stela. Qto de Adelaide. Noite.

Instrumental: Suspense & ação (até o fim desta cena)

Stela aponta a arma para Adelaide, que treme. Stela brava e nervosa.

Stela: Vamos Adelaide? Fala logo!

Adelaide: Stela, você tá nervosa! Se acalma me dá essa arma, vamos conversar/

Stela: (corta) Não! Nós já estamos conversando queridinha! Olha aí: Duzentos mil reais! Dá pra você sair do país como uma rata e ainda se manter lá fora! Só que pra esse dinheiro ser seu, você vai ter que me dizer onde está a minha Giovanna!

Adelaide: Mas eu não fiz nada! De onde você tirou que eu peguei sua filha?

Stela: Eu fui até o apart hotel do Luciano e escutei toda a sua confissão atrás da porta!

Close em Adelaide surpresa negativamente.

Stela: Todas as merdas que vêm acontecendo na minha vida tem dedo seu! Você não cansa de ser essa pessoa tão ruim não? Você matou gente! Matou a enfermeira, agora tá planejando matar meu Detetive... Mata logo a mim porra!

Adelaide: (engole seco e tenta fingir) Stela minha irmã/

Stela bate o cano da arma na testa de Adelaide, que grita de dor.

Adelaide: Aaaaaai!

Stela: Você é uma criminosa! Você vai achar agora o contato dos tais gringos que você disse que vendeu ela!

Adelaide: Mas eu não sei/

Stela: Olha só a oprtunidade que eu tô te dando sua cachorra! Você vai achar a minha filha e ainda ganha uma bolada em dinheiro vivo! (T) Agora se você não me falar... Você vai sair daqui baleada, pobre e presa! Pensa bem!

Adelaide: Stela... Eu realmente não me lembro o nome desses gringos... 

Stela vai para trás de Adelaide e puxa os cabelos dela, agora apontando a arma pra barriga dela.

Stela: Faz um esforcinho vai! Você consegue! Pega o seu celular, uma agenda, sei lá...

Adelaide: (tremendo) Stela, eu vou, mas me dá essa arma! Você não sabe mexer nisso!

Stela: Quem te disse? 

Stela pega o celular de Adelaide e entrega a ela.

Stela: Vai Adelaide! Anda inferno! Se você não sabe, algum dos seus contatos deve saber! 

Adelaide: (tremendo) Eu vou ligar pra um cara... Mas eu não sei se ele tá preso ou morto, sei lá!

Stela aperta ainda mais Adelaide e desta vez põe o revólver na cabeça dela.

Stela: Tenta! Liga logo!

Adelaide: (chorando) Tá...

Adelaide clica em um contato e em seguida põe o celular no ouvido.

Adelaide: (trêmula) Tá chamando!

Stela: (brava) Põe no viva-voz!

Adelaide põe no viva-voz e deixa o aparelho na cama chamando...

Cena 4. Bordel Lovely's. Escritório. Noite.

Juliana ainda sentada de cabeça baixa.

Kelly: (tensa) Por favor mãe! Diz alguma coisa! Não era pra você ter descoberto desse jeito! 

Juliana: Eu te perdôo sim filha! 

Kelly: (aliviada) Sério?

Juliana: Você entrou nesse mundo foi pra ajudar a gente, não foi?

Kelly: Claro!

Juliana: Agora eu vejo tudo... O Luciano quis causar uma discórdia entre a gente! A maldade dele é tão grande que ele quis destruir a nossa relação de confiança! 

Juliana segura nas mãos de Kelly.

Juliana: Mas eu não vou deixar filha! O meu amor de mãe é maior! Você mentiu? Mentiu! Eu sou capaz de passar uma borracha nisso tudo!

Kelly: (sorri emocionada) Sério mãe?

Juliana: Sério... Mas... Eu não quero que você trabalhe mais nesse lugar! Filha, você podia tanto voltar a estudar... Fazer uma faculdade!

Kelly: Mas mãe... Eu gosto daqui! Apesar dos pesares, eu gosto sim! Eu ganho um dinheiro legal, fico mais por conta da contabilidade.

Juliana: Será que você não enxerga que aqui é um lugar perigoso? Eu sei que você não vai falar, mas eu tenho certeza que já rolaram inúmeras brigas pesadas aqui!

Kelly abaixa a cabeça.

Juliana: Vamos pra casa agora Kelly... Por favor!

Kelly: Só vou me despedir da Kátia! Ela é uma pessoa muito legal!

Juliana: Tudo bem!

Kelly vai abrir a porta.

Cena 5. Ap de Stela. Qto de Adelaide. Noite.

Mesmas posições da cena 3: O telefone chama, mas desliga.

Adelaide: (desesperada) Aí Stela tá vendo... O homem já deve até ter morrido! Quer saber, me mata logo! Eu não tenho mais pra quê viver mesmo!

Stela: Deixa de drama ordinária! Se você não achar a minha filha rápido, você vai ser presa! Morta não vai, quem sabe ferida! Mas já vou avisando que tiro dói hein...

Adelaide: Se você atirar em mim, você vai ser presa também!

Stela: Mas não será eu que vou atirar! Eu espalhei vários homens por aí! Você não tem nenhuma escapatória querida! Você tá na minha mão! E olha que eu estou sendo generosa... Tô te oferecendo essa fortuna aqui! Ela não te incentiva a pensar não? Lembra aí outro número que eu já tô ficando impaciente!

Adelaide se solta de Stela e vai pra frente dela.

Adelaide: Chega Stela! Eu não lembro! Eu não lembro o nome de quem adotou a sua filha! Eu não lembro!

Stela: Que gracinha... Você não lembra é?

Adelaide: Não!

Stela: O local você se lembra né?

Adelaide: Foi na entrada do Morro do Papagaio! Foi lá!

Stela: Alguém de lá conhece eles não é possível? Eles não chegaram até você atoa...

Stela: Pois amanhã cedo, nós vamos até lá! Escoltadas!

Stela pega o dinheiro que está no chão, põe na mala e fecha-a, em seguida anda até a porta.

Stela: Hoje você fica trancada aqui! (Pega o celular de Adelaide na cama) E sem isso.

Adelaide: Não Stela, isso é cárcere privado!

Stela sai do quarto arrastando a mala e fecha a porta rapidamente. Adelaide fica histérica e esmurra a porta.

Adelaide: Me tira daquiiiiiiiii! Socorrooooooo!

Cena 6. Ap de Stela. Sala. Noite.

Stela anda pela sala...

Stela: Eu vou te achar filha... Eu vou te achar!

Close nela.

Cena 7. Casa de Tadeu. Quarto. Noite.

O celular de Tadeu toca em cima da cama. Ele corre pra atender.

Tadeu: (cel) Alô? (T) É do estúdio? (T) A foto ficou pronta? (T) Tô indo já praí!

Ele desliga e sai do quarto, animado.

Cena 8. Estúdio Fotográfico. Sla de Edição. Noite.

Apenas Tadeu e o editor na sala. A impressora imprime uma foto colorida do rosto atual de Juliana. O Editor pega a foto e entrega a Tadeu.

Editor: Aqui está.

Tadeu: (vendo a foto) Então é ela! É assim que a Juliana está atualmente!

Close na foto...

Abertura:

Cena 9. Bordel Lovely's. Quarto das meninas. Noite.

Taís e Lara se maquiam enquanto Kátia conversa com elas.

Taís: (desacreditada) Meu Deus... Então a mãe da Kelly descobriu tudo?

Kátia: Descobriu... E foi tudo culpa do pai dela... Nossa quando eu vi aquele homem... Sei lá... Fiquei bem não!

Lara: Deve ser a energia ruim que ele tem... É isso! Mas nossa... Deus me livre imaginar minha mãe descobrindo que eu faço programa... Onde eu ia colocar a minha cara?

Taís: Pois é...

Kátia fica pensativa...

Cena 10. Avenida. Carro de Juliana. Noite.

O carro de Juliana passa pela avenida. Ela dirige enquanto dialoga com Kelly:

Kelly: A Stela tem uma filha perdida por aí?

Juliana: É... A irmã dela vendeu a menina pra um casal gringo!

Kelly: Gente mas que mulherzinha mais... AH!

Juliana: E você não vai imaginar a pior parte... Ou melhor!

Kelly: Ainda tem pior? 

Juliana: A garota é ainda por cima é filha do seu pai... 

Kelly se engasga.

Kelly: Oi? Filha do Luciano?

Juliana: A Stela e o Luciano tiveram uma noite um ano antes da gente se conhecer... É minha filha... Você tem uma irmã um ano mais velha do que você...

Kelly: Gente... Mais uma irmã...?

Cena 11. Ap de Stela. Quarto de Adelaide. Noite.

Adelaide anda de um lado para o outro desesperada.

Adelaide: Eu preciso fugir daqui!

Adelaide olha pra janela e nela há uma tela de proteção.

Adelaide: E vai ser por aí.

Instrumental: Ação (até o fim da cena 13 ou 14)

Ela arranja uma tesoura e mete na tela. CORTA P/: Adelaide calça um tênis de corrida, veste uma roupa de ginástica e sobe na janela.

Cena 12. Prédio de Stela. Exterior. Noite.

Sentimos o vento frio... Adelaide sai da janela e anda pela faixa de segurança... Ela se abaixa e pendura para pular pro andar de baixo... Ao se ver lá, Adelaide avista fios de um poste, se agarra neles (ficando pendurada) e se solta...

Cena 13. Rua movimentada. Noite.

Adelaide cai em cima de um carro, equilibrada. O alarme apita fortemente e ela, rápida, sai correndo... Um dos homens de Stela a vê por ali.

Homem 1: Olha a pilantra ali!

Ele saca um silenciador e atira na direção dela, que desvia. Adelaide corre como nunca e consegue desaparecer da vista do homem.

Homem 1: Droga!

Ele saca o celular e põe no ouvido:

Homem 1: (cel) Stela? Ela fugiu! Pulou a janela!

Muita tensão...

Cena 14. BH. Takes do Amanhecer. Dia.

Último plano no escritório do Detetive Tadeu.

Cena 15. Escritório do Detetive Tadeu. Dia.

Tadeu no computador, muito concentrado...

Tadeu: (animado) Achei! Então Juliana trabalha no Hospital Central! Tô indo é já pra esse lugar!

Cena 16. Hospital de Juliana. Recepção. Dia.

Tadeu entra pela porta automática e vai até a recepção:

Secretária: Bom dia, no que posso ajudar?

Tadeu: Eu queria falar com uma enfermeira daqui... Juliana Dumont! Ela tá aqui?

Secretária: Não, a Juliana não trabalha sábado nem domingo... Mas amanhã ela tá aqui!

Tadeu: Mas eu tinha que falar com ela hoje! Urgentemente! É assim, questão de vida ou morte!

Secretária: Posso te passar o telefone dela!

Tadeu: Ah sim!

Neste momento, Talita passa por ali e a Secretária chama por ela.

Secretária: Talita!

Talita: Oi!

Secretária: Passa o telefone da Juliana pra esse moço por favor!

Talita: Ah claro! (P/Tadeu) O que você quer falar com a Juliana?

Tadeu: Você é amiga dela?

Talita: Eu sou a melhor amiga da Jú!

Tadeu: Então você pode me levar na casa dela agora?

Talita: Dependendo do que for...

Tadeu: Eu te explico no caminho vem!

Tadeu puxa Talita pelo braço e eles saem do hospital.

Cena 17. Casa de Juliana. Sala. Dia.

Juliana abre a porta e Talita e Tadeu entram. Tadeu para e olha para Juliana encantado...

Tadeu: É você mesma... Juliana Dumont!

Música: I Will Find (até o fim do capítulo)

Juliana: Sim, sou eu! Quem é ele Talita?

Talita: (emocionada) Jú... Você não vai nem acreditar... 

Tadeu tira de sua pasta a foto do estúdio...

Juliana: Espera... Sou eu aí!

Tadeu: Juliana Dumont, você é a filha perdida de Fernando Mathias! O dono da maior fábrica de remédios desse Brasil!

Talita: Jú, você tá rica!

Juliana não entende direito e fica bem confusa...

Foco em Juliana/ A imagem congela com o fundo esfumaçado

(Encerramento: I'm Good - David Guetta ft. Bebe Rexha)



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.