Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Força de Um Sonho - Capitulo 04 (Reprise)

 


Cena 1/ Hospital / Noite

Caio ( com efeito da anestesia ) - Ahhh... Uhhh. O que aconteceu?
Médico - Voce foi baleado e trazido ferido para cá . Além disso precisou de uma cirurgia de emergência.
Caio ( tentando se mover ) - Eu... Eu não sinto as pernas.

Regina olha aflita para o filho .

Regina ( preocupada ) - Vo... Voce não sente as pernas?
Caio ( começando a se preocupar ) - Eu... Eu não consigo mover as pernas. Por que eu não consigo?
Médico - Lamento... Mas a bala acabou perfurando a medula e Você ficará paraplégico. ( T) . Não queria ter que dar essa noticia.
Caio ( desesperado ). - Nãáããããão! Isso não pode ser , não pode!
Ele tenta se levantar, mas o medico o acalma.
Regina ( em lagrimas ) - Meu filho... paralítico...
Medico ( tentando ajudar ) - Olha, existem casos de pessoas que têm uma vida normal mesmo com a paralisia , e nesse momento o que mais irão precisar é calma.
Caio ( desolado ) - Como vou ter calma? ( T) . Todos os meus sonhos vão embora, tudo acabou para mim.
Regina - Filho... Vou ajudar voce a sair dessa.

Caio olhava para o teto enquanto pensava repetidas vezes. 

Caio ( pensando ) - Por que eu? Por que?

Cena 2/ Vidigal /Interior /Casa de Janaína / Noite 

Wesley e Janaina chegam apressados em casa após o tiroteio. 

Leonor ( recebendo os filhos ) - Oi filhos, voltaram mais cedo?
Janaina ( preocupada ) - Ai mãe... Aconteceu uma coisa horrível... ( T ) . Teve um tiroteio e o Caio foi baleado.
Leonor ( assustada ) - Meu Deus... E como ele e a Regina estão?
Wesley - Ainda não sabemos, liguei para o Hospital e viemos para cá dar a notícia. ( T). Foi tudo muito rápido, estávamos curtindo, alguem começou a atirar do nada. Não sei o que aconteceu.
Leonor - É a violencia... A violência aumenta cada vez mais e não podemos fazer nada. ( T) . Esses lugares sempre tem criminosos disfarçados.
Janaina - E tudo muito perto de nós, debaixo dos nossos olhos. ( ficando melancólica ). Como foi com o papai.
Wesley ( revoltado ) - Os negros sempre sofrem injustiças. São os primeiros a pagar pelas maldades,primeiro o papai morreu, e agora tenho um dos meus amigos numa cama de hospital.
Leonor ( acalmando Wesley ) - Tenha fé que tudo ficará bem filho... Precisamos ser fortes para suportar tudo isso...
Janaina ( pegando a bolsa ) - Agora precisamos visitar o Caio, para saber como ele está.
Wesley - Tínhamos ligado para a ambulância, por sorte chegou a tempo.

Janaina e Wesley vão apressados para o Hospital . 

Cena 3 / Casa de Mara e Otavio / Quarto de Leandro / Noite 

Leandro estava em seu quarto e navegava na internet. Visitando um site ele encontra um com fotos de vários homens. 

Leandro ( rolando o site ) - Meu pai do céu! Que homem gato... Ai amo esse peitoral. Vou até salvar essa...

Leandro salva a foto e continua procurando pelo site, ele encontra outro, dessa vez um negro.

Leandro ( empolgado )  - Nossa... Que negão gostoso... Aaaah!

Ouvindo Leandro falar sozinho, Mara decide ir até o quarto.

Mara ( entrando sem bater ) - Eu posso saber o que está acontecendo aqui nesse quarto?
Leandro ( mudando rapidamente o site ) - Estava olhando algumas notícias... ( T) . A fome na África esta cada vez maior, alguém devia fazer algo à respeito.
Mara ( tentando descobrir ) - Voce tem passado muito tempo na internet e gostaria de saber o porquê. ( T) . E se esta vendo noticias, que veja em silencio.
Leandro ( incomodado ) - Tá bem, tá bem mãe... Ai, que coisa...
Mara ( repreendendo - o ) - Espero que não esteja vendo nada errado.
Leandro - Ai mãe, não tô, tá?

Mara sai do quarto e Leandro volta para o site. 

Leandro ( empolgado ) - Ai, enfim vou poder terminar minha pesquisa...



Cena 4/ Hospital / Interior / Quarto de Caio / Madrugada /

Janaina e Wesley estavam no quarto de Caio no hospital. 

Janaina ( triste ) - Caio, soubemos do que aconteceu....
Wesley ( triste ) - Cara, não posso acreditar que isso aconteceu com você...
Caio ( desolado ) - Agora eu vou ser um inválido, um cara que nunca mais vai poder andar e nem fazer nada sozinho...
Regina ( triste pelo filho) - Me dói ver meu filho assim... ( enxugando as lágrimas ) . E não podemos fazer nada à respeito.
Wesley ( consolando Caio ) - Todos nós somos amigos e não vamos deixar que você fique desamparado.
Janaina - Iremos fazer o possível e o impossível para que tenham uma vida melhor.
Regina ( pensativa ) - Tudo agora será mais difícil, não temos dinheiro para fazer uma casa adaptada e nem custear o tratamento...
Wesley - Se fosse um branco, nada disso aconteceria... ( T) . Sempre os negros estão pagando.
Caio - Negros como nós... Um negro da periferia na cadeira de rodas, essa é a triste vida, infelizmente...
O médico entra.

Medico - O paciente vai precisar descansar.
Janaina - Esta certo, vamos sair então.

Janaina e Wesley vão embora e deixam Caio a sós com Regina. 

Dia seguinte ...

Cena 5/ Praia de Ipanema / Manhã 

André e Paula curtem uma manhã ensolarada na Praia de Ipanema. Banhistas circulavam pela areia com roupas leves e haviam vários vendedores ambulantes. 

Paula ( deitada na areia ) - Ai...Como é bom estar curtindo esse dia ensolarado com você...
André ( tomando uma água de coco ) - O tempo hoje está muito bom, como estou de folga, tenho que aproveitar esse período.
Paula - Eu já passei o meu protetor, não quero ficar como essa gentinha que fica vermelha por causa do Sol. Ai que ridiculo...

Enquanto eles conversavam, Wesley aparece com uma cesta vendendo picolés. André faz sinal. 

Wesley ( agachando na areia ) - Vai querer algum picolé?
André ( abrindo a carteira ) - Vou querer alguns sim.
Paula ( com desdém ) - Ai que decadência...
Wesley ( abrindo a cesta ) - Tem de frutas, de chocolate, de leite condensado.
André - Então me vê um de leite condensado e três de frutas .
Wesley - Vou fazer a conta.
Paula ( falando baixo ) - Para que tudo isso?

André faz o pagamento e Wesley vende os picolés.

Wesley ( lembrando de Caio ) - E além disso, eu e alguns amigos estamos arrecadando dinheiro para ajudar um amigo que está precisando, vocês poderiam ajudar?
Paula ( mentindo ) - Eu deixei meu dinheiro em casa.
André ( ajudando ) - Eu tenho 100 reais aqui, espero que ajude.
Wesley - Nossa, ajuda sim, muito obrigado.
André - De nada. E bom trabalho.

Após Wesley ir embora, Paula começa a discutir com André. 

Paula ( incomodada com a atitude de André ) - Por que você não vai logo para a ONU? Ajudaria mais.
André ( sem entender ) - Como? Eu só quis ajudar o rapaz que precisa,não custa nada.
Paula - Não vê como ele se veste? De chinelo, bermuda rasgada... Tá na cara que é favelado.
André ( incomodado ) - Paula , você às vezes é tao preconceituosa... Isso cansa , sabe?
Paula - Eu não tenho culpa,não sou obrigada a conviver com essa gente.
André ( irritado ) - Já chega Paula, vamos para casa.
Paula - Eu só dei a minha opinião.

André arruma as coisas e decide ir embora. 
Andre - Vai vir ou vai ficar?
Paula ( a contragosto ) - Eu vou então...



Cena 6/Suburbio / Casa de Kátia / Interior /Tarde

Ivana observa o extrato do mês, e percebem que estão com alguns problemas. 

Ivana ( com o extrato em maos ) - É Katia... Acho que teremos problemas esse mês.
Katia ( assistindo TV ) -  Como assim problemas?
Ivana - A pensão já esta quase no final, esta bem curta, precisamos de mais dinheiro.
Katia ( tirando o corpo fora ) - Eu não tenho como ajudar, meu dinheiro também já acabou e não tenho nenhum emprego.
Ivana - Quem diria que ficar viuva traria tantos problemas? Por isso tem mulheres que só casam com homens ricos, elas sabem que nunca terão problemas.
Katia - Pois é mãe... Mas onde encontraríamos um homem rico?
Ivana - Ahhh.... O meu pai Haroldo, ele tem uma boa aposentadoria , e poderia nos ajudar.
Katia - O vovô sempre foi bom com a gente. ( T). Por sorte a aposentadoria dele dá até para nos sustentar.
Ivana - Isso mesmo filha... Vamos falar com ele, certeza.
Katia - Olha só esse programa mãe.
Ivana - Ai... Adoro o Canal das Jóias!

Dias depois...

Cena 7/ Hospital/ Interior / Quarto de Caio / Manhã/  

Pronto para receber alta, Caio estava em sua cadeira de rodas.

Caio ( já arrumado ) - Mal posso esperar para voltar para casa, já estava cansado de ficar aqui no hospital.
Regina - Fico feliz em ver voce assim filho... Voce esta rodeado de pessoas que te amam.
Wesley ( revelando ) - Fizemos uma vaquinha e conseguimos dinheiro que ira ajudar por durante um período, ainda mais que irão precisar.
Janaina - Eu acabei abrindo mão de parte do meu salario para ajudar. ( T). Nunca se sabe quando iremos precisar de ajuda.
Caio ( sorrindo ) - Essa ajuda me anima bastante... Até me faz esquecer o fato de eu estar inválido.
Wesley ( repreendendo -o ) - Inválido não. Voce ainda é útil , aliás todos nós somos. Um negro não deve desistir, deve lutar .
Caio - Eu vou tentar voltar à vida de antes e buscar novos hábitos, sei que viu encontrar.
Regina - E... A propósito Leonor, porque vocês saíram tão rápido da Rocinha?
Leonor( lembrando a morte de Augusto ) - É que... Apos a morte de Augusto, o Jadson nos deu 1 mês para pagar a dívida dele , senão teríamos consequências. Aí mudamos para o Vidigal com medo de represálias.
Regina ( chocada ) - Esse homem é cruel, mal encarado... Também tenho medo dele.
Caio ( interrompendo ) - O que estão esperando para irmos logo?
Regina ( sorrindo ) - Vamos sair todos juntos.

Regina leva o filho na cadeira de rodas , acompanhada de Janaina, Wesley e Leonor.

Cena 8/ UFF / Exterior /  Noite 

Em uma parte escura da faculdade, Juliano usava drogas junto de outros rapazes. 

Rapaz 1 - Trouxe o que pedi?
Juliano ( com um saco em mãos ) - Trouxe sim, o bagulho esta pronto para ser usado.
Rapaz 2 - Legal Bro! Tava precisando mermo!
Juliano - Vocês vão ter que me pagar depois hein?
Rapaz 1 - Fica tranks, nós vamos pagar certinho.
Juliano ( aspirando a droga ) - Aaaaah, que brisa gostosa!

A fumaça sobe cada vez mais , enquanto os rapazes ficam drogados. 

Cena 9/ Casa de Marcelo e Wanda / Noite

É noite, e Marcelo e Wanda  esperavam pelo filho.

Marcelo ( olhando o relógio ) - Olha só, já são 4 horas da manhã e esse garoto não chega.
Wanda ( andando pela  casa ) - O Gael sempre foi de sair, mas nunca demorou tanto assim. ( T) Espero que não tenha acontecido nada grave.
Marcelo - Só quero ver o que ele vai dizer quando tiver chegado. Vai dar uma desculpa esfarrapada para sair bem, mas eu já cansei.
Nesse momento, Gael chega com uma prostituta. 

Gael ( embriagado ) - Ai sua gostosa, nossa , como quero voce.
Prostituta - Seu gostoso...

Marcelo ( observando os dois ) - Posso saber o que significa isso?
Gael ( tentando se defender ) - Não pai, não é o que parece, essa mina conheci na balada.
Wanda ( irritada ) - Uma mulher esse nível na balada? Isso tá mais para prostituta.
Gael ( revelando ) - Tá, tá bom, eu consegui ela na rua.
Marcelo - Ficou com uma mulher que conheceu na rua e trouxe para casa? ( alterado ) - Perdeu o juízo , moleque?
Gael ( incomodado ) - Eu faço o que eu quiser tá?
Marcelo - Vai curar essa embriaguez que amanhã vai ver o que faço.
Gael ( debochado ) - Blá blá blá...
Wanda -( para a prostituta ) - E voce pode ir embora.
Marcelo ( passando a mão no cabelo ) - Esse garoto já me cansou ...

Cena 10/Vidigal / Casa de Janaina / Noite 

Wesley estava em casa com sua mãe e sua irmã, à espera do resultado do vestibular.

Wesley ( sentado em frente ao computador ) - Sabe? Hoje é o dia que sai o resultado do vestibular, eu ainda nem olhei
Leonor ( esperançosa ) - Tomara que você tenha conseguido passar, se esforçou bastante.
Janaina - E a faculdade seria muito importante para você

Wesley começa a descer a barra com os nomes.
Wesley ( procurando ) - Ai mae... Por que foi me colocar um nome com a 23ª letra do alfabeto?
Leonor ( sorrindo ) - Seu nome vai aparecer aí.

Minutos depois...

Wesley - Achei! Tirei 715 no Enem!
Leonor ( orgulhosa ) - Parabéns filho! Tirou uma ótima nota!
Janaina ( feliz pelo irmão ) - Tirou até mesmo uma nota maior que a minha, Parabéns!
Wesley ( orgulhoso ) - Agora vou poder ir para a faculdade. Sociologia será o meu curso.
Leonor - Estou muito orgulhosa de vocês, dois filhos na faculdade... ( T ). O Augusto estaria muito orgulhoso em ver nosso progresso.
Janaina - Mas ele esta com a gente... De outra maneira.
Wesley ( empolgado ) - Agora é só fazer a matrícula que começo as aulas. ( T). Mais um negro na batalha.

Dia seguinte ...

Cena 11/Ipanema / Interior /  Casa de Marcelo e Wanda / Manhã/

Com ressaca, Gael havia acordado e está na sala. Ele é abordado pelo pai.

Marcelo ( abordando Gael ) - Eu posso saber o que aconteceu ontem?
Gael ( esfregando o rosto ) - Ai, eu só estava me divertindo...
Marcelo ( relembrando ) - Com uma prostituta? ( T ) Seu comportamento passou dos limites.
Gael - Já sou maior de idade , Transo com quem quiser.
Marcelo ( irritado ) - Quer saber, pode sair da minha casa

Close no rosto de Gael


GANCHO



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.