Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Ilusões Perdidas - Capítulo 23

 



ILUSÕES PERDIDAS

 

EPISÓDIO 23

 

CENA 1/ RIO DE JANEIRO/ ESTRADA/ NOITE/ EXT.



A câmera se aproxima do carro e foca nos rostos feridos de Astrid e Rubens. A ambulância se aproxima de carro acidentado. Os socorristas mobilizam Rubens e Astrid nas macas e colocam dentro da ambulância.

Corta para:

CENA 2/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO DA FAMÍLIA MARTINS/ MADRUGADA/ INT.

O telefone toca. Rosemary, que estava descendo às escadas para tomar água, decide então atender.

ROSEMARY — Alô?

ATENDENTE (off) — Alô? É da família do Rubens Martins?

ROSEMARY — Sim, é a mãe dele. O que houve?

ATENDENTE (off) — Aqui é do Hospital Souza Aguiar. Precisamos que você venha até aqui.

ROSEMARY — Eu não gosto de mistério. O que houve?

ATENDENTE (off) — Esse não é o tipo de assunto que a gente trata por telefone.

O telefonema é encerrado. Rosemary cai no choro, enquanto tenta entender o que está acontecendo.

ROSEMARY — Tomara que não tenha acontecido nada de grave!

Ela sobe para o quarto para chamar o marido.

Corta para:

CENA 3/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ QUARTO DE ARLETE/ MADRUGADA/ INT.

Ele se acorda e fica na cama pensativa.

ARLETE — É hoje que a Astrid vai voltar da lua-de-mel. Preciso preparar alguma coisa par ela.

Ela se levanta e desliga o abajur. Ela vai à janela e abre a janela. A lua estava cheia e de uma iluminação forte.

Corta para:

CENA 4/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ RECEPÇÃO/ MADRUGADA/ INT.

Rosemary e Manuel entram desesperados no hospital. Eles foram até a recepcionista.

ROSEMARY (P/Recepcionista) — Eu queria notícias do meu filho. O que aconteceu com ele? O nome dele é Rubens Martins

RECEPCIONISTA (P/— Ela está na UTI. Só quem pode dar mais é o médico da terapia intensiva. O horário para visitas é a partir de 8 horas. Falta pouco mais de três horas. Os senhores podem esperar aqui na recepção mesmo.

Rosemary e Manuel. Ela relembra os momentos de felicidade junto ao filho. Inserir o flashback da cena 5 do capítulo 20:

Rubens e Astrid entram no quarto e veem Rosemary cheirando as roupas do Ronaldo. Rubens abraça o Rubens, enquanto Astrid tenta confortá-la.

ASTRID (P/Rosemary) — Vai ficar tudo bem.

ROSEMARY (P/Astrid) — Uma parte de mim se foi junto com o Ronaldo.

RUBENS (P/Rosemary) — Vamos prender quem fez isso com ele, mamãe.

Em seguida, Astrid e Rubens descem, enquanto Rosemary continua pensativa no quarto.

Fim do insert.

Rosemary deita a cabeça no ombro do marido e relembra mais momentos com o filho. Inserir flashback da cena 11 do capítulo 18:

Rosemary, Manuel, Arlete, Rubens e Astrid sentam-se à mesa. Os empregados colocam os pratos e jantar na mesa. O telefone toca e a empregada atende. Rubens quebra o silêncio.

RUBENS — Acredito que a essa altura não é novidade para ninguém. Todos os jornais, todas as revistas de fofoca já noticiaram e não estão mentido. Reuni todos aqui para anunciar que eu e a Astrid estamos namorando.

Todos aplaudem. Neste instante, o telefone toca mais uma vez.

ROSEMARY (P/Empregada) — Quem está ligando direito.

EMPREGDA — É um homem querendo falar com Ronaldo. Mas eu já falei que ele não está em casa.

Neste instante, Ronaldo entra em casa. O telefone toca mais uma vez.

EMPREGADA (P/Ronaldo) — Um homem quer falar com você. Já ligou três vezes.

RONALDO (P/Empregada) — Transfere a ligação para o meu quarto, que eu vou atender lá. Estou muito cansado

EMPREGADO (P/Ronaldo) — Certo.

Ronaldo sobe para o quarto. Rosemary fica preocupada.

ROSEMARY (P/Manuel) — Eu vou ver o que está acontecendo.

Rosemary se levanta e sobe para o quarto do filho.

Fim do insert.

CENA 5/ RIO DE JANEIRO/ RUAS DA CIDADE/ MANHÃ/ EXT.

Mostrar as ruas da cidade movimentadas. Jovens conversando na esquina da rua Miguel Lemos. Pessoas entrando no hotel. Ambulância percorrendo as ruas da cidade. Crianças soltando pipa, crianças brincando de jogar bola na rua. Vista aérea do cristo redentor, do bondinho, do pão de açúcar. Carros percorrendo as ruas da cidade.

Corta para:

CENA 6/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ COZINHA/ MANHÃ/ INT.

Arlete está fazendo uma omelete e preparando um suco. Ela liga o rádio e está tocando músicas de Dalva de Oliveira. A programação é interrompida.



RADIALISTA (off) — Notícia de última hora e preocupante! O empresário, diplomata e piloto de automobilismo Ruben Fonseca e sua esposa Astrid Fisher sofreram um acidente grave. Ainda não divulgado nenhum boletim, mas testemunhas disseram que o carro vinha em alta velocidade. Eles vinham da lua-de-mel. Eles foram levados para o hospital Souza Aguiar.

Arlete desliga o rádio, incrédula com que acabara com escutar. Ele enche um copo com água e bebe, tentando se acalmar. 

ARLETE (Ofegante) — Como uma coisa dessa foi acontecer?

Ela pega a sua bolsa e sai de casa desesperada.

Corta para:




CENA 7/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO DA FAMÍLIA FONSECA/ SALA DE JANTAR/ MANHÃ/ INT.

Enquanto bebe café ao lado de Virginia e Paulo Fonseca, Heitor lê o jornal. Ele arregala os olhos ao ver a notícia do acidente de Astrid e Rubens. Ele cospe o café.

HEITOR — Rubens e Astrid sofreram um acidente!

PAULO — Como assim?

HEITOR — Está aqui no jornal! (Mostra o jornal ao irmão). O acidente foi ontem de noite! O Rubens tinha falado comigo de que eles estavam perto de voltar. Essas viagens muito longas não dão muito certo. Tem  que descansar! Acho que ele deve ter dormido ao volante.

VIRGÍNIA (P/ Heitor) — Que eles tenham uma boa recuperação. É muito triste, após o casamento, acontecer uma coisa dessas. Que não seja nada grave. Eles não merecem isso.

Enquanto a esposa fala, Heitor se lembra da sua declaração de amor para Astrid. Inserir flashback da cena 12 do capítulo 21:



Ela abre a porta e se depara com Heitor.

ASTRID (P/Heitor) — O que você está fazendo aqui? Como você sabia que eu morava aqui?

HEITOR (P/Astrid) — Não foi difícil descobrir. Só fiz seguir o carro de Rubens. Mas eu vim falar com você outra coisa.

ASTRID (P/Heitor) — Eu não tenho nada para falar com você. Nem intimidade com você eu tenho. O que você teria para falar comigo? Nada!

HIEITOR (P/Astrid) — Posso entrar.

ASTRID (P/Heitor) — Já que está aqui, entre. Mas você ainda não falou o que comigo.

HEITOR (P/Astrid) — Eu estou apaixonado por você. Desde a primeira vez que eu te vi, eu não paro de pensar em você. Eu faria de tudo para ficar com você.

Astrid arregala os olhos, diante da constatação

Fim do insert.

Ele relembra também o dia do casamento de Rubens e Astrid. Inserir flashback da cena 8 do capítulo 21:

Rubens e Astrid estão de mãos dadas, em frente ao juiz. Ao lado deles estão Virginia e Heitor.

JUIZ — Estamos aqui para selar a união por separação parcial de bens entre Rubens Fonseca e Astrid. Vocês estão de acordo com tudo que foi dito?

RUBENS e ASTRID — Sim.

Eles se beijam

Fim do insert.

Os três terminam de tomar café e saem.

Corta para:

CENA 8/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ UTI/ MANHÃ/ INT.

A câmera mostra Rubens na unidade de terapia intensiva. Ele está de olhos fechados e sonha com o dia que conheceu Astrid. Inserir flashback da 1 do capítulo 18, como um sonho: 



Astrid dá a mão a Rubens, que entende aquele gesto como uma aceitação. Ele a conduz para o meio do salão. Eles então dançam alegremente. As luzes brilhantes pareciam dançar em sincronia com o casal, que chamava atenção de todos no salão que olhavam com admiração para Astrid e Rubens dançando.

RUBENS — A gente está dançando aqui há alguns minutos, mas ainda não nos apresentamos. Meu nome é Rubens. Rubens Martins.

ASTRID — O meu é Astrid. Astrid Fisher.

RUBENS — Pelo seu nome e pelo sotaque, devo imaginar que não é brasileira, é?

ASTRID — Não, sou alemã, mas já andei por vários lugares do mundo. Estou no Brasil há seis anos.

RUBENS — Eu morei por muito tempo na Europa. Foi embaixador do Brasil em Paris. Já morei por alguns meses em Viena, em Praga. Curiosamente, não conheço a Alemanha.

ASTRID — Apesar de tudo que aconteceu lá nos últimos anos, é um país muito bonito. Você deveria conhecer.

RUBENS — Quando eu tiver oportunidade, irei conhecer com certeza. Mas agora eu quero conhecer mais sobre você. Veio para o Brasil sozinha?

ASTRID — Vim sozinha. A minha família toda morreu na guerra. A última vez que vi meus pais foi no dia do meu casamento há 11 anos. Mas eles foram levados, acredito eu, para um campo de concentração. O meu irmão eu cheguei a ver alguns depois, mas infelizmente ele foi fuzilado na minha frente.

RUBENS — E o que aconteceu com o seu marido?

ASTRID — Foi capturado também pelos nazistas também no dia do casamento. Eu não queria ficar falando sobre essas coisas. O ambiente não é propício.

RUBENS — Sobre mim, além de embaixador, sou piloto de automobilismo. Já competi nas melhores pistas do mundo.

ASTRID — Nossa! Você parece ser um homem incrível. Embaixador, piloto...

RUBENS — E herdeiro da maior empresa de metalúrgicos do Brasil.

ASTRID — Nossa! Você é muito compromissado

RUBENS — Eu sou uma pessoa muita ativa. Estou deixando um pouco de lado a diplomacia, mas vou continuar no automobilismo.

ASTRID — Deve ser incrível viver a vida como você vive.

RUBENS — É..... Realmente, se eu fosse morrer hoje, estaria tranquilo e satisfeito. Fiz tudo que quis: me apaixonei, me decepcionei, curti a vida como ninguém. Disso eu não posso.

ASTRID — Já eu quero recomeçar a minha vida agora. No auge dos meus trinta anos. Quero viver um novo romance. Ainda tenho tempo.

RUBENS — Eu sou viúvo. Até que não seria uma má ideia também viver um novo romance. Eu também estou na flor da idade. (Eles terminam a dança). Agora, vou te apresentar a minha família.

Fim do insert.

Ele se mexe um. Os enfermeiros examinam ele e seus sinais vitais.

Corta para:

CENA 9/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ RECEPÇÃO/ MANHÃ/ INT.

Arlete tenta consolar Rosemary, que está aflita.

ARLETE — Vai ficar tudo bem! Astrid e Rubens são muito fortes. Vão se recuperar.

ROSEMARY — Eu não posso perder outro filho! Já se foi um pouco de mim. Se o Rubens morrer, a minha vida não terá mais nenhum sentido.

Neste instante, Heitor, Paulo e Virgínia entram.

HEITOR (P/Manuel) — Como está Rubens e Astrid?

MANUEL (P/Heitor) — Está na UTI.

Arlete, que estava ajoelhada, se levanta e se lembra. Inserir flashback da cena 7 do capítulo 20:

Astrid e Rubens se despedem, enquanto se beijam. Depois daquele último beijo, Rubens sai e Astrid continua a conversar com Arlete.

ASTRID — Hoje o dia foi muito turbulento. Mas nada me chamou mais atenção que o amigo de Rubens. Ele não parava de me olhar. Eu não sei dizer o que ele queria, mas é de estranhar que um homem casado olhe para uma mulher comprometida, como ele olhava para mim.

ARLETE — Quem é? Eu conheço?

ASTRID — Ele é um advogado e sempre representa os Martins quando eles precisam resolver alguma coisa com a justiça. Parece que ele é bem famoso. Eu confesso que não conhecia. Heitor Fonseca. Conhece?

ARLETE — Já ouvi falar e não é com bons olhos. Ele é envolvido com escândalos de corrupção, peculato. Parece que ele já aplicou alguns golpes contra seus clientes. Obviamente que ele não vai fazer isso com os Martins. Ele sabe muito bem a família com quem está se metendo. Ele tem que aproveitar, enquanto a galinha dos ovos de ouro está a pleno vapor. Eu não sei até que ponto tudo isso é verdade, mas foi o que eu já ouvi falar sobre ele.

ASTRID — É..... Eu não sei, mas ele me olhava com um olhar estranho. Mas se o Rubens, que conhece ele há anos, confia piamente nele, quem sou eu para questionar.

ARLETE — Se tem uma pessoa que pode falar melhor do que eu sobre o Heitor, é o Rubens. Afinal, eles são amigos.

ASTRID — O que interessa é que

Enquanto bebem um pouco de champanhe, elas continuam a conversar.

Fim do insert.

Ela se afasta para não ter que encontrá-lo.

Corta para:

CENA 10/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ UTI/ INT.

Rubens continua inconsciente. A enfermeira aplica um remédio intravenoso e em seguida sai.

Letreiro mostra: “duas semanas depois”.

Rubens tem um pesadelo. Inserir o flashback da cena 12 do capítulo 22, como um sonho:

Astrid e Rubens arruam.

RUBENS — Depois de dias aproveitando a vida, é hora de cairmos na realidade. (Riu). É hora de voltarmos para o Brasil.

ASTRID — Esses dias foram os melhores dias da minha vida.

Com as malas prontas, eles saem do hotel e entram no carro, onde a cena continua. Eles partem felizes em direção ao Rio de Janeiro.

Letreiro mostra: “Dois dias depois”

Eles continuam na estrada. Rubens não dormira durante todo esse tempo. Ele cantarola. Astrid caíra no sono. Ele se abaixa para pega um pouco de água e perde a direção do carro. A sua visão é ofuscada pelo farol do carro.

RUBENS — Aaaaah!

Fim do insert.

RUBENS — Astrid!

Focar na imagem dele de olhos abertos e ofegante. A imagem congela e fixa em um camafeu que se fecha


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.