Type Here to Get Search Results !

Marcadores

PRAZER, SATISFAÇÃO - CAPÍTULO 27 (ÚLTIMAS SEMANAS)

 



Cena 1. Ap de Stela. Quarto de Stela. Noite.

Juliana entra no quarto e dá logo de cara com Stela e Rayane, dormindo abraçadas completamente nuas. Juliana fica completamente chocada e se apoia na parede para não cair... Lágrimas escorrem de seus olhos...

Juliana: (desnorteada) Stela? 

Rayane "acorda" e mexe com Stela. Juliana olha a cena sem reação...

Rayane: (fingindo choque) Amor, quem é essa mulher?

Stela se espreguiça e quando abre os olhos se assusta ao se ver nua e ao lado de Rayane, também nua.

Stela: (assustada) Quê isso? O quê que você tá fazendo aqui?

Rayane: (cinica) Hein amor, me responde, quem é essa mulher que tá aqui no quarto?

Stela olha pro lado da porta e vê Juliana paralisada, chorando de desgosto...

Stela: Juliana? 

Juliana: (chorando) Então é esse o nosso namoro sério, Stela? Ontem você montava planos pro futuro comigo e hoje você me trai dessa maneira sórdida?

Stela: Juliana pelo amor de Deus! Você não tá vendo que isso aqui é uma armação? Essa vagabunda entrou na minha casa com a desculpa de me mostrar um projeto pra escola, me dopou/

Rayane: Quê isso Stela? Agora vai negar que teve uma das melhores horas da sua vida? Eu não tô entendendo, quem é essa mulher?

Stela: (estressada) Quem é ela? Quem é você sua vadia?/

Stela mete um tapão na cara de Rayane e em seguida puxa os cabelos dela... Rayane grita. Juliana olha tudo traumatizada...

Juliana: (chocada) Eu não sou obrigada a estar nessa situação! Eu vou embora daqui!

Juliana sai do quarto. Stela empurra Rayane pra fora da cama, veste qualquer roupão jogado numa cadeira e sai correndo atrás de Juliana!

Stela: Juliana espera! Espera!

Rayane, descabelada no chão, solta um risinho.

Cena 2. Ap de Stela. Sala. Noite.

Juliana corre até a porta de saída. Stela vindo atrás.

Stela: Juliana, por favor me escuta!

Stela alcança Juliana e segura seu braço.

Juliana: Me larga!

Stela: Armaram isso tudo pra gente! Eu nem conheço essa mulherzinha! 

Juliana: E a mensagem que você me mandou? Me chamou pra vir aqui, e quando eu tava bem aqui na porta você manda outra mensagem desmarcando tudo!

Stela: Mas eu não mandei mensagem nenhuma! Juliana, pelo amor de Deus, só podem ter clonado meu número! Isso tudo aqui foi armação pra separar a gente, eu nem conheço aquela doida!

Juliana: Eu tô muito confusa! Eu... Eu não sei!

Stela: Eu preciso que você acredite em mim! Por favor! Essa garota ordinária me ligou, me dizendo que tinha um projeto da escola pra me apresentar, mas chegando aqui/

Juliana: Chega Stela! Não tenta me explicar que é pior! Eu sou uma burra mesmo, uma idiota, uma cretina! Como eu sou BURRA de ainda acreditar no amor... (desaba no choro)

Stela: Então você não vai confiar em mim?

Juliana: Não é questão de confiar! Eu vi! Foi na minha frente! Stela, eu vou embora! Eu tô zonza, desacreditada!

Juliana abre a porta e sai rapidamente.

Stela: Juliana! (Passa a mão pelos cabelos) Droga! Droga!

Ela fecha a porta e segue pro seu quarto.

Cena 3. Ap de Stela. Quarto de Stela. Noite.

Stela entra no quarto e vê Rayane sentada na cama (já vestida). Ela se estressa completamente e não se segura:

Stela: Você ainda tá aqui sua piranha?

Rayane: Calma linda... Não gostou da nossa hora não?

Stela: Gostei... Gostei do que você vai levar agora!

Stela dá uma bofetada em Rayane, que cai na cama com o impacto. Stela sobe em cima da garota, imobilzando seus braços, e começa a estapeá-la.

Stela: (brava) Por que você fez isso? (Dá mais um tapa)

Rayane: (grita) Chegaaaaaa! Socorro!

Stela: Foi alguém que mandou você fazer isso foi? (Tapa) FALA! (Tapa) Sua vadia mentirosa! Safada (Tapa), ordinária (Tapa), cínica! (Tapa)

Rayane: Alguém me ajudaaaaaaa!

Neste momento Adelaide entra no quarto, corre e entra no meio de Stela e Rayane, impedindo a briga. Vemos que Rayane está com o olho roxo e o canto da boca sangrando.

Adelaide: Quê isso Stela? Por que você tá batendo na mulher?

Stela: (esbravejando) Ela acabou com meu namoro! E eu até agora não entendi o motivo disso!

Adelaide: Nossa eu nem sabia que você tava namorando! E essa vagabunda aí entrou na sua vida como?

Stela: Ela me ligou, depois me enganou, me dopou...

Adelaide: Essa mulher é uma prostituta! Tá na cara Stela!

Rayane: Eu não sou não! É você é que é!

Adelaide: Olha que despeitada! Vai embora daqui! Mas antes, Stela olha a bolsa dela! Ela deve ter te roubado!

Rayane: Se quiser conferir ó!

Rayane pega sua bolsa, abre e mostra às duas.

Rayane: Eu não sou ladra não, tá queridas! E eu vou embora!

Stela: (grita) Você não sai daqui sem antes me dizer o que você pretendia!

Rayane: Eu já disse! (Fogosa) Você!

Stela: Mas eu nunca te vi na vida sua peste!

Rayane apenas suspira, se levanta e sai do quarto. Stela tenta ir partir pra cima dela, mas é segurada por Adelaide.

Stela: Não pode deixar a mulher fugir! Tem que chamar a polícia!

Adelaide: Não Stela! Vai ser um escândalo pra você! A sua escola! Pensa na sua escola! As capas de jornais falando da diretora que foi dopada por uma prostituta! 

Stela: (suspira) Você tem razão! (T) Agora me deixa um pouco sozinha... Eu preciso de um tempo pra entender tudo!

Adelaide: Tá bem... E Stela, um último toque: Cuidado com quem você coloca dentro de casa minha irmã! Tem muita cobra com inveja nesse mundo...

Após dizer isso, ela sai e fecha a porta. Stela deita na cama, exausta.

Instrumental: Resto de Mim - Maria Bethânia (até o fim da cena 4)

Stela: Ai meu Deus... E a Juliana com tudo isso... 

Cena 4. Avenida. Carro de Juliana. Noite.

Juliana dirigindo chorando, devastada... Ela soluça...

Flashback on: (cena 17, cap. 25)

Juliana e Stela saem de casa e vão para a frente do carro de Stela.

Stela: Eu amei! Suas filhas são uns amores...

Juliana sorri.

Stela: Quando eu achar minha filha, porque eu vou achar, eu quero que more todas nós juntas... E o bebê que a gente vai ter!

Juliana: Você vai achar a Giovanna sim! E nós vamos ser uma família... Eu e minhas filhas, você e sua filha... E nós e o nosso bebê!

As duas se abraçam e se beijam...

Corta para: (cena 1 deste capítulo)

Juliana entra no quarto e dá logo de cara com Stela e Rayane, dormindo abraçadas completamente nuas. Juliana fica completamente chocada e se apoia na parede para não cair... Lágrimas escorrem de seus olhos...

Flashback off.

Juliana bate no volante várias vezes para descontar a raiva.

Juliana: (chorando e desabafando consigo mesma) Por que Deus? Por que eu nunca dou certo com ninguém? É sempre uma punhalada atrás da outra! Eu me entrego no relacionamento e sempre levo pancada atrás de pancada!

Ela continua dirigindo, chorando copiosamente.

Cena 5. Bar e Restaurante. Mesa afastada. Noite.

Luciano e Renato brindam um copo de cerveja.

Luciano: (feliz) Deu certo pai! Stela e Juliana estão separadas! A Adelaide acabou de mandar aqui!

Renato: Primeira parte do plano pra ficarmos milionários! A partir de hoje você tem 4 meses pra tentar reconquistar a Juliana... Isso era o tempo estimado que o detetive deu pro tal Fernando né...

Luciano: Tempo estimado né... Eu vou começar a preparar a volta do nosso casamento e é pra amanhã! Deixa a Juliana entender que foi traída pela amada... (risos)

Neste momento, Rayane entra no restaurante com a mão na face e vai até a mesa deles.

Renato: O que houve Rayane?

Rayane: Essa tal de Stela! É uma maluca descompensada! Me bateu, me deu uma surra!

Luciano se segura para não rir.

Rayane: Quê que é hein, Luciano? Vai rir agora? Eu quero é mais dinheiro meu filho! Esses tapas que eu levei não tavam no nosso roteiro!

Luciano: Eu vou te dar! Senta aí com a gente. Toma uma cerveja e relaxa!

Rayane se senta à mesa, bufando. Luciano pega um copo pra ela e enche de cerveja. 

Cena 6. Casa de Juliana. Sala. Noite.

Anne está assistindo TV no sofá. Juliana entra em casa devastada.

Anne: (preocupada) Mãe? Tá tudo bem?

Juliana só segue pro quarto, sem dar ouvidos.

Anne: O que será que aconteceu?

Cena 7. Casa de Juliana. Suíte de Juliana. Noite.

Juliana entra no quarto e tranca a porta.

Cena 8. Casa de Juliana. Suíte. Banheiro. Noite.

Juliana debaixo do chuveiro, se acabando de tanto chorar... Ela se escora na parede e vai descendo até chegar no chão, deixando a água cair sobre seu rosto e se misturando às lágrimas... Drama. Close.

Abertura:

Cena 9. Mansão de Gabriel. Piscina. Noite.

Gabriel e Thiago estão na beira da piscina, conversando, fora de áudio. Maíra e Hélio (pais de Gabriel) chegam ao local:

Maíra: Filho, eu e seu pai vamos jantar naquele restaurante! Seu amigo vai dormir aqui?

Gabriel: Ele pode?

Thiago: Não quero incomodar!

Hélio: Não é incômodo rapaz! Eu gosto que os amigos do meu filho frenquentem a nossa casa!

Maíra: Então fica Thiago!

Thiago: Ah... Tudo bem então!

Hélio: Então vamos amor!

Maíra: Tchau e se comportem!

Eles vão em direção à garagem da mansão e entram no carro. Gabriel cochicha no ouvido de Thiago:

Gabriel: Agora temos a casa só pra gente!

Thiago mergulha e puxa a sunga de Gabriel pra baixo.

Gabriel: Ei o que é isso?

Gabriel também mergulha e tenta puxar a sunga de Thiago, mas ele desvia.

Thiago: Você não vai conseguir!

Gabriel: Ah não? 

Gabriel afunda e desta vez consegue puxar a sunga dele. Ouvimos em off o portão eletrônico se fechando.

Gabriel: É... Agora sim, estamos sozinhos!

E os dois se olham no fundo dos olhos por alguns segundos.

Thiago: Gabriel, eu te amo!

Gabriel: Thiago, eu te amo!

E os dois se beijam com muito amor e vontade... CAM aérea sobe e mostra a cena de ângulo inteiro...

Cena 10. Casa de Juliana. Sala. Noite.

Kelly entra em casa. Anne, apreensiva, vai até ela.

Anne: Kelly! A mamãe chegou aqui em casa chorando!

Kelly: Gente... Por que?

Anne: Eu não sei... Mas eu tenho a impressão de que ela brigou com a Stela!

Kelly: Eu vou no quarto dela!

Anne: Vai!

Cena 11. Casa de Juliana. Qto de Juliana. Noite.

Quarto escuro, Juliana está deitada de olhos abertos, agarrada a um travesseiro. Batidas na porta.

Kelly: (off) Mãe? Posso entrar?

Juliana: (voz chorosa) Não Kelly!

Kelly abre a porta, entra e se senta na cama: 

Kelly: (delicada) Mãe? Me diz o que houve! Por favor! 

Juliana: Não quero falar filha...

Kelly: Fala pra mim! Foi a Stela?

Juliana se ajeita e senta no encosto da cama.

Juliana: Eu só sei que eu tô me sentindo a pessoa mais trouxa, mais burra, mais cretina e mais humilhada da face da terra! Passar pelo que eu passei hoje... Nossa!

Kelly: O que ela fez de tão grave?

Juliana: Ai filha... Eu... Peguei ela na cama com outra!

Kelly: (chocada) O quê? Eu não consigo imaginar! Me conta isso direito!

Juliana começa a contar fora de áudio...

Cena 12. Belo Horizonte. Stock Shots. Dia.

Amanhece na cidade. Plano geral no Prédio de Stela.

Cena 13. Ap de Stela. Sala. Dia.

Stela vem do corredor, pega sua bolsa no sofá e segue até a saída. Adelaide sai por uma porta se indagando...

Adelaide: Ué... Essa não é a hora dela ir trabalhar... Tomara que ela não tenha ido pra casa da Juliana se justificar...

Cena 14. Rua. Carro de Stela. Dia.

Stela dirige pela rua, até parar na frente da casa de Juliana.

Stela: (p/si) As coisas não podem ficar nesse pé!

E ela sai do carro decidida.

Cena 15. Casa de Juliana. Frente. Dia.

Stela aperta a campainha, em instantes, Juliana abre a porta e a vê pela grade.

Stela: Juliana, a gente precisa conversar! Me escuta! Por favor! Você precisa entender!

Juliana: (voz chorosa) Stela, agora eu não tô bem pra conversar... 

Kelly aparece ao lado da mãe.

Kelly: É Stela... É melhor você voltar depois! O clima aqui não tá muito legal!

Stela: Mas eu precisava/

Kelly: Por favor! Vocês ainda vão ter essa conversa, mas a minha mãe não consegue agora! É melhor você respeitar!

Stela: Tudo bem...

Juliana abraça Kelly, chorosa e apreensiva. Stela vira as costas, chateada, entra em seu carro e fica por lá, pensativa...

Cena 16. Colégio D. Pedro II. Fachada. Dia.

O Detetive Tadeu chega bem em frente ao Colégio, o admira um pouco, logo depois aperta o interfone.

Cena 17. Colégio D. Pedro II. Secretaria. Dia.

Tadeu conversa com a Secretária.

Tadeu: O nome dela é Juliana Dumont! Se formou no ano de 1999! Vê se você acha algum registro dela por favor!

Secretária: Eu vou olhar nos arquivos... Vai ser um prazer ajudar um detetive!

A secretária sai da sala. Na experctativa de Tadeu, Corta para: A Secretária chega com uma pasta e o entrega.

Secretária: Eu encontrei sim uma Juliana Dumont, o senhor pode conferir se é essa!

Tadeu: Tem a foto dela aqui?

Secretária: Tem sim!

Tadeu abre a pasta e se depara com a foto de Juliana, bem mais nova.

Tadeu: (seus olhos brilham) Então essa é a Juliana! É ela!

Ele sorri.

Cena 18. Casa de Danilo. Sala. Dia.

Danilo de mochila nas costas, de saída. Filipa, sua mãe vai até ele.

Filipa: Meu filho, eu vi aqui na caderneta da sua escola que você faltou 3 vezes essa semana! Onde você anda indo?

Danilo: Mãe, isso aí tá errado tá? Eu vou ora escola todo dia sim! Nem vem com essa!

Filipa: Eu também tô achando você esquisito meu filho... Você não quer me contar nada?

Danilo: Ah mão, não enche! Tô indo pra escola, tchau!

Danilo sai e Filipa fica por lá apreensiva...

Filipa: Ôh Deus... Cuida do meu filho...

Close nela.

Cena 19. Favela. Entrada. Rua. Dia.

Um carro de aplicativo para bem na entrada da favela. Danilo desce e vai subir o morro. Muita tensão...

Cena 20. Favela. Viela. Dia.

Danilo vem andando e vê Luan pouco a sua frente. Ele acena e Luan vai na direção dele.

Luan: E aí? Trouxe a grana?

Danilo: Trouxe!

Danilo tira 100 reais do bolso e entrega a Luan.

Luan: Vai querer mais?

Danilo: Ai... Vou!

Luan: Você pode me esperar dentro daquele carro ali! 

Luan aponta para um carro muito velho e um pouco quebrado.

Luan: Me espera lá dentro que eu vou pegar a droga lá no barraco!

Danilo: Tá certo.

Luan entra no barraco Danilo vai até o carro.

Cena 21. Favela. Barraco. Dia.

Luan abre o armário e pega 3 saquinhos de pó branco. Neste momento um homem entra no barraco:

Homem: Pô velho, nem sei quê que eu vou fazer!

Luan: O que houve?

Homem: Meu carro, aquela lata velha, tá pingando gasolina e tá com risco de explodir!

Luan: (se desespera) Pô caralho, o muleque tá lá dentro!

Luan sai correndo do barraco.

Cena 22. Favela. Carro. Dia.

Danilo dentro do carro, meio entediado... Até que tira da mochila um cigarro e um isqueiro... Ele coloca o cigarro na boca e quando vai acender o isqueiro... 

Cena 23. Favela. Viela. Dia.

Luan sai correndo em direção ao carro.

Luan: (Grita com todas as suas forças) EI MULEQUE! SAI DESSE CARROOOOO!

Quando de repente, o carro explode violentamente... Luan arregala os olhos, chocado. Focar no carro incendiando... Suspense e tensão.

Foco no Carro pegando fogo/ A imagem congela com o fundo embaçado.

(Encerramento: Resto de Mim - Maria Bethânia)



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.