Type Here to Get Search Results !

Marcadores

VENTO NORTE: Capítulo 24



Cena 01/ Igreja/ Interna/ Dia. 

(cont. da cena anterior) 

Roberto e Melissa estão sentados sob os bancos da igreja enquanto conversam. Close em Roberto chocado com a revelação de Melissa. 

Roberto: Grávida? Você está grávida?

Melissa: (gesticula com a cabeça simulando um sim) Estou, estou e não foi algo planejado ou calculado... 

Roberto: Eu sou um homem casado... 

Melissa: E eu sou uma mulher, uma mulher sem marido, solteira e com um filho no ventre... 

Roberto: O que você quer de mim? 

Melissa: O que eu quero? Eu quero que você assuma essa criança... E não se preocupe, eu não quero lhe prender, como você deve imaginar, não quero um homem ao meu lado apenas por circunstâncias da vidas... 

Roberto: (transtornado) Eu vou lhe dar um bom dinheiro... 

Melissa: (o interrompe) Nem ouse finalizar essa frase... 

Roberto: Você quer acabar com a minha vida? 

Melissa: Acabar com a sua vida? Foi você que acabou com a minha, o que vai acontecer com você quando souberem que nós tivemos um caso e eu engravidei? Absolutamente nada! Você continuará com a sua vida medíocre, com seu casamento falido, com a sua mulherzinha e o seu filhinho, enquanto eu... Eu poderei ser expulsa de casa, ficar ao relento, e quando descobrirem na escola? Perderei o emprego, perderei as amizades, pois todas as minhas amigas da escola, estão casadas, com maridos conservadores, que certamente não me verão com bons olhos. Eu não terei ninguém ao meu lado, ninguém... 

Roberto: Então você sabe que não terá futuro comigo... 

Melissa: (desolada) Sei... Eu sei bem disso...

Roberto: Eu te faço uma proposta que você não está em condições de recusar... 

Melissa: (surpresa) Proposta? 

Roberto: Helena jamais pedirá o desquite, ela é uma mulher extremamente zelosa e eu sei que ela ainda me ama... 

Melissa: Não estou compreendendo... 

Roberto: Se quiser conte à sua família, mas... Mantenha em segredo essa gravidez, peça uma licença na escola para poder levar essa gestação à diante sem que ninguém saiba. Quando a criança nascer... (pausa profunda) Me deixe criá-la junto à Helena, Helena sempre quis ter outro filho, mas nunca conseguiu e... 

Melissa: (surpresa. ela o interrompe) O que? Você quer me afastar do meu filho? 

Roberto: Você não terá futuro com essa criança... Depois que o bebê nascer, você pode tentar arrumar um bom casamento, uma boa estabilidade financeira... 

Melissa: (desolada) Por que, por que? Eu engravidei por acidente e  se eu contar para alguém dessa gravidez... (pausa profunda) Perderei tudo, família, amigos, prestígio, renome, meu trabalho, serei apontada na rua, conhecida como a impura, enquanto você... Não perderá nada, aliás, sua virilidade estará sendo reconhecida, aplaudida. Você e essa sociedade me dão nojo. 

Close em Roberto um pouco aflito, Melissa se levanta e se dirige até a saída, ela pausa no meio da paróquia e profere algumas palavras. 

Melissa: (desolada) Para viver, eu precisarei me desfazer daquilo que seria a pessoa mais importante da minha vida, mas que futuro essa criança teria ao meu lado?  Ser apontada na rua com as pessoas dizendo, veja, a filha ou o filho da messalina com o homem casado, olhe, o fruto de uma traição... 

Roberto derrama uma lágrima seca enquanto Melissa se dirige desolada até a saída. 

Cena 02/ Igreja/ Externa/ Dia. 

Close em Melissa descendo as escadas da igreja transtornada enquanto se dirige até a rua, close nela sob a calçada. Logo em seguida Roberto aparece em frente à paróquia na varanda (chão) que leva até as escadas da igreja. 

Roberto: (grita) Melissa!

Melissa se vira desolada, eles trocam olhares tristes, Melissa volta a se virar e caminha sob a rua, indo embora. Close em Roberto desolado. 

Cena 03/ Rua/ Dia. 

Close em Melissa andando transtornada e desolada sob a rua junto à uma sonoplastia de fundo. 

Instrumental: (que dura até o final da cena 04)


Ocorre uma transição de cena entre Melissa caminhando transtornada sob a rua e Roberto também caminhando aflito pela rua. 

Cena 04/ Rua/ Dia. 

Close em Roberto andando preocupado sob a rua. 

Cena 05/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia. 

Close em Regina chegando em casa aflita. 

Melissa: (coloca a bolsa sob o sofá e se dirige até o corredor) Melissa? Melissa? 

Cena 06/ Residência Trajano Ferraço/ Quarto de Melissa/ Dia. 

Close em Regina entrando no quarto da filha nervosa e ansiosa. 

Regina: Melissa?  

Close em Regina frustrada. 

Cena 07/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia. 

Close em Regina se dirigindo até o sofá, onde se senta, preocupada e nervosa. 

Cena 08/ Residência Muniz/ Sala de estar/ Dia. 

Close em Helena lendo uma revista sentada sob o sofá quando Vicente chega em casa. 

Helena: Então meu filho, conseguiu o trabalho?

Vicente: Ainda não, mas estou em um período de experiência mamãe... 

Helena: Não se preocupe! Eu tenho certeza que você será aceito, você é um profissional competente, inteligente, carismático... 

Vicente: Obrigado mamãe (a abraça e logo em seguida lhe dá um beijo) 

Helena: Vá lavar as mãos meu amor, o almoço já está quase pronto... 

Vicente: Não se preocupe mamãe, daqui a pouco almoçarei com Carlos no bar... 

Helena: (frustrada) Ah, vocês jovens e essa mania de se esquivar dos almoços, jantares ou reuniões familiares... 

Vicente ri e Helena logo em seguida o acompanha também rindo. Roberto chega em casa apressado e transtornado e se dirige até o corredor. Vicente e Helena estranham o comportamento de Roberto.

Vicente: O que será que aconteceu? 

Helena e Vicente trocam olhares surpresos com a reação de Roberto. 

Cena 09/ Residência Muniz/ Suíte principal/ Dia. 

Roberto entra no quarto e se dirige transtornado até sua cama, onde desaba. Close nele. Logo em seguida Helena entra no quarto. 

Helena: (surpresa) Roberto? O que aconteceu? 

Roberto: (grita) Saia daqui, saia daqui, me deixe sozinho, saia daqui!

Helena: (sem reação) Mas... Por que está me tratando dessa forma? 

Roberto: (grita) Saia daqui! 

Helena: (grita) Discutiu com a outra não foi? É esse o motivo da sua hostilidade não é? Diga, diga! 

Roberto: (grita) Rua, rua, saia daqui! 

Vicente aparece e aparta a briga. 

Vicente: Meu Deus... Parem de discutir!

Roberto: (com a voz um pouco exaltada) É a sua mãe, tire a sua mãe daqui, eu preciso ficar sozinho! 

Vicente: Vamos mamãe, vamos! (dirige Helena até a porta, ela se esquiva) 

Helena: Teve atritos com o seu novo brinquedinho e agora desconta em sua própria família... (grita) Canalha, covarde, calhorda! 

Roberto: (grita) Rua! 

Vicente: (dirige Helena até a porta) Vamos mamãe, parem de discutir, parem! 

Helena: Cafajeste! 

Roberto: Saia daqui! 

Vicente e Helena saem do quarto e logo em seguida Roberto fica aos prantos deitado sob a cama, close nele. 

Cena 10/ Rua da residência Trajano Ferraço/ Dia. 

A CAM acompanha Carlos andando pensativo sobre a calçada de sua residência, se dirigindo até o portão quando ele dá de cara com Melissa transtornada. Carlos e Melissa trocam olhares. 

Melissa: (desolada) Eu tenho uma coisa muito importante à dizer para você e mamãe... 

Close em Carlos surpreso. Melissa entra enquanto Carlos fica gélido sob o portão, entrando logo em seguida. 

Abertura: 


Vinheta de intervalo:


Cena 11/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia. 

Regina está aflita sob o sofá. Melissa entra em casa. 

Regina: Filha...

Melissa: (a interrompe) Espere o Carlos entrar... Eu tenho um assunto muito sério à dizer a vocês... 

Close em Regina tensa. Alguns segundos se passam e Carlos entra em casa e se dirige até Regina e Melissa. 

Carlos: Então? O que você tem a dizer?

Os três trocam olhares. Melissa começa a debulhar-se em lágrimas secas.

Regina: Não... Não... (grita) Não! 

Carlos: O que foi mamãe? 

Regina: (abraça Carlos aos prantos) Não! 

Melissa: Sim mamãe... Eu estou esperando um filho. 

Close em Carlos chocado. 

Carlos: (chocado) Filho? Você está esperando um filho? Como você pode estar grávida, você, você... (pausa profunda e agonizante) Não é casada! 

Melissa: (desolada) Aconteceu...

Carlos se aproxima até a irmã chocado com a revelação. 

Carlos: (dá uma bofetada em Melissa) Messalina, mulher usável, que passa de mão em mão, rameira! 

Close em Regina chocada com a bofetada de Carlos. 

Melissa: Eu devo ser uma rameira mesmo, tal qual a sua amante, aquela cafetina lá da casa das primas, ela sim, que deve passar de mãe em mão. 

Carlos: Cale a sua boca! (dá outra bofetada em Melissa que fica perplexa e com mais raiva) 

Regina: (apreensiva) Carlos!

Melissa: Não era o grande homem? O homem que casaria com uma mulher pura, (grita) que pura e que mulher, vai acabar se casando com uma prostituta!

Carlos: (agarra Melissa pelo pescoço) Cale a sua boca, sua imoral, sem princípios, eu vou lhe matar, eu vou lhe matar! 

Regina: (corre em direção à Carlos, para impedi-lo de esganar a irmã) Carlos, pare, pare, pare! 

Após alguns segundos ele solta o pescoço de Melissa, close nela desnorteada. 

Melissa: Covarde! 

Carlos: Covarde são os homens que agridem mulheres decentes, não desfrutáveis como você, mulheres que os homens usam e descartam. 

Melissa: Parem... Parem...

Carlos: Quem é o pai? Me diga! Quem é o pai dessa criança? 

Regina: (ela hesita um pouco em dizer, ficando calada, mas no fim acaba dizendo em um tom irônico e raivoso) O filho é de Roberto Muniz, pai do seu melhor amigo... 

Melissa: (chocada) Filha! 

Close em Carlos e Regina chocados.

Carlos dá outra bofetada em Melissa, que dessa vez a faz sangrar aos arredores da boca. 

Melissa: (dá tapas em seu próprio rosto) Bate, quer bater, bate, até deixar marca, bate!

Carlos levanta a mão para novamente agredir Melissa, com ela o enfrentando. Ele fica gélido, parado. 

Regina: (desesperada) Carlos basta, por favor! 

Close em Carlos transtornado. Ele se dirige furioso até a porta, onde sai. 

Regina: (grita) Carlos, Carlos! 

Regina e Melissa se dirigem rapidamente até a porta, onde também saem. 

Cena 12/ Rua da residência Trajano Ferraço. 

Close em Carlos se dirigindo furioso até o portão, onde sai. Logo em seguida Regina e Melissa aparecem. 

Regina: (grita) Carlos, Carlos, onde você vai meu filho... 

Carlos: Eu vou limpar o honra da nossa família!

Melissa: (grita) Não, não, não! Desgraçado!

Melissa e Regina se dirigem até o portão onde também saem seguindo Carlos.

Cena 13/ Residência Muniz/ Sala de estar/ Dia. 

Vicente e Helena estão sentados sob o sofá conversando. 

Vicente: Mamãe, eu tenho que lhe dizer uma coisa... 

Helena: É algo sério meu filho? 

Vicente: É sobre o papai... Eu acho que sei o motivo dele estar assim. 

Helena: Sabe? 

Vicente: Eu acho que descobri com qual mulher o papai anda tendo um caso... 

Close em Helena chocada, poucos segundos se passam e no momento em que Vicente iria dizer o nome de Melissa, ocorre uma transição minuciosamente detalhada, a porta se abre de maneira bruta, com Carlos entrando na casa. Vicente e Helena se assustam. 

Helena: Que isso? 

Vicente: Carlos? O que significa isso? 

Carlos: Cadê o seu pai? Cadê o pai? (grita) Roberto Muniz, apareça seu desgraçado, apareça. 

Vicente: Calma Roberto, Calma! 

Carlos: Não me peça calma! 

Quando Carlos iria se dirigir até o corredor que leva aos quartos, Vicente o impede. 

Carlos: Me deixa passar. 

Vicente: Não Carlos, não! 

Helena: O que está acontece aqui?

Regina e Melissa entram na casa desesperadas. 

Helena: Regina? Melissa? O que está havendo? 

Carlos: (grita) Apareça seu infeliz, apareça se você for homem!

Close em Helena chocada. 

 Cena 14/ Residência Muniz/ Suíte principal/ Dia. 

Roberto está deitado sob a cama desolado quando escuta os gritos de Carlos.

Carlos: (off) Apareça seu infeliz, apareça se você for homem! 

Close em Roberto desnorteado. 

 Cena 15/ Residência Muniz/ Sala de estar/ Dia. 

Close em Vicente segurando Carlos corpo a corpo. 

Carlos: (grita) Me solta Vicente, me solta! 

Roberto aparece sob o corredor. 

Carlos: (grita) Desgraçado, infeliz, maldito! Como você pode ter sido tão baixo e sórdido dessa maneira? Se aproveitar da inocência de uma menina, cretino! 

Close em Helena chocada. 

Melissa: Ele não se aproveitou da minha inocência, eu também quis, eu me entreguei a ele por amor, por amor. 

Nesse momento Carlos se solta e corre em direção à Melissa, lhe esbofeteando. 

Carlos: Você é uma vagabunda! 

Melissa: Eu sou uma mulher apaixonada! 

Carlos: (dá outra bofetada) Vadia, uma vadia, isso é o que você é! (se vira) E você seu cafajeste... 

Carlos corre em direção à Roberto e lhe dá um soco, Vicente rapidamente se dirige até Carlos e lhe segura. 

Vicente: Pare Carlos, pare! 

Carlos: E você, você estava com o seu pai? 

Vicente: Não, eu não estava ciente dessa situação... 

Carlos se solta e enfrenta Roberto com Vicente no meio, evitando que ele agrida o pai. 

Roberto: Se acalme rapaz, para tudo há uma solução! 

Carlos: Solução? Solução? Solução seria se você não fosse casado, ao menos poderia se casar com a minha irmã, mas já que você é casado... Qual a solução mais lógica que eu deveria tomar em relação à você? Talvez eu deva lhe matar... 

Vicente: (se dirige até Carlos o enfrentando) Com meu pai você não fará nada...

Carlos: Eu o matarei, eu o matarei e com minhas próprias mãos! (Carlos avança até Roberto)  

Vicente nesse momento, segura o braço de Carlos e lhe dá um soco. 

Regina: Meu Deus! 

Carlos: (revida o soco de Vicente) Eu vou te matar seu infeliz, você é igual ao seu pai, dois canalhas, cafajestes, cretinos! 

Vicente dá um soco em Carlos. Os dois caem no chão em uma luta corporal. 

Regina: Meu Deus, separem, separem! 

Helena: Vicente, Vicente!

Roberto: (se dirige até a luta e separa o filho de Carlos) Já chega Vicente, já chega! 

Regina: (também se dirige até a briga e separa o filho de Vicente) Pare Carlos, pare! 

Close em Helena desnorteada. 

Melissa: (grita) Chega! Já chega! (desolada) Mãe se a sua preocupação for a minha reputação, não se preocupe, eu já fiz um acordo com Roberto. 

Carlos: (se solta de Regina e enfrenta a irmã) Acordo? 

Melissa: É... Um acordo... Eu vou pedir licença da escola e terei minha gestação em um lugar afastado, quando a criança nascer, será criada por Roberto e Helena... 

Carlos: (se dirige até Melissa e lhe dá outra bofetada, ela cai no chão e seu nariz começa a sangrar) Esse é o lugar que você merece estar, no chão! Você é mais sórdida e sem escrúpulos do que eu pensava... Abrir mão do próprio filho... 

Melissa: (desolada sob o chão) Eu não tenho outra saída e você sabe disso! Se a Helena concordar, é isso que Roberto e eu faremos, eu abrirei mão de meu próprio filho pensando no bem estar dele, apenas dele! Que futuro ele terá ao lado de uma mãe solteira? Que futuro? 

Regina: Filha, não faça isso...

Melissa: Desculpe mamãe, mas não temos outra solução... 

Close em Regina desnorteada. O clima se acalma, todos ficam perplexos com o que ocorreu naquela sala. 

Carlos: Vocês me dão nojo, essa família toda me dá ascos, você também Melissa, me dá nojo, eu sinto vergonha de ser seu irmão... 

Melissa derrama uma lágrima seca. Carlos se dirige até a saída quando Vicente o provoca. 

Vicente: O sentimento é recíproco. 

Carlos se vira. Ele e Vicente trocam olhares de ódio e logo em seguida Carlos sai. Foco em Melissa desolada. 

 Cena 16/ Rua/ Dia.

Close em Carlos andando transtornado e ao mesmo tempo furioso pela rua. 

 Cena 17/ Residência Muniz/ Sala de estar/ Dia.

Close em Regina, Melissa, Helena, Vicente e Roberto perplexos. 

Melissa: (se dirige até a saída desolada) Perdão, perdão. 

Melissa sai e logo em seguida Regina se dirige até a saída, onde também se retira. Plano geral da sala com a família Muniz incrédula junto à uma sonoplastia de fundo. 

Instrumental: (que dura até o final da cena 20)


 Cena 18/ Rua da Residência Muniz/ Dia.

Close em Regina e Melissa desoladas caminhando até o portão da propriedade, elas estão afastadas, Regina está incrédula com o que aconteceu e Melissa está tentando se manter forte. Close nas duas destruídas. 

 Cena 19/ Rua da residência Trajano Ferraço/ Dia.

Close em Carlos caminhando apressado e nervoso. Ele abre o portão e se dirige até a porta de sua casa, entrando. 

 Cena 20/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia.

Carlos entra desolado em casa e se dirige até a mesinha que há ao lado da porta do corredor, ele se apoia nela, onde começa a debulhar-se em lágrimas em um copioso e emocionante choro. A CAM vagueia um pouco, se dirigindo até a mesinha onde Carlos está apoiado. Close na fotografia de Melissa que está localizada sob a mesa. 

A imagem fica em preto e branco, como se fosse um filme dos anos 40. Gancho no porta-retratos de Melissa e logo ao lado Carlos apoiado sob a mesinha aos prantos. 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.