Type Here to Get Search Results !

Marcadores

SAGRADA FAMÍLIA - CAPÍTULO 04

 


SAGRADA FAMÍLIA

“Capítulo 04”

 

Novela criada e escrita por

Wesley Franco


Personagens deste capítulo

NATHALIA

JAYME

MÉDICO

ALEXANDRE

RENATA

CARUSO

ARLETE

BOMBEIROS

NENÊ

ADÉLIA

REGINALDO

PADRE

 

Esta é uma obra de ficção e sem compromisso com a realidade.


CENA 1. CASA DE NENÊ. INT. SALA. NOITE.

Jayme chega na casa de Nenê e encontra Nathalia desesperada.

NATHALIA – (desesperada) Ainda bem que você chegou, a minha madrinha tá passando mal, ela tá lá deitada no quarto. Me ajuda Jayme.

JAYME – Calma, vamos pegar ela no quarto e levá-la para o hospital agora mesmo.

CORTA PARA

CENA 2. CASA DE NENÊ. INT. QUARTO DE NENÊ. NOITE.

Jayme entra no quarto e encontra Nenê desmaiada na cama, ele a carrega em seus braços e leva para dentro do carro.

CORTA PARA

CENA 3. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. QUARTO DE ALEXANDRE E RENATA. NOITE.

Alexandre e Renata estão dormindo, o telefone do quarto começa a tocar insistentemente. Após algum tempo tocando, Alexandre se levanta e atende.

ALEXANDRE – (Ao telefone) Alô.

REGINALDO – (Ao telefone) O galpão da fábrica está pegando fogo, corre pra cá que a coisa é séria.

Alexandre demonstra ter ficado assustado com o que acaba de ouvir e desliga o telefone. Renata que acordou com o barulho do telefone percebe que o marido ficou pálido com o que acabou de ouvir no telefone.

RENATA – O que aconteceu? Você ficou com essa cara assustada.

ALEXANDRE – A fábrica está pegando fogo, eu preciso ir para lá imediatamente.

Alexandre sai do quarto e vai até o quarto de Jayme.

CORTA PARA

CENA 4. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. QUARTO DE JAYME. NOITE.

Alexandre entra no quarto e percebe que a cama de Jayme está arrumada e ele não está no quarto. Alexandre retorna para o seu quarto.

CORTA PARA

CENA 5. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. QUARTO DE ALEXANDRE E RENTA. NOITE.

ALEXANDRE – O Jayme não está em casa.

RENATA – Onde será que ele foi?

Alexandre vai até seu guarda-roupa e procura uma roupa para se vestir.

ALEXANDRE – Não faço idéia e nesse momento é o que menos importa. Eu preciso correr até a fábrica.

RENATA – Você quer que eu vá com você?

ALEXANDRE – De maneira alguma! Não sei como está a situação por lá, eu preciso que você procure na agenda o número da casa do Caruso e liga para lá imediatamente.

CORTA PARA

CENA 6. MANSÃO DE CARUSO. INT. QUARTO DE CARUSO. NOITE.

SONOPLASTIA: TIZIANO FERRO - IMBRANATO

Caruso joga Arlete completamente nua na cama, retira sua roupa e se deita em cima dela a beijando intensamente.

CARUSO – Sua gostosa!

ARLETE – Ai que saudades que eu estava de você.

Caruso e Arlete se abraçam e se beijam intensamente na cama. Caruso abre as pernas de Arlete e entra no meio penetrando nela, ela arranha as costas de Caruso enquanto ele mete intensamente nela.

SONOPLASTIA OFF

Em meios aos gemidos, escuta-se batidas à porta e uma voz chamando por Caruso.

CARUSO – (grita) O que foi agora Peneluc? Estou ocupado.

PENELUC – (atrás da porta) A dona Renata acabou de ligar e pediu para que você fosse à fábrica urgente, parece que houve um incêndio.

CARUSO – (espantado) Incêndio?

Caruso muito assustado se levanta da cama pelado e abre a porta do quarto.

CARUSO – Incêndio?

Peneluc se assusta ao ver Caruso pelado em sua frente e vira de costas.

PENELUC – Sim seu Caruso, um incêndio. Eu já chamei o Antônio, ele está com o carro à sua espera.

CARUSO – Eu vou botar uma roupa e desço já.

CORTA PARA

CENA 7. FÁBRICA CASTRO COSMÉTICOS. INT. GALPÃO. NOITE.

Os bombeiros terminam de apagar o incêndio que tomou uma parte do galpão. Um dos bombeiros líderes da operação se encaminha em direção a Reginaldo, Caruso e Alexandre que acompanham o trabalho dos bombeiros.

BOMBEIRO – Minha equipe conseguiu conter o fogo, já está tudo sob o devido controle.

ALEXANDRE – (aliviado) Graças a Deus.

REGINALDO – O estrago foi grande pelo visto.

BOMBEIRO – Se não chegássemos a tempo poderia ter sido bem pior.

CARUSO – E vocês tem alguma idéia do que pode ter causado esse incêndio?

BOMBEIRO – Ainda vai ser investigado, mas ao que tudo indica partiu do sistema de ar condicionado de vocês.

CARUSO – (espantado) Ar condicionado? Todo esse sistema de ar condicionado foi trocado recentemente.

BOMBEIRO – Nós encontramos alguns aparelhos que sobreviveram ao incêndio e a fiação está bem desgastada, é provável que isso tenha causado o incêndio.

Reginaldo e Alexandre ficam visivelmente apreensivos com a fala do bombeiro.

CORTA PARA

CENA 8. HOSPITAL. INT. UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. NOITE.

Os maqueiros trazem Nenê da sala de cirurgia para a unidade de terapia intensiva. Jayme e Nathalia aguardam na porta, até que o médico chega para conversar com eles.

MÉDICO – Na cirurgia deu tudo certo, mas os próximos momentos são muito delicados. A senhora Irene é uma idosa, sofreu um AVE muito grave, possa ser que ela não resista o pós cirurgia. Vocês precisam estar preparados.

NATHALIA – (chorando) Minha madrinha vai morrer?

MÉDICO – Eu não posso jamais afirmar algo deste tipo, mas a recuperação vai ser difícil. Ela já está acordando da anestesia, se vocês quiserem entrar para conversar com ela fiquem à vontade.

NATHALIA – Eu quero entrar, eu quero ver minha madrinha.

Jayme abraça Nathalia.

JAYME – Calma Nathalia, tenta se tranquilizar. Vamos entrar para falar com ela.

Jayme e Nathalia entram no quarto e vão até o leito onde Nenê se encontra já acordando.

SONOPLASTIA – INSTRUMENTAL TRISTE

NATHALIA – Madrinha, madrinha.

NATHALIA – Você não pode morrer, você é forte, você é meu alicerce, é a única pessoa que eu tenho ao meu lado.

NENÊ – (com dificuldades para falar) Nathalia, eu não vou conseguir...

NATHALIA – Você vai conseguir sim, vai sair daqui, vai me ajudar a cuidar da minha filha, você vai ver.

NENÊ – (com dificuldades para falar) Jayme, pega na minha mão.

Jayme segura a mão de Nenê.

NENÊ – (com dificuldades para falar) Promete pra mim que você vai cuidar da minha afilhada, que não vai deixar ela sozinha neste mundo. Promete...

JAYME – Eu prometo dona Nenê, eu vou estar sempre aqui para o que o Nathalia e a filha dela precisar.

NENÊ – (chora) Nathalia...

Nathalia pega na mão de Nenê.

NATHALIA – (chora) Madrinha, por favor...

Nenê morre.

NATHALIA – (assustada) Madrinha? Madrinha?

NATHALIA – (chora e grita) Não, não! Você não pode morrer madrinha, você não pode morrer.

Nathalia se deita sobre Nenê.

NATHALIA – (chora) Você não podia ter ido embora assim tão de repente madrinha.

CORTA PARA

CENA 9. RIO DE JANEIRO. DIA.

SONOPLASTIA: INSTRUMENTAL TRISTE

Imagens aéreas da cidade do Rio de Janeiro amanhecendo e o dia começando na cidade.

CORTA PARA

CENA 10. RIO DE JANEIRO. CEMITÉRIO. INT. DIA.

SONOPLASTIA: LOVE BY GRACE – LARA FABIAN

Um pequeno cortejo formado por Nathalia, Jayme, Adélia, um padre e alguns vizinhos de Nenê acompanham o caixão pelo cemitério até o local onde Nenê vai ser enterrada. Ao chegarem ao túmulo, os funcionários do cemitério retiram o caixão do carrinho e colocam as cordas.

PADRE – (jogando água benta sobre o caixão) Em nome do pai, do filho e do espírito santo.

TODOS – (fazendo o sinal da cruz) Amém.

Os coveiros começam a descer o caixão de Nenê para dentro do túmulo, enquanto todos acompanham visualmente tristes.

NATHALIA – (chora) Você vai me fazer muita falta madrinha, mas eu tenho fé em Deus que um dia voltaremos a nos encontrar.

SONOPLASTIA OFF

CORTA PARA

CENA 11. CASA DE NENÊ. INT. SALA DE ESTAR. DIA.

Nathalia chega em casa acompanhada de Jayme e se senta no sofá olhando para uma foto de Nenê que se encontra na mesinha ao lado do sofá, ela fixa o olhar por alguns segundos na foto até que Jayme se senta ao seu lado.

NATHALIA – Quando meus pais morreram eu ainda era uma criança e não entendia bem o que estava acontecendo, então eu não sofri tanto quanto estou sofrendo agora. A perda da minha madrinha é a maior dor que eu já sentir em toda a minha vida.

JAYME – Essa dor que você está sentindo eu também já sentir quando perdi a minha esposa e o meu filho, perder quem a gente ama é sempre doloroso.

JAYME – Eu não sou a pessoa mais adequada para falar isso, você bem sabe o quanto sofro até hoje com a minha perda, mas você tem que ser forte, por essa criança que está para vim ao mundo. Ela precisa de você.

Nathalia passa a mão em sua barriga e sorrir.

NATHALIA – É ela que me conforta, sem ela minha vida não faria o menor sentido. O Humberto foi embora e nunca mais deu notícias, e agora a minha madrinha parte para sempre. Tá tudo muito difícil.

JAYME – Você sabe que pode contar comigo para o que precisar.

NATHALIA – Você tem sido muito bom comigo Jayme, eu nunca vou esquecer do que você tem feito por mim, todo seu apoio e toda a sua amizade.

JAYME – Quero fazer muito mais, por isso eu gostaria de te pedir que fosse morar comigo lá em casa com a minha família. Eu quero que a sua filha cresça lá em casa como se fosse minha filha, eu quero ser o pai que ela não vai ter, e eu quero te ajudar a cuidar dessa criança e te ajudar a achar seu lugar no mundo.

Nathalia fica pensativa por um instante.

JAYME – Você aceita?

NATHALIA – Jayme...

JAYME – Veja bem, eu não estou te pedindo para eu e você termos algo além de amizade. Quero apenas ser seu amigo, mas gostaria que você e a sua filha fizessem parte da minha vida.

NATHALIA – É uma decisão muito importante, eu acabei de perder minha madrinha, preciso de um tempo para pensar.

JAYME – O tempo que você quiser, mas pense bem, vai ser bom para você e para sua filha.

NATHALIA – Eu vou pensar.

CORTA PARA

CENA 12. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. EXT. PISCINA. DIA.

Alexandre chega na piscina e encontra Renata deitada na espreguiçadeira tomando sol, ele a cumprimenta com um beijo e se senta ao seu lado.

RENATA – Como foram as coisas na fábrica?

ALEXANDRE – Os prejuízos estão sendo estimados, mas pelo que está sendo calculado o prejuízo foi muito grande. Amanhã vai ter uma reunião com o Jayme e os diretores para tratar da situação.

RENATA – O Jayme saiu novamente pela manhã, parece que ia ao enterro de uma amiga, mas também não disse de que amiga se trata.

ALEXANDRE – Foi até bom ele não estar tão presente em meio a esses acontecimentos. Ainda não chegaram a uma conclusão final, mas tudo indica que o incêndio iniciou por conta de um curto circuito no sistema de ar condicionado.

RENATA – Isso é grave Alexandre, podem chegar até vocês, já que o sistema de ar condicionado foi trocado recentemente.

ALEXANDRE – Eu sei, eu sei! Mas o Reginaldo pagou muito bem pelo silêncio do técnico que fez a instalação dos aparelhos de ar condicionado, ele não vai abrir a boca.

RENATA – Ele não vai abrir a boca agora, mas se a polícia chegar até ele, vai se sentir pressionado e é bem capaz de entregar tudo.

ALEXANDRE – Você tem razão, preciso pensar no que fazer.

RENATA – É muito simples, você vai dar mais dinheiro para esse técnico de ar condicionado, mas dinheiro suficiente para ele sumir do mapa.

CORTA PARA

CENA 13 . FÁBRICA CASTRO COSMÉTICOS. INT. SALA DE ALEXANDRE. DIA.

Reginaldo entra na sala e encontra Alexandre sentado.

REGINALDO – Mandou me chamar?

Alexandre pega um envelope cheio de dinheiro e entrega a Reginaldo.

ALEXANRE – Pega esse dinheiro, encontre o técnico que fez a instalação do ar condicionado e manda ele sumir do mapa.

REGINALDO – Alguma novidade com relação ao incêndio?

ALEXANDRE – Ainda não, mas vão chegar nele. E se chegarem nele, ele vai abrir o bico e vai respingar na gente.

REGINALDO – Eu vou atrás dele agora mesmo.

CORTA PARA

CENA 14. RIO DE JANEIRO. DIA.

SONOPLASTIA: DEZEMBROS – RAIMUNDO FAGNER

Abre uma imagem aérea da cidade do Rio de Janeiro ao dia e a noite mostrando vários pontos da cidade como a avenida atlântica, o pão de açúcar, o corcovado e o forte de copacabana.

LEGENDA: DIAS DEPOIS

CORTA PARA

CENA 15. CASA DE NENÊ. INT. QUARTO DE NENÊ. DIA.

SONOPLASTIA: DEZEMBROS – RAIMUNDO FAGNER

Nathalia está deitada na cama de Nenê abraçada a um travesseiro e segurando um porta retrato onde há uma foto sua com Nenê. O momento é interrompido pelo som da campainha, Nathalia se levanta para atender a porta.

SONOPLASTIA OFF

CORTA PARA

CENA 16. CASA DE NENÊ. INT. SALA DE ESTAR. DIA.

Nathalia abre a porta da Casa e ver que se trata de Jayme.

JAYME – Posso entrar?

NATHALIA – É claro que pode.

Jayme entra e se dirige até onde está o sofá,

JAYME – Vim saber como você está.

NATHALIA – Esses dias foram bem melhores que os primeiros, eu estou bem mais consolada.

JAYME – Os primeiros dias são sempre os piores, mas essa dor vai passar e no lugar dela vai restar só a saudade.

NATHALIA – Acho que está aqui torna tudo mais difícil.

JAYME – Você pensou sobre a minha proposta de ir morar lá em casa?

NATHALIA – Eu aceito morar na sua casa.

Jayme sorrir.

CORTA PARA

CENA 17. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. SALA DE JANTAR. DIA.

Renata e Alexandre estão sentados à mesa enquanto Adélia e a outra empregada serve a mesa.

RENATA – O cheiro deste peixe está maravilhoso.

ADÉLIA – Eu preparei do jeitinho que a senhora mais o seu Alexandre gostam.

Jayme entra na sala de jantar acompanhado de Nathalia que carrega uma mala, assim que eles entram na sala, todos param para observá-los.

JAYME – Boa tarde a todos, essa é a Nathalia, vocês devem se lembrar dela porque ela trabalhou um tempo nesta casa ajudando a Adélia.

NATHALIA – (envergonhada) Boa tarde.

JAYME – A Nathalia perdeu a madrinha dela recentemente, e eu a convidei para morar conosco, ela é uma grande amiga minha e e vai viver aqui nesta casa como parte da família.

Renata, Alexandre e Adélia se mostram surpresos com a fala de Jayme.

CONGELAMENTO EM JAYME.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.