Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Força de Um Sonho - Antepenúltimo Capítulo (Reprise)

  

Cena 1/ Presidio Feminino / Exterior / Manhã/

Janaina sai do presidio e observa tudo ao seu redor, em seguida eleva as maos para o céu e começa a agradecer. 

Janaina ( Com as mãos para o alto ) - Obrigada meu Deus, por ter me dado forças, muito obrigada...

Enquanto ela agradece,aparecem André, Wesley e Leonor. Carregando flores, André vai em sua direção. 

André - Estava te esperando.

Janaina e André se beijam.


Leonor ( Com lágrimas nos olhos ) - Filha.. Não sabe como ficamos preocupadas nesse tempo...
Wesley - Mas está tudo sob controle. A justiça venceu e agora está solta, com a gente.
JanIna - Nesse momento o que eu mais desejo é ir para minha casa, desfrutar da minha familia... Foram semanas muito difíceis.
André ( Sorrindo ) - Então vamos todos juntos para casa.

Cena 2 / Rocinha / Interior / Manhã /

A idosa, de nome Severina, continua a filmar o trafico na Rocinha. Dessa vez, ela coloca a câmera em uma posição estratégica, a fim de filmar Jadson. 


Jadson ( Com um cigarro em mãos ) - Preciso que me consiga um carregamento de armas para nós. Vocês precisam trazer de todos os tipos.
Traficante 1 -Quer também que traga algum outro bagulho? Sabe ...Para as vendas.
Jadson - Ah, sim... Claro. Podem me trazer uma caixa com o bagulho. Cês tem que tomar cuidado para eu não ir para a jaula. Por isso faço esse pedido. É melhor prevenir que remediar.
Traficante 2 - E aquele carinha policial? Ele também pode conseguir pra gente.
Jadson ( Jogando o cigarro no chão ) - Não... Ele está no Batalhão e não posso arriscar ele, vamos nós dois pra jaula. Ele é para os negócios mais importantes, lucrativos. ( T). As operações policiais já estão a cargo dele, na próxima ele vai me ajudar a fugir.
Traficante 1 - Ah... Tá ligado então...

***

Severina - Isso... Todos esses traficantes estão sendo filmados por mim... Logo logo vai estar todo mundo preso.




Cena 3/ Vidigal / Casa de Leonor / Interior /  Sala / Manhã / 


Janaina está reunida com sua familia e seu namorado Andre, comemorando a sua soltura.

Janaína ( Sorridente ) - Ai... Como é bom estar de volta aqui em casa... Senti falta de tudo, minha familia, liberdade, os livros, meu namorado...
André ( Acariciando - a ) - Eu estava disposto a te esperar nem que fosse por 15 anos, não iria te deixar e te abandonar.
Leonor - Eu não descansei enquanto você não fosse solta, eu e a Elaine lutamos para colher provas e orei todos os dias para que nada acontecesse com você.
Janaina ( Destemida ) - Eu estava disposta à tudo para defender a minha integridade, até mesmo enfrentar todas as presas que pudesse, e sem nenhum medo. Nenhuma delas me amedrontou, pelo contrário, me dava forças. 
André ( Aplaudindo ) - Arrasou amor... Tenho uma namorada muito culta. ( T ) Eu mesmo não sei como agiria se estivesse num lugar como esse...
Wesley - Mas André... Voce é branco... E tudo sempre recai sobre o negro. ( T) Igual o caso do filho da desembargadora. É da Zona Sul, nem foi preso. O cara que matou aquele senhor na estrada, 1 ano de cadeia. Mas se fosse um negro , pobre, tudo seria diferente, seria cadeia na hora.
André - Essa é uma verdade. Infelizmente a lei não é igual para todos.
Janaina - Eu só queria saber quem foi o culpado que me fez ser presa, para ver na cadeia. Isso também se pegarem.
Leonor - Verdade filha... Mas a justiça divina já foi feita e voce está aqui com a gente.
Janaina - Sabe o que estou sentindo falta? De tomar aquele banho bem gelado, farei isso agora.
Leonor ( Sorrindo ) - Esta certo filha...

Janaina se levanta e vai em direção ao banheiro.


Cena 4/ Copacabana / Casa de Douglas / Manhã/


Apos tomar o café da manhã, Gael começa a arrumar suas roupas, Douglas entra e vê.

Douglas ( Dando risada ) - Ué Gael? Decidiu arrumar tuas coisas? Cê nunca arrumava nada.
Gael - Eu decidi voltar a morar com os meus pais, voltar para a casa deles.
Douglas ( Rindo mais alto ) - Como assim voltar pra casa? Cê já tava acostumado a morar aqui, tem sua liberdade, faz o que quer... Tudo justamente como queria.
Gael ( Pensativo ) - Eu sei que errei, fui muito sacana... Quase fiz meu pai perder o emprego, por vingança, comecei a me drogar, estive em arrastão, quase fui preso... Tudo isso me fez ver que estou no caminho errado. Quando morava com os meus pais, tinha tudo, mas não valorizei. Não trabalho nem estudo. Minha vida esta de pernas pro ar.
Douglas. - Só sei que eu não ligo pra nada disso. Quero mais é curtir, tomar minha cerva, fumar meu baseado, e f*** se a integridade. Não quero parar no tempo por causa de regrinhas bestas . Tem muita coisa que quero fazer ainda.
Gael - Douglas, Douglas... Você não entendeu... Eu quero voltar para minha vida de antes... Se quiser eu te ajudo...
Douglas ( Debochado ) - Tá, Madalena arrependida. Tô indo comprar um baseadinho. Quer um?
Gael - Não, obrigado.

Gael volta para a arrumação, enquanto Douglas sai de casa. 

Cena 5/ Delegacia / Interior / Tarde/

Severina vai até a delegacia com fitas com as gravações que fez na Rocinha.  Ela as entrega dentro de um saco preto.

Severina - Essas gravações são um diário de toda a movimentação que acontecia na Rocinha, permaneci meses gravando tudo isso.
Policial ( Surpreso ) - Mas como conseguiu todas essas evidências?
Severina - Fitas e mais fitas. Instalei em uma posição estratégica que ninguém visse, aí fui guardando tudo para quando chegasse a hora certa, entregar. Tem coisas que vocês mesmos deveriam saber. (Apontando para aa fitas ) . Aqui tem todo o dossiê que vocês precisam...
Policial ( Curioso ) - O que levou a senhora a tomar essa atitude?
Severina - Eu estava cansada de tanta injustiça, tantas mortes, tráficos, ameaças, e a policia não conseguindo combater como deveria. O Brasil  está no meio de uma crise, e a violência só aumenta, principalmente na comunidade. O morro tem sido palco de tanta morte triste...
Policial ( Organizando as fitas ) - Essas provas ficarão guardadas aqui como meio de iniciarmos novas investigações, elas são mais do que concretas. E a senhora terá a nossa proteção.
Severina - Eu irei sair da cidade, mudarei para outro lugar que esteja mais segura. A minha jornada aqui se encerrou, e espero que a justiça seja feita.

Em seguida, Severina vai embora, enquanto os policiais guardam as fitas. 

Cena 6/ UFF / Noite / 

Após a soltura, Janaina está de volta à aula, e leva um presente para Elaine. 

Janaina ( Com uma sacola em mãos ) - Como forma desse agradecimento, esse presente é para voce.
Elaine ( Sorrindo ) - Obrigada Janaina... A sua liberdade me faz feliz... Lutei e lutei para ver você sair da cadeia, agi de inúmeras formas para que não acontecesse mais uma injustiça.
Janaina ( Emocionada ) - E eu só tenho agradecer. Se nao fosse você, eu estaria ainda na cadeia, ou até mesmo em um julgamento, o que seria complicado, por eu ser negra. ( T) Mas eu não tive medos, pois eu procurei me manter forte, como toda mulher negra, até mesmo com as outras presidiárias.
Elaine - A maior porcentagem na cadeia é de negros , tudo por causa das desigualdades sociais,  essas são um grande problema na sociedade. Muitos negros, desde a Escravidão, vivem à margem da sociedade, tudo por causa da falta de investimentos.
Janaina - Com toda certeza. E quando eu me formar, vou ser como você, essa grande advogada,  que irei lutar por justiça. 
Elaine - E sabe o que é melhor? Acompanhar os novos conteúdos... E os que você perdeu, eu peguei para você.
Janaina - Muito obrigada... ( Sente uma tontura ) Ai nossa...
Elaine ( Preocupada ,) - O que foi?
Janaina - Eu senti um enjôo... Vou me sentar...

Cena 7/ Rocinha / Interior / Noite/ 


Douglas vai até a Rocinha a fim de comprar drogas. Ele vai bem despojado, inclusive com um celular no bolso. Enquanto ele sobe o morro, dois homens o abordam. 

Homem 1 - Vem aqui seu traidor, cê tá ferrado!
Homem 2 - Ladrão, cê tá devendo pra gente , 171!
Douglas ( Desesperado ) - Me soltem, eu vou pagar!
Homem 1 - O Jadson precisa do dinheiro, seu safado,  cê vem com a gente seu chincheiro!
Douglas - Eu sou tao chincheiro quanto vocês. Podem me soltar?
Homem 1 ( Com uma arma em punho ) - Você vem com a gente, e fica quieto senão estouro seus miolos.

Em seguida Douglas leva uma coronhada e desmaia, depois os homens o carregam pelo morro, sem se preocupar com nada. Ele é levado para a casa de Jadson. Ao chegar lá os homens entregam Douglas para Jadson. 

Jadson ( Com um baseado em mãos ) - Ah... O devedor da vez... Pobre loirinho que vai ser morto...( T) Vamo galera, preparem tudo para mais uma morte!


Cena 8/ Ipanema / Casa de Marcelo e Wanda / Sala / Noite / 

Marcelo e Wanda conversam em casa, quando alguem bate à porta. É Gael. 

Wanda ( Surpresa ) - Filho? Como vai?
Marcelo ( Surpreso ) - E essas malas?
Gael ( Entrando em casa ) - É sobre isso mesmo que eu quero falar, é que eu decidi que irei morar com vocês, aqui em casa, novamente.
Marcelo - Era o que estávamos aguardando. Principalmente que você se aproximou por causa daquela confusão com a garota que estava saindo.
Gael - E é por isso mesmo. Eu quase fui preso, tive que ficar dando depoimento, tudo quando estava na casa do meu amigo Douglas. Comecei até a usar drogas na casa dele.
Wanda - Mas por que você entrou para as drogas?
Gael - Influência. Lá na casa dele não tinha regras. Era ele e a mãe, sendo que a mãe nem tinha voz com ele. ( T). Cheguei até a presenciar um homicídio, vi o Douglas matar um senhor na estrada.
Marcelo ( Surpreso ) - Você estava morando com um assassino?
Gael ( Arrependido ) - Sim, eu presenciei o Douglas cumprir a pena dele em casa... Agora decidi que pretendo viver a minha vida de antes, que não dei valor...

Nesse momento, André chega 

André - Gael? Quanto tempo, cara!
Gael ( Sorrindo ) - 1 ano longe...

Os dois se abraçam. 

Gael - Eu decidi que voltarei a morar aqui, ter a vida que eu tinha.
André - Que bom Gael, sabe que tem o apoio do seu irmão.

Wanda - E Gael, o que esta esperando para ir para o seu quarto? Se quarto está arrumado.
Gael - Vou levar as malas para lá... Quero arrumar tudo o mais rápido possível.

Marcelo ( Sorrindo para Wanda ) - O bom filho a casa torna.
Wanda ( Refletindo ) - Volta e sempre volta arrependido...

Cena 9/ Ipanema / Casa de Paula / Interior / Quarto de Paula / Noite / 

Paula está sozinha em seu quarto, assistindo Netflix, quando começa a pensar em suas amigas. 

Paula ( Digitando no computador ) - Pelo amor de Deus! Pago Netflix todo mês para não ter as séries que eu quero... Tudo porcaria. ( T ). Preciso sair para me divertir, cansei. do Netflix.

Paula pega o celular e pesquisa os contatos, ela decide ligar para Daniela.

Ligação on

Paula - Oi Dani, amiga ... Como esta?
Daniela - Oi Paula, vou bem.
Paula - Olha, vai ter um baile muito legal e pensei em irmos juntas, que tal? Eu estou sozinha no momento, e já vi minhas séries.
Daniela - Como vou saber se você não vai humilhar alguem quando estivermos juntas? Voce é mestre nisso.
Paula ( Cinica ) - Humilhar? Eu nunca humilhei  ninguém, eu apenas falo a verdade. Não tenho culpa se as pessoas se ofendem.
Daniela - Fala a verdade? Você humilhou o Wesley, por isso quero me afastar um pouco de você, ficar com gente educada 
Paula (Mantendo o cinismo) - Mas eu sou sua amiga... Vai me deixar sozinha?
Daniela ( Irritada ) - Vou, para você aprender a não humilhar as pessoas. Adeus! 

Ligação off

Paula ( Com o celular em mãos ) - Eu hein? O que deu nessa garota... ( T) Vou voltar pras minhas séries... Não preciso de ninguém comigo. 


Cena 10/ Subúrbio / Restaurante / Manhã /

André e Janaina estão juntos num restaurante, curtindo um momento juntos.

André ( Cortando uma massa ) - Não sabe  como me faz feliz em ver você aqui junto , comigo... Depois dessas semanas turbulenta.
Janaina ( Com um copo em mãos )- No primeiro momento, eu queria era sair o mais rápido possível, mas depois eu pedi força para suportar tudo, e parece que isso me deixou cada vez mais forte.
André - E... Além disso, o meu irmão Gael voltou para casa.
Janaina (Surpresa) - Sério?Ele já tinha saído há um tempo de casa.
André - Ele decidiu voltar porque aconteceram umas coisas que o incomodaram, muitos erros... Mas agora parece que colocou a cabeça no lugar.
Janaina - A mudança sempre é bem vinda. Mas, infelizmente algumas pessoas não mudam.
André - Uma pena... Os erros servem para ensinar, e se não aprende, a vida corre risco...
Janaina - Mas a mudança não vem sempre com erros... No tempo que fiquei presa, eu. vi que deveria me entregar mais aos meus objetivos, e é isso que eu farei.
André ( Segurando a mão de Janaina ) - Eu seria capaz de te esperar 15, 20 anos... Eu te amo.
Nesse momento Janaina sente uma tontura.
André - Tudo bem?
Janaina - Estou bem, só uma tontura... Vou ao banheiro.

Janaina se levanta em direção ao banheiro, mas acaba desmaiando. Varias pessoas observam e se reúnem.
André ( Assustado ) - Janaina! Vamos ao medico.

As pessoas reunidas observam André sair com Janaina nos braços e em seguida voltam para suas mesas. 

Cena 11/ Batalhão da Policia Militar / Interior / Manhã/ 

Juliano chega para mais um dia de trabalho no Batalhão da Polícia militar, quando ele é abordado. 

Juliano ( Sarcástico ) - Cheguei! Tarde mais cheguei.
Delegado - É com você mesmo que eu queria falar... Por um acaso você tem relações com traficantes?
Juliano ( Cínico ) - Eu? Como assim?! A minha única relação com os traficantes é para prendê-los. Se trabalho aqui com vocês é porque quero lutar contra o crime.

Ouvindo o cinismo de Juliano, o delegado pega uma das fitas com as gravações.
 
Delegado ( Mostrando a fita ) - Essa fita aqui... Mostra que você, em inúmeras vezes foi até a Rocinha para se comunicar com traficantes, incluindo um dos mais perigosos, o Jadson.
Juliano - E eu nao posso ter amigos traficantes?
Delegado - Amigos, amigos... Você mantem contatos com o Jadson, isso está contido na fita.

Flashback on


Cena 5/ Rocinha / Casa de Jadson/ Interior / Manhã/ 

Juliano está na casa de Jadson, eles conversam sobre os últimos acontecimentos. 

Jadson ( Com um baseado em mãos ) - Tu tem sido de grande ajuda... Olha as armas que eu tenho...
Juliano - É... Mas o chefe do batalhão ficou desconfiando de mim, e ate ne interrogou. Só que fui mais esperto e não contei nada. Não queria perder meu emprego e a aliança com você. 
Jadson ( Soprando a fumaça ) - Você é a ponte entre mim e a polícia. E não tô a fim de parar no xilindró, já quase fui uma vez. 
Juliano - A única que sabe dos meus trabalhos é a Paula , minha namorada... Que só contei porque ela está aliada a mim e sei que não me trairia. Até temos objetivos em comum. Amantes... Cúmplices... ( T) A propósito... Você tem um saco com drogas? Estou precisando.
Jadson - Hum... Tenho sim. É para você ou para vender? 
Juliano - É para mim, por enquanto... Ou então vou ver o que farei... Mas tudo no controle. 
Jadson ( Arrumando um envelope ) - Certo. E toma aqui 5 mil reais de propina para te ajudar, dinheiro não falta. 
Juliano ( Cumprimentando Jadson ) Muito obrigado... Estou indo para não dar pista. Até me escondi um pouco. 


Flashback off

Juliano ( Desconcertado) - E.. eu.. Eu posso explicar.
Delegado - Explicar você vai fora daqui, porque está demitido!
Juliano ( Cínico ) - Demitido? Por isso?
Delegado - Sim. Pegue suas coisas e vá embora, esta expulso da Corporação.

Juliano vai em direção à porta e vai embora, sem antes soltar uma última fala.

Juliano ( Debochado ) - Adeus policiais de nada...

Cena 12/ Subúrbio / Hospital / Tarde / 

Janaina está na emergência do Hospital e é submetida â exames, enquanto André fica à espera. Então, o medico aparece com notícias. 


André ( Ansioso ) - E então doutor, como está a minha namorada?
Janaina - Por que estou com esses enjôos?
Medico - Bem... Eu gostaria de informar que você está gravida de 6 semanas.
Janaina ( Com lagrimas nos olhos ) - Meu Deus, eu vou ser mãe!
André ( Emocionado ) - Vamos ter um filho! Enfim irei ser pai!
Médico - A gestação ainda tem pouco tempo, mas está tudo indo perfeitamente bem. Já fizemos vários exames e todos eles confirmam a gravidez.
Janaina - Depois de semanas tão turbulentas, receber uma notícia dessas é maravilhoso. Um filho é uma dádiva dos céus.
André - Isso quer dizer que... Você ficou grávida naquela noite que estivemos juntos...
Janaina ( Sorrindo ) - Sim... A ultima antes da prisão... Creio que isso foi um sinal, talvez esse acontecimento tenha sido tão injusto que fui presenteada com essa notícia da minha gravidez... Mal posso esperar para contar para minha familia...
André ( Sorrindo ) - Essa é a melhor notícia que poderia dar... A sua gravidez. ( T). Mas só poderemos quando voce for liberada daqui...
Médico - Sei que vocês estão felizes e não vou deixar vocês mais tempo aqui, já estão liberados.

Janaina se levanta da cama e os dois se beijam. Em seguida saem do hospital rumo à casa de Janaina.

Cena 13/ Ipanema / Casa de Marcelo e Wanda / Interior / Sala / Tarde / 

Já na casa dos pais, Gael sai do quarto após um período de descanso. Ele se reúne na sala com os pais. 

Gael ( Espreguiçando - se ) - Boa tarde pais...
Marcelo - Descansou bem, hein filho?
Wanda ( Sorrindo ) - É... Acabou de almoçar e já foi para a cama... Nem lanchou nem nada.
Gael - Estava sentindo falta da minha cama... 1 ano dormindo numa beliche que nem era minha. Eu tinha um companheiro de quarto, mas não é o mesmo que a minha liberdade. Aqui eu sinto que estou bem, sem vícios, exageros...
Wanda - E você teve a chance de mudar, infelizmente muitos filhos nunca mudam. Ou quando mudam, já é tarde demais.
Marcelo - Chegamos a pensar termos errado na sua criação, mas percebemos que não, era apenas um pensamento rebelde.
Gael - E desde quando eu saí, nem contato com o Douglas eu tive... Saí de lá e vim para cá.

Nesse momento o celular toca. 

Ligação on

Irene - Alô, Gael?
Gael - Oi Irene, o que foi?
Irene - É que eu não sei nada do Douglas, ele está com você?
Gael - Não... Eu estou em casa, ele deve ter dado uma volta.
Irene - Desde ontem que ele não vem para casa, estou preocupada.
Gael - Com certeza ele vai voltar... Ele é meio doido às vezes.
Irene - Eu espero, Gael...

Ligação off

Gael - Ai meu pai, esse Douglas só arruma problema...

Em seguida, Gael senta no sofá com os pais.

Cena 14/ Vidigal / Casa de Leonor / Interior / Tarde/

Após deixarem o hospital, Andre  chega à casa de Leonor com Janaina, mostrando estar bem contentes.

Leonor ( Recebendo - os ) - Vocês demoraram! Como estão?
Janaina ( Sorrindo ) - Melhores impossíveis.... Temos uma ótima noticia para dar para todos.
André ( Colocando a mão na barriga de Janaina ) - É que... Nós vamos ter um filho!
Leonor ( Emocionada ) - Eu vou ser avó?
Janaina ( Sorrindo ) - Vai sim mamãe, está já a caminho.
Wesley ( Brincando ) - Mal posso esperar para ver o meu sobrinho, ser chamado de Títio Wesley...
André - Essa notícia nos encheu de alegria. Tentaram nos separar e apagar o nosso amor, e agora vamos ter um filho... o qual iremos amar bastante.
Janaina - Sempre foi o meu sonho ser mãe, e nada melhor do que com o amor da minha vida. ( Olhando para André )
Leonor - Se o Augusto estivesse vivo, estaria radiante com essa notícia... Ele sempre prezava pela família e sempre desejou vê-la crescer.
Wesley - Verdade, mas creio que lá de cima ele está orando por nós e imensamente feliz por todos...

André - No meio de toda essa felicidade, tem mais uma coisa que preciso fazer...
André se ajoelha em frente à Janaina.
André - Janaina, você aceita casar comigo?
Janaina ( Emocionada ) - É claro que eu aceito...

Os dois se beijam.

Leonor ( Sorrindo ) - E eu abençoo a relação.
André ( Sorrindo para Janaina ) - A nossa felicidade só aumenta...

Cena 15/ Ipanema / Casa de Paula / Interior / Tarde/

Paula está assistindo TV enquanto alguem bate insistentemente em sua porta. É Juliano.

Paula ( Recebendo - o ) - Nossa Juliano, o que houve para bater com tanta insistência?
Juliano ( Irritado ) - Tô p*** da vida, fui demitido do Batalhão.
Paula ( Surpresa ) - Como assim foi demitido?
Juliano - Quer dizer que me expulsaram. Alguem entregou umas gravações, e nela estava aparecendo os negócios que eu tinha com o Jadson. Conversas e tudo mais... Agora estou sem emprego e com um risco grande de parar  na cadeia, se descobrirem que também sou traficante.
Paula ( Assustada ) - Isso quer dizer que... Vão descobrir que você comprou as drogas que incriminaram a Janaina, com certeza devem ter apreendido. Se for isso... Eu também estarei ferrada.
Juliano ( Irritado ) - Voce não, eu. Voce não tem nada que incrimine que te culpe, já eu tenho. Fora que sou cúmplice do Jadson, como eu disse. Só nos resta fugir.
Paula - Fugir para onde?
Juliano - Não sei. Eu tenho um tanque cheio, armas e dinheiro, uma combinação perfeita para uma fuga. Nem que a gente fuja para outro estado, mas por enquanto temos que nos precaver.
Paula ( Maquiavélica ) - Eu não fujo antes de acabar com a raça daquela nojenta da Janaina e do Andre... Ai que ódio deles!
Juliano ( Sorrindo ) - Tô contigo e não abro. Logo logo tudo se encaixará...
Paula - Me beija logo então.

Paula e Juliano começam a se beijar.

Cena 16/Rocinha / Interior / Casa de Jadson / Noite /

Douglas está amarrado à uma cadeira, inconsciente. Jadson pega um copo de água e joga na cara dele.


Douglas ( Assustado ) - Que é isso , cara?
Jadson ( Com uma arma em mãos ) - É para você acordar. Te coloquei pra dormir e agora te acordei. Hahaha.
Douglas - E eu vou ficar aqui amarrado? Me solta!
Bruno ( p/Jadson ) - Quer que eu pegue algo?
Jadson - Uma tesoura, para cortar esse cabelo de uma vez.
Bruno - Está aqui.

Bruno amordaça Douglas, enquanto Jadson corta o cabelo do rapaz sem se sensibilizar com os gritos. Em seguida, Jadson prepara um fuzil e o carrega de munições, apontando para Douglas.

Jadson ( Cínico ) - Ah... Que morte triste... Estava tao bonito com aquele cabelo, e agora destruído... Hahaha. Quer dar uma ultima palavra para alguem que você ama? Mãe, namorada... Eu deixo. Uma despedida tão singela para alguem que vai para o Inferno.
Douglas ( Desesperado ) - Eu quero que você me solte daqui! Essas cordas estão me machucando.
Jadson ( Apontando o fuzil para Douglas ) - Goodbye, blonde guy...
Em seguida  Jadson atira no peito de Douglas.  Maquiavélico, Jadson pede para desovarem o corpo.

Traficante 1 - Onde colocamos o morto?
Jadson - Num lugar qualquer, numa praia.
Traficante 2 - Esta certo, vamos preparar um saco.
Jadson - Mas agora não... Espera um pouco, para não deixar pistas...

Jadson observa o corpo ensanguentado de Douglas, e o empurra com o pé.
Jadson - É assim que a gente faz.

Dias depois...

Cena 17/ Copacabana / Rua / Manhã /

Policiais fazem uma patrulha pelas ruas, em busca da segurança das pessoas no calçadão , quando vêem um saco plástico aparentemente lacrado.

Policial 1 - Aqueles sacos ali, será que a Comlurb não tirou?
Policial 2 - A gente precisa investigar também o caso do rapaz que desapareceu, tem dias que não é encontrado.
Policial 1 - Então vamos observar mais nesses entulhos que estão aqui.

Os policiais abrem o saco e encontram o corpo de Douglas, aparentemente em decomposição. Eles decidem levar para o IML, sem antes avisar à Irene.

Ligação on


Policial - Alô, é da casa do Douglas?
Irene - É sim, sou a mãe dele. Encontraram o meu filho?
Policial ( Com ar triste ) - Encontramos sim, encontramos o corpo do Douglas, lamentavelmente.
Irene ( Desesperada ) - O ... corpo? Meu filho morreu?
Policial - Sim, não queria dar essa notícia, ele foi encontrado próximo à praia de Copacabana, provavelmente foi morto a tiros.
Irene ( Desesperada ) - Nããããão!

Em seguida ela desliga.

Ligação off

Policial ( observando o corpo ) - Pobre rapaz... Um triste fim para quem tinha a vida pela frente...

Cena 18/Subúrbio / Juizado/ Noite /


Ivana está  na frente de um juiz, à espera do veredito . Ela se mostra ansiosa enquanto o juiz abre o envelope.

Ivana ( Preocupada ) - E aí? Qual foi o veredito?
Juiz ( Olhando para Ivana ) - Ivana, voce é considerada culpada do crime de estelionato , tipificado no Artigo 171, porem, por ser ré primária, com base no Artigo 155 , é condenada a cumprir uma pena de 10 meses de serviço comunitário.
Ivana - 10 meses trabalhando?
Juiz - Sim, e agradeça por não ter ido presa.

Ivana ( Pensativa ) - Tudo dando errado...


Cena 19/Ipanema  / Joalheria / Interior / Manhã /

André e Janaina estão em uma joalheria à procura de aliancas. Eles procuram vários modelos, até que aparece um vendedor, chamado Paulo Henrique.

Paulo Henrique - Bom dia, posso ajudar vocês?
André - Eu e minha noiva Janaina queremos comprar alianças para o nosso casamento, os preços aqui estão ótimos.
Paulo Henrique - Ai mona... Vou ajudar vocês a acharem umas lacradoras, vou pegar o catalogo.
Andre e Janaina começam a observar a lista de aliança e se encantam pelos modelos.

Janaina ( Sorrindo ) - Tem cada modelo lindo...
André - Nossa cerimônia vai ser inesquecível, estamos apaixonados...
Paulo Henrique - Assim que tiverem a decisão, podem avisar.
André-  Vamos querer essa com espessura maior.
Paulo Henrique - Essa é babado.
Janaina - Só efetuar o pagamento?
Andre ( Sorrindo ) - Eu pagarei tudo...

Enquanto Andre efetua o pagamento, Paula os observa.

Paula ( Com ódio ) - Malditos!

GANCHO

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.