Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capítulo 05

 

TERRA DO SOL (太陽の国) �� CAPÍTULO 5

Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs

CENA 1: EXTERIOR. SANTUÁRIO TSURUGAOKA. PONTE LATERAL. DIA

KEIKO E LUCAS CONTINUAM SE OLHANDO. RYU VAI SE APROXIMANDO

AOS POUCOS DE KEIKO QUE VAI FICANDO CADA VEZ MAIS NERVOSA.

SEM PENSAR DUAS VEZES LUCAS FICA NA FRENTE DE KEIKO E ENCARA

RYU SEM NENHUM MEDO OU RECEIO.

RYU (apontando a arma): - Isso não tem nada haver com você, Gaijin. Eu

te aconselho a ir embora e não olhar para trás. Você não conhece ela, e

está disposto a sacrificar a sua vida por uma desconhecida?

LUCAS (sério): - Se você quer pegar ela vai ter que passar por cima de

mim primeiro. (T) Não me importa se eu não conheço ela. O certo é certo

mesmo que ninguém esteja vendo, e é nisso que eu acredito.

KEIKO: - Vá embora de uma vez, e nunca mais ouse aparecer na minha

frente. E diga a sua patroa que ela vai ter muita coisa que se explicar.

RYU VAI SAINDO E DEIXANDO KEIKO NA COMPANHIA DE LUCAS. LOGO

DEPOIS KEIKO CONSEGUE RESPIRAR ALIVIADA E ELA SORRI.

KEIKO (respirando aliviada): - Eu não sei como te agradecer pelo o que

você acabou de fazer por mim. Mas agora eu preciso ir embora.

LUCAS (cordial): - Me deixe te acompanhar até a sua casa. Eu não quero

que aquele homem tente qualquer coisa contra você. Eu te peço isso.

KEIKO: - Não é necessário. Você já fez mais que o suficiente. Se não fosse

por você eu não sei o que teria me acontecido.

LUCAS: - Eu faço questão. Por favor…. Não me tire esse privilégio.

KEIKO FICA SEM PALAVRAS. ELA E LUCAS COMEÇAM A CAMINHAR UM AO

LADO DO OUTRO. DE LONGE RYU OBSERVA A CENA COM RAIVA.

����


�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 2: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS -CIPRIATIS. SALA DE

ESTAR. NOITE

A CÂMERA MOSTRA QUE AS LUZES DO AMBIENTE ESTÃO APAGADAS.

CELSO VEM ADENTRANDO NA MANSÃO TOTALMENTE EM SILÊNCIO.

NESSE MOMENTO AS LUZES SE ACENDEM E ESTELA VEM CAMINHANDO

NA DIREÇÃO DO VILÃO QUE FICA PARADO SEM REAÇÃO.

ESTELA (nervosa): - Eu posso saber onde é que você estava a noite toda,

Celso? Esqueceu que dia é hoje não é? Eu cometi muitos erros na minha

vida, mas de todos trocar o amor do meu filho pelo seu foi o pior.

CELSO (sarcástico): - Deixe de ser tão sentimental, Estela. Nós somos

casados, mas eu não devo satisfação da minha vida para você. Eu faço o

que eu quero e você não tem nenhum poder sobre mim.

ESTELA: - Finalmente você está deixando a máscara cair. Onde está aquele

homem cavalheiro com quem eu me casei? Você não é nada que eu pensei

que fosse. Eu só lamento não ter dado ouvidos ao meu filho antes.

ESTELA DÁ AS COSTAS PARA CELSO, MAS O VILÃO A SEGURA PELO

BRAÇO. SEM PENSAR DUAS VEZES ESTELA DÁ UM TAPA NA CARA SE

CELSO QUE LEVA A MÃO AO ROSTO COM CERTA FRIEZA.

ESTELA (séria): - Nunca mais ouse encostar essa mão nojenta em mim. Eu

tenho nojo de ser casada com um homem como você. Eu quero o divórcio.

CELSO (sorrindo): - E você acha mesmo que eu vou permitir isso, Estela?

Se você acha mesmo que vai se livrar de mim pode esquecer. Eu não darei

o divórcio a você de forma nenhuma.

ESTELA: - Isso é o que nós vamos ver, Celso. Eu tenho dinheiro, poder e

influência e no fim das contas é isso que importa. Você é um nada.

ESTELA VAI SUBINDO DA MANSÃO TOTALMENTE DECIDIDA. A CÂMERA

MOSTRA O OLHAR DE ÓDIO DE CELSO QUE FICA DESCONTROLADO.

����


�� KAMAKURA — JAPÃO


CENA 3: EXTERIOR. CASA DE KEIKO E KENJI. ÁREA EXTERNA. DIA

PLANO GERAL DA CENA. UM CARRO ESTÁ PARADO NA FRENTE DA CASA.

LOGO DEPOIS LUCAS DESCE DO CARRO E ABRE A PORTA PARA KEIKO

POSSA DESCER TAMBÉM. ELE BEIJA A MÃO DE KEIKO COMO FORMA DE

CAVALHEIRISMO. NESSE MOMENTO KENJI SAI DE DENTRO DA CASA COM

MUITA RAIVA EM SEU OLHAR. ELE VAI BA DIREÇÃO DE KEIKO E A

ENCARA.

KENJI (sério): - Eu posso saber o que está acontecendo aqui na frente da

minha casa? (P) O que você está fazendo ao lado dessa Gaijin, Keiko? Eu

não esperava isso de você minha neta. Você é uma decepção para mim.

KEIKO (tentando explicar): - Se o senhor me deixar explicar irá entender,

Sobo. Não é nada disso que o senhor está imaginando.

KENJI: - Eu não estou imaginando nada, eu sou vendo. Depois de tudo que

a sua mãe sofreu nas mãos de um Gaijin é assim que você honra a

memória dela? (T) Eu não quero falar com você. Entre agora mesmo.

KENJI DÁ AS COSTAS PARA KEIKO QUE ESTÁ MUITO ABALADA. NESSE

MOMENTO LUCAS FICA NA FRENTE DE KENJI E O OLHA COM SERIEDADE.

LUCAS (com coragem): - Eu posso ter conhecido a sua neta recentemente,

mas eu acho que você não deveria fazer acusações sem saber o que

aconteceu. Isso não é nenhum pouco justo.

KENJI (nervoso): - E quem você pensa que é para me dizer o que eu devo

ou não devo fazer? Você não passa de um estrangeiro. Essa conversa

acaba agora. Eu não tenho tempo para perder com você.

KEIKO: - É melhor você ir embora, Lucas. Vai ser melhor assim.

LUCAS CONSENTE. ELE ENTRA NO CARRO E VAI INDO EMBORA. EM

SEGUIDA KENJI ENTRA NA CASA DEIXANDO KEIKO SEM REAÇÃO.

����




�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 4: INTERIOR. CASA DE VALERIA E FABIANA. SALA. NOITE


CLOSE EM VALÉRIA QUE ESTÁ SENTADA NO SOFÁ DA SALA LENDO UM

LIVRO. NESSE MOMENTO FABIANA ENTRA NA CASA BUFANDO DE ÓDIO E

VAI NA DIREÇÃO DE SUA MÃE COM UM SEMBLANTE DE MUITA RAIVA.

FABIANA (fora de si): - Eu posso saber o porquê de você ter ido procurar

aquele homem infeliz? Você não cansa de ser humilhada não?

VALÉRIA (disfarçando): - Eu não tenho a mínima ideia do que você está

falando, Fabiana. Você poderia ser mais clara, por favor?

FABIANA: - Você realmente acha que sou uma idiota, não é mesmo mãe?

Você foi vista no carro daquele desgraçado do Celso. Você ainda vai ter

coragem de mentir na minha cara?

VALÉRIA RESPIRA FUNDO. ELA SE LEVANTA DO SOFÁ E OLHA PARA

FABIANA QUE ESTÁ TOTALMENTE DESCONTROLADA.

VALÉRIA (séria): - Você quer mesmo saber a verdade, Fabiana? Eu fui

mesmo procurar o seu pai, e tudo isso é culpa sua. Essa sua obsessão pelo

Lucas está passando de todos os limites. Isso tem que ter um fim.

FABIANA (gritando): - Quando é que você vai entender que eu amo o

Lucas? Nem você nem aquele infeliz que não é nada para mim tem o

Tdireito de dizer o que eu devo fazer da minha vida.

VALÉRIA: - Faça o que você quiser, Fabiana. Mas eu quero que você saiba

de uma coisa. Se você fizer qualquer coisa para prejudicar o seu pai ele

não terá pena nenhuma de acabar com a sua vida. Você está avisada.

VALÉRIA SAI DA SALA DEIXANDO FABIANA COM MUITA RAIVA. A VILÃ

PEGA UM JARRO DE FLORES E ARREMESSA NA PAREDE COM ÓDIO.

����

CENA 5: INTERIOR. BAIRRO DA LIBERDADE. CASA DE SHIN E OLENKA.

SALA. NOITE

SHIN E OLENKA ESTÃO SENTADOS UM DO LADO DO OUTRO E O

SILÊNCIO REINA NO LOCAL. NESSE MOMENTO AYUMI A FILHA DO CASAL

ENTRA NO LOCAL E PERCEBE QUE ALGO NÃO ESTÁ CERTO. SHIN E

OLENKA TENTAM DISFARÇAR, MAS AYUMI É MUITO PERSPICAZ.

AYUMI (firme): - O que está acontecendo com vocês? Já fazem dias que eu

estou percebendo que vocês estão estranhos. O que foi que houve?


SHIN (disfarçando): - Do que você está falando, minha filha? Não tem

absolutamente nada que eu e sua mãe estejamos escondendo de você.

OLENKA: - O seu pai está certo, minha filha. Você deve estar confundindo

as coisas. (P) Não tem nada que a gente esteja escondendo de você.

AYUMI FICA COM O SEMBLANTE MUITO SÉRIO. SHIN E OLENKA SE

OLHAM COMO SE TEMESSEM QUE A FILHA DESCUBRA A VERDADE.

AYUMI (enfática): - Se vocês não querem contar a verdade então por mim

tudo bem. Mas eu sei que está acontecendo alguma coisa muito séria. Eu

quero que vocês saibam que eu vou descobrir o que é.

AYUMI SAI DA SALA TOTALMENTE DECIDIDA. OLENKA SE LEVANTA DO

SOFÁ E OLHA COM MUITA SERIEDADE PARA SHIN.

OLENKA (séria): - Eu espero que você saiba o que você está fazendo, Shin.

Eu não vou mentir para a minha novamente. Você trate de contar a

verdade para ela ou eu irei contar.

OLENKA VAI SAINDO DA SALA DEIXANDO SHIN TOTALMENTE SEM O QUE

DIZER E PENSANDO NAS PALAVRAS QUE ELA ACABA DE DIZER.

����


�� KAMAKURA — JAPÃO


CENA 6: EXTERIOR. TEMPLO BUDISTA HASE-DERA. ÁREA EXTERNA. DIA

A CÂMERA MOSTRA DE FORMA AMPLA TODA A MAGNITUDE DO TEMPLO

BUDISTA. AOS POUCOS A CÂMERA VAI SE APROXIMANDO E MOSTRA QUE

RYU ESTÁ ANDANDO DE UM LADO PARA O OUTRO CONO ESTIVESSE

PREOCUPADO COM ALGUMA COISA. NESSE MOMENTO UM CARRO PRETO

CHEGA AO LOCAL E MITSUKO DESCE DO CARRO INDO JMNA DIREÇÃO DE

RYU.

MITSUKO (nervosa): - Eu posso saber porque você pediu para me chamar

aqui, Ryu? Você está cansado de saber que nós não podemos ser vistos

juntos. (P) Você fez o que eu te mandei? Eu espero que sim.


RYU (fora de si): - Infelizmente eu não consegui, patroa. Na hora que eu ia

pegar a Keiko eu fui impedido por um Gaijin. Mas o pior a senhora ainda

não sabe. Esse Gaijin é aquele que a senhora mandou matar, mas quem

acabou morrendo foi a noiva dele. Ele está em Kamakura.

MITSUKO: - Isso não pode estar acontecendo. O que esse maldito pode

estar querendo? Eu tenho uma nova missão para você, Ryu. Eu quero esse

Gaijin morto o quanto antes. Ele não vai estragar os meus planos.

O OLHAR DE MITSUKO É DE PURO ÓDIO. RYU CONCORDA COM A

CABEÇA. NESSE MOMENTO A CÂMERA DÁ UM CORTE E MOSTRA QUE

LUCAS ESTÁ OBSERVANDO O ENCONTRO DE MITSUKO E RYU. ELE VAK

TIRANDO VÁRIAS FOTOS DOS VILÕES.

LUCAS (comemorando): - Bingo!!!! Eu sabia que aquele homem iria me

levar direito a mente por de trás de todo esse esquema. Eu estou cada vez

mais perto de desmantelar essa quadrilha. Isso é justiça.

A CÂMERA VOLTA A CORTAR PARA MITSUKO E RYU QUE VÃO AE

AFASTANDO UM DO OUTRO. ELA VOLTA A ENTRAR NO CARRO QUE VAI

INDO EMBORA DISCRETAMENTE. LUCAS CONTINUA TIRANDO FOTOS SEN

SER PERCEBIDO.

����

CENA 7: INTERIOR. CASA DE KEIKO E KENJI. SALA. DIA

KEIKO ENTRA NA CASA SEM DIZER NENHUMA PALAVRA. ELA PERCEBE

QUE SEU AVÔ ESTÁ DE COSTAS PARA A PORTA DA SALA SEGURANDO

UMA FOTO DE SUA MÃE (Obs: KEIKO e AIKO são praticamente iguais), E

ELE SE VIRA ENCARANDO KEIKO COM MUITA DECEPÇÃO EM SEU OLHAR.

KENJI (decepcionado): - Como você pode fazer uma coisa dessas comigo,

Keiko? Eu jamais esperava isso de você. A sua mãe morreu por causa de

um maldito Gaijin e é assim que você retribui? Eu tenho vergonha de você.

KEIKO (de cabeça baixa): - Se o senhor me deixar explicar eu sei que irá

entender, Sobo. Não é nada disso que você está imaginando.

KENJI: - Eu não quero mais ouvir nenhuma palavra que da sua boca. Você

não traiu só a memória da sua mãe, mas sim toda a nossa cultura.


KENJI PERDE O CONTROLE E ELE DÁ UM TAPA NO ROSTO DE KEIKO QUE

FICA SEM REAÇÃO. ELES FICAM SE OLHANDO EM SILÊNCIO.

KEIKO (chorando): - Como o senhor pode ser tão preconceituoso assim? O

Gaijin que você fala com tanto ódio salvou a minha vida. A dona Mitsuko

mandou em sequestrar e se não fosse esse Gaijin sabe lá o que teria

acontecido comigo. Mais isso o senhor não quer saber não é, Sobo?

KENJI (incrédulo): - Do que é que você está falando, Keiko? (T) Eu não

posso acreditar que aquela mulher foi capaz de fazer isso com você.

KEIKO: Isso não importa mais. Só agora eu consigo entender um pouco do

que a minha mãe deve ter sofrido nas suas mãos. (P) O meu pai pode ser

um homem desprezível, mas você não está muito longe disso.

KEIKO DÁ AS COSTAS E VAI EMBORA PELA PORTA DA SALA DEIXANDO

KENJI ARRASADO. ELE PENSA IR ATRÁS DE SUA NETA, MAS O SEU

ORGULHO O IMPEDE.

A IMAGEM CONGELA NO OLHAR DEVASTADO DE KENJI. AOS POUCOS A

IMAGEM GANHA UM TOM ALARANJADO COMO SE O SOL ESTIVESSE

NASCENDO NO HORIZONTE.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.