Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Vinganças - Capítulo 35 (Último capítulo)

 

Vinganças - Capítulo 35 - Último Capítulo 



Cena 1 Casa de Eva/ Exterior/ Dia 

Thiago está com uma arma na cabeça de Maria. 

Thiago - Se você fizer algo que eu não quero, aqui mesmo eu te mato. Um tiro e pode falar "finada Maria".

Maria (assutada) - Por favor, não me mate...

Thiago (ri) - Misericórdia? (Ri) na hora de revelar todos os meus segredos, você falou com gosto...

Maria - Se você me matar, não vai conseguir o que quer!

Thiago - Eu não tenho mais nada a perder... desgraça! Entre no carro.

Maria - O quê? Vai me sequestrar?

Thiago - Entra logo! 

Thiago bate a arma na cabeça dela, Maria desmaia no chão. 

Thiago - Ai... agora tenho pegar esse peso morto e colocar dentro do carro... ódio. 

Thiago pega Maria e põe no porta malas do carro. Ele entra no quarto e sai.

Corta para/

Cena 2 Casa do morro de Urso/ Interior/ Dia 

Todos os traficantes estão nervosos e ansiosos com a notícia de Urso.

Urso - Se acalmem, por favor.

Homem 1 - Você diz que vai sair... só pode estar do lado da polícia. 

Homem 2 - É isso!

Urso - Não. Não é. 

Homem 2 - Então é o quê?

Urso - Eu me casei, vocês sabem disso.

Homem 1 - Sim. Faz uns meses e com um homem ainda... nunca pensei.

Urso - Algum problema por acaso? 

Homem 1 - Não...

Urso - Pois bem... eu me casei e essa vida de traficante... ou melhor: meio traficante, é muito pra mim. É perigoso e qualquer hora se a polícia entrar por aquela porta eu posso ser preso, não é verdade?

Todos - Sim.

Urso - Pois então, minha esposo me pediu para sair... ele me disse as razões dele e ele tem razão. Eu quero viver ao lado dele por todo o sempre e não posso ficar correndo um risco desses. Por isso eu decidi sair.

Homem 1 - É muito perigoso.

Homem 2 - É uma pena sua saída, você gosta disso tudo aqui.

Urso - Gosto sim mas tenho que viver normalmente... e peço a vocês: nuncam abandonam esse pessoal desse morro... gente calorosa e trabalhadora... sejam sempre honestos e defendem nosso morro porque é aqui que nascemos e crescemos.

Todos batem palmas. Um homem abraça Urso. 

Corta para/

Cena 3 Casa abandonada/ Exterior/ Dia 

Thiago chega em uma casa abandonada, no meio do mato. Ele abre o porta-malas, Maria continua desmaiada. Ao pegá-la no colo, ela ô empurra e corre. 

Thiago (nervoso) - Volta aqui, sua desgraçada!

Ela começa a correr, ele corre atrás. Começa uma perseguição. Thiago da dois tiros, os tiros não pegam na mulher. Ela se esconde atrás de umas plantas. Ele se aproxima, sempre com uma arma na mão. 

Thiago (mentalmente) - Onde essa mulher se escondeu? 

Maria pisa em um galho, Thiago corre na direção e a vê.

Thiago (Com arma apontada) - Se você correr, você morre aqui mesmo.

Foca  em Maria chocada.

Corta para/

Cena 4 Apartamento de Heleno/ Exterior/ Dia 

O síndico e Fagner tentam abrir a porta do apartamento.

Fagner - Eu bati na porta, você ligou para aqui e nada... e ele tinha me ligado hoje mais cedo me chamando pra tomar um vinho.

Síndico - E o pior foi que ele não saiu. Eu estava aqui e ele não desceu.

Fagner - Eu me preocupo. 

Ao abrirem a porta, se deparem com fedor horrível de gás. 

Fagner - Nossa... ele deve ter deixado o gás aberto. Isso aqui pra explodir é muito fácil.

Eles entram no apartamento, o síndico fecha o gás do fogão. Fagner vê Heleno morto no chão. 

Fagner (chocado) - Síndico... o Heleno!

Síndico  (chocado) - Minha nossa...

Fagner - Não pegue nele... vamos ligar para a polícia!

Corta para/

Cena 5 Delegacia/ Sala de Fátima/ Dia 

Um homem está sentado, é José. Fátima se levanta. Um escrivão está atrás de todos.

Fátima - José, José... tenho muitas perguntas para você...

José (sério) - Diga.

Fátima - Primeiro vamos aos fatos... você estava dado como morto... morreu naquela explosão daquela delegacia de Polícia na cidade de São Paulo alguns anos atrás...

José - Foi a coisa mais fácil que já fiz. Após aquele acidente...

Fátima - Você chama aquilo de acidente?

José - Bom, se foi ou não foi, eu não estou aqui para julgar e sim vocês. Naquele dia, logo após a explosão, eu me lembro muito pouco... bati com a cabeça. Como estava sendo investigado a morte do Sebastião e de outros sócios da construtora que eu fazia parte.

Fátima - Por que você fez isso? Por que não continuo ali?

José - Por medo. Só eu que sobrevivi... por medo de ser morto por alguém, decidi forjar minha própria morte... tempos depois entrei em contato com a polícia. 

Fátima - Que foi justamente assim que te encontrei... eu investiguei sobre a vida de todos e a sua estava sob sigilo... por medo, correto?

José - Sim... apenas a polícia sabia.

Fátima - Como vocês conseguiram o dinheiro para montar aquela construtora?

José - Nós éramos um grupo de jovens... pobres... apenas um rico. Teve uma morte de um homem... não lembro o nome... nós vimos o corpo, logo após isso, um senhor, nos procurou e ofereceu um bom dinheiro para nós testermunharmos contra uma pessoa que ele jurava ser o assassino... aceitamos, esse homem foi preso e se matou na cadeia, aparentemente...

Fátima - Sebastião o nome dele... ele foi morto na cadeia. 

José - Essa foi a última coisa que o delegado Fernando nos disse... que ele foi morto e não se matou...

Fátima - É aí que está a chave do mistério!

Corta para/

Cena 6 Casa abandonada/ Interior/ Dia 

Maria está amarrada e sentada em uma cadeira.

Thiago  (se aproxima) - Agora fique quietinha.

Maria  (assustada) - O que você quer de mim?

Thiago - O que eu quero? (Ri) dinheiro... muito dinheiro! 

Maria - Não me mate... eu...

Thiago - Será se eu terei amarrar um pedaço de roupa na sua boca? Cale a boca! Tagarela.

Maria se entristece. Thiago pega o celular de Maria e liga para Eva.

Eva (voz) - Filha?

Thiago (ligação on) - Olá velha idiota.

Eva (surpresa) - Que brincadeira sem graça é essa? Cadê a minha filha?

Thiago - Fale, Maria... pede você mesmo socorro.

Maria (Thiago empurra o celular contra a cabeça dela) - Mãe...

Eva (aflita) - Filha... que brincadeira é essa? Onde você está?

Maria - Mãe, não é brincadeira... eu fui sequestrada pelo maluco do Thiago...

Eva - Filha...

Thiago - Deixem de  chatura. Eu só irei falar uma vez: eu quero quinhentos mil reais, para hoje a noite, me entendeu? 

Eva - É muito dinheiro... preciso de um...

Thiago - Não quero saber! Ou o dinheiro ou sua filinha morta. (Desliga a ligação).

Corta para/

Cena 7 Casa de Urso/ Interior/ Dia 

Urso entra em sua casa, Pedro percebe e corre em sua direção.

Pedro - E aí amor, como foi lá?

Urso (sério) - Ai ai, Pedro... 

Pedro - Vish... o que aconteceu?

Urso - Eles... (feliz) aceitaram! 

Pedro (beija ele) - Amo! Amo e amo!

Urso - Contente agora?

Pedro - Eu não quero meu amor correndo risco... me promete que fica ao meu lado por todo o sempre?

Urso - Tá! Eu prometo! 

Os dois se beijam e se abraçam. 

Corta para/

Cena 8 Delegacia/ Sala de Fátima/ Dia 

José sai. 

Fátima - José, não se esqueça de comparecer ao lugar quando eu sinalizar.

José - Opa.

José sai da sala. Jorge entra. 

Jorge - E aí? Conseguiu desvendar?

Fátima - Consegui... os dados dele batem certo no meu raciocínio. Agora só tenho que reuni todos e comprovar uma coisa que o José não me contou mas eu sei...

Jorge - O quê?

Fátima - Quem era esse homem que ele disse que pagou para eles... 

Jorge - Mas o que ele tem haver com esse assassino de agora?

Fátima - Tudo. 

Jorge - E quem é o assassino?

Fátima (ri) - Você verá... verá. 

Corta para/




Vinganças!

Não perca a trilha sonora Nacional e Internacional desse grande sucesso!

Músicas como:

Esse Cara Sou Eu

Viva La Vida

Próprias Mentiras

Halo

Difícil 

Last Friday Night

Velha Infância 

Procure as trilhas sonoras e confiram as trilhas completas!




Cena 9 Casa de Eva/ Interior/ Noite 

Todos estão aflitos. Leão e Pedro estavam abraçados, Fagner bebia um pouco de água e Eva estava sentada perto do telefone. 

Pedro - Meu irmão, estou tão preocupado com a Maria...

Leão - Pedro, eu estou xom uma tensão enorme...

Pedro - Minha amiga... tomara que aquele desgraçado não faça nada de mal a ela.

O telefone toca. Todos voltam o olhar para o telefone.

Eva (ligação on) - Alô.

Thiago (voz) - Já arranjaram o dinheiro?

Eva - Já sim...

Thiago - Bom mesmo... porque se não tivessem, a sua queridinha iria ser encontrada já morta.

Eva - Não fale isso...

Thiago - Não falar? (Ri). É a mais pura verdade... e se a polícia se envolver nisso, você já sabe, né?! 

Eva - Já sei... já sei! E qual o lugar?

Corta para/

Cena 10 Casa de Urso/ Interior/ Noite 

Urso entrega um copo d'água para Gina.

Gina - Então você quer sair do comando do morro?

Urso - Já saí. 

Gina - Você me surpreendeu dessa vez... de todas as suas maluquices, essa passou dos limites.

Urso - Não foi maluquice... foi por causa do meu amor.

Gina - O Pedro que te obrigou, né?! Você realmente virou uma cadelinha pra ele... nunca ouviu ninguém mas parece que depois da chegada dele... a vida de você mudou completamente.

Urso - Sim... aprendi a amar depois dele... e a ouvir as outras pessoas... mudei. Mas o que você vai fazer depois de minha saída?

Gina - Vou concorrer a vaga de comandante.

Urso (surpreso) - Você?

Gina - Sim. Tenho pulso firme e conheço tudo aquilo. Você me apoia?

Urso (ri) - Te apoio mas acho que eles não vão gostar dessa ideia.

Gina - Gostando ou não, eu irei tentar. Quem não sabe, né?!

Urso - É...

Corta para/

Cena 11 Casa de Eva/ Interior/ Noite 

Eva continuava a ligação. Fagner, Pedro e Leão estavam aflitos.

Eva (no telefone) - E onde vai ser mesmo o encontro?

Thiago (voz) - Saída para Teresópolis. Perto de uma ponte... lembrando novamente: se ter polícia, podem esquecer a Maria porque ela morrerá!

Eva - Está bem... está bem... 

Thiago desliga a ligação. 

Eva - Então vamos.

Pedro - Vamos todos nós?

Fagner - É bom, mas é bom o resto do pessoal ficar dentro do carro.

Pedro - Você vai, Leão?

Leão - Vou. (Ajeita a arma na cintura) Também levarei minha arma.

Pedro (surpreso) - Melhor não. 

Eva - Não leve não, meu filho... isso pode matar alguém e a culpa cairá sobre você. 

Leão - Eu não vou correr o risco de perder a Maria mais uma vez não... eu vou levar sim e se precisar, faço algo.

Fagner - Tenha cuidado. Vamos então. 

Eva - Vamos.

Todos saem daquele lugar.

Corta para/

Cena 12 Apartamento de Heleno/ Interior/ Noite 

Vários policiais olham o apartamento. É visto o sangue de Heleno no chão e nas paredes. Fátima se aproxima do síndico. 

Fátima - Então o senhor não viu ninguém estranhar entrar aqui?

Síndico - Por hoje não. Ontem o seu Heleno saiu na tarde, ele até me disse que iria fazer um almoço hoje com o seu Fagner.

Fátima - Teve um pique de energia, certo?

Síndico - Sim. Foi ontem. As câmeras utilizam da mesma fonte de energia e por isso não foi visto nada. 

Um policial se aproxima.

Policial - Descobrimos que a causa da morte foi quatro facadas.

Fátima - E a faca?

Policial - Pelo tamanho do corte e como a pele está perfurada, não é nenhuma das que estão aqui.

Fatima (olha as facas que estão sobre a mesa) - Realmente... ele dessas três facas aqui, nenhuma poderia causar esse corte tão profundo.

Policial - Descobrimos que o Heleno se encontrou com umaa três pessoas nessa semana, uma delas foi o Mário. 

Fátima - O Mário está morto... não teve como ser ele o autor... pesquise sobre as outras duas pessoas.

Corta para/

Cena 13 Lugar de encontro/ Noite 

O lugar estava escuro. Thiago estava ali, Maria estava amarrada e sob a mira dele. Leão estava com a mala de dinheiro na mão. Pedro, Fagner e Eva estão mais afastados.

Thiago (arma apontada para Maria) - Abre a mala... vamos... 

Leão (abre a mala e a mostra para ele) - Aqui... é dinheiro de verdade.

Thiago - É pra ser mesmo... agora empurre a mala.

Leão - E a Maria? Solte ela!

Thiago - Não! Só irei soltar se o dinheiro realmente for verdadeiro! Agora vamos, jogue!

Leão fecha a mala e a empurra na direção de Thiago. Thiago abre a mala e confere as notas de dinheiro. 

Leão - Agora a Maria! Solte ela. Você já tenho o que você quer.

Thiago (solta Maria e a empurra) - Vamos, vai pra sua família. 

Maria corre na direção de Leão. Leão da um sorriso.

Thiago - Pena que vocês não ficarão juntos.

Thiago atira contra Maria. 

Leão (gritando) - Maria!

Corta para/

Cena 14 Casa de Ariela/ Sala de Jantar/ Noite 

Ariela e Robson jantam.

Ariela - Ai irmão, muito obrigado por ficar aqui comigo.

Robson - Você sabe que eu sempre estou com você e sempre ficarei. 

Ariela - Não consigo imaginar que estive casada com um monstro a tanto tempo... bonito mas um verdadeiro diabo!

Robson - E você já tem um novo pretendente?

Ariela - Tenho sim! É o ...

Corta para/

Cena 15 Lugar do encontro/ Noite 

O tiro pega de raspão em Maria. Maria se joga no chão. 

Leão  (gritando) - Seu desgraçado! 

Leão pega sua arma e começa a atirar contra Thiago. 

Thiago também atira contra Leão. 

Maria se arrasta até próximo de Leão. Thiago para de atirar.

Leão - Suas balas acabaram, seu desgraçado!

Thiago põe as mãos para cima. 

Maria se abraça com Leão. 

Leão (da um beijo na cabeça dela) - Eu vou te proteger, meu amor... eu estou aqui...

Maria - Obrigado... obrigado! 

Os dois se beijam. Thiago saca sua arma novamente.

Thiago - Dessa vez, eu não vou errar.

Thiago atira contra Maria, Leão entra na frente dela e o tiro pega em seu peito. Ele cai no chão lentamente. 

Maria (gritando) - Não! Não, não! 

Eva, Fagner e Pedro se aproximam de Leão e Maria. Thiago entra em seu carro com o dinheiro e foge. A polícia cerca o local, Thiago tenta escapar mas a polícia atira contra os pneus do carro, ele começa a fugir de pé mas a polícia atira contra ele e ele cai no chão. 

Policial - Você está preso, Thiago!

Outros policiais se aproximam de Leão e Maria. 

Policial - Vamos te levar para o hospital mais próximo daqui.

Maria - Salvem ele, por favor! Salvem ele.

Leão - Eu já levei muita bala, Maria... eu vou ficar bem...

Maria - Mas esse tiro...

Leão - Foi só um tiro... ai (põe a mão sobre o peito) dói muito...

Maria da um beijo na testa dele. Ele da um sorriso.

Corta para/

Cena 16 Apartamento de Margarida/ Interior/ Noite 

Cíntia fazia a janta. Margarida estava sentada na mesa.

Margarida - Realmente, esse apartamento aqui é muito bom... 

Cíntia - Dona Margarida, faz um almoço e chame seus filhos.

Margarida - Irei fazer isso... eu quero também começar a fazer algum esporte... talvez tênis... natação... não sei.

Cíntia - Faz natação, dizem que ajuda na saúde do coração.

Outra empregada entra na cozinha com flores na mão. 

Empregada - Dona Margarida, para a senhora. 

Margarida (surpresa) - Pra mim? Nossa! (Pega o cartão, lê mentalmente) Cara senhorita, estas flores não são nem um por cento de sua beleza, gostaria que você as recebesse como presente da compra deste apartamente, com carinho, seu vizinho. 

Cíntia - E aí, são de quem?

Margarida - Você nem imagina... daquele safado do vizinho.

Cíntia - Não!

Margarida - Sim!

Cíntia - Eu disse que ele estava querendo algo com você. 

Margarida - Você tem razão... e eu não vou perder esse gostoso não.

Cíntia - Faça algum jantar romântico e o convida.

Margarida - Irei fazer sim! Você me deu uma ótima ideia.

Corta para/

Cena 17 Hospital/ Interior/ Noite 

Os policiais trazem Leão. Os enfermeiros ô coloca em uma maca e leva para o interior da instalação.

Maria abraça com Pedro.

Maria (chorando) - Ele entrou na minha frente... recebeu o tiro por mim... ele não pode morrer!

Pedro - Se acalme, minha amiga... ele não vai morrer.

Maria - Não sei não... o tiro foi certeiro nele

Eva - Não seja negativa, filha.

Fagner - É isso, não seja. Vai da tudo certo. 

Pedro - Tenha fé, Maria. Ele vai passar disso. Vai da tudo certo.

Maria volta a abraçar com Pedro.

Pedro - Agora cuide desse braço. Mesmo não sendo grave mas foi bala de raspão e te tirou sangue.

Corta para/


Vamos juntos torcer pelo Brasil! 

Vai Brasil! 

Amanhã começa a segunda fase da Copa 2022 no Catar! 

Vamos juntos torcer pelo mesmo objetivo: o hexa!


Cena 18 Hospital/ Quarto de Leão/ Dia 

Leão está deitado. Maria está ali ao seu lado. Ele acorda. 

Leão - Olha só quem está aqui...

Maria  (alegre) - Leão! 

Leão - Então aquilo não foi um sonho?

Maria - Não, não foi...

O médico entra no quarto.

Médico - Bom dia... pelo jeito você já está bonzinho, não é?

Leão - Estou melhor, doutor. Não sinto mais nenhuma dor.

Médico - Eu vim aqui dizer que logo logo você recebe alta. Talvez hoje a noite.

Maria - Que ótimo, doutor.

Médico - Qualquer coisinha, me chame. Estou na sala ao lado.

Leão - Está bem.

O médico sai da sala.

Corta para/

Cena 19 Prisão/ Sala de visitas/ Dia 

Thiago entra na sala de visitas. Matheus está ali sentado.

Thiago  (surpreso) - Você? Não! Carcereiro, me leva daqui!

Matheus - Curtindo a prisão, Thiago?

Thiago - O que você veio fazer aqui? 

Matheus - Vim ver a sua derrota. Como você é idiota! Sempre se gabou de inteligente mas não passa de um miserável.

Thiago - E você? Tem o quê? Vendeu sua alma ao diabo! Pode tá solto agora mas tá sem nada!

Matheus - Você se acha o inteligente, não é mesmo? Mas eu sou muito mais esperto que você. 

Thiago - Tá... e o que você ganhou? Um mês de liberdade? Porque seu julgamento virá e você ficará preso!

Matheus - E você que nem isso teve? Olhe pra você... não tem nenhum centavo e nem liberdade!

Thiago - Você...

Matheus - Eu? (Ri) eu sou rico e tenho liberdade... agora, me dê licença, Europa me espera.

Matheus sai da sala. Thiago bate as mãos contra a parede. 

Corta para/

Cena 20 Hospital/ Sala de espera/ Dia 

Maria e Pedro estão sentados bebendo café. 

Pedro - Nem consigo acreditar que tanta coisa aconteceu na noite de ontem.

Maria - E eu então? Ainda estou em choque.

Pedro - Que bom que o Leão ficou bem... nunca eu tinha ficado tão preocupado quanto essa noite.

Maria - Ele está bem... 

Pedro - E vocês?  

Maria - Nós?

Pedro - Sim! Rolou um clima?

Maria - Ah... talvez... não sei...

Pedro - Você gosta dele, certo?

Maria - Eu gosto... nunca deixei de gostar...  aliás, nunca deixei de amar.

Pedro - Aproveite e fique com ele... ele te ama... dê mais uma chance, se ele te magoa, se separe dele e acabe com isso de uma vez por todas...

Maria - Você tem razão... ele já se mostrou suficientemente que quer algo sério comigo... irei sim dar uma chance.

Pedro - Que maravilha! 

Os dois se abraçam. 

Corta para/

Cena 21 Apartamento de Fran/ Interior/ Dia 

A polícia olha toda a casa. Muitos policiais olham todos os cantos.

Após terminar de olhar tudo, os policiais se reunem na sala.

Policial 1 - Então não encontraram nada?

Policial 2 - Nenhum vestígio da Fran e nem de algo anormal para uma casa.

Policial 1 - Então agora vamos olhar a segunda casa, a do Jonas.

Policial 2 - Sobre a Fran, irei falar com a delegada Fátima para procurar vestígios do sumiço dela. Todos os vizinhos disseram que não a viram desde o início da semana.

Corta para/

Cena 22 Aeroporto/ Área de embarque/ Dia 

Matheus e Nanda estão na fila para poder seguir caminho para o avião. Fátima se aproxima dos dois.

Fátima - Matheus, você não pode sair do país. 

Matheus (surpreso) - Não posso? 

Fátima - Claro que não... nem tente. 

Nanda - Isso é um lástima. Tanta gente sendo morta e vocês ficam atrás do Matheus.

Fátima - Matheus, me acompanhe.

Matheus (surpreso) - O quê? Eu serei preso?

Fátima - Se acalme. Temos um mistério para desfazer e você é a peça fundamental.

Matheus - Eu? Qual mistério?

Fátima - Venha comigo.

Os três saem da fila.

Corta para/

É visto a cidade do Rio de Janeiro. Suas praias, faculdades, favelas e o Cristo Redentor.

Cena 23 Delegacia/ Interior/ Dia 

Matheus, Fagner, Irma, Pedro, Jonas, Margarida e Urso estão ali. Todos de pé. Todos estavam conversam cada um entre si. Fátima entra, todos ficam em silêncio. 

Fátima - Alguns de vocês devem se conhecer pessoalmente... outros não. 

Maria - Eu não fiz nada, porque estou aqui?

Fátima - Boa pergunta. Todos aqui, de uma maneira direta ou indireta, são suspeitas.

Todos se chocam e ficam inquietos.

Fagner - Suspeita? Eu quase morri esses dias por causa de um atentado e sou suspeita?

Fátima - Vocês são tão apressados. Você é suspeita sim.

Fagner - Mas o que fiz pra ser suspeita?

Fátima - Todos vocês são suspeitas das mortes misteriosas que ocorreram nos últimos meses. As mortes foram da Joana, Jota, Munique e a tentativa da morte do Fagner.

Todos se chocam. Pedro se abraça com Urso. Maria cochicha com Fagner. Os outros permanecem surpresos.

Corta para/

Cena 24 Apartamento de Margarida/ Interior/ Dia 

Cíntia abre a porta, Geraldo entra com um buquê de flores.

Cíntia  (surpresa) - Meu Deus, Geraldo! Se a dona Margarida te pega aqui...

Geraldo - Cadê meu beijinho?

Cíntia  (beija ele) - Mas o que você veio fazer aqui?

Geraldo - Vim dar estas flores lindas e maravilhas aqui para a uma mulher mais linda ainda.

Cíntia  (pega as flores) - Que fofo você! Espero que quando a gente se casar, você continue assim.

Geraldo - E eu vou, meu amor! Agora vou indo, passei aqui rápido porque o seu Rodrigo me pediu pra acompanhar o filho dele aqui no apartamento ao lado.

Cíntia (beija ele novamente) - Vai lá meu amor.

Geraldo sai. Cíntia cheira as flores.

Corta para/

Cena 25 Delegacia/ Sala de Fátima/ Dia 

Todos estavam chocados. Fátima se senta.

Fátima - Por que cada um de vocês é um alvo? Simples motivo: Matheus e a Maria tiveram uma relação tempestuosa com a Munique dias antes de sua morte. 

Maria (chocada) - Mas eu nunca mataria ninguém...

Matheus (chocado) - Eu sempre fui tudo que envolve morte!

Fátima - Se acalmem! (Se levanta). A Joana conhecia o Fagner.

Fagner - Sim... nós já fomos namorados no passado, por surpresa revi ela naquela delegacia. 

Fátima - A Irma é irmã da Munique, também sempre esteve por perto dela mas desconsideramos a hipótese dela ter matado a irmã, por isso ela não é suspeita e está aqui para saber o desfecho do mistério, igualmente o Jonas, filho de Joana. 

Irma - Eu já estou aliviada com essas palavras, doutora! Imagina eu ser suspeita de matar a minha própria irmã. 

Fátima - O Pedro namorava o Jota, na mesma semana da morte do Jota, o Pedro e o seu atual esposo, o Erick, brigaram na festa da Maria. 

Urso - Eu jamais mataria alguém. 

Pedro - É verdade! Meu amor nunca mataria ninguém!

Fátima - O Fagner teve um atentado, logo após pedir o divórcio para a esposa rebelde e nervosa.

Margarida - Eu confesso que tive vontade de acabar com o Fagner mas nunca que mataria alguém... isso é o cúmulo!

Fátima - Todos teve alguma justificativa para poder matar alguém. 

Corta para/

Cena 26 Hospital/ Quarto de Leão/ Dia 

Eva da um beijo na testa de Leão. Ela se senta em uma cadeira.

Eva - Como é bom te ver aqui bem novamente!

Leão - Agradeço pelo carinho, dona Eva!

Eva - Você foi muito corajoso e cavalheiro com a minha filha ontem.

Leão - Eu amo ela demais... e gostaria de uma opinião. 

Eva (surpresa) - O que seria?

Leão - Eu quero pedir ela em casamento mas não sei se peço desde aqui do hospital ou quando chegar em casa.

Eva - Olhe, se você a ama e quer ter ela ao seu lado logo, peça desde já!

Leão - Verdade! Não vou perder tempo.

Corta para/

Cena 27 Delegacia/ Sala de Fátima/ Dia 

Fátima - Não fiquem surpresos, meu povo. Ainda tem muita história para ser falada. Começando agora mesmo pela vítima inicial: José. 

José entra na sala, acompanhado de Jorge, o policial. 

Fátima - Vamos começar lá trás, quando explodiram a delegacia em São Paulo. O dia estava lindo, o delegado Fernando revelando a todos que os sócios daquela construtora que foram assassinados por um assassino miaterioso... que foi o Danilo. Por que ele matou? Porque seu pai foi assassinado. O Danilo cresceu pensando que seu pai tinha sido suicidado. Ele alimentou esse desejo de vingança contra os sócios da construtora porque foram eles que tinham deposto contra o Sebastião, pai do Danilo. Mas aí vem a pergunta: quem mandou matar Sebastião? E por quê? A resposta é simples: porque o Sebastião não tinha culpa do crime que foi condenado... ele nunca matou ninguém. Semanas antes, um homem procurou Sebastião oferecendo dinheiro para ele assumir um crime e ele aceitou, já estando preso, repensou a proposta e decidiu dizer que era inocente, então esse homem mandou matar o Sebastião. Quem era esse? Um homem rico, um empresário... Hélton Braga Ribeiro Dias.

Maria - Mas o que isso tem com essas mortes que aconteceram agora?

Fátima - Se acalme. Continuando: Hélton comprou um carcerário e forjou a morte de Sebastião. Quando Fernando iria revelar esses detalhes, a delegacia explodiu... e não fiquem preocupados, minha equipe já conferiu todo o lugar... ninguém vai ir pelos ares não, pelo menos hoje não. 

José - Eu fui o único sobrevivente daquele episódio terrível. 

Fátima - Joana, Jota, Munique e Fagner estavam na delegacia horas antes e viram o assassino ao redor, a Munique chegou a dizer que viu alguém suspeito... mas quem poderia explodir aquela delegacia? A mesma psssoa que matou e que comprou o Sebastião para dizer que foi o assassino. Pela explosão da delegacia, que caiu a morte de várias pessoas, pelo assassinato em série de Joana, Munique e Jota e pela tentativa de assassinato de Fagner, você está preso, senhor Matheus.

Dois policiais seguram Matheus. Todos se chocam e se afastam dele.

Matheus (chocado) - Mas o quê? Você me conta essa história sem pé e sem cabeça e diz que eu sou assassino? Eu nem conheço esse pessoal. 

Fátima - Você é sim o assassino. Você foi a pessoa suspeita que Munique se referiu. O Fagner também te viu mas você mentiu dizendo para ele que estava ali para fazer companhia. 

Fagner (surpreso) - Eu me lembro bem! Ele passou com o carro várias vezes, eu sai na porta e bati braço. Ele teve que parar e conversar comigo.

Fátima - E mais: Você também matou aquela pessoa que o Sebastião foi julgado como o autor do crime. 

Matheus - Eu sou até daqui do Rio de Janeiro! Nem de São Paulo eu sou.

Fátima - Após a sua família falir, você trocou de nome e de cidade. Seu nome verdadeiro é Fred! Com medo de ser descoberto, mudou de nome. E digo mais: o Fagner conhecia o Fred e o seu pai.

Fagner (surpreso) - O quê? De onde?

Fátima - Helton e Fred Brandt Bitencourt Régis... não é comum não?

Fagner - Agora que você disse... já sei! Morei um tempo em São Paulo... e conheci sim, me lembro que quando vim embora pro Rio, a família já não estava tão boa financeiramente, mas de assassinato eu não me lembro não. 

Fátima - Porque eles esconderam a sete chaves. Helton fez de tudo para esconder, o Danilo cresceu pensando em fazer vingança com todos aqueles que provocaram a morte do pai... ele não encontrou a   família do Hélton e sim os sócios... mataram quase todos e quando chegou o dia da revelação da história do Matheus, que na verdade, é o Fred, que tinha matado aquele homem, o Matheus explodiu toda a delegacia porque ele já estava há tempos investigando tudo e quando viu a situação estava por um fio estourar para o lado dele, agiu no impulso e mandou a delegacia pelos ares. Mas agora, acabou pra você!

Matheus (nervoso) - Eu odeio você! Odeio vocês! 

Fagner (surpreso) - Então é verdade!

Matheus - E você foi tão burro! Idiota! Eu te roubava! Roubei por anos  e você sempre acreditando que eu era inocente e bonzinho! 

Fátima - Temos então uma confissão de culpa. Bom, você também responderá por falsa identidade. 

Matheus se solta dos policiais, pega a arma de um deles e mira contra todos.

Matheus (olhando para cada um) - Vocês não vão me prender!

Fátima - Abaixa essa arma, agora!

Matheus - Me deixem sair daqui! Vamos! Coloquem suas armas no chão! Se não eu mato um aqui!

Todos colocam suas armas no chão. 

Matheus - Porque eu não fugi antes?! Mas se não fosse essa desgraçada dessa delegada! 

Fátima - Se acalme! Se você se entregar, tudo ficará menos pior para você. 

Matheus - Menos pior? Menos pior?! Eu fui burro ao não ter fugido antes... e o pior: ao não ter descoberto sobre esse desgraçado do José que estava vivo!

José (surpreso) - Opa, eu não...

Matheus - Cale a boca! Você foi atrás do meu pai e pediu dinheiro... eu me lembro de você! Eu era adolescente e te vi lá em casa! Acabou pra você, agora!

Matheus atira contra José, Fátima pega sua arma do chão e atira contra Matheus. O tiro pega de raspão nos dois.

Matheus cai no chão, José escorrega pela parede com braço sangrando. Vários policiais seguram Matheus. 

As outras pessoas que estão na sala começam a sair e conversarem entre si, todos chocados com tal cena.

Corta para/

Cena 28 Apartamento de Jonas/ Interior/ Dia 

A polícia entra no apartamento. São vários policiais. Ao olharem que contém um teto falso e entreaberta, eles deparem com uma faca toda suja de sangue enrolada em um saco plástico.

Policial (segurando a faca) - Encontramos algo bastante estranho e que pode bater no mistério do crime de Heleno.

Policial 2 - Vamos ver se esse sangue é do Heleno.

Policial - Enquanto isso, vamos prender o Jonas logo.

Corta para/


PEDE CASAS BAHIA!

Sabia que a cada compra, você pode ganhar um pix?

Isso mesmo!

A cada gol do Brasil, você ganha um pix variado!

PEDE CASAS BAHIA

TEM NO MAGALU 
TEM NO MAGALU

Do mais simples, como uma bala, até do mais complexo, como porta, tem no Magalu!

TEM NO MAGALU 
TEM NO MAGALU 



Dias depois...

Cena 29 Tribunal/ Interior/ Dia 

Na sala, estão Jonas, dois advogados, o juiz e Ariela.

Juiz (lendo um papel) - Jonas, seu pedido de habeas corpus foi aceitado. Agora você pode cumprir a sua pena em seu lar. Você seguirá a risca uma série de regras e qualquer conduta fora do permito, você voltará para a prisão. 

Jonas (se levanta) - Caro, senhor Juiz... eu sei que todos os fatos dizem que foi eu quem assassinou aquele homem, o Heleno, mas eu irei provar a minha inocência! Eu não matei ninguém! 

Ariela o abraça. 

Corta para/

Cena 30 Prisão/ Sala de visitas/ Dia 

Nanda entra na sala, Matheus a abraça. 

Matheus (beijando ela) - Você não me abandona mesmo, né?!

Nanda - Imagina se eu vou abandonar o meu gostoso.

Matheus - E aí, como tá os trabalhos?

Nanda - Eu consegui um emprego em uma empresa de  salgadinhos, nossa, já estou enjoada de receber telefonemas dizendo dando parabéns. 

Matheus (ri) - Só você mesma!

Corta para/

Cena 31 Apartamento de Margarida/ Dia 

Margarida e Carlos tomam vinho.

Margarida - Nunca imaginei que encontraria alguém tão especial quanto você.

Carlos - E eu com você, meu amor.

Os dois se beijam.

Margarida - Me leva pra Madri? Dizem que é um espetáculo!

Carlos - Claro que sim. Meus irmãos moram lá. Aposto que vão adorar te conhecer.

Os dois se beijam. 

Corta para/

Cena 32 Apartamento de Inês e Robson/ Dia 

Robson entra no apartamento com muitas caixas.

Inês - Nosso apartamento vai muito maravilhoso...

Robson - E o nosso casamento? Vai ser o mais perfeito!

Inês - Só você mesmo para querer se casar no parque das serra dos Órgãos!

Robson (beija ela) - A natureza deve sempre estar em nossa vida, né?

Inês - Claro!

Corta para/

Cena 33 Casa de  Irma/ Dia 

Irma sai do banheiro pulando de alegria e com um teste de gravidez na mão.

Rodrigues (sem entender) - O que foi? O que foi?

Irma (festejando) - Eu estou grávida!

Rodrigues  (feliz) - Meu Deus! Eu vou ganhar um filho!

Os dois se abraçam e se  beijam.

Corta para/

Cena 34 Igreja/ Dia 

Maria entra na igreja, Leão está no alta. Fagner entra com Maria. Ao chegar perto de Leão, Maria solta Fagner.

O padre da as bênçãos ao casal. Eles colocam as alianças e se beijam.

Maria - Eu gostaria de falar umas palavras... minha vida  não foi fácil e sei que de muitos também não foram mas não desistimos... por sorte, o juiz deixou que o Leão cumprisse uma pena menor por conta de suas bondades e a pena ser aberta e não precisar ficar na prisão. 

Leão - Eu te agradeço, amor, por nunca ter desistido de mim... eu te amo!

Os dois se beijam. Todos batem palmas.

Todos vão para um espaço em frente a igreja para a festa. Maria se prepara para jogar o buquê, todas as mulheres estão querendo pegar. Ela joga e Eva consegue o buquê. Fagner se aproxima e a beija.

Corta para/

Cena 35 Casa de Urso/ Dia 

Urso escreve em um seu computador. Pedro, Liz chegam. Um neném também chega nos braços de Pedro.

Urso (se levanta, beija Pedro) - Meu amor chegou! Meu filhinho...

Pedro (entrega o bebê para Urso) - Fala baixo, o Roy acabou de dormi. 

Liz - Eu gosto tanto de ver vocês dois tão felizes e ainda mais agora que tiveram um filho!

Pedro - Eu também, Liz!

Urso - Sou o pai mais feliz do mundo!

Corta para/

Cena 36 Casa do morro/ Dia 

Gina está com outros homens no local.

Gina - Agora que eu sou a nova chefa, tenho muita coisa a mudar nesse bairro... mas outras serão mantidas, como a paz e o sossego.

Todos batem palmas.

Corta para/

Cena 37 Delegacia/ Dia 

Jorge e Fátima estão na sala assinando alguns papéis. Jorge se levanta e se ajoelha para Fátima. 

Jorge (ansioso) - Eu tenho que falar isso porque não consigo mais esconder... Fátima, namora comigo?

Fátima  (surpresa) - Eu estou chocada com isso... você e eu?

Jorge - Vamos... me diz... é sim ou não?

Fátima - Não vou mentir... sempre te achei bonitinho... tá, vamos fazer um teste.

Jorge (se levanta) - Tenho certeza que vai da certo.

Os dois se beijam.

Corta para/

Cena 38 Barzinho/ Noite 

Geraldo e Cíntia estão num barzinho bebendo cerveja. Começa um plantão na televisão. 

Cíntia - Olha, amor, alguma coisa aconteceu.

Geraldo - Tomara que não foi grave.

Voz da televisão - Saiu o resuldado da mega sena... apenas uma pessoa fez os seis números, que foram: 13, 25, 33, 35, 45 e 47. O ganhador é da cidade do Rio de Janeiro...

Geraldo (se levanta, festejando) - Meu Deus! Foi quem ganhou!

Cíntia - Para de brincadeira. 

Geraldo - Não, é verdade! (Pega o jogo do bolso e mostra) aí. 

Cíntia  (feliz) - Meu Deus! Estamos ricos!

Geraldo (se ajoelha) - Agora sim eu posso fazer isso... Cíntia, você aceita se  casar comigo?

Cíntia - Claro que sim!

Os dois se beijam.

Corta para/

Dias depois.

Cena 39 Hotel/ Exterior/ Dia 

Maria e Leão se beijam dentro de uma piscina para frente ao mar. Close nos dois em vários ângulos. 

Os dois saem da piscina e se  deitam em duas poltronas na sombra. Um garçom caminha até eles e entrega um cartão presente para Maria.

Maria (surpresa) - Um cartão! De quem é?

Garçom - Não diz o nome, só diz que é do coração. 

O garçom se afasta. 

Leão - Que estranho... 

Maria (lendo) - Cara Maria e Leão, não pude ir ao casamento de vocês por conta da exposição mas prometo que logo logo irei ver vocês e a dona Eva. Beijos, minha Mariazinha. 

Leão - Que história é essa de Mariazinha?

Maria (surpresa) - Não pode ser...

Leão - O quê?

Maria - Só uma pessoa que me chamava assim...

Leão - Quem?

Maria - O Mário!

Corta para/

Cena 40 Casa luxuosa/ Interior/ Dia

Mário está apenas de sunga. Ele entra em uma banheira.

Trilha sonora: Fogo e Gasolina.

Mário (olha para uma foto de Maria e Eva) - Minhas queridas... sempre estiveram do meu lado... (se levanta e olha pela janela) eu me vinguei... vinguei daquele pedófilo desgraçado do Heleno... e a Fran? (Ri) pensou que iria me passar a perna! Morreu naquele acidente... todos aqueles idiotas pensaram que aquele corpo era o meu! E Jonas? Foi preso porque era a testemunha principal da morte do Heleno e foi tão fácil colocar aquela faca naquele apartamento (ri)... esses três se deram mal ao passar pelo meu caminho... agora é esperar a poeira abaixar e me encontrar com a mamãe e com a Maria... (pega uma taça de champanhe e brinda ao ar) um brinde ao maior golpista de todos! (Bebe).

A imagem desfoca até escurecer completamente. 



Palavras do autor:

Olá, me chamo Iuri! Sou o autor dessa obra que acabou de ser finalizada. Sou muitp grato a todos os leitores, em especial a Dariana e ao Diego, meus amigos, que sempre comentam comigo sobre essa novela. Foi um grande desafio pra mim tudo isso, porque teve tudo que gosto: vingança, tensão, briga e mistério. Finalizo aqui o mistério de minha outra web série 'Quem É O Assassino'.

Foram muitas web novelas que escrevi:

'Amor Quase Impossível'
'O Nordestino'
'O Preço da Ambição'

E ainda teve uma web série:

'A Luz Nas Trevas'

E agora, despedo do mundo das webs com 'Vinganças'

Todas tiveram seus pontos. Todas foram desafios para mim. Me despeço com alegria porque sei que fiz o que eu gostava e tive o apoio de pessoas maravilhosas. Agradeço imensamente, com carinho, Iuri❤.




Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.