Type Here to Get Search Results !

Marcadores

PRAZER, SATISFAÇÃO - ÚLTIMO CAPÍTULO

 



Cena 1. Rua. Praça. Dia.

Anne anda pela rua chorando muito, às vezes até soluça... Vários takes. Até que ela chega em uma praça vazia e se senta num banco. Ela fica por lá chorando e sentindo sua dor...  Close fechado nela. De repente uma mão vestindo luvas pretas tapa sua boca com um pano... Anne se debate, mas acaba desmaiando...

CORTA PARA: Um carro preto, de vidros escuros, manobra e arranca em alta velocidade, cantando pneu. Uma mulher olha para fora da grade de sua casa, assustada:

Mulher: O que será que foi isso?

Na preocupação da mulher;

Cena 2. Carro Preto. Dia.

Adelaide no banco de trás juntamente com Anne desmaiada. Luciano no volante e Renato ao seu lado. Carro em alta velocidade. 

Luciano: Tomara que ninguém tenha visto...

Renato: Daqui a pouco esse sequestro vai estar em todas as páginas de notícias...

Luciano: É... Vai! Mas assim que o dinheiro aparecer... A gente se manda pra Europa!

Adelaide: Os passaportes falsos estão aqui! Eu me chamarei Júlia, Luciano, Otávio e você Seu Renato, Florisberto!

Renato: Pô não tinha outro nome não?

Adelaide: Não, não tinha! Agora acelera essa porra logo Luciano! 

Luciano: Se eu acelerar mais vai dar na vista!

Luciano dá uma aceleradinha no carro... Close final em Anne desmaiada no colo de Adelaide...

Cena 3. Colégio Progredir. Pátio. Dia.

Danilo se levanta do chão com o nariz sangrando, mas sempre com olhar debochado. Em outro canto, Gabriel tenta acalmar Felipe, que está super nervoso:

Felipe: Ai que vontade de quebrar a cara do Danilo!

Gabriel: Felipe, meu brother, não fica assim! Por favor!

Felipe: A Anne nunca vai me perdoar! Eu perdi o amor da minha vida por causa do desgraçado do Danilo! Ele quis me ferrar cara! O que foi que eu fiz pra esse maluco?

Gabriel: Cê não fez nada! Eu reparei que ele tá meio estranho realmente... As pupilas dele tavam muito dilatadas e ele não parava de coçar o nariz!

Felipe: Cê acha que ele pode tá usando pó?

Gabriel: Eu acho sim!

Closes nos dois.

Cena 4. Rua vazia. Dia.

Danilo anda pela rua rindo, desnorteado, às vezes até tropeça.

Danilo: (rindo) A cara da Anne... (gargalha)

De repente escutamos barulho de sirene de polícia. Danilo se vira pra trás e é surpreendido com uma viatura policial freando em sua direção. Dois policiais descem com armas em punho.

Policial 1: (ordenando) Encosta, encosta!

Danilo encosta de cara pro muro.

Policial 2: A mochila cidadão!

Danilo: Qual foi seu polícia?

Policial 2: Quieto!

O policial 1 tira a mochila das costas de Danilo e a abre em cima do capô do carro. Ao abrir vê inúmeros pacotinhos de pó branco. Ele olha pra cara do policial 2...

Policial 1: Algema e bota na viatura. Quantos anos cê tem companheiro?

Danilo: (desesperado) Dezessete!

Policial 2: É... A mamãe vai ter que comparecer!

Danilo é algemado e colocado a força no banco de trás da viatura. O veículo segue a rua com a sirene ligada...

Cena 5. Mansão Mathias. Sala de Jantar. Dia.

Kelly e Kátia comem um strogonoff e bebem algo na enorme mesa de jantar...

Kelly: Ai Kátia... Hoje é o dia da gente se despedir do bordel...

Kátia: Ai eu não tô preparada... Foi um lugar onde eu ganhei dinheiro, fiz amizades, algumas inimizades também...

Kelly: Falar em inimizades... Nunca mais tive notícia do Raul...

Kátia: Tomara que aquela praga tenha evaporado, sublimado! Esse é um que eu sei que nunca mais vou ver...

Kelly: Tomara! (T) E depois desse strogonoff, o que você acha da gente tomar um banho de banheira hein?

Kátia: Banho de banheira de dia e à noite uma balada... Ai que saudade de beijar na boca menina! Deve fazer mais de um mês que eu não faço isso...

Kelly ri alto.

Kelly: (concorda rindo) Eu também! 

Cena 6. Química Blue. Sala da Presidência. Dia.

Juliana dá o último clique no notebook e o fecha, alegre.  Ela pega sua bolsa e sai da sala.

Cena 7. Química Blue. Corredor. Dia.

Juliana sai de sua sala e segue plena até o elevador, que se abre e ela entra...

Cena 8. Galpão Abandonado. Exterior. Dia.

O carro preto sai de uma estrada de terra e para em frente a um enorme galpão abandonado. Luciano e Renato saem do carro e abrem a porta para Adelaide e Anne.

Adelaide: Carrega ela!

Luciano pega Anne e a carrega no colo. Adelaide desce, fecha a porta e os quatro entram no galpão.

Cena 9. Galpão Abandonado. Interior. Dia.

Galpão enorme, pouca luz. Anne sentada numa cadeira, terminando de ter suas mãos amarradas por Adelaide. 

Adelaide: Ôh Luciano? Onde tá o champanhe? De repente meu deu uma sede...

Luciano aparece com uma garrafa de champanhe e três taças. Ele entrega uma a Adelaide e vai abrir a garrafa.

Adelaide: Ué... Cadê o seu Renato?

Luciano: Tá lá fora vendo a natureza... (ri)

Adelaide: Ai ai viu... Daqui essa menina acorda e a gente faz o quê? Desmaia ela de novo?

Luciano: Não! A gente deixa ela aí no escuro pensando na vida...

Adelaide: Se você que é o pai tá dizendo...

Ela ergue sua taça e Luciano enche de champanhe. Adelaide bebe.

Adelaide: Tá uma delícia isso aqui!

Luciano olha pra ela com cara de safado...

Cena 10. Matagal. Atrás do Galpão. Dia.

Renato está ali pensativo enquanto olha a natureza... Ele põe as mãos na cabeça, enquanto tem uma crise de consciência...

Flashback on: (cena 1 cap. 19)

Dentro do carro: Anne abraça Renato muito grata... Ele se rende e abraça de volta. Depois de um tempo eles se soltam.

Anne: (emocionada e com os olhos marejando) Você salvou a minha vida!

Os dois sorriem um pro outro. 

Renato: Agora eu preciso te levar pra sua família não é menina?

(Sequência: Cena 2 cap. 19:)

Anne: Eu nunca vou conseguir agradecer o que o senhor fez por mim!

Renato: Quê isso!

Anne: É sério! Nunca vou te esquecer!

Renato: Tome mais cuidado da próxima vez garota!

Ela acaricia a mão dele, em seguida desce do carro e segue a rua. Renato sorri emocionado.

Flashback off.

Renato com uma expressão desanimada e arrependida...

Renato: A minha neta... Eu não posso estar fazendo certo! Ela é minha neta!

A mão de Luciano toca o ombro do pai que se assusta.

Renato: Pô que susto meu filho!

Luciano entrega a taça de champanhe para ele.

Luciano: Pra você! Daqui a pouco estaremos tomando isso aqui é nos melhores hotéis de Dubai meu querido...

Renato: Cês não vão machucar a Anne não, né?

Luciano: Ihhh... Que é hein pai? Do nada um sentimentalismo aí?

Renato: Eu só tenho dó da menina é isso!

Luciano: Fica tranquilo que nada vai acontecer com a pirralha! É só a gente receber o dinheiro e devolve ela! Sem nenhum arranhão!

Cena 11. Mansão Mathias. Sala. Dia.

Juliana ao celular desesperada. Kelly, Stela e Kátia ao redor dela, aflitas. Ritmo.

Juliana: Gente a Anne não atende... Eu tô muito preocupada! Já são 2 horas da tarde e ela não chega! Ai meu Deus...

Kelly: Pois é... Eu liguei pro Felipe e ele também não tá com ela!

Nesse momento a campainha toca. Kelly corre para abrir. É Felipe.

Kelly: Felipe! Você não tem idéia de onde ela pode ter ido?

Felipe: Se aconteceu alguma coisa com a Anne, a cúlpa é minha! Eu quero e vou ajudar vocês no que forem preciso!

Juliana: Eu vou ligar pra Talita, pra ela contactar aquele amigo dela que é delegado!

Stela: Mas normalmente eles não esperam 24 horas?

Juliana: Mas esse é amigo! Ele pode mexer os pauzinhos! Eu tô desesperada!

Stela: Calma! Juliana, é melhor você ligar do meu celular!

Juliana: Por quê?

Stela: Eu não quero te assustar, mas... Pode ter sido um sequestro!

Todos na sala, amedrontados. Clima fica tenso.

Stela: Você acabou de tomar posse de uma das maiores empresas do Brasil! Com certeza, sua vida tá visada! Se pegaram a Anne, eles vão ligar pro seu número pra pedir resgate...

Juliana começa a andar de um lado pro outro, nervosa. 

Cena 12. Galpão. Interior. Dia.

Anne começa a despertar, estranhando o lugar.

Anne: Que lugar é esse...

Ela olha em volta, vê tudo escuro e tenta soltar, mas percebe que está amarrada.

Anne: SOCORROOOOOOO! ALGUÉM ME TIRA DAQUI.

De repente escutamos ruídos de ratos.

Anne: (desesperada) Ai meu Deus isso é rato!

Por um feixe de luz, ela vê uma enorme ratazana passando por ali. Ela esguela:

Anne: AHHHHHHHHHHHHH! Socorrooooooo!

Cena 13. Galpão. Exterior. Dia.

Escutamos os gritos em off. Adelaide morrendo de rir ao lado de Luciano. Renato chega correndo até eles.

Renato: (bravo) Por quê a menina tá gritando?

Adelaide: (debochada) Foi o presentinho que eu deixei pra ela! (Risos)

Renato não se contém e dá um tapa na cara de Adelaide, que fica chocada.

Adelaide: (com a mão na face) Quê isso, seu velho idiota?

Renato: Eu disse que não era pra fazer nenhuma maldade com a Anne e você vai lá faz o quê, sua vagabunda?

Luciano intervém na briga.

Luciano: Ei ei ei! Vamo parar! Tá na hora de ligar pra Juliana, antes que ela ligue pra polícia! (T) Adelaide me dá o misturador de voz!

Adelaide irritada pega o misturador de voz dentro da bolsa e entrega para Luciano.

Adelaide: (p/ Renato, apontando o dedo) Olha aqui, eu não engoli esse tapa não tá?

Luciano: Ó, eu já tô ligando!

O telefone fica a chamar... Luciano já coloca o misturador de voz perto da boca.

Cena 14. Mansão Mathias. Sala. Dia.

Os mesmos da cena 11. O celular de Juliana toca. Ela voa pra atender:

Juliana: (cel) Alô?

Ela coloca o celular no viva-voz e pede para que todos façam silêncio.

Luciano: (voz misturada) Juliana... A nova ricaça do pedaço!

Juliana: (cel) Cadê a minha filha?

Luciano: (voz misturada) Vou ser rápido, a sua filha tá comigo sim! Quer ouvir os gritos?

Cena 15. Galpão. Exterior. Dia.

Luciano vai com o celular até perto da porta e mira o microfone nos gritos de Anne.

Cena 16. Mansão Mathias. Sala. Noite.

Juliana já começa a chorar, desesperada. Closes nas caras medrosas de todos à volta.

Luciano: (voz misturada) Eu quero cinco milhões à meia noite no endereço que eu vou te mandar, ou a sua filhinha morre! E aí?

Close em Juliana sem chão... Muita tensão.

Abertura:

Cena 17. Belo Horizonte. Stock Shots. Noite.

Anoitece na cidade. Último take na Mansão de Juliana.

HORA - 23:20

Cena 18. Mansão Mathias. Sala. Noite.

Juliana fecha uma mala de rodinhas com a ajuda de Stela.

Juliana: (apreensiva) Eu tô com tanto medo deles terem estuprado a minha filha...

Stela: Com fé em Deus, não vai ter acontecido nada! E eu acho até...

Juliana: O quê?

Stela: Será que não pode ter sido o Luciano que armou esse sequestro?

Juliana: Será que ele teria coragem... Ele teria! Ele é um monstro Stela, um monstro! E eu tenho certeza que a Adelaide pode tá envolvida nisso também!

Stela: Com certeza!

Juliana: Mas pra ver a minha filha bem... Eu entrego essa merda desse dinheiro pra esses canalhas sim!

O celular de Juliana toca:

Juliana: (olha no visor) É o delegado!

Juliana atende, Stela na expectativa:

Juliana: (cel) Alô delegado? (T) Sim, sim! (T) Você não acha que é muito arriscado? Eu temo pela segurança da minha filha! (T) Se o senhor diz... Tudo certo então!

Juliana desliga. 

Stela: O que foi que ele disse?

Juliana: Eu te conto no caminho! Agora vamos, que quando a gente estiver na metade do caminho, o sequestrador vai ligar avisando!

Kelly e Kátia descem as escadas correndo: 

Kelly: Mãe, eu queria ir com vocês!

Juliana: Você tá louca minha filha? Não! Nem a Stela devia ir... Era só simplesmente eu!

Stela: Mas eu não posso deixar você ir sozinha!

Juliana: Bom meninas, qualquer coisa a gente liga! Vamos Stela!

Juliana puxa a mala e Stela abre a porta. As duas saem. Kelly e Kátia dão as mãos, apreensivas. Kátia abraça Kelly...

Cena 19. Galpão. Interior. Noite.

Anne ainda amarrada na cadeira. Luciano vem por trás coloca uma touca que cobre toda a cabeça dela. 

Anne: O quê você vai fazer comigo?

Luciano: Fica quieta!

Luciano começa a desamarrar suas pernas... As mãos continuam amarradas.

Anne: Espera... Eu conheço essa voz... Pai?

Luciano: Cala a boca garota!

Anne: Meu Deus do céu... É o meu pai sim! Luciano... Como você foi capaz?...

Luciano: Xiiiiu!

Ele puxa os cabelos dela por trás e a faz levantar.

Luciano: Vem, anda!

Ele leva Anne para o exterior do galpão.

Cena 20. Galpão. Carro. Exterior. Noite.

Luciano abre o carro e joga Anne lá dentro. Em seguida aperta o alarme, que trava todas as portas.

Luciano vai conversar com Renato:

Luciano: Você já entendeu como vai ser né?

Renato: Infelizmente eu entendi...

Luciano retira duas toucas ninja do bolso e entrega uma para Renato. Adelaide vai correndo até eles.

Adelaide: E aí?

Luciano olha no relógio de pulso.

Luciano: É, tá na hora! Vamo!

Adelaide vai pro banco de trás, Luciano pro motorista e Renato ao lado dele. Luciano liga o carro, aciona os faróis e segue pela estrada de terra...

Cena 21. Estrada de Terra. Carro de Juliana. Noite.

Local muito escuro. O carro de Juliana para por ali. Juliana olha para Stela, com apreensão...

Cena 22. Matagal. Carro Preto. Noite.

O carro está parado atrás de um matagal, perto da estrada de terra. No interior: Adelaide corta um pedaço de fita, tapa a boca de Anne e em seguida coloca a touca nela de volta.

Luciano: Deu a hora! Vai lá pegar a grana pai!

Renato respira fundo, coloca a touca ninja e sai do carro.

Cena 23. Estrada de Terra. Noite.

Renato sai da mata e vai para a estrada, já avistando o carro de Juliana. Juliana desce do carro arrastando a mala e fica frente a frente a ele.

Juliana: Trouxe o dinheiro! Agora cadê minha filha?

Renato: Primeiro abre a mala! Quero ver se os cinco milhões estão aí!

Juliana se abaixa com cuidado e abre a mala, revelando-se inúmeras notas de duzentos.

Renato: Parece que tá certo...

Renato se abaixa, fecha a mala e sai arrastando para o interior da mata.

Juliana: (ansiosa) E a minha filha?

Renato: Eu vou buscar a garota!

Ao dizer isso, Luciano, de touca já aparece rapidamente por ali e empurra Anne no chão. 

Juliana: Anne, filha!

Anne não consegue dizer nada. Apenas se debate no chão. Quando Luciano e Renato vão correr, três policiais aparecem já apontando a arma para eles.

Policial 1: Onde pensam que vão?

Luciano saca uma arma e atira no ombro de um dos policiais. Enquanto isso, Juliana tira a touca de Anne, a ajuda a levantar-se do chão e as duas correm pro carro. Um policial atira no peito de Renato. Em câm lenta: Luciano vê a cena barbarizado.

Luciano: (sua voz ecoa) Pai!

Luciano não pensa duas vezes e sai correndo, mata a dentro. Ele atira várias vezes contra os policiais, que correm em sua direção. Renato sua frio e cai pra trás, se esvaindo em sangue... Anne vê tudo pela janela do carro, chocada.

Stela: Juliana, volta lá e pega a mala!

Juliana: Mas aquele homem?...

Stela: Ele já tá morto! E olha a polícia vindo aí!

A frente vemos uma viatura de polícia vindo e parando em frente ao carro de Juliana. Juliana desce de seu carro e vai pegar a mala. Renato, muito fraco consegue tirar a touca ninja de seu rosto. 

Renato: (fraco) A Anne...

Juliana: O quê?

Anne sai do carro e vai para o lado da mãe.

Renato: Anne...

Anne olha pra cara de Renato e lembra na hora.

Anne: (surpresa) Caio? Mas foi você que...

Renato: (fraco) Eu sou seu avô... (pausa dramática) Eu sou pai do seu pai! Me perdoa... Me perdo...

Renato apenas fecha os olhos, morto. Anne abraça a mãe, horrorizada com o que acabara de ver...

Cena 24. Matagal. Carro Preto. Noite.

Luciano vem correndo, veloz, e entra no carro. 

Adelaide: O que tá acontecendo? Eu ouvi barulho de tiro! E cadê o dinheiro?

Luciano: Mataram meu pai porra! Vamo fugir daqui logo!

Luciano liga o carro, manobra e dá partida com toda velocidade possível. Ele atropela vários troncos de árvore e passa por cima do enorme monte de capim. Os policiais vem correndo e atiram no vidro de trás do carro. Adelaide grita. Luciano pisa fundo no acelerador e consegue sumir da vista dos policiais...

Cena 25. BH. Stock Shots. Dia.

Amanhece na cidade. Último take na Mansão de Juliana.

Cena 26. Mansão Mathias. Quarto de Anne. Dia.

Anne dormindo. Juliana entra no quarto com uma bandeja de café da manhã.

Juliana: Bom dia filhota...

Anne acorda manhosa... Juliana se senta na cama ao lado dela.

Anne: Bom dia mãe... 

Juliana: Tá melhor?

Anne: Estou... Eu nunca mais quero pasar pelo que eu passei mãe... Nunca!

Juliana: A segurança já está reforçada! O motorista vai te levar e te buscar na escola todo dia!

Anne: Eu fico mais tranquila...

Juliana: Agora toma esse café que eu trouxe pra você!

Anne: Hum... Tá com uma cara ótima!

Anne pega a bandeja e se serve... Juliana observa a filha comendo, satisfeita...

Cena 27. Mansão Mathias. Jardim. Garagem. Dia.

Kelly e Kátia caminham até o carro de Kátia.

Kelly: Nós vamos mesmo fazer isso?

Kátia: Vamos! Agora são novos tempos Kelly!

As duas se olham com olhar de firmeza e seguem para o carro.

Cena 28. Bordel Lovely's. Escritório. Dia.

Kelly, Kátia, Taís e Lara reúnidas na mesa do escritório:

Kelly: Nós chamamos vocês aqui...

Taís: (desanimada) Eu já até imagino pra quê...

Kátia: O nosso tempo aqui no bordel acabou meninas... Agora é a hora de passar o nosso bastão!

Kelly: E nós escolhemos vocês!

Taís e Lara se emocionam...

Instrumental emoção:

Kátia: Vocês duas foram as que mais demonstraram apreço por esse lugar! Nós estamos dando o bordel a vocês!

Lara: (emocionada) Eu... Eu nem consigo acreditar! Agora eu e a Taís somos as novas donas?

Kelly: Sim, vocês são!

Taís: Eu nem sei como agradecer vocês!

Kátia: Nos dê um abraço!

As 4 se levantam e dão um forte e verdadeiro abraço coletivo...

Cena 29. Bordel Lovely's. Corredor. Dia.

Kelly, Kátia, Taís e Lara passam pelo corredor para chegar nas escadarias. Até que escutamos um choro de bebê vindo de um dos quartos.

Kelly: Quê isso?

Todas se olham.

Cena 30. Bordel Lovely's. Quarto. Dia.

As quatro entram no quarto e vêem um bebê deitado na cama.

Kátia: Como é que esse bebê veio parar aqui?

Taís: Veio uma moça se prostituir aqui... Ninguém sabia que ela tinha esse filho.

Lara: Ela evaporou ontem e deixou uma carta pedindo para que achássemos um lar pra esse bebê...

Kátia e Kelly se olham, como se estivessem pensando a mesma coisa.

Cena 31. Galpão Abandonado. Andar de cima. Dia.

No andar de cima do galpão: Adelaide e Luciano dormem atrás de uma máquina, mas são acordados com a forte claridade de um feixe de luz.

Luciano: (se espreguiçando) Aiiii... Minhas costas...

Adelaide: Nem acredito que a gente voltou pra estaca zero...

Luciano: Pelo menos a gente conseguiu fugir...

Adelaide: Sem a grana...

Os dois esfregam os olhos e vão se levantar... Quando os dois olham para frente vêem 3 policiais. Eles paralisam, em estado de choque.

Policial 1: Polícia Militar! (Mostra o crachá) Vocês dois estão presos!

Luciano: (não se rende) Eu prefiro morrer do que ser preso! 

Luciano passa por cima dos policiais e vai pular a grade de proteção...

Adelaide: (se desespera) Não Lucianoooooooo!

Foco em Luciano morto lá em baixo. Muito sangue sai de sua cabeça... Adelaide começa a chorar copiosamente e é algemada por um policial. Ela não se debate e aceita ser conduzida por eles... 

Cena 33. Presídio Feminino. Cela. Dia.

Adelaide, vestindo o uniforme presidiário e carregando uma muda de roupa e acompanhada por uma carcereira é lançada dentro de uma cela. Adelaide olha para a cara das presas, com desgosto... Uma lágrima escorre de seu olho.

Adelaide: (grita) AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!

Seu grito ecoa...

Intervalo.

Cena 34. Colégio Progredir. Diretoria. Dia.

Stela e Yara:

Stela: Que decepção hein Yara... Que falsidade também né? Eu que achava que você era uma pessoa do bem, não passa de uma traíra, que desviava dinheiro dessa escola e ainda queria colocar a cúlpa em mim!

Yara: Esse cargo era pra ser meu! Sempre foi pra ser meu! Você me roubou...

Stela: Tá louca? Roubei coisa nenhuma! Tô aqui por mérito meu! Meu Deus... Como eu nunca tinha reparado que tanta gentileza, tanto agradinho, era tudo falsidade! Preciso falar que você está demitida?

Yara: Isso não vai ficar assim!

Stela: Não mesmo! A polícia já vai cuidar disso!

Yara sai da sala e bate a porta com força.

Stela: Sai pra lá encosto... (respira fundo)

O celular de Stela toca. Ela atende:

Stela: (cel) Alô? (T) A Adelaide foi presa? E o Luciano? (Ouve chocada) Ele morreu? Não acredito...

Close em Stela.

Cena 35. Colégio Progredir. Pátio. Dia.

Movimentação de alunos no intervalo. Thiago e Gabriel conversam num cantinho:

Gabriel: Eu estive pensando amor... E contar do nosso relacionamento pros nossos pais agora vai ser um desgaste!

Thiago: Por quê você acha isso?

Gabriel: Eu andei pensando e não vejo necessidade disso agora! E falando sério: Nós vamos contar do nosso namoro, por sermos gays ou por causa exclusivamente do nosso amor?

Thiago: Pelos dois?

Gabriel: Um casal hétero pode namorar a vontade sem precisar desse fantasma de ter que se assumir! Que eles descubram com o tempo! Eu não quero desgastar meu psicológico! Sou muito jovem pra ter cabelo branco!

Thiago: Cê tem razão! Nós não somos obrigados a enfrentar esse sistema preconceituoso! Deixe que ele nos enfrente! Afinal, somos um casal normal, como qualquer outro! O amor é igual! E é ele que importa!

Instrumental: Geleira do Tempo - ANAVITÓRIA ft. Jorge e Mateus.

Gabriel sorri para Thiago.

Gabriel: Quer ir num lugar comigo agora?

Thiago: Onde?

Cena 36. Colégio Progredir. Vestiário. Dia.

Gabriel e Thiago entram. Gabriel tranca a porta.

Gabriel: Dessa vez ninguém atrapalha nosso momento! E eu já conferi: Ninguém vai vir aqui nesse banheiro! Esse espação é só nosso!

Os dois se beijam calorosamente, com muita vontade. Gabriel tira a blusa, Thiago faz o mesmo em seguida. Eles dão mais um beijo. Gabriel tira um preservativo do bolso mostra pra Thiago, que sorri, safado. Os dois dão as mãos e se olham muito apaixonados... Close nas mãos dadas...

Cena 37. Clínica de Reabilitação. Exterior. Dia.

Filipa (mãe de Danilo) sai do prédio da clínica, arrasada...

Filipa: Ôh meu filho... Deus cuide de você e te livre desse vício...

Transição com:

Cena 38. Clínica de Reabilitação. Quarto. Dia.

Danilo deitado numa maca amarrado. Ele chora amargamente... Clima de tristeza...

Cena 39. Mansão Mathias. Fachada. Dia.

Mostra a fachada da Mansão... 

6 MESES DEPOIS...

Cena 40. Mansão Mathias. Sala. Dia. 

Juliana (vestida para uma festa) segurando um bebê no colo... Stela (também muito elegante) vai até ela, sorridente.

Stela: O Fernandinho já dormiu amor?

Juliana: Dormiu... Ele quase não chora né?

Stela: É isso é verdade... Agora entrega ele pra babá, senão a gente vai se atrasar pro casamento!

A babá aparece na sala e Juliana entrega Fernandinho a ela.

Juliana: Acho que é o primeiro casamento a três que eu presencio...

Stela: Eu também...

Juliana: Rodrigo, Amanda e Vanessa... Nunca imaginei que mais uma ali ia dar certo... (ri)

Nesse momento, Kelly, Kátia e Anne descem as escadas, super arrumadas.

Kelly: E então? Vamos?

Juliana: Deixa eu só dar o último beijo no meu bebê!

Juliana beija a cabecinha de Fernandinho. 

Cena 41. Sítio. Dia.

Tudo muito arrumado. Rodrigo no altar acompanhado de um padre. Visão geral nas cadeiras. Foco em Talita e Tadeu dando um beijo. Juliana, Stela e as meninas chegam e vão se sentar nas cadeiras da frente. Foco na entrada: Vanessa e Amanda vestidas de noiva e de braços dados entram pelo tapete vermelho... Rodrigo ajeita a gravata... Todos os convidados olham alegres...

CORTA PARA: Fora de áudio, o padre faz a benção. Rodrigo coloca a aliança no dedo de Vanessa, em seguida uma no dedo de Amanda. Rodrigo mostra pro povo suas duas mãos com as alianças... Uma foto dos três é tirada: Rodrigo no meio e Vanessa e Amanda dão um beijo no rosto dele de cada lado. Após aplausos, eles dão um beijo triplo... Emoção... A cena escurece.

Cena 42. Praça. Dia.

Imagem clareia: Felipe e Anne se encontram:

Felipe: Anne... Já se passou muito tempo... Eu queria saber se há alguma possibilidade de conseguir o seu perdão! Eu te amo, entenda isso!

Anne: Olha Felipe... Eu gostava de você... Muito! Te amava! Mas daí eu me senti usada, um troféu, um objeto... Isso me abalou de uma maneira muito forte... Eu acho que eu não consigo voltar pra você não! Pelo menos por agora!

Felipe: Você pelo menos me perdoa?

Anne: Eu te perdôo sim!

Felipe: Obrigado!

Ele pega as mãos dela e beija-as.

Anne: Pra você não sair daqui me achando uma bruxa... Eu te digo: Pode ser que algum dia... A gente volte a se falar...

Felipe: Só a se falar?

Anne: Quem sabe?

Felipe: Olha que eu vou cobrar hein...

Anne balança a cabeça e sai dali rindo... Felipe fica por lá.

Felipe: Um amor desses... Nunca era pra ter se perdido... Te amo Anne...

E ele se vira de costas, tristonho...

Cena 43. Mansão Mathias. Jardim. Dia.

No lindo e florido jardim: Um altarzinho montado com uma pequena banherinha em cima... Ali estão: Juliana, Stela, Kelly, Kátia, Anne, Talita, Tadeu, Rodrigo, Vanessa, Amanda, Gabriel, Thiago e muitas outras pessoas assistindo ao batizado. O padre carrega Fernandinho e molha sua cabecinha com a a água da banheirinha. Todos olham emocionados, principalmente Juliana e Stela, que não contém o choro...

Instrumental: Resto de mim - Maria Bethânia. (Até o fim do capítulo)

CORTA PARA: Todos os convidados espalhados pelo espaço, comendo e bebendo. Stela e Juliana caminham por lá de mãos dadas:

Stela: É... Depois de tantos problemas... A gente realizou nosso sonho!

Juliana: Era como a gente tinha prometido à nós mesmas... Eu e minhas filhas, você e sua filha...

Stela: E nós:

Juntas: O nosso filho!

Elas riem... 

Juliana: Vamos tirar uma foto da nossa família?

Stela: Claro! (Grita:) Kátia, Kelly, Anne! Venham pra foto!

Corta para: Stela carregando Fernandinho, Juliana ao seu lado e Kelly, Kátia e Anne espalhadas se posicionam para a foto:

Fotógrafo: Digam Xis!

Elas sorriem e a foto é tirada! Num flash, a imagem congela nesse take mesmo. No clima de felicidade, aparece a palavra:

Fim

ELENCO:

Tainá Müller - Juliana

Cris Vianna - Stela

Isabella Scherer - Kelly

Isabella Moreira - Anne

Carmo Dalla Vecchia - Luciano

Gabriel Godoy - Raul

Roberta Rodrigues - Adelaide

Matheus Costa - Felipe

Guilherme Machado - Danilo

Yago Machado - Tiago

Drico Alves - Gabriel

Gabriela Saraivah -Fernanda

Giovanna Chaves - Eduarda

Bella Fernandes - Gabriela (Gaby)

Mary Sheyla - Yara

Manuela Aliperte - Taís

Letícia Lima - Amanda

Bárbara França - Vanessa

Anna Rita Cerqueira - Lara

Jéssika Alves - Talita

Anderson Di Rizzi - Tadeu

Caio Paduan - Henrique

Arianne Botelho - Rayane

Marcos Junkeira - Juarez

Beatrice Sayd - Viviane

atriz convidada: Gabz - Kátia

atores convidados: Walter Breda - Renato

Antônio Fagundes - Fernando



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.