Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entre Pais e Filhos - Antepenúltimo Capítulo (Reprise)

 


 Entre Pais e Filhos - Capítulo 18

Cena 01 - Hospital - Quarto - Noite

Uma pessoa entra e acende a luz do quarto. Arthur pensa que é sua mãe e diz: 

Arthur: Já voltou mamãe? 

Ao se virar ele percebe que não é sua mãe e sim o seu irmão Murilo, ao se olharem os dois se emocionam. 

Murilo: Me perdoa irmão. 
Arthur: Estou tão feliz que está de volta. 
Murilo: Eu errei. Fui mesquinho em só pensar em mim. 
Arthur: Não se preocupe, o importante é que você voltou. 
Murilo: Eu causei sofrimento a você e também a mamãe. 
Arthur: A doença não é sua culpa. 
Murilo: Você me perdoa? 
Arthur: É claro. Eu te amo irmão. Não sabe a falta que me fez. 
Murilo: Me dá um abraço? 

Os dois dão um forte abraço e selam a amizade e amor entre dois irmãos. 

Murilo: Onde está a mamãe? 
Arthur: Ela foi até a casa da tia Eduarda. 
Murilo: A tia Eduarda me enganou. Ela inventou mentiras e tentou mudar meu pensamento. 
Arthur: O importante é que você reconsiderou. 
Murilo: E pensar que por um tempo eu acreditei naquelas malditas palavras dela. 

Murilo se lembra das mentiras contadas por Eduarda. 

Arthur: Deixe isso para lá. 
Murilo: Depois vou acertar as contas com ela. 
Arthur: Eu tenho que te contar uma coisa. 
Murilo: O que? Pode falar. 
Arthur: O papai voltou. 
Murilo: Como assim ele voltou? 

Arthur conta toda a história para o irmão sobre a volta de César. 


Cena 02 - Casa de Bruno e Hugo - Quarto do casal - Noite

Bruno e Hugo estão preocupados pois está chegando o dia da adoção definitiva. 

Bruno: Estou ficando preocupado meu amor. 
Hugo: Eu também estou. 
Bruno: Agora que a Helena está afastada do trabalho por causa do filho, eu não sei se vamos conseguir a guarda definitiva. 
Hugo: Vamos conseguir. Temos que ter fé. 
Bruno: A Helena já nos conhecia e sabia do nosso dia a dia. 
Hugo: Amanhã vai vir o novo assistente social. 
Bruno: Ele disse o horário? 
Hugo: Não. Apenas confirmou que leu os relatórios da Helena e virá fazer uma visita amanhã. 
Bruno: Espero que seja uma boa pessoal. 
Hugo: Eu também. Mas nós somos bons pais, cuidados do Daniel com muito amor.
Bruno: Eu sei disso, porém não sabemos como esse novo promotor vai agir. 
Hugo: Tenha calma. Temos que estar tranquilos quando ele vier. Nós vamos conseguir. 
Bruno: Por nosso família? 
Hugo: Sim pela nossa família. 


Cena 03 - Casa de Eduarda - Sala - Noite

Eduarda está na sala e prepara um suco e coloca junto um veneno na intenção de que sua irmã tome. 

Eduarda: Pobre Helena, desta noite você não passa. 

Ela deixa tudo preparado na espera de Helena. 


Cena 04 - Casa da família Gonçalves - Sala - Noite

Raquel anuncia para a família que vai disputar um campeonato de futebol e será a capitã do time. 

Raquel: Tenho um anúncio para fazer a todos vocês. 
Melissa: Vai me dizer que vocês conseguiram? 
Carmen: Conseguiram o que? 
Raquel: O time do qual faço parte conseguiu entrar em um campeonato juvenil muito conhecido. 
Melissa: Parabéns irmã, fico muito feliz por você. 
Carmen: Eu não quero. Você não vai jogar nenhum campeonato. 
Jorge: Você não vai impedir nossa filha de ser feliz. 
Raquel: Mamãe quero que me fale quais são os motivos pelo qual odeia tanto o que faço. 
Carmen: Eu já te disse várias vezes Raquel. Chega. 

Carmen sai da sala e vai para seu quarto. Raquel decide ir atrás da mãe. 


Cena 05 - Casa de Eduarda - Sala - Noite

Eduarda está a espera de Helena até que alguém toca a campainha. Ela logo vai atender a porta e ao ver que era Matheus e Marcos ela fica com raiva. 

Eduarda: O que vocês querem aqui? Eu já disse que não era para voltar. 
Matheus: Eu vim buscar minhas coisas. 
Eduarda: Pega tudo e vai embora. Vocês não são bem vindos aqui.  
Matheus: Como pode falar assim comigo? Sou seu filho. 
Eduarda: Não venha com sentimentalismo barato. Pegue e o que veio buscar e rua. Não quero pessoas como vocês dentro da minha casa. 
Marcos: Um dia a senhora pode se arrepender de tratar seu filho assim. 
Eduarda: E quem é você para vir me dar lição de moral na minha própria casa? 
Marcos: Eu não sou o namorado e futuro marido do seu filho. 
Eduarda: Futuro marido? Não me faça rir. 
Matheus: Rir porque mãe? 
Eduarda: Vocês jamais serão felizes, porque pessoas como vocês estão condenadas ao fracasso e a infelicidade. 
Matheus: Que comentário mais preconceituoso, mas saiba que não vai me afetar com isso. 

Matheus vai até seu antigo quarto e começa a pegar suas coisas junto com Marcos. 



Cena 06 - Casa de Silvana - Sala - Noite

Silvana continua tendo complicações na gravidez. A mulher tem fortes enjoos e devido a sua situação sua mãe veio para ajudar. 

Bárbara: Filha você não está bem a dias. Precisa ir ao médico. 
Silvana: Eu já disse que estou bem. 
Luiz: Você não está bem Silvana. Deixe de ser teimosa. 
Bárbara: Você vai ao médico filha. Já passou da hora. 
Silvana: Eu sou adulta. Sei bem o que é bom para mim. 
Luiz: Esperamos tanto para ter esse filho, temos que se cuidar Silvana. 
Bárbara: Pelo que sei o médico orientou para que fosse ao médico caso se sentisse mal. Sua gravidez é de risco. 
Silvana: Chega. Parem de me tratar como criança. 

Silvana se levanta, mas acaba tendo uma forte tontura e desmaia. 

Bárbara: Filha!
Luiz: Meu amor. Reage amor. 

Os dois tentam acordar Silvana sem sucesso e então a levam imediatamente ao hospital. 


Cena 07 - Hospital - Quarto - Noite

Arthur termina de contar tudo o que aconteceu para Murilo e o mesmo chora. 

Murilo: Ele não tinha o direito de voltar depois de tantos anos como se nada tivesse acontecido. 
Arthur: Ele tentou me explicar os motivos dele. 
Murilo: Você sempre foi muito bom Arthur, mas nem todas as pessoas são assim. 
Arthur: Não estou aqui o defendendo, mas tento entender os motivos pelo qual ele fez isso. 
Murilo: Nada justifica um pai abandonar um filho. Nada. 
Arthur: Eu sei disso. 
Murilo: E para piorar ele só voltou após vinte anos. 
Arthur: Temos que perdoá-lo. 
Murilo: Eu não sei se consigo. Nós e nossa mãe sofremos muito. 
Arthur: Eu posso morrer a qualquer momento irmão, não quero partir com isso em meu coração. 
Murilo: Você não vai morrer. Eu não vou permitir. 

Murilo corre até a sala do doutor Vitor e o chama para dizer que vai fazer os exames de compatibilidade. 


Cena 08 - Casa de Allan - Quarto de Ana - Noite

Ana não quer que o pai fique com outra mulher, ela acha que isso é uma tentativa de esquecer sua mãe. 

Ana: Ninguém vai ficar no lugar dela. Ninguém. 

A pequena garota decide fugir de casa, mas é impedida por Tainá que a vê sair. 

Tainá: Aonde pensa que vai mocinha? 
Ana: Eu vou embora. Não quero mais ficar aqui. 
Tainá: E por qual motivo? 
Ana: Não quero que me façam esquecer de minha mãe. 
Tainá: Minha querida jamais iríamos fazer isso. 
Ana: Mas você está com meu pai. 
Tainá: Sim eu e seu pai estamos namorando, mas jamais faríamos com que você esquecesse sua mãe. 
Ana: É verdade? 
Tainá: Sim é verdade. 

Tainá pega Ana no colo. 

Tainá: Deixa eu te contar uma coisa. Quando as pessoas morrem nós devemos guardar o carinho e amor delas em um lugar aonde nunca iremos esquecer. 
Ana: Na memória? 
Tainá: Não. No coração. 
Ana: No coração? 
Tainá: Exatamente. Enquanto tiver sua mãe em seu coração, jamais vai se esquecer dela. Jamais. 

Ana dá um abraço em Tainá e Allan vê tudo feliz e orgulhoso e abre um sorriso.


Cena 09 - Casa de Eduarda - Sala - Noite

Matheus termina de arrumar suas coisas e Eduarda manda o filho ir embora. 

Eduarda: Agora que já pegou os seus trapos, pode ir embora. 
Matheus: Eu vou. Mas vou perguntar pela última vez. 
Eduarda: Perguntar o que? 

Helena está chegando na casa de Eduarda e a porta está semiaberta, mas percebe que Matheus e ela estão conversando e fica escutando atrás da porta. 

Matheus: Quer de fato que eu, sou único filho saia de sua vida para sempre? 
Eduarda: Você não é meu filho Matheus. 

Matheus, Marcos e Helena escondida se assustam. 

Matheus: Como assim? É impossível. 
Eduarda: É possível sim. Você nasceu no mesmo dia que o Murilo se lembra? 
Matheus: Eu não estou entendo. 
Eduarda: Eu troquei vocês na maternidade quando nasceram. 

Helena fica em choque. 

Eduarda: Você é filho da Helena e o Murilo é o meu verdadeiro filho. 

Neste instante Helena aparece chorando e endurecida. 

Helena: O que disse? Como assim trocou nossos filhos na maternidade? 


Cena 10 - Hospital - Sala de exames - Noite

Mostra Murilo fazendo coleta de sangue para os exames de compatibilidade e sorrindo por estar ajudando o irmão. 

Murilo: Minha mãe ficará orgulhosa de mim. 


Cena 11 - Casa de Eduarda - Sala - Noite

Helena está cara a cara com Eduarda e questiona a irmã. 

Helena: Conta a verdade Eduarda. Conta. 
Eduarda: Eu não tenho nada para contar Helena. 

Matheus está chorando e Marcos o abraça. Helena pega no rosto de Eduarda e exige a verdade. 

Helena: Fala a verdade. Agora. 
Eduarda: Está bem eu confesso. Troquei os nossos filhos na maternidade. 
Helena: Porque fez isso? Que mal eu te fiz? 
Eduarda: Que mal você me fez? Você apareceu em nossas vidas. 

Eduarda relembra seu passado. A muitos anos quando ainda era pequena ela provocou o acidente que matou a sua outra irmã. Então os pais de Eduarda, passaram a tratá-la diferente. 

Eduarda: Desde aquele dia nossos pais me olhavam como um monstro. 
Helena: A Fabiana morreu. Nosso pais morreram, mas você não tinha o direito de fazer isso. Jamais. 
Eduarda: Você passou a ser o centro das atenções e eu fiquei menosprezada. Desde então eu te odeio Helena. Te odeio. 
Helena: Você é doente. 
Eduarda: Eu decidi me vingar de você. Fiquei com seu marido. Mas para minha infelicidade o filho não era dele. 
Helena: Você queria a minha vida? 
Eduarda: Então eu toquei nossos filhos, para ficar com a criança que era filha do César, pensando que assim ele ficaria comigo mas aquele idiota resolveu fugir. 
Matheus: Você é um monstro. 
Helena: Você tentou destruir a minha vida. Como pode. Você matou o amor que eu sentia por você. 
Eduarda: Eu nunca te amei. Eu destruí a sua vida. Roubei seu marido e seu filho e agora o seu pobre Arthur está morrendo. Em pensar que o Matheus poderia ser o doador. 

Eduarda ri e Helena não se controla, parte para cima e dá uma surra na irmã. 

Helena: Maldita. Eu te odeio. Te odeio. 

Helena joga Eduarda no chão e dá vários tapas em sua cara. 

Helena: Vagabundo, maldita. 

Marcos e Matheus então separam Helena e Eduarda. 

Marcos: Não vale a pena sujar suas mãos. 
Helena: Tem razão. Eu não vou me sujar mais. 
Eduarda: Vai me pagar maldita. 
Helena: Um dia você vai pagar por todos os seus pecados. 

Helena, Marcos e Matheus saem da casa de Eduarda. 

Eduarda: Maldita Helena. Maldita. 

Ela então joga a jarra com veneno que tinha preparado no chão. 


Cena 12 - Rua - Noite

Ao saírem Helena dá um forte abraço em Matheus que acaba de descobrir ser seu filho. 

Helena: Meu filho. Me perdoa. Você sofreu tanto ao lado dessa mulher. 
Matheus: Não foi sua culpa. Eu ainda não consigo acreditar que ela tenha feito isso. 

Matheus e Helena ficam divididos, pois se amam como família, mas sentem o impacto da revelação. 

Matheus: Eu sempre gostei de você como uma mãe. 
Helena: E eu sempre te amei como filho. 

Após um forte abraço, Marcos diz:

Marcos: Vocês não percebem? O Matheus pode ser o doador que o Arthur tanto precisa. 
Helena: Então não temos tempo a perder. Vamos depressa ao hospital. 

Helena vai em seu carro e Matheus e Marcos no outro. 


Cena 13 - Caminho do hospital - Noite

Helena está correndo muito no volante, ela está aflita e tremendo com a notícia que recebeu. 

Helena: Meu Deus. Como ela pode ter feito isso? Como? 

Helena não percebe, mas um carro faz uma ultrapassagem indevida e se choca com o carro de Helena em alta velocidade. 

Mostram cenas do acidente e o carro de Helena sofrendo o forte impacto. O carro fica totalmente destruído e não se sabe o estado de Helena. 


Continua...




 


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.