Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entre Pais e Filhos - Capitulo 16 (Últimos Capítulos) Reprise

 


  


 Entre Pais e Filhos - Capítulo 16


Cena 01 - São Paulo - Casa de Eduarda - Manhã

Eduarda: Como assim vai parar o plano?
César: Eu não quero enganar mais ninguém. 
Eduarda: Você não pode desistir, temos que tirar o dinheiro da Helena. 
César: Não vou fazer isso com ela e nem com meus filhos. 
Eduarda: Você é um crápula. Não venha me dizer que decidiu ser pai agora. 
César: Nunca é tarde para corrigir os erros. 
Eduarda: A Helena nunca vai aceitar. 
César: Isso não cabe a ela. Eu sou o pai dos meninos. 
Eduarda: Não se esqueça do Matheus. 
César: Farei o exame de DNA e se ele for meu filho, também irei pedir o perdão dele. 

Eduarda se enfurece. 

Eduarda: Você é um infeliz, desgraçado

Helena chega na casa de Eduarda e escuta barulhos de briga. Ao encontrar a porta aberta ela entra e dá de cara com César e Eduarda.

Eduarda: Se você desistir todos vão saber que enquanto era noivo da Helena você era meu amante. 

Helena fica em choque ao escutar a revelação.

Helena: Então vocês foram amantes amantes nas minhas costas, é isso? 

Os dois ficam assustados ao verem Helena.

Eduarda: Calma! Não é nada do que você pensou. 
Helena: Como não foi nada do que eu pensei? Eu escutei muito bem tudo o que disse. Vocês foram amantes nas minhas costas. 
Eduarda: Você não tem o direito de ficar me insultando na minha casa. 
César: Se acalma Helena. 
Helena: Foi por isso que você fugiu não é? Logo após o nascimento dos meninos. 
César: Eu admito. Fugi porque fui covarde de assumir os meus erros e de encarar tudo. 
Helena: Eu te amava tanto César. Não acredito que foi capaz de fazer Isso comigo. 
Eduarda: Sem sentimentalismo Helena. Você nem é assim. 

Helena se aproxima bem perto de Eduarda, segura bem forte o seu rosto e diz: 

Helena: Eu poderia esperar uma traição assim de qualquer pessoa, menos da minha própria irmã. 
Eduarda: Não pense que vou pedir perdão por o que fiz no passado. Eu não me arrependo de nada. De nada. 
Helena: Você sempre foi sem escrúpulos, mas agora chegou no seu ápice. 
Eduarda: Diz isso em relação ao Matheus? 
Helena: Exatamente. Pois seu filho para fora como um cachorro. Como pôde? 
Eduarda: Ele deixou de ser meu filho, no dia em que decidiu mudar de vida. 
Helena: Você me dá nojo. 

Eduarda tenta dar um tapa em Helena porém, a mesma segura sua mão. 

Helena: O Matheus agora vai ter um lar de amor, ao meu lado e dos irmãos dele. 
Eduarda: Eu pouco me importo. Vai lá finge ser uma família feliz. 
Helena: Apesar de todas as coisas ruins que tem me acontecido busco forças para seguir por causa dos meus filhos. 
Eduarda: Em vez de se preocupar com o meu filho deveria cuidar dos seus. Um a na cama esperando a morte e o outro um perdido. Isso só mostra o seu fracasso como mãe. 

Helena não suporta as palavras de Eduarda e dá um tapa na irmã.

Helena: Você me paga Eduarda. Jamais vou te perdoar por ter feito a cabeça do meu filho. Do meu Murilo. 
Eduarda: Você vai se arrepender Helena. Saia da minha casa. Saia daqui agora. 

Helena pega sua bolsa que deixou cair e deixa a casa da irmã. César vai atrás de Helena, mas é ignorado. 

César: Me perdoa Helena. Eu era um jovem imaturo. Agora sou outro homem. 
Helena: Eu tenho nojo de você. Jamais vou te perdoar por isso. Me trair com minha irmã? 
César: Eu sei que errei. Me perdoa. 
Helena: Saia de perto dos meus filhos. Jamais volte a se aproximar deles.
César: Tome cuidado com a Eduarda. Ela está transtornada. 
Eduarda: Eu sei me cuidar. Deveria ter se preocupado comigo antes. 

Helena sai e deixa César para trás. Ela não consegue acreditar no quão mal sua irmã se tornou.

Helena (pensando): Em pensar que um dia a Eduarda foi a pessoa que mais confiei. Como pode fazer isso comigo? 

Helena decide manter segredo sobre a paternidade de Matheus, pelo menos neste momento. 



Cena 02 - São Paulo - Casa de Eduarda - Manhã

César volta e tem uma briga com Eduarda. 

Eduarda: Está vendo por sua culpa a idiota da minha irmã descobriu tudo. 
César: Não me importo mais com isso. Chega. 
Eduarda: Você é um idiota também. Está desistindo de tudo tão fácil? 
César: Você não entende que nunca vamos pegar o dinheiro da Helena. 
Eduarda: Tudo isso por sua incompetência. 
César: Não vou mais fazer parte disso. 
Eduarda: Eu vou conseguir esse dinheiro custe o que custar. 
César: Então vai tentar sozinha. 
Eduarda: Se não ficar ao meu lado, será considerado meu inimigo. 
César: Não vou ficar ao seu lado. 
Eduarda: Então somos inimigos. 
César: Ótimo. 
Eduarda: Vai se arrepender de ficar contra mim. Vou te atacar onde mais dói. 

César ameaça Eduarda.

César: Se chegar perto dos meus filhos, acabo contigo. 

César sai batendo forte a porta. 

Eduarda: Maldito seja você Eduardo e maldita seja a Helena. Todos vão pagar caro. Muito caro. 

Algumas horas depois…


Cena 03 - São Paulo - Hospital - Tarde

Helena chega no hospital e encontra seu filho após a sessão de Quimioterapia. O método que consiste na administração de substâncias químicas para tratamentos é muito forte e causa efeitos colaterais nos pacientes. Helena conversa com Vitor e escuta as orientações do médico. 

Helena: Como devo proceder agora? 
Vitor: O Arthur vai passar a noite em observação. Amanhã se tudo ocorrer bem 
Helena: Está bem. 
Vitor: Como sabemos o Arthur tem Leucemia linfoide aguda e estamos fazendo o tratamento com quimioterapia. 
Helena: Sim. 
Vitor: Mas ainda será necessário o transplante de medula óssea. 
Helena: Sim. Mas isso o senhor já tinha me falado antes. 
Vitor: Exato. Mas o que eu não falei foi que procuramos um doador compatível para o Arthur no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea e não obtivemos êxito. 
Helena: Não encontram ninguém compatível? 
Vitor: Não. Estamos tentando a todo custo, mas as chances são remotas. 
Helena: E se meu filho não conseguir o transplante? 
Vitor: Não posso afirmar Helena. 
Helena: Pode falar doutor. Aconteceram tantas coisas que estou preparada para tudo. 
Vitor: Ele vai morrer. 

Helena fica em choque e diz que vai lutar até o último segundo para salvar seu filho. 

Helena: Nós vamos conseguir doutor. Vamos salvar o Arthur. 
Vitor: E o Murilo? 
Helena: Não vamos poder contar com ele. Infelizmente. 


Com o passar dos dias Arthur continua fazendo o tratamento e os efeitos colaterais começaram. Além de náusea, sonolência e cansaço, o cabelo de Arthur também começou a cair. 


Cena 04 - São Paulo - Casa de Helena  - Tarde

Arthur está se olhando no espelho e está com o rosto bastante abatido. Ele começa pentear os cabelos e percebe que os mesmos estão caindo. 

Arthur (chorando): Não pode ser meu Deus. Não suporto mais esse sofrimento. Se for de sua vontade me leva desta vida. Só me dá uma alívio, eu suplico. 

Helena vê tudo e abraça o filho chorando. 

Helena: Seja forte filho. Nós vamos conseguir. 
Arthur: Eu não suporto mais mamãe, não suporto. 


Mais alguns dias se passam e Arthur volta para o hospital. A quimioterapia não tem tido o efeito esperado e o jovem está piorando.


Cena 05 - São Paulo - Hospital - Quarto  - Manhã

Helena está com o filho no hospital e o mesmo está cada vez mais fraco. 

Helena: Como está se sentindo hoje filho? 
Arthur: Um pouco melhor. A senhora sabe alguns dias estou muito fraco, outros um pouco melhor. Vão variando. 
Helena: Filho, me perdoe. 
Arthur: Pelo que mamãe? 
Helena: Não consegui um doador. 
Arthur: A culpa não é sua mãe. Você fez tudo o que pode. Eu me orgulho muito da mãe que Deus me deu. 
Helena: E eu de você filho. Me orgulho imensamente. 


Cena 06 - São Paulo - Asilo - Manhã

Após vários dias André finalmente conseguiu achar o Asilo em que dona Cecília estava. 

Recepcionista: Infelizmente o senhor não pode entrar. Apenas pessoas da família e autorizadas podem. 
André: Eu sou da família. Sou filho. 
Recepcionista: Filho? Os netos dela disseram que eram a única família. 
André: Sou filho dela sim. 
Recepcionista: O senhor tem como provar? 

Já imaginando que seria impedido de entrar, André levou os papéis que comprovam a adoção. 

André: Aí estão todos. Cecília é minha mãe. Os netos dela nunca me consideram da família porque eu sou adotado. 
Recepcionista: Entendo. Já que o senhor é filho não posso impedir a sua visita. 
André: Obrigado. 
Recepcionista: Só um aviso. 
André: O que? 
Recepcionista: Ela está muito carente. Fazem muitos dias que ninguém a visita. 
André: Aqueles ordinários. Como puderam? 

André entra e vai visitar sua mãe. 


Cena 07 - São Paulo - Hospital - Sala de Vitor -  Manhã

Helena fez uma campanha na internet para tentar conseguir um doador compatível com seu filho, incentivando as pessoas a fazerem a doação. 

Vitor: Muito bonita a sua atitude. É um gesto louvável. 
Helena: Muito obrigado. Infelizmente ainda não conseguimos um doador compatível. 
Vitor: Isso é verdade. Mas não podemos esquecer que duas pessoas resolveram fazer exames para serem doadores graças ao seu gesto. 
Helena: Verdade. Apesar de não ter conseguido ajudar meu filho, eu consegui ajudar outras pessoas. 
Vitor: Você é uma pessoa tão boa Helena. A mulher mais guerreira que já conheci. 
Helena: Obrigada, mas assim fico envergonhada. 
Vitor: Helena não consigo mais esconder que estou apaixonado por você. 
Helena: Vitor. Me desculpa eu, eu…

Vitor dá um beijo em Helena e a mesma retribui. O beijo é quente e cheio de amor. 

Helena: Me desculpe. Eu não deveria. 
Vitor: Não tem que pedir desculpas. Eu também quiz. 
Helena: Não quero te magoar. Sou uma mulher cheia de problemas. 
Vitor: Seu único problema é não pensar um pouco em você. Você também tem uma vida Helena. 
Helena: Não tenho tempo para pensar em mim agora.
Vitor: Você precisa se cuidar também ou não terá forças para ajudar seus filhos.

Os dois voltam a se beijar e Helena também confessa que está apaixonada. 

Helena: Eu também estou apaixonada. Só não quero te chatear.
Vitor: E não vai. Estou contigo para o que der e vier. 


Cena 08 - São Paulo - Casa de Eduarda - Banheira -  Tarde

Eduarda está em sua banheira tomando um banho de espumas e planeja fazer algo para conseguir o dinheiro de Helena.

Eduarda: Preciso pôr as mãos no dinheiro da Helena. Custe o que custar. E só existe uma maneira de conseguir isso.  

Ela toma um gole de vinho e conclui. 

Eduarda: Vou ter que me livrar da Helena. Vou fazer a cabeça do Murilo e me apoderar de tudo. E quanto ao Arthur, esse já vai morrer mesmo. 

Eduarda dá uma risada maléfica. 


Cena 09 - São Paulo - Hospital - Quarto -  Tarde

Mariana a enfermeira que acabou fazendo amizade faz uma surpresa para Arthur. 

Mariana: Tenho uma surpresa para você. 
Arthur: Qual? 
Mariana: Lembra que me disse uma vez que seu sonho era ser professor? 
Arthur: Lembro sim. Por que? 
Mariana: Infelizmente você não está podendo sair então trouxe alguns alunos para você. 
Arthur: Alunos? 
Mariana: Sim. Com a permissão do doutor Vitor eu consegui algumas coisas crianças que também estão em tratamento e por isso não podem sair. 
Arthur: Eu não sei se sou capaz. 
Mariana: Eu tenho certeza que você é. Será muito bom para você e para eles. 
Arthur: Será mesmo? 
Mariana: Se lembre que um professor tem o poder de mudar vidas e que crianças também tem esse poder.  
Arthur: Tem razão. O amor transforma vidas. 
Mariana: Então se apresse. Seus alunos já estão te esperando. 
Arthur: Uma pena eu não estar em minha melhores condições. 
Mariana: Não se preocupe. Estarei ao seu lado para o que precisar. 
Arthur: Muito obrigado. Você não sabe o bem que está me fazendo. 
Mariana: Pelo sorriso em seu rosto, eu sei sim. 

Arthur se apronta e vai dar uma pequena aula para as crianças. Vitor e Mariana estarão presentes para fazer o acompanhamento devido o estado de saúde do professor e das crianças. 


Cena 10 - Hotel - Quarto - Tarde

César está em seu quarto rezando e pedindo perdão por todos os erros cometidos. 

César: Só o senhor Jesus sabe o que se passa no coração de cada um de nós. Me perdoe por ter falhado em minha missão de pai. Me perdoe. 

César havia voltado para se retratar com os filhos e com Helena, mas ao te reencontrar Eduarda e perceber seus planos ambiciosos resolveu fingir uma aliança com ela, apenas para vigiá-la. 

César: Eu também não consegui continuar vigiando aquela megera. Proteja os meus filhos e a Helena também. 


Cena 11 - Casa de Silvana - Tarde

Silvana está em sua casa com seu marido e tem um forte enjoo. 

Luiz: O que está sentindo amor? 
Silvana: Um enjoo enorme. 
Luiz: Vamos ao médico. 
Silvana: Calma. Só quero descansar um pouco. 
Luiz: Você tem certeza? Não quero que piore. 
Silvana: Tenho sim. Um pouco de descanso me fará bem. 
Luiz: Está bem. Vou ficar aqui ao seu lado. Qualquer coisa me avise. 
Silvana: Pode deixar amor. 

Desde que descobriu a gravidez Silvana tem tido enjoos frequentes. 


Cena 12 - Hospital - Aula - Tarde

Mostra as cenas de Arthur ensinando algumas crianças sobre o alfabeto. Muitas crianças ficam em tratamento por bastante tempo e com isso não vão à escola. Helena e Vitor olham para Arthur muito orgulhosos. 

Helena: Eu tão orgulhosa do meu menino. Mesmo doente decide ajudar os outros. 
Vitor: É um rapaz de ouro. 

Helena agradece a Mariana por todo a ajuda. 

Helena: Obrigada. Você devolveu o sorriso ao rosto do meu menino. 
Mariana: Não tem que agradecer. O Arthur é uma ótima pessoa, faço isso com muito prazer. Gosto muito dele. 

Helena sorri e percebe que Mariana tem um sentimento por Arthur. 


Cena 13 - Casa de Paulo - Quarto - Tarde

Murilo está a dias pensando e refletindo sobre sua vida. Ele vê uma postagem que sua mãe fez em uma rede social pedindo ajuda. Ele se assombra ao ver uma foto do irmão sem os cabelos. 

Murilo: Meu Deus. Como eu pude fazer isso? Como eu pude me negar a ajudar meu irmão. 

Murilo chora sobre a foto. 

Murilo: Me perdoem. Me perdoem mesmo. 

Continua...




  



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.