Type Here to Get Search Results !

Marcadores

SAGRADA FAMÍLIA - CAPÍTULO 01 - ESTRÉIA

 




SAGRADA FAMÍLIA

“Capítulo 01”

 

Novela criada e escrita por

Wesley Franco


Personagens deste capítulo

NATHALIA

HUMBERTO

CARUSO

ARLETE

JAYME

ALEXANDRE

RENATA

NENÊ

INVESTIGADOR

MELISSA

GUTO

ADELIA

DEPUTADO

JORNALISTA

GERENTE

PADRE

RECEPCIONISTA

COIOTE

MILICIANO

 

Esta é uma obra de ficção e sem compromisso com a realidade.


CENA 1. AVENIDA ATLÂNTICA. EXT. DIA.

Abre uma imagem aérea da avenida atlântica repleta de manifestantes vestidos de preto carregando cartazes e faixas escritas “Fora Collor” e “Impeachment Já”.

Em cima de um carro de som, uma manifestante canta o hino nacional e é acompanhada pelas milhares de pessoas que participam do ato.

CORO DE MANIFESTANTES – (cantam) E diga o verde-louro dessa flâmula, paz no futuro e glória no passado, mas se ergues da justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge à luta, nem teme, quem te adora, a própria a morte, terra adorada, entre outras mil és tu, Brasil, ó pátria amada, dos filhos deste solo, és mãe gentil, pátria amada, Brasil.

CORO DE MANIFESTANTES – (gritam) Fora Collor! Fora Collor! Fora Collor!

CAM vai subindo mostrando a dimensão da avenida atlântica tomada de pessoas.

LEGENDA:

Brasil, 1992.

CORTA PARA:

CENA 2. ESTÚDIO DE JORNAL. INT. DIA.

JORNALISTA – O plano Collor é a 4ª tentativa do governo de vencer a hiperinflação e causa choque ao congelar as poupanças que excedem 50 mil.

CORTA PARA:

                                                     LEGENDA: BRASÍLIA

CENA 3. PLENÁRIO DA CÂMARA DE DEPUTADOS. INT. DIA.

DEPUTADO – (Grita) Eu voto pela dignidade, por aquilo que Pernambuco representa, é SIM, sim para o Brasil.

Deputados erguem as mãos e gritam em comemoração a autorização do processo de impeachment que afasta o Presidente Fernando Collor de Mello.

CORTA PARA:

CENA 4. STOCK SHOTS. BRASIL. INT. DIA/NOITE

SONOPLASTIA: É – Gonzaguinha

Tomadas de várias cidades do Brasil como o Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Salvador, Recife, Manaus e Belém, mostrando pessoas em enormes filas de supermercado, prateleiras de mercado vazias, preços de produtos sendo remarcados dentro dos estabelecimentos comerciais, pessoas disputando espaço dentro dos mercados e disputando produtos. As tomadas são feitas com narrações sobre a situação econômica do país.

NARRAÇÃO (OFF) – A expectativa é que a inflação ultrapasse os 2.000% somente este ano!

NARRAÇÃO (OFF)  Da década de 60 para cá a inflação já acumulou 1 quatrilhão%.

NARRAÇÃO (OFF)  O Brasil cai no índice de confiança do sistema monetário nacional.

NARRAÇÃO (OFF) – Agora só vendendo a alma para o FMI.

NARRAÇÃO (OFF)  Já estão falando em volta da ditadura!

NARRAÇÃO  (OFF) – Desse jeito o país vai desabar.

SONOPLASTIA OFF.

 CORTA PARA:

                                             LEGENDA: RIO DE JANEIRO

CENA 5. MÉIER. CASA DE NATHALIA. COZINHA. INT. DIA.

Humberto está sentado na mesa da cozinha tomando um café. Nathalia entra na cozinha e coloca o jornal na mesa.

NATHALIA – (indignada) Até o preço do jornal subiu! A gente não tem direito nem a se manter informado direito.

Humberto pega o jornal e busca as páginas de anúncios de emprego.

NATHALIA – Eu conseguir uma faxina para amanhã, eles pagam bem, já vou usar esse dinheiro para pagar a conta de luz, esse mês veio um absurdo.

Humberto encontra a página de anúncios e começa a fazer algumas marcações com caneta.

NATHALIA – Acho que a conta vem alta por causa da televisão, já deixei de assistir o vale a pena ver de novo, acho que vou parar de ver a novela das 6 e a novela das 7. (Pensativa) Agora minha novela das 8, não abro mão.

HUMBERTO – (animado) Encontrei!

Humberto se levanta mostrando para Nathalia o anúncio.

HUMBERTO – Estão precisando de um marceneiro em uma loja de móveis em Botafogo, é a minha chance.

NATHALIA – Tomara que dê tudo certo meu amor, você conseguindo esse emprego e eu pegando várias faxinas por mês, vamos enfim poder respirar.

HUMBERTO – (sorrindo) E você vai poder assistir às novelas que quiser, sem precisar desligar a televisão nos intervalos comerciais para economizar energia.

Humberto agarra Nathalia e a beija.

CORTA PARA:

CENA 6. BOTAFOGO. LOJA DE MÓVEIS. INT. DIA.

Gerente da loja sentado à mesa, conversa com Humberto.

GERENTE – Infelizmente a vaga já foi preenchida. O rapaz que contratamos tinha uma vasta experiência e era a pessoa adequada para a função.

Foco na expressão facial de decepção de Humberto.

CORTA PARA:

CENA 7. MÉIER. CASA DE NATHALIA. QUARTO. INT. NOITE.

Nathalia e Humberto conversam deitados na cama.

NATHALIA – Não fica assim meu amor, amanhã eu trago jornal novamente, você busca novos anúncios e tenta mais uma vez. Uma hora vai dar certo.

HUMBERTO – (frustrado) Estou cansado de bater em tantas portas e sempre receber a mesma resposta!  O dinheiro tá acabando, e eu não sei o que vai ser da gente.

NATHALIA – Amanhã eu vou para aquele serviço que te falei, eles pagam bem, não vamos nos preocupar com isso agora.

HUMBERTO – Eu tive muita sorte de encontrar uma mulher como você, compreensiva e que me dar todo o apoio.

NATHALIA – Eu prometi te amar na saúde, na doença, na alegria, na tristeza, na riqueza e na pobreza, até que a morte nos separe.

SONOPLASTIA: Toda vez que eu digo adeus – Cássia Eller


Nathalia beija Humberto que retribui o beijo acariciando seus cabelos. Humberto se deita em cima de Nathalia e começa a beijar seu pescoço, retirando sua camisola e expondo seus seios. Humberto beija um dos seios de Nathalia enquanto segura o outro com sua mão. Nathalia se contorce e sorrir de prazer. Humberto desliga a abajur que iluminava o quarto e tudo fica escuro.

SONOPLASTIA OFF.

CORTA PARA:

CENA 8. STOCK SHOTS. EXT. NOITE/DIA.

SONOPLASTIA: Cabide – Mart’Nália

Imagens aéreas de vários pontos da cidade do Rio de Janeiro amanhecendo e dando lugar a um lindo dia de sol, com pessoas caminhando pela orla da cidade, um grupo de jovens jogando vôlei na praia, pessoas andando pela areia, outras entrando no mar.

CORTA PARA:

CENA 9. GUILLAUME HOTEL. QUARTO. INT. DIA.

Caruso está por cima de Arlete e os dois transam em plena luz do dia. Caruso goza e sai de cima de Arlete.

SONOPLASTIA OFF.

CARUSO – Tenho que ir, tenho um compromisso inadiável.

Caruso se levanta da cama, foco na sua bunda pelada enquanto ele veste a cueca e em seguida põe a calça. Arlete está na cama, deitada e coberta por lençóis brancos.

ARLETE – (decepcionada) Mas já? Hoje a gente se viu por tão pouco tempo.

CARUSO – Podemos nos ver novamente hoje à tarde, aqui neste mesmo quarto.

Caruso continua a se vestir, calçando as meias e os sapatos.

ARLETE – Quando é que você vai resolver essa situação, Caruso? Você prometeu que ia pedir o divórcio.

CARUSO – Não é tão simples assim Arlete, um homem na minha posição não pode simplesmente acabar um casamento, isso afetaria a minha imagem diante da sociedade, e não se esqueça que eu tenho uma filha pequena.

ARLETE – E eu não nasci para ser amante! Eu quero ter uma casa, um marido, filhos. Será que estou pedindo muito?

CARUSO – Tudo no seu devido tempo. Eu prometo!

Caruso diante do espelho ajeita sua gravata, vai até a cama e beija Arlete.

CARUSO – Agora eu tenho que ir, hoje é a missa de um ano ano do falecimento da esposa e do filho do Jayme, é importante que eu esteja presente.

CORTA PARA:

CENA 10. IGREJA CATÓLICA. INT. DIA.

A igreja está repleta de pessoas vestidas de preto, destaque para primeira fila onde se encontra Jayme, Caruso, Melissa, Alexandre, e Renata com Guto no colo.

PADRE – Estivermos aqui reunidos em nome do pai, do filho e do espírito santo. (Faz o sinal da cruz) Ide em paz e que Deus vos acompanhe.

TODOS – Amém!

Os convidados para missa começam a sair da igreja, porém antes cumprimentam Jayme, Alexandre e Renata.

MELISSA – (p/ Caruso) Onde é que você estava que demorou tanto para chegar?

CARUSO – Eu tive um contratempo importante na empresa e me atrasei.

MELISSA – Podia ao menor ter me avisado, fiquei que nem uma idiota lá fora te esperando.

CARUSO – Quando eu liguei para casa pra avisar que ia atrasar, você já havia saído.

ALEXANDRE – (p/ Jayme) Vamos para casa meu irmão, hoje eu sei que é um dia muito difícil para você.

RENATA – Sem dúvidas, é um dia que ainda mexe e mexerá para sempre com todos nós. A Fernanda e o Ary estarão para sempre em nossos corações.

JAYME – (abatido) Não irei para casa, hoje mais do que nunca quero me ocupar com o trabalho. Faz um ano que eu perdi a minha esposa e meu filho naquele maldito acidente de carro, e até hoje não me conformo. O trabalho irá me ajudar a me esquecer pelo menos por um instante essa dor que eu sinto aqui dentro. (Jayme coloca a mão sobre o peito)

CARUSO – (abraça Jayme) Não consigo dimensionar o tamanho da sua dor e nem sou capaz de dizer quando ela será menor, mas enquanto eu estiver aqui, pode contar comigo.

JAYME – Eu sei que posso! Nunca vou esquecer todo o apoio que me deu no momento que mais precisei.

Todos caminham em direção a saída da igreja.

CORTA PARA:

CENA 11. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA.

SONOPLASTIA: Palavras ao Vento – Cassia Eller

Imagens aéreas da cidade do Rio de Janeiro, mostrando a praia do Leme, Copacabana e o Corcovado.

SONOPLASTIA OFF

CORTA PARA:

CENA 12. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. ENTRADA. DIA.

Adélia desce as escadas no momento em que Alexandre, Renata e Guto chegam em casa.

ADÉLIA – Que bom que chegaram, o almoço já está quase pronto.

RENATA – Adélia, por favor, leve o Guto. Ele tá cada vez mais pesado.

Renata entrega Guto nos braços de Adélia.

ADÉLIA – (carregando Guto) E o Sr. Jayme não veio com vocês?

ALEXANDRE – O Jayme preferiu ir direto para empresa, não quis passar em casa nem para almoçar.

Alexandre e Renata sobem as escadas e seguem para o quarto.

CORTA PARA:

CENA 13. MANSÃO DA FAMÍLIA CASTRO. INT. QUARTO DE ALEXANDRE E RENATA. DIA.

Alexandre e Renata entram no quarto conversando sobre Jayme.

RENATA – Já se passou um ano desde o acidente da sua cunhada e do seu sobrinho, e seu irmão parece não reagir. Ele parece está morto por dentro.

ALEXANDRE – O Jayme nunca mais foi o mesmo e não acredito que um dia voltará a ser, mas isso não é ruim para nós.

Alexandre tira o blazer e joga em cima da cama.

RENATA – Em que você tem pensado?

ALEXANDRE – Se o Jayme não voltar a casar, coisa que eu acho que não irá acontecer porque ele era muito apaixonado pela Fernada, nós seremos seus herdeiros. E descuidando da própria saúde como ele tem feito, estamos cada vez mais pertos de colocar a mão em sua fortuna.

RENATA – Você acha mesmo que ele não voltará a casar?

ALEXANDRE – Ele amava a Fernanda de forma arrebatadora, o amor que ele ainda sente por ela mesmo depois de um ano que ela se foi não é transferido para outra mulher tão fácil. Sem contar que o Jayme já não é mais nenhum menino, cinquenta anos, não são cinquenta dias, ele está mais perto do fim do que do começo. (Gargalha)

RENATA – (Rindo) Deus te ouça!

ALEXANDRE – E os anjos digam amém.

CORTA PARA:



CENA 14. MÉIER. CASA DE NATHALIA. SALA. INT. NOITE.

Humberto chega em casa depois de mais um dia rodando a cidade em busca de emprego, entra em casa com uma fisionomia cansada, coloca as chaves na mesinha de centro, vai até a cozinha e percebe que Nathalia deixou seu jantar em cima do fogão, depois vai até o quarto e encontra Nathalia dormindo, se aproxima dela e dá um beijo em sua testa, retorna para sala, pega a revista que está na mesa de centro que tem na sua capa uma foto da cidade de Nova York e começa a ler.

CAM se afasta, começa a mostrar imagens da cidade amanhecendo e retorna para cena anterior com Humberto dormindo sentado na sala, desta vez com o dia já claro.

NATHALIA – Humberto! Você dormiu sentado na sala?

Humberto se assusta e acorda.

NATHALIA – Eu não acredito meu amor, suas costas devem estar arrasadas, dormiu sentado nesse sofá duro.

HUMBERTO – Estados Unidos, Nathalia, o nosso futuro está nos Estados Unidos.

NATHALIA – Do que você tá falando?

HUMBERTO – Essa revista trás o relato de vários brasileiros que foram para lá sem nada, e em pouquíssimo tempo compraram casa com piscina, carro, vivem muito bem. Lá profissões como a minha de marceneiro são muito bem valorizadas.

NATHALIA – Você tá pensando em largar a vida aqui e ir embora para os Estados Unidos? Você enlouqueceu?

HUMBERTO – Que vida? Todos os dias eu bato perna pelo Rio de Janeiro procurando um emprego e não encontro nada, cada vez que vou ao mercado tudo está ainda mais caro, eu não aguento mais essa sensação de fracasso. Lá é o nosso futuro, vamos largar tudo aqui e ir para os Estados Unidos.

NATHALIA – Humberto, a gente não conhece ninguém lá, não falamos a língua deles.

HUMBERTO – A gente vai aprender, e não precisamos de mais ninguém, porque temos um ao outro.

NATHALIA – (relutante) Mas...

HUMBERTO – Por favor, Nathalia, eu quero voltar a me sentir útil, não posso admitir que a minha mulher sustente sozinha a casa, enquanto eu passo o dia como um imprestável.

NATHALIA – Você não é um imprestável, essa casa que moramos foi você que construiu, as coisas só desandaram no meio do caminho com essa crise que estamos vivendo.

HUMBERTO – Esse país não é para mim Nathalia, é lá em cima, nos EUA, que eu finalmente serei valorizado como mereço. É lá que eu quero continuar construindo a nossa família, fazendo a nossa vida. Vem comigo?

Nathalia fica pensativa por um tempo, depois ergue a mão em direção a Humberto.

NATHALIA – Eu vou te acompanhar, não importa onde for, eu estarei lá com você.

SONOPLASTIA: Toda vez que eu digo adeus – Cássia Eller

Humberto sorrir e beija Nathalia.

CORTA PARA:

CENA 15. STOCK SHOTS. EXT. DIA/NOITE.

Tomada de vários pontos da cidade do Rio de Janeiro, amanhecendo e a anoitecendo.

SONOPLASTIA OFF.

LEGENDA:

Semanas Depois

CORTA PARA:

CENA 16. EMBAIXADA DOS EUA. EXT. DIA.

Humberto e Nathalia descem as escadas de saída da embaixada dos Estados Unidos após terem seus vistos negados.

NATHALIA – Eles não vão dar permissão para entrarmos lá nunca, sem emprego fixo e com a renda que temos, eles acham que não somos dignos o suficiente para entrar lá.

HUMBERTO – Se eles não vão permitir que a gente entre da maneira legal, vamos entrar lá de outra forma.

NATHALIA – Do que você tá falando?

HUMBERTO – Eu conheci uma pessoa que me passou um contato de um cara que atravessa pessoas para os EUA através da fronteira com o México.

NATHALIA – (preocupada) Isso é muito perigoso Humberto.

HUMBERTO – Ou a gente se arrisca ou vamos continuar aqui nessa situação em que estamos. Eu vou procurar um orelhão e vou telefonar pra esse cara agora mesmo.

Humberto sai em busca do orelhão e deixa Nathalia para trás que demostra uma fisionomia preocupada.

CORTA PARA:

CENA 17. GUILLAUME HOTEL. EXT. DIA.

Caruso chega ao hotel juntamente com Arlete, os dois são fotografados enquanto entram no prédio por um investigador que se encontra escondido dentro do carro do outro lado da rua.

CORTA PARA:

CENA 18. GUILLAUME HOTEL. INT. RECEPÇÃO DIA.

O investigador entra no hotel e se dirige até a recepção.

INVESTIGADOR – Preciso de uma informação muito importante.

RECEPCIONISTA – Em que posso ajudá-lo senhor?

INVESTIGADOR – Eu já notei que aquele casal que acabou de subir frequenta este hotel com bastante frequência, provavelmente eles devem ter um quarto fixo aqui, preciso de ajuda para descobrir qual o quarto e uma cópia da chave desse quarto.

RECEPCIONISTA – Não estou autorizada a passar esse tipo de informação, logo não posso ajudá-lo. Com licença.

O investigador segura a recepcionista com a mão esquerda e com a mão direita retira um bolo de dinheiro do bolso e coloca sobre a bancada da recepção.

INVESTIGADOR – Será muito bem paga se me ajudar e ainda evitará um escândalo que pode acontecer aqui se você não me ajudar, e farei questão que os seus patrões saibam que você esteve envolvida nisso. (Sorrir sarcasticamente)

RECEPCIONISTA – Aqui é uma cópia da chave do quarto, é o 1142. (entrega as chaves na mão do investigador)

INVESTIGADOR – (sorrir) Eu sabia que eu poderia contar com a sua colaboração, agora espero contar com a sua discrição.

O investigador deixa a recepção e anda em direção a saída do hotel.

CORTA PARA:

CENA 19. MÉIER. CASA DE NATHALIA. SALA. INT. NOITE.

Humberto e Nathalia conversam.

NATHALIA – 8 mil dólares? Onde vamos conseguir 8 mil dólares para pagar a esses atravessadores?

HUMBERTO – Eu já pensei em tudo, nós vamos colocar essa casa à venda e o valor será suficiente para pagar os atravessadores e ainda vai sobrar um pouquinho para termos um começo tranquilo por lá.

NATHALIA – (irritada) Você está completamente louco Humberto, vender a nossa casa, o nosso lar.

HUMBERTO – De que vai servir essa casa aqui se vamos estar nos Estados Unidos? Eu já tomei minha decisão, vamos vender essa casa.

NATHALIA – Espero do fundo do meu coração que você não se arrependa lá na frente da decisão que está tomando.

HUMBERTO – Estou fazendo tudo isso pensando na nossa família, no nosso futuro, eu sinto que na América nós vamos ser felizes, nós vamos prosperar. (Sorrir) Já imagino a nossa casa com uma enorme piscina, dois carrões parados na garagem, a gente não vai mais precisar se preocupar com conta de luz, água, telefone, com o preço da carne e do arroz. Vai ser tudo melhor meu amor, vai ser tudo melhor.

CORTA PARA:

CENA 20. STOCK SHOTS. EXT. DIA.

SONOPLASTIA: Amanhã – Guilherme Arantes

Imagens aéreas da cidade do Rio de Janeiro amanhecendo e anoitecendo várias vezes.

LEGENDA:

Dias Depois

SONOPLASTIA OFF.

CORTA PARA:

CENA 21. CASA DE NENÊ. QUARTO. INT. DIA.

Nenê recebe Humberto e Nathalia que chegam em sua casa com algumas malas.

NATHALIA – Muito obrigada por nos receber madrinha, será uma ajuda em tanto.

HUMBERTO – Nós prometemos dona Nenê que será por apenas alguns dias, nossa viagem já está marcada para próxima semana.

NENÊ – (sorrir) Vocês podem ficar o tempo que for necessário, é um prazer receber minha afilhada e seu marido.

NENÊ – Esse é o quarto de vocês, eu vou sair para deixar vocês mais a vontade, já vão arrumando suas coisinhas, enquanto isso vou preparar um café.

NATHALIA – (sorrir) Obrigada madrinha.

Nenê sai e deixa Nathalia e Humberto no quarto.

HUMBERTO – Nem acredito que agora estamos tão pertos de finalmente embarcar, dentro de uma semana estaremos dentro daquele avião direto para o México e depois vamos entrar na América.

Nathalia começa a sentir uma tontura e se senta na cama.

HUMBERTO – (assustado) O que houve meu amor? Você está bem?

NATHALIA – Uma tontura...ultimamente tenho sentido tanto enjoo. Deve ser ansiedade por conta da viagem.

HUMBERTO – Eu também estou um pouco ansioso, mas não podemos descuidar, temos que está com uma saúde de ferro, a travessia pelo deserto não é fácil, você precisa tá bem no dia.

NATHALIA – Eu vou melhorar, foi apenas um enjoo.

CORTA PARA:

CENA 22. ESCRITÓRIO DO INVESTIGADOR. INT. DIA.

O investigador entrega as provas à sua cliente.

MELISSA – (sorridente) Bingo! Eu sabia que o sacripanta estava me traindo.

INVESTIGADOR – O seu marido não fazia questão de disfarçar, ele ia sempre no mesmo hotel, no mesmo quarto e nos mesmos horários. Foi mais fácil que tirar doce de criança.

MELISSA – Você fez um excelente trabalho, conseguiu tirar fotografias dentro do quarto, isso foi fantástico.

INVESTIGADOR – Precisei subornar a recepcionista do hotel, mas conseguir. E agora o que pretende fazer?

MELISSA – Consultar um advogado, quero conseguir o máximo de dinheiro possível do Caruso neste processo de divórcio que pretendo mover.

INVESTIGADOR – Não vai confrontá-lo por conta da amante?

MELISSA – Você reparou no Caruso pelado? Você acha que eu vou brigar por aquela coisinha? Que essa aí faça bom proveito.

CORTA PARA:

CENA 23. CASA DE NENÊ. QUARTO. INT. NOITE.

Nathalia sai do banheiro com as mãos para trás e encontra Humberto que está sentado na cama.

HUMBERTO – O que aconteceu? Você está com uma cara estranha.

Nathalia permanece em silêncio com as mãos para trás.

HUMBERTO – Fala...Você tá com uma cara parecendo que se assustou. E o que você está escondendo aí atrás.

Humberto se levanta, abraça Nathalia e pega o que ela estava escondendo.

HUMBERTO – O que é isso?

NATHALIA – Um teste de gravidez, eu estou grávida Humberto.

HUMBERTO – (assustado) Grávida?

NATHALIA – Sim.

HUMBERTO – (sorrindo) Eu vou ser pai?

Humberto eufórico de felicidade abraça Nathalia e a carrega no braço rodando-a pelo quarto.

HUMBERTO – (gritando) Eu sou o homem mais feliz do mundo!

NATHALIA – (rindo) Me coloca no chão Humberto, eu estou ficando tonta.

Humberto senta Nathalia na cama, se ajoelha em frente à ela e começa a beijar suas mãos.

NATHALIA – Eu achei que você não ia gostar da notícia.

HUMBERTO – Como não? Você sempre soube que o sonho da minha vida era ser pai.

NATHALIA – Sim, desde que casamos era seu maior desejo, mas agora com essa viagem, como iremos fazer?

Humberto se levanta e senta na cama ao lado de Nathalia e fica pensativo.

NATHALIA – Eu não posso fazer uma travessia dessa proporção estando grávida, é arriscado para mim e para o bebê.

HUMBERTO – Nós vendemos a casa, usamos todo o dinheiro para fazer essa travessia, não podemos desistir agora.

NATHALIA – Mas é muito arriscado Humberto.

HUMBERTO – Eu sei, eu sei, me deixe pensar um pouco.

NATHALIA – E se a gente desistisse, a gente pode ficar mais um tempo aqui na casa da minha madrinha até a gente se reestabelecer novamente.

Humberto se levanta.

HUMBERTO – Eu não cheguei tão longe para desistir agora! Você fica e eu vou, quando eu me estabelecer lá, eu mando dinheiro pra cá e você tenta entrar novamente de forma legal.

NATHALIA – (triste) Você vai ter coragem de ir sem mim e me deixar aqui assim?

HUMBERTO – Não estou indo só por mim, estou indo por você e pelo nosso filho. É a maior chance que estamos tendo na nossa vida em muitos anos, depois de todo o esforço que fizemos, não podemos desistir agora.

SONOPLASTIA: Toda vez que eu digo Adeus – Cassia Eller

NATHALIA – (chorando) Você promete que não vai esquecer de mim? Promete Humberto que não vai me abandonar a mim e nem o nosso filho?

HUMBERTO – Eu prometo que eu nunca vou abandonar vocês.

Nathalia abraça Humberto com bastante força.

CORTA PARA:

CENA 24. AEROPORTO GALEÃO. SALA DE EMBARQUE. INT. DIA.

Nathalia e Humberto estão abraçados, quando ouvem o autofalante do aeroporto anunciando o voo.

AUTOFALANTE – Atenção passageiros do voo 2235 com destino a Cidade do México, embarque imediato!

Humberto beija Nathalia, após o beijo os dois se abraçam por um tempo e antes de ir Humberto beija a barriga de Nathalia, depois segue para passagem pela segurança do aeroporto.

SONOPLASTIA OFF.

CORTA PARA:

                                                   LEGENDA: MÉXICO

CENA 25. BAJA CALIFORNIA. ROTA TERRESTRE COM OS EUA. EXT. NOITE.

SONOPLASTIA – Instrumental Tensão

Coiotes guiam um grupo de pessoas, dentre elas está Humberto pela rota terrestre que dá acesso a fronteira com os Estados Unidos. A rota é de estrada de terra iluminada apenas pela luminosidade da lua, todos andam rapidamente e em conjunto.

COIOTE – De ahora en adelante, lo haces solos. Buena sorte!  De agora em diante, vocês seguem sozinhos. Boa sorte!

O coiote retorna de onde eles vieram, e o grupo de pessoas continuam andando rapidamente pela rota. Humberto carrega sua mochila e acompanha o grupo pela rota. Após um período andando por um caminho que parecia não ter fim, o grupo finalmente chega ao lado da fronteira pertencente aos Estados Unidos, mas são surpreendidos por uma milícia anti-imigração.

MILICIANO – (grita) FIRE! Fogo!

Os milicianos anti-imigração começam a disparar tiros na direção do grupo, atingindo várias pessoas que começam a cair pelo chão. Humberto tenta fugir dos disparos, mas acaba atingido por vários tiros nas costas e cai no chão.


CONGELAMENTO EM HUMBERTO CAIDO NO CHÃO.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.