Type Here to Get Search Results !

Marcadores

PARTES DE MIM - CAPÍTULO 06

 



PARTES DE MIM

Capítulo 06


Criada e escrita por: Thiago Celestino

Produção Executiva: Ranable Webs


ABERTURA:


CENA 01. PRAIA DE MARESIAS. EXT. TARDE


Helena vira Jurema de costas para o precipício.

 

HELENA: Eu não estou louca mãezinha.

 

Helena dá um solavanco na mãe, que escorrega. Helena estende a mão, mas Jurema não tem firmeza e acaba caindo.

 

HELENA: Isso é por ter soltado minhas mãos várias vezes.

 

Helena olha fixamente para o corpo da mãe. Ela deixa uma lágrima rolar.

 

HELENA: Eu sou uma assassina! (risos diabólicos) Agora vou atrás de você, priminho.

 

Ela olha o horizonte.


CENA 02. MANSÃO DE DIEGO. INT. TERRAÇO. DIA.


Diego e Cláudio estão conversando.


CLÁUDIO: Como anda você e Juan?


DIEGO: Não anda porque eu terminei.


CLÁUDIO: Por que vocês terminaram?


DIEGO: Mentalmente ele está doente e não quer tratar.


CLÁUDIO: Aconteceu alguma coisa de diferente no comportamento dele?


DIEGO: Alteração de humor e de personalidade, eu lembro que ele tomava um remédio, mas nunca me contou para que era.


CLÁUDIO: Entendo. Olha eu não devia te contar, ele me procurou, estava chorando e sofrendo, porque vocês terminaram.


DIEGO: Infelizmente eu não posso voltar mais atras.


CLÁUDIO: Pelo menos conversa com ele, o estado dele me preocupa, você falando com ele, talvez escute e volte a tomar os remédios ou até mesmo procurar um tratamento.


DIEGO: Você tem razão, talvez se eu conversar com ele possa fazer algum efeito na vida dele.


CLÁUDIO: Ele dormiu em meu apartamento, se puder vamos até lá para vocês conversarem.


DIEGO: Hoje ficará meio corrido porque preciso resolver algumas coisas, mas amanhã cedo eu apareço lá.


CLÁUDIO: Ótimo. Vai resolver o que? Só pergunto por que sou seu empresário.


DIEGO: Nas pistas de corrida, sim, na minha vida pessoal, não.


CLÁUDIO: Desculpe a inconveniência.


DIEGO: Que isso não se repita.


Diego se retira para ir ao seu compromisso, Cláudio fica sozinho.


CLÁUDIO: Diego, Diego, não sabe o que te espera.


Close no rosto de Cláudio.


CENA 03. PRAIA DE MARESIAS. CASA DE JUREMA E ROBERVAL. INT. SALA. DIA.

 

Helena guardando algumas roupas em uma mala.

 

Batidas na porta. Helena fica tensa.

 

HELENA: Inferno! (Sobre o crime) Será que alguém descobriu?

 

Batidas se intensificam. Ela caminha até a porta. Ela abre. Padre Olavo.

 

PADRE OLAVO: Como vai, minha filha? Deus te abençoe.

 

HELENA: Vou bem, mas agora estou ocupada. O que quer?

 

PADRE OLAVO: Eu marquei com sua mãe para fazer uma missa de sétimo dia e ela não compareceu lá na igreja.

 

HELENA: Ah sim. Ela teve que resolver algumas coisas fora da cidade e esqueceu de lhe avisar. 

 

PADRE OLAVO: Que chato! Eu vou ficar no aguardo. Pede para ela me telefonar assim que puder.

 

Ele nota a mala em cima do sofá.

 

PADRE OLAVO: Vai viajar?

 

HELENA (gaguejando): É. É.  Sim. Passarei uns tempos em São Paulo.

 

PADRE OLAVO: Que bom. Devo palpitar que irá fazer as pazes com seu primo.

 

HELENA (irônica): Claro. Me arrependi das coisas que falei e vou lá conversar com ele. Agora, realmente, estou ocupada. Que Deus te leve pela sombra.

 

PADRE OLAVO: Amém, filha.

 

Padre Olavo sai. Helena fecha a porta e revira os olhos.

 

CENA 04. Stock-shots do agito paulistano no entardecer. Noite-Dia.

 

CENA 05. QUARTO DE GAEL. DIA.

 

Gael está terminando de abotoar o último botão da camisa social. Ele se olha no espelho confiante.

 

GAEL: Hoje eu consigo essa vaga.

 

Batidas na porta. Lucrécia adentra e repara no visual do enteado.

 

LUCRÉCIA: Está lindo, viu?

 

Risos de Gael e Lucrécia. Lucrécia o abraça.

 

LUCRÉCIA: Já deu tudo certo!

 

GAEL: Isso aí. Positivo sempre.

 

Gael sorri confiante.

 

CENA 06. FACHADA EMPRESA. DIA. EXT.

 

Um carro de aplicativo estaciona no encostamento. Gael sai do automóvel. Ele olha confiante para o prédio.

 

GAEL: É aqui!

 

Gael vai adentrando o local. Foca para Eduardo chegando em sua moto. Tira o capacete.

 

EDUARDO (debochado): Vou ficar na sua cola, mano!

 

Eduardo com um olhar raivoso. Gael atravessa a rua sem olhar para os dois lados e é surpreendido pelo carro de Diego que quase o atropela. Gael se assusta.


GAEL (Assustado/nervoso): Seu animal!


Gael bate no carro com as duas mãos. Diego sai do carro.


DIEGO: E você não olha por onde anda?


GAEL: E por que você não freiou antes? Muito fácil colocar a culpa em mim se estava dirigindo com o celular.


Diego concorda com o que Gael disse.


DIEGO: Realmente, foi errado da minha parte. Peço desculpas.


GAEL: Já que assume o erro. Está desculpado. Bom dia.


Gael sai e vai direto para a empresa, Eduardo observa.


EDUARDO: Mas que infeliz. 


A CAM foca no rosto raivoso de Eduardo.


CENA 07. EMPRESA ROLDÃN. RECEPÇÃO. INT. DIA.

 

Gael se aproxima da mesa da secretária.

 

GAEL: Eu vim para a vaga de secretário pessoal do Doutor Roldãn.

 

SECRETÁRIA: Sim. Já vou falar com o RH.

 

A secretária sai de sua mesa e vai para o interior. Gael fica ali esperando. Senta-se em uma das poltronas ali do hall. Tempo na espera. Gael balançando as pernas, sinal de impaciência.

 

A CAM foca em Enrico vindo com alguns executivos. Eles conversando, falando sobre algum problema da empresa. Eles passam pelo hall. Gael o reconhece.

 

GAEL (surpreso/chamando): Enrique!?

 

ENRICO: Gael!

 

Os dois se entreolham.


CENA 08. FACHADA MANSÃO RANGEL. EXT. DIA.

 

Ao som de These Boots Are Made For Walkin’ – Nancy Sinatra

Um carro potente última geração adentra os jardins da mansão pelo plano vemos Arthur brincando de bola.

 

Volta para o carro que estaciona bem em frente a porta. O motorista saí e vai abrir a porta traseira.

Close fechado nos pés saindo carro e a CAM vai subindo detalhando o figurino bem elegante da mulher. A CAM revela Catarina, de óculos escuros. A cena escure.

 

ENCERRAMENTO: 








Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.