Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entrelaçados - Capítulo 32

 


CAPÍTULO  32


Criada e Escrita por ANDIE ARAÚJO 


Diretor de Núcleo DENNIS CARVALHO 


CENA 01.SALA DE ESTAR/ CASA DE ROSA. INT. DIA.

Rosa serve um café para Jasmin. Tilintar de chaves, a porta se abre. Marinho adentra e vê Jasmin, que já põe a xícara na mesinha de centro, ela fica na expectativa.

MARINHO com leve sorriso: Jasmin?

JASMIN: Marinho…

Um clima entre eles. Rosa percebe.

ROSA (pigarro): Eu tô aqui, tá legal?

Marinho se mostra surpreso.

MARINHO: O que está acontecendo?

JASMIN: Eu e Rosa conversamos e vamos te ajudar a provar que esse Olavo é um ladrão e assassino!

MARINHO: Eu tenho medo que vocês corram perigo!

ROSA: Ele não nos conhece, meu amor.

Rosa se aproxima fazendo carícias, Jasmin se sente constrangida.

JASMIN: E assim ficará mais fácil…

MARINHO: O que pretendem fazer?

JASMIN: Eu tive uma ideia, não será fácil conseguir, mas se eu conseguir vamos estar no lucro.

Jasmin pensativa. Rosa a olha com desprezo.

Corta para:


CENA 02. RESTAURANTE. INT. DIA.

Ambiência de restaurante em horário de almoço. Muitas pessoas ali fazendo suas refeições. Miguel e Elisa em uma mesa discreta. Eles tomam suco.

ELISA: Fala, Miguel! O que tem perturbado você?

MIGUEL reunindo coragem: Eu acho que tô sentindo atração por um homem aí. Tá rolando desde semana passada, sabe? Eu tô muito confuso, Elisa.

ELISA: Calma, amigo.

MIGUEL: Eu não tenho certeza de nada, sabe.

ELISA: Não fica tentando se rotular. Não se cobra!

MIGUEL: Isso vai ser um escândalo!

ELISA: Que escândalo? O melhor é se assumir!

MIGUEL: Assumir o quê?!

ELISA: Amigo, calma, tenta ouvir o seu coração. Fingir ser o que não, é horrível! Ser gay hoje é o mais comum.

MIGUEL: Mas eu não sou gay, Elisa. Eu só disse que estou sentindo atração por um cara aí.

ELISA: Tudo bem… Tenha calma, se descubra!

MIGUEL: Me descobrir… Redescobrir…

O garçom chega com os pedidos. Eles cessam a conversa e vão almoçar.

Corta para:


CENA 03. SALA DE ESTAR/ APART. DE MAURO. INT. DIA.

O apartamento desarrumado. Garrafas de cerveja, latinhas também espalhadas pela casa. Percebe-se na mesinha de centro da sala, no chão. Mauro deitado no sofá, de bruços, embriagado. Ele vestido apenas de cueca.

A campainha toca insistentemente, ele resmunga. A campainha continua a tocar. Maçaneta gira, porta se abre. Judite adentra.

JUDITE: Mauro! Mauro?

Ela fica surpresa por ver o amigo ali deitado, de cueca. Judite fica excitada, morde os lábios.

JUDITE: Ai, Mauro.

Judite vai até ele e tenta acordá-lo.

JUDITE: Mauro! Mauro!

Ela encosta no ombro dele, mas seus olhos passeiam pelo  corpo do homem, ela nunca tinha o visto seminu.

MAURO (resmunga): Filho… filho é você?!

Mauro vai se levantando e percebe Judite, ele se cobre com uma camisa, que estava jogada ali, Judite envergonhada se vira.

MAURO: Desculpa, Judite!

JUDITE: Eu que peço desculpas, entrei direto.

Mauro vai pondo uma bermuda.

Tempo depois. Judite se aproxima com uma bandeja com xícaras e garrafa de café.

MAURO frágil: Estou morrendo, Judite. É uma dor incessante. Eu tô destruído sem meu filho.

JUDITE: Você não pode ficar assim, Mauro. Olha como está sua casa!

MAURO: Você quer o quê? Eu não posso ter meu filho junto de mim! Eu vou morrer, Ju.

JUDITE: Vai não! Eu não vou deixar. Você tem que se reerguer, Mauro.

MAURO: Reerguer pra quê?

JUDITE: Não seja egoísta. Você faz bem pra tantas pessoas… Você precisa se reerguer para o Lucca. Ele te ama muito e quer você bem, e também, você tem que estar bem para quando Lucca voltar. Eu tenho fé que você terá ele de volta, a tutela dele de volta.

Mauro a abraça. Judite fica nas nuvens.

Corta para:


CENA 04. QUARTO DE LUCCA/ MANSÃO LIRA MUNIZ. INT. DIA.

Lucca deitado na cama coberto por um edredom. Ele se mostra triste. Paula adentra o quarto.

PAULA animada  (prolongado): Oi!

LUCCA seco: Oi.

Ele se vira pro lado. Paula vai se aproximando.

PAULA: Que foi, meu amor?

Silêncio. Paula senta-se na cama.

PAULA: Diga pra tia?

LUCCA: Eu quero meu pai! Eu tô sentindo falta dele.

PAULA: Meu amor, a Justiça decidiu que vocês só podem se ver de 15 em 15 dias.

LUCCA: É muito! Eu quero meu pai todos os dias!

PAULA: Todo dia não pode. (t) Viu mandar fazer um brigadeirão e a gente come junto, pode ser?

LUCCA desanimado: Tá bom, né.

Paula lhe dá um beijo no rosto e sai.

Corta para:


CENA 05. QUARTO DE LEANDRO/ COBERTURA. DIA.

Dani termina de pôr sua camisa. Leandro se levanta da cama, ainda de cueca. Ele pensativo.

LEANDRO: Eu já joguei aquele calhorda do Leonardo na lama. Tá sem emprego. Agora falta destruir aquela vadia!

DANI: Tem hora que você me dá medo, hein. Mas, me diz, por que essa raiva toda do seu pai e dessa tal Nanda? Me conta.

Leandro olha o espelho, com raiva.

Corta para:




CENA 06.QUARTO DE LEANDRO/ COBERTURA. DIA.

Continuação da cena 05. Dani ali disposta a ouvir Leandro. Ele se senta na cama.

LEANDRO: Tá certo, vou te contar! Há dois anos atrás…

Corta para:

Flash Back Inédito ON.

CENA 07. SALA DE ESTAR/ APART. DE LEONARDO. INT. NOITE.

LEANDRO em off: Eu flagrei o Leonardo aos beijos com aquela vadia na nossa casa, sabe? Mamãe estava mal e também viu tudo e daí…

Nanda e Leonardo dão um beijo quente. Sílvia (Paolla Oliveira) vem da cozinha com uma jarra de água, acaba deixando o objeto cair.

SILVIA sussurra: Léo…

Nanda e Leonardo ficam surpresos e se desvencilham. Sílvia leva a mão à cabeça, com fortes dores.

LEANDRO em off aos prantos: Eu vi minha morrendo… O aneurisma estourou.

Inaudível, Leonardo e Nanda ajudam Sílvia já ali morta. Leandro, sem ser visto, aos prantos.

Corta para:


CENA 08.QUARTO DE LEANDRO/ COBERTURA. DIA.

Continuação da cena 06. Leandro fragilizado aos prantos, Dani o abraça e o beija mostrando seu apoio.

LEANDRO: Eu jurei naquele dia, Dani, que eu ia acabar com eles. Eles mataram a minha mãe, eles diminuíram os dias dela e eu prometi que eles não vão ser felizes juntos!

Leandro se olha no espelho demonstrando toda sua dor e raiva.

Corta para:


CENA 09. CATETE. EXT. DIA.

Ao som de “Eyes Closed - Imagine Dragons”. O dia nublado vai dando lugar a uma noite gelada. O trânsito do bairro. Algumas lojas comerciais fechando.

Corta para:


CENA 10. SALA DE ESTAR/ CASA DE JERÔNIMO. INT. NOITE.

Miguel pensativo, deitado no sofá. Vem em sua mente a conversa que teve com Elisa mais cedo. As vozes ecoam em sua cabeça.

MIGUEL em off: Mas eu não sou gay, Elisa. Eu só disse que estou sentindo atração por um cara aí.

ELISA em off: Tudo bem… Tenha calma, se descubra!

MIGUEL em off: Me descobrir… Redescobrir…

A campainha toca, Miguel sai de seus pensamentos. Miguel vai até a porta e abre revelando Jasmin.

MIGUEL: Jasmin… O que quer?

JASMIN aflita: Eu preciso de um grande favor!

Jasmin espera uma resposta. Close em Miguel.

A cena congela, um esfumaçado azul, como se fosse uma neblina.

FIM DO CAPÍTULO



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.