Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Amar Não É Pecado - Capítulo 13

 




Cena 01-(Aeroporto Internacional de Salvador/Saguão/Interno/Tarde)Trilha Sonora:(Nana Caymmi-Solamente Una vez)





O trânsito de Salvador estava movimentado e os viadutos do Aeroporto estavam vazios e um avião chega no Aeroporto e no saguão Felipe e Camélia estavam esperando a Estela.


Atenção,nesse local é proibido o comércio ambulante.


Felipe:Que demora,viu!


Camélia:Pare de reclamar de sua vida e colocou o carro?


Felipe:Sim,no estacionamento que por sorte estava vazio.


Camélia:Aonde será que está o avião?


Passageiros do Vôo 2003 vindo de Santa Catarina  desembarquem no portão 4.


Camélia:Então ela já devia estar aqui.


Estela estava com as malas dela saindo do portão e Camélia vê.


Camélia:Estela!


Estela vem pra direção da Camélia e abraça ela.


Estela:Minha irmã estava com saudades de você.


Camélia:Também estava,eu não aguentava mais.


Estela:Oi,meu sobrinho querido tudo bem?


Felipe:Tudo bem,minha tia linda.


Camélia:Me conta aí como foi a viagem?


Felipe:Vamos se sentar um pouco e vou lá pegar o suco pra nós tomar.


Felipe foi comprar o suco e Camélia e Estela se sentaram.


Camélia:Quais são as novidades?


Estela:Minha filha,preciso contar uma coisa lembra não da Flora?


Camélia:Lembro sim,ela não era casada com Leopoldo.


Estela:Minha cumadre,ela traiu ele com um garoto de programa de 19 anos.


Camélia:Não acredito que ela fez isso.


Estela:E o pior,essa não era a primeira traição dela.


Camélia:Vixi,ele era corno mesmo.


Estela:Falei que era mesmo corno.


Camélia:Verdade,que demora é essa do Felipe com o suco.


Felipe chega com os dois corpos de suco.


Felipe:Tá aqui os sucos,desculpe.


Camélia:Tudo bem,meu neto.


Felipe:Não é melhor irmos pra casa?


Estela e Camélia se levantam


Estela:Vamos logo pra casa,que quero tomar banho.


Camélia:Olha,nada de colocar suas músicas pra ela não.


Estela ri.


Estela:Chega lá tem conto sobre isso.


Camélia:Vamos,então.


Os três saíram do Aeroporto.


Corte para a


Cena 02-(Barra Diner/Interno/Tarde)Trilha Sonora:(Morcheeba-Rome Wasn’t Built in a Day)





O trânsito na Barra estava movimentado e a praia estava cheia e no Barra Diner todos estavam trabalhando e Kaique chega no restaurante.


Lia:Chegou o trabalhador!


Mirella:Mais uma entrega concluída com sucesso,não é?


Kaique:Acertou,viu.


Antônio:Boa tarde Mirella.


Kaique:Boa tarde Antônio.


Antônio:Se esqueceram que hoje temos o turno extra.


Mirella:Eu entrei em descanso e agora que está tranquilo,oh Lia vamos renovar a fofoca do dia.


Celso chega na recepção


Celso:Ansiosos pro turno?


Antônio:Não.


Celso:Qual é,Antônio fique feliz que no fim do mês vai ter dinheiro extra.


Antônio:Tudo bem,eu fico sim pra suportar o Kaique e eles,mas a televisão está funcionando?


Celso:Sim,e vou deixar a porta de minha sala aberta pra vcs assistirem televisão e agora podem descansar um pouco.


Mirella:Entendido,chefe.


Antônio:Finalmente.


Lia:Amiga,ficou sabendo que um cara estuprou uma mulher e ainda justificou que foi sem intenção?


Mirella:É um absurdo que a sociedade ainda é machista e aceita isso.


Antônio:Quer dizer que a mulher não pode ficar arranjando desculpas pra não cumprir seus deveres.


Mirella:Que deveres são esses?


Lia:Também quero saber?


Antônio:Lavar,passar roupa,cuidar dos filhos e do marido.


Mirella:Lugar de mulher é aonde ela quer.


Antônio:Mas,elas não podem ser melhores que nós homens heterossexuais brancos.


Lia:Errado,queremos direitos iguais.


Antônio:Verdade,mas acho que a mulher está mentindo?


Lia:Por que você acha?


Antônio:Sei lá,ela queria fazer isso pra pegar o dinheiro dele todo.


Mirella:Olha,por isso que odeio você!


Antônio:Eu também!


Os dois fecham a cara e Lia e Kaique riram.


Kaique:Esses dois tem confiltos demais pro meu gosto?


Lia:Humm,você acha que essa implicância que o Antônio tem alguma coisa a mais por Mirella?


Kaique:Sei não.


Mirella:Vocês não vão vim pra cá?


Lia:O que vai passar hoje de bom na televisão?


Mirella:A Maria da Paz.


Lia:Ah,não acredito!


Mirella:A Dona do pedaço está sendo reprisada no Vale a Pena Ver de Novo.


Antônio:Eu prefiro mais Amor de Mãe.


Lia:Urg,aquela tragédia de 125 capítulos.


Mirella:Ela não era ruim,mas infelizmente ela foi interrompida por causa do Covid!


Lia:Eu amo ela,mas a fase 2 fiquei decepcionada.


Kaique:Vamos logo não quero perder a Maria da Paz.


Todos entraram na sala de descanso.


Corte para a


Cena 03-(Casa de Gisele/Sala/Interno/Tarde)Trilha Sonora:(Parangolé-Uau que Delícia)





A tarde ainda reinava em Salvador a praia estava com pouco movimento e tinha pessoas jogando futebol e Gisele estava na sala fazendo o trabalho no notebook.


Gisele:São 4h30 da tarde ainda,meu Deus como esse tempo demorar pra passar.


Nana vem pra sala.


Nana:Oi,minha filha.


Gisele:Oi.


Nana:Está fazendo algum trabalho?


Gisele:Estou sim,mas a internet está instável demais.


Nana:Está complicado mesmo,ontem não conseguir assistir minha série direito daqui a pouco só vamos assistir em DVD.


Gisele:A senhora não acha melhor trocar ou colocar mais velocidade?


Nana:Se quiser internet mais rápida você tem que cortar um gasto seu e corto meu.


Gisele:É sério,mãe?


Nana:Minha filha,a situação aqui está feia,a inflação ainda está alta a gasolina está a 7 reais o litro.


Gisele:Que gasolina cara,é de ouro pra custar tanto.


Nana:O kilo do feijão está custando 15 reais.


Gisele:Só o pobre se lasca.


Nana:Você que pensa,sabe seu namoradinho?


Gisele:Que namoradinho?


Nana:O Felipe.


Gisele:Eu e ele não namoramos somos só bons amigos.


Nana:Sei,mas me fale logo o que vamos cortar?


Gisele:Bem,eu vou reduzir os gastos com o leite condensado pra fazer o brigadeiro?


Nana:Também acho melhor,compra mais de 3 latas por mês.


Gisele:Tudo bem,corto sim e pode trocar o plano o mais rápido possível.


As duas se abraçam.


Nana:Valeu,minha filha bem eu vou assistir minha novela já começou?


Gisele:Já,pode ligar a televisão que já estou acabando o trabalho.


Nana:Tudo bem.


Nana se sentou no sofá e ligou a televisão que estava passando A Dona do Pedaço e o notebook começa a tocar avisando que tem alguém querendo fazer vídeo-chamada.


Nana:Filha,acho que tem alguém te ligando?


Gisele:Eu vi já,é o Felipe me ligando.


Gisele atende a chamada.


Felipe:Alô,Gisele.


Gisele:Oi,Fê o que você quer?


Felipe:Você poderia ir comigo no cinema mais tarde assistir algum filme.


Gisele:Talvez,deixa eu falar com minha mãe .


Felipe:Espero.


Gisele:Mãe,posso ir no cinema com Felipe?


Nana:Pode sim,mas juízo viu e não chegue aqui depois das 01h da manhã.


Gisele:Ela deixou,então 20h vem aqui me busca.


Felipe:Tudo bem,então deixa eu cuidar aqui de minha tia tchau.


Gisele:Tchau.


Gisele abaixar a tampa do notebook.


Corte para a




Cena 04-(Casa da Camélia/Sala/Interno/Noite)Trilha Sonora:(Nana Caymmi-Solamente Una Vez)





Anoiteceu em Salvador,o trânsito estava movimentado na Avenida Paralela e os ônibus chegavam aos pontos lotados e o metrô estava cheio e dois trens chegam na Estação Mussurunga e a ciclovia tinha pessoas correndo e pessoas de bicicleta pedalando e na casa de Camélia ela e sua irmã se sentaram na sala pra conversar.


Camélia:Agora,podemos conversar.


Estela:Olha,gostei do sabão com cheiro de coco.


Camélia:Comprei no centro da cidade por 5 reais.


Estela:Gostei mesmo,vou comprar pra lá em casa.


Camélia:Me conta uma coisa,e como vai a igreja?


Estela:Era isso que queria dizer,lembra que falei que lá foi o lugar que achei pra me ajudar a superar a morte de Natanael?


Camélia:Sim,eu lembro sim.


Estela:Sai da igreja por que percebi que eu não era muito feliz lá dentro.


Camélia:Meu sobrinho estava reclamando que ano passado você reclamou da música que ele colocou.


Estela:Eu estava já insuportável demais e então sai da igreja.


Camélia:E agora,vai fazer o que?


Estela:Eu vendi a casa de Santa Catarina e resolvi morar aqui mesmo em Salvador.


Camélia:Olha,se tiver alguma casa desocupada aqui no condomínio te mando uma mensagem.


Felipe chega na sala arrumado.


Estela:Que isso,meu sobrinho todo arrumado vai pra aonde?


Camélia:Meu neto,vai pra aonde?


Felipe:Vou levar Gisele pro cinema,talvez chegue tarde.


Camélia:Tudo bem,mas pelo amor de Deus não se perca no caminho.


Felipe:Tchau.


Estela:Tchau,meu sobrinho.


Felipe saiu.


Estela:Quem é essa Gisele?


Camélia:É uma colega da faculdade que conheci a mãe na Barra,é um amor de pessoa você vai gostar.


Estela:Tudo bem,vamos assistir televisão?


Camélia:Vamos sim.


Corte para a


Cena 05-(Casa de João/Sala/Interno/Noite)Trilha Sonora:(Aviões do Forró-Chupa Que É de Uva)





João estava na sala assistindo televisão.


João:Será que meu amor vem hoje pra cá?


O celular dele começa a tocar.


João:Deve ser minha mãe.


João atende o celular.


João:Alô?


Larissa:Oi,filho como está você?


João:Estou bem,como está meus tios?


Larissa:Estamos todo bem,minha bisavó pergunta por você sempre.


João ri.


João:Oh,meu Deus dona Carla é demais,viu.


Larissa:Olha,vou voltar pra aí amanhã de tarde estou de volta pra Salvador.


João:Beleza.


Larissa:E falando nisso,aquele seu amigo foi aí?


João:Veio sim e não fizemos nada disso que você está pensando viu.


Larissa ri.


Larissa:Tô brincando,tchau.


João:Tchau.


João desliga o celular.


João:Oh,meu amor vem hoje que quero aproveitar mais do que aquela noite que tivemos.


Flashback:(Casa de João/Interno/Sala/Noite)Trilha Sonora:(Adele-Someone Like You)





João:Você já fez isso que vamos fazer?


Sérgio:Ainda não.


João:Eu posso pessoalmente te ensinar!


Os dois se beijaram e foram pro quarto do João e fecharam a porta e Sérgio deitou na cama dele.


Sérgio:Faz um striptease pra mim?


João:Faço tudo por você,meu amor!


João ficou sem camisa e só de cueca começou a dançar em frente a Sérgio que fica excitado e começa a tirar roupa ficando só de cueca e João continou dançando sensualizando ele e ele então tirou a cueca e João então caiu na cama e começaram a se beijar a tela escurece mostrando os dois transando na cama enquanto a chuva caía forte lá fora.


João(ofegante):Continua!


Sérgio(ofegante):Ahhh,que corpo maravilhoso!


A tela escurece e mostra os dois na cama deitados nu cobertos.


Fim do Flashback.


A campainha tocou.


João:Já vai!


Ele abriu a porta e viu que era Sérgio.


Sérgio:Pensou que eu não vinha hoje.


Os dois começaram a se beijar e fecharam a porta.


Corte para a

/Intervalo/


Cena 06-(Shopping Salvador Norte/Cinema/Externo/Noite)


Gisele:Finalmente.


Felipe:Olha,aquele filho da mãe bateu no meu carro e ferrou a pintura toda!


Gisele:Calma,que o seu carro vai consertar.


Felipe:Que filme vamos ver?


Gisele:Que tal Vingadores?


Felipe:Nossa,prefiro mais uma comédia romântica.


Gisele:Pera aí,você estava achando que só porque sou mulher eu ia escolher aqueles dramas ridículos românticos.


Felipe:Eu achei,mas vamos logo entrar e pegar a pipoca.


Gisele:Uhuuu.


Os dois compraram dois ingressos e entraram na sala.


Corte para a


Cena 07-(Barra Diner/Interno/Noite)


As ruas da Barra estavam tranquilas e o Antônio virou a placa de aberto pra fechado.


Antônio:Chegou,8 horas.


Antônio jogou o chapéu no chão.


Antônio:Até mais,carrapatos eu vou um belo encontro com uma senhorita que se chama clarineta.


Um cliente chegou e bateu no vidro.


Antônio:O que é?


Cliente:Está aberto?


Antônio:Leia a placa.


Cliente:Quero dois hambúrgueres e batatas fritas com ketchup.


Antônio:Não nada isso,eu não posso ficar aqui noite toda eu tenho a minha vida.


Cliente(gritando):Tudo bem,se não quiser ficar com meu dinheiro.


Celso:Dinheiro?


Celso vem correndo e derrubar o Antônio e ele bate no vidro e cai embaixo de Celso.


Celso:Se ficamos abertos até mais tarde a gente fica com seu dinheiro?


Cliente:Claro!


Celso:Antônio,mudei de idéia a partir de hoje o Barra Diner vai ficar aberto 24 horas por dia.


Lia:Como é?


Os clientes entram correndo no restaurante.


Kaique:Uau!agora não precisamos mais parar de trabalhar.


Lia:É seu Celso?


Celso:Até amanhã,não posso ficar a noite toda tenho a minha vida.


Celso saiu do restaurante.


Antônio:Seu Celso,mas?


Mirella:Bem,eu já vou começar a fazer os pedidos.


Ela foi pra cozinha e Lia foi pro banheiro.


Kaique:Não é Legal,Antônio só nos quatro aqui juntos por horas e horas e horas e aí o sol vai amanhecer e ainda vamos estar trabalhando.


Lia sai do banheiro e começa a ir nas mesas escrevendo os pedidos.


Kaique:É como se nós tivéssemos dormindo só que vamos estar todos cobertos de gordura que legal!


Kaique sobe na mesa.


Kaique:Está pronto pra o trampo,Antônio?


Antônio:Não.


Mirella:Ótimo,mas desce daí que tem fregueses.


Kaique desce da mesa e o cliente vem no caixa e Antônio entra no caixa e entrega pra ele um vassoura pra ele.


Antônio:Toma,bata mais forte que o puder!


Kaique:Psiu,o Antônio estou na cozinha de Mirella à noite.


Antônio apontou pra cabeça dele.


Antônio:Bem forte!


Corte para a


Cena 08-(Barra Diner/Cozinha/Interno/Noite)


Kaique:Olha pra mim,estou cortando alface a noite.


Mirella:Licença da minha cozinha.


Kaique saiu da cozinha.


Corte para a


Cena 09-(Barra Diner/Banheiro/Interno/Noite)


Kaique estava passando o esfregão em todo o banheiro.


Kaique:Olha pra mim,estou limpando o banheiro à noite


Corte para a


Cena 10-(Barra Diner/Cozinha/Interno/Noite)


Kaique colocou a mão no fogão.


Kaique:Ai!Queimei a minha mão à noite.


Kaique sacudiu os dedos.


Corte para a


Cena 11-(Barra Diner/Interno/Noite)


Antônio estava de braços cruzados e Kaique estava girando ao redor do caixa.


Kaique:Noite,noite,noite,noite,noite,noite,noite!


Kaique(gritando):Noite,noite!


Mirella:Vou te pedir,pare de gritar por favor.


Kaique:Desculpa.


Lia:Parece que tomou uns 3 litros de café.


Antônio:Puxa,por favor tomar me dê um momento de paz e leve o lixo pra fora.


Kaique:Tá legal!


Kaique:Levar o lixo pra fora,levar o lixo pra fora a noite.


Kaique pega a sacola de lixo e vai pra fora,mas parar e olha assustado pra fora e a câmera mostra o lado de fora tudo escuro e sem movimento e o tonel de lixo com um poste iluminando.


Kaique:Quer dizer lá pra fora?


Antônio:É onde ficar o tonel de lixo,isso mesmo!


Kaique:Sei não,Antônio está muito escuro lá fora.


Lia:Oxente,achei que você gosta se do turno da noite?


Kaique:Tem razão.


Ele levanta o saco de lixo no ar.


Kaique(gritando):Pelo Barra Diner!


Corte para a


Cena 12-(Barra Diner/Externo/Noite)


Kaique grita desesperado e sai correndo e joga o lixo no tonel e volta correndo pra dentro.


Kaique:Aaaaaaaaaaaaaa!


Corte para a


Cena 13-(Barra Diner/Interno/Noite)


Ele entra ofegante e ficando sem respirar e estalar o dedo.


Kaique:Foi moleza!


Mirella:Que coisa viu!


Lia:Já são 10 pra meia noite.


Antônio:É você não está com medo,não é?


Kaique:Não.


Antônio:Bem,eu estou.Principalmente depois do.


Mirella fica assustada.


Antônio:Bem,você sabe.


Kaique virou assustado.


Kaique:Eu sei o que?


Mirella:Que história é essa?


Lia:Também estou curiosa.


Antônio:Vocês não se lembram,saíram em todos os jornais.


Kaique:Me conta,me conta.


Antônio:Não,não,não é melhor eu não contar,isso estragaria o turno da noite pra você.


Mirella:Conta logo!


Lia:Fala logo que estou tensa.


Kaique:O que aconteceu,o que aconteceu,o que aconteceu,o que aconteceu?


Antônio:Quer dizer que você nunca ouviu a história do.


Antônio começar a pensar.


Antônio:A do,DO FAMOSO ZÉ DO PICADINHO!


Uma trilha sonora de terror começa a tocar.


Todos ficaram assustados.


Mirella:Famoso Zé do salgadinho?


Antônio:NÃO!DO FAMOSO ZÉ DO PICADINHO!


Lia:O urso pulador.


Mirella:O tambor assustador.


Kaique:O Zé roedor.


Antônio fica sem graça.


Mirella:O caroco destruidor,o presidente voador.


Kaique:É?


Antônio:É famoso Zé do Picadinho.


Lia:Isso deve ser mentira.


Antônio:Depois que eu contar,quero ver vocês duvidarem de mim.


Todos ficam em silêncio e Mirella foi e se sentou na cadeira do restaurante.


A tela congela e no fundo aparece a parte subterrânea do Mercado Modelo e passa um pincel.


Corte para  a





Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.