Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Força de Um Sonho - Capitulo 10 (Reprise)

 

Cena 1/ Vidigal/ Casa de Leonor / Interior / Sala/  Noite

Leonor ( Assustada ) - Jadson, o que faz aqui?
Jadson ( Com um revolver em mãos ) - Lembrou - se de mim? O homem que matou o Augusto. Hahaha. E a dívida? Já vão pagar?
Janaina ( Entrando na conversa ) - Me desculpe, mas ainda nao temos o dinheiro.
Jadson ( Ameaçando - o ) - Então vamos ver de outro jeito.  ( Ele aponta o revolver ). Quem vai morrer primeiro?

Wesley aparece e decide retirar a arma de Jadson

Wesley - Voce não irá mais fazer mal à ninguem, seu desgraçado!
Jadson ( Sarcástico ) - Veio vingar o seu papai, é?
Os dois iniciam uma luta corporal e saem vários disparos, até que Jadson empurra Wesley e o ameaça, colocando a arma na cabeça dele. Leonor decide defender a família.
Leonor - O seu ligar é atrás das grades, para pagar por todos os seus crimes, não descansarei enquanto você for preso...
Janaina ( Enfrentando Jadson ) - O que você fez com o meu pai foi cruel... Aquela imagem não saía da minha cabeça... Mas se quer que paguemos a divida, vamos pagar então, com toda certeza iremos pagar, somos dignos.
Jadson ( Frio ) - O que eu fiz com o Augusto eu já fiz com muita gente. Muitos foram metralhados, outros queimados. ( acendendo um cigarro ). E nao me arrependo. ( Ameaçando - os ) . Vocês tem mais uma semana, e se não pagarem a divida, irão para a vala junto com o Augusto. Hahaha.

Jadson vai embora, deixando todos preocupados.
Leonor ( Preocupada ) - Precisamos logo desse dinheiro, não podemos dar moleza.
Janaina ( Destemida ) - Eu não vou abaixar a cabeça para esse cara não, vamos dar o dinheiro logo logo.
Wesley ( Enojado ) - Esse homem me causa repulsa, vontade de asfaltar ele.
Leonor - O Augusto vai nos ajudar... Essa divida será paga.

Cena 2/ Copacabana / Casa de Douglas / Interior / Sala / Noite/

Douglas estava sentado no sofá da sala de casa e parecia preocupado, sua mãe percebe o comportamento do filho e decide falar com ele.

Irene - Assistindo novela, filho? Você não é de assistir ...
Douglas ( Passando a mao no cabelo ) - É que houve uma briga aqui no bairro e eu acabei agredindo um senhor de idade, e ele caiu, só que tinham pessoas vendo.
Irene ( Preocupada ) - Mas... Por que você fez isso?
Douglas - Foi impulso, porque ele bateu no meu carro, e eu nem sei como ele tá. Só não quero ser preso.
Irene - Bem, se ele sobreviver, e vamos torcer pra isso... Voce nem preso irá. No momento a justiça está a seu favor. ( T). E cadê o Gael?
Douglas - Ele saiu, disse que ele podia ir. ( T ). Não entendo nada de Código Penal, então estou por fora das Leis, mas se você diz... Me sinto até melhor em saber que eu não serei preso.

Um policial bate na porta.

Irene ( Surpresa ) - O que faz aqui?
Policial ( Com algemas em mãos ) - Douglas Alves?
Douglas ( Surpreso ) - Sou... eu...
Policial - Você está preso por lesão corporal.
Douglas ( Pensando ) - Me ferrei.

Douglas é levado pelo policial.




Cena 3/ Ipanema / Casa de Paula / Sala / Manhã/

Leonor trabalhava na casa de Carmen, com ar de preocupação. Carmen percebe o comportamento da empregada e decide falar com ela.

Carmen ( Preocupada com Leonor) - Algum problema, Leonor? Não parece estar muito bem.
Leonor - Ai Carmen... Ontem o Jadson, o homem que matou o meu marido foi até o Vidigal para cobrar a divida...
Carmen ( Surpresa ) - Mas como ele conseguiu chegar lá? Vocês não tinham fugido?
Leonor - Pois é. Ele chegou até a casa onde moramls e só deu uma semana, e disse que será capaz de matar a todos.
Carmen ( Decidida ) - Eu... Eu vou pagar a divida para vocês. ( T). Estou no fim da vida, então, nada melhor do que fazer boas ações.
Leonor ( Preocupada ) - Mas e os tratamentos? Você irá precisar do dinheiro.
Carmen - Nao precisa... Eu vou morrer e temo que esse dinheiro não seja bem usado pela Paula. Então ele será seu. Você tem sido muito fiel à mim, e essa é minha maneira de agradecer sua bondade.
Leonor ( Agradecida ) - Eu é que sou grata por você... Uma boa pessoa que merece ser feliz... ( T). Pena que a Paula...
Carmen ( Interrompendo - a ) - A Paula sempre deu trabalho... Talvez por isso adoeci... Ainda mais agora que tem estado tão egoísta... (T) Mas prefiro não pensar... ( T). Quando acabar o expediente, vamos sacar logo o dinheiro.
Leonor - Muito obrigada, esse dinheiro será muito importante, salvará nossas vidas. ( T). Preciso voltar para o trabalho agora.
Carmen ( Sorrindo ) - Está certo. ( Pensando ). Existem pessoas que precisam tanto... Pena queque estou no fim da vida...

Cena 4/ Suburbio / Hospital / Quarto de Haroldo / Manhã/ 

Ivana e Katia estão no quarto de Haroldo, à espera de noticias do medico.

Ivana ( Observando o pai entubado ) - Pai... Reage... Precisamos de você.
Katia - Vovô...

O medico entra com os exames aos quais Haroldo foi submetido.
Ivana ( Preocupada ) - E aí? Como foram os exames?
Médico ( Com expressão séria ) - Lamento, mas o prognóstico não é bom, pois acabou surgindo um coágulo, devido a pancada.
Ivana - Um coágulo?
Medico - Sim... E enquanto o paciente não acordarnao podemos avaliar possíveis sequelas, isso se o paciente acordar.

Os batimentos de Haroldo começam a cair e ele tem uma parada cardíaca. O medico tenta reanimá-lo, mas sem sucesso.

Medico - Lamento, mas o paciente faleceu...
Ivana ( Com lagrimas nos olhos ) - Não doutor.... Isso não pode ser...
Katia ( Também com lagrimas nos olhos ) - Nós precisávamos dele...
Ivana - Mas quem fez isso, irá pagar... Que já esteja na cadeia...

Ivana e Katia se aproximam de Haroldo e começam a se despedir.

Cena 5/Copacabana / Banco / Interior / Manhã/

Carmen e Leonor estão na fila do banco, à espera de atendimento.

Leonor - Será que vão demorar?
Carmen - Acho que não, é só esperarmos alguem sair para a gente ir. ( T). Ou melhor, mais fácil irmos no autoatendimento.

Elas se encaminham para o interior do banco, onde são atendidas.

Atendente - Bom dia moças, o que precisam?
Carmen - Eu preciso fazer um saque, de 5 mil reais.
Atendente - É para alguma pessoa? Podemos fazer transferência.
Leonor - É para mim, mas como preciso com urgência, preferimos o saque.

Minutos depois...

Atendente - O procedimento está pronto, foi feito com sucesso.
Carmen - Muito obrigada, tenha um bom dia., ( p/ Leonor ) Agora já tem o dinheiro. )
Leonor - Vou deixar ele bem reservado.

Em seguida, Carmen e Leonor vão embora .

Cena 6/ Copacabana / Delegacia / Interior/ Tarde/

Douglas está sentado em sua cela e recebe a visita de um advogado, que parece sério.

Douglas ( Deitado no banco )- Isso não parece nada confortável...
Advogado ( Batendo na grade ) - Douglas acorda, preciso falar com voce.
Douglas - O que aconteceu? Eu já posso sair daqui?
Advogado -  Não. O Haroldo, homem que você agrediu, morreu hoje no hospital.
Douglas ( Com as mãos na cabeça ) - Ah, não... Eu não queria matar ele... Mas vou ficar preso mesmo assim?
Advogado - O panorama para você parece favoravel, se avaliarmos tudo, irá cair como homicídio culposo, caso não há intenção de matar. Mas caso houvesse uma intenção, o caso seria mais grave.
Douglas ( Agindo com interesse ) - Tem como me fazer ser solto sem responder à nada?
Advogado - A única maneira que há para ser inocente ou culpado é iniciar um inquérito e caso condenado, haverá uma pena de 1 a 3 anos de detenção.
Douglas ( Debochado ) - Ainda bem que aqui é Brasil... Se fosse em outro país eu estaria ferrado e mal pago.
Advogado ( Advertindo - o ) - Nem sempre a lei estará à seu favor, não se esqueça disso. ( T). Irei iniciar o processo.

Douglas vira as costas e volta para o banco.

Douglas ( Pensando ) - Cara, por que teve que morrer?

Cena 7/ Ipanema / Bar / Interior / Tarde/

Janaina e André estavam em um restaurante e conversavam sobre os últimos acontecimentos.

André ( Com um copo em mãos ) - Me sinto tão bem com você...
Janaina ( Sorrindo ) - Eu também... Me sinto encantada por você. ( T). Mas essa briga com a Paula me fez focar em outra coisa.
André ( Surpreso ) - Vocês brigaram novamente?
Janaina ( Indignada ) - Brigamos? Ela destilou todo o racismo dela para mim, por sorte consegui gravar tudo, e irei entrar com um processo por injuria racial. Aliás, ainda Vou levar o caso para uma advogada avaliar.
André - Nada me surpreende vindo dela. Ainda bem que pulei fora a tempo.
Janaina - E para completar, o Jadson, homem que matou o meu pai, foi em casa cobrar uma divida, sendo que ele nem sabia que estávamos no Vidigal.
André - Terá sido a Paula? ( Mudando de opinião ). Se bem que ela não entraria numa favela sendo racista.
Janaina ( Discordando ) - Gente ruim como ela é capaz de tudo... Tudo mesmo... ( T) Mas não vou abaixar a cabeça para essa racista.
André ( Apoiando - a ) - Tem que ser assim mesmo. ( T). E em breve eu irei fazer uma viagem, de intercâmbio, para meus estudos.
Janaina - Que legal. Voce vai para onde?
André - Vou para os EUA, aprender mais sobre Administração, aí ficaremos um tempo separados.
Janaina ( Olhando os olhos de André ) - Pode deixar que irei te esperar, tenha certeza.
André ( Sorrindo ) - Que bonita.

André e Janaina dão um longo beijo.

Algum tempo depois...

Cena 8/ Subúrbio / Casa de Elaine  / Interior /  Noite

Janaina está na casa de Elaine, e leva todas as provas do racismo de Paula.

Elaine ( Assistindo a gravação ) - Realmente, se trata de um crime de injúria racial. Tem provas bem contundentes do fato.
Janaina - Eu tive que me conter, porque a vontade que eu tive foi de avançar nela, só não fiz porque queria desmascarar ela.
Elaine - Mas, por que continuou lá? Poderia ter mudado de emprego, ninguém é obrigado a aturar racismo.
Janaina - Eu e a minha mãe , e meu irmão, estamos nas maos do Jadson, um traficante, por causa de uma divida do meu pai...Precisamos do dinheiro e não pudemos sair.
Elaine ( Chocada )  - Isso se trata de ameaça ou até extorsão, o trafico é muito perigoso.
Janaina ( Refletindo ) - O trafico levou meu pai. Mas a minha mente me mantem lutando por justiça. Por isso quero ser advogada, para fazer justiça, como no caso da Paula
Elaine - Nós, mulheres negras, não devemos nos rebaixar. O que você fez, mostra a sua força, por isso te apoio... Lembra eu quando iniciei os estudos.
Janaina ( Lisonjeada ) - Desde a sua primeira aula eu tive uma inspiração em seus ensinamentos, quero mostrar a força a mulher negra, e esse processo vai ser o primeiro passo.
Elaine - O processo sera encaminhado em breve, junto com o vídeo, tenho certeza que tudo será feito no rigor da lei.
Janaina ( Decidida ) - Racistas não passarão!

Dia seguinte...

Cena 9/ Delegacia / Cela  / Manhã/

Douglas estava em sua cela e recebe a visita de um delegado.

Delegado ( Com um papel em mãos ) - Douglas, acorda, tenho informações para voce.
Douglas ( Indo em direção às barras ) - O que foi?... Não me diga que são mais problemas...
Delegado - Pelo contrario, consegui que você fique em liberdade...
Douglas ( Interrompendo o delegado ) - Isso quer dizer... Que fui inocentado?
Delegado - Por enquanto não... Isso ( mostrando o papel ), é um habeas corpus, e voce poderá responder o processo em liberdade. Mas não é garantia de inocência, existem muitas provas contra você.
Douglas ( Empolgado ) - Então isso quer dizer que, eu posso fazer o que eu quiser?
Delegado ( Advertindo - o ) - Por favor, preste atenção, voce responderá o processo em liberdade, mas qualquer erro que você cometer como esse, poderá voltar para a cadeia, e caso seja um crime, poderá ter um aumento na pena.
Douglas - Tá bem, pode ficar tranks.

O delegado olha para Douglas e deixa o local.

Douglas ( Com as maos para o alto ) - Graças a Deus!

Cena 10/ Copacabana / Casa de Paula / Interior / Manhã/

Paula está em sua casa ouvindo música, sem se preocupar com nada.

Paula ( Com fones de ouvido ) - 🎶 Essa mina é sem vergonha, gosta de tocar o terror
Já me deu até insônia, meu sossego acabou
Pesadelo da invejosa, sonho de quem não provou

Quando ela desce, é igual terremoto
Ela senta e não para, ela toca o terror
Quando ela desce, é igual terremoto
Ela senta e não para, toca o terror🎶

Nesse momento, alguém bate a porta e Carmen tende.

Delegado - Aqui é onde mora a Paula Castro?
Carmen ( Com voz baixa ) - É sim, ela está aqui ( Apontando para Paula ).
Paula ( Séria ) - O que quer comigo?
Delegado - É um processo, por injuria racial, que você cometeu.
Paula ( Furiosa ) - Só pode ter sido aquela garota medíocre da Janaina. Agora não se pode falar nada que já é racismo.
Delegado - Você poderá ficar em liberdade, mas dentro de um mês irá haver uma audiência onde deverá comparecer, mas tudo leva a crer que houve injuria racial.
Paula ( Pensando ) - Que saco!
Delegado - Tenham um bom dia.

Apos o delegado ir embora, Carmen decide falar com Paula.

Carmen ( Desapontada ) - Filha, voce fez isso mesmo? Voce é raciasta?
Paula ( Arrogante ) - Eu já estava de saco cheio daquela metida, eu falei o que queria falar, e não me arrependo.
Carmen ( Com lagrimas nos olhos ) - Não sabia que você chegaria a esse ponto... Onde eu errei com você?
Paula ( Irritada ) - Ai mãe, não me enche o saco não, tá?

Em seguida Paula vai para o quarto.

Carmen - Filha... Quando você irá mudar?

Cena 11/ Shopping Iguatemi / Interior / Loja / Tarde/

Leandro e Julio estão passeando no shopping e vêem uma loja de roupas.

Leandro ( Apontando para a vitrine ) - Olha aquerlas roupas ali! Parecem mara! Vamos lá ver.

Leandro e Julio entram na loja e começam a observar as roupas.

Julio ( Olhando umas blusas pólo ) - Olha, essas blusas aqui são boas para trabalhar!
Leandro ( Sorrindo ) - Gato, eu não uso essas roupas... Quer dizer, uso em ocasiões especiais... Gosto de coisas mais bafônicas.  ( Apontando para uma bota ). Tipo isso.
Julio ( Gargalhando ) - Ata, eu não usaria isso, é muito apertado.
Leandro - No começo sim, mas depois é legal. Só não uso muito porque meus pais me enchem o saco.
Julio - Eu já me vesti de mulher, mas foi no Carnaval. Tive que usar sunga porque a calcinha não entrava.Foi bem mico...
Leandro ( Rindo de Julio ) - Fala sério... Eu já usei até colã.
Julio ( Chocado ) - Ai meu Deus... ( T). Mas o seu corpo é diferente do meu. ( Rindo ). Voce é bem divertido.
Leandro - Sou sim.

Em seguida Leandro dá um beijo em Julio.

Julio ( Sorrindo ) - Vamos pagar o que a gente já pagou.
Leandro  - Vamos sim.

Eles pagam as compras e em seguida saem em busca de novas lojas.

Leandro ( Com algumas bolsas ) - Adorei as roupas que compramos.
Julio - Escolhemos muito bem, gatinho.

1 semana depois...

Cena 12/ Vidigal / Casa de Leonor / Interior / Sala / Manhã /

Leonor e Janaina estão em casa assistindo TV, elas aproveitam um dia de folga.

Leonor - Esse programa é muito bom, já peguei várias receitas.
Janaina - Eu também, embora não tenha tempo de fazer... Mas sempre quando tenho tempo eu assisto.

De repente, ouve-se batidas na porta. Leonor vai ver e é Jadson.

Jadson ( Com um revolver em mãos ) - E aí? Trouxeram o dinheiro? É bom mostrarem logo que meu revolver já está carregado. ( T ). É bom que o moleque não está.
Leonor ( Arrumando o dinheiro ) - Aqui, está tudo certo, 5 mil reais da divida do meu falecido marido. E espero que não incomode mais.
Jadson pega o dinheiro e começa a conferir as notas.
Leonor - Não precisa conferir. O dinheiro está certo.
Jadson ( Debochado ) - Calma , mulher. Tenho que saber se é verdadeiro... Meus negócios são bem legítimos.
Janaina ( Rebatendo ) - Bem legítimos... Esquartejar um homem e depois chantagear a familia... Por sorte serei advogada e um dia prenderei bandidos como você.
Jadson ( Frio ) - Fiz e não me arrependo... Estou há anos aqui no comando, todos me temem, e preciso continuar esse prestígio. Sabe quantas vezes fui preso? Nenhuma, porque sempre eliminou quem cruza meu caminho, devedores, 171... Todos vao para a vala.
Leonor ( Indignada ) - Um dia tudo irá terminar... Nada é para sempre, e um dia as leis irão acertar...
Jadson (Cínico ) - Hahaha! Cê acha? Tem gente graúda à meu favor...
Janaina - Como eu disse... O seu lugar é na cadeia, atrás das grades... E eu terei o maior prazer...
Jadson ( Apontando o revolver ) - Se eu souber que me entregaram... Mato um a um...
Em seguida Jadson faz barulho de guilhotina e vai embora.

Leonor - Graças a Deus esse homem já foi... Que nunca mais apareça na minha frente.
Janaina ( Enojada ) - Tenho ódio dele, que um dia o peguem... ( T). Mas felizmente meu pai irá descansar em paz.
Leonor ( Aliviada ) - Sim, que o Augusto esteja em bom lugar...

1 mês depois...

Cena 13/Tribunal / Interior / Manhã / 

Douglas está em uma acareação com o Juiz, ele parece preocupado com seu futuro, mas mesmo assim procura se manter despojado. Gael também está presente, como testemunha.

Juiz - Então Douglas, preciso que me diga novamente o que aconteceu no dia da agressão.
Douglas - Então, eu estava com meu carro novinho, que eu havia acabado de ganhar, eu estava com o Gael... Aí o velho apareceu do nada, com o carro desgovernado e quase bateu, aí no impulso eu agredi, foi só isso eu juro.
Juiz ( Anotando em um papel ) - Gael, por favor, preste seu depoimento.
Gael - O que o Douglas falou é verdade, na hora ficamos desesperados porque tinha um pouco de sangue e fugimos, com medo de capturas. Nem pensamos que ele poderia morrer.
Juiz - Dentro de instantes sairá a sentença.

Algum tempo depois...

Juiz -  Douglas Alves  se levante para ouvir o veredito final. Como juiz dessa vara criminal, responsável por esse julgamento, declaro o senhor Douglas Alves , culpado pelo crime de homicídio culposo, tipificado no Arrigo 121 Inciso 3.  Condenado à cumprir uma pena de 1 ano 4 meses em regime aberto.
Douglas - Isso quer dizer que estou livre?
Juiz - Não, voce tem regras a cumprir, não pode sair da cidade entre outras coisas . Sua pena se inicia hoje.

Um delegado encaminha Douglas para casa.

Dia seguinte...

Cena 14/Ipanema /Casa de Marcelo e Wanda / Manhã/

André lia o jornal e vê a reportagem da condenação de Douglas

" Jovem de 22 anos é condenado a 1 ano e 4 meses em regime aberto por morte de idoso.

André - Viram isso aqui?Um idoso foi morto numa briga de estrada, e o assassino só pegou 1 ano.
Wanda ( Indignada ) - Essa juventude está perdida, não tem respeito por ninguém., e falo também pelo Gael, que espero nunca estar metido nosso.
Marcelo - Também tem essa leis fracas, beneficiam os bandidos. Onde 1 ano é pena para homicídio? Homicídio tem que pagar com cadeia.
André - Homicídio e qualquer outro crime, como o racismo, crime que fere milhares de pessoas.
Marcelo ( Curioso ) - Diz isso por causa da Paula?
André - Sim. Cara, ela humilhou a Janaina por ser negra e minha namorada. Sorte que a Janaina meteu um processo, que à proposito será julgado amanhã.
Wanda - E você vai lá?
André - Vou sim, ainda mais que vou viajar à Intercambio, preciso estar perto da Janaina.
Marcelo ( Apoiando - o ) - Essa é uma ótima atitude, você sempre foi bem atencioso, e que esse tempo faça você crescer mais e mais.
Wanda - E se a Paula é mesmo racista, que pague por esse crime.

Cena 15/Tribunal / Interior / Manhã/

Paula está no tribunal, pronta para ser julgada pelo crime de injuria racial. Ela está ao lado de um juiz, que a interroga.

Juiz - Declaro aberta a sessão de justificação judicial, para a produção de provas para da base ao julgamento da ré Paula Leal.  Brasileira, solteira , julgada com base no Artigo 139 do crime Injuria Racial. Paula, poderia prestar um depoimento sobre o dia do crime?
Paula ( Séria ) - Senhor juiz, para mim não houve nenhum crime, eu só falei a verdade, essa mulherzinha é baixa, suja, e eu não a suporto.
Elaine ( Interrompendo - a ) - Temos provas de que você cometeu racismo, caso queira , posso passar o video novamente.
Juiz ( Intervindo ) - Não é necessário, já temos as provas.
Paula - Eu não sou obrigada a gostar de gente negra, eu falo o que quiser, vivemos num paìs livre!
Janaina ( Interrompendo ) - País livre? Ser racista é opinião agora?Você é desagradável!
Paula ( Cínica ) - Hahaha. Você está tão baixa...
Juiz ( Batendo o martelo ) - Silencio no tribunal! Logo logo ditarei a sentença.

Algum tempo depois...

Juiz - Como juiz dessa vara criminal, responsável por esse julgamento, declaro  Paula Leal  , culpada pelo crime de injuria racial, condenada a cumprir uma pena de 1 ano de serviços comunitarios.
Paula ( Irritada ) - Serviço comunitário por causa dessa gentinha? Eu não vou cumprir coisa nenhuma.
Juiz ( Ameaçando - a ) - Você tem. que cumprir as leis, serviço comunitário é sua pena
Janaina ( Debochada ) - Quem cava uma cova para o inimigo, cai nela.

Janaina vai embora do tribunal, com um sorriso triunfante.



GANCHO



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.