Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Sem Rastro - Episódio 01 (Estréia)

 

Sem Rastro
Episódio 1: O homem que dá medo




Cena 1/ um galpão abandonado / noite

Vários bandidos estão empilhando caixas, e sobre eles estavam uns homens com ternos pretos, conversando entre si, na verdade eles são  mafiosos planejando suas próximas falcatruas, o principal deles é Rodolfo Montenegro.
Rodolfo é um homem inteligente, exigente e tem um temperamento que não agrada ninguém a sua volta, ele possui muitos inimigos, e por isso desconfia até de sua própria sombra.
Derrepente um som de sirene ecoa sobre a região, era a polícia,  alguém foi X9. Todos começam a fugir do local, escondendo a mercadoria para preserva-lá. A polícia entra no local e não encontra nada, logo após os mesmos vão embora.
Uma hora depois os bandidos voltam e Rodolfo está irado.

Rodolfo: Quem foi o idiota que nos delatou? Eu vou descobrir, e eu mesmo vou mata-lo.

Todos no local ficam com muito medo pois Rodolfo é um homem impactante, imponente.
Então Pessanha, um outro mafioso se aproxima dele e lhe entrega um pacote.

Pessanha: Aí está meu consagrado! O pacotinho que você me pediu.

Derrepente começa um tiroteio intenso, a polícia ainda não havia deixado o local. Rodolfo saiu pelos fundos afim de que ninguém o visse com o pacote.


Cena 2/ Jardim da mansão  Montenegro/
noite


Rodolfo chega no jardim correndo e encontra seu jardineiro Bento.

Rodolfo: Bento seu miserável, venha aqui agora !

Bento: Sim senhor, em que posso ajudar?

Rodolfo: Pegue esse pacote, e enterre ele no quintal.

Então sem saber do perigo Bento enterra o pacote no gramado.

Rodolfo ( Segura na gola da camisa de Bento) : Escute seu miserável, ninguém pode saber desse pacote, se não você  e toda a sua família vão  me pagar, lembra o que eu fiz com a esposa de Elizeu? Não responda! Bom eu já falei.

Então Rodolfo saí do local.

Bento ( falando para se mesmo) : Homem maldito, você sabe como eu te odeio.


Cena 3 / porta de entrada da mansão Montenegro/ noite


Jó o assistente de Rodolfo se aproxima do patrão:

: Senhor , não tenho boas notícias ! Os policiais levaram tuda a mercadoria, e aprenderam nossos homens inclusive o Pessanha. Tenho medo que ele fale alguma coisa que prejudique o senhor.

Rodolfo: Que droga! Escute Jó, essa noite vamos fugir, organize tudo, e me avise quando tudo estiver pronto.

Então Rodolfo entra em sua casa.

: Velho maldito, quero que você passe o resto de sua maldita vida na cadeia, nunca  vou perdoar o que você fez para a esposa do meu irmão.


Cena 4/ mansão dos Motenegro/ noite


Rodolfo: Que dia horrível, estou cansado e afadigado ( Então ele grita) Maria! Venha aqui sua incompetente.
Maria era a empregada, ela é a que Rodolfo mais maltrata na casa.

Maria: Sim patrão, o que o senhor deseja?
Rodolfo: Sua idiota, você sabe bem o que eu quero!

Então ela correu para a cozinha para buscar o que Rodolfo tanto gostava  algumas balas de caramelo, o homem é fascinado por balas de caramelo.
Ela entrega para ele, e o mesmo coloca todas de uma vez na boca.

Rodolfo ( gritando) : Bety, a comida está pronta? Você é mais uma incompetente mesmo.

E assim eram todos os dias na mansão dos Montenegro, os empregados são maltratados todos os dias, todos o detestam.





Cena 5/ Uma casa no subúrbio de São Paulo/  noite


Uma mulher por nome Lúcia, está caminhando pela cidade, ela é policial e está em busca de um bandido, Lúcia é a melhor polícia, ela não perde um caso.

Lúcia: Aonde estará aquele mala.

Então ela vê o bandido pulando o muro de uma casa e com sua mira de primeira, ela atira e acerta o tendão de Aquiles do homem.
Mais uma noite bem sucedida para Lúcia.


Cena 6/ Delegacia de polícia / noite


Delgado Alfredo: Meus parabéns Lúcia, você foi fantástica, vai para sua casa descansar, melhor por ser uma agente tão boa tire a semana de folga.

Lúcia: Obrigado senhor, mas se aparecer um caso por aqui, por favor me chame.



Cena 7/ Em um hotel da cidade de São Paulo/ noite


A câmera mostra um homem deitado com a barriga cara baixo, e as nádegas a mostra ele é Otávio o filho boêmio de Rodolfo, está dormimdo ao lado de uma mulher,  mas, por estar alcoolizado não lembrava de nada que tenha feito, então ele veste sua calça e sua camisa, e sai do local deixando a mulher  dormindo.
Ele pega o celular e liga para Luz sua governanta, que o criou desde que sua mãe morreu, quando Otávio era criança.

Otávio( falando no telefone):  Oi minha querida! Eu já estou indo para casa, por hoje já me diverti o suficiente, o papai já chegou?

Luz  ( pelo celular): Sim ele chegou e está em um daqueles dias, rabugento como nunca.


Cena 8/ mansão dos Montenegro/ noite/ cozinha


Maria e Bety estão limpamdo a cozinha e conversando.

Maria: Mulher eu vi o patrão fazendo umas malas, tomara que ele vá viajar e demore muitos dias.

Bety: Por mim ele pode é morrer, você lembra o que ele fez com a gente.

Maria: É claro que eu lembro, ele é um monstro, minha vontade é colocar um veneninho nas balinhas dele.

Bety: Eu te ajudaria com o maior prazer amiga.

Maria: Engraçado Bety, o quanto que o seu Otávio é diferente dele.

Bety: Verdade, apesar dele ser mulherengo ele tem um caráter bom.



Cena 9/ um apartamento em São paulo/ noite


Lúcia chega em seu ap.
Lúcia: Aí como eu estou cansada, que pena que meu pai não pode estar aqui comigo, eu amo tanto ele, mas ele é um cabeça dura, que saudade daquele velho teimoso.

Alguém bate na porta, era Rodrigo amigo de Lúcia.

Rodrigo: Oi minha linda, como você está?

Lúcia: Oi cara, tô legal. Você trouxe o que eu pedi?

Rodrigo: É claro bb tá aqui.

Então ele entrega um console de vídeo game para Lúcia.
Lúcia: Obrigado. Tchau.

Rodrigo: Você deixa eu entrar para gente poder se divertir um pouco?

Lúcia: Não, tá louco? Em primeiro lugar, eu vim para a capital para trabalhar e não me divertir. E em segundo, nós somos apenas amigos.

Então Rodrigo vai embora, e Lúcia vai jogar em seu console.



Cena 10/ mansão dos Montenegro/ noite


Otávio chega em casa, bebe um copo de leite e vai se deitar.
Naquele momento só estavam na casa além de Otávio, Rodolfo como sempre trancado em seu escritório e os empregados em seus quartos.
Todos dormiram como pedra naquela noite, e pela manhã se escuta um grito, ecoando por toda a casa, era Maria.

Maria: Socorro! Socoorro! O senhor Rodolfo!

E quando todos entram no escritório do homem, o encontaram palido como a neve, frio como o gelo, e babando.



Continua...





Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.