Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Ilusões Perdidas - Capitulo 21

 


 

ILUSÕES PERDIDAS

 

EPISÓDIO 21

 

CENA 1/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ SALA DE ESTAR/ NOITE/ INT.



Heitor entra na sala, enquanto Astrid continua a estranhar toda aquela situação e tentando entender tudo aquilo que escutara anteriormente.

ASTRID (P/Heitor) — Acho que você não está com o juízo perfeito!

HEITOR (P/Astrid) — Engano seu. Acho que eu nunca tive com meu juízo tão perfeito!

ASTRID (P/Heitor) — Então, fale a verdade! O que você veio fazer por aqui?

HEITOR (P/Astrid) — O que eu disse não foi nenhuma brincadeira! Eu estou apaixonado por você. E você não me parece tão surpresa como está.

ASTRID (P/Heitor) — Uma das coisas que mais me incomodou desde que te conheci foi a forma como você sempre olhou para mim. Era um olhar diferente e que sempre me deixou desconfortável.

Heitor vai na direção de Astrid e beija suas mãos.

ASTRID (P/Heitor) — Você é casado e eu estou namorando. Até gosto posso a vim gostar de você, mas nada vai passar de uma amizade.... Nada além disso.

HEITOR (P/Astrid) — Eu faço de tudo para te ter comigo! Eu durmo pensando em você, acordo pensando em você, trabalho pensando em você.

ASTRID (P/Heitor) — Você deveria ter o mínimo de respeito pelo seu amigo!

HEITOR (P/Astrid) — Mas eu tenho muito respeito por Rubens. E é por respeito por ele e por te respeito a você que eu te falo. Você não conhece o verdadeiro Rubens e vai enojar quando o conhecer de verdade.

ASTRID (P/Heitor) — Você está querendo me desestabilizar emocionalmente para que eu caia na sua teia de aranha. Mas eu não vou acreditar. Percebo nesses seus olhos as reais intenções e não são boas.

HEITOR (P/Astrid) — Acho que você se deixa contaminar muito fácil pelas opiniões alheias.

ASTRID (P/Heitor) — Não, eu acredito nas pessoas que eu confio. Quero encarecidamente que você saia de minha casa.

Heitor não oferece resistência e sai. Astrid fica pensativa e relembra a conversa que teve com Arlete. Inserir flashback da cena 7 do capítulo 20:

Astrid e Rubens se despedem, enquanto se beijam. Depois daquele último beijo, Rubens sai e Astrid continua a conversar com Arlete.

ASTRID — Hoje o dia foi muito turbulento. Mas nada me chamou mais atenção que o amigo de Rubens. Ele não parava de me olhar. Eu não sei dizer o que ele queria, mas é de estranhar que um homem casado olhe para uma mulher comprometida, como ele olhava para mim.

ARLETE — Quem é? Eu conheço?

ASTRID — Ele é um advogado e sempre representa os Martins quando eles precisam resolver alguma coisa com a justiça. Parece que ele é bem famoso. Eu confesso que não conhecia. Heitor Fonseca. Conhece?

ARLETE — Já ouvi falar e não é com bons olhos. Ele é envolvido com escândalos de corrupção, peculato. Parece que ele já aplicou alguns golpes contra seus clientes. Obviamente que ele não vai fazer isso com os Martins. Ele sabe muito bem a família com quem está se metendo. Ele tem que aproveitar, enquanto a galinha dos ovos de ouro está a pleno vapor. Eu não sei até que ponto tudo isso é verdade, mas foi o que eu já ouvi falar sobre ele.

ASTRID — É..... Eu não sei, mas ele me olhava com um olhar estranho. Mas se o Rubens, que conhece ele há anos, confia piamente nele, quem sou eu para questionar.

ARLETE — Se tem uma pessoa que pode falar melhor do que eu sobre o Heitor, é o Rubens. Afinal, eles são amigos.

ASTRID — O que interessa é que

Enquanto bebem um pouco de champanhe, elas continuam a conversar.

Fim do insert.

Astrid anda pela sala e senta no sofá.

ASTRID — Eu quero muito acreditar que o Heitor não é o que Arlete disse, mas está difícil.

Ele continua pensativa.

Corta para:

CENA 2/ RIO DE JANEIRO/ RUAS DA CIDADE/ MANHÃ/ EXT.

Vista aérea do Cristo Redentor. Vista aérea do Pão-de-açúcar. Bondinho. Poucas pessoas andando pelo calçadão de Copacabana. Turma de jovens conversando na rua Miguel Lemos.

Corta para:

CENA 3/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ SALA DE JANTAR/ MANHÃ/ INT.



Astrid está sentada à mesa tomando café no instante em que Rubens entra trazendo consigo um buquê de flores.

RUBENS (Feliz) — Achei que a ocasião pedia um buquê de flores.

ASTRID — Ah, Rubens, você, como sempre romântico.

Eles se beijam.

RUBENS — Temos que aproveitar cada dia que estamos juntos. Não sabemos o dia de amanhã. A única coisa que temos certeza é que o nosso casamento está se aproximando.

Neste instante, Astrid relembra a conversa que teve com Heitor na noite passada. Inserir flashback da cena 1 do capítulo 21:

Heitor entra na sala, enquanto Astrid continua a estranhar toda aquela situação e tentando entender tudo aquilo que escutara anteriormente.

ASTRID (P/Heitor) — Acho que você não está com o juízo perfeito!

HEITOR (P/Astrid) — Engano seu. Acho que eu nunca tive com meu juízo tão perfeito!

ASTRID (P/Heitor) — Então, fale a verdade! O que você veio fazer por aqui?

HEITOR (P/Astrid) — O que eu disse não foi nenhuma brincadeira! Eu estou apaixonado por você. E você não me parece tão surpresa como está.

ASTRID (P/Heitor) — Uma das coisas que mais me incomodou desde que te conheci foi a forma como você sempre olhou para mim. Era um olhar diferente e que sempre me deixou desconfortável.

Heitor vai na direção de Astrid e beija suas mãos.

ASTRID (P/Heitor) — Você é casado e eu estou namorando. Até gosto posso a vim gostar de você, mas nada vai passar de uma amizade.... Nada além disso.

HEITOR (P/Astrid) — Eu faço de tudo para te ter comigo! Eu durmo pensando em você, acordo pensando em você, trabalho pensando em você.

ASTRID (P/Heitor) — Você deveria ter o mínimo de respeito pelo seu amigo!

HEITOR (P/Astrid) — Mas eu tenho muito respeito por Rubens. E é por respeito por ele e por te respeito a você que eu te falo. Você não conhece o verdadeiro Rubens e vai enojar quando o conhecer de verdade.

Fim do insert.

Astrid abraça o namorado, que estranha aquela reação repentina, mas retribui o abraço. Eles dançam por alguns segundos, sem música, e riem. Em seguida, se sentam.

Corta para:

CENA 4/ RIO DE JANEIRO/ ESCRITÓRIO FONSECA/ SALA DE HEITOR/ MANHÃ/ INT.

Paulo Fonseca entra na sala de Heitor e vê que ele está sorridente e pensativo. Não hesita em questioná-lo, enquanto pega algumas peças jurídicas para entrega-lo.

PAULO — Parece que você não está nesse mundo. Fica aí pensativo, sem nem se dá conta de que temos uma pilha de processos para analisar.

HEITOR — Eu estou apaixonado.

PAULO — Mas você é casado!

HEITOR — Não há amor que dure para sempre, meu amigo. A minha vida com Virginia está numa monotonia eterna. Ela se morde de ciúmes e isso me tira o tesão.

PAULO — Mas, então, quem é a moça por quem você está apaixonado?

HEITOR — Astrid!

Paulo arregala os olhos.




CENA 5/ RIO DE JANEIRO/ ESCRITÓRIO FONSECA/ SALA DE HEITOR/ MANHÃ/ INT.

PAULO — A namorada do Rubens? Eu não acredito. Espero que você não traga problemas para o meu escritório. Rubens e toda a família Martins é nosso cliente há muito tempo.

HEITOR — Ela mesmo. Eu não paro de pensar nela.

PAULO — Você reclama que a Virginia é ciumenta, mas você faz com que ela senta ciúmes.

HEITOR — Ah, Paulo, meu poupe! Se soubesse que você ia ficar do lado da minha esposa, não te contaria nada. Mas, como si que você ainda é meu amigo, vou te contar uma coisa. Ontem eu fui na casa dela e me declarei.

Neste instante, ele relembra o que fez na noite anterior. Inserir flashback da cen 1 do capítulo 21:

Heitor entra na sala, enquanto Astrid continua a estranhar toda aquela situação e tentando entender tudo aquilo que escutara anteriormente.

ASTRID (P/Heitor) — Acho que você não está com o juízo perfeito!

HEITOR (P/Astrid) — Engano seu. Acho que eu nunca tive com meu juízo tão perfeito!

ASTRID (P/Heitor) — Então, fale a verdade! O que você veio fazer por aqui?

HEITOR (P/Astrid) — O que eu disse não foi nenhuma brincadeira! Eu estou apaixonado por você. E você não me parece tão surpresa como está.

ASTRID (P/Heitor) — Uma das coisas que mais me incomodou desde que te conheci foi a forma como você sempre olhou para mim. Era um olhar diferente e que sempre me deixou desconfortável.

Heitor vai na direção de Astrid e beija suas mãos.

ASTRID (P/Heitor) — Você é casado e eu estou namorando. Até gosto posso a vim gostar de você, mas nada vai passar de uma amizade.... Nada além disso.

HEITOR (P/Astrid) — Eu faço de tudo para te ter comigo! Eu durmo pensando em você, acordo pensando em você, trabalho pensando em você.

ASTRID (P/Heitor) — Você deveria ter o mínimo de respeito pelo seu amigo!

HEITOR (P/Astrid) — Mas eu tenho muito respeito por Rubens. E é por respeito por ele e por te respeito a você que eu te falo. Você não conhece o verdadeiro Rubens e vai enojar quando o conhecer de verdade.

ASTRID (P/Heitor) — Você está querendo me desestabilizar emocionalmente para que eu caia na sua teia de aranha. Mas eu não vou acreditar. Percebo nesses seus olhos as reais intenções e não são boas.

HEITOR (P/Astrid) — Acho que você se deixa contaminar muito fácil pelas opiniões alheias.

ASTRID (P/Heitor) — Não, eu acredito nas pessoas que eu confio. Quero encarecidamente que você saia de minha casa.

Heitor não oferece resistência e sai. Astrid fica pensativa e relembra a conversa

Fim do insert.

Paulo anda pela sala, enquanto toma um pouco de café, preocupado.

PAULO — Eu não acredito que você fez isso. Acho que você perdeu alguns neurônios, porque não é possível que você tenha feito isso.

HEITOR — Fiz e faria tudo de novo. Você não sabe o que é isso, porque nunca se apaixonou por ninguém.... Ninguém te quis.

PAULO — Eu vou para a minha sala, antes que eu me irrite.

Paulo sai da sala. Heitor se senta e abre um sorriso.

Corta para:

CENA 6/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ SALA DE ESTAR/ MANHÃ/ INT.

Rubens e Astrid conversam, no instante em que Arlete entra. Rubens então é breve com Astrid.

RUBENS — Preciso ir. Vou te que ir no autódromo agora. Vou ter treino, mas hoje à noite nos vemos.

Eles se beijam. Rubens cumprimenta Arlete e em seguida sai. Arlete percebe que Astrid está muito preocupada.

ARLETE — Não adianta esconder nada de mim. O que houve?

ASTRID — O tal amigo do Rubens veio me procurar.

ARLETE — Quem? O Heitor Fonseca?

ASTRID — Sim, ele fez uma declaração de amor para mim, mas eu tentei manter minha postura. Ele tentou me desestabilizar, mas não conseguiu. Mas ele não me pareceu ser essa pessoa que você falou.

ARLETE — Como eu bem disse a você, não o conheço pessoalmente, mas são boatos que rondam pela cidade.

ASTRID — Ele me disse que sabia alguns podres do Rubens, mas não acreditei.

ARLETE — Gente assim costuma ser ardilosa!

Eles continuam a conversar.

Corta para:

CENA 7/ RIO DE JANEIRO/ RUAS DA CIDADE/ NOITE/ EXT.

Pessoas saindo do bar. Pessoas andando tranquilas pelas ruas. Pessoas conversam na rua, enquanto carros passam pela cidade. Jovens entram no cinema e conversam na calçada.

Corta para:

CENA 8/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO DA FAMÍLIA FONSECA/ QUARTO DE HEITOR E VIRGINIA/ NOITE/ INT.

Virginia está deitada na cama, no instante em que Heitor entra no quarto. Ele vai ao encontro dela, que está triste.

VIRGINIA — Você está acabando com minha vida. Não sai mais comigo. Isso é terrível e está me fazendo mal.

HEITOR (Mente) — Você sabe muito bem que eu te amo!

Virginia sai da cama.

VIRGINIA — Mentiroso! Mentiroso! Você não consegue disfarçar a sua falsidade, mas eu te conheço muito bem, Heitor Fonseca.

HEITOR — Hoje, eu vou dormir na sala, porque estou vendo que a noite vai ser bem longa.

Heitor pega alguns travesseiros e sai do quarto.

Corta para:

CENA 9/ RIO DE JANEIRO/ CARTÓRIO/ MANHÃ/ INT.



Letreiro mostra: “três meses depois”

Rubens e Astrid estão de mãos dadas, em frente ao juiz. Ao lado deles estão Virginia e Heitor.

JUIZ — Estamos aqui para selar a união por separação parcial de bens entre Rubens Fonseca e Astrid. Vocês estão de acordo com tudo que foi dito?

RUBENS e ASTRID — Sim.

Eles se beijam.

Congelamento preto e branco, a imagem se fixa em um camafeu, que se fecha.

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.