Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Ilusões Perdidas - Capitulo 24

 



ILUSÕES PERDIDAS

 

EPISÓDIO 24

 

CENA 1/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ UTI 1/ TARDE/ INT.

Rubens fala e Rosemary se emociona. Neste instante, a enfermeira se aproxima e gesticula para que Rosemary se afaste.

ENFERMEIRA — É melhor a senhora não falar com ele agora. Por precaução, é melhor ele não passar por nenhum tipo de emoção agora.

ROSEMARY — Tudo bem! Eu espero lá fora!

ENFERMEIRA — Faça isso! Acho que hoje ou talvez ele já vá para o quarto. Eu vou verificar como está a pressão dele. Os batimentos cardíacos estão normais.

RUBENS (Gritando) — Onde está Astrid? (Sente uma pontada no peito). Cadê a minha mulher? Onde eu estou?

ENFERMEIRA (P/Rubens) — Você precisa descansar um pouco, se acalmar. A sua esposa está bem. Está em tratamento. Vocês sofreram um acidente, mas vai tudo ficar bem. Ela está na outra unidade de terapia intensiva.

Neste instante, a enfermeira e Rosemary trocam olhares e a mãe de Rubens compreende que é para sair da UTI.

Corta para:

CENA 2/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ UTI 2/ TARDE/ INT.

Arlete observa a amiga, que está em coma.

ARLETE — Reage, minha amiga, reage! Você é muito forte. É uma sobrevivente da segunda guerra mundial. Você tem que reagir!

Ela percebe que uma lágrima sai dos olhos de Astrid e também se emociona.

ARLETE — Se você estiver me escutando, aperta minha mão.

Astrid não esboça nenhuma reação.

ARLETE — Temos tantas coisas para viver ainda.

Arlete se senta na cadeira e adormece.

Corta para:

CENA 3/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ RECEPÇÃO/ TARDE/ INT.

Heitor e Paulo estão aflitos na recepção. Rosemary entra feliz.

ROSEMARY (P/Heitor e Paulo) — O Rubens acordou!

Paulo e Heitor pulam de alegria e se contêm ao perceberem que estão em um hospital.

HEITOR — Já podemos ver ele?

ROSEMARY — Ainda não. Ele vai ser avaliado pelos médicos para depois ir ao quarto. Talvez hoje, amanhã ou daqui há alguns dias.

HEITOR — Estou muito feliz! Eu sabia que o Rubens ia sair dessa. E a Astrid como está?

ROSEMARY — O médico disse mais cedo que ela continua em coma, mas não houve mudança no quadro de saúde. Continua estável. Ele ainda falta avaliar algumas possíveis sequelas. Mas nem ela e nem Rubens fraturaram a medula espinhal.

HEITOR — Então o risco de paralisia é nulo praticamente, não é?

ROSEMARY — Já foi descartado!

HEITOR — Diante dessa notícia maravilhosa, eu vou para casa tomar um pouco de banho. Virgínia deve estar me esperando. Ela vem pouco no hospital. Não gosta muito.

ROSEMARY — Podem ir! Eu fico aqui. Manuel já deve estar a caminho.

Paulo e Heitor saem.

Corta para:

CENA 4/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO DA FAMÍLIA FONSECA/ SALA DE JANTAR/ TARDE/ INT.

Virgínia está tomando café e comendo biscoitos, no instante em que Heitor e Paulo entram. Percebendo que eles estão felizes, Virgínia não hesita em perguntar.

VIRGINIA — Que felicidade é essa?

HEITOR — O Rubens reagiu! Acordou!

VIRGINIA (Fria) — Fico feliz por ele.

HEITOR — Por que dessa sua cara? Não me parece estar nada feliz com a notícia!

VIRGINIA — Estou de saco cheio dessa vida. Você nunca me dá atenção. Quando não é o escritório, sãos os amigos. E eu fico como? Estamos vivendo quase que como irmãos. A gente não se beija mais, não se toca mais.... Eu não quero mais essa vida para mim. Se você não me tratar como eu devo ser tratada, eu vou pedir o desquite!

No instante em que Heitor ia se defender, Virginia sobe para o quarto. Heitor olha para Paulo.

HEITOR — Quer levar essa mulher para sua casa? Eu não aguento mais tanta frescura!

PAULO— Eu não quero causar discórdia nem nada, mas ela está com a razão. (Dá duas palmadinhas no ombro do amigo). Abre o olho!

Em seguida, ele sai Heitor fica pensativo.

Corta para:

CENA 5/ RIO DE JANEIRO/ RUAS DA CIDADE/ NOITE/ EXT.



Mostrar as pessoas saindo e entrando nos restaurantes. Jovens entrando no cinema e nos clubes de dança. Cristo redentor iluminado. Bondes percorrendo a cidade. Pessoas nos bares acompanhando jogo de futebol. Maracanã.

Corta para:

CENA 6/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ QUARTO DE RUBENS/ NOITE/ INT.

Rubens está conversando com Rosemary e Manuel.

ROSEMARY — Você nos deu um grande susto, meu filho.

MANUEL — Quase tive um infarto quando soube que você tinha se acidentado.

RUBENS — Eu nem me lembro direito como foi, mas eu devo ter perdido o controle do carro.

Ele tenta se lembrar do acidente. Inserir o flashback da cena 12 do capítulo 22, como um sonho:

Astrid e Rubens arruam.

RUBENS — Depois de dias aproveitando a vida, é hora de cairmos na realidade. (Riu). É hora de voltarmos para o Brasil.

ASTRID — Esses dias foram os melhores dias da minha vida.

Com as malas prontas, eles saem do hotel e entram no carro, onde a cena continua. Eles partem felizes em direção ao Rio de Janeiro.

Letreiro mostra: “Dois dias depois”

Eles continuam na estrada. Rubens não dormira durante todo esse tempo. Ele cantarola. Astrid caíra no sono. Ele se abaixa para pega um pouco de água e perde a direção do carro. A sua visão é ofuscada pelo farol do carro.

RUBENS — Aaaaah!

Fim do insert.

Ele leva as mãos a cabeça após sentir uma dor muito forte.




CENA 7/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ QUARTO DE RUBENS/ NOITE/ INT.

ROSEMARY — Não precisa se esforçar para lembrar do acidente, meu filho. Isso já ficou para trás. O que importa é que você está bem, com saúde.

RUBENS — Como está Astrid?

ROSEMARY — Está reagindo bem ao tratamento! Está em coma, mas os médicos disseram que ela pode acordar nos próximos dias.

RUBENS — Eu queria ver ela!

ROSEMARY — É melhor não.

Neste instante, Heitor e Paulo entram.

ROSEMARY — Eu e seu pai vamos sair para que você e seus amigos fiquem sozinhos.

Rosemary e Manuel saem.

HEITOR (P/Rubens) — Estava aflito, meu amigo! Como pode ter acontecido uma coisa dessas?

RUBENS — Nem eu mesmo sei dizer.

PAULO — Ficamos preocupados. Que bom que você está aí firme e forte. Quem sabe você volta a pilotar novamente...

RUBENS — Eu acho que eu vou me aposentar. Quero dedicar mais tempo a minha esposa. Somos casados agora, não é?

PAULO — Faz muito bem!

HEITOR — Eu também vou dedicar mais tempo à minha mulher.

Eles riem.

Corta para:

CENA 8/ RIO DE JANEIRO/ RUAS DA CIDADE/ MANHÃ/ EXT.

Letreiro mostra: “Uma semana depois”


Mostrar o céu azul. Bondinho, Cristo redentor, Ruas da cidade, Pessoas conversando nas ruas. Carros passando pelas ruas.

Corta para:

CENA 9/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ SALA DE ESTAR/ MANHÃ/ INT.

Heitor e Paulo ajudam a Rubens se sentar. Rosemary e Manuel se sentam próximo a Rubens

HEITOR — Agora, você está em casa! Na sua nova casa. Muito bela por sinal.

RUBENS — Essa casa não é a mesma coisa sem Astrid. Que ela fique boa logo.

ROSEMARY (enquanto alisa a cabeça do filho/ P/Rubens) — Agora você está corado, meu filho!

RUBENS (P/Rosemary) — Agora eu vou só repousar para voltar a labuta!

ROSEMARY — Está bem, meu filho! Fique bem! Eu e seu pai vamos, mas voltaremos de noite.

HEITOR — A gente poderia comemorar. Agradecer a Deus por ter dado uma nova chance a vocês. Não é todo mundo que consegue escapar de um acidente desses. Vocês nasceram de novo.

Corta para:

CENA 10/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ UTI/ MANHÃ/ INT.

Astrid continua em coma e tem pesadelos. Inserir Flashback da cena 5 do episódio 2:



Astrid vai até a biblioteca. Ainda na calçada ela se depara com algumas pessoas que conversam, até que um jovem, um pouco mais alto e mais velho, rapaz se aproxima dela.

ADLER (P/Astrid) — Uma moça tão bonita não pode ficar andando por aí sozinha. É perigoso, bem perigoso.

ASTRID (P/Adler) — Desculpe, meu senhor, mas não costumo falar com estranhos (Ela vê que o rapaz traz em sua camisa um broche com a suástica). Ainda mais com nazista.

ADLER — Ah, me desculpe. Esqueci de me apresentar. Prazer, meu nome é Adler. Adler Schimdt. Você é judia?

ASTRID — O meu é Astrid e sim sou judia... com licença, eu estou com um pouco de pressa e o senhor está me atrapalhando.

ADLER — O que foi, garota? Não precisa ter medo de mim. Eu não mordo, a não ser que você queira. (Riu).

ASTRID — O senhor tem um humor bem apurado, mas precisa me dá licença. Nem poderíamos estar conversando.

Fim do insert.

Inserir flashback da cena 14 do capítulo 15:

Mussolini abraça Giovani e coloca amedalha em seu pescoço. Em seguida, vai ao microfone que está na varanda.

MUSSOLINI — Hoje, eu tenho a honra de anunciar o novo secretário do partido.

Todas as pessoas aplaudem. Mussolini dá a palavra a Giovani, que ao lado dos pais e da namorada, continua.

GIOVANI — Eu vou honrar com os meus compromissos, com sempre honrei o nosso líder.

A câmera vira-se para a multidão, onde também estão Michael e Francesco, que jogam duas bombas na direção de Giovani e Mussolini, que desviam, mas a bomba explode.

Fim do insert.

Inserir flashback do 6 capítulo 17:

Ao entardecer, Astrid e Giovani caminham até o parque florestal de Milão. De mãos dadas, eles se sentam na grama. Abrem o pano e colocam algumas frutas em cima.

GIOVANI — A tarde está bonita!

Eles se beijam.

ASTRID — O céu está bem azul.

A câmera vira-se para a mata, onde o bando de Francesco se aproxima. Eles correm na direção de Astrid e Giovani, que se levantam ao perceber que estão sendo cercados. Giovani ergue os braços.

GIOVANI — O que é isso?

FRANCESCO — O seu dia chegou, desgraçado!

Francesco puxa Giovani, que não oferece nenhuma resistência, pelo braço. Michael protege Astrid. Os outros metralham Giovani, que cai no chão, envolvido em uma poça de sangue.

Fim do insert.

Inserir o flasback da cena 1 do capítulo 18:



Astrid dá a mão a Rubens, que entende aquele gesto como uma aceitação. Ele a conduz para o meio do salão. Eles então dançam alegremente. As luzes brilhantes pareciam dançar em sincronia com o casal, que chamava atenção de todos no salão que olhavam com admiração para Astrid e Rubens dançando.

RUBENS — A gente está dançando aqui há alguns minutos, mas ainda não nos apresentamos. Meu nome é Rubens. Rubens Martins.

ASTRID — O meu é Astrid. Astrid Fisher.

RUBENS — Pelo seu nome e pelo sotaque, devo imaginar que não é brasileira, é?

ASTRID — Não, sou alemã, mas já andei por vários lugares do mundo. Estou no Brasil há seis anos.

RUBENS — Eu morei por muito tempo na Europa. Foi embaixador do Brasil em Paris. Já morei por alguns meses em Viena, em Praga. Curiosamente, não conheço a Alemanha.

ASTRID — Apesar de tudo que aconteceu lá nos últimos anos, é um país muito bonito. Você deveria conhecer.

RUBENS — Quando eu tiver oportunidade, irei conhecer com certeza. Mas agora eu quero conhecer mais sobre você. Veio para o Brasil sozinha?

ASTRID — Vim sozinha. A minha família toda morreu na guerra. A última vez que vi meus pais foi no dia do meu casamento há 11 anos. Mas eles foram levados, acredito eu, para um campo de concentração. O meu irmão eu cheguei a ver alguns depois, mas infelizmente ele foi fuzilado na minha frente.

RUBENS — E o que aconteceu com o seu marido?

ASTRID — Foi capturado também pelos nazistas também no dia do casamento. Eu não queria ficar falando sobre essas coisas. O ambiente não é propício.

RUBENS — Sobre mim, além de embaixador, sou piloto de automobilismo. Já competi nas melhores pistas do mundo.

ASTRID — Nossa! Você parece ser um homem incrível. Embaixador, piloto...

RUBENS — E herdeiro da maior empresa de metalúrgicos do Brasil.

ASTRID — Nossa! Você é muito compromissado

RUBENS — Eu sou uma pessoa muita ativa. Estou deixando um pouco de lado a diplomacia, mas vou continuar no automobilismo.

ASTRID — Deve ser incrível viver a vida como você vive.

RUBENS — É..... Realmente, se eu fosse morrer hoje, estaria tranquilo e satisfeito. Fiz tudo que quis: me apaixonei, me decepcionei, curti a vida como ninguém. Disso eu não posso.

ASTRID — Já eu quero recomeçar a minha vida agora. No auge dos meus trinta anos. Quero viver um novo romance. Ainda tenho tempo.

RUBENS — Eu sou viúvo. Até que não seria uma má ideia também viver um novo romance. Eu também estou na flor da idade. (Eles terminam a dança). Agora, vou te apresentar a minha família.

Eles vão até a mesa em que Rosemary e Manuel Martins, que estão sentados à mesa admirando aquelas músicas e aquela noite agradável.

Fim do insert.

Inserir flashbck da cena 12 do capítulo 22:

Astrid e Rubens arruam.

RUBENS — Depois de dias aproveitando a vida, é hora de cairmos na realidade. (Riu). É hora de voltarmos para o Brasil.

ASTRID — Esses dias foram os melhores dias da minha vida.

Com as malas prontas, eles saem do hotel e entram no carro, onde a cena continua. Eles partem felizes em direção ao Rio de Janeiro.

Letreiro mostra: “Dois dias depois”

Eles continuam na estrada. Rubens não dormira durante todo esse tempo. Ele cantarola. Astrid caíra no sono. Ele se abaixa para pega um pouco de água e perde a direção do carro. A sua visão é ofuscada pelo farol do carro.

RUBENS — Aaaaah!

Ele tenta desviar o carro cai numa ribanceira e capota três vezes. A câmera foca no rosto de Astrid e Rubens feridos

Fim do insert.

Astrid abre os olhos.


CENA 11/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ UTI/ MANHÃ/ INT.

Arlete vê que a amiga abriu os olhos.

ARLETE — Astrid, você acordou?

ASTRID — O que aconteceu comigo? O que aconteceu comigo?

ARLETE — Foi um acidente, mas já está tudo bem. O Rubens já está em casa... estou tão feliz, minha amiga. Você acordou! Você acordou!

Neste instante, os médicos e os enfermeiros entram para avaliar Astrid.

MEDICO — Você está com as taxas normais. O último exame que nós fizemos você estava com um pouco de anemia, mas já está tudo. Vai precisar de um pouco de descanso. Se tudo correr bem, daqui há uns três dias você terá alta.

Astrid abre um sorriso.

CENA 12/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ SALA DE ESTAR/ NOITE/ INT.

Letreiro mostra: “três dias depois”

Heitor e Rubens bebem rum, enquanto conversam.

HEITOR — Saudades das nossas bebedeiras! É muito bom conversar com nossos velhos amigos de longa data!

RUBENS — Estava sentindo falta também.

Heitor vai até a mesa enche mais dois copos de rum para ele e Rubens. Sem que o amigo perceba, ele coloca sonífero no copo dele. Volta e entrega o copo ao amigo enquanto bebe o outro.

HEITOR — Astrid tem alta hoje. Mas não precisa se preocupar. Eu vou pegar ela no hospital. Você ainda não tem condições de sair.

RUBENS — Obrigado, meu amigo! Faça isso por mim.

Rubens adormece. Heitor vai ao telefone.

Heitor — Ainda, pode vim. O Rubens já adormeceu. Faça como nós combinamos.

Em seguida, desliga o telefone e sai.

Corta para:

CENA 13/ RIO DE JANEIRO/ HOSPITAL SOUZA AGUIAR/ QUARTO DE ASTRID/ NOITE/ INT.

Arlete ajuda Astrid a vestir a roupa. Nesse instante, Heitor entra.

HEITOR — Eu vou levar vocês! Já falei com o Rubens. Ele não está em condições de vim pegar vocês. Pediu para que eu viesse pegá-las.

ASTRID — Está bem!

HEITOR — Parece que ele está preparando uma surpresa!

ASTRID — O Rubens sempre romântico. É uma raridade um homem assim. Meu marido é maravilhoso.

Em seguida, eles saem.

Corta para:

CENA 14/ RIO DE JANEIRO/ MANSÃO FISHER/ NOITE/ EXT.INT.

Astrid, Arlete e Heitor saem do carro.

ASTRID — A casa está tão escura!

HEITOR — Parece que ele está preparando uma surpresa mesmo. (Muda de assunto). Eu vou ter que ir.

Ele beija as mãos de Astrid e Arlete e volta para o carro. Elas continuam a andar. Percebem que a porta está entreaberta.

ASTRID — Rubens, meu amor!

Astrid acende a luz da sala e se depara com o marido nu dormindo abraçado com uma moça.



ASTRID (Gritando) — O que é isso? Alguém pode me explicar?

Rubens acorda e se assusta.

Imagem congela em preto e branco e se fixa em um camafeu, que se fecha.


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.