Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capítulo 02

 


TERRA DO SOL (太陽の国) �� CAPÍTULO 2

Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs

CENA 1: EXTERIOR. KAMAKURA. PENHASCO. MANHÃ

CONTINUAÇÃO IMEDIATA DO CAPÍTULO ANTERIOR. KENJI CONTINUA

AOS PRANTOS DEPOIS DE TUDO QUE ACONTECEU. ELE SE LEVANTA E

VAI ATÉ À BEIRA DO PENHASCO. ELE AINDA ESTÁ INERTE DIANTE DA

TRAGÉDIA QUE ACABA DE ACONTECER.

KENJI (chorando/inconformado): - Porque??!! Porque você teve que fazer

isso, minha filha? (P) Eu não queria que isso tivesse acontecido.

KENJI FICA TOTALMENTE INCONSOLÁVEL. A CÂMERA VAI SE

APROXIMANDO DE SEU ROSTO, E PODEMOS VER CLARAMENTE A

TRISTEZA PROFUNDA EM SEU OLHAR. KENJI FICA PARADO SEM SABER O

QUE FAZER.

����


�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 2: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. SALA DE ESTAR.

NOITE

DO ALTO DA ESCADA PODEMOS VER QUE UM MENINO OBSERVA TUDO

QUE ESTÁ ACONTECENDO. A CÂMERA SE APROXIMA, E PODEMOS VER

QUE É LUCAS. AOS POUCOS ESTELA VAI SUBINDO AS ESCADAS E SE

APROXIMANDO DE SEU FILHO. ELE VAI FICANDO AINDA MAIS TENSO.

ESTELA (firme): - Eu pensei que tinha sido muito bem clara quando disse

que eu queria você nessa festa. (P) Hoje é um dia muito importante para o

Celso, e eu não vou deixar que você estrague tudo com a sua teimosia.

LUCAS (ponderando): - É só com isso que você se importa, não é mesmo?

(T) Depois que o meu pai morreu você não se importa mais comigo.


ESTELA: - Deixa de ser mal agradecido, menino. O Celso tem sido um pai

para você, e bem isso você consegue ver. Você não passa de um ingrato.

LUCAS OLHA PARA SUA MÃE COM OS OLHOS MAREJADOS. ELE TENTA

SAIR DALI, MAS ESTELA O SEGURA PELOS BRAÇOS COM CERTA FORÇA.

ESTELA (firme): - Você vai descer essas escadas agora, e vai se comportar

como um bom filho. É isso que eu espero de você. Você entendeu?

LUCAS (confrontando): - Eu não vou fazer parte desse seu circo, mãe. Eu

jamais vou tratar esse traste do Celso como meu pai. Pode esquecer isso.

ESTELA: - Quer saber de uma coisa? Sai da minha frente antes que eu

perca a paciência com você. (T) Você não passa de uma decepção.

ESTELA VAI DESCENDO AS ESCADAS DA MANSÃO COM MUITA

ELEGÂNCIA. LUCAS FICA PARADO AINDA SEM ACREDITAR NAS PALAVRAS

FORTES QUE SUA MÃE DISSE.

����


�� ALGUNS ANOS DEPOIS


CENA 3: INTERIOR. KAMAKURA. CASA DE KENJI E KEIKO. SALA. DIA

CLOSE NO ROSTO DE UMA MENINA DE UNS 10 ANOS DE IDADE VENDO

AS FOTOS EM UM ÁLBUM BEM ANTIGO. A CÂMERA SE APROXIMA DO

ROSTO DA MENINA E PODEMOS VER QUE SE TRATA DE KEIKO. LOGO EM

SEGUIDA KENJI ENTRA NA SALA E OLHA FRIAMENTE PARA KEIKO QUE

FECHA O ÁLBUM DE FOTOS RAPIDAMENTE.

KENJI (nervoso): - Eu não acredito que você está vendo esse maldito

álbum de novo? Quantas vezes que tenho que dizer que eu não quero ver

você vendo essas fotos, Keiko? Você deveria respeitar o que eu digo.

KEIKO (de cabeça baixa): - Me desculpa, Sobo. Não era a minha intenção

te desrespeitar. Mas eu quero saber como era a minha mãe.

KENJI: - Eu entendo a sua curiosidade, minha neta. (P) A sua mãe era uma

mulher lindíssima e muito especial, e você é igual a sua mãe.


OS OLHOS DE KEIKO BRILHAM DE UM JEITO DIFERENTE. ELA SE

APROXIMA AINDA MAIS DE KENJI E O ENCARA SERIAMENTE.

KEIKO (curiosa): - Porque o senhor nunca falou do meu pai, Sobo? Eu

acho que eu mereço saber quem é o meu verdadeiro pai. Não acha?

KENJI (enfurecido): - Chega de todas essas perguntas, Keiko. Não vale a

pena você querer saber de um homem que nunca se importou com você.

KEIKO: - Eu não consigo entender todo esse seu ressentimento quando

você fala do meu pai, Sobo. O que é que você está escondendo de mim?

KENJI (irritado): - Já chega dessa conversa, Keiko. Eu não quero ter que

lembrar daquele maldito que infelizmente é seu pai. Já chega.

KENJI SAI DA SALA TOTALMENTE DESCONTROLADO. CLOSE EM KEIKO

QUE NÃO CONSEGUE ENTENDER A REAÇÃO DE SEU AVÔ.

����


�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 4: INTERIOR. CASA DE VALÉRIA. SALA. TARDE

A CÂMERA MOSTRA QUE CELSO ESTÁ ANDANDO DE UM LADO PARA O

OUTRO COMO SE ALGO O INCOMODASSE. EM SUA FRENTE ESTÁ VALÉRIA

QUE O ENCARA BEM SÉRIA. SEM QUE ELES PERCEBAM ELES SÃO

VIGIADOS POR SARITA, A FILHA DE VALÉRIA QUE FICA ESCONDIDA

ATRÁS DA PORTA.

CELSO (nervoso): - Você ficou louca, Valéria? Quantas vezes que já não

falei para você nunca me procurar? Acho que você está querendo que a

Estela descubra tudo sobre nós, não é mesmo?

VALÉRIA (respirando fundo): - Para te falar a verdade eu queria isso

mesmo. Eu estou cansada das suas promessas vazias. Eu estou farta.

CELSO: - Não me faça rir, Valéria. Quem você seria sem a minha ajuda?

Quando eu te conheci você não era ninguém. (P) Se a Estela descobrir a

verdade eu juro que eu acabo com você e com a sua filha.


VALÉRIA FICA FORA DE SI. ELE TENTA AVANÇAR EM CELSO, MAS ELE LHE

DÁ UM TAPA QUE FAZ VALÉRIA CAIR NO CHÃO. NESSE MOMENTO

FABIANA ENTRA CORRENDO NA SALA E ENCARA CELSO SEM MEDO.

FABIANA (se enchendo de coragem): - Não fala assim com a minha mãe.

Quem você pensa que é para tratar ela assim? Vai embora daqui agora.

CELSO (cínico): - Olha só como você fala comigo, garota. Eu não sou a

fraca da sua mãe não. Para eu te dar o corretivo que você merece não me

custaria nada. (P) Então é melhor você não testar a minha paciência.

CELSO LEVANTA A MÃO PARA FABIANA. VALÉRIA FICA ENTRE ELES

VALÉRIA (suplicando): - Não faz isso, Celso!!! Ela é sua filha…..

CELSO OLHA PARA VALÉRIA AINDA SEM ACREDITAR. FABIANA FICA

TOTALMENTE EM CHOQUE COM QUE SUA MÃE ACABA DE DIZER.

����

CENA 5: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. QUARTO DE LUCAS.

TARDE

NO CENTRO DA CENA ESTÁ LUCAS QUE ESTÁ TERMINANDO DE ARRUMAR

AS SUAS MALAS. NESSE MOMENTO ESTELA ENTRA NO QUARTO, E FICA

ENCARANDO LUCAS QUE A OLHA COM MUITA SERIEDADE. CLOSE NOS

OLHARES DE AMBOS OS PERSONAGENS.

ESTELA (séria): - Então quer dizer que você não desistiu dessa ideia

absurda de seguir carreira na polícia? O que eu preciso fazer para que você

mude de ideia? (P) Você não entende como isso é perigoso.

LUCAS (firme): - Parece que você não entende que essa é a minha

vocação, mãe. Eu quero ajudar as pessoas, e é isso que eu vou fazer.

ESTELA: - Sinceramente eu não consigo entender a sua teimosia. Eu e o

Celso sempre te demos tudo, mas parece que isso não é o suficiente.

LUCAS TERMINA DE ARRUMAR A MALA. ELE ENCARA ESTELA BEM SÉRIO.

LUCAS (alterando a voz): - Quando é que você vai entender que aquele

homem que você chama de marido nunca vai ser nada para mim? Nada

me tira da cabeça que ele só está com você por causa do seu dinheiro.

ESTELA (gritando): - Lave essa sua boca lada falar do Celso. Ele é um bom

homem e ele foi um pai mesmo você não querendo admitir isso.


LUCAS: - Eu ainda não sei porque eu perco o meu tempo tentando te fazer

ver a verdade. Você está cega, mas eu só espero que quando você

descobrir a verdade não seja tarde demais. (P) Adeus, mãe!

LUCAS PEGA A MALA SOBRE A CAMA E SAI DO QUARTO. A CÂMERA

MOSTRA O SEMBLANTE DE ESTELA QUE ESTÁ MUITO NERVOSA.

����




�� KAMAKURA — JAPÃO


CENA 6: EXTERIOR. JARDINS NATURAIS. BOSQUE. MANHÃ

KEIKO ESTÁ SENTADA EM UM BANCO DE PEDRA E A CÂMERA

MOSTRANDO AS LÁGRIMAS ESCORRENDO POR SEUS OLHOS. LOGO

DEPOIS KENJI SE APROXIMA E ELES SE OLHAM EM SILÊNCIO POR

ALGUNS SEGUNDOS. KENJI SE SENTA AO LADO DE KEIKO.

KEIKO (enxugando as lágrimas): - Como foi que você conseguiu me

encontrar, Sobo? (P) Eu queria entender porque eu não posso saber sobre

o meu pai? O que tem de errado nisso?

KENJI (ponderando): - Eu te conheço como a palma da minha mão, Keiko.

(T) Eu quero que você entenda os meus motivos. O seu pai é um Gaijin, e

foi por causa das mentiras dele que a sua mãe está morta. Você entendeu?

KEIKO: - Eu posso ser uma criança, mas isso não significa que não sei

como as coisas são de verdade. Eu merecia saber a verdade.

KENJI BALANÇA A CABEÇA CONCORDANDO. NESSE MOMENTO KEIKO SE

LEVANTA E FICA PARADA NA FRENTE DE KENJI QUE A ENCARA.

KEIKO (séria): - Eu posso imaginar tudo que o senhor sofreu, Sobo. Mas

tem uma coisa que eu não abro mão. Eu quero conhecer o meu pai. Eu

quero olhar nos olhos dele para ver se ele é tão desprezível assim.

KENJI (se levantando): - Isso nunca vai acontecer, Keiko. Eu não vou

deixar aquele Gaijin maldito machucar mais uma pessoa com quem eu me

importo. (P) Você não vê isso agora, mas é tudo para o seu bem.

KEIKO: - Sobo…. Eu quero conhecer o meu pai, e eu vou. Eu prometo.


KEIKO SAI CORRENDO PELOS JARDINS NATURAIS, E KENJI FICA PARADO

SEM FAZER NADA. NESSE MOMENTO O TEMPO COMEÇA A PASSAR, E EM

QUESTÃO DE SEGUNDOS SE PASSARAM MAIS DE 20 ANOS E KEIKO SAI

DOS JARDINS NATURAIS UMA MULHER CRESCIDA E MUITO BELA.

[LEGENDA: KAMAKURA, JAPÃO — 2022]

����

CENA 7: INTERIOR. CASA DE MITSUKO E HAYATO. SALA. MANHÃ

A CÂMERA PASSA E MOSTRA UM HOMEM DE APROXIMADAMENTE UNS 30

ANOS TERMINANDO DE SE ARRUMAR. É HAYATO. LIGO DEPOIS UMA

MULHER SE APROXIMA DELE, E O AJUDA A TERMINAR OS ÚLTIMOS

DETALHES EM SUA ROUPA.

MITSUKO (ardilosa): - Quando é que vou conhecer a minha futura nora? Já

faz meses que você está prometendo trazer ela, e até agora nada.

HAYATO (sério): - Eu juro que não consigo entender essa sua vontade

súbita de conhecer a Keiko? O que é que você está tramando, mãe?

MITSUKO: - Em primeiro lugar me respeita que eu sou sua mãe. (T) Como

você pode pensar algo assim ao meu respeito? Não foi assim que te criei.

HAYATO OLHA PARA MITSUKO COM FRIEZA. LOGO DEPOIS ELE OLHA

UMA FOTO DE SHIN E FICA MUITO ABALADO. MITSUKO PERCEBE.

MITSUKO (fria): - Ficou calado porque meu filho? Não vai me dizer que

sente falta desse infeliz do seu pai depois de todos esses anos?! Ele foi

embora e nos abandonou, ou você já se esqueceu?

HAYATO (enfurecido): - É claro que eu não esqueci. Eu olho para essa foto

todos os dias para saber que eu não posso ser fraco que nem ele.

MITSUKO: - Eu acho bom mesmo, Hayato. Não se esqueça que esse

homem desonrou o nome de nossa família, e isso é imperdoável.

HAYATO FICA EM SILÊNCIO. ELE SAI DE CASA ENQUANTO MITSUKO O

OBSERVA COM UM LEVE SORRISO CÍNICO EM SEUS LÁBIOS.

����

CENA 8: INTERIOR. CASA DE KENJI E KEIKO. QUARTO. MANHÃ


CLOSE EM KEIKO QUE ESTÁ SENTADA SOBRE A CAMA VENDO ALGUMAS

FOTOS DE SUA MÃE L, E ELA NÃO PODE EVITAR QUE AS LÁGRIMAS

CAIAM SOBRE SEUS OLHOS. NESSE MOMENTO KENJI ENTRA NO

QUARTO, E ELES SE ENCARAM POR LONGOS SEGUNDOS.

KEIKO (enxugando as lágrimas): - Me desculpe, Sobo… Eu sei que você

não gosta que eu veja as fotos da minha mãe. Isso não vai mais acontecer.

KENJI (sério): - Está tudo bem, minha neta. Eu sei que você sente falta da

sua mãe. (P) Eu quero conversar uma coisa com você. Eu não estou

gostando do rumo que está tomando o seu relacionamento com o Hayato.

Tem algo estranho que não está se encaixando.

KEIKO: - Eu não posso acreditar que estou ouvindo isso. O que é que você

tem contra mim, Sobo? (T) Porque você não consegue né ver feliz?

KEIKO SE LEVANTA DA CAMA. KENJI FICA PARADO E A ENCARA.

KENJI (ponderando): - Eu posso imaginar o que você está pensando,

Keiko. Eu só fazendo isso para o seu bem. Você precisa acreditar em mim.

KEIKO (séria): - Como eu posso acreditar em você se parece que você não

quer o meu bem. (P) Eu vou me casar com o Hayato, e não tem nada que

o senhor possa fazer a respeito, Sobo. Eu espero que você respeite isso.

KENJI: - EU te compreendo, minha neta. Eu só espero que você saiba o

que está fazendo. A sua futura sogra não é essa santa que parece ser.

KENJI SAI DO QUARTO DEIXANDO KEIKO PENSANDO EM SUAS

PALAVRAS.

����


�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 9: EXTERIOR. CAFETERIA. ÁREA EXTERNA. FIM DE TARDE

O FOCO ESTÁ EM UM HOMEM SENTADO EM UMA MESA SOZINHO. ELE É

LUCAS DUBOIS QUE É UM DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL. LOGO

DEPOIS UM TÁXI PARA EM FRENTE A CAFETERIA E UMA MULHER DESCE


E VAI INDO AO SEU ENCONTRO. ELA É ALICE A NOIVA DE LUCAS. ELE

TENTA A BEIJAR, MAS ELA PARECE MUITO NERVOSA.

LUCAS (intrigado): - O que foi que aconteceu, Alice? Eu estou sentindo

você muito indiferente comigo. Eu sei que está acontecendo alguma coisa.

ALICE (nervosa): - Você quer mesmo saber, Lucas?! EU estou cansada de

toda essa história de você correr risco investigando essa quadrilha

japonesa de tráfico de drogas. Você precisa parar com isso. Eu te peço.

LUCAS: - Eu não posso fazer isso, Alice. Eu estou tão perto de descobrir

quem é a mente por trás dessa organização criminosa. Por favor, entenda.

ALICE OLHA DE UM JEITO DECEPCIONADO PARA LUCAS. ELA TIRA SUA

ALIANÇA DE NOIVADO E COLOCA SOBRE A MESA.

ALICE (abalada): - Eu te amo Lucas, mas eu não posso fechar os meus

olhos para os seus erros. Se você quer isso então acabou tudo entre nós.

LUCAS (firme): - Eu queira que você entendesse os meus motivos, Alice.

Milhares de mulheres serviram como mulas para essa organização

criminosa e morreram por isso. Eu não posso desistir agora. Não posso.

ALICE: - Se essa é a sua última palavra então eu só posso lamentar muito,

Lucas. (T) Só lembre que tudo que eu estou fazendo é para o seu bem.

Adeus.

ALICE DÁ AS COSTAS PARA LUCAS, E COMEÇA A ATRAVESSAR A RUA.

NESSE MOMENTO UM CARRO EM ALTA VELOCIDADE ACERTA ALICE QUE

CAI NO CHÃO E ELA NÃO RESISTE. LUCAS FICA ATÔNITO COM O

ACONTECIDO E NOTA QUE O MOTORISTA É UM HOMEM ASIÁTICO QUE

FOGE DO LOCAL COM MUITA PRESSA.

A IMAGEM CONGELA NO OLHAR ATÔNITO DE LUCAS. AOS POUCOS A

IMAGEM GANHA UM TOM ALARANJADO COMO SE O SOL ESTIVESSE

NASCENDO NO HORIZONTE.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.