Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Teen Workout - A Menina Na Porta - Capitulo 19 (Penúltimo Capítulo da 1ª temporada)

 

 
 A MENINA NA PORTA

webnovela criada e escrita por Jonny Nascimento

Capítulo 19 - PENÚLTIMO CAPÍTULO DA PRIMEIRA TEMPORADA.

Em casa, Daniel encontra sua mãe, dona Vera, e lhe dá um abraço muito forte, de felicidade.

VERA - Eita que abraço animado. O que houve para tanta animação?

DANIEL - É ELA MÃE!

VERA (ANIMADA) - AAAAAAAAAA! Minha neta!

DANIEL - Eu tô tão feliz… mal posso esperar para contar pra ela.

VERA - Deus escreve certo por linhas tortas. Você sumiu sem conhecer ela, e o destino trouxe ela até você.

DANIEL - Pois eu vou recuperar o tempo perdido. Inclusive, vou querer a guarda dela.

VERA - Você vai travar uma briga judicial com a Carol?

DANIEL - Mas é claro, aquela louca não tem responsabilidade pra cuidar da minha filha.

VERA - Meu Deus…

DANIEL - Vou tomar um banho pra tirar essas bactérias de hospital do meu corpo. Mas ainda hoje a Gabriele vai saber de tudo.

VERA - Perfeito, vou até fazer uma comida especial pro evento!

Os dois riem e Daniel sai.

VERA (levantando as mãos pro céu) - Oh Deus, obrigado por trazer minha netinha até mim.

Vera volta a preparar o almoço, com um sorriso no rosto.

CENA 2 || Na casa de Íris, um motoboy bate palmas. Íris não atende pois não está em casa. O homem então, arremessa a caixa por cima do muro.

MOTOBOY - Tá entregue.

O homem monta na moto e sai.

CENA 3 || Na escola, Eduarda anda pelo corredor com roupas largas, como de costume, e todos falam dela. Desnorteada, ela tropeça num balde com água e sabão. Íris, que sim, trabalha como faxineira da escola, começa a falar.

ÍRIS (irônica) - Pelo visto esse óculos que você usa não serve pra nada. Mas sua visão deve estar sendo afetada pelo tanto de roupa que você põe pra tapar a banha!

Todos os alunos riem. Eduarda fica sem resposta apenas magoada por dentro.

EDUARDA (triste) - Você não precisa falar assim…

ÍRIS - Você tem que ouvir a verdade. Garota, você é muito esquisita, e usar trezentos casacos não vai te deixar mais magra!

Eduarda começa a chorar, e Bia vê.

BIA (irritada) - O QUE TÁ ACONTECENDO AQUI?

ÍRIS - Chegou quem não devia…

BIA - "Não devia" por que? Por que eu não sou trouxa de não te responder, igual a minha amiga? Pois fique você sabendo que com os meus você não se mete! É você quem não devia trabalhar aqui, tá ocupando a vaga de gente honesta.

ÍRIS - Eita esse fecho matou viu. Sai fora, a esquisita não falou nada porque sabe que é verdade, é o que todos pensam e falam.

BIA - E daí que pensam e falam? São todos faladeiros, querem achar uma vida que não seja a deles, para se meterem. E você é uma dessas pessoas, otária.

ÍRIS - Não entendi porque você tá latindo, nem falei com você. Bom, você precisa entender que não se meter na conversa dos outros é um princípio de educação. Não aprendeu isso no orfanato? Mas entendo, você não teve pais pra te educar.

BIA - Aí, olha, você fala demais! Tua língua deve estar cansada de tanto falar dos outros, suja. Pra te ajudar a lavar sua língua, toma o que você merece!

Bia pega o balde de água e sabão que Íris usa para lavar o chão e joga a água na cara da megera. Todos riem, gravam, e Íris fica furiosa.

ÍRIS - SUA IDIOTA!

BIA - Tua língua tá mais limpa depois desse banho, querida? Beijos.

Bia manda um beijinho pra Íris e sai, abraçada com Eduarda.

CENA 4 || No orfanato, Célia recebe uma notícia desagradável.

CÉLIA - É o que? Suspensa? Bia, o que você fez?

BIA - Aquela vaca da faxineira, a Íris, tava mexendo com a Duda. Fez ela chorar e tudo, então eu me meti.

CÉLIA - Mas você não tinha nada que jogar água nela.

BIA - Mas tia, ela tava falando coisas horríveis. Até jogou na minha cara que eu sou órfã, e eu odeio lembrar disso.

CÉLIA - Tá certo, mas agora você vai ficar de castigo. Não posso deixar passar essa besteira que você fez de jogar água na faxineira.

Bia abaixa a cabeça, triste.

BIA - Desculpa, tia Celinha… não fiz o certo mas eu não ia ficar quieta. Pode castigar mas não me arrependo.

Célia abraça Bia.

CENA 5 || Eduarda conta para Sérgio que sofre bullying na escola.

EDUARDA (chorando) - Eu não aguento mais, eu preciso mudar, pai.

SÉRGIO - Você não tem que mudar, eles é quem tem que aprender a te respeitar.

EDUARDA - Minha mãe já denunciou a Íris, mas não deu em nada. Essa mulher é o cão, vive falando do meu corpo!

SÉRGIO - Se sua mãe não age, eu vou agir, mas isso não vai ficar assim!

Sérgio abraça Eduarda.

CENA 6 || Sérgio aparece na escola da filha. Ao chegar na portaria, conversa com um inspetor.

SÉRGIO - Com licença, posso falar com a faxineira dessa escola, a Íris?

INSPETOR - Vou chamar, com licença.

Algum tempo depois, o inspetor aparece com Íris.

ÍRIS - Oi.

SÉRGIO - É você que anda humilhando minha filha, né?

ÍRIS - Eita, você é o pai da gorda esquisita? Nossa mas é muito gostoso pra ser pai daquele troço.

INSPETOR (espantado) - QUE ISSO? Íris, você enlouqueceu?

ÍRIS - Eu só tô falando o que todos pensam.

SÉRGIO - Eu só vim te avisar que nada do que você fez e falou vai ficar impune. Com a minha filha ninguém mexe, muito menos uma jovenzinha frustrada como você. Tu vai ter o teu merecido, ordinária.

ÍRIS - Me xinga mais, gostosooo!

SÉRGIO - Brinca, pode brincar. Porque esse emprego não vai ser tudo que você vai perder! Quero ver você atrás das grades.

ÍRIS - Nunca verá.

SÉRGIO - Só se eu ficar cego.

ÍRIS - Ai, olha, é fim de expediente, tô saindo viu, até nunca.

Íris vai embora e Sérgio entra na escola, onde pede pra ser atendido na diretoria.

SÉRGIO - Oi, tudo bom? Preciso mostrar umas coisas pra diretora Heloísa, sobre a funcionária dela.

CENA 7 || Num corte seco, vemos Íris chegando em casa. Ao abrir o portão, ela vê uma caixa empacotada.

ÍRIS - Ué, o que é isso?

Íris pega a caixa e entra em casa. Ao abrir o pacote, Íris dá de cara com a arma que comprou na deepweb.

ÍRIS (surpresa) - NÃO CREIO, já tinha até esquecido que comprei isso. É hoje que eu pego a pirralha da Gabriele.

CENA 8 || Rosana recebe uma mensagem de Val.

VAL (na mensagem) - Tô em Tereza da Flor, vim pegar a peste com minhas próprias mãos.

ROSANA - Cadela, me mandou pra cá atoa. Ah mas eu vou responder!

Rosana começa a digitar.

ROSANA (na mensagem) - Sua indigente, me mandou pra cá atoa!

VAL (na mensagem) - Não, vamos agir juntas. Me encontra no Morro da Rosa, agora mesmo.

Rosana topa, e num corte seco vemos ela no alto do Morro da Rosa, um penhasco belíssimo da cidade de Tereza da Flor.

ROSANA (na mensagem / irritadíssima) - Cadê você? Tô te esperando igual uma condenada!

No mesmo instante, uma pessoa encapuzada e vestida de preto empurra Rosana na direção do penhasco, derrubando-a do alto. Após a queda de Rosana, a pessoa tira o capuz, e trata-se de Jorge, o comparsa de Val. No mesmo momento, ele liga para Val.

VAL (no telefone) - Alô.

JORGE - Tá feito!

VAL - É isso que essa cadela merece por aquele contrato. Eu assinei sem ler, mas ainda bem que eu parei pra olhar agora. A infeliz colocou uma cláusula onde eu pago uma indenização milionária quando ela cumprir o favor dela e achou mesmo que eu não ia ver… foi tarde!

JORGE - Agora torce pra ninguém descobrir.

VAL - Não irão Jorge, não irão.

Os dois riem.

CENA 9 || Mais tarde, Vera coloca todas as comidas na mesa. Daniel, Patrício e Gabriele estão sentados em volta da mesa. Vera finalmente se senta.

VERA - Podem se servir.

DANIEL - Antes de comer, eu preciso falar uma coisa.

PATRÍCIO - O que foi, meu filho?

DANIEL - Eu e a mamãe fizemos uma coisa, e queremos compartilhar o resultado com vocês dois.

GABRIELE - Até comigo, que não sou da família?

DANIEL - Você se engana, é mais da família do que você pensa. Bom, eu achei uma tremenda coincidência a história da Gabriele e decidi pedir a ajuda da mamãe. Ela me ajudou a conseguir uns fios de cabelo da Gabi, e eu paguei um exame de DNA.

PATRÍCIO (espantado) - O QUE?

GABRIELE (surpresa) - DNA?

DANIEL - Sim. Hoje saiu o resultado e… Gabriele, você passou tanto tempo sem conhecer seu pai, sem saber o rosto dele, sem ter o abraço dele. Seu pai foi um homem ausente na sua vida, e isso deixou um buraco imenso no seu coração. Me perdoa, Gabi… porque eu sou seu pai!

GABRIELE - O QUÊ?

Todos ficam chocados.

CONTINUA…




Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.