Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capitulo 24 (Últimas Semanas)

 

TERRA DO SOL (太陽の国) – CAPÍTULO 24


Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs 

CENA 1: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. SALA DE ESTAR. NOITE

A CÂMERA MOSTRA KEIKO DESCENDO COM UMA CERTA PRESSA. ELA ENCONTRA COM ESTELA AOS PÉS DA ESCADA QUE NÃO ENTENDE O QUE ESTÁ ACONTECENDO. LOGO DEPOIS PODEMOS VER LUCAS TAMBÉM DESCENDO AS ESCADAS DA MANSÃO E INDO NA DIREÇÃO DE KEIKO. 

LUCAS (sério): - KEIKO, espera…. Você não consegue ver que se você for atrás da Mitsuko ela vai matar você? Eu não posso perder outra mulher que eu amo por culpa dessa mulher. Não faz isso..

KEIKO (firme): - Lucas…. Não faz isso ser mais difícil do que já é. Eu tenho que daz isso. A Mitsuko não pode ficar impune pela morte do meu avô. 

ESTELA: - O meu filho está certo, Keiko. Aquela não vai perder a oportunidade de te matar. Isso é uma armadilha, e você sabe disso.

KEIKO FICA EM SILÊNCIO. ELA ESTÁ IRREDUTÍVEL DIANTE DAS SÚPLICAS DE LUCAS E ESTELA. 

KEIKO (seria): - E o que vocês querem que eu faça? Que eu fique aqui parada vendo as atrocidades que a Mitsuko está fazendo? Isso tem que acabar. Ela vai pagar por todos os crimes dela. 

LUCAS (sem ter o que dizer): - Sinceramente eu não sei, Keiko. Eu queria ter resposta para essa pergunta, mas eu não tenho infelizmente. 

KEIKO: - Nós precisamos ter provas para levar a Mitsuko aos tribunais. É isso que eu quero fazer. Me desculpa Lucas, mas eu vou fazer isso. 

KEIKO SAI DA MANSÃO DECIDIDA. LUCAS FICA ALI COM MEDO DO QUE POSSA ACONTECER. ESTELA ESTÁ AO LADO CONFORTANDO SEU FILHO. 

//


CENA 2: INTERIOR. HOSPITAL. LEITO. NOITE

CELSO ESTÁ TERMINANDO DE SE ARRUMAR QUANDO UM SEGURANÇA DO HOTEL ENTRA NO QUARTO E ENTREGA UM DVD NAS MÃOS DO VILÃO E ELE LHE DÁ UMA QUANTIA EM DINHEIRO. EM SEGUIDA VALÉRIA TAMBÉM ENTRA NO LEITO E FICA SURPRESA AO VER O QUE ESTÁ ACONTECENDO. O SEGURANÇA SAI LOGO EM SEGUIDA. 

CELSO (cínico): - O que você veio fazer aqui, Valéria? Não vai me dizer que sentou a minha falta? (P) Espera um pouco…. Você não veio aqui para implorar que eu não denuncie a sua filha por tentar me matar? É isso?

VALÉRIA (nervosa): - Ela também é sua filha, Celso. Por mais erros que a Fabiana tenha cometido ela não merece passar várias presa. Você deve isso para ela. Por todos os anos de abandono. 

CELSO: - Da onde você tirou essa idéia imbecil, Valéria? Eu não devo nada para aquela infeliz da sua filha. Eu deveria mesmo colocar ela na cadeia. Mas eu tenho outros planos para ela e para você também. 

CELSO SE APROXIMA DE VALÉRIA E A BEIJA A FORÇA. VALÉRIA CONSEGUE RESISTIR E DÁ UM TAPA NA CARA DO VILÃO. 

VALÉRIA (gritando): - Tira essa sua mão nojenta de cima de mim. Nunca mais ouse chegar perto de mim, Celso. Eu tenho repulsa de você. 

CELSO (ardiloso): - Você poderia muito bem facilitar a vida da sua filha, Valéria. Mas pelo visto você não quer colaborar. Pode dizer adeus a liberdade da sua querida filha. 

VALÉRIA: - Como você pode ser tão baixo assim, Celso? Eu não perco o meu tempo com você. Eu não vou mais perturbar você com isso. Mas não se esqueça. A polícia federal tem provas dos seus crimes. 

VALÉRIA VAI EMBORA SEM OLHAR PRA TRÁS. O VILÃO NÃO SE IMPORTA E TERMINA SE ARRUMAR COM O CINISMO NO OLHAR.

//



• TRANSIÇÃO DE TEMPO: AMANHECE •


CENA 3: INTERIOR. CENTRO DE VALOR Á VIDA. SALA DE ELIZETE. MANHà

CLOSE EM ELIZETE QUE ESTÁ REVISANDO ALGUNS DOCUMENTOS QUANDO ELA SENTE A PORTA ABRIR E ALGUÉM ENTRAR EM SUA SALA. QUANDO ELA.SE VIRA ELA DÁ DE CARA COM HAYATO QUE ESTÁ PARADO EM SUA FRENTE A OLHANDO DE UM JEITO DIFERENTE. 

ELIZETE (sem paciência): - O que você veio fazer aqui? Veio destilar mais grosserias que nem na noite passada? Se for isso eu não terei tempo para tamanha mal educação. Por favor vá embora. Eu tenho muito o que fazer. 

HAYATO (sério): - Por favor me dê uma chance de me explicar. Eu sei que eu te tratei de uma forma equivocada ontem. Tente entender o meu lado. Eu passei a minha vida toda acreditando que a minha mãe era uma mulher honrada. Daí a poucos eu descubro que ela é chefe de uma das maiores organizações criminosas mundiais. Isso é muito para assimilar. 

 ELIZETE: - Pode não parecer, mas eu te entendo. Eu também vim de um lar desfigurado. A minha mãe era um bêbada que quase matou a mim quando eu era criança. Por isso eu preciso da sua ajuda para resgatar essas mulheres e impedir que isso continue acontecendo. 

DEPOIS DE MUITO TEMPO HAYATO FINALMENTE CONSEGUE RESPIRAR ALIVIADO. ELIZETE ESBOÇA UM SORRISO. 

HAYATO (interessado): - E como eu poderia te ajudar? Eu nem ao menos eu sei o seu nome. (P) Eu quero reparar os erros da minha família. Mas sinceramente eu não sei como te ajudar.

ELIZETE (sincera): - Tem uma coisa que você precisa saber sobre mim. Eu quero salvar essas mulheres de serem escravas sexuais na Europa, mas também eu tenho outro motivo. A sua mãe foi quem a ordem para o assassinato da minha irmã. Eu né chamo Elizete Noronha. A Alice era minha irmã..

AS LÁGRIMAS ESCORREM PELO ROSTO DE ELIZETE. HAYATO SE APROXIMA DELA E TOCA SUAVEMENTE EM SEU ROSTO. ELES SE OLHAM. DEPOIS ELES ACABAM SE BEIJANDO EM UN MOMENTO EMOCIONANTE. 

//


CENA 4: EXTERIOR. RUA. MANHà

EM UM PLANO ABERTO A CÂMERA MOSTRA KEIKO ANDANDO PELA RUA TOTALMENTE SEM DIREÇÃO. ELA VAI SE LEMBRANDO DOS MOMENTOS QUE PASSOU COM SEU AVÔ E ELA FICA MUITO EMOCIONADA. NESSE MOMENTO ELA COMEÇA A ATRAVESSAR A RUA ATÉ QUE ALGUÉM A PUXA PELO BRAÇO A SALVANDO DE SER ATROPELADA. LOGO DEPOIS KEIKO PERCEBE QUE QUEM A SALVOU FOI LUCAS. 

LUCAS (respirando fundo): - Keiko…. O que você está fazendo? Você não sabe o perigo que está correndo. Eu vim aqui te procurar para te pedir uma última vez. Não vai atrás da Mitsuko. Você mais do que ninguém sabe tudo o que eu perdi por causa dessa mulher. Mas eu não quero que nada de ruim te aconteça. Será que é tão difícil de entender isso? 

KEIKO (chorando): - Eu perdi tudo o que eu tinha, Lucas. O meu avô era o meu mundo, o meu chão. Eu quero que a Mitsuko sofra tudo o que eu sofri. Eu quero ver ela mofando atrás das grades. Isso é justiça. 

LUCAS: - Eu entendo tudo o que você está querendo fazer, Keiko. E é por isso que eu vou te apoiar. Nós vamos deter essa mulher. 

KEIKO OLHA PARA LUCAS COM ADMIRAÇÃO. ELE A TOCA NAS MÃOS DE KEIKO. NESSE MOMENTO O CELULAR DE LUCAS TOCA. DO OUTRO LADO DA LINHA ESTÁ CELSO QUE ESTÁ COM A VOZ ARDILOSA. 

CELSO (off): - Estão aproveitando bem esses raros momentos de felicidade? Porque isso vai acabar e eu vou ver de camarote o fim de vocês. Diga essa bastarda que a morte do avô dela será nada perto do que eu estou prestes a fazer. 

LUCAS (ao celular): - O que você ainda quer, Celso? Você já foi preso e não representa mais nenhum mal para nós. Acabou , Celso. 

CELSO: - Eu não contaria com isso, Lucas. Nesse país de 5° mundo o dinheiro compra tudo. Até mesmo a liberdade. Olha para o seu lado.

LUCAS E KEIKO OLHA PARA O LADO E UM CARRO VEM PASSANDO BEM DEVAGAR. CELSO ESTÁ DENTRO DO CARRO E SORRI MALICIOSAMENTE DEIXANDO OS NOSSOS PROTAGONISTAS TOTALMENTE EM CHOQUE. 

//


CENA 5: INTERIOR. XASA DE SHIN E OLENKA. SALA. MANHà

UMA BATIDA NA PORTA PODE SER OUVIDA. SHIN ABRE A PORTA E DÁ DE CARA COM RAMON. ELE FECHA A CARA LOGO EM SEGUIDA. ALGUNS SEGUNDOS DEPOIS OLENKA TAMBÉM APARECE NA SALA E O CLIMA VAI FICANDO CADA VEZ MAIS PESADO. 

SHIN (nervoso): - O que você está fazendo aqui, Ramon? É muita coragem sua vindo aqui depois de tudo que você fez. Você nunca escondeu de ninguém que tem preconceito com asiáticos. E além do mais que tentou violentar a minha esposa. O que você fez não tem perdão, Ramon. 

RAMON (ponderando): - Eu sei que vocês tem motivos suficientes para me odiar. Mas eu vim hoje para pedir perdão por tudo o que eu fiz. E explicar o porquê eu tomei essas atitudes totalmente questionáveis. 

OLENKA: - Está tudo bem, meu amor. Pode deixar ele entrar. Não tem mais nada que o Ramon possa fazer de ruim contra nós..

SHIN SAI DA FRENTE E RAMON ENTRA NA CASA. O CLIMA QUE ESTAVA TENSO VAI FICANDO CADA VEZ PIOR. 

SHIN (sério): - Pode começar a falar, Ramon. Eu quero entender porque você sempre odiou a minha família. O que é que você tem contra nós? 

RAMON (respirando fundo): - Antes de você se casar com a Olenka eu já era apaixonado por ela, Shin. Mas aí ela te conheceu e eu fiquei sozinho com o desprezo e a solidão. (P) A pior coisa que tem é ser desprezado por quem mais se ama. E aí ver a família que vocês formaram eu comecei muito ódio por vocês, pois isso era prova da minha solidão. 

OLENKA: - Tudo o que você fez não tem perdão, Ramon. Eu não consigo esquecer que você quase me violentou. Eu não consigo te perdoar. 

SHIN (direto): - Você já ouviu tudo o que a minha mulher disse, Ramon. Agora vá embora da minha casa e nunca mais volte aqui. 

RAMON VAI EMBORA SE SENTINDO MAL POR TODOS OS SEUS ERROS. SHIN E OLENKA SE OLHAM APREENSIVOS. A CÂMERA MOSTRA QUE AYUMI ESTAVA OBSERVANDO TODA A CONVERSA.

//


CENA 6: INTERIOR. DELEGACIA DA POLÍCIA FEDERAL. ESTACIONAMENTO. MANHà

O FOCO ESTÁ EM UM CARRO QUE ESTÁ ESTACIONADO. DENTRO DO CARRO ESTÃO DIARA E INÁCIO QUE TEM ALGUNS PAPÉIS EM SUAS MÃOS. O SEMBLANTE DE DIARA É DE MUITA PREOCUPAÇÃO. INÁCIO TENTA ACALMAR DIARA, MAS ELA ESTÁ MUITO AGITADA.

DIARA (séria): - Você consegue entender a gravidade desses documentos, Inácio? A Mitsuko está querendo comprar quem for necessário para varrer para debaixo do tapete todos os crimes que ela cometeu. 

INÁCIO (ponderando): - Esses documentos não são o suficiente para levar a Mitsuko para os tribunais. Nós temos que ter cuidado, pois a Mitsuko não vai permitir que essas provas chegue até a justiça. 

DIARA: - Se a Mitsuko quisesse me matar ela já teria feito isso, Inácio. Nós não podemos nos acovardar diante das atrocidades dessa mulher. 

INÁCIO CONCORDA. NESSE MOMENTO DIARA E INÁCIO SAEM DO CARRO. LOGO DEPOIS UM MOTOQUEIRO PARA DIANTE DELES E APONTA A ARMA. 

MOTOQUEIRO (figurante): - Passem esses documentos para mim, agora. Não me obrigue a matar um de vocês. Mitsuko Ishida terá o que deseja. 

DIARA (corajosa): - Diga a sua chefe que eu não tenho medo das ameaças dela. Eu jamais vou deixar que esses documentos cheguem nas mãos dela.

INÁCIO: - Diara…. Faz o que esse homem está pedindo. É melhor você plperder esses documentos do que perder a vida. Por favor. 

MOTOQUEIRO (figurante): - Porque você não ouve o seu namorado? Ele parece ser uma pessoa mais sensata que você. A minha paciência tem limites. Me dê esses documentos agora. 

DIARA SEGURA OS DOCUMENTOS CONTRA O SEU CORPO. SEM PENSAR DUAS VEZES O MOTOQUEIRO ATIRA NA DIREÇÃO DE DIARA. EM UM MOVIMENTO RÁPIDO INÁCIO PULA NA FRENTE DE FIARA E ACABA ATINGIDO. O MOTOQUEIRO FOGE DO LOCAL COM OS DOCUMENTOS DEIXANDO DIARA SEM TER O QUE FAZER.

//


CENA 7: EXTERIOR. LOFT DE MITSUKO. ENTRADA. MANHà

MITSUKO VEM SAINDO PELA PORTARIA DO LOFT TOTALMENTE ELEGANTE. ELA VAI INDO NA DIREÇÃO DE UM CARRO, MAS O SEU SEMBLANTE MUDA QUANDO ELA PERCEBE QUE LUCAS E KEIKO ESTÃO PARADOS NA FRENTE DO CARRO. A VILÃ SORRI CINICAMENTE ENQUANTO KEIKO A OLHA COM MUITA RAIVA.

MITSUKO (cínica): - O que o casal mais sonso está fazendo na frente do meu loft? Até onde eu sei você tentou matar o seu próprio pai, Keiko. Como você teve coragem. Você não deveria estar livre nas ruas.

KEIKO (nervosa): - Você sabe muito bem o que nós viemos fazer aqui, Mitsuko. Você matou o meu avô. Eu quero te destruir, maldita. 

LUCAS: - Quando esse seu império de terror vai acabar, Mitsuko? Quantas pessoas vão ter que morrer até você desistir dessa sede de poder? 

MITSUKO SE APROXIMA DE LUCAS E KEIKO E COMEÇA A SUSSURRAR. A VILÃ COMEÇA A CONFESSAR OS SEUS CRIMES SEM MEDO. 

MITSUKO (ardilosa): - Quando é que vocês vão entender que nesse jogo de poder eu sempre irei ganhar. (P) Eu matei mesmo o velho Kenji, mas vocês não tem como provar. Nem mesmo que eu sou chefe da organização que trafica mulheres para a Europa. Eu nunca serei presa. 

KEIKO (séria): - Sabe qual é o seu maior defeito, Mitsuko? Você é muito presunçosa. Acha que é mais inteligente que todo mundo. Mas no fundo você é uma mulher vazia, sozinha e que não tem ninguém que se importe com você. Essa será a sua derrota. 

LUCAS DESABOTOA A CAMISA REVELANDO ESTAR COM UM GRAVADOR ESCONDIDO. A VILÃ VAI FICANDO MUITO NERVOSA. 

MITSUKO (nervosa): - Vocês me enganaram. Armaram para mim de uma forma muito baixa. Mas isso não vai ficar assim. Eu não vou permitir que essas provas chegue nas mãos da justiça.

MITSUKO SACA A ARMA E APONTA NA DIREÇÃO DE LUCAS E KEIKO. OS NOSSOS PROTAGONISTAS FICAM ABRAÇOS ENQUANTO MITSUKO PARECE ESTAR CADA VEZ MAIS DESEQUILIBRADA.


A IMAGEM CONGELA EM LUCAS E KEIKO ABRAÇADOS. AOS POUCOS A IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO COMO SE O SOL ESTIVESSE NASCENDO NO HORIZONTE. 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.