Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Almas Perdidas - Episódio 9 ÚLTIMO EPISÓDIO

 


CAPÍTULO 09


"A Esperança é o maior dos riscos, e a maior e mais difícil vitória que o homem consegue sobre sua

alma."


-Georges Bernanos



19:10 - Amigos



Leandro continuou com sua mão aberta esperando a resposta... Até que Luke estendeu seu braço e

apertou sua mão com força. Leandro sorriu. Após alguns instantes, Luke sorriu de volta.


Em seguida, Sebastian se aproximou de Ricardo. Os dois também trocaram um aperto de mãos.

Vendo que não havia outra opção, Amelia sorriu e se aproximou de Alex. Os dois também apertaram

as mãos com força.


Leandro: Então... A partir de agora, estamos juntos nessa?

Luke: Parece que não tem outra saída, não?


Após o fim do cumprimento, Sebastian observou os túneis.


Sebastian: Nós viemos por esse túnel, enquanto Luke e os outros vieram por aquele... Como não

vimos Larissa passar por nós, acho que só podemos supor que ela correu por aquele túnel.


Sebastian apontou para um terceiro túnel, a única opção que nenhum deles havia explorado.


Alex: Não temos tempo a perder... Ela pode estar correndo perigo.

Sebastian: Sim... Vamos nos apressar.


Todos os seis membros do novo grupo partiram rapidamente me direção àquele que provavelmente

era o único túnel não explorado na caverna. No caminho, Luke tirou a mochila de explosivos de suas

costas e a jogou em qualquer lugar.





19:25 - Desfiladeiro



Algum tempo se passou depois da partida. Luke e Leandro iam na frente com suas lanternas,

enquanto o resto da equipe os seguia.


Ricardo: Alguém viu alguma coisa?

Amelia: Nenhum sinal dela... Isso é muito estranho...

Alex: Eu espero que não tenha sido capturada por algum inimigo desconhecido...

Leandro: Ei, fique quieto! Já tem gente demais nessa caverna!


De repente, todos levaram um grande susto.


Leandro: A... Aahh!!

Luke: Leandro!! Nããoo!!


Leandro tropeçou em alguma coisa e caiu rolando por uma grande rampa de pedras que descia até

onde a vista não alcançava. Luke correu para tentar alcançá-lo, mas acabou caindo junto com ele.

Os dois rolaram por vários segundos até aterrissarem em solo seguro.


Alex: Ei!! Vocês estão bem?!

Ricardo: Luke!!


Leandro se levantou lentamente, aparentando não estar machucado. Luke se levantou em seguida,

enquanto limpava sua roupa.


Luke: Eu estou bem...

Leandro: Eu também estou bem... Cuidado com onde pisam, o chão aqui é cheio de pedras!

Sebastian: Bem... Não precisa nos avisar agora...


O resto do grupo desceu a ladeira com cuidado para não tropeçar, até alcançarem Leandro e Luke.


Luke: Agora, onde estamos...?


No momento em que Leandro acendeu sua lanterna em direção ao túnel...


Leandro: Ei!! Olhem!!


Todos viraram em direção à luz e foram surpreendidos com o que viram: Duas crianças estavam

abaixadas no canto da parede. Ao serem atingidos pela luz, cobriram seus rostos.


Luke: Nós... Nós encontramos!


Rapidamente, todos correram até os dois garotos.





19:35 - Resposta



Assim que o grupo se aproximou, os garotos se assustaram.


Leandro: Vocês são... George e Fabrício, certo?

George: Si... Sim... Eu sou o George...


Todos sorriram.


Leandro: Como vocês vieram parar aqui...?


O outro garoto resolveu falar.


Fabrício: Na noite passada... A irmã do George, a Larissa... Ela nos convidou para vir até essa caverna

porque disse ter visto alguém vindo até aqui... Ela acreditava que era um grupo de terroristas ou algo

do tipo planejando um ataque e queria investigar. Ela sempre foi muito curiosa.


Naquele instante, Luke, Alex e Ricardo se olharam.


Luke: Droga... Éramos nós!

Alex: Agora faz sentido... Ela nos viu vindo até aqui e convidou os garotos para investigar... Até que se

perderam na caverna.


Amelia: Bem... Acho que isso soluciona o desaparecimento das crianças...


Leandro sorriu.


Leandro: Tudo bem... Mas... Onde está a Larissa?


No momento em que Leandro disse isso, George se encolheu e começou a chorar.


George: La... Larissa...

Sebastian: Ei... O que houve?


Fabrício baixou a cabeça e falou em voz baixa.


Fabrício: Quando... Quando nós chegamos nesse local, ela caiu no barranco ali atrás... George tentou

salvá-la, mas acabou caindo também e machucou a sua perna. No meio do caminho, ela bateu a

cabeça em uma rocha, e... Ela morreu...


Todos os membros do grupo congelaram. O tempo parou para eles quando Fabrício terminou sua

frase.


Luke: Não... Não... Ela estava com a gente até agora...

Leandro: Você... Você não pode estar falando a verdade... Não é possível... Não...


Amelia colocou a mão em sua boca.


Amelia: Quando... Quando ela morreu...?

Fabrício: Faz umas 10 horas... Nós levamos o corpo dela até um local mais ao fundo...


Naquele instante, Leandro sentiu como se seu corpo fosse se quebrar no meio. Era inacreditável o

que ele estava ouvindo.


Leandro: Não... Não... Nãããoooo!!


Leandro saiu correndo pelo túnel.


Luke: Droga... Leandro!!


Luke correu atrás dele.


Amelia: Esperem!!


Sebastian interrompeu Amelia.


Sebastian: Amelia... Dê um tempo pra ele... Nós temos que ajudar essas crianças e levar o corpo de

Larissa para fora daqui. Deixe o Luke cuidar do Leandro.


Amelia hesitou, mas acabou concordando.


Sebastian: Ricardo, Alex... Podem nos ajudar?

Ricardo: Claro!

Alex: Sem problemas...






19:50 - Despedida



Leandro correu até que suas pernas não aguentassem mais. Até que caiu de joelhos, olhando para o

chão. Luke se aproximou atrás dele.


Luke: Leandro... Acalme-se...

Leandro: Eu... Eu não consigo acreditar... Ela... Ela...

Luke: Eu sei como se sente... Eu prometi pra ela que a levaria para fora da caverna, mas...


Naquele instante, ambos levaram um grande choque: Ao olharem para frente... Lá estava ela, parada

em pé, olhando para os dois. Larissa estava os observando, com um leve sorriso em seu rosto.


Leandro: La... Larissa...?


Larissa baixou a cabeça.


Larissa: Acho que agora já sabem a verdade, não é...?

Leandro: Mas... Por quê...?


Larissa olhou para Leandro.


Larissa: Leandro, a verdade é que... Depois que eu sofri aquele acidente, minha alma ficou presa na

caverna... Eu me sentia culpada por ter arrastado Fabrício e meu irmão George para esse lugar.

Eu não ia conseguir descansar enquanto eles não estivessem em segurança.


Luke respirou fundo.


Luke: Mas... Por que você simplesmente não ajudou apenas ao Leandro e seu grupo...?


Larissa sorriu para Luke.


Larissa: Eu peço desculpas... Eu tive que guiar todos vocês até eles. Luke... Se seu grupo e o grupo

de Leandro se encontrassem antes disso, algo terrível poderia ter acontecido... Eu precisei ter certeza

que vocês estavam com o mesmo objetivo.


Naquele instante, os dois entenderam o que estava acontecendo... Larissa teve que guiar o grupo de

Leandro e o grupo de Luke em segurança até o local onde as crianças estavam. Caso os dois se

chocassem enquanto o grupo de Luke estivesse focado em causar terrorismo, o resultado poderia

ser muito perigoso... E as crianças poderiam não ser salvas.


Leandro: Mas... Não!! Eu me recuso a acreditar nisso!!


No momento em que Leandro e Luke ergueram os olhos para Larissa, notaram que uma luz branca

começava a tomar conta de seu corpo. Aos poucos, suas pernas já estavam desaparecendo.


Larissa: Leandro... Obrigada por confiar em mim... E Luke... Você cumpriu sua promessa... Nesse

momento, eu estou indo embora dessa caverna...


Luke e Leandro tinham dificuldade em olhar para Larissa... Seu corpo era quase uma esfera de luz

cegante... Até que finalmente explodiu em centenas de fragmentos de luz que voaram em direção ao

teto da caverna. Até desaparecerem por completo.

Naquele instante, apenas os dois estavam naquele local...


....


...


..






23:58 - Encerramento




O cenário era a escadaria que levava para um hospital. Leandro e Luke estavam sentados em um

degrau. Ricardo estava em pé, na beira da escada, e Alex estava sentado na mureta.


Algum tempo depois, Amelia e Sebastian saíram do hospital. Luke e Leandro se levantaram.


Luke: E então?

Leandro: Eles vão ficar bem?


Todo o grupo se reuniu.


Amelia: A perna de George não está quebrada, mas precisa de cuidados. Fabrício não está ferido,

mas vai ter que ficar em observação pela noite. Os pais já foram comunicados.


Leandro esfregou seu rosto.


Leandro:  Eu ainda não acredito nessa história...


Sebastian arrumou seus óculos.


Sebastian: Você não precisa ficar triste, Leandro... Afinal, agora Larissa pode descansar em paz.

No fim das contas, todas as almas estão salvas daquela caverna.


Leandro baixou a cabeça.


Alex: Ainda assim... É incrível tudo que ela fez apenas para se certificar que os garotos ficassem bem...

Amelia: Verdade... E no fim, acho que tudo isso foi graças à ela.

Ricardo: Imaginem o que teria acontecido se ela não tivesse nos guiado...


O grupo fez silêncio por alguns segundos.





Epílogo



Leandro estava parado em frente à um pequeno túmulo branco. O céu estava nublado. Luke se

aproximou.


Luke: Ei...

Leandro: Ah, é você, Luke...


Luke olhou para o túmulo.


Luke: Você acredita nisso?

Leandro: Hum?

Luke: Eu ataquei você naquela caverna. Eu estava cheio de ódio, e você queria me parar a todo custo...

Mas essa garota... Ela fez com que eu notasse o quão errado eu estava quanto à minha vida.

E quando nós nos unimos, fomos capazes de salvar aquelas crianças... E a alma dela.


Leandro olhou para Luke.


Leandro: Então... Você ainda vai fazer aquela vingança?


Luke negou com a cabeça.


Luke: Eu não preciso de vingança.

Leandro: Não...?

Luke: De que vai adiantar eu causar medo na população? Eu só ia acabar machucando alguém.

Se eu achava que minha vida era apenas dor, de que ia adiantar levá-la para outras pessoas?


Leandro riu.


Leandro: Sábias palavras.

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.