Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entre Pais e Filhos- Capítulo 06 (Reprise)


 

 Entre Pais e Filhos - Capítulo 06

Cena 01 - Casa de Eduarda - Sala - Manhã

Eduarda está se arrumando e alguém toca a campainha insistentemente.

Eduarda: Quem será que está me perturbando logo pela manhã?

Ao abrir a porta Eduarda toma um susto e não acredita no que vê.

Eduarda: Você?
César: Já faz muito tempo Eduarda. Não me convida para entrar?
Eduarda: E por que deveria? Você sumiu a muitos anos e nos deixou para trás.
César: Você sabe que tive meus motivos.
Eduarda: Seus motivos? Em algum momento você pensou em algo?
César: Sei que tem todos os motivos do mundo para me odiar, mas eu mudei.
Eduarda: A Helena já sabe que está aqui?
César: Ainda não. Decide vir aqui primeiro.
Eduarda: Eu me lembro muito bem quando você foi embora. Naquela noite no hospital.
César: Como assim?
Eduarda: Você fugiu enquanto eu a Helena estávamos dando a luz.
César: Você contou a ela?
Eduarda: Se eu contei a ela que éramos amantes e que o Matheus também é seu filho? Não, eu não contei a ela.
César: Eu voltei e vou reparar todos os meus erros.
Eduarda: Talvez seja tarde.
César: Nunca é tarde Eduarda. Nunca é tarde.
Eduarda: Não me venha com esse papo de bom rapaz. Imagina quando a Helena souber de tudo? Já pensou?
César: Ela precisa saber.
Eduarda: Ela nunca vai saber eu te proibo de dizer algo para ela proibo.

Os dois se encaram fortemente.


Cena 02 - Casa de Regina - Sala - Manhã

Após conversarem muito, Helena vai embora da casa da comadre sabendo que pode contar com ela.

Regina: Saiba que para o que você precisar sempre terá uma amiga.
Helena: Eu sei disso e digo o mesmo. Não exite em me ligar.
Regina: Pode deixar. Forças ao Arthur. Farei uma visita em breve.
Helena: Faça sim, ele vai gostar muito. Uma pena o meu afilhado ter saído tão cedo.
Regina: Verdade. Ele me disse que ia resolver algumas particularidades.


As amigas se abraçam e se despedem.


Cena 03 - Casa de Cecília - Cozinha - Manhã

Briana e Pedro decidem levar Cecília para um lar de idosos e aproveitam a audiência de André para fazerem tal feito. Cecília está fazendo café até que seus netos chegam para conversar.

Pedro: Vovó precisamos falar com a senhora.
Cecília: Pode dizer meu querido.
Pedro: A senhora precisa de alguns cuidados que nós não podemos dar e então decidimos...
Cecília: Me colocar em um asilo.
Briana: Como sabe?
Cecília: Eu escutei a conversa de vocês, eu posso estar ficando esquecida, mas não estou louca.
Briana: Será melhor para a senhora. Lá terá cuidados especiais.
Pedro: Além de ficar com outras pessoas. Sempre terá companhia.
Cecília: Companhia de pessoas que não são a minha família.
Briana: A senhora tem tido esquecimentos recentes e lá terá apoio de uma equipe especializada.
Pedro: Escolhemos um bom lugar para a senhora viver. Contratamos um médico especializado também que fará um diagnóstico do caso da senhora.
Cecília: Não se preocupem eu já imaginei que esse dia chegaria e já deixei minha malas prontas.

Cecília vai até o quarto e pega suas malas.

Cecília: Vamos logo. Vamos fazer isso antes que o André volte, não tornem isso mais doloroso do que já é.

Os netos então pegam as malas de Cecília e a levam para o asilo.


Cena 04 - Casa de Eduarda - Sala - Manhã

Eduarda: Eu te proíbo de dizer algo para a Helena. Antes disso eu te mato, entendeu?
César: Eu sempre te achei louca e temperamental, mas falar em matar?
Eduarda: Eu mudei muito durante os anos.
César: Você não pode fazer nada em relação a isso.
Eduarda: Agora chega, saía da minha casa. Não quero voltar a vê-lo.
César: Eu vou, mas volto para ver meu filho.
Eduarda: Saia daqui!

Eduarda tem um ataque de fúria e empurra César para fora de sua casa.

Eduarda: Suma daqui e não volte nunca mais.

César vai embora e Eduarda entra em casa com muito ódio. Ela então pega o vaso de flores e joga contra um grande espelho fazendo o mesmo se estilhaçar em vários pedaços.

Eduarda: Desgraçado. O problema é que eu ainda te amo.

Ela então fica preocupada de seus segredos serem revelados.

Eduarda: A Helena não pode descobrir meus segredos. Nunca.


Cena 05 - Shopping - Loja de roupas - Manhã

Kauã chega até um shopping para comprar roupas e com muito dinheiro em mãos.

Kauã: Agora sim eu vou poder comprar muito roupa. Chega daqueles trapos que eu estava usando.

Após escolher as roupas Kauã se dirige ao caixa e paga tudo em dinheiro e se lembra de onde veio o dinheiro.

Kauã: Pobre mamãe. A senhora sempre disse que odiava meu pai mesmo.

Kauã roubou a aliança de casamento de sua mãe e após vendê-lá decidiu comprar roupas com o dinheiro.


Cena 06 - Quadra de Futebol - Manhã

Raquel está com vários amigos e amigas jogando futebol enquanto sua mãe pensa que ela está no balé.

Vanessa: Amiga não tem medo que sua mãe descubra que você está aqui e não no balé.
Raquel: Tenho um pouco, mas não posso viver fazendo as vontades da minha mãe. Ela quer que eu seja aquela menininha que dança e tudo mais, porém esse não é o meu sonho entende?
Vanessa: Claro que te entendo. Entendo mesmo. Mas eu fico receosa por você.
Raquel: Uma hora ela vai ter que aceitar porque do que eu gosto mesmo é de jogar bola.
Vanessa: Então tá. Estou contigo.
Raquel: Vamos logo se aquecer antes que o professor brigue conosco.
Vanessa: Está certo.

Raquel então vai se aquecer para jogar futebol. A garota decidiu que não vai deixar a mãe interferir em seus sonhos.


Cena 07 - Casa de Marcos - Cozinha - Tarde

Matheus finalmente aceita o convite para almoçar na casa de Marcos. Chegando lá ele percebe que o rapaz está sozinho.

Matheus: Aonde estão seus pais?
Marcos: Meus pais foram fazer uma viagem no fim de semana. Estamos sozinhos.

Marcos sorri para Matheus.

Marcos: Não se preocupe com o almoço. Sei cozinhar muito bem. Já preparei o nosso almoço.
Matheus: Então quer dizer que você é um jovem prendado?
Marcos: Isso você que vai me responder após o almoço.
Matheus: Está bem. Mas ainda está cedo para o almoço.
Marcos: Quer assistir um filme?
Matheus: Quero sim.

Matheus está trêmulo perto de Marcos e não consegue saber o motivo.

Marcos: Você está bem?
Matheus: Estou sim. Fica tranquilo.


Cena 08 - Casa de Helena - Quarto de Arthur - Tarde

Helena decide dar um abraço no filho e ver como ele está.

Helena: Como está se sentindo meu filho?
Arthur: Estou um pouco melhor mãe
Helena: Fale a verdade. Não minta para mim. Você está com a cara péssima.
Arthur: Obrigado pela sinceridade mamãe.

Os dois riem.

Helena: Estava brincando querido. Você comeu o almoço que deixei para você?
Arthur: Ainda não. Estou sem fome.
Helena: Filho você tem que comer. Pelo bem da sua saúde.
Arthur: Mas mãe...
Helena: Nada de desculpas. Vamos para a mesa que você vai almoçar.
Arthur: Está bem mamãe. Jajá eu vou.
Helena: Quero você em dez minutos na mesa.
Arthur: Certo.

Helena beija a testa de Arthur e vai para a cozinha.


Cena 09 - Casa de Marcos - Sala - Tarde

Os dois estão assistindo o filme “ Invocação do Mal “ e Matheus está morrendo de medo.

Marcos: Já está com medo?
Matheus: Eu não tenho medo de nada.

Após essa fala passa um cena e Matheus se assusta muito.

Marcos: Sei.
Matheus: Não ria de mim.
Marcos: Não vou rir. Se você tiver medo pode segurar a minha mão.

Marcos então pega na mão de Matheus que fica com vergonha.

Marcos: Matheus posso te fazer uma pergunta?
Matheus: Claro. Pode sim.
Marcos: Você não sente nada por mim?

Os dois ficam em silêncio. Marcos então toma iniciativa e beija Matheus que retribui o beijo com muito amor. Os dois se beijam e trocam olhares de amor.

Cena 10 - Casa de Helena - Cozinha - Tarde

Ao chegar na cozinha Helena encontra Murilo emburrado e questiona o filho.

Helena: O que está acontecendo filho? Por que sempre está assim?
Murilo: Assim como mamãe?
Helena: Triste, emburrado.
Murilo: Esse é meio jeito mamãe, a senhora goste ou não.
Helena: Eu gosto de você filho assim, como você é, mas se estiver acontecendo algo pode falar comigo. Eu sou sua mãe e sua melhor amiga.

Murilo fica em silêncio. O interfone toca e Helena atende.

Helena: Quem fala?
Porteiro: Helena, aqui é o porteiro Jorge. Poderia vir até a portaria? Tem um homem querendo falar com você.
Helena: Qual o nome dele?
Porteiro: O mesmo não quis se identificar.
Helena: Estranho! Estou descendo.


Cena 11 - Prédio - Portaria - Tarde

Ao chegar na portaria Helena dá de cara com César a esperando e fica transtornada.

Helena: Eu não acredito que você teve coragem de vir até a minha casa após tanto anos.

A imagem congela no rosto de César.




 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.