Type Here to Get Search Results !

Marcadores

VENTO NORTE: Capítulo 22



Cena 01/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de jantar/ Dia. 

(cont. da cena anterior)

Close em Melissa tensa sob a mesa. 

Regina: Filho, você já terminou de tomar café? 

Carlos: Terminei sim, mamãe! 

Regina: Então me deixe a sós com sua irmã, por gentileza, preciso ter uma conversa em particular com ela, de mulher para mulher. 

Carlos: (estranhando a situação) Está certo... 

Carlos se retira. 

Regina: Então...

Melissa: (tensa) Eu não tenho nada a dizer mamãe... 

Regina: Uma reunião escolar naquele horário? Como não tem nada a dizer? 

Melissa: A reunião atrasou e logo depois, fui para a casa de uma amiga, nós ficamos conversando. 

Regina: Você tem um namorado, não tem? 

Melissa: (tensa) Não, eu não tenho namorado nenhum!

Regina: Filha, por tudo que há de mais sagrado, se preserve, se mantenha intacta! 

Melissa: Mas eu me mantenho intacta! Nunca fui tocada por homem nenhuma! A senhora me ofende ao pensar dessa maneira ao meu respeito...

Regina: (frustrada) Tudo bem... Eu não vou insistir... Mas eu lhe peço, se cuide, se cuide... 

Melissa: (tensa) Eu preciso ir, já estou atrasada e desculpe mais uma vez por ter chegado tão tarde ontem... 

Close em Melissa se dirigindo até a sala de estar. Close em Regina aflita. 

Cena 02/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia. 

Close em Carlos lendo o jornal sentado sob o sofá quando Melissa chega transtornada. 

Carlos: (coloca o jornal no sofá, se levanta e se dirige até ela) O que aconteceu? Vocês discutiram sobre o que?

Melissa: Assuntos que não lhe dizem respeito! Bom... Eu preciso ir, até a volta!

Melissa pega seus livros que estão sob a mesinha lateral do sofá e logo depois sua bolsa que está no gancho ao lado da porta e se dirige até a saída, onde se retira.

Carlos: (estranhando o comportamento da irmã) Até a volta... 

Cena 03/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de jantar/ Dia. 

Foco em Regina apreensiva. Carlos aparece e se dirige até a mãe, a abraçando. 

Carlos: O que houve mamãe? A senhora e Melissa se desentenderam? 

Regina: Não ocorreu nada meu filho, foi uma discussão sem importância alguma... 

Carlos: Tudo bem mamãe... Não vou insistir para que me diga o que aconteceu...

Carlos abraça a mãe enquanto ela está sentada sob a cadeira. Close nos dois. 

Cena 04/ Estação de trem/ Externa/ Dia. 

Plano geral da estação, com as pessoas passando aos arredores e com o trem vindo. A CAM foca no trem em velocidade. 


Close no trem parando. Alguns minutos se passam, foco em Afonso e Daniel descendo do trem. Close nos dois observando o local. 

Daniel: Chegamos Afonso, chegamos!

Close em  Afonso e Daniel rindo enquanto correm pela estação junto à uma sonoplastia de fundo. 

Música: Imagine - John Lennon


Cena 05/ Rua/ Dia. 

Close em Afonso e Daniel caminhando sob a rua enquanto conversam. 

Afonso: Então, você já decidiu se ficará de fato no Rio?

Daniel: Bom... Seria muito bom, é realmente uma cidade muito bonita, mas o mercado daqui é muito mais escasso que mercado de São Paulo... Eu preciso me firmar primeiro para depois eu decidir se fico ou não na cidade... 

Afonso: Eu já pretende ficar, vou sentir sua falta caso você parta... Somos amigos desde a infância e nunca nos separamos antes, nem quando cada um foi para uma escola diferente, isso na sétima série, você se lembra? 

Daniel: Claro que eu me lembro, eu insisti tanto para os meus pais me matricularem na sua escola, lembro deles transtornados comigo em cima, cobrando, reclamando...

Afonso e Daniel começam a rir. Close nos dois caminhando sob a rua.

Cena 06/ Residência Flores Viana/ Sala de estar/ Dia. 

Close em Rosália lendo um livro sentada sob o sofá, até que alguém bate na porta, ela vai atender. Ao abrir, Rosália se depara com Vicente. Close nos dois. 

Rosália: Eu posso lhe ajudar?

Vicente: Eu vim para a entrevista de emprego, como administrador de suas finanças... 

Rosália: Está certo, pode entrar... 

Vicente entra na casa. Rosália aponta para o sofá, simbolizando que Vicente pode se sentar.

Vicente: Obrigado!

Rosália: Disponha, bom... A primeiro coisa que preciso saber, você é bom em cálculos? Não só matemática básicas, cálculos no geral. 

Vicente: Eu sou sim excelente em cálculos matemáticos, inclusive (entrega o currículo para ela, que lê) como você pode constatar no meu currículo, eu sou formado em administração e cheguei a ingressar outra faculdade, a de engenharia, mas fiquei apenas seis meses matriculado e fui obrigado a trancar. Eu também possuo uma carta de recomendação do meu antigo patrão, eu já trabalhei em banco como gerente de conta. 

Rosália: Seu currículo é excelente de fato... Bom, mas eu não posso contratar uma pessoa pelo currículo ou pelas recomendações de uma segunda ou terceira pessoa. Vamos fazer um período de experiência, se eu gostar do seu trabalho, você fica com o emprego, está certo?

Vicente: Como a senhora quiser! 

Rosália: Bom, quando você gostaria de começar? 

Vicente: Amanhã cedo está bom para a senhora? 

Rosália: Está excelente, amanhã falaremos sobre salário, cargas horárias, direitos básicos, está certo? 

Vicente: Como preferir. 

Rosália: (se levanta) Eu lhe acompanho até a porta e desculpe não ter lhe oferecido nada, mas eu não iria para a cozinha uma hora dessas... 

Vicente: A senhora não possui serviçais? 

Rosália: Só uma diarista, que arruma a casa uma vez por semana. 

Vicente: E sobre os dias úteis do meu trabalho, os dias que eu deva vir...

Rosália: (o interrompe) Amanhã nós conversamos sobre isso, eu estou exausta agora! Dormi pessimamente essa noite, você vai me desculpar, mas eu não estou disposta a aturar problemas logo cedo, está certo? 

Vicente: (sem jeito) Desculpe pela insistência, bom... 

Rosália: (o interrompe, fazendo ele ficar sem graça) Eu lhe acompanho até a porta...

Rosália dirige Vicente até a saída, ele sai. Close em Rosália cansada. 

Cena 07/ Residência Flores Viana/ Externa/ Dia. 

Close em Vicente transtornado em frente à porta da residência de Rosália.

Cena 08/ Bordel Le Blanc/ Saguão principal/ Dia. 

Close em Carlos entrando no bordel, apenas as meninas estão circulando, a casa ainda não está aberta. Ele caminha sob o saguão, observa a decoração, até que Laura sai de um dos quartos com uma planilha e se depara com Carlos, eles trocam olhares em câmera lenta sob uma sonoplastia de fundo. 

Música: Close to you - Carpenters. 


 
Cena 09/ Escola/ Corredor/ Dia. 

Close em Melissa caminhando sob o corredor enquanto segura seus livros, ela sente uma tontura e se locomove lentamente até a parede, onde se apoia. 

 Cena 10/ Escola/ Banheiro feminino/ Dia. 

Melissa entra no banheiro e se dirige até o espelho onde se observa aflita e tensa, logo em seguida ela molha o rosto. Close nela transtornada. 

Abertura: 


Vinheta de intervalo: 


 Cena 11/ Hotel/ Quarto duplo/ Dia. 

Close em Afonso e Daniel tirando as roupas das malas e pondo sob os armários. 

Daniel: Esse hotel que você encontrou é uma miséria, as paredes estão lascadas, a encanação do banheiro quase não funciona, o piso está quase desabando... 

Afonso: Eu sei, eu sei... Mas é isso que nós podemos pagar, pelo menos por enquanto... 

Daniel: Já que é isso que nós temos para hoje... Bom... Mais tarde vamos dar um passeio pela cidade? 

Afonso: Claro! Eu gostaria muito de ver o mar... 

Close em Daniel se dirigindo até a janela.

Daniel: (observando a vista) A vista daqui é uma pobreza sem fim ... Tem um subúrbio aí em frente, só se pode ver olhando pela janela várias casinhas, aliás, casinhas não, casebres, barracos... 

Afonso: Bom... Ao menos temos um teto, vou tomar um banho para nós sairmos. 

Daniel: Está certo...

Afonso se dirige até o banheiro. Close em Daniel observando a favela em frente ao hotel através da janela do quarto. 

 Cena 12/ Bordel Le Blanc/ Saguão principal/ Dia. 

Laura e Carlos continuam a trocar olhares, ela se dirige até ele. 

Laura: Você de novo? O estabelecimento ainda não foi aberto... 

Carlos: Eu sei, apenas dei uma passadinha rápida, para olhar a decoração, conversar, beber um drink, essas coisas. 

Laura: (cínica) E na companha de quem?

Carlos: Sozinho talvez... 

Laura: (frustrada) Claro... Sozinho... Com licença. 

Carlos: (quando Laura iria se retirar, Carlos a pega pelo braço) Mantenha a calma... Você é muito estressada, já te disseram isso? 

Laura: O que o senhor deseja?

Carlos: me chame de você, por gentileza. 

Laura: (debochada) O senhor ainda não me disse o que veio fazer aqui... 

Carlos: Você é muito pretensiosa... 

Laura: Eu mandarei os seguranças lhe tirarem a força se você não me disser para que veio! 

Carlos: Eu já disse, vim conversar, beber um drink... 

Laura: Está certo... Beba o seu drink, converse, olhe a decoração, passeie pelo local e me deixe em paz! 

Laura caminha alguns passos, fugindo de Carlos, quando ele a cerca e fica em sua frente. 

Carlos: Você estava certa, eu preciso de uma companhia. 

Laura: Escolha uma das meninas e me deixe em paz, por gentileza... 

Carlos: Não, eu não vou escolher uma de suas meninas. 

Laura: Então o que você quer? 

Carlos: Eu quero você. 

Close em Laura apreensiva. 

Laura: O que? 

Carlos: Eu desejo a sua companhia. 

Laura: Eu tenho mais coisas a fazer, então...

Carlos: (a interrompe) Não se preocupe, eu aguardo você terminar esses afazeres... 

Close em Laura transtornada com a situação... 

 Cena 13/ Calçadão carioca/ Dia. 

Close em Afonso e Daniel andando sob a rua do Leblon, observando a praia, as pessoas deitadas sob a areia ou no mar, observando as pessoas caminhando no calçadão junto à uma sonoplastia de fundo. 

Música: Hey Jude - The Beatles.


 Cena 14/ Residência Muniz/ Sala de estar/ Dia. 

Helena está sentada sob o sofá lendo uma revista, quando Roberto se dirige até ela, arrumando sua gravada, ele a beija. 

Roberto: Bom meu amor, eu já vou indo que eu estou atrasado... 

Helena: (cínica) Tenha um bom dia no seu trabalho... 

Roberto: Você também, tenha um excelente dia!

Helena: Eu terei, eu terei! 

Roberto pega sua maleta e se dirige até a porta, onde sai. 

Close em Helena com uma expressão de raiva e ódio. 

 Cena 15/ Bordel Le Blanc/ Saguão principal/ Dia. 

(cont. da cena 12) 

Carlos: Então, eu lhe fiz um convite, você aceita me fazer companhia em um drink ou não?

Laura: (frustrada) Está certo, mas apenas um drink, eu estou trabalhando!

Carlos: Eu também estou! Daqui a pouco tenho que ir para o mercado!

Laura: (surpresa) Você é comerciante? 

Carlos: Por que o espanto?

Laura: Sempre me disseram que para abrir um negócio, é preciso ter muita dedicação e se for um negócio como esse meu ou como um bar, um mercado, um restaurante, é preciso ter carisma, algo que você não possui. 

Carlos: Bom... Essa é a sua opinião à meu respeito, você não é a dona da verdade, por mais que aparente ser. 

Laura: Já chega! Escolha uma mesa logo e vamos acabar com essa história logo!

Carlos: Se acalme, o estresse só prejudica a saúde! 

Close em Laura furiosa. 

Carlos: (dirige Laura até uma mesa) Venha! (puxa a cadeira para ela se sentar)

Laura: (cínica) Obrigada!

Carlos: Disponha! Bom... O que você vai beber? 

Laura: Um coquetel... 

Carlos: (aponta para o garçom) Amigo, dois coquetéis, por gentileza. 

Laura: Então, o que você quer comigo?

Carlos: Companhia, eu já disse. 

Close em Laura transtornada sob a mesa. 

Carlos: Já te disseram que você é muito bonita?

Laura: (sem jeito) Eu não, não recordo, mas obrigada mesmo assim... 

Carlos: Você é muito bonita! 

Laura: (surpresa) Eu não esperava que você fosse me dizer isso... 

Close em Laura envergonhada com as palavras de Carlos. A cena fica sem som de fala, eles apenas vão gesticulando simulando que estão dizendo algo, isso junto à uma sonoplastia de fundo em uma transição minuciosamente detalhada. 

Música: Close to you - Carpenters.


Com o decorrer da conversa, Laura se sente à vontade e se solta com Carlos. Close nos dois à vontade enquanto o garçom serve os drinks. Eles começam a rir enquanto bebem. 

 Cena 16/ Bar/ Interna/ Dia. 

Close em Afonso e Daniel brindando sentados em uma mesa. 

Afonso: Um brinde ao Rio de janeiro! 

Daniel: Um brinde! 

Afonso: Já tenho anotado alguns pontos turísticos que podemos conhecer! Como o pão de açúcar, o cristo redentor, as favelas... 

Daniel: Não... As favelas não... De pobreza já basta a nossa! 

Afonso: Tudo bem... As favelas cortadas da nossa lista! 

Daniel: Soube que aqui perto tem uma casa das primas, quer ir hoje a noite? 

Afonso: Casa das primas? Interessante... É claro que eu quero ir, imagina levar uma belezinha dessas, carioca, loirinha, gostosinha para a cama... Oh meu Deus, seria pedir demais? 

Close em Afonso e Daniel rindo enquanto bebem. 

 Cena 17/ Mercado Trajano Ferraço/ Escritório/ Dia. 

Close em Regina lendo algumas planilhas, ao terminar de ler ela fica reflexiva e pensativa, ela olha para a foto da filha no porta-retratos e fica apreensiva. Close nela.

 Cena 18/ Residência Muniz/ Suíte principal/ Dia. 

Helena entra de forma silenciosa em seu próprio quarto, sempre em alerta. Ela se dirige até o criado-mudo do marido, o abre, tira as apostilas e papéis que estão dentro e examina, logo após se dirige até a mesa de Roberto onde também examina, ao não encontrar nada ela faz uma expressão frustrada. Close nela furiosa. 

 Cena 19/ Rua da clínica médica/ Dia. 

Close em Melissa caminhando sob a rua e se dirigindo até o prédio, onde fica localizado a clínica do doutor Ferreto, ela entra no edifício. 

 Cena 20/ Consultório médico/ Recepção/ Dia. 

Close em Melissa entrando no consultório e se dirigindo até a recepcionista Lívia (25). 

Melissa: Bom dia!

Lívia: Bom dia!

 Melissa: Eu marquei uma consulta semana passada com o doutor Ferreto, meu nome é Melissa Trajano Ferraço. 

Lívia: (aponta para os assentos da clínica) Aguarde ali por gentileza, comunicarei o doutor que a senhorita chegou. 

Melissa: Obrigada.

Lívia: Disponha! 

Melissa se dirige até um dos assentos e se senta. Close nela apreensiva e tensa. 

A imagem fica em preto e branco, como se fosse um filme dos anos 40. Gancho em Melissa preocupada aguardando o médico. 


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.