Type Here to Get Search Results !

Marcadores

VENTO NORTE: Capítulo 35 (CAPÍTULO FINAL)



Cena 01/ Stock Shots. 

Ocorre uma transição entre o sol e a lua, amanhece.



Cena 02/ Residência Trajano Ferraço/ Suíte principal/ Dia. 

Close em Regina vestindo trajes leves em frente à janela. Ela observa o movimento da rua. Foco nela exausta, apreensiva e pensativa. 

Cena 03/ Bordel Le Blanc/ Suíte principal/ Dia.

Close em Laura adormecida sob a cama. Ela acorda zonza e apreensiva. Close nela se levantando e ficando pensativa sob a cama. Ela se dirige até o banheiro.

Cena 04/ Bordel Le Blanc/ Banheiro/ Dia.

Close em Laura entrando em seu banheiro e se dirigindo até o espelho. Ela fica reflexiva enquanto se observa sob o espelho. Laura derrama uma lágrima seca. 

Cena 05/ Bordel Le Blanc/ Quarto/ Dia.

Close em Diva debilitada sob a cama. Alice entra no quarto segurando uma bandeja com chá.  

Alice: (se dirige até Diva colocando a bandeja em seu corpo) Trouxe um chá para você... 

Diva: (sem forças) Agradecida... E Laura? Como ela está?

Alice: Abalada... A morte desse rapaz mexeu muito com ela...

Diva: (sem forças) É uma lástima que ele tenha morrido dessa maneira tão trágica... A violência nessa cidade está cada vez pior... (ela tosse)

Alice: Você está? 

Diva: (sem forças) Estou... 

Alice: Bom... Eu vou voltar aos meus afazeres domésticos... Procure repousar! 

Diva: (sem forças) Está certo... 

Alice se dirige até a porta, onde sai. Close em Diva pálida sob a cama. Ela começa a tossir. 

Cena 06/ Residência Trajano Ferraço/ Suíte principal/ Dia.

Close em Regina sentada sob a cama enquanto observa uma fotografia de Carlos. Ela fica reflexiva e pensativa. Regina se dirige até a escrivaninha, onde está seu diário. Ela se senta, pega a caneta e começa a escrever. 

Regina: (off) Há uma frase que diz: Uma mulher que perde o marido, é chamada de viúva. Um homem que perde a esposa, é chamado de viúvo. E uma criança que perde os país é chamada de órfã. Mas não há um termo para uma mãe ou um pai que perde o seu filho... Hoje eu compreendo essa frase, quando perdi meus pais, eu sofri, pensei que jamais pudesse voltar a sorrir, mas eu consegui, eu dei a volta por cima, eu me recuperei... Quando Celso morreu achei que jamais poderia continuar seguindo em frente sem ele... Eu tinha dois filhos para sustentar, um negócio que eu mal sabia administrar, mas eu fui à luta, fui persistente e consegui, eu consegui criar dois filhos com muita garra e perseverança! Com uma força que apenas uma mãe teria por seus filhos... Eu não sei o que o destino me reserva, mas já não possuo medo...

Close em Regina desnorteada e logo em seguida foco no diário sendo folheado. A partir do momento em que o diário é folheado ocorre uma transição extremamente bem feita entre as folhas do diário junto à uma sonoplastia de fundo. 

Instrumental:


É através dessa transição de folheamento que as cenas seguintes irão se amparar. O diário da vida em uma transição de tempo minuciosamente detalhada e bem feita. 

Cena 07/ Praia/ Noite.

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 01: (diário sendo folheado)

Close em Regina caminhando pela praia enquanto observa o mar. Close nela reflexiva e apreensiva. Ela derrama uma lágrima seca. 

Cena 08/ Bordel Le Blanc/ Quarto/ Noite.

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 02: (diário sendo folheado)

Close em Alice entrando no quarto de Diva enquanto segura uma bandeja com um caldo verde. Ela derruba a bandeja e dá um grito. A CAM se locomove lentamente até a cama. Foco em Diva morta sob a cama. 

Cena 09/ Bordel Le Blanc/ Saguão principal/ Noite.

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 03: (diário sendo folheado)

Close em enfermeiros levando o corpo de Diva sob a maca até a saída. As meninas estão em um canto desoladas e apreensivas. Close em Laura reflexiva, ela derrama uma lágrima seca. 

Cena 10/ Bordel Le Blanc/ Área/ Noite.

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 04: (diário sendo folheado)

Close em Laura observando as estrelas no céu. Ela fica reflexiva e pensativa. Foco nela deprimida.

Cena 11/ Residência Muniz/ Quarto de Vicente/ Noite.

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 05: (diário sendo folheado)

Close em Vicente reflexivo e pensativo sob a cama enquanto observa uma fotografia. Na imagem há ele e Carlos. Foco nele apreensivo. Vicente derrama uma lágrima que escorre e pinga na fotografia. A CAM acompanha o momento exato da lágrima caindo sob a fotografia. Close na imagem. 

Cena 12/ Praia/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 06: (diário sendo folheado)

Close em Vicente observando o mar enquanto segura uma rosa branca. Ele beija a rosa e logo em seguida a joga sob as águas.

Vicente: Serei eternamente grato à você pela sua amizade, lealdade, cumplicidade.... Você foi o melhor amigo que alguém poderia ter... Eu jamais esquecerei os momentos em que vivemos juntos... As brincadeiras, as confusões, as brigas... E as viagens? (ri) Obrigado, obrigado por tanto meu amigo!

Ele derrama uma lágrima seca. Close no mar. 

Cena 13/ Residência Muniz/ Sala de estar/ Dia.

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 07: (diário sendo folheado)

Close em Helena brincando com Celso em um tapete infantil no chão. Roberto aparece vindo direto do corredor. Helena e Roberto trocam olhares de afeto.

Cena 14/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 08: (diário sendo folheado) 

Close em Regina reflexiva enquanto caminha pela sala. Alguém bate na porta, ela vai atender. Ela abre a porta e se depara com Rosália. 

Rosália: Olá Regina... 

Regina: (surpresa) Rosália? 

Rosália entra na casa e as duas trocam olhares. Rosália abraça Regina de forma solidária. Close no abraço das duas. 

Cena 15/ Residência Flores Viana/ Sala de estar/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 09: (diário sendo folheado)

Rosália e Vicente estão sentados no sofá. Eles se olham de maneira apaixonada. 

Vicente: Quando eu te conheci, meu mundo virou do avesso... Pela primeira vez eu soube o que era amar, eu soube o que era ser amado... Você me transformou em um homem totalmente oposto ao homem que eu era... Eu era rebelde, aventureiro, mulherengo, você me fez mudar de uma maneira inexplicável e é por isso, que eu tenho a certeza que quero passar o resto da minha vida ao seu lado...

Vicente tira do bolso do paletó uma caixinha com um anel. Ele abre a caixinha. Close em Rosália surpresa. 

Vicente: Você quer casar comigo? 

Rosália: (sem reação) Vicente... 

Eles trocam olhares de afeto. 

Vicente: Então... (pausa profunda) Você quer se casar comigo? 

Rosália: (saltitante) Sim, sim, sim! (ela o abraça)

Close nos dois abraçados. 

Abertura:


Vinheta de intervalo: 


Cena 16/ Residência Flores Viana/ Sala de jantar/ Noite. 

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 10: (diário sendo folheado)

Plano geral da sala de Rosália quase vazia. Há apenas uma mesa quadrada no meio. Aos arredores da mesa há algumas pessoas, entre elas Roberto e Helena. No canto da sala está Regina, reflexiva e deprimida. Close em Regina pensativa. Foco em Rosália e Vicente. Eles estão em frente à mesa. Do outro lado da mesa há um padre e um juiz, eles estão se casando. Rosália assina a apostila e logo em seguida Vicente também assina, logo depois os dois se beijam. Close em todos felizes e contentes. 

Cena 17/ Residência Trajano Ferraço/ Suíte principal/ Noite. 

(cena sem fala) 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 11: (diário sendo folheado)

Close em Regina sentada sob sua escrivaninha avaliando algumas contas atrasadas. Close nela preocupada e apreensiva. 

Cena 18/ Mercado Trajano Ferraço/ Escritório/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 12: (diário sendo folheado) 

Regina está sentada sob sua mesa enquanto conversa com Fagundes, que está de pé. 

Fagundes: Eu não queria ter que lhe dar essa notícia senhora...

Regina: O que aconteceu? 

Fagundes: A sua conta no banco está quase zerada. 

Ela se levanta da cadeira chocada. 

Regina: Eu estou no vermelho? 

Fagundes: A crise aumentou muito nos últimos meses, os impostos estão com um valor mais alto... 

Regina: (preocupada) Eu sei, eu estou com o IPTU da minha casa atrasado em dois meses... 

Fagundes: Você precisará vender o mercado...

Regina: (chocada) Vender? 

Fagundes: Se a senhora não vender o terreno, ficará com muitas dívidas no banco... 

Close em Regina apreensiva e preocupada. Ela se senta transtornada em sua cadeira. 

Cena 19/ Mercado Trajano Ferraço/ Externa/ Dia. 

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 13: (diário sendo folheado)

Close em Regina observando a fachada do mercado. Um homem de aproximadamente 40 anos se dirige até ela, eles dão um aperto de mão. Logo em seguida ele entra no estabelecimento. Close nela reflexiva e pensativa. Ela derrama uma lágrima seca. 

Cena 20/ Residência Trajano Ferraço/ Cozinha/ Noite. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 14: (diário sendo folheado)

Close em Regina sob a mesa da cozinha novamente avaliando algumas contas atrasadas. Close nela preocupada. 

Regina: (apreensiva) Se a situação não melhorar, precisarei vender essa casa...

Close nela aflita.

Cena 21/ Residência Trajano Ferraço/ Externa/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 15: (diário sendo folheado)

Close em Regina abrindo o portão e se dirigindo até sua varanda. Ela abre a caixa do correio e tira de dentro algumas contas. Ela lê as contas e se depara com um comunicado oficial. 

Regina: (lê em voz alta) Devido ao IPTU atrasado da residência de número vinte e cinco, terreno situado na Barra, a propriedade irá à leilão...

Close em Regina chocada.  

Cena 22/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia. 

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 16: (diário sendo folheado)

Plano geral da sala vazia. Close em Regina reflexiva enquanto caminha transtornada pela sala. Ela observa o local e logo em seguida se dirige até a porta, onde apaga a luz e se retira. Plano geral da sala escura e sem móveis. 

Cena 23/ Abrigo Municipal/ Externa/ Dia. 

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 17: (diário sendo folheado)

Close na fachada da propriedade. 


A CAM se locomove lentamente até Regina que observa o local. Foco em Regina transtornada e apreensiva. Ela pega sua mala que estava no chão e se dirige até a entrada do abrigo. Close nela desnorteada. 

Cena 24/ Abrigo Municipal/ Quarto/ Noite. 

(cena sem fala)

TRANSIÇÃO DE TEMPO 18: (diário sendo folheado)

Close em Regina sentada em sua cama. Ela observa o quarto e logo em seguida olha para a fotografia que está sob a mesinha ao lado da cama. Na fotografia estão ela, Celso, as crianças, Eleonora, Alberto e Vera. Ela se deita, abraça um travesseiro e começa a debulhar-se em lágrimas. Close nela aos prantos em um emocionante e copioso choro de se lavar a alma. 

Cena 25/ Praia/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 19: (diário sendo folheado) 

A transição de tempo finaliza, ocorre uma transição minuciosamente detalhada entre a folha e essa cena. Close em Vicente observando o mar. Ele está segurando uma rosa branca. Foco nele reflexivo e pensativo. 

Vicente: Lá se vão cinco anos... Sinto tanto a sua falta meu amigo... 

Ele beija a rosa e a joga sob o mar. Close nele pensativo.

A CAM se locomove até o céu. Ocorre uma forte rajada de vento e uma nova transição de tempo se inicia. Através das rajadas de vento que a CAM se ampara para fazer a transição. 

Cena 26/ Asilo Municipal/ Externa/ Dia. 

TRANSIÇÃO DE TEMPO 20: (uma forte rajada de vento se locomove pelo céu)
Aparece a data do dia em que estamos sob a CAM. O foco da CAM é o céu.
20 de julho de 1995


A CAM que acompanha o vento pausa em frente à uma grande construção. Plano na fachada.


Cena 27/ Asilo Municipal/ Quarto de Regina/ Dia. 

A enfermeira Juliana (25) entra no quarto com uma bandeja que contém um comprimido. Regina está tricotando sentada sob uma cadeira de balanço, seu rosto não está visível. A CAM acompanha Juliana se dirigindo até Regina. Ao Juliana ficar de frente com Regina, seu rosto fica visível para a CAM. Regina agora é interpretada por Marieta Severo. 

Juliana: Seu remédio senhora! 

Regina pega o comprimido e logo depois bebe a água. 

Regina: Não me recordo de ter lhe visto antes... É nova por aqui? 

Juliana: Sim senhora, comecei hoje. Me chamo Juliana, Juliana Albuquerque. 

Regina: Muito prazer Juliana, me chamo Regina, Regina Trajano Ferraço. 

Juliana: O prazer é todo meu senhora...

Regina e Juliana trocam olhares de afeto.

Juliana: Bom... Eu preciso ir, mas se precisar de algo, não hesite em me chamar! 

Regina: Está certo querida! 

Juliana se dirige até a porta, quando se depara com a fotografia em cima da mesinha lateral. Na fotografia estão Regina, Carlos e Melissa. Carlos e Melissa já estão adultos na imagem.

Juliana: (surpresa) São seus filhos? 

Regina: São, minha querida... 

Juliana: E onde eles estão? Qual o motivo de seus filhos terem lhe colocado nesse abrigo? 

Regina: (sorri) Eles estão em um lugar muito especial minha filha, muito especial e sinto que logo me juntarei à eles.

Juliana fica reflexiva e triste.  Ela se retira do quarto. Close em Regina tricotando. 

Cena 28/ Asilo Municipal/ Corredor/ Dia. 

Juliana sai do quarto de Regina e se depara com a enfermeira Matilde (65).

Matilde: Olá Juliana, como está Regina? 

Juliana: (pensativa) Ela está bem...

Matilde: O que aconteceu? Você me parece aflita... 

Juliana: Eu não consigo aceitar que exista pessoas que interditem seus pais em abrigos... A dona Regina me parece ser uma mulher muito só, com um passado triste. 

Matilde: Você não ainda não está ciente do que ocorreu com dona Regina? 

Juliana: Não... 

Matilde: O marido dessa senhora foi convocado para ir lutar na guerra e acabou morrendo por lá... A filha engravidou de um homem casado, isso na época era um escândalo, a menina acabou morrendo no parto enquanto o neto foi separado da avó... Já o filho mais velho... Teve um trágico fim... O trem em que ele estava viajando acabou sendo invadido por meliantes... Eles colocaram fogo no trem e ocorreu uma grave explosão... Mais de setenta pessoas faleceram nessa tragédia, inclusive o filho dela... 

Close em Juliana chocada com o que ouve. 

Cena 29/ Asilo Municipal/ Quarto de Regina/ Dia. 

Close em Regina tricotando sentada sob a cadeira de balanço. Ela fica reflexiva e pensativa. Ela olha para o lado e vê a fotografia de toda a sua família reunida. Na imagem estão ela, Celso, as crianças, Eleonora, Alberto e Vera. Ela dá um sorriso e em seguida suspira. Regina volta a tricotar. 

Através da CAM é soletrado em uma transição minuciosamente detalhada e bem feita a palavra:
 
Fim

A imagem congela em Regina, como se fosse um filme dos anos 40. 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.