Type Here to Get Search Results !

Marcadores

AMOR DE VERÃO - Capítulo 17

 



CENA 01: HOSPITAL. LEITO. INTERIOR. DIA

Continuação imediata do capítulo anterior.


(Música de fundo: Instrumental - Ternura)


Jéssica e Gabriela continuam se encarando, ambas visivelmente abaladas. Lourdes nota o clima tenso.


LOURDES – Filha, quer que eu deixe vocês à sós?


Gabriela assente, fazendo com que ela e Jéssica fiquem sozinhas na sala.


GABRIELA – (Emotiva) O que você quer aqui?

JÉSSICA – Eu queria te pedir desculpas e te ver. Eu gosto realmente de você, Gabriela.


Gabriela começa a chorar.


GABRIELA – Gosta de mim… Sabe, Jéssica, a única coisa que passa pela minha mente agora é que eu queria muito nunca ter te conhecido. Só assim eu nunca estaria aqui. Nesse hospital. Nessa cama. Tetraplégica. Eu teria paz. Você estragou minha vida!

JÉSSICA – (chorando) Gabriela, por favor. Isso foi um acidente. Eu não tive culpa de nada!

GABRIELA – Se você não tivesse me reduzido a um brinquedo seu, se você não tivesse me usado, nada disso teria acontecido!

JÉSSICA – Gabriela, eu sei que eu errei, mas não coloca a culpa em mim. Não foi a minha intenção te usar/

GABRIELA – (corta) Como não foi? Eu dei em cima de você, você pediu para que eu parasse, pois tinha namorado. Eu parei. Depois você veio dizendo pra nos afastarmos, eu me afastei. Aí logo depois, você disse que não era para nos afastarmos. Nisso, você começou a flertar comigo, mas ainda estando com o seu namorado. Afinal, quem você pensa que eu sou? Uma cortesã?

JÉSSICA – Me perdoa, Gabriela!

GABRIELA – Eu não vou te perdoar, Jéssica. Eu não quero te ver nunca mais, vai embora! Por favor.


Jéssica fica abalada com as palavras de Gabriela, tenta conter suas lágrimas e sai correndo da sala. Gabriela desaba em choro. (Música encerra)


CENA 02: CASA DE MARINA. SALA. INTERIOR. NOITE


(Música de fundo: Love Love - Gilsons)


André se distancia de Marina, parando o beijo.


ANDRÉ – Desculpa pelo beijo. Eu não quero te pressionar, foi um erro/


Marina faz sinal de silêncio para ele, que se cala.


MARINA – André… você não precisa se desculpar. Eu sinto uma ligação especial entre nós dois


Marina segura a mão de André, olhando em seus olhos. Os dois aproximam seus rostos novamente, encostando seus lábios e começando a se beijar freneticamente. Ambos tiram suas camisas e saem agarrados pela sala, esbarrando em móveis e caindo no sofá.


CENA 03: RIO DE JANEIRO. EXTERIOR. DIA

Amanhece na trama. Imagens do Pão de Açúcar, Cristo Redentor e da Praia do Leblon.


CENA 04: FÓRUM. INTERIOR. DIA

(Música encerra) Ilana e Fernando estão frente a frente na sala de audiência, ambos acompanhados de seus advogados.


ADVOGADO (ILANA) – Bom, diante das provas e testemunhas ouvidas aqui neste tribunal, meritíssimo, ficou atestado que o apartamento que a minha cliente e o marido possuem é a única moradia dela nessa cidade. Além disso, ficou claro que o senhor Fernando Duarte já reside em outra propriedade, onde mora com sua atual mulher e filha extraconjugal. Por isso, diante da ética moral, eu peço que a minha cliente Ilana Duarte Monteiro torne-se proprietária única do apartamento. 


Ilana está nervosa. O juiz analisa. Fernando respira fundo e resolve tomar uma decisão. 


FERNANDO – Meritíssimo, eu abro mão do imóvel. 

ADVOGADO (FERNANDO) – Como?

JUIZ – O senhor tem certeza disso, senhor Fernando Duarte?

FERNANDO – Sim.

JUIZ – Então, o último entrave está desfeito e vocês já podem assinar os papéis. 


Ilana fica incrédula e comemora com o advogado. Em um corte, Ilana e Fernando assinam os papéis do divórcio, dando fim à batalha judicial.


CENA 05: HOSPITAL. LEITO. INTERIOR. DIA

Helena entra no quarto onde Gabriela está internada e vai até a amiga, ficando em pé, de frente para ela.


GABRIELA – Que surpresa boa, Helena.

HELENA – Estava morrendo de saudades de você, minha amiga. Como é que estão as coisas por aqui?

GABRIELA – Tudo na mesma.

HELENA – Você está bem?

GABRIELA – Bem eu não estou, nem nunca vou ficar, Helena. Se eu dissesse que sim, estaria mentindo.

HELENA – Não fala assim, as coisas vão melhorar.

GABRIELA – Pra vocês que estão do "outro lado" é fácil falar. Não tem como ter uma perspectiva positiva estando nesse estado, Helena. Só eu sei o que estou passando.

HELENA – Mas a sua vida não acabou, Gabriela. Você não pode desanimar, nem desistir. Tem que dar a volta por cima! Não é uma condição física que vai te limitar.

GABRIELA – Tudo bem, você pode até ter razão, mas, no momento, eu só quero poder sentir a minha dor, Helena. Posso?

HELENA – Ok. Eu não vou questionar.

GABRIELA – Sabe quem veio aqui me visitar?

HELENA – Quem?

GABRIELA – A Jéssica. 

HELENA – Eu não acredito que essa garota teve a audácia de voltar aqui?!

GABRIELA – Ela já havia vindo?

HELENA – Logo no dia do acidente, eu mandei ela ir embora. Não aguentava olhar pra cara dela… Mas, e aí, como foi?

GABRIELA – Disse para que ela não me procurasse mais.

HELENA – E fez bem, Gabi. Essa menina só atrai confusão para a sua vida!

GABRIELA – Pior que eu não queria que esse fosse o desfecho da nossa história…

HELENA – Mas vai ter que ser! Pro seu bem.

GABRIELA – Será que me afastar dela realmente vai me fazer bem?


As duas se encaram. Gabriela não parece convicta de sua decisão. 


CENA 06: COMPANHIA DE TEATRO. SALÃO PRINCIPAL. INTERIOR. DIA

André e Marina entram juntos na companhia, felizes e sorridentes. Bárbara observa a chegada do casal com um olhar de ciúme e insatisfação.


BÁRBARA – Isso não pode ser o que eu tô pensando! A Marina não tem vergonha nenhuma…


Bárbara pega seu celular e abre o contato de Henrique para mandar uma mensagem.


BÁRBARA - (Mensagem) Você não vai acreditar! André e Marina acabaram de chegar juntos na companhia, mais próximos do que nunca. 


ABERTURA:



CORTE:


CENA 07: COMPANHIA DE TEATRO. ESCRITÓRIO DE VICENTE. INTERIOR. DIA

Rose chega ao escritório e chama a atenção de Vicente.


ROSE – Vicente, tenho uma novidade para te contar. Eu e André finalmente estamos nos dando bem agora, sem ressentimento e brigas.

VICENTE – Sério? Isso é maravilhoso, Rose! Fico muito feliz em ouvir isso.


Rose sorri.


VICENTE – Sabe, Rose, estava pensando... com a reconciliação entre vocês e seu grande talento, que tal considerar um convite para participar de Mamma Mia!? Acho que seria perfeito para você, uma oportunidade de voltar com a sua carreira com um papel maravilhoso, que eu reservei só para você: a Donna.


Rose fica surpresa.


ROSE – Vicente, seria uma honra participar de uma peça sua, ainda mais um musical que eu amo. Vou considerar a proposta, prometo que te dou a resposta, só preciso pensar um pouco.

VICENTE – Pensa bem. Você vai brilhar no palco!


CENA 08: MANSÃO DE PAULA. SALA. INTERIOR. TARDE

Paula e Miriam estão conversando sentadas no sofá da sala. Fernando chega em casa e Paula, prontamente, se levanta.


PAULA – (sorrindo) E então, como foi lá?

FERNANDO – A Ilana ficou com o apartamento.


(Música de fundo: Instrumental - Brigas e Discussões)


Paula rapidamente desfaz sua expressão de felicidade e a raiva toma conta de sua face.


PAULA – Como é que isso foi acontecer, Fernando? Que advogado incompetente foi esse que você contratou?

FERNANDO – Não foi culpa do advogado, Paula, eu que abri mão do apartamento.

PAULA – COMO É QUE É? Por que você fez isso, Fernando?

FERNANDO – Você queria o quê, Paula? Que eu tirasse o apartamento da Ilana e mandasse ela pra debaixo da ponte?

PAULA – Pouco me importa o que aconteceria com a Ilana depois! O que me importa é a felicidade da nossa filha/

FERNANDO – (corta) Para de teatrinho! Eu tenho certeza que a Miriam nem quer sair de casa, mas sim você que inventou essa história para me convencer! O seu objetivo é única e exclusivamente prejudicar a Ilana!

PAULA – Ah, Fernando, é claro. Eu sou a que não presta, a que não vale nada, a manipuladora, a vilã!

FERNANDO – Eu não estou falando isso.

PAULA – Não está falando isso com essas exatas palavras, mas com outras mascaradas! Defende mesmo a sua ex-mulher, dá tudo de mão beijada pra ela mesmo, quiçá volta pra ela, Fernando! Vai ser até melhor. Isso se ela te quiser ainda…

FERNANDO – Paula, você não brinca com fogo/


Miriam, exausta, levanta do sofá e corta a discussão. 


MIRIAM – Parem de brigar vocês dois! Eu estou cansada disso!


A jovem não se aguenta em pé e se desequilibra, sendo rapidamente segurada por Paula.


PAULA – Filha!!! O que foi que aconteceu?

MIRIAM – Só uma queda de pressão, mãe. 


Paula coloca ela no sofá e encara Fernando, ambos demonstrando preocupação no olhar. (Instrumental encerra)


CENA 09: COMPANHIA DE TEATRO. SALA DE ENSAIOS. INTERIOR. NOITE

Visualizamos pela janela da sala que é noite na trama. Rose entra na sala de ensaios e um segurança aparece.


SEGURANÇA – Que isso, dona Rose? Vai dormir aqui? (Ri)

ROSE – Pode ir embora, eu vou ver uma coisa aqui e eu fecho a companhia.

SEGURANÇA – Tudo bem.


Rose caminha pelo palco vazio, olhando para cada detalhe da sala. Ela começa a imaginar como seria uma cena do musical.


(Música de fundo: Mamma Mia - ABBA)


Rose abre a brecha de uma porta e vê três homens. São os antigos namorados de Donna. Ela começa a cantar a música e a dançar. Fim da imaginação.


ROSE – Eu vou ou não vou?


(Música encerra)


CENA 10: APARTAMENTO DE MARINA. SALA. INTERIOR. NOITE

Marina escuta a campainha tocar e vai até a entrada. Ao abrir se assusta com Henrique em sua porta, com uma feição de raiva.


HENRIQUE – Você acha mesmo que eu vou aceitar tudo isso numa boa?

MARINA – Henrique, me deixa em paz…

HENRIQUE – Você terminou comigo só pra ficar com o André, né? Admite!


Marina fica apreensiva com o que Henrique poderia fazer.


CENA 11: COBERTURA DE HELENA. SALA. INTERIOR. NOITE

Helena está procurando algo para assistir na televisão. Ana desce as escadas vindo do andar de cima e chega até a sala. Helena não deixa de reparar na filha, após sentir o seu doce perfume. 


HELENA – Vai para onde toda arrumada e cheirosa?

ANA – Para um encontro.

HELENA – Um encontro? Com quem?

ANA – Com meu namorado.

HELENA – Não estou gostando nada do seu mistério quanto à esse homem, viu, Ana?

ANA – Na hora certa você vai conhecer ele, mãe, eu já disse.


Helena revira os olhos. Ana pega sua chave e deixa o apartamento. CAM foca em Helena, pensativa.


HELENA – Quer saber de uma coisa? Eu vou conhecer esse homem hoje!


Helena levanta do sofá, pega a chave do carro e também deixa a cobertura para ir atrás de Ana.


CENA 12: FLAT DE VICENTE. INTERIOR. NOITE

A campainha toca. Vicente atende e recebe Ilana em seu flat, os dois se abraçam e entram. Ambos dirigem-se até o sofá, onde sentam e ficam frente a frente.


ILANA – Muito obrigada por me receber, Vicente.

VICENTE – É sempre um prazer encontrar com você.

ILANA – Eu queria contar que comecei a escrever o roteiro da peça. 

VICENTE – Sério? Que coisa boa! Já quero ler.


(Música de fundo: Futuros Amantes - Chico Buarque)


Ela sorri e olha para trás, encarando a vista panorâmica de Vicente para o mar. Ilana se levanta do sofá e caminha até a janela, hipnotizada.


ILANA – Que vista linda você tem, Vicente.

VICENTE – Ah, obrigado.


Vicente também levanta do sofá e vai até a janela, ficando ao lado de Ilana, com os corpos bastante próximos. 


VICENTE – Confesso que é ótimo olhar para essa vista em momentos de estresse, parece que tudo evapora…

ILANA – Pior que hoje eu nem tô estressada, sabia? Aliás, é um dos melhores dias da minha vida.

VICENTE – Posso saber o por quê?

ILANA – Finalmente assinei os papéis do divórcio. O Fernando cedeu e eu vou continuar com o apartamento.

VICENTE – Que notícia boa, Ilana! Eu logo vi a felicidade estampada no seu rosto assim que chegou, te deixou ainda mais bela.


Ilana fica sem jeito com o elogio. Os dois se encaram e começam a trocar olhares intensos. Aos poucos, levados pelo momento, vão aproximando seus rostos, até que os lábios se encostam e eles se envolvem em um beijo tímido. Vicente segura na cintura de Ilana e o beijo se intensifica. (Música encerra)


CENA 13: PRAIA. EXTERIOR. NOITE

Ana desce do carro e vai até Celso, que está encostado em um quiosque, já à espera dela. Os dois se encontram e logo se beijam.


CELSO – Estava morrendo de saudade de você. 

ANA – Também estava ansiosa para te ver.


Eles continuam se beijando. A praia está quase deserta. Um carro se aproxima na avenida e estaciona no acostamento. Helena desce do carro e identifica a filha de longe pelo vestido.


HELENA – (sorrindo) Eita que pelo visto as coisas estão boas por aqui, vou acabar atrapalhando… Mas a minha curiosidade fala mais alto!


Helena vai se aproximando, ao ponto de ficar quase em cima dos dois.


HELENA – Ana!


(Música de fundo: Instrumental - Tenso Impacto)


Ana, pega de surpresa, separa-se aos poucos do beijo de Celso. Seus olhos estão arregalados e ela rapidamente fica tensa, de costas para a mãe.


CELSO – (confuso) Helena?!


Helena finalmente olha para o rosto de Celso e sua expressão de felicidade rapidamente se desfaz. Ana respira fundo e encara a mãe. 


HELENA – (incrédula) Que brincadeira é essa, Ana?

ANA – (nervosa) O que é que você tá fazendo aqui, mãe?

CELSO – Mãe?! A Helena é sua mãe, Ana???


Celso está em completo estado de choque. Helena, tentando processar o que está acontecendo, segue encarando Ana, que tem seus olhos tomados por lágrimas. 


ENCERRAMENTO (ao som de Nada Sério - Joanna):







Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.