Type Here to Get Search Results !

Marcadores

capítulo 15-SONHOS PERDIDOS

 


Participação de Jonatas Faro- como Advogado -Bernardo

Flávia Alessandra- Como Laura Padilha

(A cena começa com o nascer do sol clareando a praia em Fortaleza e corta para a…)


DELEGACIA/ SALA DE VISITA/ CENA 1:

(Rogério recebe a visita do advogado que trás boas notícias do seu caso.)

Rogério: (Entrando/ algemado/ senta)

-E aí Dr. Como está indo meu processo?

Bernardo: (colando a pasta na mesa/ tranquilo)

-Você sabe que teve dois habeas corpus negado, então tive que entrar com uma apelação alegando que você teve depressão agressiva, claro que apresentei algumas pequenas provas no crime.

-Sabendo que menti um pouco para podermos reunir mais provas.

Rogério: (Esperançoso/ sentado)

-E o que o juiz falou?

Bernardo: (Abre a pasta e tira os papéis)

-Sua sorte foi o juiz que entrou é amigo meu e expliquei todo seu caso e ele aceitou a apelação e você dentro das próximas vinte e quatro horas será livre , mas seu julgamento ainda vai acontecer, e dessa vez vamos conseguir.

-Isso também é graças a Rosélia, ela tá se empenhando muito

Rogério:( Sorri/ alegre)

-Que máximo, fico muito feliz, valeu mesmo Dr.

-Diz pra Rosélia que gosto muito dela e agradeço pelo que ela tá fazendo.

Bernardo: (Levanta/ sorri/ comprimenta)

-Ok!

-E boa sorte e a gente se vê.

MANSÃO LINDÓIA/ COZINHA/ MANHÃ/CENA 2:

(Celeste está sentada pensativa e distraída e Lindalva a interrompe)

Celeste: (Sentada/ na mesa/ pensando)

-Meu Deus, Lindalva é filha desse homem?

-Bem que a mãe dela sempre disfarçava quando eu perguntava do pai dela.

-Pobre menina…

Lindalva: (Chamando/ em pé)

-Amiga, o leite derramou

-Aconteceu alguma coisa? estava no mundo da lua.

Celeste: (Olha para a amiga/ disfarça/ levanta)

-Desculpa, tava dormindo ainda

-Leite é só a gente dar as costas que ele derrama

MANSÃO FIDALGO/ CAFÉ DA MANHÃ/ MESA/ CENA 3:

(O ambiente da cozinha é bem amplo, a mesa farta com frutas, bolos, iogurte, suco, café, leite, torradas e Cintia inicia a conversa sobre o filho).

Cintia: (Sentada/ preocupada)

-Nossa, neste momento só queria a notícia do meu filho, já faz dois meses que ele saiu e não deu notícias.

Clóvis: (Sentado/ sério/ lendo o jornal)

-Tô começando a me arrepender também, já fui na casa daquele canalha ele só afirmou que ele foi lá, porém não deu abrigo pra ele, e desde então não falou mais nada.

Cintia: (Tomando café/ preocupada)

-Será que ele sequestrou nosso filho?

Clóvis: (Coloca o jornal de lado/ pega um pedaço de bolo)

-Acho que não, ele sequer deu crédito pelo que falei e pareceu nem se importar mais com ele.

-Tanto que avisamos Christian.

-Agora tenho que ir, vou contratar um detetive para investigar o desaparecimento dele.

APARTAMENTO/ CONDOMÍNIO/ QUARTO/ MANHÃ/ CENA 4:

(A cena mostra Silvana e Vinícius deitado e o empresário acordando e se assusta ao ver que não está em casa)

Vinicius: (Assustado/ levanta/ sunga)

-Onde estou?

Silvana: (Levanta/ sentando/ sorri)

-Está na minha casa, não lembra?

-Fizemos amor a noite toda

Vinicius: (vestindo as roupas rápido/ nervoso)

-O que?

-Você me embebedou?

Silvana: (Em pé/ vestindo o roupão/ bocejando)

-Não, começamos a conversar e rolou uma química e o resto você pode imaginar, nossa me senti nas nuvens, mais me alertaram que você gosta de homens também.

Vinicius: (Colocando o sapato/ sério/ levanta/ pega a carteira)

-Não fala bobagem, nem sei quem é você direito.

-Tô indo, tenho uma reunião daqui a algumas horas e tenho que pegar um vôo.

Silvana: (Fechando a porta/ segue até a cama)

-que idiota.

MANSÃO LINDÓIA/ CAFÉ DA MANHÃ/ CENA 5:

(Gerusa e Gustavo estão contentes tomando café da manhã e comentam sobre Osvaldo)

Gustavo: (Colocando o lanche no prato/ respira)

-Porque o papai não quis voltar pro almoço?

Gerusa: ( pegando o copo/ olha para a cadeira vazia)

-Seu pai saiu bem cedo, ele está estranho desde a inauguração do ateliê da Silvana.

Gustavo: (Levando suco a boca/ para)

-Você sabe porque ele tá assim?

Gerusa: (Levando o guardanapo aos lábios/ seria)

-Não, perguntei ele mais cedo, mas estava brabo que nem animal enjaulado.

Gustavo: (Sorri/ pega o copo)

-Vai ver é alguma emergência capilar.

-Mudando de assunto, amanhã é o aniversário do meu amigo Patrick e tô pensando em convidar a Lindalva pra ir comigo.

Gerusa: (Assusta/ engasga/olha pro filho)

-Ficou maluco?

-Vai levar uma empregadinha em um aniversário de luxo?

-Só pode tá brincando comigo.

-Entenda Guga você é fino, ela não, você é rico ela não, entendeu a diferença?

Gustavo: (Chateado/ levanta)

-Não acredito que você seja tão…

-Vou convidar ela porque tô gostando dela e queira você ou não.( Sai)

Gerusa: (Sentada/ comendo/ para)

-Gustavo vem aqui…

ESCRITÓRIO DE SEGUROS/ MANHÃ/ RECEPÇÃO/ CENA 6:

(Uma mulher loira, alta, bonita e elegante vai a recepção e Rosélia fica pasma com tanta gentileza)

Laura:( Em pé/ bem educada/ sorridente)

-Bom dia linda

-Gostaria de saber se o Sr. Salustiano pode me receber, pois minha secretária agendou um horário a duas semanas atrás.

Rosélia: (Sentada/ tecla no computador)

-Deixa só eu verificar aqui.

-Vamos vê…Você é Laura Padilha?

Laura: (Em pé/ tranquila)

-Sim, sou eu mesma.

Rosélia: (Levanta/ sorri)

-Ok!

-Certinho, ele já vai atender a Sra.

-É por aqui, vamos.




LANCHONETE/ CENTRO/ SÃO PAULO/ MANHÃ/ CENA 7:

(O Detetive Sandro traz novas provas a seu patrão Osvaldo que o deixa ainda mais nervoso)

Sandro: (Sentando/ pega a pasta)

-Sr. Tem algo que queira acrescentar neste assunto, o senhor não respondeu porque queria se livrar da mãe da garota e da garota, se ela realmente é sua filha.

Osvaldo: (Respira/ olha pro lado e outro/ pega o cardápio (

-Vou lhe contar a verdadeira história e quero que me prometa que não vai abrir a boca pra ninguém.

Sandro: (Preocupado/ curioso)

-Como quiser, o que falar aqui, vai ficar aqui.

Osvaldo: ( Sério/ nervoso)

-Na verdade Lindalva não é minha filha e sim minha sobrinha, a muitos anos atrás quando eu morava na fazenda eu e meu irmão éramos gêmeos, mas ninguém jamais soube dessa história, meu pai só queria saber do Irisvaldo e eu ficava sempre trancado, por que fazia travessuras e ele não gostava.

-Então um dia ouvi uma conversa entre minha mãe e ele, meu pai disse que todas as terras era pra ser do meu irmão e quanto a mim eu tinha que ser deserdado pois não tinha calibre para negócios.

-Então crescemos e ficamos adultos, nosso pai faleceu e logo o tabelião veio para ler o testamento.

-Como minha mãe nunca concordou com o que meu pai deixou, ela seduziu o tabelião e mudou o nome de Irisvaldo para Osvaldo, mas como meu irmão estava empolgado demais minha mãe pediu pra eu matar ele e só assim eu ficaria com tudo.

Sandro: (Chocado/ pasmo)

-E quanto Lindalva e a mãe dela, onde entra nessa história?

Osvaldo: (Pega a xícara de café/ sério)

-Foi aí que eu escorreguei, não sabia que meu irmão havia tido um caso com uma empregada às escondidas e por cima longe da minha mãe.

-Tempos depois de ter pegado tudo, toda a herança e terras, foi que ela me contou desse romance e tudo que minha mãe e eu fizemos teria dado errado.

-Ela até mencionou de uma carta que meu pai havia deixado em posse dela, já que ele confiava nela pois já imaginava o romance dos dois.

Sandro: (chocado/ sentado)

-Então na verdade toda sua herança pertence a Lindalva.

Osvaldo: (Nervoso/ furioso)

-Sim, e essa maldita teve que parar logo na minha casa.

Sandro: ( Sentado/ pasmo)

-Então é grave, mas você não pode despedi-la do nada.

- E então porque você citou no telefone que ela era sua filha?

Osvaldo: (Sentado/ cortando pedaços de bolo)

-Porque eu imagino que tivesse alguém na porta, aquela Celeste é uma tremenda fofoqueira e gosta disso.

Sandro: (Curioso/ pasmo)

-E agora como vai prosseguir com isso, a única coisa que poderia colocá-lo na prisão era a mãe da menina, mas já está morta.

Osvaldo: (Sério/ pega a xícara)

-Porque ainda tem a maldita carta, ela pode ter deixado com alguma amiga ou parente, você tem que investigar direitinho isso.

-E vou dar um jeito para que ela possa ir embora sem levantar suspeitas.

Sandro: (Pasmo/ pega a xícara)

-Então vou começar hoje mesmo essa investigação.

Osvaldo:( Sério/ sussurra )

-Quero que esse assunto fique em total sigilo e mantenha total descrição.

Sandro: (Levanta/ nervoso)

-Sim Sr.

FACULDADE/ MANHÃ/ ESCADA/ CENA 8:

(Sebastian está subindo a escada e o corredor movimentado com fluxo de alunos e de repente lembra do rosto de Vinicius e sorri levemente)

Sebastian: (Andando/ para/ pensa)

-Meu Deus, que homem é aquele?

-Não acredito que Christian namorou esse homem, vou tentar me aproximar dele, vai que rola alguma coisa.

-Afinal, Christian não deu mais as caras.

PARIS/ FRANÇA/ APARTAMENTO/ QUARTO/ CENA 9:

(Christian está a olhar o movimento dos carros e das pessoas e lembra como teve que fugir)

Christian: (Na janela/ lamentandoq/olhar vingativo)

-Nossa, bem que meus pais me alertaram sobre aquele cafajeste, me iludiu de uma maneira fingindo me amar e quando mais precisei dele, me virou as costas.

-Mas em breve voltarei e acertaremos as contas.

-Me aguarde, querido.

(Começa a tocar a música The night e números de dias e semanas passam e para em 1 ano depois)




MANSÃO LINDÓIA/ COZINHA/ CENA 10:

(Se passou um ano e a câmera mostra Lindalva na cozinha se despedindo de sua amiga)

Lindalva: (Chorando/ abraçando a amiga)

-Foi muito bom ter estado com você durante todos esses anos sentirei sua falta

Celeste: (Em pé/ em Lágrimas)

-Amiga não vai, essa casa não será a mesma sem você, eu sei que você não roubou nada é a menina mais inocente que eu conheço.

Gerusa: (Entrando na cozinha/ seria)

-Ainda aqui imprestável Ladrona, você tem sorte que meu marido decidiu não prestar queixa, espero que nunca mais possamos ver a sua cara por aqui. (Sai)

Celeste: (Enxugando as lágrimas/ pega dois envelopes no bolso)

-Lembra que eu falei que conhecia sua mãe?

-Pois é, ela me confiou esses dois envelopes e me disse que eu a entregasse quando fosse a hora, bem essa hora chegou.

Lindalva: (Pega/ estranha)

-Amiga e porque só agora tá me entregando?

-Mamãe nunca teve segredos comigo

Celeste: (Sorri/ sussurra no ouvido)

-Só acredite no destino e graças a sua mãe sua vida vai mudar.

Lindalva: (Sorri/ desconfiada)

-É estranho vindo de você, mas tudo bem.

-Vou sair daqui e alugar um quartinho em uma pensão, e lembra que aceitei a proposta daquela estilista famosa de Paris? Talvez eu até possa ir lá.

Celeste: (Sorri/ abraça)

-Eu acredito, você vai longe.

(As duas choram e a câmera foca no ambiente )

COBERTURA DE LUXO/ QUARTO/ MANHÃ/ CENA 11:

(Vinicius e Sebastian estão se beijando e a campainha toca duas vezes em seguida)

Sebastian: (De cueca/ levantando/ bocejando)

-a campanhinha a essa hora?

Vinicius: (Deitado/ sorri)

-Vê lá quem é amor, quando você chegar vamos começar nossa aventura.

Sebastian: (Em pé/ sorri)

-É pra já meu lindo.

(A câmera corta para a sala e aproxima da porta)

Sebastian: (abre a porta/ olha pro lado e outro/ surpreso)

-Ué não tem ninguém!

-Só essa caixinha, que estranho.


COBERTURA DE LUXO/ QUARTO/ CAMA/ CENA 12:

(Sebastian entrega a caixinha para Vinícius que ao pegar fica curioso)

Sebastian: (Entrando no quarto/ curioso)

-Amor encontrei só essa caixa na porta, estava esperando alguma encomenda?

Vinicius: (Curioso/ senta/ e pega a caixa/ abrindo.

-Vamos lá, espera um pouco, um cartão preto?

Sebastian: (Senta/ curioso)

-Ver o conteúdo que tem nela.

Vinicius: (Abrindo/ e fica pasmo com o que lê)

-Meu Deus!!

(A cena congela em Vinícius surpreso e pasmo)













Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.