Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Primeira Impressão com o Senhor X - Crítica: "Caminho Único- Geração Z" T3 | P03

 




Hi friends!

Eis que chegamos ao terceiro domingo do Primeira Impressão. E vamos lá, falar um pouco de uma obra que foi notada por esse humilde ser que sempre está aqui para fazer sua análise.


Um amigo sempre costuma me falar que nada demais faz bem, e eu chego a essa conclusão, quando vejo pessoas querendo ser perfeitas, se dando mal. Por isso, não procure perfeição, faça o possível, dê o seu melhor e já é o bastante. Chega de cobranças, não é mesmo?


Bem, estou aqui para fazer mais uma crítica e é nisso que vamos focar agora. Sejam muito bem-vindos ao programa de hoje, que foi feito especialmente para você que vem acompanhando, você que tem ficado esperando eu analisar tal obra, para aqueles que comentam e para todos os demais que não interagem. Antes de começar explanar minha opinião, não custa repetir que minha intenção é apenas analisar pontos e fazer observações acerca do projeto estudado. Em nenhum momento irei denegrir ou desvalorizar o produto aqui citado.


A webnovela que será analisada por mim hoje é "Caminho Único - Geração Z", escrita por João Paulo Ritter e exibida na ONTV de segunda a sexta. Trata-se da continuação de"Caminho Único".


A obra em questão tem os capítulos disponibilizados para leitura em PDF. Esse tipo de leitura em PDF não me agrada, conforme falei no programa passado. Mas, logo de imediato se nota que o texto é bem organizado no arquivo. A formatação com certeza é um ponto positivo. 



A nova fase da história começa muito bem, levando o leitor a localizar o momento em que a história parou, até aí tudo bem. Porém, se perde ao continuar descrevendo a cena. Observe a seguinte descrição da cena:


"Estamos no calçadão do centro da cidade, vemos o carro que

Arthur roubou no final da temporada anterior dentro da loja

de sapatos que ele invadiu por estar dirigindo bebado."


Foi ótimo indicar onde parou a história, mas não precisava citar "temporada anterior", não caberia no contexto da cena em que se passava. O leitor não precisa, também, dessa tamanha explicação. 

Seguindo a mesma linha de raciocínio, na mesma cena diz "vemos o carro que Arthur roubou dentro da loja [...]", não está escrito em momento algum que Arthur está no veículo. 

Logo, isso configura como um erro, veja a cena completa com a sequência do trecho acima:


"EXT. CENTRO DE SANTA MARIA - NOITE 

Estamos no calçadão do centro da cidade, vemos o carro que

Arthur roubou no final da temporada anterior dentro da loja

de sapatos que ele invadiu por estar dirigindo bebado.

NARRADORA

(OFF)

Muitas coisas são frágeis na vida

humana, mas nada como as nossas

relações.

Uma ambulância chega ao local ao mesmo tempo em que dois

carros da polícia chegam.

Os socorristas tiram Arthur de tentro do carro, começam a

examiná-lo e prestar os primeiros socorros."


Compreende-se que há uma inconsistência nesse texto? Não seria necessário entregar tudo ali naquele primeiro momento. Tipo, poderia em vez do que foi descrito, colocar "Arthur está dentro do veículo que invadiu a loja de sapatos, o mesmo se encontra parado" ou "Estamos no calçadão, onde há um carro parado após invadir uma loja de sapatos. Arthur está dentro do veículo". E sobre o caso do carro roubado poderia ser evidenciado em cenas posteriores, para o caso de quem não acompanhou à temporada anterior.


Outra situação no texto que gostaria de mencionar é o seguinte trecho descrito na cena 2: "Arthur sente sua cabeça doer". Mas o que ele está fazendo que indique isso? Essa frase facilmente poderia ser substituída por "Arthur coloca a mão na cabeça, sentindo a cabeça doer", assim, não entregaria diretamente, algo que o público poderia perceber através dos movimentos do personagem. É importante movimentar os personagens, colocar gestos que indiquem seus sentimentos e ações. Não adianta só jogar lá o que o mesmo está sentindo e pronto, é importante tornar isso visível ou perceptível no personagem.


Ainda nesta cena, outro trecho me chama atenção. "Arthur suspira, ainda com dor" e que tal "Arthur suspira fazendo careta, pois ainda sente dor", ficaria mais atraente, concordam? Se não acha, tudo bem.


Esse equívoco parece se repetir com frequência, ao longo do capítulo, em outras descrições de cenas. O autor parece querer explicar tudo nos mínimos detalhes para o leitor. Mas isso não seria exagero? Alguns leitores podem até gostar, sim, mas não é necessário esse nível de explicação. Principalmente em várias cenas. 


"O prefeito da cidade, JORGE, está de frente para um grupo de

repórteres que querem saber mais da notícia do filho do

prefeito"


Ora, para quê colocar aqui, o que os repórteres querem saber, se já vai ter a fala deles logo abaixo? E olha, que tem mesmo. 


"REPÓRTER #01

O que senhor tem a dizer sobre o

acidente envolvendo seu filho?

JORGE

O que tenho a dizer, é o mesmo de

ontem. Eu estou profundamente

ofendido com a atitude dele... Como

prefeito, como pai... Como didadão

dessa cidade.

REPÓRTER #02

E qual será a punição?"


Muitas especificações como essas estão atoa no texto. 


Algumas são importantes,no caso: "Minerva entrega um caderno para Letícia, a garota abre e

começa a procurar a página com seu nome. É o livro ponto de

voluntários." Ou seja, o público precisaria entender que tipo de livro seria esse.



Vamos conferir a sinopse da web novela:


"Na Escola Comunitária Caminho Único muitos estudantes passam pelos seus corredores e salas de aulas, muitas histórias são contadas.

Continuação direta da série “Caminho Único”, Geração Z se inicia logo após o último episódio quando Arthur está se recuperando no hospital. Para pagar os danos que causou à cidade, ele terá que prestar serviço comunitário no abrigo social em que Letícia é voluntária. Saymon e JP agora estão saindo escondidos, entretanto, JP logo vai descobrir o quão perigoso Saymon pode ser.


José, o novo diretor da escola, quer transformá-la em uma escola cívico-militar e para ajudá-lo temos Jorge, prefeito da cidade e o Tenente Edgar. Entretanto, a ajuda dos dois levará com que José participe de um esquema de corrupção perigoso. Enquanto isso, Fabrício, o novo professor da escola e que já estudou na Caminho Único, quer impedir que o novo diretor realize seu desejo."


Constatamos que a estreia segue bem a linha de raciocínio da sinopse. Arthur fez bem o papel de protagonista e pode-se dizer que foi o personagem que mais chamou atenção nesse capítulo inicial, como deveria ser. Posso falar que foi uma leitura agradável e que gostei da estreia. Acredito que quem leu ficou ansioso para os próximos capítulos, assim como eu. 


Dessa forma, encerro aqui minha crítica, satisfeito em saber que existam webs como essa disponíveis para o público do Mundo Virtual saborear. 


E vocês aí que me acompanham, já leram essa web novela? Vão ler?

O que você achou da minha crítica de hoje? Me conta aí nos comentários. Você gostou? Não gostou? Fala tudo.


Fala pra mim nos comentários aquela web que não pode deixar de passar por aqui.



Confira abaixo às informações sobre a obra citada no progry de hoje e também o veredito final da minha avaliação para a mesma. 


Sem mais por hoje, termino exalando um cansaço que só eu vou entender, mas com certeza é porque eu trabalhei muito nessa avaliação, ao contrário de outras obras já avaliadas aqui, encontrar os erros nessa, foi como procurar uma agulha pequena no palheiro.


Bem, nos despedimos por aqui e voltaremos a se encontrar no próximo domingo, nesse mesmo horário e na mesma emissora. 



⭐⭐⭐⭐



Webnovela: Caminho Único - Geração Z

Autoria: João Paulo Ritter

Capítulos:

Horário: 

Exibição:

Emissora: ONTV 





Clique para ler:

Capítulo 01 




Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.