Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Noites Sangrentas - Episódio 01 (2ª temporada)



UMA PRODUÇÃO DE TORRE BRANCA EM PARCERIA COM A RANABLE WEBS

CRIADA E ESCRITA POR
LUCAS POEYS
RAMON ROCHA

EPISÓDIO 01 - NOVO COMEÇO 

Diário do Narrador Onisciente

Em uma dimensão paralela, no mesmo universo e galáxia onde está localizado o Planeta Relógio, a centenas de anos-luz de distância, no mesmo Sistema Solar, existe um pequeno planeta semelhante a Plutão, chamado de Planeta Quebra-Cabeça. Neste lugar existia um Reino Próspero. Este território era liderado por uma Rainha Elfa já muito idosa e seu nome era Kyone.

Esta mulher comandava com muita garra todos os Elfos que ali viviam. Era muito amada pelo seu povo e  a mesma tem um filho considerado príncipe regente ao trono. Seu nome era Príncipe Simon. Simon é filho de Kyone com o Grande Mestre do Desconhecido, também conhecido como o Papa, o Patriarca ou o Supremo Mestre. Este moço sempre tivera um forte carinho por sua mãe, uma proximidade por suas irmãs do Desconhecido: Shiva, Carolina e Hana, todavia um grande desprezo por todos os seus irmãos homens por achar que eles eram o Grande Mal da Família de seu Pai. No Quarto da Rainha, observamos Simon conversando com a sua mãe já muito doente e prestes a morrer:

Rainha Kyone: Meu Filho Amado! Estou muito doente, e nesta tarde nublada de hoje, estarei tendo a minha passagem para o meu repouso eterno. Minha missão em vida já fora cumprida prontamente. Agora chegou a hora de você cumprir a sua!

Príncipe Simon: MAMÃE!!!! Não digas bobagens por favor! A Senhora governou este lugar durante centenas de anos, viveu muito bem até aqui e vais continuar a viver independente de tudo. Eu pedi os meus servos que buscassem o nosso Mentor Holístico, o Senhor Conrad. Certamente, ele deve ter alguma poção ou infusão para prolongar mais um pouco a sua vida. (Choroso)

Rainha Kyone: Filho! Eu já conversei com o meu amigo Conrad... Ele me falou que eu já não tenho mais condições de continuar aqui neste plano. O universo deseja o meu atravessamento para o outro plano. É uma questão de equilíbrio. Entendes que eu não posso mais continuar viva por estas bandas. Tu deves assumir o meu lugar a partir de amanhã. Eu já te ensinei tudo que deverias saber sobre o nosso pequenino Planeta e sobre o nosso Reino. Agora caberás a tu, Príncipe e Futuro Rei da Terra Média, comandar este lugar rumo ao seu completo desenvolvimento. Continue tudo aquilo que comecei, meu filhinho e dê orgulho a mim e a todo o seu povo que nos ama muito.

Príncipe Simon: Mamãe... por favor... eu não quero que você morra! Você é a única coisa preciosa que ne resta! Não se vá, eu te imploro!

Rainha Kyone: Meu Lindinho, você ainda tem o seu Pai e as suas irmãs para te orientarem e te contactarem. Ligue-se a eles. Também...tu deves tentar alertar teus irmãos de Ventura, a saírem do caminho do mal e do ódio. E Simon, nunca se perca, você é alguém do qual eu tenho muito orgulho. Onde quer que eu esteja, sempre estarei amparando por você...

Príncipe Simon: Mãe! O papai nunca mais apareceu no Reino dos meus irmãos e nem em lugar nenhum do Desconhecido. Minhas irmãs sempre dizem que ele desistiu da Coroa e se refugiou em um lugar secreto das Colinas de Jamiel. Talvez... ele não queira ser encontrado. A Shiva e as minhas demais irmâs se preocupam um pouco comigo. Mas... os meus irmãos... Todos eles estão infectados pela Maldade, pelo ódio puro e pelo desamor. Meu relacionamento com eles sempre fora tempestuoso com muitos desentedimentos. Eu, provavelmente, nunca conseguirei simpatizar com nenhum deles!

Rainha Kyone: Não diga isso fi... fi...filho... seu Pai, irmãs e... e... e... irmãos te adoram muito. O Grande Mestre sempre me falava que você dentre todos os filhos dele... era de quem ele tinha mais... mais... mais.... orgulho...

Príncipe Simon: O papai está ausente e sempre se preocupou mais com os meus demais irmãos do que comigo... e agora... lidar com tudo isso sozinho... é um desafio para mim... Mãe! MÃE! POR FAVOR NÃO FAZ ISSO!!! ACORDA! (Chorando)

Rainha Kyone: Adeus... meu amado filho, Simon... (Rainha fecha os seus olhos e morre)

Príncipe Simon: NÃAAAAAAAAAOOOOOO MAMÃAAAAAAAAAAEEEEEEEE!!! NÃO MORRAAAAA, POR FAVOOOOOORRRR! (Chora ajoelhado ao lado da cama da mãe segurando uma das mãos dela)

Nesse momento os elfos servos da Rainha adentram o recinto e tentam acalmar o Príncipe, levando-no para longe do corpo de sua mãe.

Bino: Senhor Simon... nós sentimos muito a sua perda, o que podemos fazer para tentar amenizar sua dor ?

Ban: Meus pêsames, Vossa Alteza!

Príncipe Simon: Meus servos, muito obrigado por estarem aqui comigo neste momento de LUTO... Eu perdi a minha mãe... e para sempre. Ela sempre quis o meu melhor, sempre me defendeu a unha e carne de pessoas ruins deste lugar, sempre fizera de tudo para me ver feliz. Agora eu preciso fazer uma homenagem... algo que esteja proximo do que ela mereça, mesmo sabendo de que tudo que ela fez por mim, nem chegará próximo do que eu farei em honra a ela!

Bino e Ban: Sim, Vossa Alteza!

Príncipe Simon: Quero que vocês dois preparem o corpo. Depois disso, um dos dois contactará os coveiros para preparar a sepultura. O outro enviará um decreto para todo o Reino de Terra Media suspendendo todas as atividades daqui.

Bino e Ban: Sim Senhor!

Príncipe Simon: Eu mesmo hei de ir até a sala dos aneis, para redigir as cartas de funeral da minha mãe para todos os meus irmãos do Desconhecido. Quero todos eles aqui perto de mim, pois pretendo cumprir aquilo que o meu Pai e a minha Mãe sempre desejaram: A união desta família.

Bino: Cuidaremos de tudo, Vossa Alteza!

Príncipe Simon:Tambem chamarei o Senhor Conrad para me guiar neste momento tão dificil. Ele virá junto de seus familiares, pois os considero como parte de minha família também. E chamarei também os meus amigos Gustavo e Trevor, que já os conheço desde algum tempo, em uma de minhas missões no Planeta Deserto. São como irmãos de alma para mim.

Ban: Ciente de sua ordem, Príncipe!

Príncipe Simon: Vou me retirar... Licença!

O príncipe bem melancólico, triste de cabeça baixa vai em direção a sala dos anéis. Por lá, ele começa a redigir várias cópias de cartas de sepultamento. Depois de algumas horas, apos redigir todas as correspondências, ele vai até o corujal do castelo e ordena que as suas  corujas cósmicas entregue essas cartas pelas dimensões de cada convidado.

Príncipe Simon: Corujas Cósmicas! Entreguem essas cartas ao seu devido destinatário. Vocês sabem exatamente como chegar lá né ? Estão ligadas junto as minhas memórias... VÃO!!!

As corujas obedecem a ordem do Principe e partem rumo aos seus devidos destinatários.

Na dimensão do Reino de Górr, temos a continuidade do encontro entre o Senhor Alex e o seu Pai Senhor Conrad. Era um almoço e todos estavam muito chocados com aquela cena.

Senhor Alex: Papai... então é isso... o tempo que tu nos deixava sozinhos e desamparados junto da mãe lá no nosso Planeta Terra, você estava por aqui curtindo as tuas preciosas "Férias"... pai por quê nos deixara tanto tempo longe de você, Me diz... POR QUÊ ???

Senhor Conrad: Filhão... não foi isso que planejei... oh destino traiçoeiro, mais uma vez tu me enganaste. Por que não me revelaste em visões ou nos meus búzios que um de meus mais adorados filhos viria até este lugar... Merda!

Diogo: Papai! Quem é esse sujeito mal encarado ?

Daniel Ulkel: Diogo... é melhor deixarmos eles se explicarem e nos esclarecerem tudo que tá acontecendo aqui!

Senhor Alex: Escutem Vocês Todos... este homem que está a minha frente, nada mais é do que o meu pai... Papaizinho! Você tinha uma outra família aqui neste mundo medieval, tem filhos e nunca me contaste nada! Agora tudo faz sentido... os cristais, ouro, diamantes, esmeraldas e pedras preciosas que você trazia misteriosamente naquela sua sacola de pano. Vem tudo desse mundo maluco!

Senhor Conrad: Meu Filho Alexsandro, me escuta por favor... eu não sou uma pessoa comum de seu mundo. Lembra quando vocês eram criancinhas e eu sempre contava para você e seus irmãos sobre o Cigano Saltitante.... o cigano quem viajava mundos... então... Cof! Cof! Eu estava falando de mim mesmo. Eu sou um viajante de mundos, meu filho!

Diogo: O meu Pai é um dos maiores e melhores Senhores Feudais desta região. Temos uma casinha na cidade de Gorr e além disso temos um vasto feudo riquissimos em metais e pedras preciosas. Toda as armas, armaduras e ferramentas são forjadas com metais vindo do nosso feudo. E outra, o papai também é Conde De Górr e como o Rei não tem filhos, quem deverá assumir a Coroa, será o meu bom velhinho aqui!

Senhor Alex: Senhor Feudal... Conde... caramba papai! Que decepcionante... Então é daqui mesmo que você tira toda a sua riqueza. PAI! Como você pode ter me escondido tanto tempo o seu segredo. Eu nunca hei de te perdoar por isto!

Cristine: Pelas barbas do lobo... gente! As chances de um filho rever o seu pai depois de adulto, viajando em uma dimensão paralela são quase que nulas... olha! Isso tá pior que melodrama mexicano.

Narllos: Tadinho do Tio Alex... como o Senhor Conrad foi tão negligente com as suas próprias crias. Que baque!

Daniel Ulkel: Pessoal! Por Favor! Não debochemos desta situação, é um problema familiar e não deve ser tratado com discriminação!

Senhor Conrad: Alex... Foi mal Filhão... sei que pode tá sendo tudo nebuloso agora. Mas a minha missão aqui nesse plano é bem mais complexa do que tu podes imaginar.

Neste instante, Cristine nota uma cauda peluda na cintura do Senhor Conrad e assim lhe faz uma pergunta:

Cristine: Senhor Conrad! Mas que cauda mais peluda é essa aí na sua cintura ?

Chad: Cristine! Por favor! Não complica mais as coisas aqui!

Senhor Alex: Ela tem razão! PAI! QUE CAUDA É ESSA ? EU NUNCA TE VI COM RABO NAS COSTAS, É MAIS UM DOS TEUS MISTÉRIOS OCULTOS, AGORA ?! (Raivento e choroso)

Senhor Conrad: Que o universo me ajude... oh céus! Meu Filho! Como eu havia lhe dito anteriormente... eu não sou um ser humano comum... e também não sou um terráquio... eu sou... uma criatura sobrenatural... conhecida como Kitsune... sou metade homem... metade raposa!

Vovô Miguel: Meu amigo de centenas de anos é um kitsune poderoso, acho que por isso ele não envelhece.

Senhor Conrad: Então Miguel, alguns kitsunes demoram muitos séculos para envelhecerem... e por eu viajar em algumas dimensões paralelas, isso também conta pelo meu retardo de envelhecimento. E felizmente ou infelizmente filho... é possível que você e os seus irmãos também não envelheçam tão cedo.

Senhor Alex: Eu tenho 45 anos e continuo mantendo meu corpo jovem dos 25... 26 anos... a minha mulher sempre achou isso estranho, porque não era apenas comigo, mais com todos os meus irmãos.

Daniel Ulkel: Verdade... eu ouvi falar que alguns tipos de kitsunes meio que retardam a fase jovial dos 25 até uns 250 anos de idade, aí depois disso elas voltam a envelhecer lentamente...muitas não morrem de velhice, mas sim de doenças oportunistas ou num combate violento.

Senhor Alex: Então diante disso tudo... vocês acham que eu sou essa coisa que o meu pai disse ?

Senhor Conrad: Depende da sua genética... geralmente os genes de kitsunes são dominante...  bem existe um teste bem simples pra saber se você é portador deste gene ou não... no caso positivo, confirmamos seu diagnostico como tal criatura.

Senhor Alex: Ah fala sério! Vai querer bancar o médico agora... cansado da sua conversa Papai... eu vou SAIR daqui agora e pegar um AR. Fiquem com o tal "Cigano Saltitante"... pra mim já deu dessa baboseira toda! Tchau!

Chad: Esperaaa Alex!

Daniel Ulkel: Chad! Vai atráz do Alexsandro e não deixa ele fazer uma besteira!

Chad: Beleza!

Chad vai atráz de Alexsandro preocupado e o Vovô Miguel convida o Senhor Conrad para o almoço.

Vovô Miguel: Senta aqui meu amigo e coma um pouco da nossa humilde ceia. É simples, mas está muito boa!

Senhor Conrad: Obrigado Miguelito, você é um grande amigo ao qual o universo soubera me presentear muito bem.

Vovô Miguel: Vai dar tudo certo, grande amigo!

Diogo: Daniel, e como vão as coisas por aqui ?

Daniel Ulkel: Estão indo meu amigo... trouxemos o irmão do Bills para cá a pedido de alguem especial. E agora mais essa de você e eles dois terem o mesmo pai.

Diogo: Por essa nem eu esperava. Nunca imaginei que as viagens que o papai fazia por aí eram desculpinhas para se refugiar em outro mundo. Caramba Pai! A mãe sabe que você andou traindo ela por aí.

Senhor Conrad: Sabe sim filho... quando me casei com ela, eu sempre lhe advertira de que eu nunca fui um homem de uma mulher só. Eu tenho muitas amantes, e me orgulho de tê-las todas sob meu véu galanteador.

Cristine: Eu e o Narllos ja terminamos o almoço. Acho que vou descansar um pouco...

Daniel Ulkel: Acho que depois desse choque é bom vocês dormirem um pouco mesmo.

Cristine e Narllos se retiram da copa e vão se deitar nos seus devidos dormitorios. Então passam-se alguns instantes e chegam a casa Theo Ulkel e Carlinhos.

Theo Ulkel: Opa! Ja chegamos, a comida ja ta na mesa ne Vovô ?

Vovô Miguel: Está sim rapazes... sentem-se!

Carlinhos: Eu aproveitei que o Theo estava descendo e resolvi vir acompanhá-lo. Senhor Conrad, faz muito tempo que não o vejo junto do Diogo... como vão as coisas ?

Senhor Conrad: Tudo bem Carlinhos... é... estão mais ou menos...

Diogo: Senta aqui Carlinhos, preciso te atualizar de algumas coisas!

Carlinhos: Positivo maninho.

Depois da ceia, Daniel Ulkel puxa Conrad para o seu quarto e lhe fala algumas coisas:

Daniel Ulkel: Escuta Conrad... perdão por te pegar assim desprevenido, mas você precisa saber de algo.

Senhor Conrad: Como assim, Daniel ?

Daniel Ulkel: Bem... você nos pegou de surpresa com essa história de ser o pai do Alexsandro, logo tu também deves ser o pai do Bills e dos seus demais irmãos... então...

Senhor Conrad: OBVIO DANIEL! No entanto, a minha intuição diz que vocês andaram aprontando alguma com o meu filho Bills né ? Tudo bem! Onde posso achá-lo ?!

Daniel Ulkel: Sim... fizemos isto... e também trouxemos o Alex para cá... e... o Bills se encontra agora no porão desta fazenda. E tem mais uma coisa que você tem de saber ?

Senhor Conrad: Merda... diga logo... já estou preparado pro que der e vier!

Daniel Ulkel: Bem... é que o Bills fez uma espécie de acordo mágico e espiritual com algumas entidades em forma de objetos mágicos. Talvez o senhor até as conheça... elas de chamam "Cartas Kosmo"... e são cartas mágicas muito poderosas que por algum motivo absurdo, escolheram seu filho Bills para ser o seu portador.

Senhor Conrad: MERDAAA! Isso é muito GRAVE! CERTAMENTE O BILLS FOI TENTADO POR TODA A BALELA DE SORTE, QUE ESTAS CARTAS INVENTAM... DEIXA EU TE PERGUNTAR... O BILLS CONSEGUIU CAPTURAR TODAS ELAS ?

Daniel Ulkel: Creio que apenas a metade, Senhor Conrad!

Senhor Conrad: Existe um Mito muito poderoso por trás das Cartas Kosmo. Dizem que elas foram criadas pelo proprio Mago Kosmo. Depois da morte desse cara, as cartas sempre estão a procura de um novo dono. E quis o destino ser o meu próprio filho agora a carregar este fardo.

Daniel Ulkel: Eu acho o Bills super irresponsável e tenho medo que ele use as cartas para sair fazendo bobagens por aí, Senhor!

Senhor Conrad: O meu maior medo nem é este... o pior mesmo é que não posso anular de forma alguma um acordo feito entre as cartas e o seu novo dono, o meu filho. Se o Bills não conseguir juntar todas as cartas mágicas no prazo de um ano, ele e todo o Planeta Terra irão padecer em um estado de sono eterno. Eles serão vitimas de uma Maldição do Sono.

Daniel Ulkel: Nossa Senhor Conrad... então o problema dessas Cartas é mais grave do que eu imaginava mesmo. Caramba!

Senhor Conrad: Vou precisar que tu me conduzas até o Bills, eu preciso ter uma conversa séria de homem pra homem com o meu filho... Oh Bills! Olha o buraco negro que tu te metestes agora!

Daniel Ulkel: Pode deixar!

Daniel e Conrad se dirigem até o porão da casa. Do lado de fora da residência, vemos o Senhor Alex bem cabisbaixo. Entâo Chad chega até o rapaz e pergunta:

Chad: Oi Alex, tá tudo bem aí irmão ?

Senhor Alex: Olha a minha cara e ver se eu tô bem, seu bananão!

Chad: Foi mal cara! Só vim aqui porque você saiu desesperado por aí. Mas ainda bem que tu só estás aqui sentadinho!

Senhor Alex: Tá sendo tudo muito novo pra mim... mas ... mas... algo me chamou muita atenção sabe...!

Chad: O que meu amigo ?

Senhor Alex: A minha alergia à prata. Não só eu... como todos os meus irmãos e o meu filho Demitri. Todos nós ao chegarmos perto de prata, iniciamos uma alergia violenta, algo semelhante a queimadura de pele.

Chad: Caramba Alexsandro... Que pânico!

Senhor Alex: Não é só isso! Eu também tinha um segredo... só a Diana sabia disto. Tipo... os meus pêlos cresciam muito rápido e as unhas cresciam diariamente durante alguns períodos da minha vida. Ja teve epoca que cheguei a fazer depilações a laser a cada 3 dias e o  problema nunca se resolvia. Minhas unhas eram cortadas em um dia e no outro já estavam crescidas. E... eu já tive uma cauda igual a do papai também, só que eu cortava sempre que crescia.

Chad: Eu sinto muito, man!

Senhor Alex: Eu tenho uma força imensa, apesar de detestar violência. Essa parte eu deixo pro meu filho que luta karatê. Mas... mas... será que um dia eu hei de virar kitsune ?

Theo Ulkel: Somente nas luas cheias... perdão kkk vi vocês conversando e não resisti em sanar a vossa curiosidade. E tem mais, você apenas se transforma com a sua cauda completa. No dia de lua cheia é sempre bom você evitar sair de casa à noite. Deves se trancar no seu quarto e por lá não sair até o dia amanhecer.

Senhor Alex: Obrigado pela ajuda! Senhor Theo!

Theo Ulkel: Apenas Theo, precisando é só me chamar viu... agora vou ali ver o que o Diogo e o Carlinhos estão aprontando. Nos vemos mais tarde. Até mais!

Chad: Parece que o irmão do Daniel sabe muito sobre criaturas sobrenaturais, né ?

Senhor Alex: Talvez ele seja um caçador delas... é possível que ele também guarde muitos segredos a despeito deste tema.

Chad: Então... o Theozinho realmemente caça e faz artesanatos lindos em sua casa.

Senhor Alex : Poxa! Que irado mano!

Neste momento, Carlinhos aparece e avisa algo aos dois:

Carlinhos: Senhor Alex e Chad, o Senhor Conrad quer os dois lá no porão. Ele quer vos mostrar algo importante e pediu que lhes avisasse. Disse pra irem rápido!

Chad: Beleza Carlinhos! Então vamos ?

Senhor Alex: Éh... vamos ver o que o Pai Viajante de Mundos tem a nos dizer na frente do meu irmãozinho Bills! Vamos lá!

Terminada a conversa esclarecedora entre Chad e Alexsandro,  ambos escutam a solicitação de Conrad e se deslocam até o porão daquela fazenda.

Enquanto isso, as corujas cósmicas se deslocam em direção as dimensões distantes do Reino de Terra Média de Simon: Uma delas  vai em direção ao Planeta do Desconhecido, e por lá, ela voa até o Reino de Ventura. Primeiramente ela entrega uma correspondência nas mãos da Rainha de Ventura, a Rainha Shiva que se encontrava sentada no seu trono.

Rainha Shiva: Parece que depois de uma calorosa audiência entre 2 senhores feudais, resolve-se chegar em minhas mãos uma correspondência de uma coruja cósmica... Vejamos! OH NÃO... É DO MEU IRMÃO SIMON DO REINO DA TERRA MÉDIA. A SUA MÃE ACABARA DE MORRER E ELE QUER A MINHA PRESENÇA LÁ... IRMÃO!

Princesa Hana: Pelo visto você não foi a única a receber a carta de sepultamento de meu irmãozinho Simon... eu e a Carolina acabamos de receber da mesma coruja cósmica que te entregou lá na marquise superior do Castelo. Estamos chocadas. Carolina me avisou que já está se aprontando. Meu Deus tanta coisa ao mesmo tempo... nem sei o que dizer!

Rainha Shiva: Hana... nossa familia está passando por um mar de dificuldades, mas isto já havia sido me alertado por parte do Cristal Mágico. Temos de ser fortes!

Princesa Hana: Verdade!

Princesa Carolina: Pessoal, eu já estou arrumada... creio que podemos partir... mas e os meus demais irmãos ?

Rainha Shiva: Eles têm feijões mágicos e não temos obrigação nenhuma de levá-los conosco. Uma hora ou outra eles pintam por lá. Vamos logo, nosso irmãozinho irá precisar de nosso apoio!

Princesas Hana e Carolina: Sim irmã!

Rainha Shiva: Vocês 4 criados-reais! Fiquem de olho na mamãe e qualquer coisa gritem o meu nome. Vou tentar não me demorar muito lá em Terra Media !

Criados: Sim Mestra!

A Rainha e as suas irmãs preparam os ultimos detalhes para irem ao sepultamento da Rainha Kyone. Em Ventura do Sul, a mesma coruja cósmica entrega as cartas para o Príncipe Samuel, Príncipe Lucas, Príncipe Dyogo, Príncipe Cadú, e para o ausente Apocalipse. Os príncipes ficam confusos, sem entender muita coisa:

Príncipe Samuel: Caramba! Depois de ter resgatado aquelas mandrágoras na Floresta Negra e depois de ter quebrado a Maldição da Fera em Lucas e Beatriz, uma coruja cosmica resolve me aparecer...

Calil: Mas o que poderá ser essa carta Príncipe ?

Príncipe Samuel: Oh Céus! É do Simon... o meu irmão da Terra Media, lá do Planeta Quebra Cabeça. Ao que parece, a Rainha Kyone acabara de falecer. E ele quer a nossa presença na cerimônia.

Príncipe Lucas: Oh droga! Ainda estou com dor de cabeça do grito daquelas mandrágoras... mas serio o que li nesta carta endersçada a mim. A Rainha Kyone morreu mesmo... caramba e de velhice... possivelmente ja devia ter uns 500 anos!

Calil: Eu não conheço esse tal de Simon... novidade para mim!

Príncipe Samuel: Acho que o Simon nos quer por perto, independente da nossa rivalidade com ele... Mas ele trouxe uma cartinha pro nosso irmão Apocalipse, quem se encontra na Ilha Rosa fazendo o seu ritual de ascetismo. E quando o meu irmão entra nesse ritual, ele entra em hibernação por um longo periodo de tempo.

Holy: Espera aí! Que novidade é essa de enterro ? Alguem da Família Ventura morreu ? Lucas! Você acabou de se recuperar de uma maldição terrível daquela Fera asquerosa... por favor, não se estresse ainda mais!

Príncipe Lucas: Deixa de Drama Holy... trata-se do meu irmão Simon, lá do Planeta Quebra Cabeça... ele acaba de perder a sua mãe. Eu e o Samuel estamos vendo o que fazer agora.

Calil: Isso é verdade, Senhorita Holy!

Holy: Caramba!  Mais um primo novo me aparece agora.... e já vai ser Rei, provavelmente necessita de uma Rainha a sua altura!

Príncipe Cadú entra na conversa:

Príncipe Cadú: Deixa de ser enxerida priminha, o meu irmão Simon está sofrendo agora. Nem pensar em procurar casamentos pra ele ou candidatas a novas Rainhas da Terra Média. Mesmo por que... ele não vai muito com a nossa cara!

Príncipe Samuel: Lembro bem da vez em que ele atirou uma pedra de gelo pesada na cabeça do nosso irmão Apocalipse. Cara, até hoje ele tem a marca na parte de tras da cabeça dele. Enfim, ele era uma peste quando criança! Teve uma vez ele encharcou todo o meu visgo do diabo, que eu cultivava nos porões do Castelo de Ventura, com poção de  cuspir fogo. Todo o visgo morreu cremado.

Holy: Nossa! Que priminho travesso ein... Auuunnn! Eu quero conhecer ele! 

Príncipe Lucas: Você vai pra casa da Tia Adelaide, tu não fostes convidada, Holy. Só os Príncipes foram!

Holy: Mas meu bebezão ? Eu... eu !

Príncipe Lucas: Você FICA! Eu já disse!

Holy: Grosso! Vou me retirar! (Bate em retirada)

Príncipe Samuel: Calil! Cuida das coisas aqui no Solar do Outono... vou com o Lucas e o Cadú para o Planeta Quebra-Cabeça. Faça um bom mingau para a Beatriz tomar em seu dormitório, porque ela tem estado bastante fraca. Tome as rédeas deste Palacio!

Calil: Sim, Mestre Samuel!

Príncipe Lucas: Gente! Pera aê... tá faltando o nosso irmão Dyogo... Calil, você o viu por aí ?

Calil: Ele estava se levantando na hora em que vim servir o Senhor Samuel!

Príncipe Dyogo aparece sorrateiramente:

Príncipe Dyogo: AAAAAAHHH!!! Que soninho!!! Meus Irmãos!!! Chegou uma correspondência no meu quarto, daquele nosso irmão que mora em um Reino de uma outra dimensão! É DO SIMON!!! Parece que meu maninho acabara de perder a sua mãe... Que Triste!!! 

Príncipe Lucas: Dyogo sempre sendo o dorminhoco da família. Tu não muda mesmo né irmãozinho... 

Príncipe Samuel: Tu ainda eras um bebê, quando o Simon veio aqui a última vez, porém apesar desta situação triste, é uma ótima oportunidade para vocês dois se conhecerem.

Príncipe Dyogo: Não conheço o meu irmão Simon, mas sinto muito pesar por ele ter perdido a sua mãe, por suas palavras nesta carta... ele devia amá-la por demais!

Príncipe Samuel: O Simon era doido por esta mãe... era uma vida dedicada a ela e por ela. Ele nunca foi santo, nem nunca fui próximo dele, entretanto numa hora dessas devemos demonstrar pesar e reunir toda a família próxima dele.

Príncipe Lucas: Isso é verdade... temos de dar uma força pro nosso maninho. Agora eu estou preocupado, pois o Fabinho nem deve ta sabendo.

Calil: Certamente uma coruja cósmica deve ter ido ao seu encontro.

Príncipe Samuel: Melhor vocês irem se arrumar, eu vou pegar alguns feijões mágicos em meu quarto. Daqui a 40 minutos, todos aqui no salão principal do Solar. Daqui, abriremos um portal direto para o Castelo do Simon, por intermédio dos feijões mágicos.

Todos: Certo!

Com isso todos os irmãos de Ventura do Sul já estavam se preparando para ir ao funeral. Depois desse evento, a coruja cosmica se dirige até as margens do rio Ventura e localiza o Príncipe Fábio tomando um banho de cachoeira.

Príncipe Fábio: Oh céus! É uma carta de funeral do meu irmão Simon... ao que parece a Rainha Kyone acaba de falecer e ele quer que eu compareça no seu sepultamento. Preciso voltar ao Castelo rápido, provavelmente minhas irmãs já sabem do fato. E egoístas do jeito que são, já devem ter ido na frente. Sorte minha que ainda tenho os feijões mágicos que a tia Feitiços havia arrumado para mim. OK Fábio... respira e vamos logo!

Fábio termina seu banho e se dirige até o Castelo para se aprontar, e arrumar seus feijões mágicos e partir para Terra Média.

A Coruja Cósmica voa até o Reino De Ventana e entrega em mãos a carta de funeral para o Rei Abud. Ele e o seu guia Toc Toc encontavam-se no terraço superior do Castelo treinando algumas dobraduras de Ar.

Rei Abud: Pelos sopros dos Deuses... é uma outra carta do Simon... Caramba! Ele acaba de perder a mãe. Que trágico! Eu não o suporto, mas não o julgo por estar em luto. Qualquer filho agiria nesta situação com a sua mãe batendo as botas!

Toc Toc: Caramba Rei! Que loucuraaa! Mestre Abud, e agora o que faremos!

Rei Abud: E eu sei lá seu gnomo de parede! Nem tava a fim de ir... mas... é o meu irmão quem perdeu alguém que ele ama muito. Acho que devo prestar minhas solidariedades a ele.

Hans: Licença! Vossa Realeza... eu trouxe documentos reais para o senhor assinar!

Rei Abud: OK HANS! VAMOS VER... CERTO... ASSINANDO... BELEZA! TODOS ASSINADOS. Escute meu primo! Quero que cuide de Ventana por estes dias... eu terei de me ausentar. Lembra do Simon... então... ele perdeu a mãe dele, a Rainha Kyone. Vou lá prestar meus pesares, mesmo sabendo que aquela peste fez uma azaração das lesmas comigo, e eu passei um dia vomitando lesmas chifrudas quando eu era criança. Qualquer engraçadinho que te desafiar, mande a guarda real executar com pena de morte... hoje tô sem tempo para gentilezas idiotas!

Hans: Tudo certo primão... tá valendo!

Rei Abud: Escuta aqui sua maritaca mágica falante... usa logo essa porra de varinha mágica e abra um portal para o Planeta Quebra-Cabeça... E por favor, sem pó-de-fadas ou eu te deixo a pão e água trancado na gaiola mágica!

Toc Toc: Sim Senhor... só espere um instante enquanto carrego minha varinha com energia.

Rei Abud: Vai logo com isso, seu anão voador...não quero me atrasar para a cerimônia!

Enquanto todos do Desconhecido se aprontavam para ir até o Planeta de Simon, a segunda coruja cósmica já havia deixado a correspondência para o Príncipe Diamante, no Palácio da Caveira dentro do Planeta Relógio. Neste momento ele avisa os seus súditos:

Príncipe Diamante: Desastroso! Acabo de receber a informação de que o meu irmão Simon acabara de perder a sua mãe para a morte. Parece que ele quer a minha presença no funeral.

Alcione: Ele deve estar arrasado.

Scott: Mestre! E agora ? Devemos ir ?!

Cláudio: Acho interessante o Mestre ir... mas não se misture com ele, afinal ele nunca se importou com Vossa Senhoria mesmo morando aqui perto.

Lupi: Devemos acatar tudo que o Príncipe decidir, servos!

Leonardo: Senhor Diamante! Posso escoltar Vossa Alteza neste cortejo funebre se assim desejares!

Príncipe Diamante: Teremos de ir até este enterro. Preciso resolver algumas pendências com o meu irmão, e apesar de tudo, prestar-lhe um pouco de solidariedade, afinal a perda de uma mãe deve doer muito. Além disso, tenho um lugar naquele planeta o qual necessito visitar. Faz muito tempo que não vou até lá. Arrumem-se rapazes, o Lupi vai usar um de seus feijões mágicos para nos guiar até lá! Lupi & Leonardo irão me escoltar no funeral, e os demais ficam por aki vigiando o meu Palácio da Caveira!

Servos: SIM SENHOR!

Lupi: Vossa Alteza! Mas este planeta fica no mesmo universo que o nosso né ?

Leonardo: Obvio que sim, Lupi! É um planeta vizinho ao nosso. A maldição do selamento transdimensional só vale para lugares fora do nosso universo. Sendo assim, estamos aptos para ir ao Planeta do Rei Simon!

Lupi: Entendido, Leonardo!!!

Príncipe Diamante: Simon... Simon... Simon... o que tu deves ter em mente por trás de todo este luto... Eu te conheço bem irmão... e a mim... TU NÃO ME ENGANAS! (Pensamento íntimo)

O Príncipe Diamante também se prepara para ir ao funeral da mãe do Príncipe Simon. A terceira coruja voou até o Planeta Deserto e por lá deixou entregue nas mãos do Rei Gustavo, a carta do funeral da Rainha Kyone!

Rei Gustavo: Trevor! Meu irmão! Chegue até aqui! O nosso amigo Simon do Reino da Terra Media/Planeta Quebra-Cabeça acaba de nos mandar uma carta, avisando do falecimento da Rainha Kyone... Vamos nos preparar rápido e ir para o seu encontro lá no Reino dele.

Trévor: Ele vai precisar da nossa força... conte comigo irmão! Tenho Feijões Mágicos aqui bem guardados. Vou só comer algo na cozinha e em meia hora estaremos prontos!

Rei Gustavo: Então eu te espero! Não demore! Oh Simon... não vou te deixar sozinho. Conte comigo, amigo de longas datas! (Pesaroso)

O Rei Gustavo e o seu irmão Trévor também se preparavam para ir ao encontro de Simon naquele funeral triste. E ao mesmo tempo Simon se encontrara desolado.e questionador quanto ao seu futuro como uma Majestade Poderosa dentro de seu Planeta e dentro de si próprio. A morte da sua mãe deixaria um rombo em seu coração que possivelmente nunca seria preenchido. Um Novo Começo já estava em desenvolvimento na vida do Príncipe e futuro Rei de toda a Terra Média





Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.