Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entre Laços Quebrados - Capítulo 02



 




Entre Laços Quebrados – 02
Criada e escrita por: Vicente de Abreu
Direção Artística: Ezel Lemos

Essa obra pode conter representações negativas e estereótipos da época em que é ambientada.


CENA 01: PRAIA DA ARMAÇÃO | BÚZIOS | EXT. | NOITE DE RÉVEILLON.


Otto e Luciana continuam na praia, após um beijo inesperado dado por ele. Os dois se sentam com os pés na água.

OTTO – (sério) Eu sei que isso pode parecer repentino, mas desde o momento em que te vi, algo mudou dentro de mim. Você é como uma música que eu não consigo tirar da cabeça, um enigma que eu quero desvendar. Eu não posso mais esconder o que sinto.


Luciana olha para baixo, seus pés brincam com a areia. Ela parece nervosa, desconfortável com as palavras de Otto.


LUCIANA – (incerta) Otto, eu não estava esperando por isso. Não sei se estou pronta para..para..

OTTO: (compreensivo) Tudo bem. Eu não quero te pressionar. Só quero que saiba que estou aqui, esperando por você.

Os dois ficam em silêncio por um momento, o som das ondas servindo como fundo para suas emoções conflitantes. Otto coloca gentilmente a mão no rosto de Luciana, um gesto de carinho e apoio.

OTTO: (suavemente) Vamos apenas aproveitar o momento, está bem?

Luciana assente lentamente, um sorriso tímido surgindo em seus lábios. Os dois permanecem ali, juntos na praia, deixando o tempo passar enquanto o sol desaparece lentamente no horizonte.




URCA. ZONA SUL DO RIO DE JANEIRO.


CENA 02: SALA DE ESTAR - MANSÃO ROSSI - NOITE


Heloísa Rossi, uma mulher elegante, está rodeada por sua família e amigos na luxuosa sala de estar da mansão onde vive com seu marido, Guilherme (Emílio Dantas). Uma atmosfera festiva envolve a sala, decorada com luzes brilhantes e decorações de Ano Novo. Todos estão segurando taças de champanhe, rindo e conversando animadamente.


HELOÍSA (Alinne Moraes) -  (levantando sua taça) Pessoal, posso ter a atenção de vocês por um momento?


Todos se voltam para Heloísa, curiosos.


HELOÍSA -  (sorrindo radiante) Eu sei que esta noite é sobre celebrar o novo ano que está por vir, mas... há outra grande novidade que eu gostaria de compartilhar com todos vocês.


O silêncio cai sobre a sala enquanto todos se preparam para ouvir o que Heloísa tem a dizer.


HELOÍSA -  (segurando a mão de Guilherme com ternura) Guilherme e eu temos uma notícia maravilhosa para compartilhar. (ela olha para ele com amor) Estamos esperando um bebê.


Há um momento de choque seguido de gritos de alegria e aplausos. Os convidados se aproximam para abraçar Heloísa e Guilherme, expressando sua felicidade.


AMIGO - (emocionado) Isso é incrível! Parabéns, vocês dois!


FAMÍLIA -  (em uníssono) Parabéns!


Heloísa e Guilherme sorriem amplamente, compartilhando o momento especial juntos enquanto são cercados pelo amor e apoio de seus entes queridos. A câmera se afasta lentamente, capturando a cena de felicidade e celebração enquanto o Ano Novo começa com uma nova adição à família Rossi.


CENA 03: PENSÃO DE INÁ – BÚZIOS | INTERIOR. 


 Após a noite e virada de ano, Luciana chega novamente a pensão, junto de Otto. Os dois se despedem com um abraço, e Luciana vai para o seu quarto. Onde sua mãe, a espera.


INÁ: (com uma mistura de preocupação e reprovação) Luciana, onde você estava? Já é tarde da noite!

LUCIANA: (tentando parecer calma) Desculpe, mãe. Perdi a noção do tempo.

Luciana tenta passar por Iná e seguir em direção ao quarto, mas Iná bloqueia seu caminho.

INÁ: Não me venha com desculpas, Luciana. Eu sei exatamente onde você estava. 

Luciana hesita por um momento, surpresa pelo conhecimento de Iná sobre o encontro.

LUCIANA: Como você...?

INÁ: (interrompendo) Isso não importa agora. O que importa é que você não deveria estar se encontrando com estranhos, principalmente homens.

LUCIANA: (defensiva) Se está dizendo sobre Otto, ele não é um estranho, mãe. Ele é um amigo.

INÁ: (sarcástica) Um amigo? Desde quando você tem amigos que não me contou? Mal conhecemos ele, Luciana. E por que um homem como ele, está interessado em uma garota como você?

LUCIANA: (irritada) Você não entende! Otto não é como os outros. Ele é gentil, inteligente... ele me entende.

INÁ: (com firmeza) Eu não quero saber quem ele é. Você precisa entender que não pode confiar em qualquer um que aparece em sua vida. Você sabe como as coisas são perigosas lá fora.

LUCIANA parece desanimada diante da recusa de sua mãe em compreender.

LUCIANA: (com voz baixa) Eu sei que você se preocupa, mãe. Mas você precisa confiar em mim. Otto não é uma ameaça.

INÁ: (com uma expressão séria) Eu espero que você saiba o que está fazendo, Luciana. Porque se algo acontecer a você por causa desse homem, eu nunca vou me perdoar.

Iná sai da frente, permitindo que Luciana passe, mas a tensão entre as duas permanece palpável enquanto Luciana sobe as escadas em direção ao seu quarto.

LUCIANA: (com um suspiro) Eu sei, mãe. Eu sei. 

Iná dá um beijo na filha e se retira


CENA 04: INT. CASA DE MORGANA - QUARTO - NOITE

Rubi entra em seu quarto, exausta após uma noite de trabalho intenso. Ela guarda o dinheiro em seu armário com cuidado, aliviada por finalmente poder descansar.

ALGUMAS HORAS DEPOIS

Rubi é despertada por um súbito pressentimento. Ela se levanta, ainda sonolenta, e vai em direção ao armário onde guardou seu dinheiro. Seu coração salta para a garganta quando percebe que a bolsa não está mais lá. Seus olhos se arregalam em choque e pânico.



RUBI: (sussurrando para si mesma) Não pode ser... onde está o meu dinheiro?

Antes que ela possa se recuperar do choque, a porta do quarto se abre com um rangido suave, revelando Leona, que entra com expressão preocupada.

LEONA: (sussurrando) Rubi, o que está acontecendo? Por que está acordada a essa hora?

Rubi olha para Leona, desespero evidente em seu rosto.

RUBI: (urgente) Alguém roubou o meu dinheiro! Eu juro, eu o guardei aqui quando cheguei, e agora... desapareceu!

Leona franze a testa, compartilhando da preocupação de Rubi, enquanto as duas começam a procurar freneticamente por qualquer pista.

Morgana surge,  a expressão indiferente quando vê Rubi e Leona discutindo em sussurros.

MORGANA: (calmamente) O que está acontecendo aqui?

Rubi se vira para encarar Morgana, seus olhos transbordando de acusação.

RUBI: (firme) Foi você, Morgana. Você roubou o meu dinheiro!

Morgana olha para as duas com desdém, como se estivesse se divertindo com a situação.

MORGANA: (com desprezo) Como você se atreve a me acusar, Rubi? Eu não tenho tempo para lidar com suas paranoias infantis.

Leona se coloca entre Rubi e Morgana, defendendo sua amiga com determinação.

LEONA: (firme) Não fale assim com ela! Rubi não está inventando isso. Você sabe muito bem do que é capaz.

Morgana lança um olhar gélido para Leona, sua paciência chegando ao limite.

MORGANA: (cortante) Se vocês duas estão tão certas disso, então não têm mais lugar nesta casa. Saíam antes que eu mude de ideia.

Rubi e Leona trocam olhares de resignação, mas também de solidariedade. Elas sabem que precisam partir juntas.

RUBI: (decidida) Vamos embora, Leona. Não precisamos mais desse lugar.


CENA 05 : MANSÃO ROSSI | INT. - NOITE

Enquanto todos estão celebrando o ano novo e a notícia de que Heloísa e Guilherme estão grávidos, Hilda – a matriarca -  está sentada sozinha em um dos salões, contemplativa e um tanto entristecida. Hilda, é uma muler com uma aura de autoridade, está vestida de preto, refletindo seu estado de espírito sombrio. Ela segura uma taça de champanhe meio cheia, mas seus olhos revelam uma tristeza profunda. Dante, seu filho mais novo, entra na sala contínua onde ela está . Ele se aproxima de Hilda com cautela, sabendo da dor que ela está enfrentando.

DANTE (Caio Manhente): Mãe... Está tudo bem?

Hilda olha para cima, seus olhos encontrando os de Dante. Ela força um sorriso triste e assente, mas a dor em seus olhos não pode ser disfarçada.

HILDA (Selma Egrei): Sim, querido. Está tudo bem.

Dante não se convence, ele se senta ao lado dela, deixando um espaço respeitoso entre eles.

DANTE: Você sabe que não precisa fingir comigo, não é? Eu sei que esta noite é difícil para você.

Hilda suspira, sentindo a barreira que ela mesma construiu começar a desmoronar na presença de seu filho.

HILDA: É difícil não pensar em Otto, em como ele está passando a virada do ano atrás das grades...

Dante coloca uma mão reconfortante no ombro de Hilda, transmitindo apoio silencioso.

DANTE: Eu sei, mãe. Eu sinto muito por ele. Mas ele não está sozinho, nós estamos aqui para ele. E você também não está sozinha, eu estou aqui.

Hilda olha para Dante, surpresa com a sinceridade e compaixão em suas palavras. Por um momento, a fachada fria que ela mantém tão bem começa a se desfazer.

HILDA: Eu sei que eu não demonstro isso muitas vezes, Dante, mas eu aprecio você. E eu sei que posso contar com você.

Dante sorri gentilmente, seu coração aquecido pelo momento de conexão genuína com sua mãe.

DANTE: Sempre, mãe. Sempre estarei aqui para você.

Os fogos de artifício continuam a explodir lá fora, mas dentro da mansão, Hilda balança sua taça e a câmera aos poucos se afasta, embaçando sob as luzes coloridas dos fogos.

[ INCIO DE UM FLASHBACK ]



CENA 06: INT. PRISÃO - NOITE (FLASHBACK)

A cena começa em uma cela escura e sombria. Otto, está sentado em um canto, encarando a parede com um olhar fixo e pensativo. Ele parece tenso, mas determinado.

SEGURANÇA: (em tom firme) Otto, é hora.

Otto se levanta lentamente, seus olhos ainda carregando o peso de um segredo profundo. Ele segue o Segurança pelo corredor escuro, cada passo ecoando como um presságio.

[Interior - Sala de Visitas - Noite]

A sala é iluminada apenas por uma luz fraca, criando sombras dançantes nas paredes frias. No centro da sala, uma mesa de metal, duas cadeiras e Hilda sentada. Otto entra na sala, seus olhos se fixam em Hilda, seu coração acelerando com a tensão do momento.

OTTO: (com voz trêmula) Mãe...

HILDA: (com uma expressão serena) Otto, meu querido.

O Segurança fecha a porta atrás deles, deixando-os sozinhos na sala.

HILDA: (com um olhar determinado) Otto, eu paguei sua fiança.

Otto parece atordoado com a revelação, suas emoções lutando para se manifestar em seu rosto tenso.

OTTO: (incrédulo) Você... como?

HILDA: (com um sorriso enigmático) Não importa. O que importa é que você está livre agora.

Otto sente um misto de alívio e preocupação se misturarem em seu peito.

OTTO: Mas... e papai? Ele...

HILDA: (cortando-o) Seu pai não sabe. Ele não pode saber. Este é o único jeito, Otto. Você precisa recomeçar longe daqui.

Otto olha para sua mãe, a mulher que sempre foi seu porto seguro, agora envolvida em segredos e tramas.

OTTO: (resignado) Búzios...

HILDA: (com um aceno de cabeça) Lá você vai recomeçar. Longe de tudo isso, longe de seu pai.

Eles compartilham um olhar determinado e começam a sair juntos.

CORTA PARA:

EXT. HELIPONTO PARTICULAR - NOITE

Otto e Hilda emergem de uma passagem escondida e encontram-se em um heliponto particular. Um helicóptero está esperando, as hélices girando suavemente sob a luz da lua.

HILDA: (apontando para o helicóptero) É nossa saída. Vá, Otto. Rápido.

Otto abraça sua mãe brevemente, agradecido, antes de correr em direção ao helicóptero. Ele sobe a bordo enquanto Hilda observa, com um misto de preocupação e esperança.

HILDA: (olhando para o horizonte) Vá para Búzios, meu filho. Lá você estará seguro.

O helicóptero levanta voo, desaparecendo na noite enquanto Hilda fica sozinha no heliporto, sabendo que fez o que era necessário para proteger seu filho.

[ O Flashback se encerra ]



CENA 07: QUARTO DE OTTO | PENSÃO | INT. 

A cena mostra Otto na janela com os olhos fechados, relembrando sua história. Ele abre os olhos e encara o céu estrelado daquela noite. Com uma expressão séria e determinada em seu rosto, ele dá um pequeno sorriso. Ele apaga a luz do abajur e a tela escurece lentamente, deixando no ar um suspense palpável

FIM DO CAPÍTULO.





Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.