Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entrelaçados - Capítulo 25 ( Capítulo Especial)



CAPÍTULO  25


Criada e Escrita por ANDIE ARAÚJO 


Diretor de Núcleo DENNIS CARVALHO 


CENA 01.FÓRUM. INT. DIA.

Olavo e Paula chegam junto do advogado. Olavo se aproxima de Mauro.

OLAVO: Que vença o melhor, desculpa, que seja feito o melhor para o bem-estar de meu querido sobrinho, Lucca.

Mauro e Olavo se fuzilam com olhares de ódio. O Advogado de Mauro aparece na anti-sala.

ADVOGADO: O Juiz já conversou com o Lucca. Vamos?

Todos adentram a sala.

Juíza Flora (PATRÍCIA PILAR) ali. De um lado, Mauro, Judite e o advogado. Do outro, Olavo, Paula e o advogado. O menino Lucca sentado na cabeceira da mesa.

JUÍZA FLORA: Assim sendo, esse juízo determina a transferência provisória da tutela do menor Lucca Ferraz Santana, de seu pai natural, Mauro Santana, para seu tio, irmão de sua falecida mãe, Olívia Ferraz Santana, Olavo Ferraz. Lavra-se e cumpra-se.

Olavo sorri vitorioso.

OLAVO (em off): A herança é minha, bebum.

Mauro com uma expressão triste, como se tivesse perdido o chão.

MAURO chorando: Não tirem meu filho de mim! NÃO!

Mauro agarra o filho aos prantos. Os dois choram. Olavo se mantém frio. Judite e Paula emocionadas.

MAURO: Eu prometo que terei você de volta, filho.

LUCCA: Eu acredito, pai!

Lucca abraça Mauro calorosamente. Paula se aproxima, compadecida.

PAULA compadecida: Acredite Mauro, não estou feliz por separar um pai de um filho, mas quero que entenda que será para o bem dele.

Mauro não diz nada e se vira para Judite, que o abraça.

MAURO: Eu perdi meu filho, Judite. Perdi.

JUDITE: Não. Não. Calma, meu amigo. Vamos dar a volta por cima, tá?

Mauro não reage, só chora.

Corta para Olavo, Paula, Lucca e o advogado.

OLAVO sugere: Um almoço para comemorarmos?

Olavo frio, mas exultante.

Corta para:

CENA 02. SALA DE ESTAR/ CASA DE ROSA. INT. DIA.

Rosa pega o celular de Marinho, já desligando.

ROSA: Enlouqueceu? Vai pôr tudo a perder?

MARINHO: Era minha mãe…

ROSA: Não arrisca a vida da tua família, meu querido. Vamos, o Pedro vai esperar a gente naquele restaurante.

Rosa devolve o celular para Marinho e o abraça.

Corta para:

CENA 03. SALA DE ESTAR/ CASA DE DO CARMO. INT. DIA.

Marcos colocando o telefone no gancho. Do Carmo gélida, assustada.

MARCOS: Desligaram. Que foi, mãe? Parece que viu um fantasma!

DO CARMO gagueja: Marcelo! Era o teu irmão.

MARCOS: Pirou, velha? O Marcelo morreu!

DO CARMO: Era ele, Marcos!

MARCOS ri: Tá precisando de trabalhar menos, isso sim!

Do Carmo fica encafifada, pensativa. Marcos não dá bola.

Corta para:

CENA 04. SALA DE AULA/ CURSINHO. INT. DIA.

Manu e Pedro conversam animadamente enquanto fazem alguns exercícios. No fundo da sala, Narciso, Ju e Vitinho também conversando e jogando bola de papel um no outro.

PEDRO: Hoje meus pais decidiram almoçar em um restaurante finíssimo, quer ir conosco?

MANU: Poxa, bem que eu queria, viu, mas não vai dar. Vou ajudar a Suzaninha, ela ficou fora esses dias e vou ajudar ela agora a tarde. Combinei de almoçar na casa dela hoje.

PEDRO: Que pena. Queria que você conhecesse meus pais!

MANU: Não vai faltar oportunidades. Eu nunca vi uma foto deles com você!

PEDRO: Vou te mostrar!

Pedro saca o celular e vai procurar fotos na galeria. Música de tensão.

Corta para:





CENA 06. SALA DE AULA/ CURSINHO. INT. DIA.

Clima tenso. Pedro vai mostrar uma foto e uma bolinha de papel disparada por Narciso acerta Manu.

NARCISO: Ops!

Manu volta sua atenção para Narciso assim como Pedro.

PEDRO: Qual foi, cara?

NARCISO provoca: Tá bravinho, tá?

Narciso joga outra bolinha de papel que acerta Pedro. Pedro irritado, levanta de sua carteira e acerta Narciso com um soco. O ânimo de toda sala se exalta. “Briga!”, pedem os alunos.

PEDRO: Seu merdinha!

Pedro sai da sala e Manu vai atrás.

VITINHO: Se fosse eu, eu ia devolver esse soco!

Narciso se levanta e vai atrás da dupla. Ju se aproxima de Vitinho.

VITINHO: Tu não presta, bicha!

Vitinho sorri e junto de Ju e outros vão atrás de Narciso.

Corta para:


CENA 07. RESTAURANTE PARISON. INT. DIA.

Leonardo e Lia adentram o estabelecimento. O maítre os acompanha até a mesa reservada.

LEONARDO: Obrigado.

LIA: Ai papai, esse restaurante é bem bonito. Pai, posso te perguntar algo?

LEONARDO: Fala, filha!

LIA: Você vai mesmo casar com aquela moça, a tal da Nanda?

LEONARDO: Casar? Casar ainda não, meu amor. Estamos conversando sobre isso. 

Na mesa de trás, Seixas e Dora almoçando. Dora está sentada bem na cadeira atrás de Leonardo. Eles ainda não se veem.

Na entrada, Rosa e Marinho adentram.

ROSA: É chique demais, Marinho!

MARINHO: Você merece. Depois daquele jantar…

ROSA: Não, não vamos falar dessa noite terrível que tivemos.

Os dois riem e caminham para uma das mesas.

Corta para:


CENA 08. FACHADA DO CURSINHO. EXT. DIA.

Pedro e Manu estão ali. Pedro está  furioso. Manu tenta acalmar o amigo.

PEDRO: Aquele infeliz merecia mais!

MANU: Pedro, você sempre me salvando, né?

PEDRO: Verdade! (Risos)

Narciso se aproxima da dupla. Narciso acerta um soco em Pedro.

NARCISO: Quem é o “merdinha” agora?

PEDRO: Eu vou te encher de porrada!

Pedro vai para cima de Narciso. Os dois caem para a briga. Uma turma se junta para assistir. Ju grava com o celular. Manu desesperada tentando apartar a briga.

MANU: Parem! Parem, gente!

A briga fica intensa.

Corta para:


CENA 09. FLORICULTURA. INT. DIA.

Jasmin debruçada sobre o balcão. Ela tristonha, deixa lágrimas rolarem. Baixinho se aproxima.

BAIXINHO: Fica assim não, Jasmin.

Jasmin limpa o rosto, tenta mudar a expressão.

JASMIN: É nada não, Baixinho! (t) Fica aqui, por favor, não tô me sentindo animada para ficar aqui.

Jasmin pega a bolsa e sai.

Corta para:


CENA 10. BANHEIRO RESTAURANTE PARISON. INT. DIA.

Música de Suspense.Olavo adentra o toalete. Marinho usa uma das pias do local. Ele lava o rosto e não percebe Olavo ali.

Olavo termina de usar o mictório e vai lavar as mãos na pia ao lado da que está sendo usada por Marinho. Marinho ergue a cabeça e os dois se encaram através do reflexo do espelho.

MARINHO surpreso: Você!?

OLAVO gélido: Você…

Os dois surpresos se reconhecem.

Corta para:




CENA 11. BANHEIRO/ RESTAURANTE PARISON. INT. DIA.

Continuação da cena anterior. Olavo e Marinho frente a frente.

OLAVO duvida: Não é possível! Não pode ser você… Aqueles animais me garantiram que… você estaria morto!?

Flashes de memória. Insert. Cena 09, Capítulo 01.

GALPÃO , SÃO PAULO. EXT. NOITE.

Efeito Preto e Branco ON. Tudo em off. Clipe da cidade de São Paulo e seus arranhaceus. Trilha de Suspense.

Olavo com uma arma, revólver calibre 38, apontando para o Velho Lira Muniz, um senhor idoso. Ao longe, Marcelo (Marinho) observando tudo. Uma discussão acalorada e um tiro é disparado. Lira Muniz cai ao chão, já morto.

Olavo percebe um barulho. Ele vê Marcelo (Marinho) ali. Os dois ficam um tempo se encarando. Close alternados entre os dois. Olavo aponta a arma para o rapaz. Marcelo (Marinho) em pânico. Suspense. Efeito Preto e Branco OFF.

Olavo sai do transe.

OLAVO: É você, sim!

Olavo gélido, surpreso com tudo aquilo. Marinho sai apressado do banheiro. Olavo olha para o espelho com ódio.

Corta para:


CENA 12. RESTAURANTE. INT. DIA.

Rosa sentada à mesa. Ela está olhando o cardápio quando percebe Marinho saindo do estabelecimento.

ROSA estranha: Que houve? (Ela se levanta e vai atrás) Marinho!

Fora do restaurante, Marinho entra no carro e dá a partida. Rosa fica ali sem entender.

Corta para:


CENA 13. HALL DO BANHEIRO/ RESTAURANTE PARISON. INT. DIA.

Dora se levanta de sua mesa e vai em direção ao banheiro. Ela está distraída ao celular até esbarrar em Leonardo no hall para os reservados.

LEONARDO: Gata?

DORA: Olá, querido. (Sussurra no ouvido) Estou com saudades…

LEONARDO seduz: Tá louca para uma adrenalina, hein?

Dora sorri maliciosamente. Leonardo a encosta na parede e os dois se beijam ferozmente.

Corta para:


CENA 14. BANHEIRO/ RESTAURANTE. INT. DIA.

Olavo sério. Se encara no espelho.

OLAVO furioso (P/ si): Não pode ser! Inferno! Isso não pode escorrer pelas minhas mãos agora. Eu mato!

Ele saca o celular, disca um número.

OLAVO aos gritos (cel): Incompetentes! Parvos! Mata qualquer um daquela casa! Quem tiver pela frente, entendeu? Sem erros! Isso é uma ordem!

O olhar furioso de Olavo.

Corta para:


CENA 15. CARRO DE MARINHO. DIA.

Marinho dirigindo veloz. Aflito, impaciente. Celular tocando. Visor “Rosa Ligando”.

Marinho ultrapassa o sinal vermelho. Clima bem tenso.

Corta para:


CENA 16. RESTAURANTE. INT. DIA.

Beijos ardentes de Leonardo e Dora em um espaço vazio do hall para que não sejam vistos.

No salão, Seixas sentado à sua mesa.

SEIXAS olha no relógio: Dora está demorando… O que aconteceu? Será  que passou mal?

Seixas levanta-se de sua mesa e vai em direção ao banheiro. Ele chega aos hall e ouve baixos gemidos e vai procurar o som. Ele flagra Dora e Leonardo aos beijos. Leonardo com as mãos nas coxas de Dora.

SEIXAS: Dora?! Leonardo?!

LEONARDO: Doutor Seixas!

Leonardo gela. Dora também. 

A cena congela, um esfumaçado azul, como se fosse uma neblina.

FIM DO CAPÍTULO




Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.