Type Here to Get Search Results !

Marcadores

O Troco - Capítulo 28 | Últimos Capítulos

    






O TROCO 

CAPÍTULO 28


UMA PRODUÇÃO RANABLE WEBS


Criada e escrita por: EZEL LEMOS

Direção artística: WANDERSON ALBUQUERQUE 



PARTICIPAM DESTE CAPÍTULO

BRUNA MARQUEZINE - MAYA/ LIS

CAIO PADUAN - RODOLFO 

SÉRGIO MALHEIROS - ANTHONY

CLAUDIA RAIA - ELVIRA

ALEXANDRE BORGES - CÍCERO

FERNANDO PAVÃO - WALTER

SOPHIA ABRAHÃO - KÁTIA

MAURÍCIO DESTRI - KAÍQUE 

ADRIANA LESSA - GRACINHA

SILVIA PFEIFFER - CASSANDRA DHEMERSSON

JUAN ALBA - HERMES DHEMERSSON

JULIANA PAIVA - DAFNE DHEMERSSON 

ANA BEATRIZ NOGUEIRA - NEIVA

THAIS MELCHIOR - PÂMELA 

CACO CIOCLER - SAMIR

ANGELA FIGUEIREDO - BILONE

RODRIGO SIMAS - MAX

DANIEL ROCHA - DARLISSON 



CENA 1 - INT. MANSÃO DE MAYA / TARDE

Após as acusações expostas, todos olham para Rodolfo, que está completamente abalado com a revelação de seus crimes. Cassandra está em dúvida, não sabe no que acreditar. Ela olha com raiva para Neiva. 


CASSANDRA - Sua assassina! Isso é obra sua!

NEIVA - Você é a assassina, Cassandra! 


As pessoas começam a comentar e Maya percebe que não há clima para comemorar o casamento. Ela se dirige às pessoas batendo palmas para ser ouvida. 


MAYA - Eu sinto pelo que aconteceu. Peço a compreensão de todos vocês, agradeço a presença, obrigado por estarem aqui. Mas neste momento não há mais clima para festa. Vocês podem ir embora, por favor! 

CASSANDRA - Não, Maya! O que você tá fazendo? 


As pessoas começam a sair, Maya finge está chateada e Rodolfo vai em sua direção.


RODOLFO - Você não vai acreditar nessas mentiras, vai? Aquele vídeo deve ser montagem. E a Neiva, ela matou meu avô. O próprio pai dela.

MAYA - Eu não sei no que acreditar, Rodolfo.

RODOLFO - Você não pode deixar que essas mentiras! 


Rodolfo vai até Maya e coloca as mãos em seu rosto, demonstrando tristeza.


RODOLFO - Meu amor, eu juro que não fiz nada do que falaram naquele vídeo. E nem matei o meu pai, eu não faria isso. 


Cassandra se aproxima deles.


CASSANDRA - Acredita nele, Maya. O Rodolfo pode ter muitos defeitos como todos nós temos. Mas ele não faria mal a ninguém. 

MAYA - Espero que você tenha razão, Cassandra.

CASSANDRA - Deixa eu te dar um beijo antes que você saia em lua de mel.


Cassandra abraça Rodolfo e ao beijá-lo no rosto, fala em seu ouvido.


CASSANDRA (falando baixo) - Depois vamos conversar sobre essa história de você ter matado seu pai.


Cassandra vai embora e Rodolfo fica aflito.


RODOLFO - Vamos nos preparar para a viagem. 

MAYA - Minha mala já está pronta.

RODOLFO - A minha também. 

MAYA - Então vamos lá. Angra dos Reis nos aguarda.


CENA 2 - INT. CASA DA OFICINA 

Kátia conversa com Elvira na mesa, enquanto tomam suco. Anthony está mexendo no celular no sofá. Kaique está próximo, falando ao telefone e se aproxima delas.


KÁTIA - Que história é essa de namorado, mãe? 

ELVIRA - Disfarça, ele vem vindo aí. Então, filhota! Como foi em São Paulo? Você gostou?

KÁTIA - Ah, mãe. Eu amei, foi maravilhoso. 

ELVIRA - E o Anthony, como tem sido como marido? 

KÁTIA - Ele é maravilhoso, me tratou super bem. Só uma coisa que eu achei estranha.

ELVIRA - Que coisa, meu amor? 

KÁTIA - O Anthony tem agido muito estranho.

ELVIRA - Estranho, como?

KÁTIA - Disperso. Parece que tá sempre pensando em alguma coisa. 

ELVIRA - Talvez ele esteja preocupado com o trabalho. Já que até agora não encontrou emprego na área que ele quer.

KÁTIA - É, pode ser.


CENA 3 - EXT. RODOVIA 

O veículo que Samir estava está completamente amassado, caído na ribanceira da estrada. Vemos uma ambulância do SAMU e policiais rodoviários chegando ao local, o que dificulta o tráfego do trânsito.  Os paramédicos descem a ribanceira e encontram o carro. Samir é retirado das ferragens e socorrido pelos paramédicos do SAMU. Ele é colocado em cima da maca e os profissionais analisam seu quadro. Logo colocam ele na ambulância e na sequência saem para o hospital mais próximo.


CENA 4 - INT. CASA DE WALTER / SALA

Walter está sentado no sofá com um machucado na testa. Kaíque coloca gelo no hematoma. Enquanto isso, Bilone está sentada na sala, tomando água.


KAIQUE - Não acredito que o tio chegou a esse ponto. Já não basta a Lis ter fingindo que morreu, agora o tio se transformou nessa pessoa do mal.

WALTER - O Samir sempre foi, ele não se transformou. Conheço bem ele. Mas a sua prima, ela não é uma pessoa má. Só está buscando justiça pelo que passou. De maneira errada sim, mas ela tem as razões dela.

BILONE - Eu nem acredito que minha menina está viva. Não vejo a hora de dar um abraço e um beijo nela.

KAIQUE - Eu não acho que a Lis tenha razão. O caminho da vingança é sempre o pior a se seguir. 

WALTER - Eu tentei fazer com que desistisse da ideia e denunciasse o Rodolfo. Mas ela insistiu em ir morar no Rio e planejar uma vingança.


CENA 5 - EXT. IMAGENS DE ANGRA DOS REIS 

Os barcos navegam lentamente pelas águas cristalinas de Angra dos Reis, em meio ao céu azul e as verdes montanhas que cercam o local encantador. O som das ondas se sobressai em meio a tranquilidade que reside naquele ambiente.


CENA 6 - INT. HOTEL / ANGRA DOS REIS

Na recepção movimentada do hotel, Rodolfo e Maya chegam até a recepcionista. 


RODOLFO - Olá, eu tenho uma reserva em nome de Rodolfo Dhemerson. 


A recepcionista entrega o cartão.


RECEPCIONISTA - Seja bem-vindos! 

RODOLFO / MAYA - Obrigado!


 Maya e Rodolfo entram no elevador.


CENA 7 - INT. HOTEL / QUARTO

Maya e Rodolfo chegam ao quarto e ao mesmo tempo um funcionário deixa as malas deles. Maya senta na cama e deixa sobre ela. Rodolfo também deita na cama e começa a beijá-la, mas ela recua e levanta.


RODOLFO - O que foi? Você não vai curtir nossa lua de mel?

MAYA - Eu preciso ir ao banheiro.


Maya vai e entra no banheiro, enquanto Rodolfo levanta e olha o celular. Ele ouve um áudio que Samir havia mandado para ele, enquanto o mesmo se casava.


SAMIR (off) - Rodolfo! Você não pode se casar com ela. A Maya é a Lis, ela é a Lis. Estava mentindo o tempo todo. Ela quer vingança! 


Rodolfo olha apavorado segurando o celular. A ficha começa a cair e ele percebe que tudo foi muito bem planejado por Maya. Ele olha para a porta do banheiro imensamente assustado. Com a demora de Maya, Rodolfo anda de um lado para outro no quarto. Maya finalmente sai do banheiro e Rodolfo não consegue disfarçar sua reação ao vê-la e saber que ela é na verdade a própria Lis. Maya percebe que Rodolfo está com uma expressão mais séria e vai desfazer a mala e senta na cama, neste momento Rodolfo se aproxima dela.


RODOLFO - Você foi longe demais! Mas vai morrer na praia! 


Maya se vira assustada e neste momento Rodolfo avança nela, deixando-a deitada, ele segura suas mãos com força. Maya sente que seu segredo foi revelado e que o perigo está próximo. 


MAYA - Rodolfo, o que tá fazendo? Me solta! Me solta ou eu vou gritar! 

RODOLFO - Você achou mesmo que eu não iria descobrir? Você queria se vingar de mim, mas é você que vai se dar mal! Eu vou te matar, Lis! 


Rodolfo aperta o pescoço de Maya, ela tenta tirar suas mãos, mas ele é resistente e continua apertando seu pescoço. Maya/Lis fica vermelha e entende que seu plano deu errado e que esse momento pode ser fatal. Maya tenta machucar Rodolfo com as unhas, as pressionando contra seu braço, porém, aos poucos perde as forças e vai perdendo os sentidos. Percebendo que a esposa já não respira, Rodolfo solta seu pescoço, que está altamente lesionado devido a agressão. Rodolfo levanta pensativo, sem saber como sair da situação sem ser incriminado.


RODOLFO - E agora? O que eu vou fazer? Como vou sair daqui. Eu preciso talvez de um disfarce. Mas pode ser arriscado sair assim, podem suspeitar de mim. Eu vou assim mesmo. Eu dou um jeito de me livrar da justiça. O importante é que eu me livrei dela. 


CENA 8 - INT. INT. DEPENDÊNCIAS DO HOTEL/ ELEVADOR 

Rodolfo entra no elevador para fugir do crime, mas fica em dúvida ao ver a câmera do elevador. Ele também lembra que deixou o celular no quarto e resolve voltar ao local. 


CENA 9 - INT. HOTEL / QUARTO 

Ao chegar no quarto ele não encontra Maya e fica apavorado com a possibilidade de ela ter sobrevivido. Ele vai até o banheiro olhar se a esposa está no local e rapidamente é atingido na cabeça, ficando desacordado no chão. Darlisson olha para o primo com todo desprezo. Ele está com uma arma na mão.


DARLISSON - Maldito criminoso! Você vai pagar caro pelo que você fez! 


Darlisson retira uma cadeira de roda debaixo da cama e a monta. Ele pega Rodolfo e coloca nela. Na sequência coloca um chapéu e um óculo escuro em Rodolfo. Ele também coloca um lençol em suas pernas e sai do quarto empurrando a cadeira de rodas.


CENA 10 - INT. CASA DA OFICINA/ NOITE 

Elvira, Kaique, Anthony e Kátia jantam na mesa. O celular de Kaique toca e ele sai para atender.


KÁTIA - O Kaique ultimamente não sai do celular. Vem cá, e que história é aquela que você ia me contar ontem? 

ELVIRA - Minha filha, deve ser com o Walter. 

KÁTIA - Desde a festa eles estavam tão próximos.

ELVIRA (feliz) - Estão juntos, filhota. 

KÁTIA (surpresa) - Não acredito! Que surpresa boa, mãe. Eu sempre quis ver o Kaique namorando. 

ANTHONY - Então deve ser namoro mesmo. Ele não sai do telefone. 

ELVIRA - É porque parece que o Walter sofreu um assalto hoje. 

ANTHONY - Nossa cidade já foi mais tranquila. Quando nós formos procurar uma casa, temos que ver um bom lugar. Um bairro tranquilo como esse aqui. 

ELVIRA - Mas vocês não precisam planejar comprar casa. Eu vou tentar ver algum lugar para nós e vocês ficam aqui. É bom Anthony, assim você fica próximo dos seus pais.

KÁTIA - Eu não sei se é boa ideia eu morar aqui perto da mãe de Anthony depois de tudo que aconteceu.

ANTHONY - Eu tenho que concordar, meu amor.


Kaique chega até eles com uma expressão triste e todos estranham.


ELVIRA - O que foi, filho? 

KÁTIA - Aconteceu alguma coisa?

KAIQUE - O tio Samir…

ELVIRA - O que tem o Samir? 

KAIQUE - Ele sofreu um acidente e está em estado grave. 


Todos olham surpresos para Kaique. 


CENA 11 - EXT. ANGRA DOS REIS / HELICÓPTERO / MANHà

Um helicóptero sobrevoa toda a área aquática do local que se sobressai entre as lindas paisagens de Angra dos Reis. Rodolfo desperta em um helicóptero com as mãos presas, ao seu lado está Darlisson com um revólver, deixando-o em pânico.


RODOLFO - O que tá acontecendo? O que eu tô fazendo aqui, Darlisson? 

DARLISSON - Vamos dar uma volta nos ares pelas lindas paisagens de Angra. 

RODOLFO - O que vai fazer comigo? Fala! 


Rodolfo está apavorado, ele imagina que irão fazer algo terrível com ele e seus olhos revelam todo seu medo diante da situação.


DARLISSON - Você fez muito mal a Maya.

RODOLFO - O nome dela é Lis, cacete! 

DARLISSON - Não importa! O importante é que você vai pagar por tudo que fez. 

RODOLFO - Pelo menos eu matei ela. Pode fazer o que for comigo, mas não vão conseguir trazer ela de volta. 


Neste momento, Maya sai do banco da frente do helicóptero e aparece para Rodolfo, deixando-o incrédulo com a sua presença. Ele arregala os olhos, deixando claro seu sentimento de surpresa. 


RODOLFO - Não pode ser! 

MAYA - Estou viva! Vivinha!

RODOLFO - Como você conseguiu se salvar? 

MAYA - Eu fingi que perdi os sentidos. E enganei você direitinho. 

RODOLFO - Você não presta! 

MAYA - Cala tua boca, Rodolfo! Cala! 


Maya observa as lindas paisagens em volta do local e abaixo a água que cobre uma grande área. 


MAYA - Chegou a hora!

RODOLFO - O que vão fazer comigo?

MAYA - Eu vou te dar o troco! Não vai ser nada novo pra você, Rodolfo. Até porque você já fez isso comigo uma vez, eu vou só devolver! 

RODOLFO - É melhor que vocês me matem, porque se eu voltar eu vou matar vocês dois! Eu juro! 


Darlisson levanta e se posiciona próximo a Rodolfo. O piloto abre a cabine do helicóptero no ar. 


RODOLFO - Não, não, não…


Maya se aproxima de Rodolfo e o empurra do alto, fazendo-o cair no mar do alto do helicóptero entre as águas. Darlisson fica pensativo, sentindo um certo rancor pelo que fez, enquanto Maya não demonstra arrependimento.


DARLISSON - Você não tá sentindo nada?

MAYA - Eu tô satisfeita porque esse infeliz não vai fazer mais mal a ninguém. 

DARLISSON - Agora você vai voltar para o hotel?

MAYA - Eu vou embora para casa. Preciso prestar queixa sobre o desaparecimento do meu marido nas águas de Angra. 


CENA 12 - INT. MANSÃO DE CASSANDRA / QUARTO / MANHà

Cassandra está adoentada deitada na cama e Dafne olha a temperatura do termômetro que tirou.


DAFNE - Sua febre não baixa. A noite toda assim. Deveria ir para o médico. 

CASSANDRA - Eu não sei o que tá acontecendo. Estou com calafrios. 


Dafne pega um remédio líquido na cômoda e entrega na tampinha para Cassandra, que pega e toma o medicamento.


CASSANDRA- Obrigada, Dafne. 

DAFNE -  De nada, mãe!

CASSANDRA - Você deveria ir dormir. Passou a noite acordada comigo. 

DAFNE - Não. Eu só vou quando estiver bem.

CASSANDRA - Você é uma boa filha.

DAFNE - Eu não tô fazendo nada demais. Qualquer filho faz isso.

CASSANDRA - Não. Não é todo filho que faz o que você está fazendo. 

DAFNE - Só se for um filho muito ruim para não ajudar os pais quando precisam.


Cassandra começa a chorar com remorso por ter a tratado mal durante toda a sua vida.


DAFNE - O que foi, mãe? Porque tá assim? 

CASSANDRA - Eu, eu não fui uma boa mãe pra você.

DAFNE - Eu não vou mentir. Muitas vezes não me tratou como filha. Eu senti sua falta em muitos momentos da minha vida. Na minha adolescência, as dúvidas sobre a minha sexualidade. Mas você também não foi uma mãe ruim. Pelo menos não me abandonou, como muitas fazem. 

CASSANDRA - Me perdoa, filha!


Dafne abraça Cassandra, que chora desolada. Dafne abraça apertado e a beija com muito carinho. 


CENA 13 - INT. CASA DE GRACINHA / COZINHA / MANHà

Kátia chega na cozinha e Gracinha está fazendo o café da manhã. A mesa está repleta de alimentos, entre eles pães,bolos e frutas. 


GRACINHA - Já acordou? 

KÁTIA - Sim. Eu vim ajudar você a preparar o café.

GRACINHA - Não precisa, eu sempre fiz tudo sozinha. Nunca tive empregados para fazer pra mim.

KÁTIA - Tá bom, então. 

GRACINHA - E o Anthony te falou sobre sua prima? 

KÁTIA - Falar o quê? E de qual prima está falando? 

GRACINHA - A Lis, ex-patroa dele. 

KÁTIA - A Lis morreu, porque ele falaria dela? 

GRACINHA - Ela não morreu! Ele não te falou? 


Kátia fica incrédula com o que houve de Gracinha e se recusa a acreditar.


KÁTIA - Como assim a Lis tá viva? Todo mundo sabe que ela morreu faz um tempão. 

GRACINHA - Pois ela tá viva. Pode acreditar. O Anthony sabia de tudo faz tempo. 


Anthony vai chegando e Kátia olha com desprezo para ele. 


ANTHONY - O que aconteceu? 

GRACINHA - Filho, eu achei que tinha contado pra ela sobre a Maya! 

ANTHONY (chateado) - Não acredito, mãe! 


CENA 14 - INT. CASA DE GRACINHA/ QUARTO 

Anthony chega no quarto e encontra Kátia pegando suas roupas e colocando em uma mala. Ela está triste e mal humorada.


ANTHONY - O que é isso, amor? Por que você tá fazendo isso? 

KÁTIA (mal humorada) - Não se faça de desentendido, Anthony! 

ANTHONY - Eu nem sei se essa história é verdade. 

KÁTIA - E porque não né contou, Anthony? A gente acabou de se casar! É assim que você quer seguir nossa vida? Com mentiras? 

ANTHONY - Eu não achei nenhuma necessidade em falar isso sem ter uma certeza. 


Kátia joga as roupas na cama e começa a chorar. 


KÁTIA - Nós iríamos descobrir juntos se seria verdade ou não. Mas poxa, você esconde. Isso só prova que você não queria que eu soubesse. Anthony eu sei o quanto você amava a Lis. Eu presenciei todo o seu sofrimento. 

ANTHONY - Mas agora eu te amo. Eu me apaixonei por você. 


Anthony se aproxima de Kátia e tenta beijá-la, mas ela recua. 


KÁTIA - É melhor não. Você precisa terminar sua história com a minha prima. Depois se você decidir que realmente me ama, aí a gente vê. Mas você tem que conversar com ela. 

ANTHONY - Por que isso, amor? Para vai! 

KÁTIA - Eu não quero que daqui há alguns anos você acabe descobrindo que nosso casamento é um erro. O melhor por agora é nós dar um tempo. 


Kátia termina de arrumar a mala e vai saindo, Anthony sofre e chora com a sua decisão.


KÁTIA - Não é um adeus, meu amor! Você vai perceber que essa decisão é a melhor para todos.


Kátia vai embora e Anthony se debruça na cama com a cara no travesseiro.


CENA 15 - INT. MANSÃO DE CASSANDRA / SALA 

Maya volta de viagem e está pronta para dar a notícia de que Rodolfo se afogou no mar. Ela espera ansiosamente por Cassandra na sala da mansão. Dafne chega mal humorada até Maya, que finge está chorosa e triste.


DAFNE - O que foi Maya? O que faz aqui, achei que você status na sua lua de mel. 

MAYA - Dafne, aconteceu uma coisa horrível.

DAFNE - O que houve? 

MAYA - O Rodolfo desapareceu nas águas. 

DAFNE - Como assim? O que aconteceu? 

MAYA - Nós estávamos nadando e ele simplesmente desapareceu. 


Cassandra chega na sala, descabelada, usando um robe dourado. Ela ouve a conversa e logo trata de falar tudo que pensa para a nora.


CASSANDRA - O que você fez com meu filho? 

MAYA - Eu não fiz nada. 

CASSANDRA - Para de mentir! Eu sei que você não tinha boa intenção com esse casamento! 

DAFNE - Calma, mãe! 

MAYA - Era mais fácil o Rodolfo ter má intenção comigo. 

CASSANDRA - Você também não é nenhum anjo. 

MAYA - Não. Mas o Rodolfo já fez muitas coisas erradas e você passa a mão na cabeça. 

CASSANDRA - Quem é você para julgar uma mãe? Você não sabe o que uma mãe passa. 

MAYA - Eu vou agora na delegacia informar o desaparecimento dele. 

CASSANDRA - Se você tiver alguma coisa haver com isso, você vai se ver comigo! 


Cassandra encara Maya, com um olhar acusador de quem sabe que ela tem culpa no que aconteceu com o seu filho.


CENA 16 - INT. CASA DA OFICINA / MANHà

Elvira está passando o pano na casa e Kaique passa no local, deixando Elvira chateada. 


ELVIRA - Kaique! 

KAIQUE - Que foi, mãe? 

KÁTIA - Eu bater com o rodo! 

KAIQUE - Que isso! 


 Kátia chega com malas, causando surpresa na mãe e no irmão, que percebem sua expressão triste. 


ELVIRA - Kátia! O que aconteceu?

KÁTIA - Eu resolvi vim para cá.

KAIQUE - Mas porquê, mana?

ELVIRA - Não vai me dizer que foi aquela praga da Gracinha!

KÁTIA - Não, mãe! Foi o Anthony!  

ELVIRA - O que o Anthony te fez? Fala que eu vou agora dar uns tapas nele!

KÁTIA - Calma, mãe! Não precisa disso! 

ELVIRA - Então fala o motivo que te fez sair de lá, meu amor? 

KÁTIA - A Lis está viva!


Cassandra fica incrédula com a notícia, ela não consegue entender como isso pode ser verdade. 


ELVIRA - Não, você deve tá enganada. Faz quase um ano que ela morreu. 

KÁTIA - Ela não morreu, mãe! 


Kaique se aproxima, cabisbaixo, e olha sem jeito para elas.


KAIQUE - É verdade, mãe!


Elvira fica boquiaberta sem acreditar na novidade que está ouvindo.


CENA 17 - INT. DELEGACIA DE POLÍCIA 

Maya depõe para a polícia sobre o desaparecimento de Rodolfo. Ela está em frente ao delegado acompanhada de um advogado.


DELEGADO - O que vocês estavam fazendo em Angra dos Reis? 

MAYA - Nós estávamos em lua de mel.

DELEGADO - E que horas vocês chegaram lá? 

MAYA - Era início da noite. 

DELEGADO - Qual o nome da empresa de hotelaria? 

MAYA - Paraíso das estrelas.

DELEGADO - E como foi durante a noite? Aconteceu alguma briga entre vocês? 

MAYA - Não. Nós ficamos juntos o tempo todo no nosso quarto. 

DELEGADO - Aí pela manhã saíram do hotel, que horas e com algum guia local? 

MAYA - Eu não sei exatamente a hora, mas era cedo. Nós fomos sozinhos porque a gente sabia pilotar o barco.


CENA 18 - INT. CASA DE CASSANDRA 

Neiva chega à mansão para acertar as contas com Cassandra e finalmente revelar a verdade para Dafne. Dafne atende a porta e Neiva entra, deixando-a sem entender sua atitude.


DAFNE - Neiva! Aconteceu alguma coisa?

NEIVA - Eu preciso falar com você. Cadê a sua mãe? 

DAFNE - Ela tá no quarto. Está um pouco adoentada.


Cassandra chega rapidamente na sala, ainda usando seu robe e com aparência desarrumada. 


CASSANDRA - O que você faz aqui? Mande essa mulher embora, Dafne! 

NEIVA - Você tá com medo de eu revelar seus podres, não é? Mas eu só vim falar a verdade para ela, ela merece saber a verdade sobre a maternidade dela.


Dafne fica surpresa com a fala de Neiva e Cassandra se apavora com a possibilidade da filha saber que na realidade ela não é sua mãe biológica. 


DAFNE - Neiva, o que quer dizer com isso de maternidade? 

CASSANDRA - Não ouve ela, filha! 

NEIVA - Cala a boca, Cassandra! 

DAFNE - Parem de brigar! Falem logo o que tem de falar! 

NEIVA - Você não é filha biológica da Cassandra! 


Dafne fica pasma com a revelação de Neiva. Ela olha decepcionada para Cassandra, que teme perder o carinho da filha. Neiva olha chorosa para Dafne, que fica triste. 


CENA 19 - INT. MANSÃO DE MAYA / SALA 

A campainha toca e Maya vai abrir, ela desce a escada devagar e dá passos pequenos e lentos para chegar na porta. Ao chegar, Maya pega na maçaneta e abre a porta lentamente, tomando um susto ao ver quem está do outro lado. 


MAYA - Você! 


A cena termina com Maya/Lis olhando assustada. 





Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.