Type Here to Get Search Results !

Marcadores

TERRA DO SOL - 08 (REPRISE)

 


CENA 1: INTERIOR. TEATRO MUNICIPAL. BASTIDORES. SALA NOITE

CLOSE EM MITSUKO QUE VAI DESTRUINDO TUDO QUE ENCONTRA PELA

FRENTE. A RAIVA E O ÓDIO PODE SER VISTO NO OLHAR DA VILÃ. NESSE

MOMENTO A PORTA VAI SE ABRINDO E VEMOS CELSO ENTRAR NA SALA

DOS BASTIDORES COM UM SORRISO CÍNICO. MITSUKO O OLHA SEM

NENHUMA PACIÊNCIA.

 

MITSUKO (furiosa): - O que você está fazendo aqui, Celso? Veio repudiar

da minha ruína, é isso? Aquela maldita da sua filha conseguiu acabar com

toda a minha reputação. Mas isso não vai ficar assim. Eu vou matar aquela

desgraçada com as minhas próprias mãos. Pode ter certeza disso.

CELSO (sorrindo): - Pelo visto a Keiko não é tão inútil como eu havia

pensado. (P) Você sempre achou que o mundo girava em torno de você,

Mitsuko. Não é só com a Keiko que você deve ser preocupar.

MITSUKO: - Não se esqueça que você tem muita coisa a perder também,

Celso. Eu cansei dessa nossa parceria. Não se atreva a cruzar o meu

caminho novamente se não eu irei acabar com você.

 

O SEMBLANTE DE CELSO MUDA DA ÁGUA PARA O VINHO. ELE COLOCA AS

MÃOS NO PESCOÇO DE MITSUKO QUE NÃO DEMONSTRA MEDO.

 

MITSUKO (sendo enforcada): - Vai me matar aqui mesmo, Celso? Os meus

seguranças estão lá fora e além disso as câmeras estão filmando tudo.

CELSO (firme): - Você se acha tão confiante, não é mesmo? Mas você não

é tudo isso que pensa não, Mitsuko. O seu fim está cada vez mais perto..

MITSUKO: - Isso é o que nós vamos ver, Celso. O que nos unia acaba aqui.

Não ouse atravessar o meu caminho de novo. Se não eu vou ser obrigada

a te dar um fim assim como eu farei com a sua filha.

 

CELSO DÁ AS COSTAS PARA MITSUKO E VAI EMBORA. A VILÃ MANTÉM A

POSE DE QUEM SABE O QUE ESTÁ FAZENDO.

//



CENA 2: INTERIOR. TEATRO MUNICIPAL. PALCO. NOITE

A CÂMERA MOSTRA QUE TODOS JÁ FORAM EMBORA DO TEATRO. KEIKO

E LUCAS ESTÃO ABRAÇADOS E SE OLHANDO COM MUITO AMOR E

TERNURA. KENJI FICA PENSATIVO POR ALGUNS MOMENTOS DEIXANDO

KEIKO INTRIGADA. ELA SE APROXIMA DE SEU AVÔ E TOCA NELE.

 

KEIKO (preocupada): - O que foi Sobo? Você ficou calado assim de

repente. Finalmente a gente conseguiu desmascarar a Mitsuko. (P) Porque

o senhor está tão abatido? Você pode me contar tudo.

KENJI (sério): - Eu parei para pensar agora na sua mãe, Keiko. Ela teria

tanto orgulho da mulher que você se tornou. Mesmo com tudo que você

sofreu ainda continua com o brilho no olhar.

LUCAS: - O seu avô está coberto de razão, Keiko. É por isso que eu me

apaixonei por você. Eu admiro muito você pela sua força.

 

LUCAS E KEIKO SE BEIJAM APAIXONADOS. LOGO DEPOIS ELES SÃO

SURPREENDIDOS COM A CHEGADA DE HAYATO. TODOS FICAM EM

SILÊNCIO.

 

KEIKO (surpresa): - Hayato…. Tem uma coisa que você precisa saber….

HAYATO (interrompendo): - Eu já sei de tudo, Keiko. A Mitsuko pode ser a

mulher que me deu a vida, mas ela está longe de ser a minha mãe.

LUCAS: - Eu sinto muito por ter que colocar a sua mãe na cadeia, Hayato.

Mas ela mandou matar a minha ex-noiva e ela merecia pagar por esse

crime. Não quero que pense que eu quero o mal da sua família.

HAYATO (amigável): - Vocês podem ficar tranquilos. Eu quero o mesmo

que vocês. A Mitsuko precisa ser responsabilizada por tudo que ela fez. (P)

Keiko…. Eu quero que você saiba que o amor que sinto por você jamais vai

morrer. Mas eu respeito a sua decisão de ficar com o Lucas.

 

KEIKO E HAYATO DÃO UM FORTE ABRAÇO. EM SEGUIDA ELE E LUCAS

APERTAM AS MÃOS MOSTRANDO TODA A CORDIALIDADE ENTRE ELES.

//

 

CENA 3: EXTERIOR. TRIBUNAL DE JUSTIÇA.. ESCADARIA. NOITE

PLANO GERAL DA CENA. CLOSE EM DIARA VEN DESCENDO AS

ESCADARIAS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. NESSE MOMENTO VEMOS UM CARRO ESTACIONAR. LOGO DEPOIS INÁCIO SAI DE DENTRO DO CARRO

E VAI NA DIREÇÃO DE DIARA. O SEMBLANTE DE INÁCIO É SÉRIO.

 

DIARA (surpresa): - Inácio?! O que foi que houve? Não me diga que você

veio atrás de mim novamente. Eu já disse que a gente não vai ficar juntos.

Não adianta você ficar se rastejando aos pés. Isso não vai acontecer.

INÁCIO (sério): - Bem que eu queria que fosse algo do tipo, Diara. Mas o

assunto é muito sério. Eu acabei de ser informado que a Mitsuko Ishida foi

desmascarada em pleno teatro municipal. (T) O meu medo é ela querer

comprar o juiz do caso, Diara. Aquela mulher tem muito dinheiro.

DIARA: - Você só pode estar brincando comigo, Inácio. Eu como advogada

não aceito que nenhum magistrado se corrompa diante de tudo que está

acontecendo. Nós precisamos tomar uma atitude bem rápida.

 

DIARA TERMINA DE DESCER AS ESCADARIAS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA.

INÁCIO OLHA PARA DIARA COM MUITA ADMIRAÇÃO. ELA PERCEBE.

 

DIARA (intrigada): - Porque você olha tento para mim, Inácio? Você ficou

calado de repente. Até parece que você quer me contar alguma coisa.

INÁCIO (sendo sincero): - Sabe Diara…. Eu fiquei aqui pensando. O seu

senso moral e a luta pela justiça são coisas que eu admiro em você.

DIARA: - Eu não esperava ouvir isso de você, Inácio. Você não é aquele

homem mulherengo que conheci há alguns anos. Parece que você

realmente mudou. Quem sabe eu não te dê uma chance.

 

DIARA DÁ UM BEIJO NO ROSTO DE INÁCIO. ELE ESBOÇA UM SORRISO

ENQUANTO DIARA ENTRA NO CARRO.

 

//

CENA 4: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. SALA DE ESTAR.

NOITE

CLOSE EM FABIANA QUE ESTÁ PARADA EM FRENTE A UM ESTANTE DE

MARFIM TODA ELEGANTE. ELA OEGA UMA FOTO DE LUCAS E OLHA COM

MUITO DESPREZO E RANCOR. NESSE MOMENTO ESTELA VEM DESCENDO

AS ESCADASNM DA MANSÃO E ELA OLHA COM DESDÉM PARA FABIANA

QUE NÃO GOSTA.

 

ESTELA (séria): - O que tentar aqui novamente, Fabiana? Não vai me dizer

que a sua obsessão pelo meu filho continua te deixando cega? Porque você

não deixa o meu filho em paz de uma vez por todas?

FABIANA (fria): - Isso nunca vai acontecer, Estela. O seu filho ainda vai ser

meu. (P) Mas eu vim aqui por outro motivo. Você já sabe que o seu filho

está se engraçando com japonesa. Isso é o fim da picada. Ele merece

alguém do nível dele. Uma mulher como eu.

ESTELA: - Eu não estou acreditando que você veio aqui por puro despeito,

Fabiana. Se o meu filho está feliz então é isso que importa. Agora vá

embora da minha casa e nunca volte. Esse é seu último aviso.

 

ESTELA DÁ AS COSTAS PARA FABIANA. A VILÃ FICA MUITO NERVOSA E

ELA FICA NA FRENTE DE ESTELA E A OLHA COM FRIEZA.

 

FABIANA (fora de si): - Você não está entendendo a gravidade da situação,

Estela. Essa japonesa que enfeitiçou o Lucas é filha bastarda do seu

marido. Agora você consegue entender onde eu quero chegar?

ESTELA (surpresa): - Do que é que você está falando, Fabiana? Aquele

infeliz do seu pai teve outra filha fora do casamento? Isso não né

surpreende. (P) Mas o que você quer com isso? Diga de uma vez.

FABIANA: - Que você fique do meu lado, Estela. Você não pode permitir

que uma bastarda faça parte de sua família. O que você vai fazer?

ESTELA (séria): - Eu não tenho nada o que fazer diante desse assunto,

Fabiana. A vida do meu filho só diz respeito a ele. Entendeu?

 

A RESPOSTA DE ESTELA DEIXA FABIANA NAIS DESCONTROLADA AINDA.

A VILÃ NÃO ESCONDE A RAIVA QUE ESTÁ SENTINDO.

 

//

• TRANSIÇÃO DE TEMPO: AMANHECE •

 

CENA 5: INTERIOR. CASA DE ZECA E DORALICE. COZINHA. MANHÃ

DORALICE ESTÁ SENTADA TOMANDO UMA XÍCARA DE CAFÉ E ESTÁ

PENSATIVA. NESSE MOMENTO ZECA ENTRA NA COZINHA E ELE PERCEBE

QIE SUA MÃE ESTÁ MUITO ESTRANHA. ZECA SE APROXIMA DE DORALICE

E ELA SORRI DE UM JEITO FORÇADO.



ZECA (preocupado): - O que foi que houve, mãe? Depois que aquele traste

do meu pai foi embora eu estou te sentindo mais triste. Não vai me dizer

que a senhora está sentindo falta daquele homem?

DORALICE (triste): - Você me conhece melhor do que eu mesma, meu

filho. Eu sei que o seu não é flor que se cheire, mas eu sinto muito a falta

dele. Eu passei mais de 20 anos ao lado dele. Você precisa entender.

ZECA: - A senhora vai me desculpar, mas eu não consigo entender isso

mãe. Aquele miserável do meu pai nunca te mereceu. (P) Ele me

confessou que sempre foi apaixonado pela mãe da Ayumi. A senhora não

merece passar por isso.

 

DORALICE FICA EM SILÊNCIO. ZECA PEGA EM SUA MÃO E A OLHA.

 

DORALICE (pensativa): - Sabe meu filho…. Às vezes eu me pego pensando

que eu mereço tudo isso que aconteceu comigo. O seu pai nem sempre foi

esse homem grosso. Eu sei que ele tem muitas qualidades.

ZECA (sério): - Deixa eu te pedir uma coisa, mãe. Não tente defender

aquele homem na minha frente. Eu passei anos vendo a senhora sofrer

calada e para mim isso é o suficiente para saber que ele não presta.

DORALICE: - Você tem razão, meu filho. O seu pai passou de todos os

limites e não quero que sofra as consequências dos meus atos. (P) Você

consegue me perdoar?

 

SEM DIZER NENHUMA PALAVRA ZECA ABRAÇA SUA MÃE. A CÂMERA VAI

SE AFASTANDO MOSTRANDO A TERNURA QUE EXISTE ENTRE ELES.

 

//

CENA 6: EXTERIOR. BAIRRO DA LIBERDADE. RUA. MANHÃ

UM CARRO PRETO VAI PASSANDO DEVAGAR. DENTRO DO CARRO ESTÁ

MITSUKO QUE ESTÁ COM O OLHAR VIDRADO EM AYUMI E OLENKA QUE

VÃO PASSANDO PELA CALÇADA. LOGO LOGO DEPOIS O CARRO PARA AO

LADO DELAS QUE FICAM INCOMODADAS COM A PRESENÇA DA VILÃ MOR.

MITSUKO (ardilosa): - Então quer dizer que você é a esposa brasileira

daquele infeliz do Shin? Eu em seu lugar manteria aquele seu marido longe

dos meus assuntos para o meu bem de todo mundo.



AYUMI (firme): - O que você quer aqui, Mitsuko? Os seus crimes já foram

descobertos por todos. É questão de tempo para você ser condenada.

OLENKA: - O Shin é um homem maravilhoso que você não soube dar valor.

Você pode ter dinheiro, poder e status, mas nunca vai ter o mais

importante: O amor de um filho. Isso é algo que não podemos comprar.

 

A CÂMERA MOSTRA QUE FICA CADA VEZ MAIS IRRITADA. AYUMI E

OLENKA TENTAM SE AFASTAR DA VILÃ SEM SUCESSO.

 

MITSUKO (furiosa): - Você sabe quem eu sou? Mencione mais uma vez

que não sou uma boa mãe novamente que nós teremos uma conversa

diferente. (T) Aposto que você não deseja algo ruim para sua filha.

AYUMI (corajosa): - Eu não tenho medo de você, Mitsuko. Eu fico feliz que

a Keiko finalmente conseguiu mostrar para todos quem você é de verdade.

OLENKA: - Você pode ter muito dinheiro, mas não está acima da justiça.

Não ouse ameaçar a minha filha que eu te mostro do que sou capaz.

 

SEM PENSAR DUAS VEZES MITSUKO PEGA AYUMI PELOS BRAÇOS E

COLOCA UMA ARMA NA CABEÇA. OLENKA FICA PARALISADA.

 

MITSUKO (ameaçadora): - Diga ao infeliz do seu marido que ele tem 24

horas para me encontrar se não quiser a filha dele morta. (P) E não se

atrevam a chamar a polícia. Eu sei de todos os seus passos.

 

OLENKA TENTA TOMAR UMA ATITUDE, MAS ANTES QUE ELA FIZESSE

ISSO MITSUKO COLOCA AYUMI DENTRO DO CARRO QUE SAI EM

VELOCIDADE DEIXANDO OLENKA EM ESTADO DE CHOQUE.

//

 

CENA 7: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. SALA DE ESTAR.

MANHÃ

A PORTA DA MANSÃO VAI ABRINDO E A CÂMERA ENTÃO MOSTRA LUCAS

ENTRANDO DE MÃOS DADAS COM KEIKO. ELA OLHA PARA MANSÃO COM

MUITA ADMIRAÇÃO. NESSE MOMENTO ESTELA VEM SAINDO DENSEU

ESCRITÓRIO E ELA ESBOÇA IM SORRISO DEIXANDO KEIKO MAIS

CONFORTÁVEL.

 

ESTELA (sorrindo): - Então você é a famosa Keiko….. Não precisa ficar

encabulados. A Fabiana. Me disse que vocês estavam juntos. E aquela víbora também me contou que você é filha do meu marido. Como pode duas mulheres serem filhas do mesmo homem e tão diferentes ao mesmo

tempo?

 

LUCAS E KEIKO SE OLHAM. ESTELA SE APROXIMA DELES.

 

KEIKO (sorrindo): - Dona Estela…. Eu quero que a senhora saiba que eu

amo muito o seu filho. Se não fosse por ele eu nem sei o que teria

acontecido comigo. Ele é um verdadeiro herói.

LUCAS (pensativo): - Eu não acredito que a Fabiana esteja aibda querendo

me separar da KEIKO. Aquela mulher não perde tempo em me prejudicar.

ESTELA: - Agora não importa mais por qual motivo ela me contou isso. O

que importa é que vocês se amam. No final isso é o que vale.

 

KEIKO FICA COM O SEMBLANTE TRISTE QUANDO OENDA EM SUA MÃE.

ELA DECIDE CONTAR A VERDADE PARA ESTELA.

 

KEIKO (séria): - Sabe Dona Estela…..O seu marido marido é realmente o

homem que me deu a vida. Mas ele não é meu pai. Ele abandonou a

minha mãe quando ela mais precisou, e ele é um dos chefes da

organização criminosa que queria vender com mm o escrava sexual para a

Europa. Eu tenho nojo dele ser meu pai.

ESTELA (lamentando): - Eu sinto muito, Keiko. Eu nem posso imaginar

todo o terror que você deve ter passado. (P) Eu também sofri nas mãos

desse monstro. Ele abusou de mim quando eu estava mais vulnerável. Mas

agora eu sei que juntar nós podemos esse maldito para a justiça.

LUCAS: - Nós estamos cada vez mais perto de conseguir aquilo que mais

sonhamos: Que é ver os chefes dessa quadrilha presos. Isso eu prometo.

 

KEIKO OLHA COM MUITO AMOR E ADMIRAÇÃO PARA LUCAS. ELA E

ESTELA SE ABRAÇAM EM UM MOMENTO MUITO COMOVENTE.

 

CENA 8: EXTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. JARDIM. MANHÃ

A CÂMERA MOSTRA CELSO SENDO LEVADO ALGEMADO POR VÁRIOS

POLICIAIS. BESSE MOMENTO FABIANA VEM CAMINHANDO PELO JARDIM

DA MANSÃO E NÃO CONSEGUE ACREDITAR NO QUE ESTÁ

ACONTECENDO. A VILÃ COMEÇA A DEBOCHAR DE CELSO.

 

FABIANA (debochando): - Olha só que situação mais embaraçosa você

está, Celso. Finalmente eles conseguiram te vencer em seu próprio jogo de

interesses. Mas não se preocupe que eu conseguir tudo que não pode.

CELSO (sussurrando): - Eu não contaria com isso, Fabiana. Não se esqueça

que você está em minhas mãos. Eu tenho provas que foi você que facilitou

a Mitsuko de matar a Alice. Você não é tão diferente de mim como pensa.

FABIANA: - Você que eu tenho medo das suas ameaças, Celso? Eu cheguei

longe demais para desistir tão perto do que eu tanto quero.

 

CELSO SORRI CINICAMENTE. FABIANA SE APROXIMA E DA UM TAPA NA

CARA DO VILÃO. UM POLICIAL CHEGA PERTO E AFASTA ELES.

 

POLICIAL (figurante): - Acabou o seu tempo, Celso. Vamos indo embora

que você tem muito o que explicar sobre os seus crimes.

CELSO (sério): - Não se esqueça do que eu te falei, Fabiana. Hoje pode ser

eu que estou sendo preso, mas a sua casa está prestes a cair.

FABIANA: - Senhor policial…. Tira esse bandido da minha frente. Eu não

tenho mais nada o que falar com esse homem. (P) Adeus, Celso.

 

OS POLICIAIS LEVAM CELSO E O COLOCAM DENTRO DA VIATURA

POLICIAL. FABIANA SORRI SE SENTINDO VITORIOSA.

//



● ALGUMAS HORAS DEPOIS •



CENA 9: INTERIOR. DELEGACIA DA POLÍCIA FEDERAL. CARCERAGEM. DIA

CELSO ANDA DE UM LADO PARA O OUTRO DENTRO DA CELA SE

SENTINDO COM MUITA RAIVA. NESSE MOMENTO KENJI CHEGA PERTO

DA CELA O QUE DEIXA CELSO AINDA MAIS FORA DE SI. ELES SE

ENCARAM DEMONSTRANDO O RANCOR QUE EXISTE ENTRE AMBOS.

 

KENJI (sério): - Nós últimos 30 anos da minha vida não teve um momento

que eu não imaginei o dia que eu iria te ver nessa situação. Eu já te odiei

muito, mas hoje tudo que eu quero é que você pague por tudo que fez.

CELSO (nervoso): - O que você está fazendo aqui, Kenji? Esperou 30 anos

para se vingar de mim? Eu não tenho culpa se a sua filha era uma fraca.

KENJI: - Não ouse tocar no nome da minha filha, seu desgraçado. Ela se

matou por culpa do que você fez com ela. A minha neta sempre quis te

conhecer, mas eu sempre soube que isso não era uma boa idéia.

 

CELSO SE APROXIMA DAS GRADES DA CELA E OLHA COM MUITO ÓDIO

PARA KENJI. LOGO DEPOIS LUCAS SE APROXIMA E O CLIMA PIORA.

 

LUCAS ,(sério): - Eu tenho uma proposta para te fazer, Celso. Eu estou

disposto a fazer uma deleção premiada se você testemunhar contra

Mitsuko Ishida no tribunal. É a sua única chance de se vingar dela.

KENJI (completando): - Eu tenho motivos suficientes para querer te ver

mofar na cadeia, Celso. Mas eu sou obrigado admitir que para que a

Mitsuko pague pelos crimes dela nós precisamos da sua ajuda.

CELSO: - Vocês só podem ser idiotas. Eu não vou fazer isso por um simples

motivo: Eu não vou ajudar quem me colocou nesse inferno. Vão embora.

 

LUCAS E KENJI SE OLHAM INTRIGADOS. CELSO SORRI BEM ARDILOSO.

 

AOS POUCOS A IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO COMO SE O

SOL ESTIVESSE NASCENDO NO HORIZONTE.


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.