Type Here to Get Search Results !

Marcadores

TERRA DO SOL - 11 (REPRISE)

 


CENA 1: INTERIOR. ESTALEIRO. TARDE

A CÂMERA MOSTRA DE FORMA AMPLA QUE O FOGO CONTINUA

ALASTRANDO EM TODO O ESTALEIRO. KENJI TENTA SE SOLTAR, MAS

SEM SUCESSO. O SEU SEMBLANTE ESTÁ MUITO SÉRIO ENQUANTO O

LOCAL VAI FICANDO CADA VEZ MAIS QUENTE.

 

KENJI (desesperado): - Aquela maldita conseguiu o que tanto queria. Me

ver derrotado. Mas eu peço que um dia a justiça seja feita. E eu sei que

um dia a Mitsuko vai pagar por tudo que está fazendo.

 

KENJI RESPIRA FUNDO JÁ ACEITANDO O SEU DESTINO. AGORA O FOGO

ESTÁ DESTRUINDO TODO O ESTALEIRO.

 

KENJI (chorando): - Keiko…. Eu sinto muito não ter sido o avô que você

tanto merecia. Eu tentei ser melhor que eu podia com as minhas falhas.

Mas eu quero que você seja muito feliz. Eu te amo, minha neta.

 

KENJI REK O CORPO TOMADO PELO FOGO. HÁ ALGUNS SEGUNDOS DE

SILÊNCIO. LOGO DEPOIS UMA EXPLOSÃO PODE SER OUVIDA.

 

//

CENA 2: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. SALA DE ESTAR. FIM

DE TARDE

ESTELA ESTÁ PARADA COM ALGUNS PAPÉIS EM SUAS MÃOS. O

SEMBLANTE DELA É DE TRISTEZA E DESCRENÇA. NESSE MOMENTO

LUCAS E KEIKO ENTRAM NA MANSÃO DE MÃOS DADAS. LUCAS PERCEBE

A AFLIÇÃO DE SUA MÃE E VAI NA DIREÇÃO DELA.

LUCAS (sério): - O que foi que aconteceu, mãe? Eu sinto que a senhora

está tentando me esconder alguma coisa. Pode me contar tudo.

ESTELA (aflita): - Nós temos que ir embora da mansão, meu filho. Eu

acabei de falar com o advogado por telefone e ele me informou que a mansão, a empresa e tudo que temos está no nome do Celso. Ele

conseguiu o que tanto queria. Ele nos tirou tudo.

KEIKO: - Até quando esse homem vai continuar infernizando a nossa vida?

Eu sempre acreditei que um dia a justiça iria ser feita, mas sinceramente

eu estou ficando cansada. Eu não aguento mais ter que fingir que tudo

está bem.

 

KEIKO DESABA EM LÁGRIMAS. LUCAS A CONFORTA COM UM ABRAÇO.

NESSE MOMENTO A EMPREGADA CHEGA COM PRESSA DEIXANDO TODOS

APREENSIVOS COM ESSA ATITUDE.

 

EMPREGADA (figurante): - Desculpe senhora Estela…. Mas aconteceu uma

tragédia. Se eu contar vocês não vão acreditar. Vocês precisam ver com

seus próprios olhos. Liguem a tv. É muito importante.

 

ESTELA VÊ O DESESPERO NO OLHAR DA EMPREGADA.ELA.LIGA A TV E

PODEMOS VER QUE ESTÁ TENDO UMA REPORTAGEM COM O ESTALEIRO

PEGANDO FOGO AO FUNDO.

 

REPÓRTER (figurante): - Acabamos de receber a notícia de que há uma

vítima nesse terrível incêndio nesse estaleiro. Poucos momentos antes do

incêndio começar um homem chamado Kenji Watanabe foi visto nos

arredores do estaleiro.

 

A CÂMERA VOLTA PARA A ASLA DE ESTAR DA MANSÃO MOSTRANDO O

CHOQUE NO ROSTO DE KEIKO. ELE ESTÁ PARALISADA SEM ACREDITAR

NO QUE ESTÁ ACONTECENDO.

 

//

CENA 3: INTERIOR. HOTEL. PISCINA. FIM DE TARDE

CLOSE EM FABIANA QUE ESTÁ DEITADA DE BIQUÍNI SOB UMA CADEIRA

A BEIRA DA PISCINA. NESSE MOMENTO VALÉRIA VEM ANDANDO NA

DIREÇÃO DE SUA FILHA QUE DESFAZ O SORRISO ASSIM QUE A VÊ. A

VILÃ SE LEVANTA E SEGURA SUA MÃE PELO BRAÇO COM FORÇA.

 

FABIANA (sussurrando): - O que você pensa que está fazendo aqui? Quer

que todas essas pessoas da alta classe descubram que eu sou sua filha?

Porque você não vai embora? Eu não quero ter que passar essa vergonha.

VALÉRIA (desabafando): - Eu sempre soube que você tinha vergonha de

mim, Fabiana. Mas eu jamais pensei que a minha única filha pudesse ser

uma assassina. Como você teve coragem de tentar matar o seu pai?

FABIANA: - Que espécie de pai aquele maldito é? Um homem que nunca

ligou para mim, e que ainda em uma aventura no oriente teve outra filha.

Eu fiz isso mesmo, e eu faria tudo de novo. Está satisfeita?

 

SEM PENSAR EM SUA ATITUDE VALÉRIA DÁ UM TAPA NA CARA DE

FABIANA. A VILÃ LEVA A MÃO AO ROSTO COM MUITA RAIVA.

 

VALÉRIA (se desculpando): - Minha filha…. Me desculpe. Eu não sei o que

deu em mim. Eu não queria ter feito isso. Você pode me desculpar?

FABIANA (com raiva): - É por isso que eu tenho vergonha da vida

miserável que você leva. Eu mereço mais do que isso. O meu próximo

passo é tirar aquela infeliz da Keiko do meu caminho. O Lucas vai ser meu

custe o que custar.

VALÉRIA: - Eu não posso acreditar que você está me falando essas

atrocidades. Eu sou sua mãe, Fabiana. Quando foi que eu errei com você?

 

FABIANA FAZ UM SINAL COM AS MÃOS E UM SEGURANÇA DO HOTEL

APARECE. O SEGURA LEVA VALÉRIA EMBORA ENQUANTO A VILÃ VOLTA A

APROVEITAR O HOTEL COM TODA A CALMA DO MUNDO.

//



• TRANSIÇÃO DE TEMPO: ANOITECE •



CENA 4: EXTERIOR. ESTALEIRO. ÁREA EXTERNA. NOITE

O FOGO CONTINUA TOMANDO CONTA DE TODO O ESTALEIRO. A

CÂMERA MOSTRA QUE TEM MUITOS CAMINHÕES DOS BOMBEIROS E DO

RESGATE TENTANDO CONTROLAR A SITUAÇÃO. NESSE MOMENTO UM

CARRO PRETO VAI CHEGANDO ATÉ O LOCAL. LOGO EM SEGUIDA KEIKO

DESCE DO CARRO E FICA HORRORIZADA COM O QUE VÊ. LUCAS DESCE

DO CARRO LOGO EK SEGUIDA.



KEIKO (gritando): - Sobo…. Vocês precisam fazer alguma coisa. O meu avô

está lá dentro ainda? Me digam alguma coisa. Eu preciso de respostas.

BOMBEIRO (figurante): - Eu sei que é difícil perante um situação dessas,

mas a senhorita precisa manter a calma. Nós estamos fazendo de tudo

para que o seu avô saia dessa tragédia são e salvo.

LUCAS: - Ele está certo, Keiko. Nós não podemos fazer nada nesse

momento. Tudo o que possamos fazer é esperar que o seu avô consiga

sair dessa sem nenhuma reação.

KEIKO (chorando): - E como é que eu posso fazer isso, Lucas? Me diga. A

minha intuição me diz que o meu avô está precisando de ajuda e essas

pessoas não estão fazendo nada para ajudar.

 

KEIKO TENTA CORRER EM DIREÇÃO AO INCÊNDIO, MAS LUCAS A

SEGURA. NESSE MOMENTO DOIS BOMBEIROS VEM SAINDO DE DENTRO

DAS CHAMAS COM O CORPO DE KENJI EM UMA MACA.

 

KEIKO (desesperada): - Diz que ele vai ficar bem. O meu avô vai ficar bem,

não é mesmo? (P) Eu estou te suplicando. Diz que ele vai se recuperar.

BOMBEIRO 2 (figurante): - Eu sinto muito ter que te dar essa notícia, mas

infelizmente nós não pudemos fazer nada. Quando chegamos na área de

acesso do incêndio, infelizmente o seu avô já estava morto.

 

KEIKO CAI DE JOELHOS NO CHÃO CHORANDO MUITO. LUCAS FICA AO DA

AMADA A CONSOLANDO. LOGO DEPOIS O BOMBEIRO ENTREGA PARA

LUCAS UM GALÃO DE GASOLINA O QUE DEIXA TODOS SURPRESOS.

 

LUCAS: - O senhor está querendo me dizer que esse incêndio foi

criminoso? Isso muda tudo. Nós temos um caso de assassinato agora.

 

LUCAS OLHA PARA KEIKO QUE ENTENDE O PENSAMENTO DE SEU

AMADO. KEIKO FAZ UM GESTO DE DESPEDIDA PERANTE O CORPO JÁ

SEM VIDA DE KENJI.

//

CENA 5: EXTERIOR. CASA DE DORALICE E ZECA. ENTRADA. NOITE

RAMON VEM PASSANDO NA PORTA DA CASA ONDE VIVEU COM DORALICE

E ZECA POR MUITOS ANOS. ELE FICA RELEMBRANDO TODOS OS

MOMENTOS QUE PASSOU NESTA CASA. NESSE MOMENTO RAMON SENTE ALGUÉM TOCAR EM SEUS OMBROS. QUANDO ELE SE VIRA E FICA FRENTE

A FRENTE COM ZECA QUE O OLHA ENTRISTECIDO.

 

RAMON (sério): - Zeca?!!!! O que você veio fazer aqui? Aposto que você

veio tripudiar da minha desgraça, não é mesmo? Onde está aquela sua

namorada? Eu aposto que vocês devem estar felizes em me ver nessa

situação.

ZECA (respirando fundo): - Muito pelo contrário, pai. Foi a Ayumi que me

convenceu a vir aqui conversar com você. Eu não queria vir, mas ela abriu

os meus olhos. Eu não posso ficar correndo dos meus problemas.

RAMON: - Então o que você quer de mim, Zeca? Foi a sua mãe que

mandou você vir aqui? Quantas vezes eu tenho que falar que não tenho

nenhum problema. Eu não preciso de ajuda.

 

ZECA SE APROXIMA AINDA MAIS DE CELSO. PAI E FILHO SE OLHAM

PROFUNDAMENTE NOS OLHOS UM DO OUTRO.

 

ZECA (ponderando): - Eu só quero entender porque o senhor é assim.

Porque você odeia tanto a senhora Olenka e a Ayumi? Me conta.

RAMON (firme): - Você sabe o que é amar uma pessoa e ter esse

sentimento destruído dentro de si? Eu sempre amei a Olenka, e ela

preferiu ficar com o Shin. Tudo o que eu queria é que aquela dor parasse.

ZECA: - Eu entendo os seus motivos, mas isso não está certo. A senhora

Olenka e a Ayumi não tem culpa em toda essa história. O que você fez a

senhora Olenka passar foi totalmente inaceitável.

 

PELA PRIMEIRA VEZ RAMON REFLETE SOBRE OS SEUS ATOS. ZECA

PERCEBE ALGO AUE ELE NUNCA VIU EM SEU PAI: REMORSO.

 

//

CENA 6: EXTERIOR. PRAÇA DO IBIRAPUERA. NOITE

PLANO GERAL DA CENA. HAYATO CEK ANDANDO PELA PRAÇA DO

IBIRAPUERA TOTALMENTE PERDIDO EM SEUS PENSAMENTOS. LOGO

DEPOIS ELR ATRAVESSA A CICLOVIA SEM OLHAR NO EXATO MOMENTO

QUE UMA MULHER VEM PASSANDO. A MULHER CONSEGUE FREAR A

POUCOS CENTÍMETROS DE ACERTAR HAYATO.

OBS: ELIZETE É INTERPRETADA PELA ATRIZ FERNANDA RODRIGUES



ELIZETE (bufando de ódio): - O que você pensa que está fazendo? Não

olha por onde anda não? Aposto que na sua terra não é diferente..

HAYATO OLHA FIXAMENTE NOS OLHOS DE ELIZETE. ELA PERCEBE

QUEMTREALMENTE ESTÁ NA SUA FRENTE. ELA NÃO ACREDITA.

ELIZETE (surpresa): - Espera só um momento. Eu te conheço. Eu te vi

naquela entrevista na tv denunciando a sua mãe pelos crimes dela. TATU T

foi muito corajoso ao ter essa atitude.

HAYATO (sério): - Eu não tenho que ficar aqui ouvindo sobre os erros da

minha mãe. Além do que você é apenas uma estranha..

ELIZETE: - Eu estou aqui tentando dizer que o que você fez foi a coisa

correta, e você me deu rata dessa forma? Você é um troglodita.

HAYATO LEVANTA A MÃO PARA ELIZETE, MAS ELA NÃO TEM MEDO.

ELIZETE (corajosa): - Vai me bater agora? É assim que os asiáticos tratam

quem pensa diferente? Se quer saber de uma coisa eu vou embora. Eu não

tenho tempo para perder com alguém como você.

HAYATO (irritado): - Você não me conhece e não tem motivos nenhum

para estar falando assim comigo. Se quer ir embora então vá.

ELIZETE: - Você é muito mal educado, sabia? A denúncia que você fez

contra a sua mãe foi admirável, mas você é um sem educação.

ELIZETE MONTA EM SUA BICICLETA. HAYATO VÊ EOA INDO EMBORA DO

PARQUE DO IBIRAPUERA E ESBOÇA UM PEQUENO SORRISO.

 

//

CENA 7: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. QUARTO DE LUCAS.

NOITE

KEIKO ESTÁ SENTADA NA BEIRA DA CAMA CHORANDO MUITO COM A

MORTE DE SEU AVÔ. LUCAS ESTÁ PARADO EM PÉ A SUA FRENTE. ELE A

ABRAÇA EM UM SILÊNCIO PROFUNDO. LOGO DEPOIS KEIKO E LUCAS SE

OLHAM E LUCAS ENXUGA AS LÁGRIMAS DE KEIKO.

KEIKO (chorando): - Porque isso teve que acontecer, Lucas? Isso não é

justo. O meu avô não merecia passar por isso. E tudo isso porquê? Por

causa da ambição de uma mulher que acha que está acima de tudo e de

todos. Quando é que esse inferno vai acabar?

LUCAS (confortando): - Eu nem posso imaginar o que você deve estar

sentindo, Keiko. Você está coberta de razão. Eu tenho certeza que foi a

Mitsuko que matou o seu avô. Essa mulher quer te destruir a todo custo.

KEIKO: - Mas isso não vai ficar assim, Lucas. Eu cansei de ficar parada

vendo todas as pessoas com que eu me importo na mira dessa assassina.

Eu vou acertar as contas de uma vez por todas.

 

KEIKO SE LEVANTA E VAI NA DIREÇÃO DA PORTA. LUCAS A SEGURA

PELO BRAÇO A IMPEDINDO DE SAIR DE CABEÇA QUENTE.

 

KEIKO (séria): - Me solta, Lucas. Você não vai me impedir de confrontar

essa maldita. Ela precisa ouvir umas verdades na cara. Eu te peço.

LUCAS (ponderando): - Você não entende que isso é uma emboscada,

Keiko? A Mitsuko quer te matar e você vai dar a oportunidade dela fazer

isso? Eu te suplico. Não vai. Essa mulher é muito perigosa.

KEIKO: - Isso não me importa mais, Lucas. Aquela mulher matou o meu

avô e tudo o que quero é que tenha o mesmo destino.

 

KEIKO SAI DO QUARTO TOTALMENTE DECIDIDA. LUCAS FICA PARADO

ASSUSTADO COM A ATITUDE DE KEIKO.

 

A IMAGEM CONGELA NO OLHAR SURPRESO DE LUCAS. AOS POUCOS A

IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO COMO SE O SOL

ESTIVESSE NASCENDO NO HORIZONTE.

 


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.