Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Força de Um Sonho - Capitulo 14

 


Cena 1/ UFF / Frente / Noite/ 

André - Fui promovido à Gestor de Finanças, simplesmente eu vou trabalhar com a parte financeira, área que eu sempre quis, estou muito feliz.
Janaina - Você merece essa promoção, se esforçou muito para conseguir, assim como eu também estou me esforçando para me tornar una ótima advogada. Um dia seremos muito felizes trabalhando nas nossas áreas..
André - Sabe que sua motivação serve de exemplo para mim..
André e Janaina se aproximam e acabam se beijando. Nesse momento , Paula os observa e decide ir até eles.

Paula ( Cínica ) -  Que bonito, não... Vocês aqui aos beijos...

André - O que faz aqui, Paula?
Paula ( Cínica ) - Vim até o lugar que a sua querida namorada estuda... E que um dia eu estudei... Às vezes sinto falta da faculdade.
Janaina - Pelo que sei você deve ter estudado numa particular, que sua querida mãe deve ter pago... ( T) . À propósito, como ela está?
Paula ( Arrogante ) - Morreu.
Janaina - Meus sentimentos ...( cínica )  Sei a dor que você deve estar sentindo, se é que tem sentimentos...
Paula ( Debochada ) - Você é tão chacota... Acha que pisa em mim mas é apenas um tapete...
André ( Entrando na discussão ) - 1 ano, condenada,perdeu a mãe... Você não moda né? Cansei da sua cara.
Paula - Por que tem que falar da minha mãe? Já foi, passado, ninguém vai me parar. ( Apontando o dedo )
Janaina ( Enfrentando - a ) - Abaixa esse dedo senão enfio a mao na sua cara.
André ( Incomodado ) - Deixa Janaina, não perca seu tempo discutindo com lixo.

André e Janaina vão embora.

Paula ( Furiosa ) - Vocês vão me pagar...

Cena 2/ Subúrbio / Casa de Júlio  / Interior / Noite/ 

Leandro e Julio chegam da boate, bêbados. Fazendo escândalo, Leandro entra em casa cantando.

Leandro - Preste atenção no poder da tentação
E da buzina quando toca fazendo sair do chão
Agora preste atenção no poder da tentação
E da buzina-zina-zina-zina-zina-zinação. Hahaha. Eu tô bem alto!
Julio ( Passando a mão no rosto ) - Eu nunca tinha bebido tanto... Aqueles drinques coloridos fizeram muito efeito na gente.
Leandro - Vontade de fazer algo com você... Eu estou sem casa mas estou com um boy magia. Hahaha. Gostoso.
Julio ( Rindo do namorado ) - Voce quando bebe fica mais extravagante ainda... Legal.
Leandro ( Empolgado ) - Vamos para o quarto, gato, fazer alguma coisa. Hahaha. Uma coisa bem gostosa.
Julio ( Tirando a camisa ) - Você é sexy, uma poc bem sexy... Gatinho. Aaaah.
Leandro - Então vamos... Vamos fazer.

Julio agarra Leandro e lhe dá um beijo , em seguida vão até o sofá , iniciando uma troca de carícias.

Leandro ( Desarrumado ) -  Ai... Te amo tanto Julio.
Julio ( Sorrindo ) - Também te amo tanto Leandro...

Eles se beijam novamente, e trocam vários amassos. 



Cena 3/ Rocinha / Casa de Regina / Sala / Manhã/

Caio está assistindo uma competição paraolímpica pela televisão e parece se sentir atraido pelos esportes.

Caio ( Pensativo ) -  Sabe... Esses esportes têm me chamado bastante atenção... Todo esse esforço, garra de superar as limitações , eu me sinto como um deles.
Regina - O esporte paralímpico é voltado para a superação, todos eles passaram por uma adversidade na vida e viram no esporte uma forma de se reerguer. ( T ). Você tem o desejo de se tornar um atleta?
Caio - Eu tenho. Principalmente que eu tenho lido sobre atletas, como Fernando Fernandes, que assim como eu, ficou paraplégico e se tornou um atleta.  Eu sei que não voltarei a andar, mas quero poder superar meus desafios, nem que eu tenha que descer arrastado as escadas da Rocinha.
Regina ( Sorrindo ) - Você me ilumina, tanta garra e força de vontade... Aliás, todos aqui na Rocinha inspiram motivação, todos focados em seus objetivos.
Caio ( Decidido ) -Eu estou pensando em me matricular em uma escola de natação. Mesmo que eu não possa nadar como todos, eu quero ser como todos e aprender também, para depois ser um nadador paralímpico.
Regina ( Acariciando o filho ) - Voce vai conseguir, tenha fé que vai.
Caio ( Indo para a cadeira de rodas ) - Vou buscar algumas coisas que eu imprimi, aproveitando o intervalo.
Regina - Vou adorar ver...

Cena 4/ Ipanema / Casa de Paula / Tarde/

Paula está em casa reunida com suas amigas Catarina e Daniela.Elas estão no sofá comendo e assistindo um filme.

Paula ( Com um saco de batata frita ) - Ai... Estou me sentindo tao livre agora, a casa só pra mim...
Daniela - Diz em relação à sua mãe?
Paula - Sim... Ai... Tava muito chata, querendo me dar lição de moral... Uó.
Catarina - Amiga... Se fosse eu sentiria falta da minha mãe... Eu conheci a Carmen como uma mulher que trabalhava, e se consumiu aos poucos...
Paula ( Incomodada) - Vamos mudar de assunto... ( Joga o saco no chão ) . Tá chato isso... Prefiro o meu boy Juliano, maior e melhor...
Daniela - Eu estou bem próxima do Wesley. ( com pena ). Coitado... Foi assaltado e roubaram tudo dele e ainda o agrediram.
Catarina ( Apoiando Daniela ) - A violência está em todo lugar, temos que ficar atentas, infelizmente. A criminalidade aumenta junto com a bandidagem.
Paula ( Cínica ) - Deu para militar agora, Catarina? Se o agrediram  é que fez alguma coisa. Se é negro, favelado é que fez alguma coisa. Esse pessoal é tudo cheio de marra,por isso não gosto.
Daniela ( Discordando ) - Amiga... Ninguém é assaltado por vingança, ele tava trabalhando, pra ganhar dinheiro. Pelo que conheço é um rapaz de bem.
Paula ( Incomodada com o assunto ) - Ai... Vocês tem vezes que tem cada ideia... Parece que não enxergam que essa gente é suja, como aquela imoral da Janaina.
Catarina - Por que a odeia tanto?
Paula ( Irritada ) - Por que roubou o André de mim. Mas eu não gosto de negro, nem sou obrigado a gostar.
Daniela ( Mudando o assunto ) -  Esse filme é legal, estamos perdendo. ( T ). Vou ate pegar mais pipoca.


Cena 5/ Subúrbio / Casa de Ivana e Katia / Tarde / 

Ivana e Katia estão olhando os extratos bancários e iniciam um balanço do ultimo ano.

Ivana - Filha... Eu tenho observado os extratos, e parece que só temos vivido apenas para pagar contas. Não temos quase nenhum dinheiro...
Katia - A morte do vovô acabou complicando tudo, ele sempre tinha um dinheiro para dar, nos ajudava e estávamos bem na vida.
Ivana - Por sorte eu continuo recebendo a aposentadoria, mesmo com o Haroldo tendo morrido, fui esperta dessa vez.
Katia ( Surpresa ) - Nossa mãe! Como conseguiu fazer isso? ( T) . Pelo que sei, quando o pai morre, o dinheiro acaba e ninguém tem mais direito.
Ivana ( Sorrindo ) - Mas... Eu fui mais esperta e não passei ao INSS, e mesmo com o caso na imprensa, fiz parecer que o dinheiro permaneça e estou recebendo a aposentadoria.
Kátia ( Preocupada ) - Isso deve ser errado...
Ivana - Não vai ser errado não, só a gente que sabe, somos mais espertas que todos... O Haroldo já estava velho, mas nos ajudou muito, e vai continuar a ajudar.
Katia ( Apoiando a mãe ) - Com certeza, a gente quer curtir a vida, e para isso precisamos de dinheiro, dinheiro é tudo. (T). Temos que procurar um homem rico também, para nos satisfazer isso também seria ótimo.
Ivana - Por isso apoio essas mulheres que casam com homens ricos, tem vida boa para sempre...
Katia ( Mexendo no celular ) - Aqui mãe... olha, baixei o aplicativo.
Ivana ( Empolgada ) - Vamos logo então, filha...


Cena 6/ Rocinha / Interior / Tarde /


Jadson está reunido com os traficantes em um churrasco. Eles possuem fuzis e os organizam junto com as bebidas e as drogas. Jadson decide iniciar um pronunciamento.

Jadson ( Cínico ) - Vocês não sabem o prazer que é estar de volta... Apenas um rei foge do hospital daquela maneira, decolando... Vocês são os melhores comparsas que alguem pode ter.
Bruno ( Com um cigarro em maos ) - Pode deixar que contará conosco, o comando da Rocinha é nosso.. E nada melhor do que comemorarmos com um churrasco, e armas.
Airton - Lembro do cara que matamos, foi igual uma galinha... Só você Jadson, para ser tão sádico a ponto de matar alguem assim...

Flashback on

Capitulo 2 - Cena 4

Jadson está com o corpo de Augusto estirado do chão da sala. Junto com seus capangas, retira o corpo do saco plástico e o joga.

Jadson ( maquiavélico ) - Traidor a gente trata assim...

Em seguida Jadson o chuta.

Jadson ( frio ) - Vocês aí! ( direcionado para os capangas ) . Arrumem um machado para mim, daqueles bem afiados que quero fazer uma coisa.
Capanga 1 ( sem entender ) - Mas, por que você quer um machado? Não me diga que...
Jadson - É isso mesmo que vou fazer... O Augusto já pagou, e agora a familia dele vai ganhar um singelo presentinho... Hahaha.
Capanga 2 ( entregando o machado ) - Já está aqui. ( T ).'Consegui um machado de lenhador. Daqueles que decepam até a alma!
Jadson pega o machado e prepara Augusto como se estivesse em um ritual.
Jadson ( frio ) - Adeus!
Jadson pega o machado e corta a cabeça de Augusto , fazendo o sangue jorrar.
Capanga 1 - O que irá fazer agora?

Flashback off

Jadson ( Com um baseado e um copo de cerveja ) - Já matei muito... 10 anos aqui no Comando e ninguém me prende... Cá estou, de volta, rodeado de mercadorias...
Bruno - E as armas?
Jadson - Sim... Vamos fazer uns disparos...

Jadson e os traficantes iniciam uma sessão de disparos, causando medo à todos os moradores. Alguns entram em casa, outros em lojas, todos com o intuito de se proteger.
Jadson ( Dando risadas ) - Isso aí... Balas para amedrontar à todos..


Cena 7/ Empresa / Interior / Tarde/

André está em sua sala, trabalhando como Gestor de Finanças, ele observa alguns papeis e faz toda a contabilidade.

André ( Admirado ) - Isso que é trabalho... Vou ter que ralar bastante. ( Digitando no computador ). Dados muito importantes, o trabalho vale a pena.
Nesse momento, o chefe entra.
Chefe - O que está achando do trabalho?
André ( Sorrindo ) - Eu estou gostando... Antes de vir para cá eu era apenas auxiliar, agora trabalho com gestão. Tenho certeza que vou ter a chance de evoluir cada vez mais.
Chefe - Que bom então... Geralmente quem entra num novo emprego passa por dificuldades. ( T ). Qualquer coisa pode vir na sala.
André - Está certo então.

Após o chefe ir embora, o celular de André toca, é Paula. A tela se divide.

Ligação on

Paula ( Cínica ) - André... Como vai?
André - Paula? Por que me liga no horário de trabalho.
Paula ( Debochada ) - Eu apenas quero saber como você está. E... Como você conseguiu esse emprego?
André ( Incomodado ) - Estudando, coisa que voce não fez, porque se tivesse estudado, seria uma advogada.
Paula - Ai, ai... Tudo para agradar a favelada... Aposto que foi ela que incentivou você a conseguir.
André - Incentivou? Sim, ela incentivou. Quero ser cada vez mais instruído, crescer na vida é meu desejo, mas sem pisar em ninguém.
Paula ( Ameaçando - o ) - Pois então, voce colherá os frutos, pois farei a vida de vocês um inferno... Não descansarei enquanto ver vocês separados.
André ( Irritado ) - Olha, estou no horário de trabalho, eu vou aí na tua casa resolver isso, fique atenta!
Paula ( Cínica ) - Hahaha!

Em seguida ela desliga o telefone.

Ligação off

André ( Com a mão na cabeça ) Mulher chata... Mas vou resolver isso.

Cena 8/ Subúrbio / Casa de Ivana e Katia  / Tarde /

Régis, irmão de Ivana, chega para visitá-la. Ela se surpreende ao ve-lo.


Régis - Oi Ivana.
Ivana ( Surpresa ) - Regis, o que faz aqui? Você ficou anos fora e nem tinha sinais de você.
Regis ( Com as mãos no bolso ) - Bem... Como soube da morte do Haroldo, eu vim pra saber das propriedades... E espero que mesmo que 1 ano após a morte, ainda tenham tudo organizado.
Ivana ( Preocupada) - É... que... Esta tudo certo, só tinha o apartamento dele, mas não sei se tinha inventário, só vendo no Cartório.
Regis ( Sem entender ) - Mas... Não tem nada que comprove?
Ivana ( Disfarçando ) - Hum... Nem sei ... Foi tao rápido que nem pensamos em nada.

Katia aparece.

Katia ( Surpresa ) - Tio? Quanto tempo!
Regis ( Sorrindo ) - Tempo que não via voce também... ( T). Sabe das propriedades do seu avô?
Katia - Bem... Ele morreu, mas ainda temos...
Ivana ( Cutucando Katia ) - Quer dizer que temos os documentos da morte, só isso.
Regis - É que... Eu também preciso sabe... Vocês não podem ter tudo para vocês.
Ivana ( Tentando disfarçar ) - Não é isso... É que não sabemos nada alem disso, só vendo...
Regis ( Decidido ) - Seguinte... Eu vou dar uma olhada em casa e darei entrada aos proicedimentos.
Em seguida Regis vai embora.

Ivana ( Preocupada ) - Ai meu Deus... Que ele não descubra.


Cena 9/ Subúrbio / Salão / Tarde/

Mara está trabalhando em seu salão, quando ela percebe a chegada de seu filho Leandro, usando salto alto.

Leandro - Oi mãe, como vai?
Mara ( Incomodada ) - Posso saber por que você veio até aqui, de salto alto?
Leandro ( Debochado )- Deu vontade de usar salto alto, me sinto bem assim... É um país livre, ao menos por enquanto.
Mara ( Repreendendo - o ) - Mas do momento que está no meu ambiente de trabalho, voce não tem o direito de me desrespeitar. Eu não sou obrigada a aceitar esse seu comportamento.
Leandro - E eu não sou obrigado a seguir suas regras, desde que eu me assumi, você não me apoia, se não fosse meu namorado, eu nem sei como estaria. ( T). E eu vou vestir o que eu quiser, e me vestir como eu quiser.
Mara - Pois então viva como quiser, não vou ficar aturando suas idéias, viva como voce quiser, mas com o seu namorado... Foi você que quis sair.
Leandro ( Sentando na cadeira ) - Acabou a discussão. E eu quero ser o próximo a ser atendido, tá!

Cena 10/ Ipanema / Casa de Paula / Tarde/

Decidido a tirar tudo à limpo, André vai até a casa de Paula, ela finge surpresa ao vê-lo.

Paula ( Cínica ) - Andre? Você veio me ver? Entre e vamos conversar!
Ela fecha a porta.
André - Eu vim dizer que estou cansado de você importunando minha vida e da Janaína, tá?
Paula ( Tentando seduzí-lo ) - Mas é porque eu te amo, sempre te amei... E sinto sua falta... Disse que ia me vingar se me largasse...
André ( Irritado ) - Voce é uma desequilibrada, deveria era estar na cadeia... Nem a morte da sua mãe amolece o seu coração...


Enquanto André fala, Paula faz um sinal para trazer dois sucos e Juliano traz.

Paula ( Cínica ) - Ah... Finalmente os refrescos! ( Maquiavélica ) . Vem Andre, toma também... Está um calor...

André aceita o suco e os dois bebem. Paula o observa com um olhar maléfico.

Paula ( Em pensamento ) - Boa Noite Cinderela... Ou melhor, André .


Em seguida, André começa a se sentir tonto.

André ( Com a mão na cabeça ) - Paula... Eu estou estranho... O que você colocou para eu tomar?
Paula ( Debochada ) - Amor...Só amor... Hahaha!

André acaba desmaiando no sofá, Paula chama Juliano e eles o carregam para o quarto dela. Em seguida Paula se deita ao lado dele. Juliano tira várias fotos.

Paula - Hahaha! Agora vai dar certo!
Juliano - Minha malvada...
Paula ( Observando as fotos ) - Ficaram ótimas, vai convencer muito bem... Voce poderia ser fotógrafo.
Juliano ( Sarcástico ) - Eu sou bem dotado. Haha
Os dois se beijam.


Cena 11/ Copacabana / Rua / Tarde/

Gael e Douglas andam por uma rua movimentada, fumando baseado, próximos à uma árvore.

Douglas ( Assoprando a fumaça ) - Que onda forte... Amo isso... Ahhh...
Gael ( Com um baseado em mãos ) - Ai meu Deus, como é bom ser vida louca... Estou numa brisa maneira. Hahaha. Só drogado que me sinto assim...
Douglas - Aaaaaaah! ( Ele bate em uma arvore ) .  Tomara que caia dinheiro daqui... E não mexe no meu baseado.
Gael ( Começando a rir ) - Cê tá loucão! Loucão! Morrendo com você.
Douglas - Cara, sua mãe tá na outra rua.
Gael se esconde atrás de uma arvore.

Gael - Ela não pode me ver... Me esconde cara...
Douglas ( Tampando Gael ) - Tò escondendo... Vamo prá outra rua,bro!
Gael ( Apressado ) - Já é!

Gael e Douglas se escondem.

Gael ( Preocupado ) - Será que ela me viu?
Douglas - Toma outro baseado para esquecer , fica logo noiado.
Gael ( Assoprando o baseado ) - Valeu cara! Aaaah!


Eles continuam a se drogar.


Cena 12/ Ipanema / Casa de Paula / Interior / Quarto de Paula / Tarde /


Deitado na cama de Paula, André acorda confuso.

André ( Sem entender nada ) - O que aconteceu? Por que eu estou deitado aqui?
Paula - Ah, André... Tivemos um belo momento... Você foi um tigrão na cama... Assim como você era quando namorávamos.
André ( Juntando os pontos ) - Momento? Eu desmaiei no sofá e acordei aqui. Com certeza isso foi armação, uma armação da boa.
Paula ( Cínica ) - André... Esse truque é infalível, quem vai acreditar que você não fez nada? ( Mostrando as fotos ) . Olha só isso, tudo dá a entender que fizemos algo, ficou tudo perfeito.
André - Isso aqui é montagem, voce armou isso. Voce não ten nenhum escrúpulo. Nem sei porque eu vim até aqui.  ( Vestindo a roupa ). Uma armação para me separar da Janaina, a qual você odeia, sua cinica!
Paula ( Debochada ) - Pode esbravejar, mas essas fotos são reais, nem dá para desconfiar.
André ( Irritado ) - Quer saber? Eu vou embora, não estou a fim de olhar pra sua cara. Adeus!

André vai embora.

Paula ( Preocupada ) - Tenho que ir logo mostrar essas fotos...

Algum tempo depois...

Cena 13/Vidigal / Casa de Leonor / Exterior / Noite

Paula vai ao Vidigal e chega até a casa de Janaina, munida das fotos. Ela bate na porta e Janaina atende.

Janaina ( Surpresa ) - Paula, o que faz aqui?
Paula ( Cínica ) - Ah Janaina... Tenho uma péssima notícia para contar... Nossa... O seu querido namorado André, esteve comigo, na cama...
Janaina - Como é?
Paula - O André foi ate a minha casa, disse que me amava e foi para a cama comigo. Foi um lindo momento... Senti tantas saudades...
Janaina ( Irritada ) - Pelo que sei, o Andre nem fala com você, se ele foi até lá, algum momento tinha.
Paula ( Mostrando as fotos ) - Veja com seus próprios olhos....


Janaina olha as fotos e fica chocada, observa uma por uma.

Janaina ( Sem entender ) - Isso não pode ser verdade...


GANCHO




Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.