Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Mudanças da vida - Capítulo 17 (reprise - últimos capítulos)

 

Capítulo 17 ( últimos capítulos)

No Capítulo anterior Simone descobre que Erika é sua irmã e fica revoltada.

Alguém joga gasolina no porão da escola com intuito de incendiar o colégio. O Assassino

sequestra Suzana e Sandra deixando-as apavoradas.

Josivan conta a verdade a Erika sobre ela ter uma irmã


No Capítulo de hoje Erika fica chateada com seu pai.

O colégio pega fogo deixando alguns feridos. Lucas se apavora com o sumiço de sua mãe.

Miguel e Elisângela vão à sorveteria e conversam e Cássio, o dono do restaurante os

observa. Passam se alguns dias e Sandra e Suzana continuam desaparecidas. Bruno não

resiste aos ferimentos causados pelo incêndio e vem a óbito. Patrícia e Luan se aproximam

e rola um clima entre os dois.

Cena 1:

( Erika fica chateada com seu pai e pede pra ele sair do quarto)

Erika: ( olha fixo pro pai/ nervosa/ grita)

- Como assim eu tenho outra irmã? fala quem é

Josivan: ( levanta/ nervoso)

- Vocês já se conhecem

- Filha sua irmã é a sua melhor amiga Simone.

Erika: ( nervosa/ furiosa)

- Como você pôde separar sua própria filha e ficar com essa cara de pau assim. Fora daqui,

não quero falar com você.

Josivan: ( nervoso/ tenta acalmá-la)

- Espera aí não admito você falar comigo dessa maneira se acalma

Erika: ( furiosa)

- Sai senão chamo a enfermeira

Corta p/ cena 2:

( Lucas se preocupa e sai a procura de sua mãe)

Lucas: ( em casa/ noite/ no quarto)

- Meu Deus cadê minha mãe, preciso sair e procurar ela.

( ele vê uma notícia no celular sobre o colégio)

- O que é isso? que notícia é essa?

- O Colégio pegou fogo, como assim?


Corta p/ cena 3:

( Sandra e Suzana continuam no cativeiro e tenta escapar das algemas)

Susana: ( consegue se soltar/ nervosa)

- Vamos Sandra você precisa revelar quem é o mandante de tudo isso

Sandra: ( na cadeira/ nervosa/ com medo)

- Primeiro a gente tem que tentar fugir daqui e depois te falo.

Suzana: ( nervosa/ consegue tirar a algema/ e ajuda Sandra)

- Se a gente tem chances de fugir a hora é agora enquanto não tem ninguém aí fora

Sandra: ( com medo/ se levanta)

- Mais tá muito escuro e não sabemos nem onde estamos.

Suzana: ( determinada/ segue em direção a porta)

- Vamos temos que abrir essa porta e correr o quanto a gente puder, nada de distrações.

Corta p/ cena 4:

( No colégio Cíntia e Luan ficam presos e o local se arder em chama)

Cíntia: ( cansada/ chorando/ desesperada)

- Filho está tudo em chamas, a gente não vai conseguir sair daqui.

Luan: ( nervoso/ suando/ tentando minimizar o fogo)

- A gente vai sim mãe, vamos conseguir.

Corta p/ cena 5:

( Na sorveteria Elisângela e Miguel se beijam e debocham de Sandra)

- Elisângela: ( sarcástica/ sentada/ coloca a bolsa de lado)

- Amor, que bom que estamos juntos e agora com sua esposa desaparecida você pode

desfrutar da metade da grana dela.

Miguel: ( vendo o celular)

- É sim amor

- Mas tem o Lucas que é herdeiro você esqueceu?

- Você viu o colégio do meu filho pegar fogo hoje e os bombeiros não estão conseguindo

controlar as chamas. Foi você, né?

Elisângela: ( sorrir sarcasticamente/ levanta pra ir ao banheiro)

- Nossa, como você pensa isso de me! Sou tão frágil. Naquele colégio havia um estorvo que

jamais poderia descobrir aquela coisa, eu só fiz dar uma ajudinha.

Miguel: ( sorriso sarcástico/ pede o menu)


- Você passou dos limites Eli.

Elisângela: ( sorrir e sai)

- Não vão suspeitar.

Corta p/ cena 6:

( Um mês Depois)

( Passa-se um mês e Suzana e Sandra conseguiram fugir mais ficam escondidas)

Suzana: ( Manhã/ no barraco no lixão perto da cidade/ sentada)

- Já se passou um mês e ainda não conseguimos nenhuma pista desse salafrário.

Sandra: ( tranquila/ preocupada/ se levanta)

- Eu preciso ver meu filho, estou a muito tempo sem notícias dele, o pior que não temos

nenhum celular aqui.

Suzana: ( decidida/ levanta)

- Estamos quase perto da audiência final e não posso perder, vou ter que me arriscar.

Sandra: ( abre a porta)

- Vamos amiga, tenho um plano confia em mim

Corta p/ cena 8:

( Cíntia e Luan vão para a casa de Carol, que descobre que ela é uma policial disfarçada )

Luan: ( pega a mala)

- Vamos mãe, agora temos que arrumar emprego, uma nova casa e iniciar uma nova vida.

Cíntia: ( chorando/ pega a mala)

- Sim filho, agora vamos ter uma grande mudança de vida. Fico muito triste em saber que o

meu companheiro de trabalho se foi. Grande Homem o nosso eterno Bruno.

Carmela: ( liga o carro/ chama)

- Vamos pessoal, eu garanto que vocês não vão ficar desamparados.

Corta p/ cena 9:

( Simone briga com Camila que a expulsa de casa)

Camila: ( irritada/ abre a porta do quarto)

- A quanto tempo vai ficar dormindo sua malcriada?

Simone: ( brava/ séria/ no quarto)

- Olha! a mamãezinha resolveu colocar as garras de fora


Camila: ( seria/ vira as costas/ sorrir sarcasticamente )

- Você ainda não viu nada queridinha.

Simone: ( sai do quarto/ furiosa)

- Ah! Tenho um comunicado para sair de casa, mas antes de sair quero toda a verdade

porque eu vim parar nas suas mãos.

Camila: ( olhar de maldade/ sobe a escada)

- Vai ouvir sim, já que não tenho que ficar cuidando de uma pirralha insolente.

Corta p/ cena 10:

( Erika pede explicação a Josivan o porquê ela ter ficado separada da irmã )


Erika: ( Na sala/ sentada no sofá)

- Olha quem desce o famoso Dr. Josivan.

Josivan: ( sério/ descendo a escada)

- Mais respeito comigo sou seu pai.

Erika: ( se levanta)

- Que tipo de respeito quer ter depois do que você fez.

- Aliás quero toda a verdade sobre eu e minha irmã conviver separadas.

Josivan: ( irritado/ grita)

- Tá bom, já que quer ouvir tanto essa verdade.

- Por onde quer que comece?

Erika: ( joga o celular no sofá / caminha em direção ao pai)

- Minha mãe sabia de tudo isso?

Josivan: ( vai pra mesa/ senta)

- Não, quando sua irmã nasceu Geovanna estava inconsciente devido a queda da escada e

tiveram que antecipar o parto.

Erika: ( brava/ senta na mesa)

- E o que mais? por qual motivo você fez isso.

Josivan: ( pega a xícara/ leva até a boca)

- Simples, sua mãe pegou Camila e eu na cama e resolveu sair correndo pra algum lugar,

bom é claro que tive que fazer alguma coisa, nada mais justo do que empurrá-la da escada,

pena que ela não morreu.

Erika: ( olhar de ódio/ se levanta)

- Que canalha, quanto cinismo, quanta crueldade vindo de você, você é um demente.

Josivan: ( fica em pé/ grita)


- Cala a sua boca, você não queria ouvir a verdade então... vai ouvir até o final.

- Continuando, depois que ela caiu da escada, ter ido ao hospital, ter antecipado o parto

decidi que ela não merecia ter a criança então demos um jeito, pegamos uma criança morta

e colocamos no lugar da viva, e Camila decidiu levar a criança viva pra criar.

Erika: ( olhar de ódio/ chora)

- Vocês dois...vocês são uns dementes quanta crueldade, como posso chamar uma pessoa

assim de pai, eu tenho nojo de você.


Josivan: ( sarcástico/ sai e sobe a escada)

- Obrigada por tanto elogio, aliás eu nunca suportei a sua mãe, ela queria ser muito

certinha, e adorei ela ter morrido...

Erika: ( chora muito/ sai às pressas de casa)

- Meu Deus, quanta maldade, como faço agora para prosseguir?

Corta p/ cena 11:

( Luan e Cíntia chegam a casa da professora Carol)

Carmela: ( para o carro/ entrando a tarde/ tira o cinto)

- Chegamos pessoal

Luan: ( sorri/ tira o cinto)

- Até que enfim o lugar é meio longe né

Cíntia: ( Sai do carro/ segue em direção a casa)

- Filho mais temos que dar graças a Deus poder ficar na casa de alguém ao invés da rua

( todos entram e Luan se surpreende ao ver Patrícia ali)

Luan: ( surpreso/ fixa os olhos)

- Patrícia, o que faz aqui?

Patrícia: ( surpresa/ se levanta do sofá)

- Ué eu moro aqui

Carol: ( alegre/ desce a escada)

- Enfim nossos hóspedes chegaram, sejam bem vindos.

- Parece que ficaram surpresos ao verem a garota aqui, que é irritante né?

- Bom, Patrícia é minha sobrinha e veio morar comigo. Sentem-se.

Luan: ( pasmo/ sorrir)

- Nunca imaginei uma garota mimada ser sobrinha de alguém tão educada. Desculpa falei

sem querer.

Carmela: ( calma/ se senta)


- Cíntia e Luan essa agora são o lar de vocês por um tempo.

Carol: ( Sorrir/ se senta)

- Verdade, pra mim e Patrícia será uma honra.

Carmela:

- Pessoal preciso contar uma coisa a vocês

- A professora Carol é professora e uma policial

Luan: ( surpreso/ se senta)

- Annn? po-li-ci-al?

Carol: ( sorri)

- Vejo que ficou surpreso Luan. Mais venham vou os acomodar em seus quartos.

Corta p/ cena 12:

( Suzana e Sandra encontram um orelhão e liga para Seu Cassio.)

Cássio: ( na sorveteria/ entrando a noite)

- Alô?

Sandra: ( apressada/ cansada)

- Seu Cássio sou eu Sandra, me escuta por favor vou ser rápida. Preciso da ajuda do

Senhor, se você puder se comunicar com meu filho avise a ele que venha me buscar aqui

no lixão a 100 km da cidade é urgente, volto a ligar daqui a 30 minutos.

Cássio: ( estranha/ entra pro escritório )

- Ok, dona Sandra, mais qual o endereço?

Sandra: ( apressada/ com medo)

- Ok! anote aí

Corta p/ cena 13:

( Simone sai de casa, e vai pra casa de Erika)

Simone: ( brava/ olhar de ódio)

- Então essa é tudo que vocês fizeram com minha família. Como pude chamar alguém tão

perversa de mãe. Tenho nojo de você

Camila: ( irritada/ debochada/ Sobe a escada)

- Vai embora mal criada, é um favor que você me faz.

Corta p/ cena 14:

( passam se os 30 minutos Sandra e Susana ficam a espera de Lucas)


Sandra: ( preocupada/ vestida de mendiga)

- Lucas cadê você meu filho está demorando muito

Suzana: ( calma/ vestida de mendiga)

- Calma, a distância da cidade até aqui é muito longe. Vamos ficar aqui e esperar como o

combinado

- Assim que chegarmos vamos bolar um plano para pegar esse mandante.


( a cena fixa no rosto e o espelho se quebra)


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.