Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capítulo 07

 

TERRA DO SOL (太陽の国) �� CAPÍTULO 7

Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs

CENA 1: INTERIOR. KAMAKURA. RUA. CARRO. NOITE

KEIKO ESTÁ DENTRO DO CARRO SOB A MIRA DA ARMA DE RYU. A

CÂMERA MOSTRA QUE EM SUA FRENTE ESTÁ MITSUKO QUE A OLHA COM

UM SORRISO MALICIOSO EM SEU ROSTO. KEIKO FICA APAVORADA.

KEIKO (gritando): - O que vocês tanto querem comigo? Porque não me

deixam em paz? Eu não ser a sua refém por muito tempo, Mitsuko.

MITSUKO (ardilosa): - Você ainda não entendeu a gravidade da situação,

Keiko. Você não tem saída a não ser obedecer as minhas ordens. Dentro

de poucas horas você vai estar chegando ao ocidente onde uma pessoa já

está a sua espera. E eu bom você não tentar nenhuma gracinha.

RYU: - É melhor você obedecer, Keiko. Você não tem para onde fugir.

O MEDO PODE SER VISTA NO OLHAR DE KEIKO. ELA OLHA PARA TODOS

OS LADOS PROCURANDO UMA SAIDA. MITSUKO GARGALHA DO MEDO DE

KEIKO.

KEIKO (se enchendo de coragem): - Os seus crimes não vão ficar impunes,

Mitsuko. O meu avô não vai descansar enquanto não encontrar o meu

paradeiro. Você não conhece a força de vontade dele.

MITSUKO (sorrindo): - O velho Kenji não pode fazer absolutamente nada

para te ajudar, Keiko. E aquele policial estrangeiro é mais um que ainda vai

acontecer a minha fúria. (P) Agora cale essa boca imunda.

KEIKO: - Você não ouse a encostar um só dedo no Lucas, Mitsuko. Eu juro

que se você fizer alguma coisa com ele eu não respondo por mim.

MITSUKO SORRI DA PETULÂNCIA DE KEIKO. A VILÃ FAZ UM SINAL PARA

RYU QUE COLOCA UM PANO NA BOCA DE KEIKO QUE DESMAIA.

����

CENA 2: EXTERIOR. KAMAKURA. RUA. NOITE


CLOSE EM LUCAS SE LEVANTANDO DO CHÃO COM AS MÃOS EM SUA

CABEÇA. ELE FICA DESESPERADO AO PERCEBER QUE KEIKO FOI KEVADA

POR MITSUKO E RYU. NESSE MOMENTO UM CARRO DE POLÍCIA PARA NA

FRENTE DE LUCAS, E DOIS POLICIAIS ABORDAM LUCAS DE UMA FORMA

TOTALMENTE AUTORITÁRIA.

LUCAS (nervoso): - Ainda bem que vocês chegaram. Vocês precisam né

ajudar. Eu sou policial no Brasil, e a quadrilha internacional do qual eu

estou atrás levou uma mulher sequestrada. Me ajudem.

POLICIAL 1 (autoritário): - Em primeiro lugar fique calmio que aqui não é o

ocidente onde vocês fazem o que desejam. Em segundo lugar a sua

jurisdição aqui não vale de nada. (P) Agora me diga quem foi que

sequestrou essa mulher.

LUCAS: - A mente criminosa por trás desse sequestro é Mitsuko Ishida.

Essa mulher é muito perigosa, e eu não vou ficar de braços cruzados

vendo ela cometer mais crimes sem ninguém fazer nada.

O PRIMEIRO POLICIAL PEGA AS ALGEMAS E PRENDE LUCAS QUE FICA

TOTALMENTE CONFUSO. OS POLICIAIS OLHAM PARA LUCAS COM MUITO

DESPREZO.

POLICIAL 2 (sério): - Um Gaijin como você acha que pode vir em nosso

país e ficar ofendendo injustamente uma de nossas maiores benfeitoras?

Te algemar foi pouco perto do que um estrangeiro como você merece.

LUCAS (revoltado): - Isso é totalmente arbitrário. Eu não mereço estar

passando por isso. (P) Essa benfeitora que vocês querem defender não

passa de uma assassina asquerosa. Vocês são iguais a ela. Dois corruptos.

POLICIAL 1: - Pelo visto você não tem noção do perigo que está correndo,

não é mesmo? Aposto que na delegacia você não vai ter toda essa

coragem. Tire esse Gaijin da minha frente.

O SEGUNDO POLICIAL COLOCA LUCAS DENTRO DA VIATURA POLICIAL.

ALGUMAS PESSOAS QUE PASSAM PELO LOCAL FICAM ABISMADAS.

����




�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 3: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS -CIPRIATIS. SALA DE

JANTAR. MANHÃ

A CÂMERA VAI SEGUINDO OS PASSOS DE ESTELA QUE ADENTRA NA SALA

DE JANTAR E ELA FICA ESTÁTICA AO VER CELSO SENTADO TOMANDO

UMA XÍCARA DE CAFÉ.ASSIM QUE PERCEBE A PRESENÇA DE ESTELA O

VILÃO SE LEVANTA SORRISO DE UMA FORMA ARDILOSA.

CELSO (ardiloso): - Olha só quem resolveu aparecer para tomar café da

manhã? (P) Teve uma boa noite de sono, Estela? Eu espero que não.

ESTELA (nervosa): - Como você pode ser tão desprezível assim, Celso.

Aquilo que você fez comigo ontem foi algo tão sórdido. Você é um maldito.

CELSO: - Isso é para você aprender que comigo ninguém mexe, Estela.

Você não vai se separar de mim, ou então o seu filho vai pagar no seu

lugar. Então o que você escolhe?

A CÂMERA MOSTRA O ÓDIO E O DESESPERO NO OLHAR DE ESTELA. ELA

FICA CADA VEZ MAIS NERVOSA E ACABA CUSPINDO NA CARA DE CELSO.

ESTELA (gritando): - Você não ouse encostar essa sua mão imunda no

meu filho, Celso. Eu estou te avisando. Você não sabe do que sou capaz.

CELSO (sorrindo): - Eu não tenho medo das suas ameaças vazias, Estela. É

bom você não me ameaçar novamente. Você está avisada.

CELSO SAI ANDANDO SE SENTINDO TRIUNFANTE. ESTELA FICA COM O

SEMBLANTE DE ÓDIO MISTURADO COM RAIVA.

����


�� KAMAKURA — BRASIL


CENA 4: INTERIOR. DELEGACIA. SALA SECRETA. NOITE

CLOSE EM LUCAS QUE ESTÁ SENTADO COM AS MÃOS AMARRADAS EM

UMA CADEIRA. DOIS POLICIAIS ESTÃO AO SEU LADO, E EM SUA FRENTE

ESTÁ O DELEGADO QUE O ENCARA DE UMA FORMA BEM SÉRIA.


DELEGADO (sério): - Então você é o Gaijin que está querendo trazer

problemas para umas de nossas benfeitoras mais admiráveis? Esse é o

problema de vocês. Acham que podem vir à nossa terra, desrespeitar a

nossa cultura e ficar por isso mesmo. Vai isso não vai ficar assim.

LUCAS (nervoso): - Quanto a Mitsuko Ishida pagou para vocês fazerem

isso comigo? Pelo visto as coisas aqui não são diferentes do Brasil.

DELEGADO: - Quer saber de uma coisa? Eu já estou cansado de olhar para

a sua cara, Gaijin. (P) Pessoal…. Dê o que esse Gaijin tanto merece.

OS POLICIAIS COMEÇAM A DAR UMA SURRA EM LUCAS QUE NÃO TEM

COMO SE DEFENDER. NESSE MOMENTO A PORTA DA SALA SE ABRE E

TODOS FICAM SURPRESOS COM A PRESENÇA DE KENJI.

KENJI (furioso): - É assim que vocês tratam uma pessoa que está

querendo fazer a coisa certa? Eu tenho vergonha de ter pessoas como

vocês, como a força da lei de nossa cidade. Soltem ele agora.

OS POLICIAIS OLHAM PARA O DELEGADO QUE DÁ A ORDEM PARA

SOLTAR LUCAS QUE FICA SEM ENTENDER NADA.

DELEGADO (firme): - Tem certeza que vai se aliar a esse Gaijin, Kenji?

Você não percebe que esses estrangeiros sujam a imagem da nossa

reputação? E você ajudar ele só piora ainda mais a situação.

KENJI: - O que realmente suja a nossa cultura são pessoas corruptas como

você. De uma coisa você pode ter certeza: Mitsuko Ishida vai acabar presa

e quem estiver ajudando nos crimes hediondos dela.

KENJI E LUCAS SAEM DA SALA DEIXANDO O DELEGADO FURIOSO. ELE

PEGA O TELEFONE SOB A MESA E FAZ UMA LIGAÇÃO. DO OUTRO LADO

DA LINHA ESTÁ MITSUKO QUE ESTÁ TOTALMENTE IRRITADA.

����


�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 5: INTERIOR. CASA DE RAMON E DORALICE. SALA. MANHÃ

RAMON ENTRA DENTRO DE CASA COM UM JORNAL EM SUAS MÃOS.

LOGO QUE ELE ENTRA ELE FICA COM RAIVA AO VER SUA CUNHADA EM

SUA FRENTE O ENCARANDO DE UM JEITO INTIMIDADOR. ELE SE

APROXIMA DE DORALICE E A OLHA COM DESPREZO.

RAMON (esbravejando): - O que essa mulher está fazendo em minha casa?

Quantas vezes eu já disse que eu não te quero aqui, sua infeliz.

DIARA (seria):m - Esse seu comportamento não me surpreende, Ramon.

Eu já soube da forma que você tratou a Ayumi ontem. Você não tem

vergonha de ser tão desprezível assim?

RAMON: - Eu tenho que admitir que você tem coragem, Diara. Vir na casa

e me ofender assim é algo totalmente estúpido da sua parte. Você está

pedindo um corretivo há muito tempo.

RAMON LEVANTA A MÃO PARA BATER EM DIARA, E ELA O ENFRENTA SEM

NENHUM MEDO. DORALICE FIXA OLHANDO FIXAMENTE PARA RAMON.

DORALICE (séria): - Você ainda não entendeu que esse comportamento vai

acabar com a nossa família? Eu estou farta de tudo isso.

RAMON (gritando): - Nunca mais ouse falar nesse tom comigo, mulher.

Você está indo contra mim por causa daquela japa? Isso é ultrajante.

DIARA: - O mundo não gira em torno de você, Ramon. Eu sou advogada e

se você levantar a mão para a minha irmã novamente eu vou fazer

questão de te colocar atrás das grades. Você entendeu?

DIARA E DORALICE SAEM DE CASA SEM OLHAR PARA TRÁS. A CÂMERA

MOSTRA O OLHAR FURIOSO DE RAMON. ELE PEGA UMA JARRA SOBRE A

MESA E JOGA COM RAIVA NA PAREDE.

����

CENA 6: INTERIOR. MANSÃO SA FAMÍLIA DUBOIS -CIPRIATIS. SALA DE

ESTAR. MANHÃ

ESTELA ESTÁ PARADA NO CENTRO DA SALA TOTALMENTE PENSATIVA.

NESSE MOMENTO A CAMPAINHA DA MANSÃO. A EMPREGADA ABRE A

PORTA, E FABIANA ENTRA NA MANSÃO JÁ INDO NA DIREÇÃO DE ESTELA.

A EMPREGADA TENTA IMPEDIR, MAS NÃO CONSEGUE.


ESTELA (seria): - Eu posso saber o que está acontecendo em minha casa?

Eu não admito que tenha nenhum tipo de desordem aqui.

FABIANA (firme): - Durante muitos anos eu pensei se eu deveria te contar

a verdade, dona Estela. Mas você merece saber que o seu marido é um

cafajeste. Ele e a minha mãe tiveram um caso por mais de 20 anos.

ESTELA: - A sua afirmação não me surpreende em nada, minha jovem. E

eu sei muito bem quem você é, Fabiana. (P) Não vai adiantar se nada esse

seu veneno para conquistar o meu filho. Isso jamais vai acontecer.

O SORRISO DESAPARECE IMEDIATAMENTE DO ROSTO DE FABIANA. A

VILÃ OLHA PARA ESTELA COM UM SEMBLANTE DE RAIVA.

FABIANA (direta): - Se você sabe quem eu sou então deve saber o que

sinto pelo seu filho, Estela. Eu nunca vou desistir de conquistar o Lucas. A

Alice já morreu, e mesmo depois de morta ela consegue atrapalhar a

minha vida. Isso parece até um castigo.

ESTELA (alterando a voz): - Lave essa sua boca suja antes de falar da

Alice. Você não passa de uma cobra peçonhenta, Fabiana. O meu filho

jamais se interessaria por alguém tão baixa como você.

FABIANA: - Isso é nós vamos fazer, Estela. Pode escrever o que eu vou te

dizer. Eu ainda vou me casar com o seu filho e você vai ter que aceitar.

FABIANA VAI SAINDO DA MANSÃO SE SENTINDO HUMILHADA. ESTELA

NÃO CONSEGUE ACREDITAR NO QUE ACABA DE ACONTECER..

����


�� ALGUNS DIAS DEPOIS


CENA 7: INTERIOR. CATIVEIRO. QUARTO. DIA

A CÂMERA MOSTRA QUE O LOCAL É MUITO ESCURO E TOTALMENTE

SUJO. NESSE MOMENTO RYU VEM PUXANDO KEIKO E A JOGA EM UM

COLCHONETE VELHO E MUITO SURRADO. O VILÃO SORRI ENQUANTO

KEIKO FICA TOTALMENTE DESESPERADA.


KEIKO (sem entender): - Porque vocês estão fazendo isso comigo? O que

eu fiz para merecer isso? (P) Eu não mereço estar sofrendo tudo isso.

RYU (sarcástico): - Eu acho melhor você ficar bem quieta, Keiko. Em pouco

tempo eu irei receber o seu futuro comprador e eu não quero que você

atrapalhe nada. Em poucos dias você será vendida.

KEIKO: - Vocês vão me vender como se eu fosse uma mera mercadoria?

Isso o que vocês estão fazendo se chama tráfico humano. Isso não vai

ficar assim. (T) Vocês podem até me matar, mas eu vou lutar até o fim.

KEIKO SE LEVANTA DO CHÃO E ENCARA RYU SEM MEDO. O VILÃO DÁ UM

TAPA NA CARA DE KEIKO QUE FAZ ELA CAIR NO CHÃO.

RYU (sorrindo): - Aí no chão que é o seu lugar, sua infeliz. É bom você não

testar a minha paciência. A dona Mitsuko disse que não era para eu fazer

nada com você, mas se me estressar eu acabo com a sua raça.

KEIKO (chorando): - O que você e a Mitsuko estão me fazendo passar é

desumano. A justiça ainda será feita. Nem que isso leve todo o tempo do

mundo. Você pode acreditar nisso.

RYU: - No fundo você sabe que isso não é verdade, Keiko. Ninguém aqui te

conhece. Não tem quem você possa pedir ajuda. Você está sem saída.

RYU SORRI ARDILOSAMENTE. ELE SAI DO QUARTO E TRANCA KEIKO LÁ

SOZINHA. A CÂMERA SE APROXIMA DE KEIKO E MOSTRA O DESESPERO

PRESENTE EM SEU OLHAR.

A IMAGEM CONGELA NO OLHAR VAZIO DE KEIKO. AOS POUCOS A

IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO COMO SE O SOL

ESTIVESSE NASCENDO NO HORIZONTE.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.