Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capítulo 09

 


TERRA DO SOL (太陽の国) �� CAPÍTULO 9

Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs

CENA 1: INTERIOR. SÃO PAULO. CATIVEIRO. QUARTO. NOITE

A CÂMERA FICA INTERCALANDO ENTRE OS ROSTOS DE KEIKO E CELSO.

A NOSSA PROTAGONISTA VAI SE LEVANTANDO COM DIFICULDADE, E

OLHA NO FUNDO DOS OLHOS DE CELSO QUE A ENCARA DE UM JEITO

CÍNICO E INTIMIDADOR.

KEIKO (abalada): - Você não sabe como eu sonhei com o dia que eu iria

conhecer o meu verdadeiro pai. Mas eu nunca pude imaginar que você

seria uma pessoa tão desprezível assim. Podemos ser de culturas

diferentes, mas caráter e honra são coisas inegociáveis.

RYU (nervoso): - Você parece não entender o que está acontecendo aqui,

Keiko. Este senhor é um empresário muito respeitado, e ele quer que você

se junte ao nosso empreendimento. Essa é sua única chance de ser livre.

CELSO: - Quando eu conheci a sua mãe nós sempre nos demos muito

bem. Essa história de honra e caráter é muito subjetiva. O que realmente

importa é o poder e o status.

KEIKO SE APROXIMA DE CELSO E COSPE NA CARA DO VILÃO. CELSO VAI

DESFAZENDO O SORRISO E OLHA COM ÓDIO PARA SUA PRÓPRIA FILHA.

CELSO (descontrolado): - Quem você pensa que é para fazer isso comigo,

sua maldita? Eu estou te dando a única chance de ter a sua liberdade de

volta e é assim que você retribui? Você deveria ser mais grata.

KEIKO (destemida): - E porque eu deveria ser grata exatamente? Eu

jamais vou me dobrar diante de pessoas como vocês. A minha resposta é

não. Eu tenho vergonha de ser filha de um homem como você.

CELSO: - Olha a situação que você se encontra. Você acha que tem

escolha,mas a verdade é que não tem. (P) Quem sabe ficar mais um dias

presa nesse muquifo te ajude a pensar direito.


CELSO DÁ AS COSTAS LARA KEIKO DEIXANDO ELA SOZINHA COM RYU. O

BANDIDO TAMBÉM SAI DO QUARTO E KEIKO FICA COM UM SEMBLANTE

DE CONFUSÃO EM SEU OLHAR.

����


�� ALGUNS DIAS DEPOIS


CENA 2: EXTERIOR. KAMAKURA. CASA DE KENJI E KEIKO. ÁREA

EXTERNA. DIA

LUCAS ESTÁ PARADO EM FRENTE DE UM CARRO. A CÂMERA MOSTRA

QUE UMA MALA PODE SER VISTA DENTRO DO CARRO. A CÂMERA DÁ UM

CORTE SUAVE, E VEMOS QUE KENJI ESTÁ SE DESPEDINDO DE LUCAS, E

AMBOS ESTÃO COM UM SEMBLANTE DE MUITA PREOCUPAÇÃO.

LUCAS (ponderando): - Eu sei que as coisas não saíram como a gente

imaginava, Kenji. Mas eu posso te garantir que eu não vou desistir de

encontrar a sua neta. Eu vou trazer ela de volta para você.

KENJI (sério): - O meu maior medo sempre foi que algo assim pudesse

acontecer. Mas hoje eu vejo que você é um homem honrado, Lucas.

LUCAS: - Os crimes da Mitsuko Ishida não vão ficar impunes. Ela vai

responder pela morte da minha noiva e pelo sumiço da Keiko. Isso você

pode ter certeza.

LUCAS E KENJI SE CUMPRIMENTAM. O SILÊNCIO PREDOMINA.

KENJI (firme): - Eu quero que você saiba Lucas que eu admiro muito a sua

força para superar tudo o que você passou. Outra pessoa em seu lugar não

teria essa mesma força. Você é admirável.

LUCAS (sorrindo): - Você pode ter certeza que a recíproca é verdadeira,

Kenji. (P) Eu não vou descansar enquanto a Keiko não estiver livre dessa

maldita quadrilha. Ela voltará para casa. Você pode ter certeza disso.

KENJI BALANÇA A CABEÇA E DEPOIS ESBOÇA UM SORRISO. LOGO

DEPOIS LUCAS ENTRA NO CARRO QUE SOME NO MEIO DO HORIZONTE.

����


CENA 3: INTERIOR. CASA DE MITSUKO E HAYATO. QUARTO. DIA

CLOSE EM HAYATO QUE ESTÁ TERMINANDO DE ARRUMAR AS SUAS

MALAS. NESSE MOMENTO MITSUKO ENTRA NO QUARTO, E O SORRISO

EM SEU ROSTO SOME AO PERCEBER O QUE ESTÁ ACONTECENDO.

MITSUKO (autoritária): - Eu posso saber o que está acontecendo aqui,

Hayato? Que malas são essas? Onde você pensa que está indo?

HAYATO (sério): - Eu não sei porque você faz uma pergunta já que sabe a

resposta. (T) Eu vou atrás da Keiko logicamente. Ela deve estar no Brasil.

A sua sede por poder e dinheiro é tanta que te faz muito previsível.

MITSUKO: - Eu te proíbo de ir atrás daquela infeliz. Olha só o que ela está

fazendo com você, meu filho. Está jogando você contra mim. Não é

possível que você não perceba o quanto ela é uma pessoa desprezível.

HAYATO FICA OLHANDO PARA MITSUKO SEM FALAR NADA. A VILÃ TENTA

ARGUMENTAR, MAS HAYATO PERCEBE O JEITO FALSO DE SUA MÃE.

HAYATO (nervoso): - Você acha mesmo que eu não sei de todos os seus

atos criminosos? Eu te conheço melhor que você mesma, mãe. Nem você,

nem ninguém vai me impedir de encontrar a Keiko.

MITSUKO (irritada): - Quer saber de uma coisa, Hayato? Faça o que você

bem entender. Você está jogando a reputação da nossa família na lama

por causa de uma maldita que estava beijando um Gaijin. Você é patético.

HAYATO: - Lave a sua boca antes de inventar qualquer desculpa da Keiko.

É melhor eu ir embora de uma vez antes que eu diga o que eu não quero.

HAYATO PEGA SUA MALA E SAI DO QUARTO. A CÂMERA SE APROXIMA DE

MITSUKO, E PODEMOS VER O ÓDIO EM SEU OLHAR.

����



�� SÃO PAULO — BRASIL


CENA 4: INTERIOR. CASA DE VALÉRIA. SALA. NOITE

VALÉRIA ESTÁ ANDANDO DE UM LADO PARA O OUTRO PARECENDO

ESTAR MUITO NERVOSA. ELA ABRE A GAVETA DE UM ARMÁRIO E FICA


TOTALMENTE DESCONTROLADA AO VER QUE O DINHEIRO QUE ELA

TINHA DEIXADO ALI SUMIU. NESSE MOMENTO FABIANA ENTRA NA SALA

E VALÉRIA OLHA PARA SUA FILHA DE UMA FORMA DIFERENTE.

VALÉRIA (séria): - Fabiana…. Onde é que estava o dinheiro que estava

nessa gaveta? Não adianta você negar, pois eu sei que foi você que pegou.

FABIANA (sorrindo): - Você está falando daquela merreca? Fui eu mesma

que pegou. Aquilo nem pode ser chamado de dinheiro. Como você tem

coragem de guardar aquela mixaria. Olha só o nível que você chegou.

VALÉRIA: - Que espécie de monstro você é, Fabiana? Roubar o dinheiro de

sua própria mãe é baixo até mesmo para você. Eu estou decepcionada.

FABIANA SORRI CINICAMENTE. VALÉRIA DÁ UM TAPA EM SUA FILHA.

VALÉRIA (desapontada): - Eu sempre fico me perguntando onde foi que eu

errei com você. Às vezes eu penso que você tem vergonha de mim. A sua

boca pode não dizer isso, mas as suas atitudes demonstram o contrário.

FABIANA (gritando): - Eu sempre tive vergonha dessa vida miserável que a

gente leva. Eu não nasci para ser pobre. Eu mereço muito mais. (P) Agora

que eu soube que o Lucas está voltando para o Brasil eu vou atrás do

homem que eu amo e ter a vida que eu sempre sonhei.

VALÉRIA: - E você acha que o Lucas vai te querer? Acorda para a vida,

Fabiana. Você nunca vai ter o amor dele. Tudo que você toca apodrece.

Você nunca vai ser feliz de verdade.

FABIANA COMEÇA A CHORAR DE RAIVA. ELA SAI MUITO NERVOSA

DEIXANDO VALÉRIA NO MEIO DA SALA ESTÁTICA.

����

CENA 5: INTERIOR. CASA DE SHIN E OLENKA. QUARTO. NOITE

SHIN ESTÁ SENTADO NA BEIRA DA CAMA TOTALMENTE PERDIDO EM

SEUS PENSAMENTOS. ELE NÃO PERCEBE QUANDO OLENKA ENTRA NO

QUARTO. ELA FICA NA FRENTE DE SHIN QUE DEPOIS DE ALGUNS

SEGUNDOS PARECE DESPERTAR DE UM TRANSE. ELES SE OLHAM.

SHIN (sério): - Foi bom você ter aparecido meu amor. Eu tomei uma

decisão, e eu quero que você seja a primeira a saber. Eu decidi procurar a


polícia e relatar todo o meu passado com o Mitsuko Ishida. Eu não quero

mais viver refém desse medo que me aprisiona.

OLENKA (preocupada): - Você tem certeza disso, Shin? Se essa mulher é

tão perigosa assim como você sempre disse então procurar a polícia pode

não ser a melhor idéia. Eu fico com receio do que pode acontecer.

SHIN: - E o que você quer que eu faça, Olenka? Por causa daquela mulher

a minha vida virou um verdadeiro inferno. Eu quero que ela pague por

tudo que fez. Isso eu não abro mão.

O SEMBLANTE DE OLENKA VAI FICANDO MAIS SÉRIO. SHIN SE LEVANTA.

ELE PEGA NAS MÃOS DE OLENKA QUE O ENCARA PREOCUPADA.

SHIN (firme): - Eu sei que você está preocupada comigo Olenka, mas eu

sei me cuidar. Tudo o que eu mais quero é ver a Mitsuko atrás das grades.

Ela é a culpada de eu não ter visto o meu filho crescer.

OLENKA (ponderando): - Eu entendo isso perfeitamente, meu amor. Mas

eu quero que você saiba que eu jamais vou deixar de me preocupar. Você

é o meu marido e o pai da minha filha.

SHIN: - É por isso que eu te amo, Olenka. Você me faz muito bem.

SHIN E OLENKA SE APROXIMAM UM DO OUTRO. ELES SE BEIJAM E

DEPOIS SE ABRAÇAM EM UMA DEMONSTRAÇÃO DE CARINHO E TERNURA.

TRILHA SONORA: https://youtu.be/t_Niuzbhb34

����

CENA 6: INTERIOR. CLÍNICA PSIQUIATRA. SALA DE RAUL. NOITE

CLOSE EM ESTELA QUE ESTÁ ANDANDO POR TODA A SALA E VENDO

VÁRIAS FOTOS DE RAUL (WERNER SCHUNEMANN) AO LADO DE SUA

ESPOSA (JÁ FALECIDA). NESSE MOMENTO RAUL ENTRA NA SALA, E ELE

ESBOÇA UM SORRISO AO VER ESTELA EM SUA FRENTE. ELES DÃO UM

FORTE ABRAÇO.

RAUL (sorrindo): - Quando a minha secretária me disse que Estela Dubois

estava em minha sala me esperando eu não pude acreditar. (P) Quantos

anos a gente não se vê, Estela. É muito bom te ver novamente.


ESTELA (séria): - Eu sei que já é tarde Raul, mas eu preciso conversar com

alguém. E você é a única pessoa que confio principalmente depois do que

me aconteceu. Eu preciso da sua ajuda profissional.

RAUL: - O que foi que aconteceu com você, Estela? Você não é a mesma

mulher que eu conheci há alguns anos atrás. Eu sei que tem algo errado.

ESTELA TENTA SEGURAR O CHORO, MAS ELA NÃO CONSEGUE. ELA

ACABA DESABANDO EM LÁGRIMAS. RAUL FICA TENTANDO CONSOLAR

ELA.

ESTELA (desabando): - Eu cometi o pior erro que eu poderia ter cometido,

Raul. Eu casei com um monstro. O que ele fez comigo foi algo repugnante.

RAUL (preocupado): - O que foi que aconteceu, Estela? Você sabe que

pode confiar em mim. Eu jamais faria nada que pudesse te magoar.

ESTELA: - Eu disse para o Celso que eu quero me separar, e ele abusou de

mim quando eu estava dormindo. Eu sinceramente não sei o que fazer.

RAUL FICA EM CHOQUE COM A REVELAÇÃO DE ESTELA. A CÂMERA

MOSTRA QUE AS LÁGRIMAS CONTINUAM ESCORRENDO PELOS OLHOS DE

ESTELA.

����


�� ALGUNS DIAS DEPOIS


CENA 7: INTERIOR. RESTAURANTE. SALÃO PRINCIPAL. NOITE

CELSO ESTÁ SENTADO EM UMA MESA DA ÁREA NOBRE DO

RESTAURANTE. UM GARÇOM SE APROXIMA E COLOCA VINHO EM SUA

TAÇA. NESSE MOMENTO A CÂMERA VAI ACOMPANHANDO OS PASSOS DE

UMA MULHER ATÉ CHEGAR NA MESA ONDE CELSO SE ENCONTRA. EM

QUESTÃO DE SEGUNDOS A CÂMERA REVELA QUE A TAL MULHER É

MITSUKO ISHIDA. ELES SE CUMPRIMENTAM DE UM JEITO FORMAL.

CELSO (comemorando): - Finalmente eu estou podendo conhecer a

grande, Mitsuko Ishida. É uma honra conhecer a líder da nossa

organização. (P) Nós temos muito o que conversar.


MITSUKO (séria): - Nisso eu sou obrigada a concordar com você, Celso.

Não foi fácil descobrir que a Keiko é sua filha, mas agora eu espero que

você entenda o meu grau de entrega com o nosso empreendimento.

CELSO: - Eu só espero que essa minha filha que eu nunca quis ter não

estrague os nossos planos, Mitsuko. Você sabe muito bem a quantia que

está em jogo nisso tudo. Já tem compradores para ela.

MITSUKO SORRI. O GARÇOM SERVE VINHO PARA A VILÃ. ELA E CELSO

FAZEM UM BRINDE FIRMANDO UMA PARCERIA MAQUIAVÉLICA.

CELSO (ardiloso): - Ninguém pode sonhar que a Keiko é minha filha. Eu

tenho uma reputação a zelar, e se isso sair na mídia eu estarei arruinado.

Eu espero que você mantém o sigilo, Mitsuko.

MITSUKO (fria): - Até parece que você não me conhece, Celso. Há quanto

tempo nós estamos juntos nisso? Ninguém vai saber de absolutamente

nada. (P) Mas agora eu quero algo que estava esperando há muito tempo.

CELSO: - Você continua a mesma, Mitsuko. Eu sabia que você não iria

resistir em querer um beijo meu. Eu te conheço muito bem.

CELSO E MITSUKO SE LEVANTAM E SE BEIJAM ARDENTEMENTE. TODOS

NO RESTAURANTE FICAM OLHANDO A CENA DE UM JEITO

CONSTRANGEDOR.

A IMAGEM CONGELA NO BEIJO ARDENTE DE CELSO E MITSUKO. AOS

POUCOS A IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO COMO SE O

SOL ESTIVESSE NASCENDO NO HORIZONTE.



Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.