Type Here to Get Search Results !

Marcadores

De janeiro a janeiro | Capítulo 05

 


De Janeiro a Janeiro | Capítulo 05

 

Tít: “Acerto de contas”

Autor: Francisco Neto

Classificação indicativa: +14

 

 

CENA 01: INTERNA. COLÉGIO ESTADUAL SANTA MARIA - AUDIOVISUAL. NOITE.

 

**Alessandra se aproxima de Isabela.**

ALESSANDRA — Preciso falar com você.

ISABELA — Eh… comigo?

ALESSANDRA — Sim! Preciso desabafar sobre algo muito sério.

ISABELA (Desconfiada) — Mas o que houve? Você nunca me chamou para conversar, o que aconteceu?

ALESSANDRA — É sobre a Filipa.

ISABELA — Você teve algo a ver com o que aconteceu com ela?

**Alessandra assente.**

ISABELA — Não entendo!

ALESSANDRA — Este não é um bom lugar para explicações, vamos ao banheiro!

**Filipa está conversando com Arthur.**

FILIPA — Eu queria agradecê-lo pelo que fez por mim, foi um gesto muito bacana da sua parte.

ARTHUR (Pegando na mão dela) — Não precisa agradecer. Eu faria isso outra vez se fosse necessário, Diego não te ama de verdade.

FILIPA — Me diz: se eu te perguntar uma coisa, seria sincero comigo?

ARTHUR — O que você quer perguntar?

FILIPA (Curiosa) — Você sente algo por mim?

ARTHUR (Assustado) — Porque está me perguntando isso?

FILIPA — Estou intrigada com o que Diego disse agora pouco.

ARTHUR (Envergonhado) — Sim! Gosto de você, gosto muito. E não deixarei que ele te machuque.

FILIPA (Beijando-lhe na bochecha) — Sabe de uma coisa? Admiro o seu carinho, você é muito gentil!

FILIPA — Você não viu a Alessandra?

ARTHUR — Para ser sincero, não.

FILIPA — Tivemos uma briga feia da última vez que nos falamos, queria reatar as coisas com ela.

ARTHUR — Deve ter ido ao banheiro.

FILIPA — Sim, pode ser. Averiguarei se ela está lá. Mais uma vez, obrigada pelo que fez por mim, Arthur.

**Filipa beija a bochecha de Arthur outra vez e se afasta do colega.**

 

CENA 02: INTERNA. COLÉGIO ESTADUAL SANTA MARIA - BANHEIRO. NOITE.

 

ISABELA — Então, estamos sozinhas agora. O que você queria dizer?

ALESSANDRA — Na verdade, é mais um desabafo. Estou com muito medo.

ISABELA (Intrigada) — Se você não fez nada, não há motivo para ter medo.

ALESSANDRA — Não! Pelo contrário, eu fiz. Dedurei a minha melhor amiga.

ISABELA (Surpresa) — Mas porque você fez isso? Não percebeu o escândalo que você causou?

**Antes que Alessandra pudesse explicar alguma coisa, Filipa invade o Banheiro.**

ALESSANDRA — Filipa?

FILIPA (Estapeando Alessandra) — Sua vaca! Como você pode ser tão falsa?

ALESSANDRA (Triste) — Deixe-me explicar, por favor!

FILIPA (Enfurecida) — Vim disposta a fazer as pazes com você, e descubro que você me traiu pelas costas, outra vez. Como eu pude ser tão idiota esses anos todos? Pensei que fôssemos amigas.

ISABELA (Tentando apartar) — Tentem se acalmar, por favor! Podemos resolver isso de outro jeito.

FILIPA (Empurrando Isabela) — Deixe-me em paz! Pelo seu bem, não se meta! Meu assunto é com essa vaca.

ALESSANDRA — Não tolero que continue me insultando Filipa.

FILIPA (Sorrindo) — Você resolveu mostrar as garras? Isabela, veja só!

ISABELA — Deixe-me fora disso.

ALESSANDRA — Por favor, deixe-me explicar os meus motivos.

FILIPA (Estapeando-a) — Vaca! Mil vezes vaca! Vou te dar o que merece.

ISABELA (Assustada) — Elas vão se matar! Eu preciso chamar ajuda.

**Isabela corre até Paloma para pedir ajuda, Filipa puxa os cabelos de Alessandra, Alessandra retorna com mais força e Paloma chega ao banheiro para apartar a briga.**

PALOMA — Rezem para a Diretora não ficar sabendo deste escândalo.

FILIPA — Você falou a mesma coisa da outra vez e ela não ficou sabendo.

ISABELA (Surpresa) — Pera! Isso já aconteceu outras vezes? Eu tô chocada.

FILIPA — Se nenhuma de vocês abrir o bico, ela nunca vai saber disso.

ISABELA — Tem certeza? Quem te garante?

FILIPA (Enforcando-a) — Você não dirá nada, não é?

ISABELA — Solte-me! Tá me sufocando!

ALESSANDRA — Deixe ela em paz!

FILIPA (Grita) — E você não se meta, sua traidora! Ainda não terminamos.

PALOMA (Estapeando-a) — Chega!

FILIPA — Como você se atreve?

PALOMA — Estou cansada disso, saiam todas daqui! Caso contrário, chamarei a Diretora.

 

CENA 03: EXTERNA. COLÉGIO ESTADUAL SANTA MARIA - JARDIM. NOITE.

 

**Paloma e Cristiano estão aproveitando o intervalo da cerimônia no jardim.**

PALOMA — Hoje a noite está linda!

CRISTIANO — Sim, a noite está linda! CRISTIANO (Apontando para as estrelas) — Veja! A constelação de Fênix.

PALOMA — Como sabe tanto sobre às estrelas? Daria um belo astrônomo.

CRISTIANO — Não! Não é minha praia, gosto de outro tipo de coisa.

PALOMA — Falando nisso, o que planeja fazer depois que sair do colégio?

CRISTIANO — Não sei! Talvez eu acabe me tornando mecânico, como meu pai.

PALOMA — Sente muita falta dele, não?

CRISTIANO — Não muito! Ele raramente demonstrou afeto por mim, talvez porque não era seu filho legítimo.

PALOMA — Espero que algum dia você encontre os seus pais biológicos.

CRISTIANO (Irritado) — Não preciso encontrá-los, não quero vê-los.

PALOMA — Eu entendo! Mas não há uma pista que te ajude a encontrá-los?

CRISTIANO — Não! Meus pais adotivos sempre evitavam falar disso, a única coisa que sei é que me encontraram em uma lixeira, abandonado.

PALOMA — Que horror! Você ainda não tinha me dito essa parte da história.

CRISTIANO — Eu não me importo mais, prefiro esquecer o passado.

PALOMA (Abrançando-o) — Você faz bem.

**Felipe aparece por ali, ele vê Paloma e Cristiano se abraçando e fica com ciúmes dos dois.**

 

CENA 04: INTERNA. HARAS DA FAMÍLIA CORRÊA - QUARTO. NOITE.

 

BRENDA (Grita) — Socorro! Esses mosquitos estão em toda parte.

CATARINA — Não se preocupe, você se acostuma com eles. Mantenha a calma.

BRENDA (Enfurecida) — Como posso manter a calma com esses bichos me picando? Estou cansada, vamos embora!

CATARINA — Não é melhor esperar até amanhecer? Nós iremos, amanhã, bem cedo.

BRENDA — Está bem! Que seja! Mas você me fez perder a formatura do Felipe.

CATARINA (Surpresa) — Minha nossa! Esqueci que hoje era a formatura do seu irmão.

BRENDA (Pensando) — Ela nem devia estar sabendo de nada, aposto que nem perguntou ao Felipe a respeito disso.

CATARINA (Sorrindo) — Seu pai deve tê-lo acompanhado. Não se preocupe.

BRENDA (Desconfiada) — Sim, é claro!

CATARINA — Agora, deixe-me dormir! Prometo que amanhã cedo voltaremos para casa.

**Brenda dá de ombros.**

 

CENA 05: INTERNA. CASA DE MARÍLIA - SALA DE ESTAR. NOITE.

 

**Marília atende a porta, ela levanta do sofá e desliga a Televisão. Luís estava na entrada de sua casa, segurando um buquê de gerberas.**

MARÍLIA (Abrindo a porta e se deparando com Luís) — O que faz aqui?

LUÍS (Nervoso) — Eh… posso entrar?

MARÍLIA — Claro! Fique a Vontade!

LUÍS (Adentrando no local) — Trouxe essas flores para você, queria fazer uma surpresa.

MARÍLIA — Gerberas? Mas por que não trouxe margaridas? Você sabe que são as flores que mais gosto.

LUÍS — Foram as únicas que encontrei.

MARÍLIA — Obrigada por lembrar de mim.

LUÍS — Eu sempre lembrarei de você, minha brigadeira. Ademais, tenho mais uma surpresa para você.

MARÍLIA (Curiosa) — O que é?

LUÍS — Por favor, seja sincera comigo.

MARÍLIA (Intrigada) — Diga de uma vez.

LUÍS (Abrindo um estojo com uma aliança dentro) — Quer casar comigo?

MARÍLIA (Chorando) — Sim! Claro que quero, meu doce de leite condensado.

 

Luís Beija Marília ao som da música Meu Dengo da cantora Roberta Miranda (Tema do Casal): 



 

CENA 06: INTERNA/EXTERNA. COLÉGIO SANTA MARIA - AUDIOVISUAL/SAÍDA. NOITE.

 

DIRETORA — Bem, vamos à conclusão desta cerimônia, a entrega dos certificados dos nossos formandos.

 

**Os estudantes recebem os certificados.**

DIRETORA — A cerimônia está encerrada, desejamos boa sorte aos formandos.

**Na saída do colégio…**

ARTHUR — Sentirei saudades.

FILIPA (Sorrindo) — Eu também, eu nunca esquecerei o que fez por mim.

ARTHUR — Para onde vai agora?

FILIPA — Preciso resolver esse assunto com Diego, isso já passou dos limites.

ARTHUR (Implorando) — Por favor, não vá! Não quero que ele volte a machucá-la.

FILIPA (Sorrindo) — Não se preocupe, ele não fará nada comigo. Ademais, tenho o meu super-herói para me salvar.

ARTHUR — Tome cuidado!

FILIPA — Vou ficar bem, eu prometo.

**Filipa se despede de Arthur.**

 

CENA 07: INTERNA. CASA DE FILIPA - SALA DE ESTAR. NOITE.

 

**Lentamente, Filipa adentra no local. As luzes estavam apagadas e ela não conseguia enxergar nada.**

FILIPA — Diego? Onde você está? Eu já estou aqui! Vim disposta a acertar as coisas com você, de uma vez por todas.

**A sombra de uma arma aparece, a arma dispara, a bala vai se aproximando de Filipa. A face de Diego aparece, em meio a escuridão. A câmera foca nos lábios de Filipa, ensanguentados.**

 

**Diego derruba a arma no chão, abre a porta da casa em direção a rua e sai correndo desesperadamente, a imagem escure enquanto Diego corre pela rua.**

 

**Semanas Depois…**

 

CENA 08: EXTERNA - CEMITÉRIO. TARDE.

 

SONOPLASTIA: Clouds - Before You Exit




 

**No cemitério, Alessandra está lendo uma carta em torno do túmulo de Filipa.**

ALESSANDRA (Lendo) — Querida Filipa, eu nem sei por onde começar… eu só queria aproveitar essa oportunidade para explicar tudo o que aconteceu.

ALESSANDRA (Em prantos) — Eu nunca deveria ter te dedurado para o Felipe, eu sei disso! Senti-me pressionada naquele momento e não tive outra saída. Ademais, eu só contei a Diego sobre o bebê porque estava com muita raiva, eu queria me vingar de você, devido à briga que tivemos.

ALESSANDRA (Lendo) — Nunca havíamos nos desentendido daquela forma, eu estava muito chateada. Estou muito triste por você não ter me escutado no momento certo. Agora estou podendo desabafar sobre isso, apesar de não ser da forma que eu gostaria que fosse.

ALESSANDRA (Lendo) — Isso não ficou assim, sabe? Diego levou uma pena de 36 anos de prisão, espero que a justiça faça a sua parte e mantenha esse desgraçado atrás das grades.

ALESSANDRA — Por fim, eu não espero que me perdoe, eu sei que não fui fiel a nossa amizade. Apenas desejo que esteja feliz, onde quer que esteja.

 

(Sonoplastia Off)

 

**Alessandra se levanta, vira-se para a lápide de Filipa e se despede da amiga.**

ALESSANDRA — Adeus, Filipa.

 

CENA 09: INTERNA. CASA DE PALOMA - SALA DE ESTAR. TARDE.

 

**A campainha toca, Paloma e Luciana estão assistindo televisão no sofá. Paloma se levanta e atende a porta.**

PALOMA (Abrindo a porta e se deparando

com Felipe) — Felipe? O que faz aqui?

FELIPE — Posso entrar?

PALOMA — É claro! Por favor, entre!

**Felipe etra na residência e cumprimenta a irmã de Paloma.**

LUCIANA — Quem é esse garoto, Paloma?

PALOMA — Um amigo de escola.

LUCIANA (Encantada) — Quanta elegância!

FELIPE (Sorrindo) — Obrigado!

PALOMA (Curiosa) — Você ainda não disse o motivo de ter vindo aqui.

FELIPE (Entregando um envelope para Paloma) — Tome! Aceite isso!

PALOMA — O que é isso?

FELIPE — Veja! Pode abrir!

PALOMA (Abrindo o envelope e lendo o convite) — Ceia de natal? Dia 25?

FELIPE (Sorrindo) — É isso! Todo ano

temos a tradicional ceia da família.

LUCIANA — Parece interessante.

FELIPE — Posso contar com sua presença?

PALOMA — Bem…

FELIPE — O que me diz? Aceita?

**A câmera foca no rosto de Paloma.**

 

A IMAGEM ESCURECE

 

(FIM DO CAPÍTULO)

 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.