Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entre Pais e Filhos - Capítulo 08 (Reprise)

 



 Entre Pais e Filhos - Capítulo 08

Cena 01 - São Paulo - Hospital - Sala do Médico - Tarde

Após fazer todos os exames Arthur já tem o diagnóstico de sua doença.

Médico: Vocês tem que ser fortes e lutarem de toda forma contra essa doença.
Arthur: Fala logo doutor. O que é que eu tenho?
Helena: Fala doutor.

Helena percebeu que era algo sério e começou a chorar.

Médico: Arthur você tem Leucemia.

Helena e Arthur ficam em choque ao receberem a notícia.

Helena: Leucemia doutor?
Médico: Exatamente.
Helena (aflita): E em qual estágio se encontra a doença?
Médico: A doença está em estágio avançado. O tratamento deve começar o quanto antes.
Helena: Está certo.
Arthur: Eu vou morrer doutor?
Médico: Olha jovem, não posso afirmar nada no momento. Mas tenhamos fé.
Helena: Vai sobreviver sim filho, iniciaremos o tratamento o quanto antes.
Médico: O Arthur vai passar o resto do dia fazendo mais alguns exames e já ficará aqui para tratamento com o doutor Vitor.
Helena: Doutor Vitor?
Médico: Ele é o médico especialista que faz o tratamento desta doença.
Helena: Está bem doutor. Faremos o que vocês disserem.

Arthur tenta se mostrar forte perto da mãe, mas está destruído por dentro. Seus sonhos começam a desmoronar.


Cena 02 - São Paulo - Shopping Eldorado - Praça - Tarde

Eduarda tenta descobrir o motivo da volta de César.

César: Eu já disse que voltei por meus filhos.
Eduarda: Não mente pra mim. Sei muito bem que não voltou por isso. Vamos desembucha.
César: Não tenho mais nada a falar. Acredite se quiser.
Eduarda: Não me engana César. Nunca gostou de crianças e nunca gostou da idéia de terem filhos.
César: As pessoas mudam Eduarda. Eu voltei pelos meus filhos com a Helena.
Eduarda: Não se esqueça que o Matheus também é seu filho.
César: Sei disso. Vou assumir minhas responsabilidades com os três.
Eduarda: Você voltou por dinheiro?
César: Está me ofendendo.
Eduarda: Você sabe muito bem que a Helena tem um bom dinheiro guardado da herança dos nossos pais.

César se lembra de quando namorava com Helena e ela deixou o dinheiro da herança guardado para seus filhos.

César: Jamais voltaria por isso. Tenho meu próprio dinheiro.
Eduarda: Maldito, já que não quer me contar, descobrirei sozinha.
César: Sinta-se a vontade.
Eduarda: Só não ouse cruzar o meu caminho.
César: E nem você o meu. Não de meta mais na minha vida.

Eduarda levanta e se retira. César então fica pensando.

César (pensando): Essa infeliz pode ser uma pedra no meu sapato. Não vou deixar que ela arruíne os meus planos. Não vou.


Naquele dia mais tarde…


Cena 03 - São Paulo - Hospital - Sala do Médico - Noite

O doutor Vitor chega e se mostra muito preocupado com a situação de Arthur.

Vitor: Boa noite aos dois.
Arthur: Boa noite doutor. Vejo que o senhor está com cara de preocupado.
Helena: Diga logo doutor, o que está acontecendo com meu filho?
Vitor: Vou ser direto com vocês dois. A Leucemia do Arthur já está em situação avançada e não temos muito tempo para o tratamento.
Arthur: Quais procedimentos iremos fazer doutor?
Vitor: A única solução para o caso do Arthur é o transplante de medula óssea.
Arthur: Como iremos conseguir um doador?
Helena: Eu posso doar.
Vitor: Sinto informar que não é tão simples assim. A medula precisa ser totalmente compatível. Vamos ter ter fazer vários exames sanguíneos de compatibilidade.
Arthur: E agora doutor? Quer dizer que minha mãe não será compatível?
Helena:
Vitor: Faremos os testes comprobatórios. Mas é muito difícil uma mãe ter o mesmo gene do filho.
Helena: O que podemos fazer?
Vitor: Mantenham a calma. Temos um banco de células para transplante e iremos checar.


No dia seguinte...


Cena 04 - São Paulo - Casa de Eduarda - Sala - Manhã

Helena vai até a casa da irmã para conversarem sobre a volta de César.

Eduarda: Como assim o César está de volta?
Helena: Aquela cretino voltou depois de tantos anos para atormentar a minha vida. Logo em um momento tão difícil.
Eduarda: Ele é um infeliz. Te abandonou a tantos anos e volta como se nada tivesse acontecido.
Helena: Contou que quer se redimir e ficar perto dos filhos.
Eduarda: Você não pode permitir a aproximação deles Helena. Não pode.
Helena: E não permitirei.
Eduarda: Como anda o Arthur?
Helena: A situação dele é ruim irmã. Ele está com Leucemia em estado avançado e teremos que correr contra o tempo para o tratamento adequado.
Eduarda: Meu Deus. Que triste. Preciso ir ver meu sobrinho.
Helena: Vá mesmo irmã, ele gosta muito de você. Foram tantos acontecimentos nos últimos dias que esqueci que no próximo fim de semana é aniversário do Murilo e do Matheus.
Eduarda: Verdade irmã.
Helena: Estava pensando de fazer algo simples, apenas para não passar em branco.
Eduarda: Será mesmo? Não acho que estamos em clima de festa.
Helena: Eu sei. Mas nossos filhos não tem culpa de tudo o que está acontecendo. Ser bom para o Arthur também.
Eduarda: Está bem Helena. Farei por eles apenas.
Helena: Ótimo.
Eduarda: Você consegue organizar? Sabe que sou péssima nisso.
Helena: Está bem Eduarda. Não se preocupe.

Após mais um tempo conversando as irmãs se despedem e Helena vai embora. Eduarda fica pensando.

Eduarda (pensando): Essa Helena é insuportável. Sempre com esses pensamentos de boa moça. Me dá um ranço.



Cena 05 - São Paulo - Casa de Regina - Quarto de Kauã - Manhã

Regina estava arrumando o quarto do filho antes de ir para o trabalho e encontra várias sacolas com roupas.

Regina: De onde o Kauã tirou dinheiro para comprar tanta coisa?

Ao olhar os cupons fiscais ela fica abismada com o dinheiro gasto pelo filho.

Regina: Será que ele faz arrumou algum trabalho por aí?

Ela arruma o quarto e deixa as roupas da mesma maneira que encontrou.


Cena 06 - São Paulo - Faculdade - Jardim - Manhã

Marcos e Matheus se encontram no Jardim da faculdade para conversarem. Eles percebem que estão apaixonados e decidem expor a relação.

Marcos: Você sabe que eu te amo. Não quero viver me escondendo.
Matheus: É que...
Marcos: Tem medo do que as pessoas vão pensar, não é?
Matheus: Sim. Não sei se minha mãe vai me aceitar. Eu te disse o que aconteceu aquele dia no parque.
Marcos: Você não deve se importar com o que as pessoas pensam. Aqueles que gostam de você de verdade vão te aceitar.
Matheus: E se não me aceitarem?
Marcos: É porque não te amam de verdade.
Matheus: Você tem razão.
Marcos: Alem disso eu estarei com você. Hoje é sempre. Porque eu sim te amo e muito.
Matheus: Eu também te amo muito.

Os dois dão um selinho.

Matheus: Domingo é meu aniversário. Provavelmente deve ter algo em comemoração. Acho que será o dia ideal para te apresentar a minha família.
Marcos: Sério isso?
Matheus: Muito sério. Você tem razão.

Marcos sorri para Matheus e o casal dá um forte abraço.


Cena 07 - São Paulo - Escola de dança - Sala de balé - Tarde

Allan vai buscar a pequena Ana no balé e novamente chama a professora Tainá para um jantar.

Tainá: Você realmente é bastante insistente.
Allan: Será legal. Nós dois podemos sair e conversar um pouco. Sair um pouco dessa rotina.
Tainá: Tem razão. Realmente estou precisando sair dessa rotina.
Allan: Então você aceita?
Tainá: Tudo bem. Vou aceitar. Só porque você é muito insistente.
Allan: Muito obrigado. Não vai se arrepender.
Tainá: E em qual restaurant vamos?
Allan: Será um surpresa.
Tainá: Gosto de surpresas.
Allan: Não vai se arrepender.
Tainá: Eu espero.

Os dois riem. Ana aparece e vai embora com pai.

Ana: O que tanto conversam papai?
Allan: Nada filha. Coisas de pai e professora.
Ana: Conversa de adulto né?
Tainá: Exatamente.


Cena 08 - São Paulo - Escola - Sala de reunião  - Tarde

Daniel teve reunião de pais na Escola. A pais Hugo e Bruno chegam com o filho e percebem olhares. A reunião prossegue e no fim da reunião eles vão assinar a ficha com as notas do filho.

Professora: O Daniel fala muito de vocês e o quanto o fazem bem.
Hugo: Nós que ficamos muito felizes. Ele trouxe alegria para nossa casa.
Professora: Tenho certeza. Ele é menino muito bom.
Hugo: Sim. Temos um ótimo filho.

A professora dá os parabéns a Daniel pelas notas e aos pais pela ótima educação dos filhos. Depois saindo da escola o pai de um outro aluno faz comentários homofóbicos com Hugo e Bruno.

Homem: Vocês estão destruindo o conceito de família. Manchando a imagem da família tradicional.
Daniel: Por que ele diz isso papai?
Bruno: Ele não sabe o que está dizendo filho.
Hugo: Vamos embora. Não temos mais nada para fazer aqui.

Eles vão embora, mas ficam preocupados com O pequeno Daniel.


Cena 09 - São Paulo - Casa de Helena - Quarto de Murilo - Noite

Murilo fica sozinho no quarto e triste pela ausência da mãe.

Murilo: Por que será que minha mãe nem ao menos liga para saber se estou bem?

Ele fica triste e chora no quarto.

Murilo: Eu já não tenho pai. Será que vou ficar sem mãe também?

Murilo começa a desenvolver uma depressão aos poucos.


Cena 10 - São Paulo - Casa de Silvana - Quarto do casal - Noite

Luiz pensa muito e decide aceitar a proposta da esposa para terem um filho com ajuda da clínica de fertilização.

Luiz: Amor. Pensei muito no que me disse e realmente eu estava sendo um idiota. Machista.
Silvana: Que bom que reconsiderou meu amor.
Luiz: Eu estava pensando em mim mesmo e em uma relação a visão dos dois precisam ser analisadas.
Silvana: Eu te amo tanto. Não sabe o bem que faz.
Luiz: O seu sonho é meu sonho. Eu faria tudo por você.
Silvana: Te amo muito meu amor.
Luiz: Eu também te amo.
Silvana: E quando podemos ir a clínica?
Luiz: Amanhã mesmo. Quando você quiser.

Os dois se abraçam e Silvana chora de felicidade.


Cena 10 - São Paulo - Hospital - Quarto - Noite

O médico chega com notícias sobre o transplante de medula óssea.

Arthur: Por que o senhor está tão sério doutor?
Vitor: Tenho uma má notícia.
Helena: Pode dizer doutor.

Arthur começa a chorar.

Vitor: A medula da sua mãe não é compatível e não temos nenhuma que seja compatível com a do Arthur.

Arthur se desespera e começa a chorar.

Continua...






Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.