Type Here to Get Search Results !

Marcadores

REBELDE PARA SEMPRE - Capítulo 31 (última semana)

  



Web novela de: EZEL LEMOS


NO CAPÍTULO ANTERIOR:

Karla fala com a mãe no hospital e em seguida ela morre;

Nagela expulsa Salete de casa após questionar seu caráter;

Thales se revolta com Nagela e ganha o apoio de Moana;

Leonor fala ao celular e diz que a ruína de Nagela está próxima;

Jair diz a Karla que agora é é responsável por ela e a ordena que vá para casa;

Karla pega suas coisas na pensão e agradece a leonor;

Moana vai embora de casa com Salete, Thales e os irmãos, eles encontram Karla;

Salete e o grupo da banda se hospedam em um hotel com a ajuda de Dimmy;

Jair está chateado por não encontrar Karla;

Karla deseja ir buscar a irmã na casa do pai;

Nagela sente saudades de Moana e Natany não entende ela falar mal de sua avó;

Salete avisa ao grupo que a polícia está no hotel;

Raildo se recusa a fazer o que Leonor quer;

 

VEJA AGORA O CAPÍTULO DE HOJE:

 

CENA 1


(INT: Hotel, quarto, Salete e os filhos estão com Thales, Karla, Moana, Dimmy e Ricky no mesmo quarto, ambos apreensivos e a campainha toca)

 

Karla: (com medo) Meu Deus, tomara que não me reconheçam.

 

(Moana abre a porta e ver Raildo, ela não abre muito a porta, ou seja Raildo não ver as outras pessoas)

 

Raildo: Moana, o que faz aqui?

 

Moana: É uma longa história Raildo.

 

Raildo: Eu estou procurando uma garota de 17 anos, o nome dela é Karla, veja a foto dela.

 

(Raildo mostra no celular a foto de Karla)

 

Moana: Eu não sei quem é.

 

Raildo: Moana? Eu lembro dela. O pai dela disse que ela faz parte da sua banda.

 

Moana: Raildo, esse homem é horrível, um péssimo pai, você quer arruinar a vida de uma adolescente?.

 

Raildo: Moana, Moana, tá bem, vou livrar seu quarto da revista.

 

Moana: Ai que fofo, obrigada Raildinho.

 

(Raildo sai andando no corredor do hotel e encontra Jair)

 

Jair: Então, delegado?

 

Raildo: Até agora nada. Ela não deve estar aqui.

 

Jair: O senhor precisa encontrá-la! Ela deve está se escondendo. Mas eu vou encontrar!

 

CENA 2


(INT: Casa de Moana e família, corredor, Orlando vai andando em ver Natany atrás da porta do quarto de Nagela, ele vai até ela chateado)

 

Orlando: O que faz aí menina?

 

Natany: (constrangida) Nada!

 

Orlando: Vá embora.

 

(Orlando bate na porta e entra no quarto de Nagela, ele encontra Nagela se maquiando)

 

Orlando: Filha, você não para de se maquiar? Deixa um pouco a beleza de lado, ela não é tudo.

 

Nagela: Ah pai, parece que de repente minha vida virou para baixo. Nem o Raildo me procura mais.

 

Orlando: Talvez você esteja abalada por causa daquela da Leonor.

 

CENA 3


(INT: Pensão de Leonor. Leonor entra em casa chateada, com roupas elegantes e encontra os hóspedes)

 

Hóspede 1: Dona Leonor, já são 2 horas da tarde.

 

Hóspede 2: Sim e estamos sem almoçar.

 

Hóspede 3: A senhora saiu e não avisou nada.

 

Hóspede 4: Eu tô com fome.

 

Hóspede 1: Eu vou voltar para o trabalho ainda.

 

Leonor: (grita) Chegaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

 

(Todos os hóspedes se assustam)

 

Hóspede 1: Nossa ela vai ter um ataque.

 

Leonor: (estressada) Eu não vou ter nada! Calem a boca! ...E vão todos embora! Agora!

 

Hóspede 3: (revoltada) Como assim?

 

Leonor: (estressada) Vão todos embora! Eu não preciso disso! Eu tenho grana! Vão embora! Vão agora!

 

(Leonor revira os móveis)

 

Hóspedes: Como assim?/Gente, pra onde vamos?/Ela não pode fazer isso!/Que absurdo!/ Ela parecia uma pessoa tão legal!

 






 

CENA 4


Anoitece…

 

(INT: Hotel, restaurante, a banda RebeldE se apresenta e várias pessoas na mesa curtem)

 

Trechos

 

Karla: (de peruca loira)

Era uma vez,

O dia em que todo dia era bom

Delicioso gosto e o bom gosto

Das nuvens serem feitas de algodão

Dava pra ser herói

No mesmo dia em que escolhia ser vilão

E acabava tudo em lanche, um banho quente

E talvez um arranhão

 

-

 

Dava pra ver

A ingenuidade e a inocência cantando no tom

Milhões de mundos e universos tão reais

Quanto à nossa imaginação

Bastava um colo, um carinho

E o remédio era beijo e proteção

Tudo voltava a ser novo no outro dia

Sem muita preocupação

 

-

 

Thales:

Se for por seus beijinhos

Diga ao povo que fico

E mudo tudo

 

Amor, nada mais é tão sério

Só você me importa

Tô fechando a porta

E é só você e eu

 

Pelas ruas que andei sem rumo certo (não foi tão bom)

Ninguém que chegou dava saudade (era o vazio)

Nada do que lá fora me deram

Tinha sua qualidade

 

Amor, se for por seu carinho

Se for por seus beijinhos

Diga ao povo que fico

E mudo tudo

 

Amor, nada mais é tão sério

Só você me importa

Tô fechando a porta

E é só você e eu

 

-

 

Moana:

Mientras mi mente viaja donde tú estás

Mi padre grita otra vez

Que me malgasto mi futuro y su paz

Con mi manera de ser

 

Aunque lo escucho, ya estoy lejos de aquí

Cierro los ojos y ya estoy pensando en ti

 

Y soy rebelde

Cuando no sigo a los demás

Y soy rebelde

Cuando te quiero hasta rabiar

Y soy rebelde

Cuando no pienso igual que ayer

Y soy rebelde

Cuando me juego hasta la piel

 

Sí soy rebelde

Es que quizás

Nadie me conoce bien

 

-

 

(Moana e Ricky trocam olhares)

 

Todos:

Te encuentro despierto

Me dices: Lo siento

Con una lágrima derramas

 

Me abrazas, me hielo

Me pides un beso

Y yo me quedo sin respirar

 

Solo espera un momento

Solo dime: No es cierto

 

Solo quédate en silencio cinco minutos

Acaríciame un momento, ven junto a mí

Te daré el último beso, el más profundo

Guardaré mis sentimientos y me iré lejos de ti

 

De ti, uoh

 

Tengo tanto miedo

Y es que no comprendo

Qué fue lo que yo he hecho mal (¿qué he hecho mal?)

 

Me abrazas, me hielo (me hielo con)

Me pides un beso (un beso)

Y yo me quedo sin respirar

 

Solo espera un momento (el momento)

Solo dime: No es cierto

 

Solo quédate en silencio cinco minutos

Acaríciame un momento, ven junto a mí

Te daré el último beso, el más profundo

Guardaré mis sentimientos y me iré lejos de ti

 

(A câmera logo mostra todas as pessoas na mesa aplaudindo e o grupo agradecendo… A banda vai saindo do restaurante, todos felizes e Nagela está os esperando, eles param surpresos)

 

Nagela: Parabéns! Lindo show. Vocês arrasam sempre.

 

Moana: O que você quer mamãe?

 

Nagela: Eu queria pedir desculpas a vocês. E queria que voltassem para minha casa. Eu gosto de cuidar da banda.

 

Thales: Você que quis assim, Nagela.

 

Moana: Eu não vou voltar! A primeira coisa que fez foi cancelar meus cartões.

 

Nagela: Eu não fiz isso.

 

Moana: Não acredito! Vá embora mamãe. A senhora foi injusta, nos decepcionou.

 

(Nagela vai embora triste)

 

Dimmy: Eu fiquei com dó dela gente.

 

Ricky: Você é muito sentimental.

 

Dimmy: Sou mesmo.

 

CENA 5


(INT: Hotel, Dimmy e Ricky entram no quarto, Ricky se joga na cama e Dimmy senta em um banco próximo)

 

Dimmy: Ah, cara! Que situação chata.

 

Ricky: Do que você tá falando, Dimmy?

 

Dimmy: A Moana, ela olha para você diferente. Acho que ela ainda te ama.

 

Ricky: Não, acho que você tá enganado.

 

Dimmy: Ah, Ricky! Você também olha para ela. Acha que eu não percebi?

 

Ricky: Dimmy isso não tem sentido. Eu e Moana só somos bons amigos.

 

Dimmy: Se eu estiver enganado, vocês têm muita química então.

 

Ricky: Eu não tenho culpa disso. A Moana e eu somos só amigos.

 

Dimmy: Eu vou pro meu quarto. Não tô legal.

 

(Dimmy sai do quarto e Ricky fica triste)

 

CENA 6


(INT: Hotel, quarto, Thales e Karla estão assistindo em sofá e Salete sentada em uma cadeira alisando a cabeça de Cão que está cochilando na cadeira próxima dela)

 

Salete: Dormiu né Cao,, passa o dia todo correndo naquela quadra. ...Esse filme é muito bom.

 

Thales: Mãe, será que se eu casasse com a Karla, o pai dela ainda seria o responsável por ela?

 

Salete: Não sei meu filho, não entendo muito de lei.

 

Karla: Acredito que não meu amor, isso é até ilegal, eu acho.

 

Salete: Mas tá perto já, logo Karla será de maior. Aí ela será livre.

 

Karla: Mas os meses que faltam Salete, eu não queria ficar assim, foragida.

 

Salete: Logo passa Karlinha.

 

Thales: É meu amor. Aí você pede a guarda da sua irmã.

 

Karla: É tudo que eu mais quero. Minha irmã comigo.

 

CENA 7


(INT: Restaurante do hotel, Moana está com Dário em uma mesa, ambos tomam bebida tem uma taça)

 

Moana: Desculpa te chamar assim essa hora.

 

Dário: Não tem problema. Eu também estava precisando desabafar. Minha avó hoje disse que somos ricos e mudamos para uma mansão, uma casa grande. Eu não entendi nada, ela sempre viveu passando necessidade.

 

Moana: Nossa, ela não te explicou como conseguiu comprar a casa?

 

Dário: Não, ela tá fazendo um mistério. ...Mas agora me fala você. Que eu vim pra te fazer companhia e não o contrário.

 

Moana: É que eu tô sofrendo um pouco. Eu não queria ficar com meus amigos.

 

Dário: Deixa eu adivinhar… Ainda ama o Ricky?

 

(Moana balança a cabeça que sim)

 

Dário: Sabe que eu comecei a gostar de você. Da sua pessoa. E eu vou te falar a verdade…

 

Moana: Que verdade?

 

Dário: Que foi eu que coloquei a foto do Dimmy beijando Ricky na internet.

 

Moana: (surpresa) Você?

 

Dário: Sim, eu queria acabar com a banda. Estava com raiva porque a Karla não me chamou para o grupo.

 

Moana: Você não foi nada legal. Mas isso não muda nada.

 

Dário: Muda sim, é que eu vi que foi Dimmy que beijou Ricky. E Ricky logo se afastou, ele não quis.

 

(Moana, surpresa enche os olhos de lágrimas)

 

Moana: Não acredito.

 

CENA 8


Nascer do sol…

 

(INT: Casa de Moana e família, Nagela está de óculo escuro e chapéu, na piscina, tomando suco em um copo)

 

Nagela: Como a natureza é linda.

 

(Orlando vai passando com maleta na mão)

 

Nagela: Papai, vem aqui tomar um sol.

 

Orlando: Não posso querida,, tô indo para o interior visitar a sede de uma de nossas empresas. .Não sei quando voltarei.

 

Nagela: Tá bom. Vou continuar aqui sozinha.

 

Orlando: Não seja dramática, minha filha.

 

(Orlando entra no carro e vai embora, segundos depois Eugênio chega até Nagela na piscina. Ela estava despercebida e toma um susto, levantando rapidamente)

 

Nagela: (assustada) An! O que você faz aqui?

 

Eugênio: Eu vim finalmente falar do nosso passado, Jandira.

 

(Nagela fica sem saber o que fazer)

 

Eugênio: O que foi? Ficou muda?

 

Nagela: Eu vou chamar os seguranças…

 

Eugênio: Porque quer fugir do seu passado? Eu sei de tudo! Eu sei porque você fugiu de mim quando éramos jovens. Só não entendo, porque agora você quer continuar fugindo.

 

Nagela: (assustada) Do que você sabe?

 

Eugênio: Que você se tornou garota de programa.

 

(Nagela começa a escorrer lágrimas pela face e sua expressão é de desespero)

 

Eugênio: Eu vi você no cabaré da cidade, por isso não te procurei mais.

 

Nagela: (chorando) Meu pai! Eu achava que você não sabia.  ...Então, por que você me procura? Quer uma satisfação?

 

Eugênio: Claro que não, Jandira. Ou Nagela, como quiser. ...Eu não sei os motivos que fizeram você fazer isso.  Na época eu fiquei com muita raiva sim, mas hoje sou vivido, aprendi muito com a vida. Não vou julgar você, imagina.  ...Eu te procuro, simplesmente porque sempre te amei, eu nunca esqueci você.

 

(Eugênio vai até Nagela e limpa as lágrimas que escorrem a sua face, ambos começam se beijar)

 

CENA 9


(INT: Sala empresarial, Jair entra na sala onde está Nicandro sentado)

 

Jair: O senhor mandou me chamar?

 

Nicandro: (sério) Sim, Jair. Você me pediu 2 dias de folga e passou uma semana sem vim trabalhar…

 

Jair: Então doutor Cambraia, é que eu…

 

Nicandro: Você sabe como as regras dessa empresa são rígidas! E você nem ao menos avisou!

 

Jair: Me desculpa, doutor. Eu sei que errei, mas eu peço uma chance.

 

Nicandro: Lamento Jair! Você está despedido da fábrica cambraia. Favor passar no RH para acertar os trâmites.

 

(Jair fica imensamente chateado)

 

Jair: Mas eu sou um bom funcionário. O senhor não pode fazer isso!

 

Nicandro: Lamento Jair! Ótimo funcionário, mas sabe o quanto prezamos pela responsabilidade. Agora fora daqui, eu tenho muito trabalho!

 

(Jair olha com muita raiva para Nicandro, que está sentado e já olha para o computador)

 



 

CENA 10


(INT: Casa de Moana e família, quarto. Nagela e Eugênio estão na cama com cobertor)

 

Eugênio: Nossa, depois de tanto tempo nós ficamos juntos outra vez.

 

Nagela: Eu não devia ter feito isso.

 

Eugênio: Porque?

 

(Alguém bate na porta)

 

Voz da empregada: Dona Nagela, tem visita para a senhora.

 

Nagela: Tá bom, obrigada.

 

(Nagela levanta de calcinha e sutiã e veste um vestido que está próximo da cama)

 

Eugênio: Quem é?

 

Nagela: Não sei, não marquei com ninguém.

 

(Nagela sai do quarto e desce a escada, vendo Heloísa na sala, ela chega até a mãe de Dimmy)

 

Nagela: Quem é a senhora? Não a conheço.

 

Heloísa: Eu sou a mãe do Dimmy.

 

Nagela: Ah, a senhora é…

 

Heloísa: Eu vim aqui, para dizer a você que não vai fazer do meu filho, um fantoche. Eu não vou permitir!

 

CENA 11


(EXT: Fachada da escola, Karla 'de peruca' desce de um táxi e vai até sua irmã que está saindo do local)

 

Kaline: Karla, o que faz aqui?

 

Karla: Eu vim te buscar, vamos!

 

Kaline: Mas eu..

 

Karla: Fica tranquila, eu tenho lugar para você ficar.

 

(Jair chega e assusta as duas)

 

Kaline: Pai!

 

Jair: Karla, pensou que ia me enganar com essa peruca loira?

 

(Karla pega mão de Kaline para partir mas Alcides levanta camisa, mostrando arma)

 

Jair: Nem pense em ir para algum lugar, Karla! Dessa vez você vai comigo para casa.

 

CENA 12


(INT: Casa de Moana e família, Heloísa está de pé conversando com Nagela)

 

Nagela: Do que você está falando? Eu nem sou mais empresária da banda do seu filho!

 

Heloísa: (surpresa) Ah, não?

 

(Leonor invade a casa de Nagela deixando-a, pasma)

 

Nagela: (surpresa, chateada) Mas o que é isso? Como conseguiu entrar aqui.

 

Leonor: A senhora, fora daqui! Eu tenho assunto particular com a grande atriz Nagela Bustamante!

 

Nagela: Essa casa é minha, não pode chegar assim.

 

(Dois seguranças de Leonor entram e fica cada um do lado da senhora, Heloísa sai ligeiramente, assustada… Nagela também fica muito assustada)

 

Leonor: (rindo) Grande atriz Nagela Bustamante.

 

(Leonor tem uma crise de riso, sendo sarcástica)

 

Nagela: Do que tá rindo, sua…

 

Leonor: Não fala nada, porque você está arruinada.

 

Nagela: Tá enganada, continuo bem financeiramente.

 

Leonor: Eu sei, que o dinheiro não lhe importa. Seu sonho sempre foi ser atriz.

 

Nagela: E você sempre tentou me barrar, sua jararaca!

 

(Nagela parte para cima de Leonor e elas brigam puxando cabelos e trocando tapas)

 

Nagela: Sua megera, você foi uma péssima mãe.

 

Leonor: E você uma péssima filha.

 

(Segundos depois Raildo chega e encontra elas brigando e os seguranças olhando, parados)

 

Raildo: (surpreso) O que é isso?

 

(Elas param de brigar e estão com cabelos todo bagunçado)

 

Raildo: O que faz aqui Leonor?

 

Nagela: (surpresa) Você a conhece?

 

Leonor: Claro, ele foi contratado por mim para namorar com você.

 

Nagela: (surpresa) O quê? ...Raildo!

 

Raildo: (triste) Me perdoa, meu amor.

 

(Leonor bem a vontade, senta no sofá)

 

Leonor: Ai que confortável. Jandira, você não sabe nem a metade do que fiz pra você! …Porque acha que saiu da Globo?

 

Nagela: (cara de raiva) Sua desgraçada! Eu vou te matar!

 

(Nagela vai partindo para Leonor e Raildo a segura… Da escada Eugênio está observando tudo, a câmera volta para a sala)

 

Nagela: Me solta Raildo! Eu quero matar essa desgraçada!

 

(Leonor no sofá olha as unhas)

 

Leonor: Calma, minha filhota do coração.

 

(Close em Nagela com ódio nos olhos, sendo segurada por Raildo)


Fim do Capítulo




Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.