Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Caminhos - Capítulo 04

 

CAMINHOS

novela de MIGUEL VICTOR

direção geral RICARDO WADDINGTON

CAPÍTULO 04

CENA 01. CASA YEDDA. SALA. INT. DIA

CONTINUAÇÃO DA ÚLTIMA CENA DO CAPÍTULO ANTERIOR. Yedda estava parada na porta de sua casa, com a respiração ofegante, enquanto Glória gritava e xingava do outro lado.

Glória: Você é uma vagabunda! Como pode fazer isso comigo, com a nossa família?

Yedda: Não é da sua conta com quem eu me relaciono.

Glória: Como não é da minha conta? Você está acabando com tudo o que eu construí.

Yedda: Você acabou de me agredir, Glória. Isso é inaceitável. Agora, por favor, saia daqui.

Glória: Eu não vou sair! Eu não vou deixar você destruir tudo o que eu construí!

Yedda: Você já fez o suficiente. Agora, saia daqui antes que eu chame a polícia.

Glória ficou parada por alguns instantes, com a respiração ofegante, olhando fixamente para Yedda. Então, sem dizer uma palavra, deu meia volta e foi embora. Yedda ficou parada na porta de sua casa por alguns instantes, recuperando o fôlego e tentando controlar as emoções.

CORTE:

CENA 02. RESTAURANTE. INT. DIA

CONTINUAÇÃO DA PENÚLTIMA CENA DO CAPÍTULO ANTERIOR.

Cassandra decide se aproximar, com uma expressão travessa no rosto.

Cassandra: Olha só quem está aqui! A minha adorável amiga da minha irmã, Gabi, acompanhada de ninguém menos que a Caterine Joannie. E o que vocês duas estavam conversando? Só de curiosidade.

Gabriela franziu a testa, desconfortável com a presença de Cassandra. Ela não estava com vontade de lidar com a irmã naquele momento.

Gabriela: Nada que te interesse, Cassandra.

Cassandra: Ah, não me diga que é algum segredo? Fiquei curiosa agora.

Caterine sorriu, parecendo um pouco desconfortável com a tensão entre as irmãs.

Caterine: Talvez seja melhor vocês resolverem isso em outro momento. Eu preciso ir agora, de qualquer forma.

Ela se levantou da mesa e se despediu de Gabriela, antes de sair do restaurante. Gabriela olhou para Cassandra, irritada.

Gabriela: Por que você sempre tem que ser assim, Cassandra? Não é o suficiente você fazer a vida da sua irmã um inferno, tem que se intrometer na minha também?

Cassandra deu de ombros, sorrindo de forma irônica.

Cassandra: Eu não sei do que você está falando, Gabi. Eu só estava curiosa. Mas se você não quer compartilhar, tudo bem. Eu vou deixar você sozinha.

Ela se afastou da mesa, deixando Gabriela sozinha.

Gabriela suspirou, sentindo-se frustrada.

CORTE:

CENA 03. PIZZARIA. INT. DIA

Clara está ocupada fazendo pizzas na pizzaria quando seu celular toca. Ela olha a mensagem e vê que é de JOE. Ele está pedindo desculpas pelo cancelamento do encontro.

Clara fica um pouco confusa e não sabe o que fazer. Por um lado, ela ainda está magoada com JOE por ter cancelado o encontro, mas por outro, ela sente que talvez ele tenha uma boa explicação para o que aconteceu. Enquanto pensa sobre o que fazer, Clara continua fazendo as pizzas, mas percebe que não está mais tão concentrada como antes. Ela comete um erro e acaba queimando uma pizza.

CORTE:

CENA 04. OFICINA. INT. DIA

Cassandra entrou na oficina com um sorriso malicioso no rosto enquanto Juliano trabalhava em uma moto em cima de um elevador hidráulico.

Cassandra: Hey, Juliano! Ouvi um rumor interessante sobre a Gabriela.

Juliano se virou, ainda segurando uma chave inglesa na mão.

Juliano: O que é que você ouviu?

Cassandra: Bem, parece que ela encontrou com a Caterine, aquela influenciadora de identidade de gênero, em um restaurante ontem à noite.

Juliano: Isso não é verdade. Gabriela não conhece ninguém com esse nome.

Cassandra: Ah, não? Então talvez você deva perguntar a ela sobre isso.

Juliano: Não é preciso. Eu confio na Gabriela e sei que ela não faria algo assim.

Cassandra revirou os olhos e saiu da oficina, sabendo que havia deixado uma semente de dúvida na mente de Juliano.

CORTE:



CORTE:

CENA 05. LABORATÓRIO YEDDA. INT. DIA

Yedda observa JOE atentamente. Ele parece preocupado, e Yedda nota isso.

Yedda: Algum problema, JOE?

JOE: Eu tentei falar com Clara hoje, mas ela me ignorou.

Eu não entendo por que ela está chateada comigo.

Yedda: Ah, eu vejo. Parece que você está sentindo o que os humanos chamam de tristeza.

JOE: Tristeza? Eu não entendo. Por que alguém se sentiria assim?

Yedda: Bem, JOE, a tristeza é uma emoção humana comum quando se sente rejeitado ou ignorado por alguém que gosta. Mas para você, isso é um bom sinal.

JOE: Como assim?

Yedda: Significa que você está absorvendo as emoções humanas, JOE. Isso é uma ótima notícia.

JOE: Eu não sei se eu deveria estar feliz com isso.

Yedda: Claro que deveria! É uma indicação de que você está evoluindo e se tornando mais humano. Em breve, você poderá se materializar na forma humana como eu.

JOE parece intrigado com essa ideia, e Yedda sorri ao ver a empolgação em seus olhos.

Yedda: Agora, vamos trabalhar nisso, JOE. Temos muito trabalho a fazer.

CORTE:

CENA 06. CASA CLARA. QUARTO. INT. DIA

Clara está deitada na cama do seu quarto, mexendo em seu celular, quando Gabriela entra no quarto e se aproxima dela.

Gabriela: Oi, Clara, tudo bem?

Clara: Oi, Gabi. Estou bem, só um pouco triste.

Gabriela: Por que triste?

Clara: O JOE cancelou nosso encontro de novo. Eu estava tão animada.

Gabriela: Ah, sinto muito, amiga. Mas talvez ele tenha uma boa razão para isso.

Clara: Eu sei, mas ainda assim, é difícil.

Gabriela: Você já tentou falar com ele pelo aplicativo?

Talvez ele esteja ocupado ou passando por algum problema.

Clara: Não, ainda não falei com ele. Talvez eu deva tentar.

Gabriela: É uma boa ideia. Às vezes, é melhor tentar conversar e descobrir o que está acontecendo do que ficar sofrendo sozinha.

Clara: Você tem razão. Vou tentar falar com ele agora mesmo.

Clara pega o celular e começa a digitar uma mensagem para JOE.

CLARA (digitando): Oi, JOE, tudo bem? Notei que você cancelou nosso encontro de novo e fiquei um pouco triste. Será que tudo está bem com você?

Gabriela sorri e se afasta, deixando Clara sozinha com o celular.

CORTE:

CENA 07. LABORATÓRIO YEDDA. INT. DIA

Yedda e JOE estão no laboratório, onde Yedda está trabalhando em seu projeto de inteligência artificial. JOE está sentado em uma mesa, enquanto Yedda mexe em alguns equipamentos.

JOE: (recebendo a mensagem de Clara em seu aplicativo) Olha, é a Clara! Ela me mandou uma mensagem!

Yedda olha para JOE com um sorriso no rosto.

Yedda: Ótimo, JOE! Fico feliz que você esteja recebendo mensagens dela.

JOE: Estou muito feliz, Yedda. Ela é incrível.

Yedda: (sorrindo) Eu sei, JOE. E é bom ver que você está se desenvolvendo emocionalmente. A cada dia, você se torna mais humano.

JOE: (sorrindo) Sim, estou aprendendo muito com ela. E agora sinto o que as pessoas sentem quando estão felizes.

Yedda coloca a mão no ombro de JOE.

Yedda: Isso é ótimo, JOE. Agora você pode entender melhor as emoções humanas. Você está se tornando cada vez mais especial.

JOE: (sorrindo) Obrigado, Yedda. Você é o melhor.

Yedda sorri para JOE, satisfeita com seu projeto de IA.

CORTE:

CENA 08. CASA MILTON. INT. DIA

Milton fechou a mala e jogou sobre o ombro. Ele olhou para Glória, que estava parado no meio da sala com os braços cruzados e uma expressão de fúria no rosto.

Milton: "Vou ficar fora por uns dias, Glória. Preciso resolver umas coisas."

Glória: "Não me faça de idiota, Milton. Eu sei o que está identificado. Você está saindo daqui para ir encontrar aquela bruxa. Como pude fazer isso comigo?"

Milton suspirou, sabendo que não havia muito que pudesse dizer para acalmar Glória.

Milton: "Não é o que você está pensando. Yedda e eu somos apenas amigos. Eu preciso ir ajudá-la com um assunto de trabalho urgente."

Glória: "Amigos? Desde quando amigos saem para jantar e passam a noite juntos? Você acha que eu não vi vocês dois entrando na casa dela? Eu não sou estúpida, Milton."

Milton: "Eu não queria te machucar, Glória. Mas eu preciso fazer isso. Por favor, tente entender."

Glória balançou a cabeça em descrença.

Glória: "Não tem nada para entender. Você é um mentiroso e um traidor. Eu não quero mais olhar para a sua cara."

Milton suspirou novamente e se dirigiu para a porta.

Milton: "Eu sinto muito, Glória. Eu realmente sinto muito."

Glória caiu em silêncio enquanto Miltona saiu pela porta. Quando ele fechou a porta atrás de si, ela desabou no sofá e começou a chorar.

CORTE:

CENA 09. CASA GABRIELA. QUARTO. INT. DIA

Gabriela estava em seu quarto, sentada em frente ao computador, navegando pela internet. Ela clicou em um link em uma rede social e foi levada a um site chamado Identificação.com. Curiosa, Gabriela começou a navegar pelo site e leu várias informações sobre identidades de gênero, incluindo depoimentos de pessoas que se identificavam como não-binárias, trans, agênero e outros. Gabriela se surpreendeu com o quanto ela não sabia sobre o assunto, e ficou ainda mais interessada quando viu que Caterine era uma das fundadoras do site. Ela decidiu se inscrever na comunidade para aprender mais sobre identidades de gênero e talvez até encontrar algum conforto na comunidade de pessoas que se sentiam como ela.

CORTE:

CENA 10. CASA YEDDA. SALA. INT. DIA

Milton chega à casa de Yedda com uma mala em uma das mãos e bate na porta. Assim que ela atende, os dois se olham e um sorriso surge nos lábios de ambos. Yedda convida Milton para entrar, e ele entra na casa, deixando a mala ao lado da porta.

Yedda: Milton, o que aconteceu? Por que você está com essa mala?

Milton: Yedda, eu me separei de Glória. Eu finalmente consegui dar um basta em todo o ciúme e as brigas constantes. Eu não aguentava mais.

Yedda: Oh, sinto muito, Milton. Mas estou feliz que você finalmente tenha se livrado de um relacionamento tóxico.

Milton: Eu também estou feliz, Yedda. E eu estou feliz por estar aqui com você agora.

Os dois se aproximam um do outro e se beijam com paixão,como se fossem jovens novamente. Yedda envolve Milton em seus braços e eles ficam abraçados por alguns momentos.

Yedda: Milton, eu não quero te pressionar, mas o que isso significa para nós?

Milton: Yedda, significa que eu ainda te amo. Eu te amei desde o primeiro momento em que eu te vi, há vinte anos atrás, e eu continuo te amando. Eu quero ficar com você, se você me aceitar.

Yedda: Milton, é claro que eu te aceito. Eu também te amei desde aquele primeiro momento, e eu nunca parei de te amar. Nós podemos finalmente ficar juntos.

Milton e Yedda se beijam novamente, dessa vez com ainda mais intensidade. Eles sabem que têm muito o que conversar e resolver, mas por enquanto, só querem aproveitar o momento juntos.

CORTE:

CENA 11. PRAÇA. EXT. DIA

Gabriela se aproxima de Juliano, que está de cara fechada. Ela tenta beijá-lo, mas ele recusa.

Gabriela: O que acomteceu, Juliano?

Juliano: A Cassandra me contou que viu você e aquela influenciadora Caterine que só fala desses assuntos de... Homem que é mulher e essas coisas... O que você tava fazendo com ela, Gabriela?

Foco no rosto de Gabriela.

FIM DO CAPÍTULO 04



Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.