Type Here to Get Search Results !

Marcadores

ALTOS & BAIXOS - CAPÍTULO 32 (ÚLTIMOS CAPÍTULOS)

  


Cena 1/ Matagal/ Dia.

Instrumental (até o fim da cena 2)

Ralf agoniza no chão. Alguém não identificado vai se aproximando dele... Ele olha no fundo dos olhos dessa pessoa, dá o último suspiro e fecha os olhos, morto. A câmera se abre, mostrando Ralf caído e o casebre pegando fogo ao fundo... A imagem escurece.

Cena 2/ Prédio de Talita/ Rua/ Dia.

Imagem clareia. Plano geral no prédio de Talita. Alguns policiais na porta do prédio, fazendo a segurança.

Cena 3/ AP de Lisa e Talita/ Cozinha/ Dia

Talita lavando a louça. Lisa entra em casa pela porta da cozinha. 

Lisa: Ai meu amor, preciso de um banho!

Talita: Seu banho vai ter que ficar pra depois. Sua mãe, sua irmã Ana e o Fellipe estão aqui!

Lisa: (tensa) Eles estão aqui?

Talita: Tão! Eu servi uma mesa de café pra eles... Disse que você já ia chegar...

Lisa: Ai meu Deus... Então eu vou lá recebê-los!

Lisa segue para a sala. Talita continua lavando as louças.

Cena 4/ AP de Talita/ Sala de Jantar/ Dia.

Ana Luiza, Carla e Fellipe tomam um farto café à mesa. Lisa entra em cena e se senta junto a eles.

Carla: Ai Lisa, como vocês estão? Aonde você estava?

Lisa: Oi mãe! Eu... Eu tava... Eu passei no shopping pra comprar umas coisinhas que a Sarah gosta...

Ana Luiza: Ela tá bem, Lisa?

Lisa: Bem na medida do possível... Fisicamente tá tudo em ordem, mas na cabecinha dela, com certeza não... A Sarah vai ter que frequentar psicólogo por um tempo... Passar pelo que ela passou... Tentativa de estupro, sequestro...

Ana Luiza: Se quiser, eu te indico uma que atende lá no meu prédio. 

Lisa: Eu vou querer!

Fellipe: Eu nem consigo acreditar que a Sarah passou por tudo isso... Se ela tivesse comigo...

Lisa: Calma Fellipe! Aquele crápula fez a cabeça da Sarah, manipulou, fez o joguinho... 

Carla: É! E tomara que a polícia já tenha pegado ele...

Lisa: Qualquer notícia, eles avisam aqui... E a Vanessa, por que ela não veio?

Carla: Ela ficou tão abalada, que resolveu ir fazer uma faxina no imóvel que ela alugou... Pra desestressar!

Lisa: AH...

No close de Lisa, 

Cena 5/ Galpão/ Int/ Dia.

Vanessa chega no galpão trazendo um balde com produtos de limpeza, uma vassoura e um rodo. Ela deixa tudo em um canto e suspira enquanto olha o galpão ao redor...

Vanessa: Que cansaço hein... Vamos arrumar esse espaço logo... 

Vanessa pega a vassoura e começa a varrer o ambiente. Tempo. Câmera subjetiva a observa atrás de uma janela. Cortes descontínuos. Muito suspense.

Cena 6/ Ap de Bianca/ Sala/ Dia

Koka entra em casa. Ouvimos em off: fortes murros na porta e os gritos de Bianca.

Bianca: (gritando em off) ALGUÉM ABRE ESSA PORTA! SOCORROOO! EU TÔ PRESA AQUI!

Koka bufa e corre em direção ao corredor.

Cena 7/ AP de Bianca/ Corredor/ Dia.

Koka abre a porta do quarto e Bianca sai dele, histérica.

Bianca: (gritando) Você é louca? Você me trancou aqui nesse quarto e saiu! Você podia ter me matado sua doida! 

Koka: Calma Bianca, chega!

Bianca se altera e cresce. Koka tapa os ouvidos.

Bianca: (grita) Isso que você fez é cárcere privado! Você acha que manda em mim por acaso? Eu sou quase 15 anos mais velha que você!

Koka: (grita) CALA ESSA BOCA, BIANCA!

Bianca: (grita) Vem calar! Eu disse mil vezes que não ia fazer nada contra aquela vagabunda e você não confiou em mim! Preferiu acreditar naquela Pérola! Você não tem noção do que é passar horas trancada dentro de um quarto, feito uma prisioneira! Você agiu como uma criminosa!

Koka: (farta) CALA A BOCA!

Koka dá uma bofetada em Bianca, que se cala na mesma hora. Bianca em choque, sem reação. Alguns instantes de silêncio e Koka cai no choro.

Koka: (chorando) Desculpa! Desculpa!

Ela abraça Bianca, que a abraça de volta sem entender muito... Tempo.

Cena 8/ Casa de Ana Luiza/ Sala/ Dia.

Ana Luiza entra em casa e se senta no sofá. Ela fica por lá, alisando sua barriga. Tempo. A campainha toca.

Ana Luiza: Quem será?

Ana Luiza se levanta com dificuldade e vai abrir a porta. É Lourenço, segurando uma sacola de loja.

Ana Luiza: Lourenço?

Lourenço: Oi Ana...

Ana Luiza: Entra!

Lourenço entra. Ana fecha a porta.

Ana Luiza: Aceita uma água, café?

Lourenço: Por enquanto não, obrigado! Eu vim trazer essas roupinhas pra Helena.

Ana Luiza: Ah que fofo! Vamos lá no quartinho dela?

Música: Até quem sabe - Nara Leão (até o fim da cena 9)

Lourenço faz que sim.

Cena 9/ Casa de Ana Luiza/ Quarto de Helena/ Dia.

Quarto decorado com tema de bebê. Berço, criado mudo, guarda-roupinha. Lourenço e Ana Luiza por lá, conversando.

Lourenço: Loucura isso que aconteceu com a Sarah né?

Ana Luiza: Pois é... Pra você ver como existe gente ruim nesse mundo... O Fellipe ficou lá pra tentar dar uma força...

Lourenço: Mas eles não estavam brigados?

Ana Luiza: Ele vai tentar uma reaproximação... Certo ele... (t) Mas e você? Como tá o seu namoro com a... Como é mesmo o nome dela?

Lourenço: Nicolle... É, a gente tá indo... O namoro até que tá fluindo.

Ana Luiza: Hum...

Lourenço: Eu me arrependo tanto, sabe...

Ana Luiza: Se arrepende? De quê?

Lourenço: De ter me separado de você... Agora você tá aí... Grávida... E eu aqui, de mãos atadas.

Ana Luiza: Lourenço... 

Lourenço toca a barriga de Ana e em seguida toca o rosto dela.

Lourenço: Ana... É você a mulher da minha vida! Não adianta a gente tentar fugir um do outro...

Ana Luiza: É melhor a gente parar essa conversa por aqui! Eu não quero sair machucada, nem quero também que você se machuque...

Num rompante, Lourenço rouba um beijo de Ana Luiza... Os dois se envolvem completamente e deixam a química fluir...

Abertura:



Cena 10/ AP de Lourenço/ Quarto/ Dia

Nicolle deitada em sua cama, pensativa...

Nicolle: Lourenço saiu tão cedo e não voltou até agora... Aonde será que ele foi hein? Me deixou aqui sozinha pô...

Instrumental (até o fim da cena 12)

Close em Nicolle.

Cena 11/ Casa de Ana Luiza/ Quarto de Helena/ Dia.

Ana Luiza e Lourenço se beijam apaixonadamente... Até que Ana Luiza se afasta.

Ana Luiza: Lourenço não...

Lourenço: Eu me separo agora da Nicolle!

Ana Luiza: Eu não sei se vai ser saudável a gente voltar...

Lourenço: Mas é claro que vai! A gente passou tempo demais separado... O tempo suficiente pro amor e o tesão renascerem!

Ana Luiza: Talvez eu precise de mais um pouco de tempo... Eu tô muito sensível com essa gravidez! 

Lourenço: Tudo bem... Só não espera tempo demais... Pode acabar ficando tarde!

Lourenço segue até a porta, deixando Ana.

Lourenço: Eu volto amanhã pra resolvermos sobre a babá!

Lourenço sai do quarto. Ana Luiza põe a mão nos lábios e suspira...

Ana Luiza: Que beijo foi esse...?

Close em Ana Luiza.

Cena 12/ AP de Talita/ Quarto de Sarah/ Dia.

Quarto escuro. Sarah deitada de olhos abertos, pensativa... Batidas na porta.

Sarah: Entra!

A porta é aberta e Fellipe entra. Sarah surpresa.

Sarah: Fellipe?

Fellipe: Eu quero te dar um abraço. Só isso! Posso?

Sarah pensa um pouco e responde:

Sarah: Pode, claro!

Fellipe vai até a cama e abraça a prima, amoroso...

Fellipe: Ai Sarah... Você não imagina o quanto eu tô feliz de te ver bem...

Sarah: Obrigada Lipe...

Fellipe: Lipe?

Sarah: Não é o seu apelido?

Fellipe: Então você... Não tá mais com raiva de mim?

Sarah: Claro que não! Eu estava numa fase que nem eu me reconhecia mais... Vivia estressada com tudo e com todos... Aquela não era eu!

Fellipe: Não mesmo... Essa aqui sim é você! A verdadeira Sarah!

Sarah: Terminei com você, você foi namorar com a Giovanna...

Fellipe: Sarah... Posso te perguntar uma coisa?

Sarah: Claro!

Fellipe: Se eu terminasse com a Giovanna... Eu teria ainda alguma chance com você?

Sarah ri.

Sarah: Arrisca! Quem sabe...

Fellipe olha pra Sarah...

Cena 13/ casa de Ana Luiza/ Quarto de Ana Luiza/ Dia

Ana Luiza deitada em sua cama, mexendo no tablet, concentrada. Ela encontra um anúncio e logo se interessa.

Ana Luiza: Olha só... Uma babá! Denise... (lendo as informações) Qualificada ela... Vou ligar!

Ana pega o telefone fixo ao lado e faz uma ligação...

Cena 14/ Casa de Guilherme e Denise/ Sala/ Dia

Guilherme entra em casa, pisando fundo. Denise vai até ele.

Denise: Quê que foi meu filho? Tá tão atazanado!

Guilherme: Nada não mãe.

Denise: Eu não sei como eu não desisto de te perguntar sobre as coisas... Você vive me escondendo tudo!

Guilherme nem dá ouvidos e vai pro seu quarto.

O celular de Denise toca. Ela atende.

(Alternar com Ana Luiza em seu quarto:)

Denise: (cel) Alô?

Ana Luiza: (cel) Oi tudo bem? Você é a Denise, babá?

Denise: Sou eu mesma.

Ana Luiza: Eu tô grávida de 7 meses e meio sabe... 

Ana
 Luiza vai falando, fora de áudio. As duas riem e papeiam até que desligam. Denise muito feliz.

Denise: Guilherme, meu filho. Arrumei um emprego de babá!

Guilherme entra na sala de cara amarrada.

Guilherme: Não mexe com isso mãe, para. A senhora sabe que não precisa trabalhar! Eu banco tudo aqui!

Denise: Eu não nasci pra ser sustentada por filho não! Eu vou trabalhar sim e não há quem me impeça!

Guilherme: A senhora é quem sabe.

Denise: E eu já disse também que não gosto dessas coisas que você mexe. Até prefiro nem saber do que se trata, mas vindo de você... Sei que é o que não presta! 

Guilherme: Nossa, que bom juizo a senhora faz de mim, hein?

Denise: É o que você me faz pensar de você! Ôh meu filho, a policia pode te pegar a qualquer momento, será que você não percebe?

Guilherme: Não, eu não percebo!

Ele sai de casa, bate a porta e Denise começa a chorar, amargamente...

Denise: (chorando) Aonde foi que eu errei com esse garoto, meu Deus?

Close nela.

Cena 15/ Estrada/ Caminhonete de Guilherme/ Dia

Instrumental (até o fim da próxima cena)

Guilherme dirigindo pela estrada.

Guilherme: Ralf não deu mais notícias... Vou ter que ir nesse tal casebre!

Ele vira o volante e a caminhonete entra numa estrada de terra.

Cena 16/ Matagal/ Dia.

O casebre completamente destruído, muitas cinzas e alguns resquícios de fogo. A caminhonete de Guilherme para próximo ao casebre. Guilherme desce, desentendido e assustado.

Guilherme: Meu Deus do céu... O casebre pegou fogo! Cadê o Ralf?

Guilherme olha pro lado e vê um corpo estirado mais a frente. Ele não pensa duas vezes e corre até lá. Uma poça de sangue abaixo do corpo... Guilherme olha mais atentamente e percebe que se trata de Ralf.

Guilherme: (chocado) É o Ralf! Mataram ele!

Neste momento, escuta-se sirenes de polícia.

Guilherme: A polícia! Vão pensar que fui eu que matei ele! Eu tenho que zarpar logo daqui!

Guilherme corre até sua caminhonete, entra nela e dá partida, com toda velocidade... 

Corta para: (cena fora de áudio) As viaturas policiais aparecem e cercam o casebre. Os policiais descem dos carros e fazem a busca. Um dos policiais aponta para o corpo de Ralf estirado e todos correm para observar. Tensão.

Cena 17/ Galpão/ Dia.

Vanessa ainda varrendo a área do galpão, até que ela para, cansada. 

Vanessa: Preciso é de uma água!

Ela vai até um cantinho do galpão, onde há uma garrafinha e bebe. 

Instrumental (até o fim do capítulo)

Novamente, a CÂM subjetiva a observa de longe e vai se aproximando de Vanessa. De repente escutamos uma voz em off.

— (off): Vanessa!

Vanessa se vira e ao olhar pra frente, fica pálida, arregala os olhos e acaba deixando a garrafinha cair. 

Vanessa: (trêmula) Você...?

A câm se abre e revela ser nada menos que JÉSSICA na frente de Vanessa.

Vanessa: (gagueja) Vo-você tá viva?

Jéssica: Eu preciso te explicar muita coisa amiga!

No close de Vanessa completamente boquiaberta,

(Congela em Vanessa)

Encerramento com a música: Quando você voltar - Lourena


SEGUNDA-FEIRA COMEÇA A ÚLTIMA SEMANA! VOCÊ NÃO PODE PERDER OS 3 ÚLTIMOS CAPÍTULOS DESTE SUCESSO!

Ass: Selma Dumont

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.