Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Disputa pelo poder - Capítulo 12

 


Disputa pelo Poder  - Capítulo 12

Anteriormente...

Laura: Tide meu amor!

Laura desce as escadas.

Aristides: Laura será que pode me dizer que pataquada toda é essa?

(Tema de mistério).

Fique agora com o capítulo de hoje. 

Capítulo 12

Cena 1, Sala, Casa dos Vilhena, interior, noite.

Laura: Tide querido hoje é a festa com o merchand mexicano!

Caio: É com o japonês, Laura.

Laura: Não importa! Bom, tide eles virão pra cá e eu que não sou deselegante nem nada, fiz isso sabe.

Aristides: Sem me consultar, Laura?

Laura: Eu ia te contar mas você estava muito ocupado no trabalho.

Aristides: Que isso não se repita mais Laura. Não posso continuar fazendo festas de alto nível. 

Laura: Mas não é de alto nível! É uma festa arrojada, casual Tide!

Aristides: Tudo bem, tudo bem. Vou subir para tomar banho.

Aristides sobe as escadas.

Caio se aproxima de Laura.

Caio: Que ideia foi essa hein Laura?

Laura: Eu só fiz o que foi necessário, Caio.

Caio: Você que vai arcar com as consequências, Laura. Você. 

(Tema de suspense).

Cena 2, Quarto de Cristiano, Pensão Palácio, interior, noite.

Miro está todo bem vestido enquanto Cristiano termina de se arrumar.

Cristiano: Miro espero que dê certo hein.

Miro: Vai dar macaco! Para de botar pilha de menos e coloca de mais! 

Cristiano: Também não é assim fácil. Vai ter um mobte de gente por lá, Miro.

Miro: A gente dá nosso jeito macaco, nosso jeito!

Cristiano: Então tá bom. Levarei a carta de meu pai ao meu tio e peço a ele um emprego.

Miro: E será que o seu tio descola um emprego pro velho Miro aqui? Haha

Cristiano: Também não abusa Miro. Eu já disse que vou tentar.

Miro: Tá bom macaco. Vamos antes que a festa termine.

Cristiano: Vamos mesmo.

Cena 3, Quarto 2,  Casa de Ceila, noite.

Simone está lendo uma revista e tomando um chá calmamente.

Ceila logo aparece com as roupas dobradas de Simone. 

Ceila: Interrompo?

Simone: Claro que não, Ceila entra aí. 

Ceila entra.

Ceila: Aqui estão as suas roupas Simone. Tive a honra de lavá-las pra você. 

Simone: Ah Ceila, não precisava.

Ceila: Fica tranquila, fiz isso com o maior gosto.

Simone: Tá bom, mas só hoje, tá?

Ceila: Tudo bem (risos).

Elas riem.

Ceila: Simone, o que te fez vir pro Rio?

Simone: Bom, além da minha arte, eu vim aqui atrás do meu futuro marido, Cristiano.

Ceila: Ele mora por aqui? Há quanto tempo vocês se conhecem?

Simone: Desde adolescentes a gnt se conhecia, mas ele era o mais retraído da sala e não não mora veio de Duas Barras pra visitar o tio rico dele, um tal de Aristides Vilhena.

(Tema de mistério).

Ceila: Aristides Vilhena?



Cena 4, Quarto 2, Casa de Ceila, interior, noite.

Simone fica intrigada com a atitude de Ceila. 

Simone: Você o conhece?

Ceila: Não, não só pelas revistas.

Simone: Pareceu que conhecia ele...

Ceila: Deve ser impressão sua, Simone. Aliás já tá tarde e melhor irmos dormir querida.

Simone: Estou sem sono. Irei pensar mais um pouco no Cris e depois irei dormir. 

Ceila: Tudo bem. Boa noite, Simone.

Simone: Boa noite Ceila.

(Tema de suspense).

Logo Simone volta a pensar em Cristiano.

Cena 5, Sala, Casa dos Vilhena (núcleo 2), noite.

Diva sai do quarto às escondidas. 

Zelinha acorda e se assusta.

Zelinha: Diva?

Diva (aos sussuros): Cala a boca Zelinha!

Zelinha: O que você está fazendo?

Diva: Indo embora daqui, ué!

Zelinha: A essa hora, Diva? E se o pai descobre?

Diva: Isso já não é mais problema meu, Zelinha! Eu vou pro Rio ficar com o Cris!

Zelinha: Eu quero ir junto!

De repente a visão de um homem nervoso encarando-as amedronta as duas.

Sebastião: Aonde pensam que estão indo?

Elas param.

(Tema de tensão).

Cena 6, Casa dos Vilhena, Jardim, noite.

Fernanda logo chega a festa com um traje branco e com uma bolsa plissada.

Caio logo a vê ao longe. 

Caio: Olha lá, Cíntia. Fernanda já chegou.

Cíntia logo encontra Fernanda e a abraça. 

Cíntia: Fernanda meu amor!

Fernanda: Oi vida.

Cíntia: Já estava morrendo de saudades.

Fernanda: Mamãe chegou?

Cíntia: Chegou sim, está lá dentro.

Fernanda: Ótimo, vamos ficar lá com o Caio. Adoro ficar debochando dele (risos).

Cíntia: Você e o Caio não se desgrudam mesmo hein Fernanda! Parece até que tem um caso...

(Tema de mistério).

Fernanda: Eu não tenho caso nenhum com o Caio e só tenho olhos pra você. 

Fernanda rouba um beijo de Cíntia. 

Cíntia: Espero mesmo.

-- Estamos Apresentando -- 

-- Voltamos A Apresentar--

Cena 7, Sala, Casa dos Vilhena (núcleo 2), noite.

Sebastião: E então? Me digam, aonde vocês irão a essa hora?

Zelinha: Em lugar nenhum pai, é só a Diva pregando peça...

Sebastião: Mentira! Eu sei quando vocês mentem eu não nasci ontem!

Diva: A gente ia embora sim! Isso não nego! Estamos cansadas de viver na sua escravidão, velho!

Diva recebe de Sebastião uma bofetada no rosto.

Sebastião: NUNCA MAIS SE ATREVA A OFENDER O SEU PAI SUA MISERÁVEL! Agora vai se ajoelhar durante seis dias ininterruptos no milho!

Logo Berenice acorda com os berros de Sebastião. 

Berenice: Bastião o que você está fazendo, meu velho?

Sebastião: Fique quieta Berê! Deixe que eu cuido disso!

Diva: Mãe! Me ajuda o pai tá louco!

Sebastião (irado): Louco é?! Seus pecados estão te possuindo menina! Filha minha tem que se redimir aos olhos de Deus pela sujeira que anda cometendo! 

Berenice (intervém): Sebastião, para com isso!

Sebastião dá um empurrão em Berenice que a faz bater a cabeça na parede com força e ela cai desacordada.

Sebastião (assustado): Berê!

Sebastião solta Diva e corre ao encontro da esposa desacordada.

Sebastião: Chamem os médicos! ZELINHA! Vem me ajudar!

Zelinha logo corre para acudir seu pai.

(Tema de suspense).

Cena 8, Casa dos Vilhena, rua, noite.

Cristiano e Miro logo chegam a rua da casa de Aristides. 

Cristiano: Chegamos Miro.

Miro: Tudo pronto macaco?

Cristiano: Eu só estou meio nervoso.

Miro: Nervoso com o quê macaco?! Não já tamo aqui pronto pra fazer os corre com o coroa?

Cristiano: Sim, eu tô mas é que vir aqui numa festa de penetra é estranho.

Miro: Pra mim tá de boa. Ajudar um amigo é o que importa.

Eles olham e vêem guardas. 

Miro: Eita agora que o caldo engrossa macaco. Precisamos de um plano.

Cristiano: Já sei. Você entrete os caras com o seu jeito de malandro enquanto pulo a parede e passo.

Miro: Ok macaco.

Miro se aproxima dos guardas.

Miro: Boa noite senhores. Gostaria de saber se vocês querem beber uma breja quando essa festa acabar.

Guarda 1: E quem é o senhor?

Enquanto Miro fala com os guardas Cristiano sorrateiramente sobre a parede média do local.

Miro: Me chamo Argemiro. Mas todo mundo me conhece como Miro. Sou um velho conhecedor de bares.

Guarda 2: Tem identificação, senhor Argemiro?

Miro: Olha cara por enquanto não, mas eu dou um jeito.

Guarda 1: E como vai fazer isso?

Cristiano cai na grama da casa e se levanta com esforço. 

Miro logo foge dos Guardas que o seguem.

Cristiano vai se aproximando cada vez mais da casa.

Cíntia olha ao longe.

Cíntia: E quem é aquele rapaz, Caio?

Caio: Não sei, deve ser um convidado de algum convidado de papai, Cíntia. 

Cristiano avista os dois e se aproxima.

Fernanda: Parece que ele está vindo. Bom pegarei um drinque. Vamos, Cíntia?

Cíntia: Vamos meu amor.  

Elas se afastam.

Cristiano: Alô, você sabe se o meu tio Aristides está aqui?

Caio: Tio Aristides?

(Tema de mistério).

Cena 9, Sala, Casa de Walkíria, noite.

Walkíria chega embriagada com um rapaz desconhecido. 

Eles riem.

Logo Flávia aparece ainda meio sonolenta.

Flávia: Mãe?... o que você tá fazendo?

Rapaz: Você tem filha? (Risos).

Walkíria: Flávia, vai já pro seu quarto, isso não é hora de criança ainda tá acordada.

Flávia: Eu não sou mais criança, mãe! Já tenho 17 anos e quase indo pra maioridade!

Walkíria: Não importa, já pra cama!

Rapaz: Por quê não deixa ela aqui hein... quem sabe duas não me divertem mais...

Flávia: Mas que insolente! Já pra fora daqui, agora!

Flávia tenta expulsar o rapaz a pontapés.

Walkíria: Flávia, deixe-o em paz! 

Flávia: Ele é um cretino mãe! Não merece a senhora.

Rapaz: Coroa, é melhor eu ir embora...

Walkíria: Eu não sou nenhuma coroa!

Flávia: Até quando mãe vai fingir uma idade que mal tem hein? ATÉ QUANDO!

Flávia corre para seu quarto desamparada.

Walkíria se senta no sofá e chora.

(Tema triste).

Cena 10, Casa dos Vilhena, Jardim, noite.

Cristiano: Me chamo Cristiano, sou o sobrinho do doutor Aristides.

Caio: Primeiro, meu pai não é nenhum doutor. Segundo eu posso saber o que um pé rapado como você faz aqui?

Cristiano: Trouxe uma carta de meu pai para o seu, primo.

Caio: Não me chame de primo. Não me envolvo com pouca qualidade.

Cristiano fica meio mal ao ouvir as palavras de Caio, mas se recompõe. 

Cristiano: Ele está ou não?

Caio: Está mas não poderá vê-lo.

Cristiano: Mas por quê, Caio?

Caio: Por quê eu não permitirei que a laia menos favorecida da família venha aqui em busca de apoio.

(Tema de tensão).

Cristiano: E quem é você pra dizer algo?

A cena congela no embate entre Cristiano e Caio que se transformaram em gesso.

Fim de Capítulo. 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.