Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Entrelaçados - Capítulo 18




ENTRELAÇADOS 


CAPÍTULO  18


Criada e Escrita por ANDIE ARAÚJO 


Diretor de Núcleo DENNIS CARVALHO 


CENA 01. SALA DE AULA/CURSINHO. INT. DIA.

Continuação do capítulo anterior. Manu senta na carteira vazia em frente Narciso.

NARCISO: Pela feiura? Não! Imagina, você não precisa se desculpar, não tem culpa de ter nascido.

Manu engole seco enquanto alguns riem. Pedro fica incomodado, se levanta e Narciso o encara. Closes alternados entre eles. Tensão.

NARCISO provoca: Vai encarar, nerdzinho?

Pedro fecha o punho tentando se controlar. Manu entra na frente e fala com Pedro.

MANU: Se concentra na aula, amigo. Não dê confiança para esse garoto, sempre foi assim. Deixa pra lá. Não esquenta!

Pedro se senta, Narciso o olha ainda provocando.

Professor volta a dar a aula.

Corta para:


CENA 02. BAR. INT. DIA.

Judite e Lucca adentram o estabelecimento. Eles passam por algumas mesas com clientes. Eles atentos à procura de Mauro. Eles chegam ao balcão.

GARÇOM: Bom dia, no que posso ajudá-los?

Judite tira da bolsa o celular e mostra a foto de Mauro.

JUDITE: Bom dia. Eu queria saber se viu esse homem por aqui?

O garçom faz uma expressão forçando a memória.

GARÇOM: Passou por aqui sim. Entornou todas.

JUDITE: E sabe para onde ele pode ter ido?

GARÇOM: Sei não. Saiu daqui tão alto…

JUDITE: Obrigada pela informação!

Judite e Lucca apreensivos, aflitos.

LUCCA: Eu quero meu pai, tia!

JUDITE: Nós vamos encontrar ele. Paciência, meu amor.

Eles saem do bar. Judite olha de um lado para o outro e vai abordando os clientes do local e estes negam saber sobre Mauro.

Corta para:


CENA 03. SALA DE JANTAR/ CASA DE MARGARIDO. INT. DIA.

Café da manhã sob a mesa. Margarido e Gardênia tomando o desjejum.

MARGARIDO: Sabe, meu bem, é uma trist3za sem tamanho foi feio lá na audiência. A Zu não merecia ficar presa até o julgamento.

GARDÊNIA: Mas ela não é ré primária?

MARGARIDO: Sim, mas foi presa em flagrante. Isso piora tudo!

GARDÊNIA: Que horror! Ela vai ter que esperar o julgamento presa? Mas o que decidiram sobre o advogado?

MARGARIDO: Eu conversei com o Miguel pelo telefone, ele irá pegar o caso.

GARDÊNIA: Esse nosso genro é um amor.

Jasmin toda feliz, cantarola “Bela Flor”.

GARDÊNIA: Acordou animada hoje, filha?

JASMIN: É. O dia ontem foi incrível, maravilhoso!

GARDÊNIA cismada: Que bom!

Gardênia fica intrigada com tanta alegria.

Corta para:

CENA 04. SALA DE ESTAR/ CASA DE TÔNIA. INT. DIA.

Tônia abrindo a porta. Solange adentra com um embrulho.

SOLANGE: Eu trouxe um agrado para minha mais nova amiga!

TÔNIA: Ah, obrigada. Entre!

Tempo. As duas terminam de degustar do café e do bolo. Na mesinha de centro, as duas xícaras, o bolo cortado.

TÔNIA: Quem fazia bolos divinos era Zu, sabe? Ela comentou comigo que aprendeu com uma ex-patroa dela, Maria da Paz.

SOLANGE: Zu me pareceu que gostava muito de cozinhar.

TÔNIA: Ela era um anjo para mim…

SOLANGE: Já foi visitá-la na delegacia?

TÔNIA: Não sou mulher delegacia, Solange. E também, ela quebrou minha total confiança nela. Não tem porquê de eu ir lá.

Solange ouve atentamente e gostando do que ouve.

Corta para:


CENA 05. RUAS DO CATETE. EXT. DIA.

Lucca e Judite caminhando entre os transeuntes. Judite aborda um dos transeuntes e ele nega. Lucca aborda uma senhora, que não reconhece Mauro.

Um homem negro caminhando sentido contrário. Lucca percebe.

LUCCA grita: Pai!

O menino corre em direção ao homem, que ao se virar, percebemos que não é Mauro.

LUCCA desanimado: Desculpa, seu moço. Me enganei.

O menino caminha arrasado e senta-se em um meio-fio, cabisbaixo.

Corta para:

ABERTURA




CENA 06. RUAS DO CATETE. EXT. DIA.

Continuação da cena 05. Lucca ali cabisbaixo, choroso. Judite do seu lado.

LUCCA: Eu nunca mais vou ver o meu pai.

JUDITE: Vai sim. Não vamos perder a esperança. Eu vou achar seu pai!

Lucca vê um homem dormindo na rua. Ele identifica as roupas do pai.

LUCCA: Pai?

Ele aponta para o homem. Judite se aproxima e mexe com o tal homem, que resmunga.

JUDITE sem acreditar: Mauro!

O rosto do homem é mostrado, Mauro em estado lamentável.

Corta para:


CENA 07. TRANSIÇÃO.

Ao som de “Caminhos Cruzados - Ana Solari”. Clipe rápido.

Narciso zombando de Manu no Cursinho.

Lucca colocando Mauro para dormir.

Helena e Mônica em uma roda de samba.

Baixinho visitando Zu na cadeia.

Jasmin e Marinho se beijando no apart. De Miguel.

DIAS DEPOIS… 


CENA 08. BANCA DE JORNAL. EXT. DIA.

Banca aberta, pequena movimentação. Jerônimo e Margarido ali.

MARGARIDO: Isso é um absurdo por demais! Incriminar meninas que ficam grávidas de abusadores, pedófilos!

JERÔNIMO: Onde vamos parar? É inadmissível.

Seu Cazarré, um morador do Catete, se aproxima para comprar um dos jornais.


CENA 09. IGREJA. INT. DIA.

A paróquia com uma quantidade razoável de pessoas. Uma foto de Sílvia (Paolla Oliveira). Teresa, Leandro e Lia chegam. Padre Alberico (Stênio Garcia)

TERESA: Dois anos sem sua mãe! Sílvia era minha amada filha. Eu nunca me conformei com essa morte trágica, Padre Alberico.

PADRE ALBERICO: Lamento profundamente. Sentem-se. Falta algum tempinho para começar a missa.

Leandro ali, deprimido, bem cabisbaixo.

Funde com:

CENA 10. SALA DE ESTAR/APART. DE LEONARDO. INT. NOITE.

Silvia, Leandro e Lia felizes, vendo um filme na TV. Os três se divertindo, rindo de alguma piada do filme, comendo pipoca.

Leonardo chega e vai beijá-la. Ela sente um cheiro diferente, perfume de mulher. O casal começa a discutir na frente dos filhos. Todo o Flash Back, inaudível.

Volta de Leandro dos pensamentos. Sobe uma raiva no jovem.

Em outro lado da cena, Miro conversa com Seixas (Paulo Betti) e Dora (Grazi Massafera).

MIRO: Doutor Seixas, todos nós ficamos muito grato pela sua presença nesse momento solene para o Leonardo.

SEIXAS: Leonardo é um dos melhores pilotos de nossa empresa aérea e você está chegando lá.

MIRO: Obrigado pelo elogio.

SEIXAS: Dora é minha quarta esposa.

DORA: Olá, Miro.

Os dois se cumprimentam com um aperto de mão.

Na entrada da igreja, Leonardo chega acompanhado de Nanda. Teresa e Leandro os vê.

TERESA: Como ele ousa trazer essa…

LEANDRO berrando: Tira essa vagabunda daqui!

Ele chama a atenção dos convidados. Tensão.

Corta para:


CENA 11. SALA DE ESTAR/ CASA DE ROSA. INT. DIA.

Rosa e Janaína em conversa adiantada.

ROSA: Eu preciso saber mais sobre essa Jasmin. Essa vaca não sabe com quem tá se metendo…

JANAÍNA: Você falando assim me dá medo.

ROSA: Essa vaca se meteu com a pessoa errada, Jana.

Marinho chega. Elas param de falar sobre o assunto.

MARINHO: E aí, meninas! Hoje o dia foi nada bom, não conseguimos a quantidade de peixes necessárias. Vou tomar uma ducha!

Marinho deixa chave do carro e a carteira ali numa mesinha e vai para o quarto.

Rosa se levanta, verifica se Marinho foi mesmo para o quarto. Rosa vasculha a carteira e encontra um cartão de visitas da Floricultura.

ROSA: De hoje, essa Jasmin não me escapa.

JANAÍNA: Ai, ai. O que vai aprontar?

Rosa enigmática.

A cena congela, um esfumaçado azul, como se fosse uma neblina.

FIM DO CAPÍTULO






Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.