Type Here to Get Search Results !

Marcadores

TERRA DO SOL - 09 (REPRISE)

 


CENA 1: INTERIOR. CASA DE SHIN E OLENKA. SALA. DIA

CLOSE EM OLENKA E ZECA QUE ESTÃO SENTADOS MUITO APREENSIVOS.

NESSE MOMENTO SHIN ENTRA NA CASA ACOMPANHADO DE HAYATO E

AO LADO DELES ESTÁ AYUMI. SEM PENSAR DUAS VEZES OLENKA CORRE

E DÁ UM FORTE ABRAÇO EM SUA FILHA. HAYATO OLHA E PERCEBE O

AMOR QUE ENVOLVE ESSA FAMÍLIA.



OLENKA (emocionada): - Minha filha…. Graças a Deus que você está bem.

Eu fiquei com tanto medo de te perder. Você é o meu maior tesouro.

SHIN (aliviado): - Se não fosse pela a ajuda do Hayato eu teria conseguido

salvar a nossa filha, Olenka. (P) Mas no fim tudo acabou bem.

AYUMI: - Obrigada, Hayato. Desde quando eu soube da sua existência eu

sempre quis te conhecer. Eu sempre quis ter um irmão. E olha que ironia.

Foi justamente você que salvou a minha vida.

HAYATO (ponderando): - Eu não podia ficar parado vendo uma atrocidades

dessas acontecer. Ainda mais com a minha irmã. Isso não seria certo.

 

AYUMI SORRI E ELA ABRAÇA HAYATO QUE RETRIBUI O GESTO DE

CARINHO. LOGO DEPOIS ZECA SE APROXIMA DE AYUMI E A BEIJA.

 

ZECA (respirando fundo): - Meu amor…. Você não pode imaginar o alívio

que eu estou sentindo nesse momento. Eu fiquei com tanto medo de te

perder. Eu agradeço a Deus por você estar aqui na minha frente.

AYUMI (chorando): - Nesses momentos de terror que eu passei a única

coisa que conseguia pensar era em você, Zeca. Me perdoa se um dia eu

desiste do que eu sentia por você. Eu prometo nunca mais fazer isso.

 

AYUMI E ZECA BEIJAM APAIXONADOS. HAYATO FICA METÓDICO.

 

HAYATO: - Se tem uma coisa que eu preciso fazer é deter a minha mãe o

quanto antes. Enquanto ela estiver livre todos nós ainda estaremos sobre a

mira do ódio dela. E eu vou fazer isso sozinho.

 

HAYATO SAI DA CASA TOTALMENTE DECIDIDO. SHIN PENSA EM IR

ATRÁS DE SEU FILHO, MAS OLENKA O IMPEDE.

 

//

CENA 2: INTERIOR. LOFT DE MITSUKO. SALA DE ESTAR. DIA

FABIANA ESTÁ SENTADA EM UM LUXUOSO SOFÁ DE SEDA E OLHANDO

TUDO AO SEU REDOR SEM ENTENDER PORQUE ELA ESTÁ ALI. UMA

EMPREGADA LHE OFERECE UMA TAÇA DE CHAMPAGNE QUE A VILÃ

ACEITA. LOGO EM SEGUIDA MITSUKO SURGE NA SALA DE ESTAR

DEIXANDO FABIANA TOTALMENTE INTRIGADA.



MITSUKO (ardilosa): - Você deve estar se perguntando o que está fazendo

aqui, não é mesmo? (P) Algum tempo atrás o seu pai fez um trabalho para

mim que te beneficiou. Você ainda se lembra da sua amiga Alice Noronha?

FABIANA (entendendo a situação): - Você é a chefe da organização

japonesa. Mas o que você pode querer de mim? Eu não tenho nada que

você possa querer. Isso não entra na minha cabeça.

MITSUKO: - É muito simples, minha cara gaijin. O seu pai está preso e ele

não pode contar tudo que sabe. É aí que você entra.

 

FABIANA SE MOSTRA INTERESSADA. MITSUKO FICA AO LADO DA VILÃ.

 

MITSUKO (séria): - O Celso não pode testemunhar contra mim de forma

nenhuma. Você terá a missão de impedir que isso aconteça. Não importa

como você tenha que fazer isso. Mas faça.

FABIANA (firme): - Você está querendo que eu mate o meu próprio pai?

Por mais que eu odeie ele por tudo que eu sofri na minha infância eu não

sei se posso fazer isso. A minha liberdade é preciosa demais.

MITSUKO: - Isso ainda não é tudo. Eu também estou te dando a chance de

se vingar de uma inimiga que temos em comum: Keiko Watanabe. Eu sei

que ela é sua meia-irmã, mas se você me ajudar a tirar o seu pai do meu

caminho eu te ajudo a acabar com a Keiko.

 

FABIANA BALANÇA A CABEÇA CONCORDANDO COM MITSUKO. AS VILÃS

APERTAM AS MÃOS EM UM PACTO SANGRENTO.

//

 

CENA 3: INTERIOR. BAR. DIA

EM PLANO GERAL A CÂMERA MOSTRA QUE RAMON ESTÁ BEBENDO

MUITO E PODEMOS VER MUITAS GARRAFAS EM CIMA DA MESA. NESSE

MOMENTO DORALICE VEM SE APROXIMANDO DE RAMON E SE SENTA AO

SEU LADO. RAMON OLHA PARA ELA EM UM ESTADO DEPLORÁVEL.

 

RAMON (bêbado): - Doralice…. O que você está fazendo aqui? O seu filho

não vai gostar nenhum pouco se ele souber que está aqui. (P) Porque você

ainda se preocupa comigo? Eu só te fiz mal.

DORALICE (séria): - Você não consegue ver que está precisando de ajuda,

Ramon? Esse não é você. Não foi por esse homem que eu me apaixonei.

Lembra que quando o Zeca nasceu ele era a nossa maior alegria. O que foi

que aconteceu com você? O que foi que mudou entre nós?

RAMON: - Eu não quero falar sobre isso com você, Doralice. Eu não quero

ver as minhas falhas expostas de uma maneira que me traga vergonha.

 

RAMON TENTA BEBER OUTRO COPO DE CERVEJA, MAS DORALICE

IMPEDE. ELA TOCA AS MÃOS NO ROSTO DE RAMON.

 

RAMON (alterado): - Eu não preciso da sua piedade, Doralice. Eu fiz tudo

que eu fiz porque eu quis. Nada que você fale vai mudar isso.

DORALICE (ponderando): - Eu sei o que você está tentando fazer, Ramon.

Não adianta nada você tentar se esconder atrás dessa imagem de um

homem grosso, pois eu te conheço profundamente. Eu quero te ajudar.

RAMON: - Eu já disse que eu preciso da sua ajuda. Vai embora de uma

vez, e me deixe em paz. Porque não vai atrás do seu filho. Já que ele é o

único que você sempre amou de verdade.

 

DORALICE FICA ABALADA COM AS PALAVRAS DE RAMON. ELA VAI

EMBORA DE CABEÇA BAIXA. RAMON CONTINUA BEBENDO.

 

//

CENA 4: INTERIOR. DELEGACIA DA POLÍCIA FEDERAL. SALA DE VISITAS.

TARDE

UM OFICIAL VEM TRAZENDO CELSO ATÉ A SALA DE VISITAS, E O VILÃO

ESTÁ TOTALMENTE ALGEMADO. NESSE MOMENTO CELSO É

SURPREENDIDO COM A CHEGADA DE FABIANA QUE OLHA PARA ELE COM

MUITO DESPREZO. A VILÃ SE APROXIMA DE CELSO E SORRI.

 

CELSO (nervoso): - O que você veio fazer aqui, sua maldita? Porque você

não me deixa em paz? Já não basta eu ter caído em um armadilha daquele

desgraçado do Lucas? Mas eu garanto que não vou ficar aqui muito tempo.

FABIANA (sorrindo): - Você acha que eu estou me importando com você?

Eu sempre quis te ver em uma situação dessas por tudo que você me fez

quando eu era apenas uma criança. Mas isso vai acabar agora.

CELSO: - E o que você está pensando em fazer, Fabiana? Você é tão

insignificante que não consegue me ameaçar de nenhuma forma. Porque

apareceu?



FABIANA FICA POSESSA DE RAIVA E  TIRA UMA FACA DE SUA BOLSA.

CELSO NÃO DEMONSTRA MEDO E IRONIZA A ATITUDE DA VILÃ.

 

CELSO (cínico): - Olha só quem resolveu tomar uma atitude. O que você

vai fazer com essa faca, Fabiana? Está pensando em me matar? Você não

é capaz de fazer algo desse tipo nem que isso dependesse a sua vida.

FABIANA (séria): - A Mitsuko Ishida me deu a oportunidade de te matar e

ganhar uma pequena fortuna em troca. Eu não sou de jogar dinheiro fora,

mas eu te mataria de graça. Você é quem eu mais odeio.

CELSO: - Você é capaz de fazer o que é necessário, Fabiana. Teve que ter

a minha ajuda para matar a Alice. Você não é ninguém. Sua inútil.

 

FABIANA PERDE TODO O CONTROLE E DÁ VÁRIAS FACADAS EM CELSO

QUE CAI NO CHÃO AGONIZANDO. LOGO DEPOIS A VILÃ VAI EMBORA.

 

//

CENA 5: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. QUARTO DE LUCAS.

TARDE

O QUARTO ESTÁ A MEIA LUZ. NO CENTRO DA CENA ESTÃO LUCAS E

KEIKO QUE SE OLHAM TOTALMENTE APAIXONADOS. LUCAS FAZ UMA

CARINHO NO ROSTO DE KEIKO QUE PELA PRIMEIRA VEZ SE SENTE

AMADA VERDADEIRAMENTE. ALGUMAS LÁGRIMAS ESCORREM PELO

ROSTO DE KEIKO E LUCAS AS ENXUGA.

 

LUCAS (sem entender): - Porque você está chorando, Keiko? Agora que o

Celso foi preso nós estamos mais perto de termos justiça pelo o que

aconteceu com você e pela morte da Alice.

KEIKO (esboçando um sorriso): - Eu sei disso, meu amor. Essas lágrimas

são de felicidade. Eu nunca me senti tão feliz em toda a minha vida.

Aquele dia que eu te conheci foi o destino me dando a chance de ser feliz.

LUCAS: - Isso é o mínimo que eu posso fazer por você, Keiko. Quando eu

mais precisava você me tirou das trevas. Eu amei muito a Alice e eu vou

fazer justiça pela morte dela. Mas o que eu sinto por você eu nunca senti

antes. Eu só posso te agradecer.



LUCAS E KEIKO SE APROXIMAM UM DO OUTRO. ELES SE BEIJAM

ARDENTEMENTE. ELES VÃO SE ENTREGANDO AO AMOR QUE SENTEM UM

PELO O OUTRO. LUCAS E KEIKO TROCAM MUITAS CARÍCIAS.

 

CENA 6: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS. SALA DE ESTAR.

TARDE

A CÂMERA MOSTRA DE UM JEITO BEK INTIMISTA QUE KENJI ESTÁ

SENTADO NO SOFÁ DA SALA DE ESTAR TENTANDO ABSORVER TUDO O

QUE ACONTECEU. NESSE MOMENTO ESTELA VEM SE APROXIMANDO DE

KENJI E LHE OFERECE UMA TAÇA DE LICOR. ELES SE OLHAM.

 

ESTELA (séria): - Finalmente esse pesadelo acabou, Kenji. O homem que

foi o responsável pela morte da sua filha está preso. O Celso não tem mais

influência para nos prejudicar. Ele é uma carta fora do baralho.

KENJI (preocupado): - Eu não consigo acreditar totalmente nisso, Estela. A

minha neta sofreu muito nas mãos dessa organização japonesa e

principalmente da Mitsuko. Enquanto essa mulher não for presa a minha

neta ainda estará correndo risco.

ESTELA: - Você criou a sua neta muito bem, Kenji. Você não precisa ficar

com medo. As coisas podem ser difíceis, mas no final tudo fica bem.

 

KENJI CONCORDA. ELE E ESTELA FICA EM CLIMA AMISTOSO. NESSE

MOMENTO RAUL ENTRA NA MANSÃO TODO OFEGANTE E VAI NA

DIREÇÃO DE ESTELA QUE FICA INTRIGADA COM O SEMBLANTE DELE.

 

ESTELA (intrigada): - Raul…. O que foi que houve com você? Você está tão

ofegante e elétrico. Eu sei que está acontecendo alguma coisa.

RAUL (sério): - Eu não queria ser quem traz péssimas notícias, mas o Celso

foi esfaqueado dentro da delegacia da polícia federal. Até agora ninguém

sabe quem fez tal atrocidade.

KENJI: - E quem poderia ser capaz de fazer uma coisa dessas? Eu tenho

certeza que foi a Mitsuko. Ela não quer permitir que o Celso testemunhe

em nosso favor. (P) Nós não podemos deixar a Keiko saber disso.

ESTELA (firme): - Eu sinto muito Kenji, mas eu não posso fazer isso. A

Keiko e o meu filho merecem saber o que está acontecendo. Não seria

certo esconder isso deles.

 

KENJI NÃO CONCORDA, MAS ACEITA A DECISÃO DE ESTELA. ELA VAI

SUBINDO AS ESCADAS DA MANSÃO BEM SÉRIA. KENJI E RAUL FICAM

MUITO APREENSIVOS.

//

 

CENA 7: INTERIOR. LOFT DE MITSUKO. SALA DE ESTAR. TARDE

MITSUKO ESTÁ TOMANDO UM COPO DE SAQUÊ E OUVINDO MÚSICA

CLÁSSICA EM TODA ALTURA. NESSE MOMENTO A CAMPAINHA TOCA E A

EMPREGADA ABRE A PORTA. EM SEGUIDA FABIANA ENTRA NO LOFT

TOFA SUJA DE SANGUE O QUE DEIXA A EMPREGADA EM CHOQUE. ASSIM

QUE VÊ O ESTADO DE FABIANA.

MITSUKO (fria): - Como eu posso ver em suas roupas você conseguiu fazer

aquilo que eu lhe ordenei. Por um momento eu achei que você não iria

conseguir por ele ser seu pai. Você se certificou que ele está morto?

FABIANA (séria): - Eu não tive tempo de conferir se o Celso estava morto.

Eu fiz o que você me mandou e eu fui embora. Agora eu quero o meu

dinheiro. Eu não posso ficar na vista da polícia.

MITSUKO: - Com quem você pensa que está falando, garota? Eu não vou

te dar dinheiro algum enquanto você não terminar o que eu mandei você

fazer. Já que você não conseguiu matar o Celso eu terei que fazer esse

serviço sujo. Mas eu não irei falhar.

 

MITSUKO SE LEVANTA E VAI ATÉ UM MÓVEL NO CANTO DA SALA E ABRE

UMA GAVETA. ELA TIRA UMA ARMA DA GAVETA DEIXANDO FABIANA COM

MUITO MEDO.

 

FABIANA (confusa): - O que você está pensando em fazer com essa arma?

Não vai me dizer que você está pensando em entrar naquele hospital e

matar o Celso com tanta violência? Isso é impossível.

MITSUKO (sorrindo): - Você ainda não entendeu, não é mesmo, Fabiana?

Nada é impossível para mim. Eu vou matar o seu pai, e ninguém vai me impedir. (P) Agora trate de tomar um banho antes que mais alguém te

veja nesse estado deplorável.

FABIANA: - Me conte o que você está pensando em fazer. Eu ainda quero

que você me cumpra a sua promessa. (P) Eu quero a cabeça da Keiko em

uma bandeja de prata o quanto antes.

 

MITSUKO SORRI MALICIOSAMENTE. FABIANA PASSA A MÃO EM SEU ROSTO TIRANDO O SANGUE QUE ESTÁ EVIDENTE.

 

• TRANSIÇÃO DE TEMPO: ANOITECE •

 

CENA 8: INTERIOR. HOSPITAL. CORREDOR. NOITE

FABIANA VEM ANDANDO PELO CORREDOR DO HOSPITAL COM MUITA

CAUTELA. NESSE MOMENTO UMA ENFERMEIRA VEM PASSANDO PELO

CORREDOR, E ELA ACABA SE ENCONTRANDO COM FABIANA QUE A

EMPURRA CONTRA A PAREDE E O CLIMA FICA MUITO TENSO.

 

ENFERMEIRA (confusa): - O que é que está acontecendo aqui? Quem é

você? E o que você quer comigo? Eu tenho que trabalhar. Me deixe ir.

FABIANA (ardilosa): - Você não vai a lugar nenhum. Você vai me dar a sua

roupa e o seu jaleco se não quiser que nada de ruim te aconteça. (P) Anda

logo. Eu não tenho trmpomoara perder com você.

ENFERMEIRA: - Você está completamente louca. Eu não vou fazer isso.

Agora me dê licença que eu tenho um paciente para cuidar.

 

A ENFERMEIRA DÁ AS COSTAS PARA FABIANA QUE FICA TOTALMENTE

ALTERADA. A VILÃ COLOCA UM PANO COM CLOROFÓRMIO NA BOCA DA

ENFERMEIRA QUE DESMAIA LOGO DEPOIS.

 

FABIANA (cínica): - Dorme um pouco que eu tenho algo para fazer que

não pode esperar. (P) O Celso nem espera o que está por vir.

 

FABIANA CONSEGUE PUXAR A ENFERMEIRA PARA UMA SALA. DEPOIS DE

ALGUNS MINUTOS A VILÃ SAI DA SALA VESTIDA DE ENFERMEIRA E SAI

ANDANDO PELO CORREDOR DO HOSPITAL SEM NENHUM PROBLEMA.

 

CENA 9: INTERIOR. HOSPITAL. LEITO. DIA

CELSO ESTÁ DEITADO NA CAMA DO LEITO SENDO VISTORIADO POR UM

MÉDICO. LOGO DEPOIS O MÉDICO SAI DO QUARTO DEIXANDO O VILÃO

SOZINHO. ALGUNS SEGUNDOS DEPOIS FABIANA ENTRA NO QUARTO

ACOMPANHADA DE MITSUKO QUE OLHAM A SITUAÇÃO DE CELSO E

DESDENHAM DELE.

MITSUKO (cínica): - Olha só o estado dele. Nem parece aquele homem viril

e ardiloso que queria me destruir. A hora é chegada, Fabiana. Você vai ter

que terminar o serviço que começou. Não vai dar pra trás logo agora.

FABIANA (ponderando): - Você sabe que eu queria muito fazer isso,

Mitsuko. Mas em compensação eu não quero ir parar atrás das grades. Eu

não vou fazer isso. Se quiser faça você mesma.

MITSUKO: - Eu não tenho mais nada para perder, mesmo. O ingrato do

meu filho já me denunciou ao vivo para quem quisesse ver. Se o Celso

continuar vivo eu irei perder a liberdade. Isso não pode acontecer.

 

MITSUKO PEGA UM TRAVESSEIRO E COLOCA SOBRE O ROSTO DE CELSO.

OS BATIMENTOS DO VILÃO COMEÇAM A FICAR CADA VEZ MAIS

AGITADOS. NESSE MOMENTO A PORTA SE ABRE. KEIKO ENTRA NO

LEITO E IMPEDE MITSUKO DE CONCLUIR O ATO DE ASSASSINATO.

 

KEIKO (em choque): - O que você está fazendo, Mitsuko? Você está

passando de todos os limites. Você quer matar o Celso só para ele não

possa testemunhar contra você. Você é uma assassina.

MITSUKO (ardilosa): - Não vai me dizer que está com pena dele, KEIKO?

Ele matou a sua mãe, hnunca quis saber de você e ainda queria mais do

que eu mesma te vender como escrava para a Europa. Você já se

esqueceu de tudo isso?

FABIANA: - Porque você ainda perde tempo em explicar o óbvio para essa

sonsa, Mitsuko? Ela não passa de uma falsa moralista que se finge de

boazinha para enganar o Lucas. (P) Você não me engana, Keiko.

KEIKO (séria): - Não importa o que o Celso já me fez. Ver ele morrer e não

fazer nada não é certo. Se eu fizesse isso eu seria pior do que ele.

 

MITSUKO FOCA FRENTE A FRENTE COM KEIKO. NESSE MOMENTO

FABIANA PEGA UM BANDEJA DE INSTRUMENTOS CIRÚRGICOS E BATE NA CABEÇA DE KEIKO QUE CAI NO CHÃO DESACORDADA. AOS POUCOS

CELSO VAI ABRINDO OS OLHOS E PRESENCIA TUDO QUE ESTÁ

ACONTECENDO.

 

A IMAGEM CONGELA EM KEIKO DESACORDADA AOS PÉS DE MITSUKO E

FABIANA. AOS POUCOS A IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO

COMO SE O SOL ESTIVESSE NASCENDO NO HORIZONTE.


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.